EPA – EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I

Propaganda
TEORIA DAS RELAÇÕES HUMANAS
 O cientista social George Elton Mayo
(1880-1949) é considerado o Pai da
Teoria das Relações Humanas.
 Deu origem a partir de
trabalhadores americanos e
sindicatos em contraposição a TCCA.
 humanização, democratização da
atividade administrativa e
desenvolvimento das ciências humanas.
EXPERIÊNCIA DE HAWTHORNE
 Em 1924, a convite da Academia
Nacional de Ciências dos EUA,
George Elton MAYO deu início a
pesquisa sobre a correlações
existentes entre a produtividade
e a iluminação das fábricas
 O estudo aconteceu em uma fábrica
no bairro de Hawthorne em Chicago
 Mayo, fez testes na linha de
produção, na busca por variáveis
que influenciassem, positiva ou
negativamente, a produção. E
dividiu a pesquisa em 4 fases
 O primeiro teste foi realizado para
encontrar a relação entre a
intensidade da luz e a
produtividade e detectou uma
variável difícil de ser isolada, o fator
psicológico dos trabalhadores
 Considerando o fator psicológico inoportuno
mudou-se o foco da pesquisa,
observando o (fisiológico) comportamento
dos trabalhadores a cada pequena
mudança (ex: lanches, intervalos, mudança
nos incentivos e nos horários de trabalho)
 As Experiência de Hawthorne geraram um
novo paradigma para os administradores
mundiais
 http://www.youtube.com/watch?v=KOGrcLx5W-g
Principais conclusões de Mayo
1. Nível de produção é resultante da
integração social:
-
-
quanto maior sua integração social no
grupo maior será sua vontade de
produzir
ao contrário do que dizia a Escola
Clássica, que coloca fatores físicos
como determinantes
2. Comportamento social dos
empregados:
-
baseado no comportamento dos grupos
e organizações informais
cada empregado não age isoladamente
Punições sociais ao descumprimento de
normas impostas pelo grupo
3. As recompensas e sanções sociais:
-
necessidades psicológicas e sociais
ganhar menos era menos importante do
que perder a afeição com os colegas
aspéctos: econômicos < sociais
conceito de Homem Social
4. Grupos Informais:
-
o despertar para as relações humanas
dentro das organizações
contraponto à organização formal
afetos e sentimentos
comportamento social, crenças, atitudes e
expectativas
5. As relações humanas:
-
-
ênfase nos aspectos emocionais e nãoracionais do comportamento das pessoas
todas as pessoas influenciam e são
influenciadas por outras pessoas
o administrador precisa ter a sensibilidade
das relações humanas
6. A importância do conteúdo do
cargo:
-
-
segmentar e fragmentar o trabalho não é
o método mais eficiente de divisão do
trabalho
trocas de posição para evitar a monotonia
mesmo que provocassem queda na
produtividade aumentavam a moral do
grupo
7. Ênfase nos aspectos emocionais:
-
os aspectos emocionais receberam
atenção especial dos teóricos da Escola
de Relações Humanas, (sociólogos da
organização).
Funções Básicas da Indústria
Para os pesquisadores da Escola de Relações Humanas
 Função econômica: produção de bens e
serviços que buscava o equilíbrio externo da
organização (prédios, máquinas, produção, etc)
 Organização Técnica - Organização Formal
 Função social: distribuição de satisfação entre
os participantes que busca o equilíbrio interno
da organização, só alcançável pela cooperação
do pessoal
 Organização Humana – Organização
Informal
Comparação entre a Teoria Clássica
e a Escola das Relações Humanas
Teoria Clássica
Escola das Relações Humanas
trata a organização como uma
máquina
trata a organização como grupos de
pessoas
Enfatiza as tarefas ou a tecnologia
enfatiza as pessoas
Inspirada em sistemas de engenharia
inspirada em sistemas de psicologia
Autoridade centralizada
delegação plena de autoridade
linhas claras de autoridade
autonomia do empregado
especialização e competência técnica
confiança e abertura
Acentuada divisão do trabalho
ênfase nas relações humanas entre as
pessoas
Confiança nas regras e nos
regulamentos
Clara separação entre linha e staff
confiança nas pessoas
dinâmica grupal e interpessoal
NECESSIDADES HUMANAS BÁSICAS
1. Necessidades biológicas: relacionadas
com a sobrevivência
-
satisfação periódica (constante)
2. Necessidades Psicológicas: exclusivas
do ser humano, segurança,
participação, auto-confiança, afeição
-
raramente satisfeitas em sua plenitude
3. Necessidades de auto-realização:
educação e cultura
-
raramente satisfeitas em sua plenitude
FRUSTRAÇÃO E COMPENSAÇÃO
 Frustração: obstáculos para o alcance
da satisfação no ciclo motivacional
 Compensação: tentativa de satisfazer
necessidades impossíveis de ser
satisfeitas, através de necessidade
complementar ou substitutiva
 Assim, conclui-se que: toda
necessidade pode ser satisfeita,
frustrada ou compensada
REAÇÕES DA FRUSTRAÇÃO
 Algumas reações que podem ocorrer
com a frustração:
a)
b)
c)
d)
desorganização do comportamento
agressividade
reações emocionais
alienação (loucura) e apatia (indiferença)
MORAL
 Decorrência do estado motivacional,
uma atitude mental provocada pela
satisfação ou não das necessidades.
 Necessidades satisfeitas: eleva o moral
(interesse, identificação, aceitação fácil,
entusiasmo e impulso positivo)
 Necessidades frustradas: reduz o moral
(desinteresse, negação, rejeição, pessimismo e
apatia com relação ao trabalho)
LIDERANÇA
As escolas anteriores destacavam a
importância da autoridade formal. A
escola de Relações Humanas ressalta
a importância da liderança informal
sobre o comportamento das pessoas.
Liderança é a influência interpessoal exercida
numa situação e dirigida por meio do processo
da comunicação humana à consecução de um
ou de diversos objetivos específicos.
R. Tannenbaum
 O líder deve inspirar confiança, ser
inteligente, perceptivo e decisivo
para ter melhores condições de
liderar com sucesso.
 Liderança: natural (influencia os demais)
 Autoridade: imposição (determina)
ORGANIZAÇÃO INFORMAL
 São as relações organizacionais que
não aparecem no organograma
(organização formal)
 amizades e desavenças;
 identificações pessoais;
 interações diversas motivadas por uma
infinidade de fatores (variando quanto à
forma, conteúdo e duração) que fogem
completamente ao controle da
empresa.
Organizações Informais
Quatro fatores básicos:
1. Interesses comuns
2. Interação provocada pela
organização formal
3. Flutuação do pessoal dentro da
empresa
4. Os períodos de lazer
Características normalmente
apresentadas pelos grupos informais:
a)
b)
c)
d)
e)
f)
Relação de coesão ou de antagonismo
Status
Colaboração espontânea
Possibilidade da oposição à organização informal
Padrões de relações e atitudes
Mudanças de níveis e alterações dos grupos
informais
g) A organização informal transcende a
organização formal
h) Padrões de desempenho nos grupos
informais
DINÂMICA DE GRUPO
 Dinâmica de grupo é a soma de
interesses dos seus componentes,
podendo ser ativada por meio de
estímulos e motivações.
 Desafio das Empresas: saber lidar
com pessoas (em grupo ou
isoladamente) visando sempre
obter o maior rendimento, dentro
do máximo de satisfação dos
operários e mínimo de desgaste.
 É dever do administrador influenciar
e orientar o sentido das relações
entre os indivíduos na empresa
 clima positivo e favorável às boas
relações humanas
 possibilitar que a empresa possa realizar
suas funções principais
CRÍTICAS À TEORIA DAS
RELAÇÕES HUMANAS
1. Oposição cerrada à Teoria
Clássica: ignora fatores
considerados fundamentais pelas
teorias anteriores (maximização
da produtividade e incremento
no pagamento)
-
focada apenas em solucionar conflitos
entre interesses humanos e da
organização
2. Inadequada visualização dos
problemas das relações industriais:
interpretação inadequada dos problemas
na industria
-
-
omite os principais problemas e se volta para
questões secundárias (status do operário,
descarga emocional e outros)
voltou-se para solução intermediária dos
problemas de integração em vez de atuar sobre
as causas de alienação (controles formais, subutilização das aptidões)
desenvolve a cultura do trabalho como um
mal necessário
3. Concepção ingênua e romântica
do trabalho: relacionava a
satisfação com a produtividade,
sendo que:
-
há trabalhadores infelizes e produtivos e
felizes e improdutivo
supervisão complacente causava mais
problemas do que soluções
4. Limitação do campo experimental:
somente analisaram as instalações fabris,
não levando em consideração bancos,
escolas, hospitais e outros.
5. Parcialidade das conclusões: restringiuse à organização informal, relegando a
organização formal a um plano bastante
inferior. Mayo adotou uma atitude
empírica, de observação e de descoberta
de dados
6. Ênfase nos grupos informais: é
atribuído à coesão grupal resultados,
tais como: auto-estima, maior
eficiência, entre outros. Críticas:
-
-
a administração participativa, não
necessariamente, esta relacionado com
a produtividade
muitas vezes até atrapalha influenciando
ao confronto com a direção
7. Enfoque manipulativo das
relações humanas: condiciona o
indivíduo a pensar e agir de acordo
com os anseios da administração.
-
tira o foco de outros anseios como o
aumento salarial e vende a idéia de
símbolos baratos como prestígio e
afeição
FILME: A META
A partir do filme A Meta, desenvolver
uma análise em forma de texto
comentando sobre aspectos de caráter
“formal” e “informal” (conforme as
teorias da Administração Científica,
Clássica e das Relações Humanas).
•Grupos com quatro membros
•Mínimo de uma lauda (página)
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Matemática

2 Cartões Elma gomes

Criar flashcards