Parcial_3_Daniela_e_outros

advertisement
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS
FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO
CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
Andreia do Nascimento Lima
Daniela Rodrigues da Silva
VIOLENCIAS NAS ESCOLAS PÚBLICAS
Marabá - PA
2012
Andreia do Nascimento Lima
Daniela Rodrigues da Silva
VIOLENCIAS NAS ESCOLAS PÚBLICAS
Trabalho apresentado ao Curso de
Bacharelado Administração Pública da
Universidade Federal do Pará, como
requisito parcial para a obtenção de nota
referente à disciplina Seminário Temático
II.
Orientador (a):
(colocar nome do (s) Professor (es) orientador
(es))
Marabá - PA
2012
Andreia do Nascimento Lima
VIOLENCIAS NAS ESCOLAS PÚBLICAS
Trabalho apresentado ao Curso de Bacharelado
Administração Pública da Universidade Federal
do Pará, como requisito parcial para a obtenção
de nota referente à disciplina Seminário de
Temático II.
Aprovado em _____ de __________ de 2012.
BANCA EXAMINADORA:
________________________________________________
Prof. (colocar nome do professor integrante da banca)
_________________________________________________
Prof. (colocar nome do professor integrante da banca)
SUMÁRIO
INTRODUÇÃO ................................................................................................................. 5
1. JUSTIFICATIVA ........................................................................................................... 5
2. OBJETIVOS ................................................................. Error! Bookmark not defined.
3. METODOLOGIA........................................................................................................... 5
4. SITUAÇÃO ATUAL ...................................................................................................... 5
5. SITUAÇÃO DESEJADA ............................................... Error! Bookmark not defined.
6. FORÇAS POSITIVAS E NEGATIVAS .......................... Error! Bookmark not defined.
7. LINHAS DE AÇÃO ....................................................... Error! Bookmark not defined.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ................................. Error! Bookmark not defined.
INTRODUÇÃO
Segundo o Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa, a violência refere-se ao ato
de violentar, constrangimento físico ou moral; uso da força; coação.
Segundo Tochis (2012) na última década a violência nas escolas tem
preocupado o poder público e toda sociedade, principalmente, pela forma como esta
tem se configurado. O conflito e violência sempre existiram e sempre existirão,
principalmente, na escola, que é um ambiente social em que os jovens estão
experimentando, isto é, estão aprendendo a conviver com as diferenças, a viver em
sociedade. É essencial que a escola seja um lugar seguro para que as pessoas possam
estudar, não sejam discriminadas e não sofram a violência que muitas vezes faz parte
do cotidiano escolar.
Noticiários de TV, jornais e demais meios de comunicação de massa mostram,
com frequência, acontecimentos violentos no âmbito educacional e, inegavelmente,
com uma “dose” de forte emoção. Este é um problema que tem afetado a educação, os
docentes e principalmente a gestão escolar, que é formada, geralmente, pelo diretor,
vice-diretor, coordenadores e orientadores. São estes profissionais que acompanham
de perto a ação educativa no cotidiano da escola, cabendo a eles equacionar os
problemas que surgem neste ambiente, em busca de soluções. (Carreira, 2005)
1 JUSTIFICATIVA
A violência das escolas é um problema grave não só social como administrativo
que não conseguimos resolver pelo fato de ser encarado apenas como um problema
social assim se houver um planejamento, um projeto para mudar a situação podemos
caminhar para formação de cidadãos mais conscientes.
A escola é o primeiro ambiente social que a criança frequenta, portanto é muito
importante combater essa problemática da violência. O governo principalmente
municipal deve tratar esse problema com clareza renovando os projetos, uma vez que
sabemos que há uma carência de politicas publicas preventivas.
O que traz mais indignação para abordarmos essa problemática é o fato das
brigas, os furtos e as agressões verbais serem consideradas acontecimentos
corriqueiros, sugerindo a banalização da violência e sua legitimização, como
mecanismo de solução de conflitos.
É de estrema importância o envolvimento da gestão na questão da violência,
uma vez que os benefícios e vantagens na diminuição da violência escolar são imensas
para a sociedade em geral.
É através de uma gestão educacional dinâmica e planejada que poderemos
atingir a diminuição da problemática.
2 OBJETIVOS
2.1 Geral
Descrever e conceituar as manifestações violentas no ambiente escolar acerca
do papel da gestão.
2.2 Específico
Distinguir os diversos tipos de violências. Identificar os fatores que geram essa
violência.
1. SITUAÇÃO PROBLEMA
Violência nas escolas públicas de Marabá-PA.
INCLUIR NA INTRODUÇÃO
3 METODOLOGIA
4 SITUAÇÃO ATUAL

Atualmente a violência está repercutindo de maneira espantosa na sociedade,
infelizmente o contexto escolar não está alheio a essa situação. De tal modo, a
violência nas escolas tem gerado conflitos entre os sujeitos inseridos nesse
ambiente social.

A grande problemática da violência nas escolas são as proporções cada vez mais
inaceitáveis de ações inescrupulosas que estão dentro e fora da unidade escolar.
Tais atitudes de violência vão desde as agressões verbais, depredações do
patrimônio escolar até mesmo agressões físicas, assim sendo, essas ações têm
tornado em ameaça constante e que a equipe gestora e pedagógica da escola não
conseguem resolver sem a interferência e colaboração do poder público e a
mobilização da sociedade em geral.

É comum ouvir os pais relatarem que não sabem se seus filhos irão para escola
aprender ou ficar refém de atos de comportamentos agressivos e antissociais, que
inclusive inclui os conflitos interpessoais. É sabível que a escola é o ambiente onde
as crianças e adolescentes aprendem a conviver com as diferenças sociais, racial e
até mesmo sexual, porém, esse universo tão diversificado às vezes geram
desavenças, onde acabam julgando, condenando e até agredindo uns aos outros.

Sabemos que hoje se fala bastante em Bullyging, uma forma de agressão pode-se
dizer psicológica, na qual o agressor submete a vítima a xingamentos,
constrangimentos e em algumas vezes chegam a subornar através de ameaças.
Porém, de maneira lastimável e infelizmente esse problema não resulta somente em
violência psicológica e social, mas, em manifestações cruéis. Assim, a violência,
aparece na realidade escolar e social como uma ameaça constante e que aumenta
consistentemente.

Dentre os diversos fatores que causam a violência, não podemos deixar de citar a
influência da mídia que contribuir de maneira direta e/ou indireta com os atos ou
ações violentas. É constante assistirmos no noticiário cenas de violências nas
escolas, alunos matando colegas dentro da sala de aula, professor sendo agredido
por alunos, escolas sendo destruídas por vandalismo diante de tal situação
procuraram ficar informados e gerar poucos questionamento sobre esse grave
problema social. É indispensável o fortalecimento da atuação na escola para que
torne-se novamente um local seguro, de amparo e proteção ao estudante.

Chegamos a nos perguntar por muitas vezes: De onde surge esse grande
problema? De quem é a culpa afinal? É somente a escola a responsável por essa
situação ou o governo tem sua grande parcela de culpa? A educação de uma
criança não se baseia apenas no que ela vê e aprende na escola, mas é um
conjunto de tudo que vivencia no seu dia-a-dia. O ambiente em que é criada
também determina a situação social em que vive, ou seja, os valores que são
constituídos na criança, que são responsabilidade da família e da escola.
5 SITUAÇÃO DESEJADA
Diante da situação atual o ideal inicialmente seria que tivesse uma maior
mobilização da gestão publica, não pensar essa problemática somente de forma
acadêmica pedagógica mais sim administrativa. Administrar escolas públicas assim
como se administra uma empresa que gera lucro com objetividade, com metas a serem
compridas, com foco. Assim é preciso uma reflexão dos gestores com relação a
violência nas escolas públicas.
6
FORÇAS POSITIVAS E FORÇAS NEGATIVAS
6.1 Forças Positivas

Podemos visualizar como positivo o fato da sociedade em geral estar preocupada
com essa situação levando algumas famílias cada vez mais a interagirem com o
ambiente escolar.

Outro ponto positivo nas escolas é a abertura das mesmas para palestras e
orientações sociais.
6.2 Forças Negativas

Não há respeito dos alunos aos diretores e professores e entre eles mesmos, uma
vez que não uma valorização da amizade, cidadania.

Analisando a gestão observamos que os cargos de diretoria e coordenadoria
tornaram-se “moeda de troca”.
7
LINHAS DE AÇÃO
7.1 Para as Forças Positivas

Visto que há uma abertura de espaço para realização de palestras os gestores
poderiam aproveitar a enorme energia sexual dos adolescentes para canaliza-la
adequadamente para sexualidade desviando-a da violência.
7.2 Para as Força Negativas

Os profissionais da educação e os alunos devem cultivar o respeito, a seriedade,
tem que haver uma valorização do ser humano.

Os cargos de diretoria e coordenadoria devem deixar de se tornarem “moeda de
troca” deve haver quem ouça, avalie e tome providências com seriedade.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Download