FACULDADE DE PSICOLOGIA UNIDADE SÃO GABRIEL Autorizo a

Propaganda
FACULDADE DE PSICOLOGIA
UNIDADE SÃO GABRIEL
Autorizo a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, através do curso de graduação em psicologia, à ampla
divulgação do meu trabalho de conclusão de curso, em espaços e eventos internos à Instituição, ou ainda abertos ao
público em geral.
A presente autorização é concedida gratuitamente, abrangendo a divulgação da pesquisa acima mencionada em todas
as suas modalidades, sendo estas impressas ou eletrônicas.
O SOFRIMENTO DO PACIENTE COM CÂNCER E SEUS FAMILIARES
Cinira Guilherme Cavalcante Gonçalves1
Lúcia Efigênia G. Nunes2
O adoecimento por câncer traz um estigma que afeta não apenas o indivíduo, mas, também, a família.
Portanto, paciente e familiar estão diante da necessidade de aceitação à doença e ao contexto do
tratamento. Como qualquer outro fator que exija aceitação, caso não ocorra, o desequilíbrio dos alicerces
familiares tornam-se uma possibilidade real. E os problemas como internação, reinternação, terapêuticas
agressivas, sofrimento e medo da morte, colocam em questão o cotidiano de todos os que estão
envolvidos no processo de adoecimento e tratamento. Esta monografia teve como ponto de partida a
vivência e sofrimento dos pacientes com câncer e seus familiares. Levou-se em consideração a demanda
existente na prática clínica hospitalar de pacientes atendidos em um Hospital Geral da Rede SUS, da
região metropolitana do município de Belo Horizonte. Atentou-se para as intercorrências como
internação, reinternação, terapêuticas agressivas, sofrimento e medo da morte, dentre outros, que colocam
em questão o cotidiano de todos os que estão envolvidos no processo de adoecimento. Seu objetivo foi
analisar o sofrimento do paciente com câncer e seus familiares perante o diagnóstico e tratamento. Como
processo metodológico realizou-se uma pesquisa bibliográfica e fragmentos de casos atendidos durante a
prática da aluna/autora no contexto hospitalar. Utilizou-se o referencial teórico da Psicanálise como
possibilidade de discutir o tema. Os resultados apresentaram fatores como: medo da morte, perdas,
angústia e mudanças na dinâmica familiar, como reação ao impacto do diagnóstico e processo de
adoecimento. Do ponto de vista clínico pode-se verificar a presença dos discursos que incidem sobre o
sujeito e, por vezes, ditam as intervenções. Há, ainda, as particularidades e subjetividade do paciente e
1
Aluna do curso de Psicologia da PUC Minas - Unidade São Gabriel. Resumo da Monografia apresentada no 1º
semestre de 2014, como requisito parcial para conclusão de curso.
2
Mestre em Psicologia pela UFRJ, professora do Curso de Psicologia da PUC Minas - Unidade São Gabriel e
orientadora desta monografia.
Av. Dom José Gaspar, 500 • 30535-901 • Belo Horizonte • Minas Gerais
Fone: (31) 3319 4444 • www.pucminas.br
familiares. Ao considerar o percurso desta pesquisa verifica-se que há no contexto hospitalar uma
demanda para o atendimento psicológico ao paciente com câncer e seus familiar. Essa demanda aparece
neste trabalho por três vias: paciente, familiar e profissional. O atendimento psicológico promove, no
processo da doença, diminuição do sofrimento, tanto do paciente, como do familiar. Apesar de se tratar de
um campo que predomina o discurso médico, verifica-se amplo espaço para atuação do psicólogo. Ao
possibilitar um lugar de fala para o sujeito, não silenciando como o faz o discurso médico, cria-se um
espaço para a emergência da subjetividade. Conclui-se, portanto, a importância do atendimento
psicológico nesse contexto.
Área do conhecimento: Ciências Humanas. Psicologia.
Palavras-chave: Paciente. Câncer. Processo de adoecimento. Família.
Referências:
CARVALHO, Célia Ulysses da silva de. A Necessária Atenção à Família do Paciente Oncológico.
Revista Brasileira de Cancerologia, Rio de Janeiro, v. 54, n. 1, p. 97-102, 2008.
CLAVREUL, Jean. A ordem médica: poder e impotência do discurso médico. Rio de Janeiro:
Brasiliense, 1983.
FACÓ, Maria; LO BIANCO, Anna Carolina. Angústia, morte e vida: clínica psicanalítica em oncologia.
In: RUDGER, Ana Maria; BESSET, Vera. (Org). Psicanálise e outros saberes. Rio de Janeiro: Cia de
Freud: FAPERJ, 2012.
MORETTO, Maria Lívia Tourinho. O que pode um analista no hospital. São Paulo: Casa do Psicólogo.
3ª ed. 2008.
Referência da monografia:
GONÇALVES, Cinira Guilherme Cavalcante. O sofrimento do paciente com câncer e seus familiares.
2014. 51f. Monografia (Conclusão do curso) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais,
Faculdade de Psicologia, Belo Horizonte.
Autorizo a Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, através do curso de graduação em psicologia, à ampla
divulgação do meu trabalho de conclusão de curso, em espaços e eventos internos à Instituição, ou ainda abertos ao
público em geral.
A presente autorização é concedida gratuitamente, abrangendo a divulgação da pesquisa acima mencionada em todas
as suas modalidades, sendo estas impressas ou eletrônicas.
Av. Dom José Gaspar, 500 • 30535-901 • Belo Horizonte • Minas Gerais
Fone: (31) 3319 4444 • www.pucminas.br
Download
Random flashcards
A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Matemática

2 Cartões Elma gomes

Criar flashcards