Enviado por Do utilizador6231

Auditoria Prof. Tonyvan Carvalho

Propaganda
AUDITORIA
Prof. Tonyvan Carvalho
Auditor Fiscal de Tributos
Municipais
ISS PORTO ALEGRE
FUNDATEC - 2009 A 2019
PERCENTUAL
TOTAL
Opinião do auditor independente/Relatórios e Pareceres de Auditoria
ASSUNTO
10,11%
9
Normas Profissionais do Auditor Independente
8,99%
8
Normas Técnicas do Auditor Interno (NBC TI 01 – ex NBC-T-12)
8,99%
8
Normas Complementares do processo de auditoria
8,99%
8
Testes em Áreas Específicas das Demonstrações Contábeis
8,99%
8
Testes e Procedimentos em Auditoria
6,74%
6
Fraude e Erro
6,74%
6
Contingências e Estimativas Contábeis (Auditoria)
5,62%
5
Modelos de Controle e de Análise de Risco do COSO
4,49%
4
Controle interno da entidade auditada
4,49%
4
Documentação de Auditoria/Papéis de Trabalho
3,37%
3
Amostragem em Auditoria Independente
3,37%
3
Transações e Eventos Subsequentes (Auditoria)
3,37%
3
Planejamento de Auditoria
2,25%
2
Aspectos Gerais da Auditoria Interna
2,25%
2
Tipos e Formas de Auditoria Governamental
2,25%
2
Auditoria do TCU
1,12%
1
Materialidade, Relevância e Risco em Auditoria Independente
1,12%
1
Evidência em Auditoria
1,12%
1
Diferenças entre a Auditoria Interna e a Auditoria Independente
1,12%
1
Normas da Intosai
1,12%
1
Transações com Partes Relacionadas (Auditoria)
1,12%
1
Continuidade Normal das Atividades da Entidade
1,12%
1
Normas Profissionais do Auditor Interno (NBC PI 01)
1,12%
1
CONCEITOS INICIAIS DE
AUDITORIA
(TEORIA)
1. Definição de Auditoria
Segundo as NAT do TCU:
“Auditoria é o processo sistemático, documentado e independente
de se avaliar objetivamente uma situação ou condição para
determinar a extensão na qual critérios são atendidos, obter
evidências quanto a esse atendimento e relatar os resultados dessa
avaliação a um destinatário predeterminado.”
• Processo sistemático: a auditoria é um processo de trabalho
planejado e metódico, pautado em avaliações e finalizado com a
comunicação de seus resultados.
• Processo documentado: o processo de auditoria deve ser fundado
em documentos e padronizado por meio de procedimentos
específicos, de modo a assegurar a sua revisão e a manutenção das
evidências obtidas. Isso implica que a entidade de auditoria deve
formalizar um método para executar suas auditorias, estabelecendo
os padrões que elas deverão observar, incluindo regras claras quanto
à documentação.
• Processo independente: a auditoria deve ser realizada por pessoas
com independência em relação às organizações, aos programas, aos
processos, às atividades, aos sistemas e aos objetos examinados
para assegurar a objetividade e a imparcialidade dos julgamentos.
• Avaliação objetiva: os fatos devem ser avaliados com a mente livre
de vieses. A avaliação objetiva leva a julgamentos imparciais,
estritamente adequados às circunstâncias, precisos, e refletem na
confiança no trabalho do auditor.
• Situação ou condição: o estado ou a situação existente do objeto da
auditoria, encontrado pelo auditor durante a execução do trabalho de
auditoria.
• Critério: referencial a partir do qual o auditor faz seus julgamentos
em relação à situação ou condição existente. Reflete com deveria ser
a gestão. A eventual discrepância entre a situação existente e o
critério originará o achado de auditoria.
1.1 NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE (NBC)
As Normas Brasileiras de Contabilidade (NBC) constituem-se num conjunto de
regras e procedimentos de conduta que devem ser observados como
requisitos para o exercício da profissão contábil, bem como os conceitos
doutrinários, princípios, estrutura técnica e procedimentos a serem aplicados na
realização dos trabalhos previstos nas normas aprovadas por resolução
emitidas pelo CFC.
As Normas Brasileiras de Contabilidade editadas pelo Conselho Federal de
Contabilidade (CFC) devem seguir os mesmos padrões de elaboração e estilo
utilizados nas normas internacionais e compreendem as Normas propriamente
ditas, as Interpretações Técnicas e os Comunicados Técnicos.
As Normas Brasileiras de Contabilidade classificam-se em Profissionais e
Técnicas.
As Normas Brasileiras de Contabilidade, sejam elas Profissionais ou Técnicas,
estabelecem preceitos de conduta profissional e padrões e procedimentos
técnicos necessários para o adequado exercício profissional.
1.1 NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE (NBC)
A estrutura das Normas Brasileiras de Contabilidade foi definida através da Resolução
CFC 1.328/2011.
Normas Brasileiras de Contabilidade Profissionais
As Normas Brasileiras de Contabilidade Profissionais se estruturam conforme segue:
I - Geral - NBC PG - são as Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas
indistintamente a todos os profissionais de Contabilidade;
II - do Auditor Independente - NBC PA - são as Normas Brasileiras de Contabilidade
aplicadas, especificamente, aos contadores que atuam como auditores independentes;
III - do Auditor Interno - NBC PI - são as Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas
especificamente aos contadores que atuam como auditores internos;
IV - do Perito - NBC PP - são as Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas
especificamente aos contadores que atuam como peritos contábeis.
1.1 NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE (NBC)
Normas Brasileiras de Contabilidade Técnica
As Normas Brasileiras de Contabilidade Técnicas se estruturam conforme segue:
I - Geral - NBC TG - são as Normas Brasileiras de Contabilidade convergentes com as
normas internacionais emitidas pelo International Accounting Standards Board (IASB); e
as Normas Brasileiras de Contabilidade editadas por necessidades locais, sem
equivalentes internacionais;
II - do Setor Público - NBC TSP - são as Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas
ao Setor Público, convergentes com as Normas Internacionais de Contabilidade para o
Setor Público, emitidas pela International Federation of Accountants (Ifac); e as Normas
Brasileiras de Contabilidade aplicadas ao Setor Público editadas por necessidades locais,
sem equivalentes internacionais;
III - de Auditoria Independente de Informação Contábil Histórica - NBC TA - são as
Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas à Auditoria convergentes com as Normas
Internacionais de Auditoria Independente emitidas pela IFAC;
1.1 NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE (NBC)
Normas Brasileiras de Contabilidade Técnica
As Normas Brasileiras de Contabilidade Técnicas se estruturam conforme segue:
IV - de Revisão de Informação Contábil Histórica - NBC TR - são as
Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas à Revisão convergentes com
as Normas Internacionais de Revisão emitidas pela Ifac;
V - de Asseguração de Informação Não Histórica - NBC TO - são as Normas
Brasileiras de Contabilidade aplicadas à Asseguração convergentes com as Normas
Internacionais de Asseguração emitidas pela Ifac;
VI - de Serviço Correlato - NBC TSC - são as Normas Brasileiras de Contabilidade
aplicadas aos Serviços Correlatos convergentes com as Normas Internacionais para
Serviços Correlatos emitidas pela IFAC;
1.1 NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE (NBC)
Normas Brasileiras de Contabilidade Técnica
As Normas Brasileiras de Contabilidade Técnicas se estruturam conforme
segue:
VII - de Auditoria Interna - NBC TI - são as Normas Brasileiras de
Contabilidade aplicáveis aos trabalhos de Auditoria Interna;
VIII - de Perícia - NBC TP - são as Normas Brasileiras de Contabilidade
aplicáveis aos trabalhos de Perícia;
IX - de Auditoria Governamental - NBC TAG - são as Normas Brasileiras
de Contabilidade aplicadas à Auditoria Governamental convergentes com as
Normas Internacionais de Auditoria Governamental emitidas pela
Organização Internacional de Entidades Fiscalizadoras Superiores (Intosai).
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
“O objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança nas
demonstrações contábeis por parte dos usuários. Isso é alcançado
mediante a expressão de uma opinião pelo auditor sobre se as
demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os aspectos relevantes,
em conformidade com uma estrutura de relatório financeiro aplicável”.
“As demonstrações contábeis sujeitas à auditoria são as da entidade,
elaboradas pela sua administração, com supervisão geral dos responsáveis
pela governança. As NBC TAs não impõem responsabilidades à administração
ou aos responsáveis pela governança e não se sobrepõe às leis e
regulamentos que governam as suas responsabilidades. [..]. A auditoria das
demonstrações contábeis não exime dessas responsabilidades a
administração ou os responsáveis pela governança”.
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
“Como base para a opinião do auditor, as NBC TAs exigem que ele obtenha
segurança razoável de que as demonstrações contábeis como um todo
estão livres de distorção relevante, independentemente se causadas
por fraude ou erro. Asseguração razoável é um nível elevado de
segurança. Esse nível é conseguido quando o auditor obtém evidência de
auditoria apropriada e suficiente para reduzir a um nível
aceitavelmente baixo o risco de auditoria (isto é, o risco de que o auditor
expresse uma opinião inadequada quando as demonstrações contábeis
contiverem distorção relevante). Contudo, asseguração razoável não é um
nível absoluto de segurança porque há limitações inerentes em uma
auditoria, as quais resultam do fato de que a maioria das evidências de
auditoria em que o auditor baseia suas conclusões e sua opinião, é
persuasiva e não conclusiva ”.
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
“Item A3. (...) A opinião do auditor, portanto, não assegura, por
exemplo, a viabilidade futura da entidade nem a eficiência ou
eficácia com a qual a administração conduziu os negócios da
entidade. (...)”
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
“Item 7. (...) As NBCs TA exigem que o auditor exerça o julgamento
profissional e mantenha o ceticismo profissional ao longo de todo
o planejamento e na execução da auditoria (...).”
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
“Ao conduzir a auditoria de demonstrações contábeis, os objetivos
gerais do auditor são:
(a) obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis
como um todo estão livres de distorção relevante,
independentemente se causadas por fraude ou erro, possibilitando
assim que o auditor expresse sua opinião sobre se as demonstrações
contábeis foram elaboradas, em todos os aspectos relevantes, em
conformidade com a estrutura de relatório financeiro aplicável; e
(b) apresentar relatório sobre as demonstrações contábeis e
comunicar-se como exigido pelas NBCs TA, em conformidade com as
constatações do auditor.”
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
Evidências de auditoria são as informações utilizadas pelo auditor para
fundamentar suas conclusões em que se baseia a sua opinião. As
evidências de auditoria incluem informações contidas nos registros
contábeis subjacentes às demonstrações contábeis e outras informações.
Para fins das NBCs TA:
(i) a suficiência das evidências de auditoria é a medida da quantidade
da evidência de auditoria. A quantidade necessária da evidência de
auditoria é afetada pela avaliação do auditor dos riscos de distorção
relevante e também pela qualidade de tal evidência;
(ii) a adequação da evidência de auditoria é a medida da qualidade da
evidência de auditoria; isto é, sua relevância e confiabilidade no
fornecimento de suporte às conclusões em que se baseia a opinião do
auditor.
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
Risco de auditoria é o risco de que o auditor expresse uma opinião
de auditoria inadequada quando as demonstrações contábeis
contiverem distorção relevante.
O Risco de auditoria é uma função dos riscos de distorção
relevante e do risco de detecção.
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
Risco de detecção é o risco de que os procedimentos executados pelo
auditor para reduzir o risco de auditoria a um nível aceitavelmente baixo não
detectem uma distorção existente que possa ser relevante, individualmente
ou em conjunto com outras distorções.
Risco de distorção relevante é o risco de que as demonstrações contábeis
contenham distorção relevante antes da auditoria. Consiste em dois
componentes, descritos a seguir no nível das afirmações:
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
Risco inerente é a suscetibilidade de uma afirmação a respeito de uma
transação, saldo contábil ou divulgação, a uma distorção que possa ser
relevante, individualmente ou em conjunto com outras distorções, antes da
consideração de quaisquer controles relacionados;
Risco de controle é o risco de que uma distorção que possa ocorrer em
uma afirmação sobre uma classe de transação, saldo contábil ou divulgação
e que possa ser relevante, individualmente ou em conjunto com outras
distorções, não seja prevenida, detectada e corrigida tempestivamente
pelo controle interno da entidade.
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
Os riscos de distorção relevante podem existir em dois níveis:
• no nível geral da demonstração contábil; e
• no nível da afirmação para classes de transações, saldos contábeis e
divulgações.
Riscos de distorção relevante no nível geral da demonstração contábil
referem-se aos riscos de distorção relevante que se relacionam de
forma disseminada às demonstrações contábeis como um todo e que
afetam potencialmente muitas afirmações.
Os riscos de distorção relevante no nível da afirmação são avaliados
para que se determine a natureza, a época e a extensão dos
procedimentos adicionais de auditoria necessários para a obtenção
de evidência de auditoria apropriada e suficiente.
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
Distorção é a diferença entre o valor, a classificação, a apresentação
ou a divulgação de uma demonstração contábil relatada e o valor, a
classificação, a apresentação ou a divulgação que é exigida para que
o item esteja de acordo com a estrutura de relatório financeiro aplicável.
As distorções podem originar-se de erro ou fraude.
Asseguração razoável é, no contexto da auditoria de demonstrações
contábeis, um nível alto, mas não absoluto, de segurança.
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
Julgamento profissional é a aplicação do treinamento,
conhecimento e experiência relevantes, dentro do contexto fornecido
pelas normas de auditoria, contábeis e éticas, na tomada de decisões
informadas a respeito dos cursos de ação apropriados nas
circunstâncias do trabalho de auditoria.
Ceticismo profissional é a postura que inclui uma mente
questionadora e alerta para condições que possam indicar possível
distorção devido a erro ou fraude e uma avaliação crítica das evidências
de auditoria.
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
O ceticismo profissional inclui estar alerta, por exemplo, a:
• evidências de auditoria que contradigam outras evidências
obtidas;
• informações que coloquem em dúvida a confiabilidade dos
documentos e respostas a indagações a serem usadas como
evidências de auditoria;
• condições que possam indicar possível fraude;
• circunstâncias que sugiram a necessidade de procedimentos de
auditoria além dos exigidos pelas NBCs TA.
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
A manutenção do ceticismo profissional ao longo de toda a auditoria
é necessária, por exemplo, para que o auditor reduza os riscos de:
• ignorar circunstâncias não usuais;
• generalização excessiva ao tirar conclusões das observações de
auditoria;
• uso inadequado de premissas ao determinar a natureza, a época e
a extensão dos procedimentos de auditoria e ao avaliar os
resultados destes.
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
O ceticismo profissional é necessário para a avaliação crítica das
evidências de auditoria. Isso inclui questionar evidências de auditoria
contraditórias e a confiabilidade dos documentos e respostas a
indagações e outras informações obtidas junto à administração e aos
responsáveis pela governança. Também inclui a consideração da
suficiência e adequação das evidências de auditoria obtidas
considerando as circunstâncias, por exemplo, no caso de existência de
fatores de risco de fraude e um documento individual, de natureza
suscetível de fraude, for a única evidência que corrobore um valor
relevante da demonstração contábil.
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
O julgamento profissional é essencial para a condução apropriada da
auditoria. Ele é necessário, em particular, nas decisões sobre:
• materialidade e risco de auditoria;
• a natureza, a época e a extensão dos procedimentos de auditoria
aplicados para o cumprimento das exigências das normas de auditoria e a
coleta de evidências de auditoria;
• avaliar se foi obtida evidência de auditoria suficiente e apropriada e se
algo mais precisa ser feito para que sejam cumpridos os objetivos das NBCs
TA e, com isso, os objetivos gerais do auditor;
• avaliação das opiniões da administração na aplicação da estrutura de
relatório financeiro aplicável da entidade;
• extração de conclusões baseadas nas evidências de auditoria obtidas,
por exemplo, pela avaliação da razoabilidade das estimativas feitas pela
administração na elaboração das demonstrações contábeis.
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
“Os princípios fundamentais de ética profissional relevantes para o
auditor quando da condução de auditoria de demonstrações contábeis
estão implícitos no Código de Ética Profissional do Contabilista e na
NBC PA 01, que trata do controle de qualidade. Esses princípios estão
em linha com os princípios do Código de Ética do IFAC, cujo
cumprimento é exigido dos auditores. Esses princípios são:
(a) Integridade;
(b) Objetividade;
(c) Competência e zelo profissional;
(d) Confidencialidade; e
(e) Comportamento (ou conduta) profissional. ”
2. Principais tópicos da NBC TA 200(R1)
3. Diferenças entre Auditoria Interna e Externa
4. Principal diferença entre auditoria interna, auditoria
externa e perícia contábil
REVISÃO COM O CAÇAPALAVRAS DE AUDITORIA
Ceticismo
Evidência de
auditoria
Risco de
Controle
Risco
Inerente
Julgamento
Grau de
confiança
Risco de
Detecção
Caça-palavras de
Auditoria 01:
Conceitos iniciais
Risco de
Distorção
Relevante
Não exime
Risco de
Auditoria
Distorção
Asseguração
razoável
Suficiente
Apropriada/
Adequada
CONCEITOS INICIAIS DE
AUDITORIA
(QUESTÕES)
1. (VUNESP - Auditor Fiscal Tributário (Pref Itapevi) – 2019) A
suscetibilidade de uma afirmação a respeito de uma transação, saldo
contábil ou divulgação, a uma distorção que possa ser relevante,
individualmente ou em conjunto com outras distorções, antes da
consideração de quaisquer controles relacionados, é denominada risco
a) inerente.
b) de detecção.
c) sistemático.
d) de controle.
e) não sistêmico.
Comentários:
Questão aborda conceitos de risco inerente. Segundo a NBC TA
200(R1):
Gabarito: A.
2. (VUNESP - Contador (CM Sertãozinho) – 2019) De acordo com as
Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas para área de auditoria,
que estão na NBC TA 200 (R1), evidências de auditoria são:
a) a aplicação de atividades de controle apropriadas, por exemplo,
controle das etiquetas de contagem (ou outras formas de controle
similar) utilizadas e não utilizadas e procedimentos de contagem e
recontagem, em específico.
b) as observações do auditor, considerando a qualidade da evidência de
auditoria obtida de forma que lhe traga confiabilidade no fornecimento de
suporte às suas conclusões, que servirão de base a opinião técnica.
c) as informações utilizadas pelo auditor para fundamentar suas
conclusões em que se baseia a sua opinião. As evidências de auditoria
incluem informações contidas nos registros contábeis subjacentes às
demonstrações contábeis e outras informações.
2. (VUNESP - Contador (CM Sertãozinho) – 2019) De acordo com as
Normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas para área de auditoria,
que estão na NBC TA 200 (R1), evidências de auditoria são:
d) a representação estruturada de informações financeiras históricas,
incluindo divulgações, com a finalidade de informar os recursos
econômicos ou as obrigações da entidade em determinada data no
tempo ou as mutações de tais recursos ou obrigações durante um
período de tempo, em conformidade com a estrutura de relatório
financeiro.
e) as responsabilidades da administração e, quando apropriado, dos
responsáveis pela governança, com base na qual a auditoria é
conduzida.
Comentários:
Questão aborda o conceito de evidência de auditoria. Segundo a NBC
TA 200(R1):
Gabarito: C.
3. (VUNESP - Inspetor Fiscal de Rendas – ISS Guarulhos/SP – 2019)
Quanto aos tipos de riscos de auditoria, é correto afirmar que
(A) o risco de detecção independe da ação do auditor.
(B) o risco de controle está ligado ao grau de eficácia dos procedimentos
conduzidos pelo auditor.
(C) o risco inerente é um risco próprio da natureza da atividade em
questão.
(D) o risco de controle é o risco de o auditor não detectar um erro ou
fraude.
(E) o risco de detecção se divide em risco de controle e risco inerente.
Comentários:
Questão aborda conceitos de risco de auditoria. Segundo a NBC TA
200(R1):
Gabarito: C.
4. (VUNESP - Inspetor Fiscal de Rendas – ISS Guarulhos/SP – 2019)
O auditor externo
(A) pode ter vínculo empregatício com a empresa auditada.
(B) tem menor grau de independência que o auditor interno.
(C) deve emitir opinião sobre a adequação das demonstrações
contábeis.
(D) realiza auditoria tanto contábil como operacional.
(E) não precisa ter registro no CRC, mas deve ter formação de contador.
Comentários:
Questão aborda aspectos doutrinários sobre as diferenças entre
auditoria interna e externa. Veja:
Gabarito: C.
5. (FCC – Auditor Fiscal de Tributos Municipais/ISS Manaus – 2019) Um sujeito cético
é aquele com disposição para duvidar de tudo. Mantém-se incrédulo, em estado de
descrença quanto a tudo que está à sua frente. O auditor deve agir sempre com
ceticismo em relação a tudo que analisa durante a realização dos trabalhos de auditoria,
isto é, sempre deve refletir, desconfiar e estar alerta para a existência de condições que
possam indicar possível distorção devido a erro ou fraude.(FAVERO, Fabrício.
Responsabilidade Civil dos Auditores Independentes. Uma análise da sua função e
critérios para sua responsabilização. São Paulo: Almedina, 2018, p. 146)
O conceito tratado no excerto acima, ditado pela NBC TA 200, é conhecido como
(A) independência profissional, consistente no cumprimento de exigências éticas
relevantes, inclusive as pertinentes à independência, no que se refere aos trabalhos de
auditoria de demonstrações contábeis.
(B) ceticismo profissional, consistente em postura que inclui uma mente questionadora e
alerta para condições que possam indicar possível distorção devido a erro ou fraude e
uma avaliação crítica das evidências de auditoria.
5. (FCC – Auditor Fiscal de Tributos Municipais/ISS Manaus – 2019) Um sujeito cético
é aquele com disposição para duvidar de tudo. Mantém-se incrédulo, em estado de
descrença quanto a tudo que está à sua frente. O auditor deve agir sempre com
ceticismo em relação a tudo que analisa durante a realização dos trabalhos de auditoria,
isto é, sempre deve refletir, desconfiar e estar alerta para a existência de condições que
possam indicar possível distorção devido a erro ou fraude.(FAVERO, Fabrício.
Responsabilidade Civil dos Auditores Independentes. Uma análise da sua função e
critérios para sua responsabilização. São Paulo: Almedina, 2018, p. 146)
O conceito tratado no excerto acima, ditado pela NBC TA 200, é conhecido como
(D) ceticismo profissional, consistente em aplicação do treinamento, conhecimento e
experiência relevantes, dentro do contexto fornecido pelas normas de auditoria, contábeis
e éticas, na tomada de decisões informadas a respeito dos cursos de ação apropriados
nas circunstâncias do trabalho de auditoria.
(E) julgamento profissional, consistente em postura que inclui uma mente questionadora
e alerta para condições que possam indicar possível distorção devido a erro ou fraude e
uma avaliação crítica das evidências de auditoria.
Comentários:
Questão aborda o conceito de ceticismo profissional, que é uma das
características inerente ao auditor. Segundo a NBC TA 200(R1):
Gabarito: B.
6. (FCC – Auditor Fiscal/SEFAZ BA/Administração, Finanças e Controle Interno – 2019)
De acordo com a NBC TA 200 (R1), as evidências de auditoria
A) são todos os elementos, materiais e imateriais, que não precisam ser juntados ao relatório
de auditoria, em razão de sua existência, veracidade de conteúdo e confiabilidade terem ficado
evidenciadas nos papéis de trabalho apresentados e compilados.
(B) são todas as informações, dados e fatos evidentes, isto é, elementos que falam por si
mesmos, e que não suscitam qualquer tipo de controvérsia.
(C) constituem um grupo de informações, dados e fatos, de cunho público e notório, cujo
conhecimento, em princípio, é compartilhado pela comunidade que interage com a entidade
auditada e que, por isso mesmo, dispensa referência e juntada de suporte documental próprio.
(D) são as informações utilizadas pelo auditor para fundamentar as conclusões em que se
baseia a sua opinião, sendo que as informações contidas nos registros contábeis subjacentes
às demonstrações contábeis estão incluídas nas evidências de auditoria.
(E) representam um grupo de informações, dados e fatos de conhecimento público e
obrigatório por todas as pessoas, naturais ou jurídicas, que interagem com a entidade auditada
e que, por isso mesmo, dispensa a juntada de suporte documental próprio, mas não a devida
referência, quando for o caso.
Comentários:
Questão aborda o conceito de evidência de auditoria. Segundo a NBC
TA 200(R1):
Gabarito: D.
7. (Auditor-Fiscal da Receita Estadual (SEFAZ RS)/CESPE/2019) A
emissão de opinião inadequada do auditor sobre demonstrações
contábeis finais que contenham distorção relevante caracteriza o risco
a) de auditoria.
b) de controle.
c) de detecção.
d) de distorção relevante.
e) inerente.
Comentários:
Questão aborda conceitos de risco de auditoria. Segundo a NBC TA
200(R1):
Gabarito: A.
8. (Auditor-Fiscal da Receita Estadual (SEFAZ RS)/CESPE/2019)
João, contador em situação regular no Conselho Regional de
Contabilidade de sua jurisdição, emitiu, após ter sido intimado pelo
Poder Judiciário, laudo e parecer técnico- contábil para subsidiar a
solução de um litígio.
Nesse caso, João realizou atividade de
a) auditoria independente.
b) auditoria interna.
c) auditoria operacional.
d) consultoria financeira.
e) perícia contábil.
Comentários:
A questão, na sua essência, trata das diferenças entre auditoria interna,
externa e perícia contábil. Aqui, você deve ficar atento às palavras:
“Poder Judiciário” e “solução de um litígio”. Veja o mapa mental a seguir:
Gabarito: A.
9. (Contador (CM Cacoal) / 2018 / IBADE - Instituto Brasileiro de
Apoio e Desenvolvimento Executivo) Em auditoria, o risco de
distorção relevante, consiste em que as demonstrações contábeis,
contenham distorções relevantes antes do processo de auditoria. Esse
tipo de risco consiste em dois componentes, apontados corretamente
em:
a) intencionais e não intencionais.
b) não intencionais e de controle.
c) inerentes e de classificação.
d) classificação e de controle.
e) inerentes e de controle.
Comentários:
Questão aborda como é a composição do risco de distorção relevante.
Segundo a NBC TA 200(R1):
Gabarito: E.
10. (Bacharel em Ciências Contábeis (CFC) / 2018 / / 2º Exame de
Suficiência /CONSUPLAN) A NBC TA 200 (R1) – Objetivos Gerais do Auditor
Independente e a Condução da Auditoria em Conformidade com Normas de
Auditoria apresenta vários termos e com seus respectivos significados. Diante
do exposto, analise as afirmativas, marque V para as verdadeiras e F para as
falsas.
( ) Informação contábil histórica: informação expressa em termos financeiros em
relação a uma entidade específica, derivada principalmente do sistema contábil
da entidade, a respeito de eventos econômicos ocorridos em períodos
passados ou de condições ou circunstâncias econômicas em determinada data
no passado.
( ) Ceticismo profissional: aplicação do treinamento, conhecimento e
experiência relevantes, dentro do contexto fornecido pelas normas de auditoria,
contábeis e éticas, na tomada de decisões informadas a respeito dos cursos de
ação apropriados nas circunstâncias do trabalho de auditoria.
10. (Bacharel em Ciências Contábeis (CFC) / 2018 / / 2º Exame de
Suficiência /CONSUPLAN) A NBC TA 200 (R1) – Objetivos Gerais do Auditor
Independente e a Condução da Auditoria em Conformidade com Normas de
Auditoria apresenta vários termos e com seus respectivos significados. Diante
do exposto, analise as afirmativas, marque V para as verdadeiras e F para as
falsas.
( ) Administração: pessoa ou organização com a responsabilidade de
supervisionar de forma geral a direção estratégica da entidade e obrigações
relacionadas com a responsabilidade da entidade. Isso inclui a supervisão geral
do processo de relatório financeiro. Para algumas entidades, os responsáveis
pela governança podem incluir empregados da administração, por exemplo,
membros executivos de conselho de governança de uma entidade do setor
privado ou público, ou sócio-diretor.
( ) Distorção: diferença entre o valor, a classificação, a apresentação ou a
divulgação de uma demonstração contábil relatada e o valor, a classificação, a
apresentação ou a divulgação que é exigida para que o item esteja de acordo
com a estrutura de relatório financeiro aplicável. As distorções podem originarse de erro ou fraude.
10. (Bacharel em Ciências Contábeis (CFC) / 2018 / / 2º Exame de
Suficiência /CONSUPLAN) A NBC TA 200 (R1) – Objetivos Gerais do
Auditor Independente e a Condução da Auditoria em Conformidade com
Normas de Auditoria apresenta vários termos e com seus respectivos
significados. Diante do exposto, analise as afirmativas, marque V para
as verdadeiras e F para as falsas.
A sequência está correta em
a) F, V, F, F.
b) V, F, F, V.
c) F, V, V, F.
d) F, V, F, V.
Comentários:
Questão aborda as definições expressas na NBC TA 200(R1). Veja:
Analisando cada item:
(V) Informação contábil histórica: definição correta.
(F) Ceticismo profissional: aplicação do treinamento, conhecimento e experiência
relevantes, dentro do contexto fornecido pelas normas de auditoria, contábeis e
éticas, na tomada de decisões informadas a respeito dos cursos de ação
apropriados nas circunstâncias do trabalho de auditoria. Essa é a definição de
julgamento profissional. Veja:
(F) Administração: pessoa ou organização com a responsabilidade de supervisionar
de forma geral a direção estratégica da entidade e obrigações relacionadas com a
responsabilidade da entidade. Isso inclui a supervisão geral do processo de relatório
financeiro. Para algumas entidades, os responsáveis pela governança podem incluir
empregados da administração, por exemplo, membros executivos de conselho de
governança de uma entidade do setor privado ou público, ou sócio-diretor. Essa é
definição de Responsável pela governança. Administração é a responsável pelas
operações e produção das informações da entidade.
(V) Distorção: definição correta.
Gabarito: B.
11. (Analista Contábil (Pref Registro) / 2018 //VUNESP) O conceito de
____________ é aplicado pelo auditor no planejamento e na execução
da auditoria, e na avaliação do efeito ______________ na auditoria e de
distorções não corrigidas, se houver, sobre as demonstrações contábeis
e na formação da opinião no relatório do auditor independente.
Com base nas Normas Brasileiras Contabilidade, no que tange a
procedimentos de auditoria, assinale a alternativa que completa a frase,
correta e respectivamente.
a) Amostra … da seleção estatística
b) Procedimento de auditoria … dos processos analisados
c) Programa de auditoria … da leitura dos controles internos
d) Risco … dos erros da administração
e) Materialidade … de distorções identificadas
Comentários:
Questão aborda aspectos gerais acerca do conceito de materialidade
utilizado na auditoria.
Segundo a NBC TA 200(R1), “a materialidade é aplicado pelo auditor no
planejamento e na execução da auditoria, e na avaliação do efeito de
distorções identificadas sobre a auditoria e de distorções não
corrigidas, se houver, sobre as demonstrações contábeis”.
Gabarito: B.
12. (Consultor Legislativo (ALERO) / 2018 / / Assessoramento em
Orçamentos /FGV) Assinale a opção que indica o objetivo da auditoria
de acordo com a NBC TA 200 - Objetivos Gerais do Auditor
Independente e a Condução da Auditoria.
a) Detectar fraudes.
b) Prevenir fraudes.
c) Corrigir erros.
d) Aumentar a qualidade das demonstrações contábeis.
e) Aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte
dos usuários.
Comentários:
Segundo a NBC TA 200(R1), o objetivo precípuo (foco) da auditoria:
Gabarito: E.
13. (Auditor (INB) /2018 / FUNDEP - Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa) Analise
as seguintes afirmativas sobre os objetivos e responsabilidades do auditor independente na
condução da auditoria de demonstrações contábeis e assinale com V as verdadeiras e com F
as falsas, tomando como base a norma contábil NBCT TA 200 (R1).
( ) Ao conduzir a auditoria de demonstrações contábeis, um dos objetivos gerais do auditor é
obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis como um todo estão livres de
distorção relevante, independentemente se causadas por fraude ou erro.
( ) O sócio de firma de auditoria que for encarregado pelos trabalhos de auditoria da firma deve
delegar a responsabilidade pela qualidade dos trabalhos para os empregados auditores que
coordenarem os contratos específicos de serviços de auditoria.
( ) O auditor pode ter responsabilidades de comunicação e de apresentação de relatório,
perante os usuários, a administração, os responsáveis pela governança ou partes fora da
entidade, a respeito dos assuntos decorrentes da auditoria.
( ) Ao conduzir a auditoria de demonstrações contábeis, um dos objetivos gerais do auditor é
apresentar relatório sobre as demonstrações contábeis e comunicar-se como exigido pelas
normas de auditoria, em conformidade com as constatações da equipe contábil.
13. (Auditor (INB) /2018 / FUNDEP - Fundação de Desenvolvimento
da Pesquisa) Analise as seguintes afirmativas sobre os objetivos e
responsabilidades do auditor independente na condução da auditoria de
demonstrações contábeis e assinale com V as verdadeiras e com F as
falsas, tomando como base a norma contábil NBCT TA 200 (R1).
Assinale a sequência CORRETA.
a) V F V F
b) F V F V
c) V F F V
d) F V V F
Comentários:
Questão aborda aspectos dos objetivos do auditor independente, segundo a NBC TA
200(R1).
Analisando cada item.
(V) O item está alinhado à norma supracitada.
(F) O sócio de firma de auditoria que for encarregado pelos trabalhos de auditoria da
firma deve delegar a responsabilidade pela qualidade dos trabalhos para os empregados
auditores que coordenarem os contratos específicos de serviços de auditoria. Segundo a
NBC PA 01, “Sócio encarregado do trabalho é o sócio ou outra pessoa na firma
responsável pelo trabalho e sua execução, e pelo relatório que é emitido em nome da
firma. Quando necessário, é quem tem a autoridade apropriada conferida pelo Sistema
CFC/CRC e quando requerido pelo regulador. Os termos sócio encarregado do trabalho,
sócio e firma devem ser lidos como os equivalentes aplicados para o setor público”.
Dessa forma, a responsabilidade pela qualidade dos trabalhos é do Revisor de controle
de qualidade do trabalho, que é o sócio, ou outro profissional da firma, uma pessoa
externa adequadamente qualificada, ou uma equipe composta por essas pessoas,
nenhuma delas fazendo parte da equipe de trabalho, com experiência e autoridade
suficientes e apropriadas para avaliar objetivamente os julgamentos relevantes feitos pela
equipe de trabalho e as conclusões obtidas para elaboração do relatório.
Comentários:
(V) O auditor pode ter responsabilidades de comunicação e de apresentação de relatório,
perante os usuários, a administração, os responsáveis pela governança ou partes fora da
entidade, a respeito dos assuntos decorrentes da auditoria. Dispositivo que trata da
comunicação dos resultados dos trabalhos de auditoria aos interessados – usuários internos e
externo. Segundo a NBC TA 200(R1):
9. O auditor também pode ter outras responsabilidades de comunicação e de relatório, perante
os usuários, a administração, os responsáveis pela governança ou partes fora da entidade, a
respeito dos assuntos decorrentes da auditoria. Essas outras responsabilidades podem ser
estabelecidas pelas NBCs TA, por lei ou regulamento aplicável, como, por exemplo, NBC TA
260 – Comunicação com os Responsáveis pela Governança, e item 43 da NBC TA 240 que
trata da responsabilidade do auditor em relação a fraude, no contexto da auditoria de
demonstrações contábeis.
(F) Ao conduzir a auditoria de demonstrações contábeis, um dos objetivos gerais do auditor é
apresentar relatório sobre as demonstrações contábeis e comunicar-se como exigido pelas
normas de auditoria, em conformidade com as constatações da equipe contábil. Há um erro
sutil – as constatações são de quem realizou os trabalhos – o próprio auditor.
Gabarito: A.
14. (Auditor de Controle Interno (Pref Sobral) / 2018 / / Auditoria
Governamental / CEV UECE - Comissão Executiva do Vestibular da
UECE) A evidência de auditoria é necessária para
a) sustentar a opinião e o relatório do auditor.
b) dar legitimidade às demonstrações contábeis auditadas.
c) dar respaldo à continuidade da administração.
d) subsidiar o trabalho dos órgãos de controle.
Comentários:
Questão aborda a finalidade de evidência de auditoria. Segundo a
NBC TA 200(R1):
Gabarito: A.
15. (Auditor de Controle Interno (Pref Sobral) / 2018 / / Auditoria
Governamental / CEV UECE - Comissão Executiva do Vestibular da
UECE) As limitações de um trabalho de Auditoria NÃO decorrem da
a) natureza das informações contábeis.
b) capacidade de o auditor reduzir a zero o risco de auditoria.
c) natureza dos procedimentos de auditoria.
d) necessidade de a auditoria ser conduzida num período de tempo
razoável.
Comentários:
Questão aborda situações que caracterizam limitação inerente da auditoria. Segundo
a NBC TA 200(R1):
A47. O auditor não é obrigado e não pode reduzir o risco de auditoria a zero, e,
portanto, não pode obter segurança absoluta de que as demonstrações contábeis
estão livres de distorção relevante devido a fraude ou erro. Isso porque uma
auditoria tem limitações inerentes, e, como resultado, a maior parte das evidências
de auditoria que propiciam ao auditor obter suas conclusões e nas quais baseia a
sua opinião são persuasivas ao invés de conclusivas. As limitações inerentes de
uma auditoria originam-se da:
• natureza das informações contábeis;
• natureza dos procedimentos de auditoria; e
• necessidade de que a auditoria seja conduzida dentro de um período de
tempo razoável e a um custo razoável. [grifo nosso]
Gabarito: B.
16. (Auditor de Controle Interno (Pref Sobral) / 2018 / / Auditoria
Governamental / CEV UECE - Comissão Executiva do Vestibular da
UECE) O ceticismo profissional inclui estar alerta, por exemplo,
a) a evidências de auditoria que contradigam outras evidências obtidas.
b) a condições que possam assegurar a descoberta de fraudes.
c) à necessidade de afastar todos os riscos de auditoria.
d) à possibilidade de adoção de mecanismos de prevenção de falhas.
Comentários:
A questão aborda exemplos de situações que caracterizam o ceticismo
profissional, que é a postura que inclui uma mente questionadora e
alerta para condições que possam indicar possível distorção devido a
erro ou fraude e uma avaliação crítica das evidências de auditoria.
Segundo a NBC TA 200(R1):
Gabarito: A.
17. (Auditor do Ministério Público (MPE AL) / 2018 /FGV) O planejamento da
auditoria governamental deve considerar os riscos da auditoria, que representa
a possibilidade de o profissional emitir uma opinião tecnicamente inadequada.
Em relação à classificação do risco de auditoria, assinale a afirmativa correta.
a) O risco de planejamento é a possibilidade de o erro acontecer devido às
falhas no planejamento.
b) O risco inerente é a possibilidade de o erro acontecer em face de não existir
controle.
c) O risco de controle é a possibilidade de o erro não ser detectado pelo
profissional de auditoria governamental.
d) O risco de detecção é a possibilidade de o erro acontecer e não ser
detectado, em face das limitações dos controles existentes.
e) O risco de resultado é a possibilidade de não se obter o resultado esperado,
devido a fatores externos.
Comentários:
Questão aborda conceitos relacionados ao risco de auditoria. Segundo a
NBC TA 200(R1):
Gabarito: B.
18. (Auditor Público Externo / TCE RS / FCC / 2018) O Diretor de Controle e
Fiscalização de um Tribunal de Contas toma conhecimento pela mídia de
supostas irregularidades ocorridas em determinada Prefeitura. Tendo em vista a
materialidade e a gravidade do noticiado, resolve realizar apuração específica.
Para tanto, consulta os servidores acerca de quem estaria disposto a se
deslocar até o Município para realizar a fiscalização in loco. Um servidor se
oferece, alegando em seu favor que teria fiscalizado aquele Município nos
últimos seis anos e estaria familiarizado com sua estrutura administrativa. O
servidor foi designado e cumpriu sozinho a tarefa, concluindo pela inexistência
da irregularidade noticiada, entendimento que o Diretor considerou melhor ser
revisto por um segundo servidor. O Diretor de Fiscalização
(A) errou ao desviar do planejamento de auditoria existente, pois tal etapa do
procedimento não deve ser iterativa ou contínua.
18. (Auditor Público Externo / TCE RS / FCC / 2018)
(B) acertou ao destacar servidor independentemente da natureza da
irregularidade noticiada, uma vez que os auditores devem se pautar pelo
princípio da generalidade.
(C) acertou ao escolher quem mais vezes fiscalizou o órgão, atendendo ao
princípio da especialização.
(D) errou ao levar notícias midiáticas em consideração no planejamento de
auditoria.
(E) acertou ao manter-se cético quanto aos achados e solicitar revisão do
relatório de auditoria.
Comentários:
O auditor deve planejar e executar a auditoria com ceticismo
profissional, reconhecendo que podem existir circunstâncias que causam
distorção relevante nas demonstrações contábeis. A questão aborda o
conceito de ceticismo profissional.
Segundo a NBC TA 200(R1), “Ceticismo profissional é a postura que
inclui uma mente questionadora e alerta para condições que possam
indicar possível distorção devido a erro ou fraude e uma avaliação crítica
das evidências de auditoria”. Significa que o auditor sempre está
desconfiado que pode existir algo errado nas informações auditadas.
Gabarito: E.
19. (Perito (PC PI) / 2018 / Contabilidade / Criminal / NUCEPE - Núcleo de
Concursos e Promoção de Eventos (UESPI)) A auditoria contábil tem por objetivo
averiguar a exatidão dos registros e demonstrações contábeis, no que se refere aos
eventos que alteram o patrimônio e a representação desse patrimônio.
Considerando as normas contábeis vigentes relativas à auditoria, é INCORRETO
afirmar:
a) A auditoria em conformidade com as normas de auditoria é conduzida com base
na premissa de que a administração e, quando apropriado, os responsáveis pela
governança têm conhecimento de certas responsabilidades que são fundamentais
para a condução da auditoria.
b) O auditor deve exercer julgamento profissional, ao planejar e executar a auditoria
de demonstrações contábeis.
c) A opinião do auditor, portanto, não assegura, por exemplo, a viabilidade futura da
entidade nem a eficiência ou eficácia com a qual a administração conduziu os
negócios da entidade.
19. (Perito (PC PI) / 2018 / Contabilidade / Criminal / NUCEPE - Núcleo de
Concursos e Promoção de Eventos (UESPI)) A auditoria contábil tem por
objetivo averiguar a exatidão dos registros e demonstrações contábeis, no que
se refere aos eventos que alteram o patrimônio e a representação desse
patrimônio. Considerando as normas contábeis vigentes relativas à auditoria, é
INCORRETO afirmar:
d) Em algumas situações, lei e regulamento aplicáveis podem exigir que o
auditor forneça opinião sobre outros assuntos específicos, tais como a eficácia
do controle interno ou a compatibilidade de um relatório separado da
administração, junto com as demonstrações contábeis.
e) A opinião do auditor considera as demonstrações contábeis como um todo e,
portanto, o auditor não é responsável pela detecção de distorções, mesmo que
sejam relevantes para as demonstrações contábeis como um todo.
Comentários:
Questão aborda aspectos gerais de auditoria independente, segundo a NBC TA 200(R1).
Analisando cada alternativa:
Letra A) CORRETA. Definição de premissa!
Letra B) CORRETA. Duas características inerentes ao auditor – julgamento profissional e
ceticismo profissional.
Letra C) CORRETA. A opinião do auditor tem por objetivo verificar a adequação das
demonstrações contábeis em conformidade com a estrutura de relatório aplicável. Algo
diferente disso não tem correlação com a opinião do auditor.
Letra D) CORRETA. Pode haver situações específicas em que ele deve expressar a sua
opinião a respeito de outros temas que sejam relevantes para o alcance dos objetivos gerais do
seu trabalho.
Letra E) INCORRETA. O correto seria dizer: “auditor não é responsável pela detecção de
distorções que não sejam relevantes para as demonstrações contábeis como um todo”.
Gabarito: E.
20. (Analista Legislativo (ALESE) / 2018 / Contabilidade / Apoio Técnico
Administrativo /FCC) A NBC TA 200, que estabelece os objetivos gerais do auditor
independente e a condução da auditoria em conformidade com normas de auditoria,
definiu alguns termos e expressões de relevância para interpretação destas Normas. De
acordo com a referida NBC TA 200,
a) risco de auditoria é o risco de que o auditor expresse uma opinião de auditoria
inadequada quando as demonstrações contábeis contiverem distorção relevante. O risco
de auditoria é uma função dos riscos de distorção relevante e do risco de detecção.
b) asseguração razoável é, no contexto da auditoria de demonstrações econômicofinanceiras da entidade, a interpretação de dados desta natureza, flexibilizada pelo
ceticismo profissional.
c) risco de distorção relevante é o risco de que os procedimentos executados pelo
auditor para reduzir o risco de auditoria a um nível aceitavelmente baixo não detectem
uma distorção existente que possa ser relevante, individualmente ou em conjunto, com
outras distorções.
20. (Analista Legislativo (ALESE) / 2018 / Contabilidade / Apoio Técnico
Administrativo /FCC) A NBC TA 200, que estabelece os objetivos gerais do
auditor independente e a condução da auditoria em conformidade com
normas de auditoria, definiu alguns termos e expressões de relevância para
interpretação destas Normas. De acordo com a referida NBC TA 200,
d) risco de detecção é o risco de que as demonstrações contábeis
contenham distorção relevante antes da auditoria.
e) ceticismo profissional é postura do auditor que reflete a maneira de
processar, cautelosamente, informação expressa em termos financeiros, a
respeito de eventos econômicos positivos ocorridos em períodos passados,
relativamente a uma entidade específica.
Comentários:
Questão aborda aspectos gerais de auditoria independente, segundo a NBC TA 200(R1).
Analisando cada alternativa:
Letra A) CORRETA. Definição de risco de auditoria e seus componentes!
Letra B) ERRADA. “Asseguração razoável é, no contexto da auditoria de demonstrações
contábeis, um nível alto, mas não absoluto, de segurança”.
Letra C) ERRADA. Essa é a definição de risco de auditoria.
Letra D) ERRADA. Essa é a definição de risco inerente.
Letra E) ERRADA. “Ceticismo profissional é a postura que inclui uma mente
questionadora e alerta para condições que possam indicar possível distorção devido a
erro ou fraude e uma avaliação crítica das evidências de auditoria”.
Gabarito: A.
21. (Analista Legislativo (CMSJC) / 2018 / / Contador /VUNESP) A
auditoria independente
a) observa as normas escritas por especialistas internos da entidade
auditada, que são considerados parte da equipe de trabalho.
b) aumenta a credibilidade das demonstrações contábeis.
c) atua conforme as diretrizes estabelecidas pela administração da
entidade auditada.
d) atua em conjunto com a administração da entidade para o
cumprimento dos seus objetivos, garantindo a sua viabilidade futura.
e) implementa os controles internos necessários pelo fato de ser um
trabalho contínuo.
Comentários:
Questão aborda o objetivo precípuo da auditoria independente (externa),
segundo a NBC TA 200(R1). Veja:
Gabarito: B.
22. (Técnico de Administração e Finanças (SUSIPE) / 2018 / /
Ciências Contábeis / AOCP - Assessoria em Organização de
Concursos Públicos Ltda.) São princípios fundamentais de ética
profissional relevantes para o auditor, EXCETO
a) integridade.
b) objetividade.
c) competência e zelo profissional.
d) comportamento (ou conduta) profissional.
e) publicidade.
Comentários:
Questão aborda os princípios éticos do auditor. Segundo item A15, da NBC TA
200(R1), “os princípios fundamentais de ética profissional relevantes para o
auditor quando da condução de auditoria de demonstrações contábeis estão
implícitos no Código de Ética Profissional do Contabilista e na NBC PA 01, que
trata do controle de qualidade. Esses princípios estão em linha com os
princípios do Código de Ética do IFAC, cujo cumprimento é exigido dos
auditores. Esses princípios são:”
Gabarito: E.
23. (Controlador Interno (PAULIPREV) / 2018 / VUNESP) Conforme as
normas brasileiras aplicáveis ao trabalho dos auditores independentes,
assinale a alternativa que apresenta a definição correta.
a) Evidências de auditoria – são a representação estruturada de
informações financeiras históricas, incluindo divulgações, com a
finalidade de informar os recursos econômicos ou as obrigações da
entidade em determinada data no tempo.
b) Informação contábil histórica – é a informação utilizada pelo auditor
para fundamentar suas conclusões e na qual se baseia a sua opinião.
c) Distorção – é a diferença entre o valor, a classificação, a
apresentação ou a divulgação de uma demonstração contábil relatada e
o valor, a classificação, a apresentação ou a divulgação que é exigida
para que o item esteja de acordo com a estrutura de relatório financeiro
aplicável.
23. (Controlador Interno (PAULIPREV) / 2018 / VUNESP) Conforme as
normas brasileiras aplicáveis ao trabalho dos auditores independentes,
assinale a alternativa que apresenta a definição correta.
d) Ceticismo profissional – é a aplicação de treinamento, conhecimento
e experiência relevantes, dentro do contexto fornecido pelas normas de
auditoria, contábeis e éticas, na tomada de decisões informadas a
respeito dos cursos de ação apropriados nas circunstâncias do trabalho
de auditoria.
e) Auditor – é a pessoa ou a organização com a responsabilidade de
supervisionar, de forma geral, a direção estratégica da entidade e as
obrigações relacionadas com a responsabilidade da entidade.
Comentários:
Questão aborda conceitos inerentes ao processo de auditoria, segundo
o item 13, da NBC TA 200 (R1). Esse item é, certamente, o mais
cobrado em provas de auditoria.
Analisando cada alternativa:
Letra A) ERRADA. Trata-se do conceito de Informação contábil
histórica.
Letra B) ERRADA. Trata-se do conceito de evidências de auditoria.
Letra C) CORRETA. Essa é a definição de DISTORÇÃO.
Letra D) ERRADA. Trata-se do conceito de julgamento profissional.
Letra E) ERRADA. Trata-se do conceito de Administração.
Gabarito: C.
24. (Controlador Interno (PAULIPREV) / 2018 / VUNESP) Sobre o objetivo e o
alcance da auditoria de demonstrações contábeis, é correto afirmar que
a) o objetivo da auditoria é confirmar que as informações apresentadas pelos
administradores nas demonstrações financeiras são verdadeiras, sem espaço
para dúvidas.
b) o objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança nas demonstrações
contábeis por parte dos usuários, mediante a expressão de uma opinião pelo
auditor.
c) a auditoria das demonstrações contábeis exime de responsabilidades a
administração ou os responsáveis pela governança da entidade auditada.
d) as normas brasileiras aplicáveis aos trabalhos de auditoria exigem, como
base para a opinião do auditor, que ele obtenha segurança absoluta de que as
demonstrações contábeis como um todo estão livres de distorção relevante.
e) a maioria das evidências de auditoria em que o auditor baseia suas
conclusões e sua opinião é de natureza conclusiva e não persuasiva.
Comentários:
Questão aborda o objetivo precípuo da auditoria independente (externa),
segundo a NBC TA 200(R1). Veja:
Gabarito: B.
25. (Contador (CM SMM) / 2016 / / / IBADE - Instituto Brasileiro de
Apoio e Desenvolvimento Executivo) Como é denominada a auditoria
realizada por auditores pertencentes ao quadro de empregados de uma
empresa?
a) Interna
b) Externa
c) Processos
d) Operacional
e) Independente
Comentários:
A auditoria interna é feita por um profissional da própria empresa com o
propósito de monitorar e avaliar os controles internos. Segue mapa
mental com as características da auditoria interna:
Gabarito: A.
26. (Perito (ITEP RN) / 2018 / Ciências Contábeis e Ciências Econômicas /
Criminal /AOCP) Na condução da Auditoria em conformidade com as Normas
de Auditoria, o Auditor Independente deve ter como objetivo
a) expressar sua opinião, informando se as demonstrações contábeis foram
elaboradas independentemente e se estão livres de distorção relevante.
b) apresentar relatório sobre as demonstrações contábeis e comunicar-se com
os CFCs, conforme as necessidades do auditor.
c) apresentar relatório sobre as demonstrações contábeis e comunicar-se,
como exigido pelas NBCs TA, em conformidade com as constatações do
auditor.
d) informar aos gestores se as demonstrações contábeis foram elaboradas com
fraudes, em todos os aspectos relevantes.
e) apresentar relatório sobre as demonstrações contábeis e comunicar-se com
os CRCs, em conformidade com as constatações do auditor.
Comentários:
Questão aborda os objetivos gerais do auditor independente (externo),
segundo a NBC TA 200(R1). Veja:
Gabarito: C.
27. (Perito (ITEP RN) / 2018 / Ciências Contábeis e Ciências Econômicas / Criminal
/AOCP) Conforme a NBC T 11 – Normas de Auditoria Independente das Demonstrações
Contábeis, a auditoria das demonstrações contábeis constitui o conjunto de
procedimentos técnicos que tem por objetivo
a) a emissão de parecer sobre a sua adequação quanto aos Princípios Fundamentais de
Contabilidade.
b) a emissão de parecer sobre erros que não contemplam as Normas Brasileiras de
Contabilidade e, no que for pertinente, a legislação específica.
c) a emissão de parecer sobre fraudes relacionadas à legislação específica.
d) a emissão de parecer sobre erros e fraudes, que afetam os Princípios Fundamentais
de Contabilidade e as Normas Brasileiras de Contabilidade e, no que for pertinente, a
legislação específica.
e) a emissão de parecer sobre a sua adequação, consoante os Princípios Fundamentais
de Contabilidade e as Normas Brasileiras de Contabilidade e, no que for pertinente, a
legislação específica.
Comentários:
Questão aborda o objetivo precípuo da auditoria independente (externa),
segundo a NBC TA 200(R1). Veja:
Segundo a NBCT-11, a auditoria das demonstrações contábeis constitui o conjunto
de procedimentos técnicos que visa à emissão de parecer acerca da sua adequação,
consoante os princípios fundamentais de contabilidade e as normas brasileiras de
contabilidade e, no que for pertinente, a legislação específica.
Gabarito: E.
28. (Auditor do Estado (CAGE RS) / 2018 / CESPE) A respeito de
auditoria de demonstrações financeiras, assinale a opção correta.
a) O controle interno é responsável por preparar demonstrações
financeiras livres de distorções, fraudes e erros.
b) Para que o trabalho do auditor seja realizado com eficiência, basta
que a ele seja franqueado o acesso às informações consideradas no
processo de elaboração das demonstrações.
c) Cabe ao auditor fazer estimativas contábeis, selecionar e aplicar
políticas e práticas contábeis adequadas.
d) As notas explicativas devem atender exclusivamente a usuários
específicos, com propósitos especiais.
e) A auditoria realizada nas demonstrações financeiras não exime a
responsabilidade da administração pela sua elaboração.
Comentários:
Questão aborda aspectos gerais acerca da auditoria independente. Analisando
cada alternativa:
Letra A) ERRADA. A responsabilidade sobre a preparação e o conteúdo das
demonstrações contábeis é da própria administração da entidade.
Letra B) ERRADA. Há outras premissas além dessa para que o trabalho do
auditor seja realizado com eficiência.
Letra C). ERRADA. Segundo a NBC T 11.11, “As estimativas contábeis são de
responsabilidade da administração da entidade e se baseiam em fatores
objetivos e subjetivos, requerendo o seu julgamento na determinação do valor
adequado a ser registrado nas demonstrações contábeis”.
Letra D) ERRADA. Não necessariamente usuários específicos.
Letra E) CORRETA. Está em conformidade com a NBC TA 200(R1).
Gabarito: E.
29. (Controlador Interno (CIGA SC) / 2018 / /FEPESE) Ao estabelecer as normas sobre
os objetivos gerais do auditor independente, o Conselho Federal de Contabilidade definiu
que o objetivo da auditoria das demonstrações contábeis da entidade auditada é:
a) Aumentar o grau de confiança das demonstrações contábeis por meio da emissão de
parecer sobre sua adequação, consoante os Princípios Fundamentais de Contabilidade e
as Normas Brasileiras de Contabilidade e, no que for pertinente, a legislação específica.
b) Analisar a consistência e segurança dos diversos sistemas de controles internos da
entidade auditada e emitir parecer e relatório de auditoria sobre suas conclusões.
c) Analisar, mediante os procedimentos técnicos de auditoria, as fragilidades e
vulnerabilidades dos controles contábeis e administrativos visando a apuração de fraudes
e erros.
d) Analisar, investigar e apurar as responsabilidades e recomendar as providências
necessárias quando da ocorrência de irregularidades na entidade auditada.
e) Apurar, mediante aplicação de adequados procedimentos de auditoria, as causas e
consequências de irregularidades ocorridas na empresa, apontando, quando possível, os
responsáveis e recomendando em relatório as medidas cabíveis.
Comentários:
Questão aborda o objetivo precípuo da auditoria independente (externa),
segundo a NBC TA 200(R1). Veja:
Gabarito: A.
30. (Analista Judiciário (TST) / 2017 / Contabilidade / Apoio
Especializado /FCC) A NBC TA 240 dita que o auditor deve aceitar os
registros e documentos como legítimos, a não ser que existam razões
para crer o contrário. A postura do auditor para reconhecer a
possibilidade de existir uma distorção relevante decorrente de fraude é
denominada
a) função investigatória.
b) ceticismo profissional.
c) responsabilidade profissional.
d) observação de fatores de risco.
e) formação de opinião.
Comentários:
O auditor deve planejar e executar a auditoria com ceticismo
profissional, reconhecendo que podem existir circunstâncias que causam
distorção relevante nas demonstrações contábeis. A questão aborda o
conceito de ceticismo profissional.
Segundo a NBC TA 200(R1), “Ceticismo profissional é a postura que
inclui uma mente questionadora e alerta para condições que possam
indicar possível distorção devido a erro ou fraude e uma avaliação crítica
das evidências de auditoria”. Significa que o auditor sempre está
desconfiado que pode existir algo errado nas informações auditadas.
Gabarito: B.
31. (FUNDATEC - Auditor do Estado (CAGE RS)/2014) De acordo com
a Estrutura Conceitual de Trabalhos de Asseguração, são elementos que
necessariamente devem estar presentes em um trabalho de
asseguração executado por um auditor independente, EXCETO:
a) Relacionamento entre duas partes.
b) Objeto apropriado.
c) Critérios adequados.
d) Evidências apropriadas e suficientes.
e) Relatório de asseguração escrito de forma apropriada.
Comentários:
“Trabalho de asseguração” significa um trabalho no qual o auditor independente
expressa uma conclusão com a finalidade de aumentar o grau de confiança dos
outros usuários previstos, que não seja a parte responsável, acerca do
resultado da avaliação ou mensuração de determinado objeto de acordo com os
critérios aplicáveis.
De acordo com a NBC TA Estrutura Conceitual, são discutidos os seguintes
elementos de trabalho de asseguração:
relacionamento entre três partes, envolvendo o auditor independente, a parte
responsável e os usuários previstos
objeto apropriado (letra “b” correta)
critérios adequados (letra “c” correta)
evidências apropriadas e suficientes (letra “d” correta)
relatório de asseguração escrito na forma apropriada para trabalho de
asseguração razoável ou para trabalho de asseguração limitada. (letra “e”
correta)
Como a questão solicita o elemento que NÃO deve estar presente no trabalho
de asseguração, o gabarito da questão é letra “a”. Gabarito: A.
32. (FUNDATEC - Auditor do Estado (CAGE RS)/2014) De acordo com a NBC TG
200 – Objetivos Gerais do Auditor Independente e a Condução de uma Auditoria em
Conformidade com Normas de Auditoria, são responsabilidades do auditor
independente:
I. Elaborar as demonstrações contábeis de acordo com a estrutura de relatório
financeiro aplicável, incluindo, quando relevante, sua adequada apresentação.
II. Emitir uma opinião sobre se as demonstrações contábeis em análise foram ou não
elaboradas, em todos os aspectos relevantes, de acordo com a estrutura de relatório
financeiro aplicável. Para tanto, deve obter segurança razoável de que estas
demonstrações contábeis estão livres de distorções relevantes, quer sejam por
fraude ou por erro.
III. Manter o sistema de controle interno necessário para permitir a elaboração de
demonstrações contábeis livres de distorções relevantes, independentemente se
causadas por fraude ou erro.
32. (FUNDATEC - Auditor do Estado (CAGE RS)/2014) De acordo com
a NBC TG 200 – Objetivos Gerais do Auditor Independente e a
Condução de uma Auditoria em Conformidade com Normas de Auditoria,
são responsabilidades do auditor independente:
Quais estão corretas?
a) Apenas I.
b) Apenas II.
c) Apenas I e II.
d) Apenas I e III.
e) I, II e III.
Comentários:
Analisando cada item:
Item I : ERRADO. Essa responsabilidade é da Administração.
Item II : CORRETO.
Item III: ERRADO. Essa responsabilidade é da Administração.
Gabarito: B.
33. (FUNDATEC - Controlador Interno (CIGA SC)/2018) Ao estabelecer as
normas sobre os objetivos gerais do auditor independente, o Conselho
Federal de Contabilidade definiu que o objetivo da auditoria das
demonstrações contábeis da entidade auditada é:
a) Aumentar o grau de confiança das demonstrações contábeis por meio da
emissão de parecer sobre sua adequação, consoante os Princípios
Fundamentais de Contabilidade e as Normas Brasileiras de Contabilidade e,
no que for pertinente, a legislação específica.
b) Analisar a consistência e segurança dos diversos sistemas de controles
internos da entidade auditada e emitir parecer e relatório de auditoria sobre
suas conclusões.
c) Analisar, mediante os procedimentos técnicos de auditoria, as fragilidades
e vulnerabilidades dos controles contábeis e administrativos visando a
apuração de fraudes e erros.
33. (FUNDATEC - Controlador Interno (CIGA SC)/2018) Ao
estabelecer as normas sobre os objetivos gerais do auditor
independente, o Conselho Federal de Contabilidade definiu que o
objetivo da auditoria das demonstrações contábeis da entidade auditada
é:
d) Analisar, investigar e apurar as responsabilidades e recomendar as
providências necessárias quando da ocorrência de irregularidades na
entidade auditada.
e) Apurar, mediante aplicação de adequados procedimentos de auditoria,
as causas e consequências de irregularidades ocorridas na empresa,
apontando, quando possível, os responsáveis e recomendando em
relatório as medidas cabíveis.
Comentários:
Questão aborda o objetivo precípuo da auditoria independente (externa),
segundo a NBC TA 200(R1). Veja:
Gabarito: A.
34. (FUNDATEC - Auditor-Fiscal da Receita Estadual (SEFAZ
RS)/2014) De acordo com a NBC TA 200, o _______________ é a
postura que inclui uma mente questionadora e alerta para condições que
possam indicar possível distorção, devido a erro ou fraude, e uma
avaliação crítica das evidências de auditoria.
A alternativa que preenche corretamente a lacuna do trecho acima é:
a) plano de trabalho
b) ceticismo profissional
c) relacionamento com o cliente
d) auditor interno
e) trabalho conjunto
Comentários:
Questão aborda uma das características inerentes do auditor – ceticismo
profissional, segundo a NBC TA 200(R1). Veja:
Gabarito: B.
35. (FUNDATEC - Auditor-Fiscal da Receita Estadual (SEFAZ
RS)/2014) A elaboração e a adequada apresentação das demonstrações
contábeis, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, e
com os controles internos que foram determinados como necessários
para permitir a elaboração de demonstrações contábeis livres de
distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro,
é responsabilidade:
a) Dos auditores independentes.
b) Dos órgãos reguladores.
c) Do conselho fiscal.
d) Da assembleia dos acionistas.
e) Da administração da Companhia.
Comentários:
Questão extraiu literalmente da NBC TA 200, especificamente item A2, a responsabilidade pela
elaboração das demonstrações contábeis, qual seja:
“A2. Lei ou regulamento podem estabelecer as responsabilidades da administração e, quando
apropriado, dos responsáveis pela governança, em relação a relatórios financeiros. Entretanto,
a extensão dessas responsabilidades, ou a forma que elas são descritas, podem ser diferentes.
Apesar dessas diferenças, uma auditoria em conformidade com NBC TAs é conduzida com
base na premissa de que a administração e, quando apropriado, os responsáveis pela
governança reconhecem e entendem que eles têm essa responsabilidade:
(a) pela elaboração das demonstrações contábeis em conformidade com a estrutura de
relatório financeiro aplicável, incluindo quando relevante sua apresentação adequada;
(b)pelo controle interno que os administradores e, quando apropriado, os responsáveis pela
governança determinam ser necessário para permitir a elaboração de demonstrações
contábeis que estejam livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude
ou erro; e [...]
Gabarito: E.
35. (FUNDATEC - Auditor-Fiscal da Receita Estadual (SEFAZ
RS)/2014) A elaboração e a adequada apresentação das demonstrações
contábeis, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, e
com os controles internos que foram determinados como necessários
para permitir a elaboração de demonstrações contábeis livres de
distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro,
é responsabilidade:
a) Dos auditores independentes.
b) Dos órgãos reguladores.
c) Do conselho fiscal.
d) Da assembleia dos acionistas.
e) Da administração da Companhia.
Comentários:
Questão extraiu literalmente da NBC TA 200, especificamente item A2, a responsabilidade pela
elaboração das demonstrações contábeis, qual seja:
“A2. Lei ou regulamento podem estabelecer as responsabilidades da administração e, quando
apropriado, dos responsáveis pela governança, em relação a relatórios financeiros. Entretanto,
a extensão dessas responsabilidades, ou a forma que elas são descritas, podem ser diferentes.
Apesar dessas diferenças, uma auditoria em conformidade com NBC TAs é conduzida com
base na premissa de que a administração e, quando apropriado, os responsáveis pela
governança reconhecem e entendem que eles têm essa responsabilidade:
(a) pela elaboração das demonstrações contábeis em conformidade com a estrutura de
relatório financeiro aplicável, incluindo quando relevante sua apresentação adequada;
(b)pelo controle interno que os administradores e, quando apropriado, os responsáveis pela
governança determinam ser necessário para permitir a elaboração de demonstrações
contábeis que estejam livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude
ou erro; e [...]
Gabarito: E.
FIM
Até a próxima aula,
Prof. Tonyvan Carvalho
Download
Random flashcards
Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards