Enviado por Do utilizador1852

A inteligencia

Propaganda
UNIVERSIDADE ANHANGUERA DE SÃO PAULO
Nasrin A. M. Ghazzaoui – RA 342159214940
Rosemeire A. Cortez Lima – RA 341700514940
Shirley A. Cortez – RA 341696414940
RESENHA SOBRE O CAPÍTULO INTELIGÊNCIA
Introdução a Psicologia
Robert Feldman, 10º edição (2015)
São Paulo, SP
2019
UNIVERSIDADE ANHANGUERA DE SÃO PAULO
Nasrin A. M. Ghazzaoui – RA 342159214940
Rosemeire A. Cortez Lima – RA 341700514940
Shirley A. Cortez – RA 341696414940
RESENHA SOBRE O CAPÍTULO INTELIGÊNCIA
Introdução a Psicologia
Robert Feldman, 10º edição (2015)
Projeto de pesquisa apresentado como requisito de
avaliação da disciplina Processos Psicológicos
Básicos, sob orientação de Bianca Batista Dalmaso.
São Paulo, SP
2019
A INTELIGÊNCIA
A navegação dos Trukese era uma navegação não envolvia mapas ou
instrumentos, mas que estavam acostumados com o próprio sistema de navegação
devido a sua inteligência. Nesse exemplo é possível perceber que o termo
inteligência pode assumir diferentes significados de acordo com o conceito de cada
vivencia, experiência e ambiente.
A definição da inteligência para os psicólogos é a capacidade de compreender o
mundo, pensar racionalmente e usar o recurso de maneira eficaz diante das
dificuldades. Além disso os primeiros psicólogos interessados em inteligência
acreditavam que haviam um único fator para a capacidade mental de G ou fator G.
Existem teorias recentes que explicam as inteligências sob uma percepção
diferente. Ao invés de considerar a inteligência como uma entidade unitária, alguns
psicólogos a vem como diferentes tipos de inteligência. Sendo assim, existem dois
tipos de inteligências:
1 – Inteligência fluida – É a capacidade de raciocinar de maneira abstrata e no
processamento de informação e raciocínio.
2 - Inteligência cristalizada – É o acumulo de informações, habilidades e estratégias
adquiridas por meio da experiência. É a capacidade de evocar as informações da
memória de longo prazo.
As diferenças entre a inteligência fluida e cristalizada torna- se especialmente
vidente ao final da idade adulto quando as pessoas apresentam o declínio na
inteligência fluida, mas não na inteligência cristalizada.
Gardner desenvolveu uma teoria das inteligências múltiplas, para ele não importava
o quanto você era inteligente, mas sim como você era inteligente. Ele afirma que
existem pelos menos formas de inteligências, onde cada uma é relativamente
independente umas das outras. São elas: musical, corporal- cinestésica, lógicomatemática,
linguística,
espacial,
interpessoal,
intrapessoal,
naturalista
e
existencial. Cada uma delas está ligada ao um sistema independe no cérebro.
Para Gardner todas as pessoas possuem todas as inteligências em graus
diferentes. Além disso esse conceito de teoria de personalidade múltiplas levou ao
desenvolvimento de teste de inteligência que inclui sessões em que mais de uma
resposta pode estar correta levando a criatividade.
Os psicólogos cognitivos entendem a inteligência como uma abordagem de
processamento de informações onde o modo em que as pessoas armazenam
informações na memória e a usam para resolver tarefas intelectuais fornecem a
medida mais precisa para a inteligência.
A inteligência prática é aprendida principalmente por meio da observação do
comportamento dos outros.
Já inteligência emocional é a base da empatia pelos outros, da autoconsciência e
das habilidades sociais. Ela abrange a capacidade de se relacionar bem com os
demais, considerada um conjunto de habilidade subjacente à precisa estimativa,
avaliação expressão e regulação das emoções. Embora a noção da inteligência
emocional faça sentido, ela precisa ser quantificada de forma rigorosa. Portanto a
inteligência tradicional se relaciona com o desempenho acadêmico, a inteligência
prática se relaciona com êxito na vida e a inteligência emocional com as habilidades
emocionais.
Os testes de inteligência têm como função identificar e dar uma nota para o nível
de inteligência de uma pessoa, esse teste foi utilizado em escola para diagnosticar
dificuldades cognitivas e ajudar as pessoas a fazerem escolhas educacionais e
vocacionais.
Antigamente a maneira de teste de inteligência era pôr meio do tamanho e da forma
da cabeça da pessoa, a ideia surgia de Galton, ele tentava demostrar que a
inteligência era herdada.
As teorias de Galton se mostraram equivocadas em praticamente em todos os
aspectos.
O tamanho e o formato da cabeça não estão relacionados ao desempenho
intelectual. Com tudo, esse seu trabalho fez surgir a ideia que as inteligências
deveriam ser quantificadas de maneira objetiva.
Existem alguns testes de desenvolvimento de QI criador Binet, que era para
distinguir pessoas mais inteligentes de menos inteligentes dentro de uma faixa
etária especifica.
Com isso surgiu o consciente de inteligência (QI medida de inteligência que leva
em conta a idade mental e cronológica do indivíduo).
A confiabilidade é a propriedade pela qual os testes medem consistentemente o
que estão tentando medir e a validade é a propriedade pela qual os testes realmente
medem o que devem medir a validade e a confiabilidade são pré-requisitos para
uma medição precisa da inteligência.
Para garantir que os testes sejam confiáveis, validos e fundamentados em normas
apropriadas se fez necessário administração da testagem, por computador
As pessoas com QI baixo possuem um retardo mental ou deficiência intelectual, já
as pessoas com QI alto são pessoas superdotadas que requerem atenção especial
para que possam alcançar seu potencial pleno.
A deficiência intelectual ou retardo mental é a condição caracterizado por limitações
significativas tanto no funcionamento intelectual quanto em habilidades adaptativas
conceituais e práticos.
Ao identificar as raízes da deficiência intelectual foi possível relacionar a fatores
biológica ou ambientais a causa mais inevitável da inteligência intelectual é a
síndrome alcoólica fetal produzido pelo álcool durante a gravidez.
Existe uma integração dos indivíduos com deficiência intelectual em escolas
normais devido a lei criada este processo é conhecido como inclusão.
Já intelectualmente os superdotados formam um seguimento de 2% a 4% da
população e ele tem escores de QI acima de 130.
Existem diferenças de grupo em relação a inteligência que se baseiam em
determinantes genéticos e ambientais. Como por exemplo membros de alguns
grupos raciais e culturais obtém escores consistentemente mais baixos em teste de
inteligência tradicionais dos membros de outros grupos.
Sem dúvida a inteligência em geral mostra um alto grau de herdabilidade.
Download
Random flashcards
Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

teste

2 Cartões juh16

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Criar flashcards