GLÂNDULAS ENDÓCRINAS

Propaganda
Resumos de Histologia e Embriologia – Medicina
Ano Lectivo 2006/2007
GLÂNDULAS ENDÓCRINAS
 s/ canais excretores  produtos (hormonas/molecs de sinalização) lançados na corrente
sanguínea ou linfática
 Hormonas - moléculas que actuam como sinalizadores químicos, libertadas pelas cls
endócrinas para a corrente sanguínea; actuam em tecidos ou órgãos-alvo, cujas cls têm receptores
específicos p/ determinadas hormonas, e que têm a capacidade de responder ao estímulo
hormonal mesmo em presença de pequenas concentrações destas no sangue.
 O organismo controla secreção hormonal por mecanismos de feed-back
 Processos de comunicação intercelular:
 Secreção endócrina – hormonas são lançadas na corrente sanguínea  actuam em cls
distantes
 Secreção parácrina – molécs de sinalização actuam em cls vizinhas
 Secreção autócrina – molécs de sinalização segregadas actuam na pp célula que as
produziu
HIPÓFISE/ Glândula Pituitária:
 Localização: sela túrcica do esfenóide, ligada ao hipotálamo
 Origem embriológica dupla: nervosa e ectodérmica
 Duas partes – anatómica/ unidas, funções diferentes:
a) Adeno-hipófise:
- origem ectodérmica
- Constituída por:
i. pars distalis/ lobo anterior:
- 75%
- s/ barreira hemato-encefálica
- constituição:
1. cordões de cls epiteliais, com grânulos de secreção:
- cls acidófilas
Nota: hormonas são
 Somatotróficas – produzem somatotrofina
segregadas após estímulo de
 Mamotróficas – produzem prolactina
hormona de libertação
- cls basófilas
específica (produzida no
 Gonadotróficas – produzem FSH e LH
hipotálamo)
 Tirotróficas – produzem TSH
 Corticotróficas – produzem ACTH
- cls cromófobas – cls que acabaram de exctretar produtos
de secreção ou percursoras?
2. tecido conjuntivo de suporte – c/ rede de cls foliculares
3. capilares fenestrados
ii. pars intermédia:
- rudimentar
- c/ algumas cls cromófobas e basófilas e pequenas formações quísticas
repletas de colóide
- pensa-se que segregam MSH
iii. pars tuberalis:
- em funil, contínua com a pars distalis, em volta da face anterior da haste
hipofisária
- com cordões de cls epiteliais ricas em glicogénio, basófilas
- secreção de gonadotropinas (FSH e LH)
-1-
Liliana Costa -2º ano
Resumos de Histologia e Embriologia – Medicina
Ano Lectivo 2006/2007
b) Neuro-hipófise:
- origem na neuroectoderme
- Constituída por:
i. pars nervosa – volumosa (sem cls secretoras)
ii. haste infundibular/ pedículo – contínuo c/ hipotálamo
iii. eminência mediana
- conjunto de axónios não mielinizados (corpos – núcleos supra-óptico e
paraventricular do hipotálamo), com grânulos de secreção nas extremidades
depósitos/aglomerados: corpos de Herring
- entre axónios: cls de glia mt ramificadas = pituicitos (ricos em proteína acídica
fibrilar)
- neurónios do nc supra-óptico  vasopressina/ hormona anti-diurética (sempre q
pressão osmótica sanguínea ) cls dos canais colectores dos rins (  absorção de
H2O, urina hipertónica) e arteríolas periféricas (promove contracção muscular  
pressão sanguínea)
- neurónios do nc paraventricular  ocitocina  cls musc lisas do útero (
contracção no coito e no parto), cls mioepiteliais da gl mamária (contracção muscular
 aleita/o)
- hormonas estão ligadas a neurofisina (proteína transportadora)  proteólise 
libertação das hormonas
Nota: Pars nervosa + pars intermedia = lobo posterior
 Revestida por cápsula de tecido conjuntivo
 Controlada pelo hipotálamo – depende da secreção de factores de estimulação e de inibição
 Vascularização:
Carótida interna – ramos:
- a. Hipofisárias inferiores  haste infundibular  ramos p/ pars nervosa
- a. Hipofisárias superiores  eminência mediana do hipotálamo  plexo capilar
primário (no infundíbulo) – cls epiteliais fenestradas veias porta hipofisárias  descem
até pars distalis  plexo capilar secundário
- adeno-hipófise não tem irrigação arterial directa
- sangue venoso  veias  seios cavernosos
 Sistema hipotálamo-hipofisário:
 3 locais  3 grupos de hormonas:
a) núcleos supra-opticos e paraventriculares do hipotálamo  acumulam na neurohipófise (peptídeos)
b) núcleos dorso-mediano, dorso-ventral e infundibular do hipotálamo  armazenados
na eminência mediana (peptídeos)  sistema porta-hipofisário (1ª pte) adenohipófise
c) pars distalis (proteínas e glicoproteínas) 2ª parte do sistema porta-hipofisário 
circulação
 Controlo funcional da pars distalis:
A - hormonas (hipofisiotrópicas ou libertadoras hipotalâmicas) produzidas por neurónios
dos núcleos b) e armazenadas na eminência mediana são libertados e transportados pelo
plexo capilar  estimulam cls da pars distalis, 2 inibem libertação de hormonas
B – hormonas produzidas por gls endócrinas  actuam na libertação de peptídeos da
eminência mediana e sobre função das pps cls da pars distalis
-2-
Liliana Costa -2º ano
Resumos de Histologia e Embriologia – Medicina
Ano Lectivo 2006/2007
TIRÓIDE:
 Localização: face ant pescoço, inf/ à cricóide
 Origem endodérmica
 Função: produção de tiroxina (T4) e de triiodotironina (T4)  controlo taxa metabólica:  nº
mitocôndrias e cristas;  síntese e degradação proteica;  absorção de HC no intestino; regulam
metabolismo lipídico; influenciam crescimento e desenvolvimento do sistema nervoso (feto)
 Estrutura:
 2 lóbulos unidos por istmo
 Cápsula de tecido conjuntivo laxo, envia septos p/ parênquima
 Parênquima – c/ folículos (diâmetro variável)
 Revesti/o: epitélio cúbico simples, envolvido por rede capilar abundante
(endotélio fenestrado)
 Cls:
a) Epiteliais Principais – pólo apical com Golgi e grânulos de secreção,
em contacto com lúmen – algumas microvilosidades; porção basal rica
em RER e c/ mitocôndrias. Núcleo central, esférico. Função:
concentração de iodo no lúmen, síntese de tiroglobulina
b) Parafoliculares/ C – junto ao pólo basal, não contactam c/ lúmen;
algum RER, mitocôndrias alongadas e gde Golgi; citoplasma claro, c/
mtos grânulos; Função: produção de calcitonina  baixa [Ca2+] no
plasma (inibe reabsorção óssea)
 Lúmen: preenchido por colóide, rica em tiroglobulina (elevada
concentração de iodo e HC PAS +)  onde ocorre iodação da
tiroglobulina (tiróide peroxidase)
 Suporte: malha de fibras reticulares
 Controlo da Produção Hormonal:
 Única gl endócrina que acumula produto de secreção em quantidade apreciável – no
colóide
 Pars distalis da hipófise segrega TSH  captada por receptores da membrana da p. basal
das cls reticulares  estimula todas as etapas de síntese hormonal na tiróide
 Hormonas tiroideias inibem síntese de TSH.
 Síntese e armazenamento de hormonas nas cls foliculares:
 4 etapas:
1. síntese de tiroglobulina no RER e no CGolgi  libertada p/ lúmen folicular por
exocitose
2. iodeto circulante é captado pelas cls foliculares, via simporte (co-transportador
Na/I)
3. oxidação do iodeto (acção de peroxidase)  transporte p/ lúmen (transportador:
pendrina)
4. Colóide: iodação dos radicais de tirosila da tiroglobulina (acção de peroxidase)
 T3 e T4 fazem parte da tiroglobulina
 Libertação de T3 e T4:
1. acção de TSH  endocitose de colóide
2. digestão lisossómica  quebra de ligações entre radicais iodados e
tiroglobulina por acção de proteases
3. T3 e T4 libertadas no citoplasma - remoção do iodo
4. difusão até capilares
- T4 + abundante  estimula oxidação fosforilativa mitocondrial
- T3 + potente, acção + rápida
-3-
Liliana Costa -2º ano
Resumos de Histologia e Embriologia – Medicina
Ano Lectivo 2006/2007
PARATIRÓIDES:
 São 4, na face post da tiróide
 Estrutura:
 Cápsula fina de tecido conjuntivo
o Septos/trabéculas (por onde passam vasos sanguíneos, linfáticos e nervos)
 Parênquima - cordões de cls epiteliais (separados por capilares):
a) Principais - + numerosas, menores, poligonais, núcleo vesiculoso,
citoplasma claro (fraca/ acidófilo), com grânulos de contornos
irregulares; sintetizam hormona paratiroideia  eleva [Ca2+]plasm.
b) Oxífilas – pcas (aparecem perto dos 7 anos), poligonais, >s,
citoplasma granuloso mto eosinófilo - mtas mitocôndrias, isoladas ou
não
Nota: Metabolismo do Ca2+ regulado por: paratormona, calcitonina e vitamina D
 Acção de hormona paratiroideia:
o Liga-se a receptores em osteoblastos  produção de factor estimulante de
osteoclastos   nº e actividade   reabsorção de matriz óssea calcificada e
libertação de Ca2+   [Ca2+]plasmática  inibe produção de hormona
paratiroideia
o Liga-se a cls dos túbulos renais   reabsorção de fosfato   concentração
de fosfato no sangue
o No tubo digestivo: estimula síntese de vitamina D  aumenta absorção de
Ca2+
o Calcitonina (da tiróide) tem acção oposta  estimula osteogénese
GLÂNDULAS SUPRA-RENAIS/ adrenais (2):
 Localização: pólo superior dos rins
 Estrutura:
 Achatadas – meia-lua
 Cápsula de tecido conjuntivo denso  septos finos
 Parênquima:
a) Córtex (amarelo) hormonas esteróides:
Origem mesodérmica
Produtos de secreção não são armazenados em grânulos e difundem-se livremente
3 zonas concêntricas:
- glomerulosa:
 - espessa
 Subjacente à cápsula
 Cordões de cls colunares em arcadas, separadas por estroma conjuntivo c/
capilares
 Citoplasma acidófilo, núcleo esférico central
 Secreção de mineralocorticóides (aldosterona)
- fasciculada:
 A + espessa
 Cordões celulares //s entre si e  à cápsula; separados por capilares sinusóides
 Cls poliédricas, maiores, 1-2 núcleo(s) central(is), c/ gotas lipídicas no
citoplasma  tb chamadas de espongiócitos
 Secreção de glicocorticóides (cortisol)
- reticular:
 A + profunda
-4-
Liliana Costa -2º ano
Resumos de Histologia e Embriologia – Medicina
Ano Lectivo 2006/2007

 Cordões cls irregulares formam rede envolvida por capilares fenestrados
 Cls + peqs, c/ - gotas lipídicas
 Coram + intensa/ com H&E
 Com mtos e gdes grânulos de lipofuscina
 Algumas cls de forma irregular e núcleos picnóticos  morte frequente
 Secreção de androgénios (desidroepiandrosterona)
b) Medula (acinzentada) catecolaminas:
Origem neuroectodérmica
- cls cromafins – gdes, poliédricas, agregadas ou formando cordões curtos, coram de
castanho na presença de dicromato de potássio  neurónios pós-ganglionares
simpáticos modificados:
80%  segregam grânulos de adrenalina; restantes  grânulos (>s, + eletrodensos, irregulares) de noradrenalina
Grânulos tb contêm ATP, cromograminas, dopamina beta-hidroxilase e
encefalinas
Cls são inervadas por terminações colinérgicas de neurónios simpáticos préganglionares
Vascularização:
- artérias supra-renais
Superior Plexo capsular  capilares fenestrados p/ 3 zonas
do córtex (a. da cápsula, a. do Córtex, a. da Medula)
Média
Inferior
Artéria Medular (atravessa córtex)
Suprimento duplo:
- sangue arterial – artérias medulares
- sangue venoso – artérias corticais
Endotélio mto fino, fenestrado, com
lamina basal continua subjacente
Na medula: + capilares corticais  seios venosos
medulares

Veia Supra-renal  hilo
 Acção Hormonal – Córtex:
o Mineralocorticóides  mantêm equilíbrio electrolítico:
 Estimulam absorção de sódio (túbulos contornados distais, mucosa
gástrica e gls salivares e sudoríparas)
 Aumentam concentração de potássio e  a de sódio – músculo e neurónios
cerebrais
o Glicocorticóides  regulam metabolismo dos HC, proteínas e lípidos:
 Fígado:
- captação de a.g., aa e HC do sangue  acumulação de
fontes energéticas, síntese proteica e de glicose;
- estimulam neoglicogénese e glicogénese
 Fora do fígado: efeito antagónico
 Acção antiinflamatória e imunossuressora
o Androgénios  convertidos a testosterona  hormona sexual
- os processos de síntese implicam cooperação entre REL e mitocôndrias
- Controlo da secreção:
1º - libertação de hormona libertadora de corticotrofina (eminência mediana da
hipófise)
2º secreção de ACTH – pars distalis
 Córtex Fetal/ Provisório:
- no recém nascido: córtex fetal provisório mt espesso entre medula e córtex
definitivo;dps involui  Função: secreção de conjugados sulfatados de androgénios 
na placenta: convertidos a androgénios activos e estrogénios  circ. materna
-5-
Liliana Costa -2º ano
Resumos de Histologia e Embriologia – Medicina
Ano Lectivo 2006/2007
GLÂNDULA PINEAL/ EPÍFISE:
 Ligada a tecto do diencéfalo, na linha média do cérebro, mas s/ conexão nervosa directa; na
extremidade post do 3º ventrículo
 Inervação: fibras pós-ganglionares simpáticas (do ggl cervical sup); axónios perdem
membranas de mielina e terminam entre pinealócitos (terminações têm vesículas com
norepinefrina e serotonina)
 Estrutura:
 Cápsula fina de tecido conjuntivo, contínua com pia-máter
o Septos  lóbulos incompletos irregulares
 Parênquima: 2 tipos de cls:
o Pinealócitos – pco coradas(basófilos), núcleo dentado com nucléolos evidentes,
em agregados ou cordões; c/ mtas ramificações, extremidades dilatadas; segregam
melatonina
o Gliócitos epifisários/ astrócitos – Suportam pinealócitos; núcleos alongados, +
corados, com prolongamentos citoplasmáticos e mtos filamentos intermediários
 tem zonas pontuais de calcificação na matriz extracelular do tecido conjuntivo =
concreções epifisárias/ areia cerebral (aumenta com idade)
- não existe barreira hemato-encefálica
 Função: resposta a estímulos luminosos  controlo dos biorritmos circadianos e sazonais –
mudanças rítmicas nas actividades secretoras das gónadas e outros órgãos
-6-
Liliana Costa -2º ano
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Matemática

2 Cartões Elma gomes

Criar flashcards