APARELHO CARDIOVASCULAR

Propaganda
Resumos de Histologia e Embriologia – Medicina
Ano Lectivo 2006/2007
APARELHO CARDIOVASCULAR
 Sistema q permite distribuição de nutrientes e eliminação dos produtos do catabolismo
nos organismos multicelulares.
 Constituído por:
 Coração
 2 sist. vasculares sanguíneos – circulação pulmonar e circulação sistémica
 Existe ainda um sistema vascular linfático, q drena líquido intersticial
(linfa) de volta à corrente sanguínea – s/bomba propulsora; fluxo
unidireccional
 Com vasos de macrocirculação (+ de 0,1 mm de diâmetro) e de microcirculação
ARTÉRIAS:
!!s para as trocas entre
Estrutura da parede – 3 túnicas:
sangue e tecidos
a) Íntima:
- + interna
Dentro
- endotélio (1 camada de cls epiteliais pavimentosas+ membrana basal+ faixa fina de
tecido conjuntivo laxo)
 limitante ou lâmina elástica interna (reforço d fibras elásticas, c/ aberturas p/ difusão
de substâncias): nos cortes tem aspecto ondulado (devido a ausência de pressão e morte)
b) Média:
- cls musculares lisas concêntricas
- interpostas: fibras e lamelas elásticas e reticulares, proteoglicanos e glicoproteínas
 limitante ou lâmina elástica externa (+ fina que interna)
Fora
c) Adventícia:
- com fibras colagénicas (tipo I) e elásticas e fibroblastos dispostos longitudinalmente,
em relação ao lúmen
- nas de maior diâmetro: vasa vasorum (arteríolas, capilares e vénulas q se ramificam na
adventícia e na porção externa da média; + frequentes em veias) nutrição das cls da parede
dos vasos
Classificação das Artérias:
a) Elásticas ou condutoras  aorta, pulmonar, ramos proximais:
 Cls endoteliais c/corpos d Weibel-Palade(c/factor d von Willebrandcoagulação)
 Íntima rica em fibras elásticas, + espessa q nas artérias musculares
 Lâmina elástica interna não dinstinguível
 Túnica média é a + espessa – 50-70 laminas elásticas fenestradas (nº aumenta c/
idd), concêntricas, com fibras musculares lisas, fibras de colagénio, proteoglicanos e
glicoproteínas interpostos  elastina confere-lhe cor amarelada
 Adventícia pco desenvolvida, rica em fibras colagénicas, com vasa vasorum,
nervi vasorum e pequenos linfáticos
 Contribuem p/ estabilizar fluxo sanguíneo
b) Musculares ou distribuidoras  ex: subclávia, umeral, femural, radial, poplítea e tibial
 Parede muscular mto espessa
 Íntima separada da média (q pode ter até 40 camadas) por limitante elástica
interna bem visível
 Limitante externa apenas nas de maior diâmetro
 Adventícia de tecido conjuntivo laxo
 Controlam fluxo de sangue para os órgãos
-1-
Liliana Costa -2º ano
Resumos de Histologia e Embriologia – Medicina
Ano Lectivo 2006/2007
c) Arteríolas: (d < 0,5 mm)
 Limitante interna só nas de maior diâmetro; s/ limitante externa
 Túnica média com 1 ou 2 camadas de cls musculares lisas
 Adventícia mto fina
 Metarteríolas – antes dos capilares: média com 1 assentada de cls espaçadas;
cada cl muscular lisa rodeia todo o perímetro; cls funcionam como esfíncter pré-capilar
CAPILARES:
 Paredes mto finas – só túnica íntima (1 camada de cls endoteliais* que assentam em
membrana basal, cujos componentes são produzidos por elas pps)
Classificação:
a) de parede contínua/ somático:
- no músculo, cérebro, tec conjuntivo e pulmão
- c/ pericitos - cls contrácteis (c/ actina, miosina e tropomiosina), de origem
mesenquimatosa, com longos processos citoplasmáticos, envolvidos por lamina basal pp e
que envolvem porções de cls endoteliais; existentes espaçadamente na superfície externa
dos capilares  função contráctil e de reparação tecidular
- pode ter vesículas de pinocitose
b) fenestrados/ viscerais:
- no pâncreas, gls endócrinas, glomérulos renais e vilosidades intestinais
- com gdes orifícios/fenestras nas paredes das cls, obstruídos ou não (caso do glomérulo)
por um diafragma + delgado q a membrana plasmática da cl
- lâmina basal contínua
c) sinusóides:
- no fígado, medula óssea, baço e algms gls endócrinas(lobo ant da hipófise e supra-renais)
- membrana basal descontínua
- circuito complexo, gd diâmetro, irregular  velocidade de circulação  facilita trocas
- cls endoteliais mto espaçadas formam camada descontínua
- macrófagos entre as cls
* Características das cls endoteliais: poligonais, longo eixo na direcção do fluxo sanguíneo,
núcleo projecta-s p/dentro do lúmen, citoplasma c/pcos organelos – Golgi peq, mitocôndrias e
polirribossomas livres, algms cisternas de RER; unem-s lateral/ a outras por zónulas de oclusão
- Circulação capilar controlada por excitação neural e hormonal
- riqueza de vasos está relacionada com a actividade metabólica dos tecidos
- Trocas:
1. peqs molécs hidrofóbicas, molécs hidrofílicasdifusão e transporte activo por cls endoteliais
2. água e outras molécs hidrofílicas  via paracelular (através das junções intercls)
3. outras gdes molécs  poros dos capilares fenestrados, espaços entre cls dos capilares
sinusóides e vesículas pinocíticas
Outras funções das cls endoteliais:
- conversão angiotensina I  angiotensina II; bradicinina, serotonina, prostaglandinas,
norepinefrina, trombina,etcinertes
- lipólise d lipoprot.p/ síntese de hormonas esteróides e de constituintes membranares
- produção de factores vasoactivos (ex: endotelinas), vasoconstrictivos e de relaxamento
-2-
Liliana Costa -2º ano
Resumos de Histologia e Embriologia – Medicina
Ano Lectivo 2006/2007
VEIAS:
 Aumentam gradualmente de calibre e espessura das paredes
 Parede ≈ artérias: 3túnicas –íntima, média e adventícia; delimitação imprecisa
Classificação:
a) Vénulas: (0,2<d<1 mm)
- da confluência dos capilares
- endotélio mto fino - íntima
- média ausente ou mto fina, c/ pcas fibras de colagénio
b) Pequenas Veias:
- túnica média presente – 1-4 assentadas de fibras musculares lisas concêntricas, c/
1<d<9
mm
fibras reticulares e elásticas interpostas
c) Veias de Médio Calibre:
- íntima com endotélio assente em membrana basal e faixa subendotelial mto fina
- limitante interna pco definida
- média menos espessa que a da artéria
- adventícia mais espessa que a média
- c/ válvulas (2-3 valvas – extensões bilaterais da íntima, compostas de tecido
conjuntivo rico em fibras elásticas, revestidas por endotélio, de concavi// superior e com
bordo livre orientado em direcção ao fluxo do sangue) – mtas nos membros inferiores
d) Veias de Grande Calibre:
- com camada conjuntiva subendotelial espessa
- média pco espessa relativamente ao calibre
- adventícia é a + desenvolvida, com vasa vasorum
- com válvulas
Veias com características especiais:
- veias trabeculares do baço, veias da retina, dos ossos e da placenta  s/ túnica média
- veias do útero grávido  cls musculares lisas nas 3 túnicas
- veias cavas e pulmonares  adventícia com cls musculares cardíacas dispostas de
forma circular e longitudinal na junção com o coração
ANASTOMOSES ARTÉRIO-VENOSAS:
 Conexão directa entre pequena artéria e pequena veia
 Estrutura tubular espiralada, paredes musculares espessas, envolvida externa/ por tec conj
 Participam na regulação do fluxo sanguíneo, da pressão, da temperatura e da conservação
do calor
 Nos lábios; superfícies palmares e plantares das extremidades dos dedos
Inervação dos Vasos sanguíneos:
- os q contêm músculo liso  nervos vasomotores (fibras não mielínicas simpáticas) –
neurotransmissor: norepinefrina  vasoconstrição
- Artérias: geralmente na túnica adventícia  neurotransmissor difunde-se e abre espaçoes
entre junções
- artérias de músculos esqueléticos: recebem terminações vasodilatadoras colinérgicas
- terminações sensoriais: barorreceptores, seio carotídeo, arco da aorta, quimiorreceptores
da carótida e corpos aórticos
- Veias: terminações nervosas alcançam adventícia e média
-3-
Liliana Costa -2º ano
Resumos de Histologia e Embriologia – Medicina
Ano Lectivo 2006/2007
CORAÇÃO:
 Formado por 4 câmaras: 2 aurículas (A) e 2 ventrículos (V), que comunicam por válvulas
 Parede com 3 túnicas: endocárdio (+ interna), miocárdio e epicárdio (+ externa)
- Endocárdio:
 Camada superficial cls pavimentosas simples, sustentada por membrana basal
 C/ camada fina subendotelial de tecido conjuntivo laxo (nos V tem fibras
musculares cardíacas especializadas na condução do estímulo cardíaco)
 Existe tb camada subendocardial de tecido conjuntivo a ligar a camada
subendotelial ao miocárdio – com veias, nervos, cls de Purkinje
 Reveste internamente aurículas e ventrículos
 Continua-se com túnica íntima dos vasos aferentes e eferentes do coração
- Miocárdio:
 Composto por fibras musculares cardíacas orientadas em várias direcções
 Mais espesso nos V
 Nas A – cls têm granulações com polipeptídeo atrial natriurético
- Epicárdio:
 Folheto visceral do pericárdio (serosa que envolve coração)
 Superfície livre revestida por cls mesoteliais (epitélio pavimentoso simples) q
assentam em membrana basal – por bxo tem camada subepicardial: tecido
conjuntivo laxo c/ vasos, nervos e cls adiposas (zona subepicárdica)
 Esqueleto fibroso/região central fibrosa  ins. Músculos cardíacos, pto d apoio a válvulas:
- formado por tecido conjuntivo denso, com fibras colagénicas em várias
direcções; podem ter nódulos de cartilagem fibrosa

Ânulos fibrosos (anéis tecido conjunt. c/ fibras colagénicas e elásticas, nas
aberturas das artérias aorta e pulmonar)

Trígonos fibrosos (nas comunicações átrio-ventriculares)

Septo membranáceo (parte sup. do septo interventricular)
 Válvulas Cardíacas:
 Aórtica e Pulmonar
 Mitral e Tricúspida
- constituídas por tecido conjuntivo denso;
- revestidas pelo endocárdio
- bases presas a anéis fibrosos do esqueleto cardíaco
 Sistema excito-condutor:
o 2 sistemas de condução especializados:
a) nódulo sino-auricular: massa d cls musculares cardíacas especializadas,
fusiformes, +peqs, c/< quanti// de miofibrilasgénese de contracções rítmicas
b) sistema formado por via de condução internodal, nódulo aurículo-ventricular,
feixe átrio-ventricular (cls emitem projecções citoplasmáticas e ramificam),
fibras de Purkinje (cls musculares cardíacas modificadas, ricas em
mitocôndrias e glicogénio, de>diâmetro e pcs miofibrilas, 1-2núcleos centrais,
no septo InterV – c/ramos intramiocárdicos) propagação do impulso
 Inervação:
- ramos do simpático e do parassimpático  plexo extenso na base
- cls nervosas ganglionares e fibras nas regiões próximas aos nódulos  afectam ritmo
-4-
Liliana Costa -2º ano
Resumos de Histologia e Embriologia – Medicina
Ano Lectivo 2006/2007
SISTEMA VASCULAR LINFÁTICO:
 Formado por:
a) capilares linfáticos:
- paredes mto finas – cls endoteliais assentes em membrana basal mto descontínua
- c/ início em fundo de saco no interior de tecidos/órgãos
- maiores e + amplos que os sanguíneos
b) vasos linfáticos colectores:
- parede mais espessa – difícil distinguir túnicas (adventícia é a + espessa)
- c/ inúmeras válvulas
c) troncos linfáticos:
- são 2: canal torácico e canal linfático dto  terminam em gdes veias, perto do coração
- parede idêntica a de veia de gde calibre
HISTOGÉNESE E ORGANOGÉNESE GERAL:
 18 dias: primórdio do coração (área cardiogénica, porção cefálica do disco embrionário)
 Cls mesoderme esplâncnica agregam-se longitudinal/  2 cordões angioblásticos
 Cordões vão adquirindo lúmen  tubos cardíacos endocárdicos
 Tubos aproximam-se até que se fundem ao 22º dia  tubo endocárdico único
 Mesoderme esplâncnica junto ao celoma pericárdico rodeia o tubo miocárdio primitivo
 Cls mesoteliais do celoma pericárdico  epicárdio
 21º-26º dia: pregueamento cefálico  primórdio cardíaco deslocado p/ posição ventral em
relação a intestino anterior e caudal relativamente a membrana orofaríngea; crescimento do
tubo cardíaco único  enrolamento sobre si mesmo  dilatações e constrições  futuras
cavidades
 22º-23º dia: 1ºs batimentos cardíacos
 4ª semana: fluxo sanguíneo nos vasos
 Vasos sanguíneos originam-se ao mesmo tempo q coração por:
a) vasculogénese:
- ligada a formação de cls do sangue
- formação de vasos “de novo”
- cls da mesoderme extra-embrionária do saco vitelino  18º dia:
hemangioblastos  condensações – ilhéus sanguíneos  cls centrais: 
diferenciação em cls hematopoiéticas primordiais (vão originar cls do
sangue); cls externas:  diferenciam-se em angioblastos  multiplicação e
diferenciação em cls endoteliais  plexos capilares primários.
- necessita da actuação sequencial de FGF2, VEGF e angiopoietina
b) angiogénese:
- segue-se à vasculogénese
- remodelação de capilares primários
- actuação de VEGF, PDGF e colagénio tipo XVIII
-5-
Liliana Costa -2º ano
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

paulo

2 Cartões paulonetgbi

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

teste

2 Cartões juh16

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Criar flashcards