Adolescência: um cérebro em transformação

Propaganda
Diogo Araujo – Med 92
Adolescência: um cérebro em transformação
Professor Aucélio

Na aula anterior, falamos do desenvolvimento motor, motor adaptativo fino e
linguagem. Hoje, vamos falar de desenvolvimento pessoal-social (que está bastante
relacionado com a adolescência).


O cérebro do adolescente ainda está em desenvolvimento.
Quando falamos em desenvolvimento comportamental, estamos falando do córtex préfrontal. Ela ocupa 1/3 do volume cerebral. E é a última estrutura a se desenvolver
completamente. O sistema límbico (que pega o lobo temporal e um pouco do préfrontal) também ainda demora para se desenvolver.
Aos 12 anos de idade, o volume, o tamanho e o peso do cérebro já é igual ao de um
adulto. Mas a funcionalidade não.
A reorganização sináptica na região pré-frontal é maior nas mulheres do que nos
homens.
Lembrando que:
o Na infância: maior velocidade de mielinização nos córtex occipital e parietal (ou
seja, aquisição de capacidades visuais, motoras, visuomotoras, etc.)
o Na adolescência: o desenvolvimento está mais voltado para as regiões préfrontal e temporal. Ou seja, aumento das áreas de associação (e,
consequentemente, de percepção e comportamento, pessoal-social).
A adolescência é “coisa” do cérebro, diretamente ligada aos neurotransmissores!
o O desenvolvimento cerebral está relacionado com o fator de crescimento
neuronal e a dopamina. Os estímulos (do dia a dia, químicos ou físicos)
provocam a liberação desses neurotransmissores, que levam a mudanças de
comportamento e de atitude.
A região que serve de gatilho para entrada na adolescência é o núcleo accumbens. Nesse
local, há uma perda de 30% dos receptores dopaminérgicos, o que altera o
comportamento (deixa de ser criança e passa a ter novos interesses [por música,
esportes, amizades, interações sociais], pensamento abstrato, necessidade de
recompensa imediata e comportamentos de risco).
A medida que o córtex frontal (que está mais relacionado ao controle) se mieliniza, ele
começa a controlar o sistema límbico (que está mais relacionado às emoções e à
impulsividade). Por isso, de início, o adolescente é mais arredio e fala o que quer.
Depois, ele se controla mais.







O neurotransmissor responsável pelo início do sono é a melatonina. A queda da
claridade eleva os níveis de melatonina. Ela inibe o córtex frontal, que inibe o sistema
reticular ascendente para poder desencadear o processo do sono.
o No adolescente, por causa das mudanças hormonais, os níveis de melatonina
sobem mais tardiamente, sendo que o adolescente tende a dormir mais tarde,
encurtando o tempo de sono total. Assim, o adolescente fica sonolento durante
o dia.
Diogo Araujo – Med 92


O cérebro conclui o seu desenvolvimento quando a última região conclui a sua
formação.
O córtex pré-frontal é dividido em três regiões.
o Dorso-lateral: funções executivas complexas (abstração, organização
temporoespacial).
o Ventro-medial: relacionado à atenção.
o Órbito-frontal: é o último a completar a sua formação. Está relacionado ao
comportamento.
 Quando ele completa a sua formação, o indivíduo é capaz de:
 Flexibilidade durante as atividades diárias (ser uma pessoa
flexível);
 Capacidade de se colocar no lugar do outro para ajudar;
 Ter iniciativa para fazer as coisas;
 Capacidade de organização;
 Capacidade de reavaliação, de julgamento de uma situação;
 Capacidade de se arrepender;
 Controle do humor.
Resumindo:



Criança mieliniza mais os lobos temporal e occipital
Entra na adolescência  perde dopamina no núcleo accumbens + sistema límbico ainda
imaturo  consequência: “aborrecente”
Córtex frontal vai se mielinizando  controle dos impulsos
o Dorsolateral e ventromedial primeiro
o Orbitofrontal por último
Download
Random flashcards
Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Matemática

2 Cartões Elma gomes

Criar flashcards