lista de exercícios

Propaganda
LISTA DE EXERCÍCIOS
FILOSOFIA
QUESTÃO 01 – “Tales foi o iniciador da filosofia da physis, pois foi o primeiro a
afirmar a existência de um princípio originário único, causa de todas as coisas que
existem, sustentando que esse princípio é a água. Essa proposta é importantíssima (...)
podendo com boa dose de razão ser qualificada como a primeira proposta filosófica
daquilo que se costuma chamar civilização ocidental.” (REALE, G. História da Filosofia:
antiguidade e idade média. São Paulo: Paulus, 1990. p. 29)
A filosofia surgiu na Grécia, no século VI a.C.. Seus primeiros filósofos foram os
chamados “pré-socráticos” (ou “físicos”). De acordo com o texto, ASSINALE a
alternativa que expressa o principal problema por eles investigados.
(A) A ética, enquanto investigação racional do agir humano.
(B) A estética, enquanto estudo sobre o belo na arte.
(C) A epistemologia, como avaliação dos procedimentos científicos.
(D) A cosmologia, como investigação acerca da origem e da ordem do mundo.
(E) A filosofia política, enquanto análise do Estado e sua legislação.
QUESTÃO 02 – “Entre os ‘físicos’ (pré-socráticos), o caráter positivo invadiu de vez a
totalidade do ser. Nada existe que não seja natureza (physis). Os homens, a divindade, o
mundo formam um universo unificado, homogêneo, todo ele no mesmo plano: são as
partes ou os aspectos de uma só e mesma natureza (physis) que põem em jogo, por toda
parte, as mesmas forças, manifestam a mesma potência de vida. As vias (caminhos)
pelas quais essa natureza nasceu, diversificou-se e organizou-se são perfeitamente
acessíveis à inteligência humana: a natureza não operou ‘no começo’ de maneira
diferente de como o faz, ainda, a cada dia.” (VERNANT, Jean-Pierre. As origens do pensamento
grego. Trad. de Ísis Borges B. da Fonseca. 12.ed. Rio de Janeiro: Difel, 2002. p.110.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre os pré-socráticos, ASSINALE a
alternativa CORRETA:
(A) Para explicar o que acontece no presente é preciso compreender como a natureza
agia “no começo”, ou seja, no momento original.
(B) A explicação para os fenômenos naturais pressupõe a aceitação de elementos
sobrenaturais.
(C) O nascimento, a diversidade e a organização dos seres naturais têm uma explicação
natural e esta pode ser compreendida racionalmente.
(D) A razão é capaz de compreender parte dos fenômenos naturais, mas a explicação da
totalidade dos mesmos está além da capacidade humana.
(E) A diversidade de fenômenos naturais pressupõe uma multiplicidade de explicações e
nem todas estas explicações podem ser racionalmente compreendidas.
QUESTÃO 03 – No famoso mito da caverna, Platão (428-347 a.C.) imagina uma
caverna onde estão acorrentados os homens desde a infância, de tal forma que, não
podendo se voltar para a entrada, onde há uma fogueira, apenas enxergam o fundo da
caverna. A luz da fogueira projeta, nesse fundo, sombras das coisas que passam as suas
costas. Ora, se um desses homens se libertasse das correntes e chegasse à luz do dia,
voltaria contando aos outros o que são realmente os verdadeiros objetos. Entretanto,
seus companheiros o tomariam por louco, pois não acreditariam em suas palavras. Esse
mito pode ser analisado sob dois pontos de vista: o epistemológico (como surge o
conhecimento humano) e o político (aquele que apreende as ideias verdadeiras é apto
para governar). Do ponto de vista epistemológico (do conhecimento), é CORRETO
afirmar:
1. Acima do mundo ilusório sensível, há o mundo das idéias gerais e essências
imutáveis.
2. O mundo dos fenômenos só existe se participa do mundo das idéias.
3. O homem atinge as essências imutáveis através da contemplação e da depuração dos
enganos dos sentidos.
4. A alma humana pode elevar-se das coisas múltiplas e mutáveis às coisas unas e
imutáveis.
5. As idéias unas e imutáveis são hierarquizadas e no topo delas está a idéia de Bem.
ASSINALE a alternativa CORRETA.
A) Somente as afirmativas 1, 2 e 3 são verdadeiras.
B) Somente as afirmativas 1, 4 e 5 são verdadeiras.
C) As afirmativas 1, 2, 3, 4 e 5 são verdadeiras.
D) Somente as afirmativas 2, 4 e 5 são verdadeiras.
E) Somente as afirmativas 3, 4 e 5 são verdadeiras.
QUESTÃO 04 – (UEL/2005) – Em sua obra Nova Atlântida, Francis Bacon descreve
uma instituição imaginária chamada “Casa de Salomão”, cuja finalidade “[...] é o
conhecimento das causas e dos segredos dos movimentos das coisas e a ampliação dos
limites do império humano para a realização de todas as coisas que forem possíveis”.
(BACON. F. Nova Atlântida. São Paulo: Nova Cultural, 1996. p. 245)
Sobre a concepção de ciência em Francis Bacon, é CORRETO afirmar:
(01) A ciência justifica-se pela necessidade de proporcionar ao homem um
conhecimento seguro sobre a natureza.
(02) O objetivo da ciência é fornecer, a quem a controla, um instrumento de domínio
social sobre os outros homens.
(04) Para a ciência, o enfrentamento das questões econômicas e sociais tem maior
importância do que o conhecimento da natureza, porque proporciona uma vida boa para
os indivíduos.
(08) A origem da ciência não pode estar fundada em pressupostos a priori, mas sim na
necessidade de recorrer sempre ao saber prático e empírico.
(16) A ciência visa ao conhecimento da natureza com a intenção de controle e domínio
sobre ela para que o homem possa ter uma vida melhor.
QUESTÃO 05 – (UEL/2005) – “Mas logo em seguida, adverti que, enquanto eu queria
assim pensar que tudo era falso, cumpria necessariamente que eu, que pensava, fosse
alguma coisa. E, notando que esta verdade eu penso, logo existo era tão firme e tão certa
que todas as mais extravagantes suposições dos céticos não seriam capazes de a abalar,
julguei que poderia aceitá-la, sem escrúpulo, como o primeiro princípio da Filosofia que
procurava.” (DESCARTES, R. Meditações. Trad. De J. Guisnburg & Bento Prado Júnior. São Paulo:
Nova Cultural, 1996. p. 92. Coleção Os Pensadores.).
De acordo com o texto e com os conhecimentos sobre o tema, ASSINALE a alternativa
CORRETA.
(01) Para Descartes, não podemos conhecer nada com certeza, pois tudo quanto
pensamos está sujeito à falsidade.
(02) O “eu penso, logo existo” expressa uma verdade instável e incerta, o que fez
Descartes ser vencido pelos céticos.
(04) A expressão “eu penso, logo existo” representa a verdade firme e certa com a qual
Descartes fundamenta o conhecimento e a ciência.
(08) As “extravagantes suposições dos céticos” não impediram Descartes de encontrar
uma verdade que servisse como princípio para a filosofia.
(16) No momento inicial de sua dúvida metódica, Descartes, ao acreditar que tudo era
falso, colocava em dúvida sua própria existência.
QUESTÃO 06 – “A filosofia encontra-se escrita neste grande livro que continuamente
se abre perante nossos olhos (isto é, o Universo). Ele está escrito em língua matemática,
os caracteres são triângulos, circunferências e outras figuras geométricas. Sem estes
meios, é impossível entender humanamente as palavras; sem eles nós vagamos perdidos
dentro de um obscuro labirinto.” (GALILEU. Apud. COTRIM. Fundamentos da filosofia: história
e grandes temas. 16ª Ed., São Paulo: Saraiva, 2006 - p.133.)
De acordo com o texto acima, e com seus conhecimentos sobre a ciência da natureza em
Galileu, assinale a alternativa CORRETA.
(A) De acordo com os princípios de sua ciência, Galileu depositava grande crédito no
método indutivo, pois este possuiria melhor alcance nos resultados da investigação da
natureza.
(B) O passo decisivo da física galileana concentrava-se na realização de experimentos
para comprovar uma tese, sem a necessidade de recorrer às elaborações do raciocínio
matemático.
(C) Quanto ao “movimento”, Galileu seguiu as teorias de Aristóteles que distinguia o
movimento qualitativo do movimento quantitativo, para considerar toda mudança
apenas do ponto de vista qualitativo (corpos pesados ou leves).
(D) Um dos aspectos centrais da ciência da natureza em Galileu está na realização de
experimentos com o auxílio indispensável da matemática, pois, para ele, a matemática é
o meio instrumental capaz de enunciar e traduzir as regularidades observadas nos
fenômenos naturais.
(E) O que dá validade científica aos processos intelectuais de Galileu é que os
resultados de suas pesquisas jamais precisariam ser submetidos à comprovação
empírica, bastando, apenas, se localizarem no campo da abstração.
QUESTÃO 07 – Na Crítica da Razão Pura Kant adverti o seu leitor de que Copérnico
obteve excelentes resultados no campo da astronomia por conta da revolução que
promoveu, ele, filósofo, teria revolucionado o campo de investigação filosófica ao
propor que não são os objetos que determinam o conhecimento no homem, mas sim o
homem determina o conhecimento sobre a existência dos objetos.
Considerando as informações acima, e seus conhecimentos, podemos dizer que a
“revolução copernicana” que Kant realizou no âmbito da filosofia É:
(A) uma revolução filosófica que afirmou a distinção entre fenômeno e coisa em si,
qualificando esta última como incognoscível.
(B) uma revolução astronômica que pretendeu mudar o curso da Filosofia Moderna,
propondo uma reavaliação da física newtoniana.
(C) uma revolução filosófica que estabeleceu que o conhecimento da coisa em si só
pode ser atingido caso haja um cuidadoso estudo dos fenômenos.
(D) uma revolução filosófica e científica segundo a qual o espectador não pode
permanecer fixo em sua posição, aprendendo apenas os fenômenos, mas deve considerar
que ele mesmo encontra-se em movimento para poder perceber as coisas em si mesmas,
ou a coisa em si.
(E) Uma revolução no pensamento que aceita a razão como único meio de atingir o
conhecimento seguro da realidade.
QUESTÃO 08 – Considere o texto a seguir:
A filosofia de Kant procurou demonstrar a impossibilidade de conhecer qualquer coisa
em si: a “coisa em si”, enquanto tal, não seria acessível às faculdades do juízo, o que
resultaria na negação da metafísica enquanto ciência.
Na Crítica da Razão Pura, obra publicada em 1781, Kant procurou analisar as
faculdades de conhecer. A Crítica pode ser dividida em duas grandes partes: A
primeira é chamada de “doutrina transcendental dos elementos”, cuja preocupação é
demonstrar como é possível conhecer; A segunda é a “dialética transcendental”, onde
se critica as formas de conhecer que escapam dos limites da primeira parte. Para Kant,
há duas formas de conhecimento: (I) o empírico ou a posteriore; (II) e o puro ou a
priori.
A – Considerando o texto acima, e seus conhecimentos sobre o tema, EXPLIQUE,
com suas palavras, o que são juízos sintéticos a priori para Kant. Dê um exemplo
desse tipo de juízo.
B – Ainda sobre o mesmo tema, EXPLIQUE o que são juízos sintéticos a posteriori
citando um exemplo desse tipo de juízo:
Download
Random flashcards
Criar flashcards