Enviado por Do utilizador5239

manualdoobreiro-120614202657-phpapp01

Propaganda
Manual do Obreiro
Material de consulta - Apostila FATA, Peq. Enc. Bíblica (Orlando Boyer), O
Comentário da Bíblia, Bíblia Thompson, Manual dos Tempos e costumes
bíblicos
DÁDIVA MINISTERIAL
Nm 18.7-... Eu vos tenho dado o vosso sacerdócio e o estranho que se chegar
morrerá.
Ex 29.44-... Também santificarei a Arão seus filhos, para que me administrem
o sacerdócio.
At 20.28-... Atendei vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos
constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, a qual Ele comprou
com o Seu próprio sangue. Nos textos bíblicos acima, destaquemos as frases:
Ex 29.44- Me administrem o sacerdócio. – At 20.28- Vós constituiu bispo, ou
seja, MINISTÉRIO EVANGÉLICO.
1-
O estudo do MINISTÉRIO EVANGÉLICO abrangerá. O estudo da
doutrina do Ministério. O Ministério visto na prática de DEUS. O estudo
da pratica do Ministério; do exercício do Ministério em torno da pessoa
do próprio Obreiro.
2-
Os novos Obreiros ingressando no Ministério. Enquanto a igreja
estiver aqui, novos obreiros sempre estarão ingressando no Ministério, e
outros galgando novas etapas do Ministério.
Obreiros vindo de fora.
Toda igreja local recebe Obreiros vindo de outros campos por mudanças e,
muitas vezes trazendo maus costumes, erros, e inovações, e querendo
enxertar tudo isto no trabalho. 2Timóteo 3: 7
Mesmo entre os Obreiros existem aqueles que aprendem, e nunca podem
chegar ao conhecimento da verdade.
Melhoramento do Ministério pessoal de cada um
Filipenses 3: 14 –
Aqui os falamos dos Obreiros prosseguir para o alvo. Rm 13: 11. Despertar do
sono. Propósito ministerial de Paulo, glorificar seu Ministério em cristo 2Tm 2:
15.
Todo Obreiro deve ser um eterno estudante da Palavra-de-DEUS. Por estas e
outras razões, a igreja local precisa sempre realizar estudos bíblicos da
doutrina do Ministério Evangélico.
Fontes bíblicas do estudo do Ministério
A-no antigo testamento: Lv –e um livro do Ministério Evangelístico Ministros,
do santuário, dos sacerdotes e Levitas. Levítico é continuado em n[úmeros, e
em parte repetido em Deuteronômio, e comentado indiretamente na epístola
dos Hebreus].
B-no AT 1Tm, 2 Tm, Tito, Hebreus (Hebreus trata do Ministério indiretamente).
O Ministério no Antigo e Novo testamento
ANo AT o Ministério era restrito à tribo de Levi (Números 3, 5, 6, 8, 10,
18).
BNo NT o Ministério no sentido geral todo crente pode servir ao Senhor.
(Más vós sois a geração eleita, sacerdócio real 1Pe 2: 9 O ide geral de Jesus a
todos em Marcos 16: 15).
Para servir ao Senhor nesse sentido geral, o homem precisa atender à sua
chamada geral: Vinde a mim Mt 11: 28. Em sentido especial o Senhor chama
alguns para o serviço do Ministério. Para servir ao Senhor em sentido especial.
Vinde após mim. Mt 4: 19. Essa chamada específica do Senhor para o
Ministério depende da sua escolha Lc 6: 13. Uma vez que uma escolha, não é
para todos. Escolher Obreiros é tarefa difícil e delicada.
Os vocábulos Ministro e o Ministério em nosso idioma
Os vocábulos, ministros e Ministério, da parte da Bíblia dá a idéia de
importância, prestígio, eminência.
Na língua no NT no sentido do ministro e Ministério: Servidor, serviço,
trabalho. O vocábulo Ministro não se refere a cargo, ocupação más á serviço e
fidelidade Mt 20: 26-28.
O vocábulo Ministro no original do NT é DIAKONOS e significa servidor,
serviço. Atos 6: 3
Mateus 22:13 Diáconos de um Rei eram servos de um palácio real. João 2:5.
Diáconos de uma festa eram servos de uma casa, serventes, domésticos, Cl 1:
23. Paulo era um Ministro do Evangelho más era chamado aqui de Diácono.
Romanos 13: 14 as autoridades em geral são chamadas aqui de Diáconos e
DEUS (sabem as autoridades disso?) Romanos 15: 8 Jesus é chamado Diácono
aqui. Ver também Isaías 42: 1 (uma profecia dele a respeito disso) 2 Co 11:
15. O diabo que procura imitar as coisas de DEUS também tem diáconos ao
seu serviço.
1Tm 3: 12 O Diácono como obreiro eclesiástico atual, na igreja local (em Atos
6: 2, 3 refere-se àqueles homens eram Diáconos da igreja local, más o termo
Diáconos não aparece no original).
Termo aplicado ao Obreiro do NT
4 termos principais são aplicados ao Obreiro no NT
A - O termo Ministro (diáconos no original) como já vimos, o termo
significa SERVO, SERVIR. Exemplos do termo aplicado a Obreiros: 1Co 3: 5
aplicado a Paulo a Apolo Ef 6: 21 aplicado a Tíquico Cl 1: 7 aplicado a Epáfras.
1Ts 3: 2 – aplicado a Timóteo.
B-o termo PRESBÍTERO (presbíteros no original) significa ancião,
pessoa madura, sábia, experiente. Exemplos de termos aplicados a Obreiros
1Pe 5: 1. Pedro um presbítero (uma classe de presbíteros) 2Jo v1 – João
apostolo um presbítero.
C-o termo BISPO – (episcopos no original) significa vigia, supervisor,
administrador At. 20: 28 – os bispos desta passagem são chamados
presbíteros no verso 17 (presbíteros refere-se à pessoa sua experiência)
(ancião refere-se à função dessa pessoa) Fl 1: 1 os bispos de Filipos 1Pe 2: 25
bispo – um título do senhor Jesus.
D-o termo pastor (poimeen – no original) significa aquele que provê,
guia, (alimenta em relação a rebanho) Ef. 4: 11 – pastor uma classe de
ministros do evangelho Hb 13: 20 pastor um título do Senhor Jesus. Pastor de
igreja mais importante é aquele que primeiramente apascenta bem o rebanho
aos seus cuidados. II O MINISTÉRIO GERAL E O LOCAL.
O MINISTÉRIO DO ANTIGO TESTAMENTO
Ne. 10: 28; Esdras 7: 24- aqui temos as várias categorias de Obreiros no A.T:
sacerdotes sumo sacerdotes e sacerdotes comuns. Lidavam como o santuário,
o altar o culto à adoração os sacrifícios.
LEVITAS-lidavam com ensino, as finanças, arrumação, limpeza, manutenção,
segurança, e auxiliavam os sacerdotes.
PORTEIROS – eram uma classe de Obreiros no A. T. 1Cr. 9: 26
CANTORES – eram uma classe dos Obreiros do A.T. 1Cr 6: 31-33. Esses
cantores apresentavam verdadeiramente música de DEUS. 1Cr. 16: 42. Esses
cantores profetizavam durante o louvor 1Cr. 25:1-3
Era um ministério tão sério o do canto e da música que a genealogia dos
cantores ra mantida para autenticidade deste ministério. 1Cr. 6: 33-48.
Três grandes maestros ficaram imortais nas páginas das escrituras: Hemo,
Asafe e Hemaâ 1Cr 15: 17.
Até mesmo Jedútum. Havia cantores e cantoras, Esdras 2: 65. Netinis eram
servidores do Templo auxiliares do levitas talvez originados dos gibeonitas
conforme Josué 9: 23-27 Sobre os Netinis ver mais em Esdras 2: 43-58 Esdras
7: 24 8:20b. O ofício sacerdotal ou ministerial no A.T. era centrado no templo
de Jerusalém com exceção dos profetas e levitas que também viajavam.
PROFETAS – proclamavam a Palavra de DEUS.
LEVITAS-ensinavam a Palavra de DEUS Ne. 8: 2,7 Cr. 17: 8,9
O MINISTÉRIO NO N.T.(2)
No antigo testamento os sacerdotes eram ungidos para o ministério Lv. 8, No
N.T. é algo mais solene ainda, pois além da unção divina, os ministros são
dons de DEUS a igreja Ef. 4:11- isto é dons em forma de homens.
No N.T. o ministério é bem delineado, definido, havendo obreiros que
pertencem ao ministério geral, e outros pertencem ao ministério local, assim
temos no N.T.
*Ministros do Evangelho – são ministros ordenados pela igreja (pastores e
evangelistas) Ef. 4: 11
*Presbíteros locais – At 15: 22 Tt. 1: 5-7 Presbíteros gerais - 1Pe 5: 1, 3Jo 1
2Jo verso 1 Diáconos Fp 1:1 1Tm 3:8, 12 e 13 At. 6: 1-6
*Auxiliares Cooperadores – Fp 4:3 Rm 16: 3. Há muitos tipos de auxiliares,
como professores da E.B.D., porteiros etc. Para os que pensam que Porteiro da
casa do Senhor é um cargo irrelevante, é bom saber que o grande Samuel
começou seu ministério como porteiros da casa do Senhor 1Sm 3: 15.
*Pastore e Evangelistas – Na época atual, a igreja convencionou por si mesma
denominar todos os ministros ora como ora como evangelistas más,
precisamos aqui encarar o assunto dos diferentes ministérios, pessoas, a luza
da doutrina bíblica do ministério, 2Ef 4: 11 13 1Co 12: 28.
O Ministério é dom e não cargo. O autentico ministério Evangelístico não é um
cargo para ser ocupado, não é uma ocupação, más um don divino para ser
exercido. Um cargo ministerial, como ser presidente de diretoria de igreja é
sufragado e temporário, já o dom ministerial é conhecido por DEUS e é
permanente o pastorado de uma congregação é um dom para ser exercido,
não um cargo para ser ocupado.
A DIGNIDADE DO MINISTÉRIO EVANGÉLICO
O termo glória em relação ao ministério repete 10 vezes em 2Co 3: 7-11. O
Obreiro do Senhor é um maior instrumento de benção para a humanidade os
títulos pelas quais a palavra de DEUS chama o Obreiro revelam dignidade.
Algum destes títulos é: Ml 2: 7 Anjo do Senhor Ap. 2: 1 Anjo da igreja Ap. 1:
16-22 - estrela na destra do Senhor 2Co 5: 20. Embaixador de Cristo. 1Co 4: 1
Ministro de Cristo Fp 1:7 defensor da fé 1Co 3: 9 Cooperador de DEUS 2Tm 3:
17 homem de DEUS.
O MINISTÉRIO EVANGÉLICO NÃO É PROFISSÃO
Ver Balaão em Números 22. O médico pode ser médico mesmo sem vocação
para a medicina, más um Obreiro sem vocação para o ministério é um
desastre em todos os sentidos.
O que faz um Obreiro ser um autêntico Obreiro é primeiramente suas
chamadas divinas, recebidas de DEUS. Preparo e cultura são indispensáveis,
más vem depois, em segundo lugar em relação à chamada divina.
O ministério não é emprego – ver o exemplo do levita de Jz 17: 6-12; 18:418. O mistério não é hereditário. Nem transferível se um pai nota que seu filho
tem vocação para o ministério, deve ter a necessária prudência de esperar até
que DEUS mostre a mesma coisa e outros servos seus e estes vejam a mesma
coisa o ministério não é cargo apenas, é algo mais, é dom de DEUS. O
ministério é pessoal e individual.
QUANTO AO PRÓPRIO MINISTÉRIO
A nossa atitude deve ser glorificar o nosso ministério Rm 11: 13 dedicarmos ao
nosso ministério Rm 12: 7. Resguardarmos o nosso ministério. 2Co 6: 3.
Cumprirmos o nosso ministério integralmente Cl 4:17 2Tm 4:5.
DEUS CHAMA PESSOAS OCUPADAS, PESSOAS QUE TRABALHAM.
Ociosos só atrapalham a Obra. Os homens a quem DEUS chamou estavam
todos ocupados, trabalhando. DAVI - trabalhava no campo com ovelhas
quando DEUS o chamou (1Sm 16:11). SAUL – procurava jumentos perdidos,
extraviados, cumprindo ordens de seu pai. (1Sm 9:3) GIDEÃO – malhava trigo
Jz 6:11, 12). ELIZEU – arava o campo (1Rs 19: 19). MATEUS trabalhava na
coletoria (Mt 9:9). MOISÉS – trabalhava no deserto (Ex 3: 1, 10). OS
PRIMEIROS APOSTOLOS – Estavam ocupados, pescando. Uns estavam
LANÇANDO REDES. Outros estavam CONSERTANDO REDES (Mt 4: 18, 21)
TRÊS COISAS BÁSICAS QUE O OBREIRO DEVE SER(3)
A- UM HOMEM DE DEUS
O Obreiro deve ser um homem de DEUS (2Tm 3: 17)
O que é um HOMEM DE DEUS neste contexto? - um homem escolhido por
DEUS; o homem certo, para um lugar certo, na hora certa. Você é este
homem de DEUS?. O homem totalmente entregue a DEUS para o seu
serviço, o homem dado por DEUS a igreja para servir a outros homens
Obs. Ver mais sobre a expressão HOMEM DE DEUS em Js 14: 6; 1Sm 6:
9,7; 1Tm 6: 11; Dt 33: 1; 2Tm 3:17
B- UM HOMEM DA PALAVRA
O Obreiro deve ser um homem da Palavra de DEUS (2Tm 2:15 - Procura
apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se
envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.). Este versículo é
texto áureo do Obreiro.
Um homem da Palavra no sentido experimental – A Palavra posta em
prática em sua vida; a Palavra vivida nele.
Um homem da Palavra no sentido Ministerial – A Palavra aplicada por ele na
doutrina, na igreja; aplicada na administração e no governo prático da
igreja.
C- UM HOMEM NO SENTIDO SOCIÁVEL
O Obreiro deve ser um homem sociável. Que se associe: que se integre
com o povo, como fez Jesus.
A base bíblica da sociabilidade do Obreiro:
Jesus enviou de dois em dois (Lc 10: 2). Melhor é serem 2, ensina a Bíblia. (Ec
4: 9)
REQUISITOS BÁSICOS
OBREIROS (4)
PARA
A
SEPARAÇÃO
E
ORDENAÇÃO
DE
Ter direção divina; ter chamada divina. Ter idoneidade (capacidade em geral)
Ter maturidade (sabedoria; não confundir sabedoria com mero conhecimento).
Ter experiência. Já trabalha no ministério. Ser exemplo para o rebanho (1Pe 5:
3). Ver a consagração dos sacerdotes e levitas em Lv Cap. 8)
A CHAMADA DIVINA
Quando DEUS chama o homem, ELE não o consulta. Ele é soberano; Ele
conhece plenamente o homem. *ARÃO foi chamado à distancia, sem saber
disso. Ele estava no Egito quando DEUS falou no deserto com Moisés.
*JONAS foi chamado independente de sua vontade. AMOS em Am 7: 14,15
vemos a descrição de sua chamada, independente da vontade dele.
TRÊS TIPOS DE CHAMADAS DE OBREIROS
A-
Chamada Divina - é DEUS quem chama, Ele o faz de modo
inconfundível.
B- Chamada humana – do tipo “vem pra cá”, um simples convite humano,
sem DEUS ter qualquer participação no caso. (claro que DEUS também
pode chamar através de uma pessoa).
Quando o próprio homem chama outro, ele só vê o lado externo do candidato.
Veja o engano de Samuel que quase ungiu Eliabe por si próprio ( quando o
homem de DEUS era Davi) (1Sm 16: 6). DEUS advertiu a Samuel, dizendolhe: “O homem vê o que está diante dos seus olhos, porém o Senhor olha para
o coração” (1Sm 16:7)
C-
A chamada própria - A pessoa que se oferece, sem DEUS ter qualquer
participação no caso.
O exemplo de Abraão e Ló. Abraão foi, de fato, chamado por DEUS (Gn 12: 1).
Ló simplesmente foi com ele, diz a Bíblia (Gn 12:4). Há Obreiro nessa
situação: apenas seguindo alguém, sem terem qualquer chamada divina
individual. Más hoje ou amanhã os tais desistirão do ministério.
BONS OBREIROS (5)
DEUS espera que sejamos bons Obreiros. (Mt 25: 15;21;23; 1Tm 4: 62
Alguns trechos de bons Obreiros
ELLIEZER – Gn 15: 2 ele era bem identificado (O MORDOMO) – o que ele fazia
– “O Damasceno” – de onde ele era – Gn 24: 4 - Eliezer foi enviado por seu
senhor. Ele não se enviou. Gn 24: 10 – 54 – Ele era um homem obediente e
pontual Gn 24: 10 ... estas entre outras qualidade de Eliezer.
DEMÉTRIO – um bom Obreiro (3 Jo 12)) Todos dão testemunho de Demétrio
(os líderes da igreja davam testemunho de Demétrio). Que Obreiro admirável.
Outros exemplos bíblicos de Obreiro admiráveis:
*Abraão –obediência Gn 22: 2, 10
*José – retidão Gn 39: 9
*Moisés – administração da casa de DEUS Hb 3: 5; Nm 12: 7)
*Josué, Daniel, Micaias, Azarias, Jeremias, João Batista, Tíquico – todos
destacavam-se pela sua fidelidade e perseverança
*Bezaleel – habilidade, criatividade
*Ebede – Meleque – benignidade e bondade
*Pedro – iniciativa
*Paulo – zelo pela obra de DEUS
*Timoteo – filantropia, altruísmo
*Tito – voluntariedade
* Epafrodito – abnegação no trabalho
*Epafras – Oração e zelo pela igreja
MAUS OBREIROS (6)
1-O assunto: Maus Obreiros não é novo; a Bíblia menciona muitos maus
Obreiros:
Jr 6: 13; 50: 6; Ez 34: 2, 10; Lm 4: 13; Mq 3: 11; Os 4: 6 Zc 11: 17; Mt 25:
25
2-Evidencias de um mau Obreiro:
a- são parasitas, preguiçosos. Ver o campo do preguiçoso como é (Pv 24: 3034)
b- são desordenados, desorganizados.
c- são mercenários.
d- são liberais na doutrina bíblica e nos bons costumes.
e- são divisionistas
f- são politiqueiros
g- são carnais
h- são mentirosos (tanto direta como indiretamente)
i- são ambiciosos
j- são briguentos, violentos, desordeiros. Ver 1Rs 4: 13 ) São rebeldes para
com DEUS, com a doutrina, com seus líderes, com sua igreja. Ver 1Rs 13: 26.
JESUS como servo de Jeová era como a “ovelha muda” que não reclamava (Is
53: 7). São infiéis nos tratos, compromissos, nas promessas. São
independentes, isolados. Para não darem satisfação de seus atos. Para não se
submeterem a ninguém. Ver o caso do Obreiro de Lucas 9: 49. São Obreiros
problemáticos. Esse Obreiro é um problema. Obreiros assim ocupam grande
parte das reuniões, tempo este que deveria ser usado com coisas mais úteis.
EXEMPLO DE MAUS OBREIROS
A-
Saul foi um bom Obreiro no principio de sua carreira. Ele começou
bem, e tinha tudo a favor para continuar. Vejamos o inicio de sua
carreira:
Ele era alto e belo (1Sm 9: 2; 10: 23). Ele tinha cabeça alta. Ele era generoso
(1Sm 9:7). Ele foi enviado por DEUS (1Sm 9: 16, 17). Ele era humilde,
modesto, simples (1Sm 9: 21; 10: 22). Ele foi por direção divina (1Sm 10: 1).
Ele foi mudado por DEUS; transformado por DEUS (1Sm 10:9). Ele foi
possuído pelo Espírito de DEUS. (1Sm 10: 10). Ele profetizou pelo Espírito de
DEUS (1Sm 10: 11-13)
A rebeldia é comparada ao pecado de feitiçaria. (1Sm 15: 23). A obediência ao
Senhor foi o teste de Saul e ele na passou na prova, a seguir ele edificou para
si uma coluna (15: 12). O monstro do orgulho da presunção. Ele desobedeceu
às ordens do Senhor. (1Sm 10: 8; 15: 22, 23)
B-
Diótrefes – (3Jo vv 9,10). Era egoísta (3Jo v 9) (procura ter entre eles
o primado). Era indelicado (3Jo v 9) (não nos recebe). Era maledicente;
falava mal dos outros (3Jo v 10). Era autoritário; dominante (3Jo v 10).
Perseguidor (v 10)
CAimaaz – (2Sm 18: 19: 23, 29). Era filho do Sacerdote Zadoque,
Aimaaz tinha nome, tinha pressa. Más Aimaaz não tinha mensagem .
Que fará um Obreiro do Senhor sem mensagem para o povo? Aimaaz é o
tipo do Obreiro separado antes do tempo, enviado antes do tempo. Que
vai se chamado; que vai sem ser chamado. Vejamos o companheiro de
Aimaaz: 1sm 18: 29. Ele não tinha nem nome, mas tinha mensagem!
(2Sm 18: 30. 31)
Outros maus Obreiro da Bíblia
* Demas, lançou mão no arado más olhou para traz (2Tm 4: 12)
* Nadabe e Abi – rebeldias. Eram filhos de Arão ((lv 10: 1)
* Coré e seu grupo de 250 homens - rebeldia (Nm 16: 1-3)
* Urias – foi o grande inovador da doutrina e dos costumes no AT
* Geazi – mercenário e interesseiro (2Rs 5: 20 ss)
* Um profeta anônimo de Judá - desobediência (1Rs 13: 1)
* Um Profeta anônimo de Betel – mentira, ciúme (1Rs 13: 18)
* Semaias – falso profeta (Ne 6: 10, 12)
* Noadias – falsa profetiza (Ne 6: 14)
OUTRAS FALSAS PROFETIZAS:
Jezabel de Tiátira – (Ap 2: 20)
Judas Iscariotes – (at 1: 25)
O levita de Juízes Cap. 17.
CAUSAS DE MAUS OBREIROS –
Não tem chamada divina, não tem direção divina, Separados para o
trabalho antes do tempo. Imaturidade espiritual crônica. Nunca se
desenvolveram. Nunca amadureceram. Nunca crescem, trabalham
som,ente com a capa dos outros. Ver 2Rs 2:13; 4: 29.Admitidos no
ministério com defeitos morais e espirituais. Ver Lv 21: 16, 17.
OBSERVAÇÕES SOBRE MAUS OBREIROS EM RELAÇÃO À IGREJA.
Não existem igrejas ruins. Existem Obreiros ruins, sempre imaturos (como
ocorre com certas pessoas no campo social), que conduzem a igreja do modo
errado. Não existe igreja sem decência e ordem, isto é, igreja desorganizada,
desordenada, sem compostura quanto ao culto, quanto à administração,
quanto a doutrina, quanto aos costumes. São os maus Obreiros que causam
estrago em tudo isto. Uma igreja não promove divisões.
Obs. É importante salientar que quando falamos de Obreiros, isto abrange uma
área muito grande dentro da igreja. OBREIRO é aquele que coopera no
desenvolvimento de uma empresa ou de uma idéia (enciclopédia bíblica –
Orlando Boyer)
No entanto, consideramos todos aqueles que exercem funções dentro da casa
de DEUS, um Obreiro. Seja ele(a) porteiro, faxineiro, diácono, presbítero, líder
de departamento, instrumentista ou até o pastor. A realidade de nossos dias é
que muitas vezes e em muitas denominações (não em todas), só são
considerados como Obreiros os que exercem funções eclesiásticas, assim como
são considerados ungidos as mesmas pessoas que exercem estes cargos
(pastor, diácono, etc).
Nossa visão, é que até o tempo da lei, somente as pessoas que recebessem a
unção com óleo eram separadas para exercem funções dentro dos Templos,
más após o derramar do Espírito Santo no dia de Pentecostes descritos em
Atos dos Apóstolos, todos os salvos passaram a ser ungidos. O Espírito Santo
foi derramado como óleo na vida dos primeiros cristãos e em nos
sucessivamente. Até a manifestação do Messias, o Espírito Santo de DEUS
apenas atuava na Terra em determinadas pessoas e após retornava, retiravase desta pessoa, pois até então este não habitava nas pessoas. Este é o
chamado PNEUMA , em que o Espírito descia, agia na pessoa ou pessoas e
depois já não estava mais dentro dele. isto se dá nos dias de hoje. Muitos
pregadores, entre eles alguns de renome, pregam que no verso 22 do capítulo
16 de 1Crônicas que diz: Não toqueis nos meus ungidos, nem maltrateis os
meus profetas. Refere-se apenas a eles, levando-os a não aceitar uma
mensagem muitas vezes de exortação de pessoas que não estão no mesmo
“nível” que eles.
Se fossemos levar os versículos desta categoria ao pé-da-letra, teríamos de
nos contentar em achar que só os que foram escolhidos para evangelizar
seriam os Apóstolos e a única nação santa seria a de Israel. Más sabemos que
isto não se aplica desta forma, senão Paulo seria “um herege”?!
Voltando ao Pneuma, após o fim deste “movimento”, todos somos cheios do
Espírito de DEUS (se tivermos comunhão com ELE obedecendo seus
mandamentos) e isto torna-nos ungidos...
* São os maus Obreiros que dividem a igreja. Ver Rm 16: 1. Uma igreja não
invade um Campo alheio, ocupado. São os maus Obreiros que fazem isso em
nome da igreja, sem consultar ninguém. Sabemos que DEUS disse: O CAMPO
É O MUNDO (Mt 13: 38), más esta também escrito na Palavra: MÁS FAÇA-SE
TUDO COM DECÊNCIA E ORDEM (1cO 14: 40)
*Não existe uma igreja inculta. São os Obreiros incapazes, incompetentes,
imaturos, sem liderança espiritual, que não cuidam dela, não existem igrejas
difíceis. Existem obreiros difíceis, enigmáticos em todos os aspectos, que
levam a igreja à toda a espécie de circunstâncias e dificuldades. Ver Jr 12: 10.
A massa não se faz a si mesma; ELA É FEITA, MANIPULA, A MASSA,
SEJA DO BOLO, SEJA DE CERÂMICA, É TRABALHADA. ELA NÃO SE FAZ A SI
MESMA.
FALSOS OBREIROS (pseu-obreiros)
Na igreja, além de haver maus obreiros, há também falsos obreiros. Isto é.
Não são obreiros autênticos, más infelizmente existem como se fossem. A
igreja tem sofrido muito com este tipo de elemento em todos os tempos; em
todos os séculos.
Referencias bíblicas sobre maus obreiro; 2Co 11: 13; 2Pe 2: 1; Jr 2: 8
CARACTERÍSTICAS DO OBREIRO (7)
Qualidades Naturais do Obreiro
Coragem (Jz 7: 3),
Diligência,
Prontidão (Ec 11: 6; Pv 21: 5)
Dignidade (1Tm 3: 7)
Discrição (Tg 1: 19) Não falar demais
Porte e asseio (Ex 19: 10) Barba, roupa, banho, unhas, cabelo, dentes, hálito,
narinas, etc.
Assiduidade e pontualidade (Jo 2: 4b)
Liderança (Mt 20: 27)
Liderança com otimismo; auto-avaliação (2Co 13: 5). Consciência das
limitações humanas.
Jesus como homem deixou-nos seu exemplo (Jo 4: 6,8; 11: 35; Mt 8: 24; 16:
21; Lc 5: 16)
Fidelidade. Digno de confiança. Isto está ligado diretamente ao caráter da
pessoas. Exemplo: Tíquico (Cl 4: 7, 8)
O estado de espírito do obreiro pode muito influir nas suas atitudes, decisões,
comunicações, atividades, postura, etc. Exemplo de estado de espírito: Estar
abatido, triste, cansado, irado, doente, deprimido, satisfeito, etc. (1Tm 5: 1,2)
Qualidades Espirituais do Obreiro
A- AMOR DIVINO EM SEU CORAÇÃO - (JO 21: 15) VER -SL
97: 10
B- SANTIDADE CONCERNENTE AOS OBREIROS: IS 52: 11; Tt
1: 8 Ex 19: 22
C- PLENITUDE DO ESPÍRITO SANTO NA VIDA; ser cheio do
Espírito Santo.
D- PACIÊNCIA - (Gl 5: 22)
E- FÉ E FIDELIDADE - (2Tm 2: 2; 1Co 4: 2) Fidelidade, inclusive
nas finanças da igreja. A igreja e o povo em geral "julga" o obreiro pelos seus
dons e dotes, más Jesus julga-nos pela nossa fidelidade e amor, como seus
servos.
F- HUMILDADE - (Jr 1: 6) O homem exaltado, DEUS o contempla
de longe! (Sl 138: 6). Humildade, inclusive quando o obreiro passa de
dirigente a dirigido
Obs. Cabe aqui uma observação que pode ser útil tanto á Obreiros, ministros
como membros de uma igreja:
Que todas as modificações feitas com obreiros, "cargos", funções, etc seja
feita mediante oração e nunca por simplesmente opinião pessoal. Nunca deixar
que o "querer pessoal" seja maior que a "lógica eclesiástica"(vinda de DEUS)
para que não sejam colocadas pessoas sem condições e ou compromisso no
lugar de pessoas separadas para aquela área só porque, a segunda pessoa é
amiga, ou tem maiores posses que a outra. É claro que esta regra não se
aplica a Pastores e Obreiros que são dirigidos pelo Espírito Santo de DEUS,
pois sabemos que assim como existem os maus, também existem os bons
obreiros que tomam suas decisões através da resposta de DEUS mediante
oração contínua.
G- ESPÍRITO PERDOADOR
H- CONHECIMENTO, SABEDORIA, E INTELIGÊNCIA ESPIRITUAIS- (Pv 3:
13; Cl 1: 9; 2: 2; Is 11: 2). Qualquer pessoa que estudar o curso da historia
humana perceberá que a humanidade está sempre crescendo em
conhecimento, e cada vez mais diminuindo em sabedoria.
I- IMATURIDADE -(Ec 10: 16; 1Tm 3:6). Sintomas de imaturidade no obreiro
(que também pode ser doença): Insegurança, dependência constante e em
quase tudo, dos outros. Irritado sempre que for contrariado. Egocentrismo,
egoísmo, vingativo, inveja e ciúmes descabidos. Facilmente influenciável por
novas doutrinas, novas revelações, e, por outras pessoas. Exaltando,
vanglória, presunção, espírito vaidoso.
J- A PRATICA DEVOCIONAL DIÁRIA - Tempo reservado para a pratica da
oração; do jejum, da leitura e estudo da Bíblia para a própria edificação
espiritual do obreiro. O preparo de sermões, mensagens, preparo de estudos
Bíblicos, etc. A vida devocional do Obreiro no passado, tínhamos menos
homens preparados, porém, mais consagrados; hoje temos mais homens
preparados, porem menos consagrados. O ideal é que tenhamos mais homens
preparados e igualmente consagrados, espirituais.
L- VISÃO ESPIRITUAL DA OBRA - e na obra de DEUS. Textos Mt 9: 36; Mc
8: 24, 25; At 26: 20.
M- DISCERNIMENTO ESPIRITUAL - Ver o caso do profeta Natã; 1Cr 17: 2 A mensagem do homem Natã para Davi. 1Crônicas 17: 3 - A mensagem
genuína de DEUS através de Natã para Davi. 1Sm 24: 4, 53.
3-A VIDA CULTURAL DO OBREIRO O Obreiro deve melhorar sempre a sua cultura geral. O seu preparo geral.
Textos Is 50: 4; Jz 12: 6; Hc 2: 2; 1Co 14: 9. O médico que não acompanha
as ultimas descobertas e avanços no campo da medicina fica desatualizado e
sua eficiência diminui. O Obreiro do Senhor que não estuda, não pesquisa, não
participa dos estudos apropriados, e não se interessa pela educação e cultura,
deixa de aprender, pára no tempo e no espaço e passa a dizer sempre as
mesmas coisas á sua congregação.
O Obreiro pode e deve melhorar a sua cultura, especialmente a sua
escolaridade; existem Obreiros que não ligam para melhorar a sua cultura
geral, e, alguns por obscurantismo, até são contrários a isso, não se dando
conta mesmo que sua congregação e o povo em geral vê tudo isso. A
linguagem escrita e falada é o veículo da comunicação da mensagem divina,
por meio do mensageiro de DEUS, portanto, precisa ser bem cuidada.
Comentário :: É interessante o que acontecem em nossos dias! As pessoas de
todas as classes sociais se esforçam pra poder cursar um estudo superior; as
vezes estudam até 10 anos pra poder ser alguém e mesmo após esta década
de estudos, ainda se submetem à cursos técnicos que lhe servem de
sobrevivência no mercado de trabalho hoje. Após tudo isto, vem a
"graduação", pós-graduação, mestrado, doutorado, e até licenciatura. Tudo
isto muitas vezes pro seu próprio ego (estamos falando de cristãos). E vemos
que muitos pastores e líderes religiosos não se interessam em explanar seus
conhecimentos. Sabemos que qualquer religião ou até mesmo seitas, exigem
um certo nível de "conhecimento" para que qualquer pessoa possa vir a ser um
líder, más isto infeliz,mente não acontece em meio aos crentes, pois vemos a
cada dia pessoas que exercem liderança cristã que não menos leram a Bíblia
toda. Cremos que todo e qualquer obreiro cristão deve ler a Bíblia
constantemente, e cremos também que para se aceitar estes obreiros, deve-se
ter conhecimento de sua leitura bíblica, de preferência que já tenha lido toda a
Bíblia e esteja constante na leitura (é certo que DEUS as vezes chama pessoas
que não concluíram sua leitura; deve-se aceitar estes obreiros deste jeito e
"educá-los" da forma citada, pois jamais teremos bons obreiros se antes não
tivermos bons líderes que ensine-os entre outras coisas a ler a Bíblia, pois
trata-se da Palavra-de-DEUS)
É certo também que de nada adianta a leitura Bíblica se esta não tiver o
acréscimo da obediência e uma vida de testemunho.
A VIDA SOCIAL DO OBREIRO (8)
A- Geralmente o obreiro tem espiritualidade, más nem todos têm sociabilidade.
Não se integram com todos, como fez Jesus durante o seu ministério.
B- O obreiro deve cuidar bem da sua apresentação pessoal
C- O obreiro não deve descuidar-se da ótica social e ministerial
D- O obreiro e sua reputação social e moral. A Bíblia diz: Irrepreensível (Tt 1:
6, 7)
A saúde do Obreiro
1- A saúde nos seus variados aspectos: Saúde física, emocional, nervosa,
mental. Ver 3Jo 3; Pv 4: 23; 17: 22
2- Há obreiros portadores de distúrbios neuropsicológicos, daí o fato de serem
problemático, autocráticos, desconfiados, se equilibrados em suas atitudes,
posicionamentos com os colegas, com a família, visionários, individualistas,
etc.
3- A nossa saúde para ser normal e equilibrada depende:
a- Do equilíbrio, da proporcionalidade e da harmonia dos nossos 3 poderes:
* INTELECTIVO * AFETIVO * VOLITIVO Disso depende a maior parte da nossa saúde.
b- fatores hereditários, congênitos. Isto inclui o nosso temperamento
c- hábitos que formamos, adquirimos e cultivamos.
d- Aquilo que Lemos, vemos, assistimos, pensamos, fazemos, comemos e
bebemos.
e- O meio ambiente em que vivemos e trabalhamos. No lar e fora dele, este
ambiente deve ter harmonia, paz, sossego, confiança, alegria. Não pode haver
hostilidade, incompreensão, ansiedade, tédio, inquietação, incerteza,
insegurança, tensão e amargura.
RECOMENDAÇÕES SOBRE A SAÚDE DE OBREIRO
a- O Obreiro precisa ter cuidado com a alimentação adequada, dormir o
suficiente, descanso suficiente, recreação, férias anuais de 30 dias em média.
b- Tensões - Os muito encargos do Ministério conduz a tensões. O obreiro
assim como o pastor deve separar um dia da semana para descanso e lazer,
uma vez que aos sábados e domingos são seus dias de maiores ocupações. Ver
Salmos 55: 5
c- A saúde e a idade são proporcionais em nossa vida. A Saúde mesmo bem
conservada, diminui ao passar dos anos. Esse regresso da saúde afeta
diretamente o físico e as funções.
OS OBREIROS E SEUS DEVERES MINISTERIAIS (9)
No desempenho é a pratica do ministério do obreiro, do mais simples ao mais
elevado. As atividades do ministério na igreja engloba cinco princípios funções
ministeriais
1- PASTOR
2- PREGADOR
5- CONSELHEIRO
3- ADMINISTRADOR
4- EDUCADOR
Tudo isto a um só tempo! Vejamos alguns deveres ministeriais do Obreiro do
Senhor.
1- A direção do culto - O obreiro como administrador de DEUS, deve ficar
atento aos tipos de oportunidades durante o culto. A dosagem correta das
diversas partes do culto, tempo visto ao tempo habitual do culto. Ver Ex 30:
34. A apresentação de pessoas no culto. Em muitas igrejas dão muita ênfase
para a "música especial" está desaparecendo o ministério da pregação da
palavra. Sim, em muitas das nossas igrejas não há mais pregação autentica da
Palavra; sermões autênticos e dinâmicos; exposição da palavra como tal. A
compostura do obreiro no púlpito, ética, ordem, postura, conversa,
deslocamentos no púlpito(referimo-nos aqui ao deslocamento em que o
pregador sai do púlpito para pegar água, falar com alguém etc.) O movimento
de crianças desacompanhadas no culto ( como harmonizar um evangelho de
poder e irreverência as mais diversas no culto? - Paradoxo!
O tão importante trabalho dos diáconos e introdutores no culto. O êxito do
culto depende também muito da congregação. Os diferentes tipos de culto e
sua direção
2- Atividades ministeriais diversas e de rotinas, como: Reunião do Ministério,
Assembléia geral de membros (culto administrativo). Batismo nas águas. Ceia
do Senhor, Casamento, Bodas, Apresentação de crianças. funeral. Culto
memorial, lançamento de pedra fundamental de templos, separação e
ordenação de obreiros, solenidades civico-religiosas, etc (VER MAIS SOBRE
CERIMÔNIAS)
3- A integração e o discipulado dos novos crentes o cuidado permanente com
isso.
4- A disciplina bíblica e cristã na igreja. O cuidado e aplicação da disciplina.
5- O aconselhamento pastoral, problemas de pessoas, orientação. Problemas
espirituais, crises, aconselhamento Pré-Marital. Aconselhamento conjugal,
aconselhamento familiar, divórcio á luz da Bíblia, o ensino bíblico da confissão
dos pecados, entre outros assuntos.
Comentário - Para que um obreiro seja um bom conselheiro, deve-se:
> primeiramente ser um homem (mulher) de oração, pois todos os conselhos
devem ser dado mediante resposta e confirmação divina; embora haja quem
não acredite em resposta divina para assuntos "corriqueiros"; sabemos que o
nosso DEUS é o mesmo ontem, hoje e será eternamente e responde as nossas
orações assim com respondera nos tempos passados.
> Segundo lugar e não menos importante, deve-se ter uma vida correta
perante DEUS e a sociedade (após sua conversão) pois seria constrangedor um
obreiro aconselhar um membro sobre um assunto com por exemplo Reverência
se ele mesmo nem sequer presta atenção no culto...
> terceiro lugar. Existem bons livros de aconselhamentos para cristão. Pode
ser uma boa fonte "consulta", embora a Bíblia seja sem dúvida a mais
completa.
6 - A promoção da Evangelização, missões, cruzadas Evangelísticas (embora
reconhecemos que não são todos os ministérios que têm costumes de realizar
ou promover cruzadas e movimentos desta espécie. Claro que erradamente.)
7- Cursos, seminários, simpósios, etc, para o preparo treinamento de novos
obreiros e leigos, para o trabalho do senhor.
8- A promoção da Escola Bíblica Dominical. Preparo de professores, espaço
físico para a escola, material didático para a escola.
9- A mocidade da igreja. A escolha dos dirigentes da mocidade. A sábia direção
e liderança da mocidade. A mobilização da mocidade para fazer o trabalho do
Senhor.
10- A doutrina do Senhor a doutrina bíblica o ensino da sã doutrina bíblica
ensino constante
As doutrinas mais chegadas ao rebanho, como fé, salvação, santificação, Dons
Espirituais, a vinda do Senhor, a plenitude do Espírito Santo, a igreja do
Senhor Jesus, batismo com o Espírito Santo, o pecado, etc.
Comentário - O Obreiro deve estar preparado para aconselhar, ensinar,
explicar e "discutir" os mais diversos temas. Sempre buscando na Palavra as
respostas precisas. Não esquecendo que o povo crente é muito curioso.
Assuntos como sexo e sexualidade, masturbação entre outros temas do
gênero, devem ser esclarecidos de forma simples e objetiva, sem demonstrar
escândalo ou timidez.
Temas como: DEUS EXISTE? - QUEM FEZ DEUS? - COMO DEUS É 1 E 3 AO
MESMO TEMPO? - O QUE DEUS COME?, O QUE É BATISMO COM O ESPÍRITO
SANTO? ETC. Tem que estar na ponta da língua do Obreiro preparado.
( todas estas perguntas tem respostas simples, o Ministério Evangelístico tem
respostas diversas para estes temas. Ao solicitar, especifique.
11- A preservação dos bons costumes e dos bons hábitos cristão.
12- Algumas observações oportunas para o obreiro. A constituição
Federal e OSPB. O Obreiro deve conhecer bem isso. Ter alta consideração por
seus líderes e dirigentes. Você terá adversários, oponentes no ministério, ameos. Ore por eles Ver Mt 5: 44; Rm 12: 19- 21. Você terá críticos no ministério
e na igreja, más lembre-se que só pode errar no trabalho aquele que trabalha.
Ninguém critica o trabalho ocioso (pois ele não faz nada!) Jesus também teve
críticos. Criticar é fácil fazer é difícil.
Comentário - O seguinte relato acontecem infelizmente em muitas igrejas nos
tempos atuais.
Infelizmente existem em nosso meio pastores ou líderes que ao verem
obreiros se sobressaindo, destacando-se devido ao seu afinco e compromisso
com a obra, simplesmente deslocam-o de suas posições ou muitas vezes
"encostam-o" por simplesmente o obreiro ser amado pelos membros e demais
da sociedade. Tal caso é real em nossos dias más inaceitável, se um obreiro é
prospero no que faz, é porque o Senhor é com ele, de nada adiantará o
afastamento deste, pois sabemos que tal ato pode prejudicar toda a igreja, seu
departamento que será liderado por outra pessoa, não prosperará e muitas
outras conseqüências drásticas poderão acontecer.
Por esta razão que insistimos em dizer que toda e qualquer ordenação e ou
afastamento de obreiros, deve ser direcionada por DEUS. (Ver mais na página
seguinte >>)
Obreiros convidados pela igreja para realizar trabalhos. Veja a quem convida"
Veja como proceder corretamente com obreiros convidados. ( transporte,
refeição, hospedagem, despesas de viagem , etc) O pastor e seus assuntos
pessoais. O pastor e a administração do Campo, a medida que a Obra cresce.
Por exemplo: setorização do campo, implantação de secretarias, etc.
Comentário - Todo e qualquer obreiro vindo de fora seja ele pra pregar,
congregar ou atuar dentro da igreja deve apresentar uma carta vindo do seu
pastor assinada por ele e pela secretária(o)
Aclamação :: Existe este tipo de aceitação no caso de igrejas que não tem o
costume de emitir cartas, más somente neste caso, mesmo assim deve-se
entrar em contato com o pastor local para tirar informações sobre os mesmos.
Nunca, nunca, nunca colocar pessoas recém-chegadas em cargos e atuações
na igreja se antes "conhecê-las. Jamais tirar obreiros já colocados em seus
ministérios para colocar músicos, diáconos, líderes e outros recém chegados
mesmo sejam eles formados em nível superior em suas atuações.
Testemunho :: Num ministério muito conhecido, numa congregação do
interior, de repente chega um casal jovem. A moça era formada em música
num instituto muito conhecido também. Esta regia o louvor duma igreja maior
de onde vira. O "regente" da igreja do interior chegou ao seu líder e disse:
-Fulano, reconheço que não tenho condições de reger este grupo. Ponha em
meu lugar esta jovem que é formada. Este líder muito sábio disse ao jovem:
- Não funciona assim. Más se você quiser eu posso orar e ver se isto provém
de DEUS. Oraram os dois e alguns dias após este casal sem mais nem menos
sumiu da igreja. O líder foi atrás e descobriu que este casal era instável na
casa e nos caminhos do Senhor deixando-se levar por pecados materiais...
O SUCESSO DO OBREIRO NO MINISTÉRIO (10)
1- O sucesso do obreiro no ministério não é algo casual, aleatório, por acaso
2- O sucesso do obreiro no ministério depende principalmente de 4 elementos.
A- ESPIRITUALIDADE - É a vida cheia do Espírito Santo, assim cultivada
através da nossa constante e crescente comunhão com DEUS.
B- EXPERIÊNCIA - vem pelo desempenho, pela prática do trabalho do Senhor
com DEUS.
C- CONHECIMENTO - vem pelo estudo, pela prática, observação, pela espera.
(más saiba que o simples conhecimento não é sabedoria) Não feche a sua
mente para receber conhecimento. Ver Lc 24: 45
D- MATURIDADE - É sabedoria pratica em nosso viver e agir. Ela vem:
1- pelo desenvolvimento e crescimento espiritual
2- pela nossa autodisciplina
3- pelo trabalho que realizamos, sozinhos e em grupo
4- pelas provações da vida e experiências diversas.
OS DIVERSOS TIPOS DE OVELHAS DO REBANHO
1 - Ovelhas e pastores. Há diferentes tipos de ovelhas em qualquer rebanho,
assim como há diversos tipos de obreiros no ministério. Cada tipo de ovelha
requer cuidado especifico da parte do obreiro.
2- A ovelha BOA este ovelha é vista em Jo 10:14,27-29. Esta ovelha não
apresenta problemas para si, nem para o obreiro. Esta ovelha apenas requer
do
seu
pastor:
*
Alimentação
*
Orientação
*
Proteção
*
Cuidado
*
Contato
* Administração
3- A ovelha PROBLEMÁTICA - (Ez 34ss) Há sete ovelhas problemáticas em má
situação.
A
A
A
A
A
A
A
ovelha
ovelha
ovelha
ovelha
ovelha
ovelha
ovelha
FRANCA
DOENTE
QUEBRADA
DESGARRADA
PERDIDA
Gorda
FORTE
CABE AO OBREIRO (PASTOR) DETERMINAR CADA TIPO DE OVELHAS E SABER
COMO AGIR COM CADA UMA DELAS DE MANEIRA SÁBIA E DIRECIONADA POR
DEUS, SEM FAZER ACEPÇÕES OU PARTIDARISMO
OBSERVAÇÕES FINAIS SOBRE OVELHAS E PASTORES.
Toda ovelha tem um pastor que foi único em sua vida. O pastor (ou outro
obreiro) que marcou, modelou aquela ovelha. Todo obreiro deve reconhecer
isso. Toda ovelha tem um tempo que a marcou. Certos obreiros tem
dificuldades ao ampliarem ou derrubarem templos velhos por causa disso.
TODO OBREIRO DEVE EVITAR FAVORITISMO NO SEU TRATAMENTO COM AS
OVELHAS. OU ENTÃO LHE TRARÁ SÉRIOS PROBLEMAS. Acompanhe as
referencias abaixo:
***1Tm 5: 21 Conjuro-te, perante Deus, e Cristo Jesus, e os anjos
eleitos, que guardes estes conselhos, sem prevenção, nada fazendo com
parcialidade
***Jó 32: 21 Não farei acepção de pessoas, nem usarei de lisonjas com o
homem.
O OBREIRO E SUA FAMÍLIA(12)
1- Geralmente o bom obreiro costuma ser bom marido, bom pai, bom dono de
casa.
21Tm
2:
3-5
mostra
a
vida
ADEUS
E
A
BC- TRABALHO DO SENHOR QUE INCLUI IGREJA
do
VIDA
obreiro:
DEUS:
ESPIRITUAL
FAMÍLIA
Em Gn 26: 25 vemos a mesma seqüência ilustrada na vida de Isaque,
seguindo
os
passos
de
seu
pai
Abraão:
*O
altar
que
fala
da
vida
com
DEUS
*A
tenda
que
fala
da
família
*O pátio que fala da sobrevivência do rebanho.
3- O obreiro tem que sabiamente administrar o seu tempo, pois além dos
encargos ministeriais, ele é chefe da família, o que significa ser ele : Marido,
pai, dono de casa, administrador financeiro e líder espiritual.
4- O obreiro que não planeja bem o seu tempo, prejudicará a assistência à sua
família, e a vivência no lar.
5- O obreiro que falhar como chefe de família, falhará também no seu
ministério. Talvez não falhe no princípio dos problemas, más falhará depois.
Desajustes conjugais afetam seriamente o ministério de qualquer obreiro.
Influi muito no sucesso ministerial do obreiro o fato dele honrar e considerar
sua esposa Ver 1Pe 3: 7. As Epístolas Pastorais (especialmente 1Tm e Tito),
tratam muito do obreiro em sua família.
6- A esposa ( em se tratando do obreiro casado). Tipos de esposas quanto ao
ministério
do
marido:
A esposa AJUDADORA, ela ajuda o marido no seu ministério de muitas
maneiras.
A esposa INDIFERENTE, esta procura ignorar, não se envolve no ministério do
seu
marido.
A esposa NEUTRA, esta conhece o ministério do seu marido, más mantém-se
afastada
do
assunto,
é
desinteressada.
A esposa tipo CRUZ, esta é uma cruz que o marido tem que carregar. Ela
interfere, intromete, perturba e por fim estraga o ministério e o nome do
marido.
PERIGOS E TENTAÇÕES DO OBREIRO (13)
Ver
1Tm
4:16;
é preciso cuidado e vigilância com a:
At
20:
28a
POPULARIDADE (1Ts 2: 6) - saiba como manusear o sucesso! A popularidade é
o engodo, a ilusão da juventude sem DEUS
BAJULAÇÃO (1Ts 2: 5) - é o servilismo, a lisonja, a adulação.
AMBIÇÃO
POR
POSIÇÃO
(3Jo
v9)
Relacionamento inconveniente com o sexo oposto (Pv 31: 1; Ne 13: 26).
Imaturidade de todas as formas ( 1Tm 3: 6; Ec 10: 16).
Más há também na maturidade 1Rs 13: 11. Rebeldia do obreiro contra DEUS
Ez
2:
8;1Rs
13:
26;
Jr
20:
7-9).
Descuido
com
a
saúde
(3Jo
V
2)
****Considerar atentamente as seguintes passagens:
Mt 24: 25-46; 25: 14; 1Co 3: 10-15; Hb 13:17; 1Pe 5: 1-4) Assim concluímos
mais uma etapa deste estudo e te aguardamos para próxima matéria
CERIMÔNIAS
NESTA PARTE ABORDAREMOS ASSUNTOS COMO:
"COMO REALIZAR CERIMÔNIAS"
normas e éticas apresentadas numa maneira simples e de fácil compreensão
de todos. Lembramos que não são apresentadas como leis más sim como
sugestões para as realizações destas.
Manual pratico do Obreiro cristão.
Antes de entrarmos em detalhes sobre este tema, gostaríamos de ressaltar
algo:
Os assuntos relacionados abaixo, podem não condizer com o estatuto de
sua igreja, por isto antes de “praticá-los”, deve-se consultar os mesmos
mediante
a
secretaria
de
sua
igreja.
B- Nesta matéria trataremos de assuntos como casamento, batismo e ouros
cerimônias. Dependendo do ministério não e permitido a realização deste
por parte de obreiros e cooperadores, exceto por Presbíteros. Quando a isto
não temos nenhum argumento, pois não debatemos costumes. Doutrinas e
estatutos más ensinamos a Palavra de DEUS.
DEUS TE ABENÇOE EM SEUS ESTUDOS.
BATISMO
Cerimônia em que se usa água e por meio da qual uma pessoa se torna
membro de uma igreja cristã. O batismo é sinal de arrependimento e perdão
{#At 2.38} e união com Cristo {#Gl 3.26-27}, tanto em sua morte como em
sua ressurreição {#Rm 6.3-5}.
O Batismo das águas é cerimônia comum nas igrejas evangélicas desde o
começo da igreja, más devemos respeitar os princípios bíblicos e
principalmente os cabíveis em nossos dias.
Requisitos para o batismo
Para o batismo o candidato deve ser assíduo nos cultos, deve ter vida “correta”
na medida do possível, pois reconhecemos que todos somos pecadores.
O candidato ao batismo não deve ser :
Dado ao álcool
Amasiado ou adultero
Demonstrar interesse em mudar de vida (pois sabemos a total mudança vem
com o tempo devido a operação do Espírito Santo embora haja casos em que
pessoas recebem a libertação e a transformação de vidas no aceitar a Cristo)
Preparação para o batismo
É certo que haja uma preparação para o batismo, esta preparação
normalmente é feita com estudos bíblicos relacionados com o assunto, más
não apenas estudos sobre o que é batismo e como será realizado é que vai
fazer do candidato um homem de DEUS, é preciso que este saiba o que é ser
crente e quais as suas responsabilidades para com DEUS, sua família e por fim
a igreja. É recomendável que ele passe por um pré-discipulado bíblico, que vai
ensiná-lo coisas úteis para o seu dia a dia. Assuntos como:
*minha vida com Cristo
*consagração pessoal
*eu um obreiro?
*Espírito Santo meu amigo... Entre outros vai ajudá-lo a reconhecer o
tamanho do passo que é o batismo.(E-postila - Discipulando).
Após o pré-discipulado iniciam-se então as aulas de preparação para o
batismo que assim como o pré-discipulado esta preparação deve ser bem
objetivo para não cansar os candidatos.
Não se deve temer perder candidatos por causa dos estudos, pois os que não
conseguirem chegar até o fim dos estudos que podem ser entre 10 a 15 aulas
em média, não estão preparado para esta decisão; é melhor batizar 1 bem
preparado e disposto a 10 movidos por impulso. A função da igreja então é
ampará-lo e acompanhá-lo em sua vida diária para não perdê-los para o
mundo e convidá-los e incentivá-los ao próximo batismo.
A CERIMÔNIA
O batismo que em algumas congregações podem ser realizadas por Obreiros e
não apenas pelo pastor, pelas referencias bíblicas (ver batismo do Eunuco em
At 8) como no batismo de Jesus entre outros, deve ser realizado por Emersão
(mergulhar de corpo inteiro) e em outras denominações por Aspersão
(espirrando ou derramando água da cabeça), método este não recomendado
por não conter respaldo bíblico.
Pode ser da seguinte maneira:
Primeiramente deve-se orar para consagrar o lugar se este não usado apenas
para este fim. (há quem diga que a água deve ser corrente, aí então a idéia de
ser em rio ou riacho, más não é desta maneira que cremos.)
O Pastor ou obreiro já dentro d’água (rio ou piscina) fala ao “público” sobre o
que é batismo, sobre os candidatos, lê ou pronuncia decoradamente (devido a
água) as palavras e ou a passagem em que João batiza Jesus ou outra do
gênero embora esta seja muito adequada; e em seguida recebe o outro
Obreiro que pode ser um Cooperador, diácono, presbítero, etc, este por sua
vez traz os candidatos vestidos de Bata (nome da roupa de batismo) até o
local de realização da cerimônia, entrega-o ao Obreiro que fala as palavras: Eu te batizo em nome da Pai do Filho e do Espírito Santo . Amém. Conforme as
condições, clima, tempo, horário, o obreiro pode acrescentar algumas palavras
e ou testemunhos além da passagem bíblica referida.
Obs, é estritamente recomendável o uso de roupas comuns sob a Bata para
não haver situações constrangedoras tanto para o homem quanto a mulher ao
contato com a água.
Após as palavras ele mergulha-o de costas até cobri-lo por inteiro segurando-o
pelas costas e com a outra mão em seu nariz para não afogá-lo. O processo de
mergulhar o irmão e trazê-lo novamente, deve durar cerca de 2 segundos em
média para não afogá-lo e mesmo porque não há necessidade de um tempo
maior que este. Após o Obreiro que trouxe o candidato agora já membro,
leva-o de volta e traz outro em seu lugar para que se repita a cerimônia
novamente.
Obs, SÓ DEPOIS DO BATISMO É QUE A PESSOA PASSA SER MEMBRO DA
IGREJA, POIS ATÉ ENTÃO ERA “VISITANTE” OU NOVO-CONVERTIDO.
SANTA CEIA
CEIA DO SENHOR
Cerimônia que Cristo instituiu na noite em que foi traído (parte espiritual, pois
a Ceia era já existente a muito tempo) , logo depois da refeição da PÁSCOA,
para servir de lembrança da sua morte {#1Co 11.23-34}. Para os católicos e
alguns evangélicos a ceia é um sacramento e um meio de graça (v.
EUCARISTIA}; para outros é um MEMORIAL (1).
A última Ceia realizada quando Jesus ainda estava conosco foi sinônimo de
traição, pois foi nesta que Judas o traiu. Más hoje a Santa Ceia é sinônimo de
alegria e reconciliação; a Ceia do Senhor é realizada em memória de Jesus até
que ele volte.
São as denominações que estipulam seus métodos para servir a Ceia, más
vale lembrar como era servida na época dos apóstolos e não apenas lembrar
más quem sabe restaurar estes “costumes” para nossos dias.
O pão na época não era o mesmo que conhecemos hoje em dia e nem o
motivo da Ceia que era uma comemoração “física” e passando a ser Espiritual
depois da ascensão de Cristo.
PREPARAÇÃO DA SANTA CEIA
A ceia deve ser preparada pelos diáconos, diaconisas, presbítero ou até um
cooperador antes de iniciar o culto.
CÁLICES - Os cálices devem ser cheios antes de consagrados.
PÃO - Ao compararmos a ceia de hoje com a de antigamente, notamos que o
pão antigamente, era mantido inteiro e cada pessoa tirava seu pedaço, pois
até então não existiam talheres como hoje, más vale lembrar que uma ceia
servida da forma original é muito mais memorial, pois deste modo, estaremos
realizando os "ritos" de Jesus passo a passo; embora não tenhamos nada
contra o uso de pão picado.
Os cálices e o pão devem estar cobertos por uma toalha durante o culto,
aguardando o momento da ministração da ceia.
UTENSÍLIOS - É recomendável que para a Santa Ceia, fosse usados utensílios
próprios para este fim, (qualquer "casa evangélica" fornece este tipo de
material, variando de modelo e de custo) salvo se por motivo financeiro se
bem que DEUS não deixar faltar nada para sua obra.
FACAS - qualquer tipo, pois as mesmas não serão vistas
CÁLICES - Algumas denominações devido ao número de membros, costumam
usar copos descartáveis do tipo dos de cafezinho. Não condenamos de forma
alguma, mesmo porque o custo de cálice de vidro é um tanto elevado e os de
plásticos não são recomendáveis para a reutilização devido a má impressão do
"publico" embora não ofereça risco algum em se tratando de higiene.
BANDEJAS - Estas deveriam ser usadas as específicas, próprias de Santa Ceia.
Devido ao crescimento do "movimento evangélico" GLÓRIAS A DEUS POR
ISTO, é muito comum encontrar materiais ótimos para este trabalho mesmo
em lojas que não sejam especificamente evangélicas. (vale lembrar é claro que
todo material colocado ao serviço de DEUS deve ser ungido e consagrado ao
Senhor antes de qualquer coisa.
A CERIMÔNIA - A seqüência da cerimônia da ceia é a seguinte: consagra-se o
suco da uva (algumas congregações costumam usar o vinho para estas
cerimônias , cada congregação julgue da maneira que achar conveniente)e o
pão, depois lê-se o trecho em 1Cor 11:23ss , dá-se graças pelo pão, repartese com todos olhando para o partir do pão quando o ministro deve dizer: "na
noite que foi traído, o Senhor Jesus, tomou o pão e dando graças o partiu e
disse: isto é meu corpo que é partido por vós"; em seguida o pão deve ser
partido em pedaços pelos auxiliares da ceia (diáconos, presbíteros) Isto a
igreja aderir o uso de pão inteiro. Caso seja usado pão em pedaços, este deve
ser servido em pedaços numa bandeja já mencionada). Antes de distribuir, o
ministro deve admoestar a todos que só podem participar desta mesa aqueles
que forem batizados em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, depois de
terem confessado Jesus Cristo como Salvador pessoal.(também há o caso de
pessoas que não estão em comunhão com DEUS e a igreja; estas pessoas não
podem participar da Sta Ceia; cada denominação tem seus métodos de
trabalhar quanto a isto, más o que vale é que não se deixe “passar batido”.
Algumas congregações comunicam os Diáconos para que estes não sirvam
estas pessoas, outras já os colocam de lado, e outras fecham os olhos e
fingem que está tudo certo. Deve-se tomar providencias quanto aos faltosos
sim, más com ordem e decência para que eles e ou a própria igreja não seja
envergonhados) Em seguida os auxiliares sairão distribuindo a ceia para a
igreja e voltarão para servir também aos ministros da mesa da ceia dizendo
"este é o corpo do Senhor Jesus que foi partido por nós";
Em seguida, o ministro deve entregar a bandeja com os cálices para que os
auxiliares façam a distribuição à igreja e aos ministros auxiliares dizendo "este
cálice é o novo testamento no sangue do Senhor Jesus". Enquanto se distribui
a ceia, pode-se cantar hinos, como sugestão o hinos 301, 39, 432 da Harpa
Cristã ou algum corinho qualquer para igrejas que não fazem uso da Harpa
Cristã más sempre algo que fale do amor de Jesus, fé perdão e se possível
sobre
Ceia.
Os elementos da ceia, não se transfiguram para corpo e sangue, mas
lembrarão a morte do Senhor Jesus até que venha.
Uma coisa que ocorre sempre nos cultos de Santa Ceia sejam eles no
primeiro sábado de cada mês ou no domingo, é o termino em horário
avançado, isto não pode acontecer, visto que torna-se algo maçante e
cansativo perdendo assim a espiritualidade. O certo é diminuir o louvor e a
Palavra para que a cerimônia da Sta Ceia seja realizada normalmente, pois
afinal de contas é renovação da aliança. De nada adiantaria louvor de uma
hora, ouvir uma palavra (muitas vezes cansativas devido ao prolongamento) e
depois na hora de lembrarmos daquele que morreu por nós, fazer corrido em
cerca de 10 minutos. Seria vão, pois muitas vezes precisamos da renovação da
aliança antes mesmo de começarmos a louvor. Por isso somos a favor da Sta
Ceia durante a Escola Bíblica Dominical, más cada igreja deve orar e pedir do
Senhor a orientação quanto a cada assunto.
Cultos de Santa Ceia geralmente são cultos em que as pessoas estão na
maioria com o coração quebrantado esperando o perdão de seus pecados e a
renovação do amor, é muito fácil "torná-lo" um culto de avivamento e de
busca
(claro
que
se
esta
for
a
vontade
de
DEUS.)
APRESENTAÇÃO
DE
CRIANÇAS
Não é de costume de todas as denominações batizar crianças pois o
costume
até
os
tempos
bíblicos
era
de
apenas
apresentar.
Não é uma cerimônia obrigatória ordenada pelo Senhor Jesus, mas feita pela
fé
a
exemplo
do
que
se
fazia
no
antigo
testamento.
Deve ser feita com todo carinho pelo ministro, chamando os pais (casal ou pai
ou mãe) Pode-se honrar também os avós, se estiverem presentes, chamandoos
a
frente
sendo
eles
crentes
ou
não
***É importante que a criança seja apresentada o mais rápido possível, de
preferência assim quando a mãe estiver em condições de se dirigir a igreja.
Deve ser lido uns trechos bíblicos, que comprove a apresentação de crianças
(Jesus, Samuel).[Lembrando que Jesus só foi batizado com cerca de 30 anos
de idade, quando criança havia sido apresentado apenas] Agradecer a Deus
pela criança, apresentar a criança a igreja e logo em seguida a Deus,
levantando-a se for possível,(preferência pelo obreiro ou pelos pais devido a
crianças que estranham) orando por ela. Depois deve-se orar pelos pais
presentes pedindo a Deus que dê força e sabedoria para que possam criar a
criança na doutrina e admoestação do Senhor. Finalmente deve-se parabenizar
os pais em nome de toda igreja...
Esta cerimônia também é um tanto curta devido as referencias bíblicas
para este assunto, a menos que queira-se alongar por determinadas
situações...
CASAMENTO
[O matrimonio foi instituído por Deus. O homem deve deixar a casa de seus
pais e unir-se a sua mulher. Os dois serão uma só carne que deveria ser
separada só pela morte de um deles.
Não deverá abençoar casais que não tenham se casado no cartório civil.
[ Não se deve abençoará casamentos em que um dos nubentes tenha sido o
causador de adultério e agora está se casando outra vez. Porque segundo a
Bíblia essa pessoa está em adultério. Pessoas que foram vítimas de adultério e
são inocentes na separação poderão se casar novamente, embora à vontade
de Deus é que o casal permaneça até que a morte os separe...Porém devido às
circunstancias
poderá
abençoar
o
casamento.
[Pessoas que estão juntas há muito tempo, tem filhos do casal, devem
regularizar sua situação cível, desde que o casal concorde em se casar no
cartório. Nos casos em que uma parte quer regularizar a situação más o outra
não quer ou não pode por motivos de força maior, então deve-se esperar pela
possibilidade. Contudo a irmã ou irmão deve ser tratado com toda normalidade
pela igreja, visto que o irmã ou irmão está com boa vontade más impedida
pelo outro lado.. Temos que esperar em Deus.
Cada caso deve ser analisado pelo ministro para não cometer injustiças ou ser
cúmplice
de
Pecados.
O casamento entre pessoas que mantiveram relações sexuais antes da noite
de núpcias é permitido, desde que os mesmos já tenham sido punidos pelo ato
que envergonhou a igreja. Hás casos em que Obreiro e ou Pastores fazem o
casamento de jovens grávidas e muitas vezes nem crentes, isto é totalmente
inaceitável. O correto é que se entreguem ao Senhor, casem-se no Cível
mantenham-se um tempo e depois casem-se na igreja.
A CERIMÔNIA
A cerimônia do casamento poderá Ter a seguinte seqüência (como sugestão):
(a) entrada do noivo acompanhado de uma senhora ou um cortejo (vários
casais que podem ser os padrinhos (testemunhas); pode Ter uma musica na
entrada, de preferência somente tocada).
b)entrada da noiva acompanhada do pai (ou um senhor convidado por ela, de
preferência
o
pai).
deveria Ter uma musica (marcha nupcial ou outra escolhida pelos noivos,
desde que seja de louvor a Deus)
c) o noivo, que já deve estar esperando a noiva, deve recepcioná-la
cumprimentando primeiramente o senhor acompanhante, depois beijar
levemente
a
noiva
no
rosto,
oferecer-lhe
o
braço
esquerdo.
Ela
deverá
permanecer
pelo
lado
esquerdo
do
noivo.
Os acompanhantes convidados (padrinhos) da noiva devem ficar no mesmo
lado dela e os acompanhantes do noivo devem ficar do lado dele.
d) inicia-se, então a cerimônia com uma oração, em seguida agradece-se a
presença dos parentes e amigos dos noivos, em seguida lê-se a certidão de
casamento por uma pessoa que tenha boa leitura, em seguida pode-se tocar
ou cantar por uma pessoa ou um pequeno grupo uma musica escolhida pelos
noivos, ou ainda ser oferecida a eles. Na seqüência, o dirigente trará uma
palavra referente ao casamento, família, vida conjugal (aquela que o Espírito
Santo der). A palavra não poderia ser longa demais para não cansar os
convidados.(deve
ser
objetiva)...
Em seguida, mais uma musica..
e) Agora vem a parte dos votos: colocam-se as alianças na palma da mão do
ministro e faz-se uma oração. No momento dos votos de fidelidade um ao
outro, os noivos devem ficar um de frente para o outro e o ministro deve
perguntar primeiramente à noiva se quer receber o (nome do noivo) como
cônjuge da seguinte forma:
(nome da noiva) quer receber voluntariamente (nome do noivo) como
esposo? Apos o SIM da noiva, a mesma deve fazer os votos de fidelidade
conjugal
com
as
seguintes
palavras:
(nome do noivo), com esta aliança, eu te recebo como meu esposo para te
honrar e respeitar durante todos os dias da minha vida, nos dias bons e
também nos dias difíceis; em seguida colocará a aliança no dedo da mão
esquerda. Repete-se o mesmo para o noivo.
Durante essa parte, poderia Ter um fundo musical...
f) em seguida vem a parte da benção em que o ministro põe as mãos sobre os
noivos que deverão estar ajoelhados de frente para o ministro. As palavras da
benção matrimonial pronunciadas pelo ministro podem ser as seguintes:
" diante dessas testemunhas e diante de Deus, eu vos declaro casados, para
viveres debaixo da benção de Deus, eu abençôo vosso lar, vossos filhos, o
fruto do vosso trabalho, o pão da vossa mesa, os vossos planos".
A benção matrimonial deve ser feita juntamente com os pais dos noivos
(mesmo que eles não sejam crentes), se isso for possível. Eles devem estender
suas mãos sobre os noivos no momento em que o ministro impor as mãos
sobre as cabeças dos noivos. Aqui é o momento da benção de Deus e dos pais
dos noivos, por isso deve ser feito de forma muito reverente. Se preferir o
ministro pode sugerir um beijo do casal como é de costume e também
esperado.
g) Após a benção matrimonial o ministro, pede para os noivos se levantarem,
cumprimenta o casal, parabeniza-os, agradece aos convidados e libera os
noivos para receber cumprimentos dos acompanhantes. Após os cumprimentos
o casal deve sair na frente do cortejo de braço dado, seguido dos demais
acompanhantes.
Pode
Ter
uma
música
para
a
saída...
Encerra-se aqui a parte cerimonial do casamento, a parte festiva (se houver)
fica a critério dos familiares.
********Lembramos sobre a gula.
VELÓRIO
O ministro deve ser o mais discreto possível. É um momento difícil para todos,
principalmente para os entes queridos. Se a pessoa falecida era crente, a
palavra pode ser de esperança de ressurreição para o falecido, caso contrário a
palavra deve ser de necessidade de receber a Jesus como salvador. Não trazer
palavra que não se coadune com a vida do falecido, só para agradar os
parentes e amigos. Nesse caso é melhor ficar calado. Nunca falar em um
velório que não for convidado a falar. Falar pouco, mas ser objetivo, usando
palavras encorajadoras. Nunca usar palavras (versículos) que falem de
ressurreição, pois pode causar certa expectativa nos presentes.
Comentário - Há casos de obreiros que comparecem a velórios más nem ao
menos cumprimentam os familiares, não se mostram reverentes e nem ao
menos tentam sentir-se entristecidos.
É do nosso conhecimento pessoas (pastores) que participaram de velórios da
seguinte forma:
O cidadão chegou numa determinada hora, não falou com o marido da
falecida, não "ligou" pra ninguém que estava ao redor, sua esposa ficou
contando piadinhas e quase arrumou confusão com a filha da senhora que
havia falecido, esta quase agrediu-a por tamanho desrespeito e depois os dois
foram embora sem dar a menor atenção aos parentes presentes.
Detalhe- A falecida era ex-membro de sua congregação, este por sua vez
poucas vezes a visitou (1 vez), mesmo em suas visitas disse coisas
impensadas que causou o afastamento do casal e seus filhos.
Hoje o viúvo freqüenta um Centro espírita...
O pai, a madrasta, e os irmãos da falecida já eram membros desta igreja.
Adivinhe a consideração que este pastor ganhou de seus membros.
ASSEMBLÉIAS OU REUNIÕES INTERNAS
O obreiro deve conter os ânimos, ser um pacificador, não ser contencioso, ser
sempre paciente, nunca ser usado para dividir, mas para somar. Não ser
parcial a qualquer lado, mas ser sempre guiado pela palavra. Nunca ouvir só
um lado, mas sempre os dois lados e depois dentro da palavra, disciplinar de
forma que a pessoa errada entenda o erro... Jamais o obreiro deve abrigar
discriminação dentro do seu coração. Deve tratar todos igualmente. As
Assembléias devem ser bem especificas para tratar os assuntos, e nelas só
devem estar as pessoas envolvidas, membros da igreja. Não se faz reunião
com pessoas não crentes ou de outros ministérios, a não ser quando for
necessário e se as pessoas vierem de boa vontade... Em todo caso, todo
cuidado é pouco... O inimigo sempre quer jogar um contra o outro e o obreiro
tem que Ter esse discernimento
PASTORES
Caro irmão leitor. Você deve ter notado que por repetidas vezes citamos casos
e comentários de pastores que infelizmente erraram; não sei se você que lê
este material neste momento é um pastor, um presbítero, ou tem chamada p/
alguns destes ou outros ministérios. Nossa intenção com esta, não é o de
apedrejar os pastores da igreja nosso Mestre; bem pelo contrário,
reconhecemos que eles são peças fundamentais no desenvolvimento da obra
de DEUS na Terra, más nossa intenção é de conscientizar a todos os pastores
que apesar deles serem homens que representam a igreja do nosso Senhor,
eles devem ter consciência de que antes de serem ordenados pastores, eles
eram, são e continuarão sendo homens assim como qualquer membro de
qualquer denominação, sujeito a erros como qualquer outra pessoa.É
fundamental que a “classe” reconheça seus erros.
MEMBROS
Aos membros, nunca ser pesados aos seus pastores pois eles vivem suas vidas
para cuidar de vocês. Sempre colaborem com eles pois DEUS colocou em suas
mãos o direito de pastorear aqui na Terra.
OBREIROS
Busquem sempre a direção divina acima de tudo. Sejam submissos aos seus
líderes, pois bem sabeis quão triste é ter uma ovelha teimosa.
ASPIRANTES A OBREIROS
Sejam diligentes em tudo, aprendendo a cada dia o amor, a fé, a palavra, a
comunhão e por ultimo e não menos importante a obediência a DEUS e ao seu
pastor.
HOMENS
Lembrem-se de que cada um de nós está sujeito ao erro, pois só erramos
quando tentamos. O importante é reconhecer com humildade o seus erro,
levantar e tentar novamente. Cada dia é uma aula e cada tombo é uma escola.
IGREJA
Tu és filha de DEUS VIVO, a noiva do cordeiro santo de DEUS, tu nasceste da
morte do filho do Homem, tu és revestida para ganhar. Em você, através da
palavra, do Espírito e do amor de DEUS está a cura para as nações. Tu és e
deve ser um bom hospital, onde os homens buscam soluções pra suas vidas e
o principal, encontram e saem curados, nos diz a Bíblia em
Mc 16:17 Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu
nome,
expelirão
demônios;
falarão
novas
línguas;
18 pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não
lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão
curados.
Colocamos abaixo algumas palavras do Pastor André Valadão, um estudo
muito interessante sobre
Igreja, uma comunidade de amor
Efésios 5.21; Atos 21.17-26
Era uma manhã fria de inverno. Os seminaristas escutavam atentamente às
palavras do professor de eclesiologia. Aquela era uma aula muito importante
para aqueles futuros pastores, teólogos e missionários. “A igreja tem sofrido
uma descaracterização”, disse o velho professor aos seus seminaristas. Muitos
alunos não entenderam a declaração do professor e lhe perguntaram: “Como
assim? O que o senhor quer dizer com isso?”. “Os cristãos” – disse o professor
– “estão cada vez menos vivendo o evangelho e cada vez mais vivendo os
ensinamentos mundanos. O amor, o respeito e a consideração pelo outro são
virtudes raras dentro da igreja. Os cristãos já não mais vivem como se
fizessem parte da mesma família. A igreja, que foi estabelecida como uma
comunidade de amor, está sofrendo uma descaracterização. Muitos a
enxergam como uma empresa que realiza atividades religiosas”.
As palavras deste velho professor são extremamente pertinentes para os dias
atuais. Nos dias de hoje, muitos cristãos enxergam a igreja meramente como
um local geográfico onde se reúnem alguma vez da semana para satisfazerem
alguma necessidade religiosa. Ela tem sido vista como um edifício de pedras,
uma entidade administrativa ou uma empresa religiosa. São poucos os que
vêem a igreja como uma comunidade de amor, onde as pessoas se importam,
ajudam e encorajam umas às outras. São poucos os que vêem a igreja como
uma família formada por irmãos e irmãs se esforçando para se tornarem,
juntos, parecidos com Cristo.
O apóstolo Paulo escreveu uma carta (praticamente toda ela) dedicada a
mostrar aos cristãos a grandeza do propósito de Deus para a igreja. Na carta
endereçada aos Efésios, Paulo trata da realidade da igreja e,
conseqüentemente, também do modo como os cristãos devem se relacionar
entre si como membros de uma comunidade de amor. Em Efésios 5.21, Paulo
escreveu: “Sujeitem-se uns aos outros, por temor a Cristo.”
Devemos renunciar as nossas vontades em favor uns dos outros.
Quando o apóstolo Paulo diz que, na igreja, devemos nos sujeitar uns aos
outros, ele não está dizendo que devemos, obrigatoriamente, fazer as
vontades ou nos submetermos uns aos outros. A idéia da palavra neste texto
não é a de um exército, em que as pessoas devem, por obrigação, fazer tudo o
que os seus superiores ordenam. Pelo contrário, a idéia trazida é de uma
família, em que os irmãos voluntariamente renunciam às suas próprias
vontades
em
favor
dos
outros.
Paulo tem em mente uma comunidade de amor, em que as pessoas, por se
amarem, desejam o melhor umas para as outras. E, por isso, elas têm a
liberdade de abrir mão das próprias vontades. Esse tipo de sujeição ao outro
marcou profundamente o ministério de Paulo. Ao invés de fazer a sua própria
vontade, Paulo buscava em todo o tempo fazer a vontade dos outros, desde
que essa vontade não atentasse contra Deus. Quando, por exemplo, Paulo
chegou em Jerusalém, ele se encontrou com os apóstolos que lhe pediram
para fazer um voto com outros quatro irmãos. Ao invés de argumentar,
dizendo que não precisava fazer voto algum e que a sua vontade era livre,
Paulo prontamente se sujeitou à vontade dos outros apóstolos e fez o voto que
eles lhe pediram (Atos 21.17-26).
Essa também deve ser a nossa atitude como crentes. Devemos, sempre que
possível, abrir mão das nossas próprias vontades em favor uns dos outros e,
conseqüentemente, em favor da comunidade de crentes, que é a igreja.
Portanto, acima da nossa vontade, deve estar o nosso amor uns pelos outros.
Devemos renunciar aos nossos direitoss em favor uns dos outros.
Paulo aborda uma questão ainda um pouco mais forte: a renúncia dos nossos
próprios direitos em favor uns dos outros. Jesus exemplificou esse princípio da
renúncia de direitos próprios em diversos momentos do seu ministério. Numa
ocasião, Ele, que era o mestre, se levantou e decidiu lavar os pés dos seus
discípulos. Aquela tarefa não deveria ser realizada por Jesus. Ele, mais do que
todos, tinha o direito de permanecer assentado, esperando que alguém viesse
lhe lavar os pés. Contudo, Ele renunciou ao seu direito de permanecer
assentado e decidiu, Ele mesmo, fazer o trabalho dos servos.
Infelizmente, muitos crentes não têm a mesma atitude de Jesus. Decidem
permanecer assentados, inflexíveis, esperando que as pessoas façam o que
eles querem. Têm grandes dificuldades de abrirem mão dos próprios direitos.
Acham que, se têm direitos, então esses direitos precisam necessariamente ser
observados e concretizados. É o que acontece, por exemplo, quando um irmão
empresta uma determinada quantia em dinheiro para outro irmão. O primeiro
tem o direito de receber a quantia que emprestou; contudo, em muitas
ocasiões, quando há demora no pagamento, o que emprestou recorre a
pressões e aos meios mais diversos para pressionar o outro a pagar. Às vezes
acontecem discussões, palavras torpes e até mesmo brigas entre eles por
causa do pagamento. A pessoa tem dificuldade de renunciar ao seu direito em
favor do outro. O dinheiro acaba se tornando mais importante do que a vida
em família – e a própria família. A igreja vai sendo descaracterizada.
Conclusão
A igreja é uma comunidade de amor, formada por homens e mulheres, salvos
pelo sangue de Jesus Cristo e adotados na família de Deus. Portanto, a
primeira característica da igreja é o amor com que as pessoas devem amar-se
mutuamente. Se o amor deixar de existir e as pessoas vierem a se tornar
egoístas, materialistas, individualistas e fechadas em si mesmas, a igreja vai
deixar de existir como tal. Ela vai sofrer uma descaracterização; vai se tornar
simplesmente uma empresa religiosa ou uma personalidade jurídica. Mas,
porque a igreja é uma comunidade de amor, devemos nos sujeitar uns aos
outros; devemos abrir mão das nossas vontades e direitos em favor uns dos
outros. Essa é a Palavra de Deus para nós. Por isso, agora mesmo, se você
estava deixando de se sujeitar aos seus irmãos, mude de atitudes e comece a
experimentar o amor de Deus na sua vida.
Pr. André Valadão
Igreja Batista da Lagoinha
Publicado por Ministério Evangelístico
www.formandobreiros.com
[email protected]
www.shekinahsp.com
Pr. Robson D. Masselli
Bel. Teologia Eclesiástica
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

Criar flashcards