Enviado por adoniranfarias

258362064-Protocolo-de-Heparina (1)

Propaganda
Tipo Documental
ProtocoloAssistencial
Título Documento
Protocolo de Heparina
Protocolo de Heparina
Objetivos
O objetivo do protocolo é fornecer um sistema seguro de heparinização por
via venosa administrado pela enfermagem através de:
o
o
o
padronização das soluções de heparinização reduzindo a
possibilidade de erro;
padronização da coleta de exames laboratoriais de controle;
agilidade e comodidade na prescrição médica.
Critérios de Inclusão
A indicação correta de heparina por via venosa está sendo caracterizada
progressivamente, havendo evidências consistentes de benefício em algumas
condições:
o
o
o
o
Angina instável;
Tromboembolismo pulmonar ;
Manipulações vasculares;
Quadros progressivos de isquemia cerebral por doença vascular.
Diretoria
Espécie
ASSISTENCIAL
DPAQSMA
Código Legado
Código do Documento
ACTIA.PT.ES.001
PT.ASS.ENFE.26.1
Versão
1
Elaborador
Revisor
Parecerista
Claudia Regina
Laselva
ENFERMAGEM
Status
Aprovado
Data Criação
Data Revisão
Aprovado por
Especialidade
26/7/01
Nelson Akamine
DOCUMENTO OFICIAL
Data Aprovação
24/8/01
Tipo Documental
ProtocoloAssistencial
Título Documento
Protocolo de Heparina
Critérios de Exclusão
Constituem- se exclusões:
o
o
o
a possibilidade de usar heparina fracionada de baixo peso
molecular por via subcutânea;
quando não existir consenso na indicação entre o médico
assistente, o médico intensivista e a enfermagem;
quando existir relato prévio de intercorrências graves com o
emprego de heparina por via venosa.
Este protocolo deverá ser interrompido sempre que se identificar:
o
o
o
o
sangramento ativo exteriorizado como: hematêmese, melena,
enterorragia, hemoptise, hematúria ou hemorragias cutâneomucosas;
queda acentuada de hematimetria sem causa identificada;
surgimento de derrame pericárdico, pleural ou peritonial;
a possibilidade de procedimentos invasivos e cirurgias.
Protocolo
O uso de heparina por via venosa ainda é comum em algumas situações
clínicas encontradas no ambiente da medicina intensiva. A heparina é uma
das drogas cujo uso encontra- se associado a uma elevada taxa de
complicações, produzindo hemorragias por doses elevadas e
Diretoria
Espécie
ASSISTENCIAL
DPAQSMA
Código Legado
Código do Documento
ACTIA.PT.ES.001
PT.ASS.ENFE.26.1
Versão
1
Elaborador
Revisor
Parecerista
Claudia Regina
Laselva
ENFERMAGEM
Status
Aprovado
Data Criação
Data Revisão
Aprovado por
Especialidade
26/7/01
Nelson Akamine
DOCUMENTO OFICIAL
Data Aprovação
24/8/01
Tipo Documental
ProtocoloAssistencial
Título Documento
Protocolo de Heparina
tromboembolismo por doses insuficientes, sendo que o controle da
administração é o fator mais decisivo de erro na heparinização.
A Rotina de Heparinização é conhecida como Esquema de Raschke,
que baseia- se em dados de experimentação clínica que visam manter
os níveis plasmáticos de heparina entre 0,35 a 0,70 unidades/ml
corrigidos para o peso corpóreo.
Devido a farmacodinâmica da heparina e pela característica clínica de
seu uso, o Esquema de Raschke preconiza o emprego de um bolus
inicial, seguido de infusão corrigida de acordo com o tempo de
tromboplastina parcial ativado.
Descrição:
o
o
o
o
bolus inicial de 80 unidades/Kg seguido de 18 unidades/hora
através de bomba de infusão;
preparar a solução de heparina com 50 unidades/ml (25.000
unidades em 500ml de soro glicosado ou fisiológico);
solicitar TTPa a cada 6 horas, espaçando- se para controles de
12 horas quando se obtiver 2 controles seguidos dentro da faixa
ideal;
ajustar a administração da heparina de acordo com a tabela
abaixo:
TTPa
Bolus
Diretoria
Interrupção
Espécie
ASSISTENCIAL
DPAQSMA
Código Legado
Código do Documento
ACTIA.PT.ES.001
PT.ASS.ENFE.26.1
Versão
1
Elaborador
Revisor
Parecerista
Claudia Regina
Laselva
Mudança na infusão
ENFERMAGEM
Status
Aprovado
Data Criação
Data Revisão
Aprovado por
Especialidade
26/7/01
Nelson Akamine
DOCUMENTO OFICIAL
Data Aprovação
24/8/01
Tipo Documental
ProtocoloAssistencial
Título Documento
Protocolo de Heparina
< 35
80u/ Kg
0
aumentar 4u/Kg/h
35- 45
40u/ Kg
0
aumentar 3u/Kg/h
45- 60
40u/ Kg
0
aumentar 2u/Kg/h
60- 85
0
0
manter a infusão
85- 110
0
0
reduzir 2u/Kg/h
> 110
0
60 minutos
reduzir 4u/kg/h
o
o
arredondar a taxa de infusão para o valor mais próximo;
na tabela que se segue estão relacionadas as mudanças na
infusão de acordo com o peso do paciente:
Mudança
50
60
70
80
90
100 110 Kg
aumentar 4u/Kg/h
+4
+5
+6
+6
+7
+8
+9
ml/h
aumentar 3u/Kg/h
+3
+4
+4
+5
+5
+6
+7
ml/h
aumentar 2u/Kg/h
+2
+2
+3
+3
+4
+4
+4
ml/h
reduzir 2u/Kg/h
-2
-2
-3
-3
-4
-4
-4
ml/h
Diretoria
Espécie
ASSISTENCIAL
DPAQSMA
Código Legado
Código do Documento
ACTIA.PT.ES.001
PT.ASS.ENFE.26.1
Versão
1
Elaborador
Revisor
Parecerista
Claudia Regina
Laselva
ENFERMAGEM
Status
Aprovado
Data Criação
Data Revisão
Aprovado por
Especialidade
26/7/01
Nelson Akamine
DOCUMENTO OFICIAL
Data Aprovação
24/8/01
Tipo Documental
ProtocoloAssistencial
Título Documento
Protocolo de Heparina
reduzir 4u/Kg/h
o
-4
-5
-6
-6
-7
-8
-9
ml/h
quando o peso do paciente tiver peso abaixo de 50Kg ou acima
de 120Kg, mantenha respectivamente o mínimo ou o máximo
permitido pela tabela.
Lista das Abreviações Usadas
Tabelas e Anexos
Para auxiliar o trabalho prático beira-leito, desenvolvemos uma panilha
(Anexo 1) que aplica os princípios do Esquema de Raschke. Foi feita apenas
uma adaptação de modo a permitir 2 tipos de diluição da heparina,
habilitando o uso do esquema quando se pretende uma restrição hídrica.
A panilha se encontra disponível para o uso na INTRANET
COMUNIDADE HIAE DEPARTAMENTAIS UTI ESQUEMA DE
HEPARINIZAÇÃO
Diretoria
Espécie
ASSISTENCIAL
DPAQSMA
Código Legado
Código do Documento
ACTIA.PT.ES.001
PT.ASS.ENFE.26.1
Versão
1
Elaborador
Revisor
Parecerista
Claudia Regina
Laselva
ENFERMAGEM
Status
Aprovado
Data Criação
Data Revisão
Aprovado por
Especialidade
26/7/01
Nelson Akamine
DOCUMENTO OFICIAL
Data Aprovação
24/8/01
Tipo Documental
ProtocoloAssistencial
Título Documento
Protocolo de Heparina
Referências Bibliográficas
(1).Gunnarsson OS, Sawyer WT, Montague D, et al : Appropriate use of
heparin. Empiric vs nomogram- based dosing. Arch Intern Med 1995 Mar
13;155(5): 526-32 School of Pharmacy, University of North Carolina at Chapel
Hill.
(2). Ann Intern med 1993 Nov 1;119(9):874-81 The weight- based
heparin dosing nomogram comparde with a "standard care" nomogram.
A randomized controlled trial. Raschke RA, Reilly BM, Guidry JR,
Fontana JR, Srinivas Sgood Samaritan Regional Medical Center,
Phoenix, Arizona.
(3). Am J Hosp Pharm 1993 Feb;50(2):279-84 Pharmacy- managed,
weight- based heparin protocol. Rivey MP, Peterson JP Department of
Pharmacy Pratice, School of Pharmacy, University of Montana,
Missoula 59812.
(4). Am J Cardiol 1998 Sep 1;82(5):574-9 Developing and testing a
system to improve the quality of heparin anticoagulation in patients with
acute cardiac syndromes. Mungall D, Lord M, Cason S, Treadwell P,
Willians D, Tedrick Department of Pharmacy, TMRMC, Tallahassee,
Florida 32308.
Diretoria
Espécie
ASSISTENCIAL
DPAQSMA
Código Legado
Código do Documento
ACTIA.PT.ES.001
PT.ASS.ENFE.26.1
Versão
1
Elaborador
Revisor
Parecerista
Claudia Regina
Laselva
ENFERMAGEM
Status
Aprovado
Data Criação
Data Revisão
Aprovado por
Especialidade
26/7/01
Nelson Akamine
DOCUMENTO OFICIAL
Data Aprovação
24/8/01
Tipo Documental
ProtocoloAssistencial
Título Documento
Protocolo de Heparina
Orientações
A indicação do emprego de heparina por via venosa é uma decisão médica.
Caso o médico assistente ou médico plantonista caracterize 1(uma) das 3
(três) condições reconhecidas de indicação, bem como a impossibilidade do
uso das heparinas fracionadas de baixo peso molecular, deverá prescrever
por extenso:
Protocolo de Heparinização
o
o
o
o
o
SF 0,9% (SG 5%)- 500ml
Heparina 5ml (25.000 u)
Administrar bolus s/n
Colher TTPA
Estando prescrita a Rotina de Heparinização, o Enfermeiro responsável
deverá escrever na Anotação de Enfermagem e na folha de controle de
heparinização (Anexo 2) : o início ou evolução da rotina; os valores de
TTPa (prévio e atual) e o horário do próximo controle de TTPa.
Na impossibilidade do uso desta rotina por qualquer motivo, uma
prescriçãoalternativa por livre escolha do médico assistente ou médico
intensivista deverá ser prescrita .
Sempre que o protocolo for interrompido, o médico assistente deverá
ser notificado.
Diretoria
Espécie
ASSISTENCIAL
DPAQSMA
Código Legado
Código do Documento
ACTIA.PT.ES.001
PT.ASS.ENFE.26.1
Versão
1
Elaborador
Revisor
Parecerista
Claudia Regina
Laselva
ENFERMAGEM
Status
Aprovado
Data Criação
Data Revisão
Aprovado por
Especialidade
26/7/01
Nelson Akamine
DOCUMENTO OFICIAL
Data Aprovação
24/8/01
Tipo Documental
ProtocoloAssistencial
Título Documento
Protocolo de Heparina
Orientações para Alta Hospitalar
Recomendações
Diretoria
Espécie
ASSISTENCIAL
DPAQSMA
Código Legado
Código do Documento
ACTIA.PT.ES.001
PT.ASS.ENFE.26.1
Versão
1
Elaborador
Revisor
Parecerista
Claudia Regina
Laselva
ENFERMAGEM
Status
Aprovado
Data Criação
Data Revisão
Aprovado por
Especialidade
26/7/01
Nelson Akamine
DOCUMENTO OFICIAL
Data Aprovação
24/8/01
Download
Random flashcards
Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

teste

2 Cartões juh16

Criar flashcards