Sociologia-1aSerie-EnsinoMedio-3aEtapa-2016

Propaganda
PROFESSOR: Bruno Drumond
BANCO DE QUESTÕES - SOCIOLOGIA - 1ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO
=============================================================================================
01"A pobreza e a desigualdade são construções sociais que se desenvolvem e consolidam a
partir de estruturas, agentes e processos que lhes dão forma histórica concreta. Os países e
regiões da América Latina moldaram, desde os tempos coloniais até nossos dias, expressões
desses fenômenos sociais que, embora apresentem as peculiaridades próprias de cada contexto
histórico e geográfico, compartilham um traço em comum: altíssimos níveis de pobreza e
desigualdade que condicionam a vida política, econômica, social e cultural. O conceito de
construção é praticamente similar ao de produção, sendo utilizado aqui para enfatizar que a
pobreza é o resultado da ação concreta de agentes e processos que atuam em contextos
estruturais históricos de longo prazo."
(Produção de pobreza e desigualdade na América Latina. Antonio David Cattani, Alberto D. Cimadamore (orgs.);
tradução: Ernani Ssó. — Porto Alegre : Tomo Editorial/Clacso, 2007, p. 07.)
 De acordo com o texto é correto afirmar:
(A)
(B)
(C)
(D)
(E)
A pobreza sempre existiu e é da natureza das sociedades organizadas que ela ocorra.
A pobreza não pode ser considerada característica presente em toda a América Latina.
A desigualdade social não condiciona a vida política, econômica, social ou cultural.
A pobreza não pode ser considerada fruto da desigualdade.
A pobreza e a desigualdade são construções sociais que se desenvolvem na história e por
isso são absolutamente reversíveis.
02- As sociedades modernas são complexas e multifacetadas. Mas, é com o capitalismo que as
divisões sociais se tornam mais desiguais e excludentes. Marx já observara que só o conflito
entre as classes pode mover a história. Assim sendo, para o referido autor, em qual das opções
se evidencia uma característica de classe social?
(A)
(B)
(C)
(D)
(E)
O status social e cultural dos indivíduos.
A função social exercida pelos indivíduos na sociedade.
A ação política dos indivíduos nas sociedades hierarquizadas.
A identidade social, cultural e coletiva.
A posição que os indivíduos ocupam nas relações de produção.
03- O Status social é o lugar ou posição, que a pessoa ocupa na estrutura social. Isso implica
direitos, deveres, prestígios e/ou privilégios, de acordo com o valor que a sociedade atribui a
cada posição ocupada pelo indivíduo. Sobre esse assunto, assinale a alternativa que indica uma
situação social em que o status é atribuído.
(A) João é filho de operário, pois seu pai é funcionário de uma fábrica têxtil.
(B) Ana Maria optou por se casar com seu ex-noivo, pois não se sentia bem com o atual
namorado.
(C) Paulo estudou e se formou técnico em mecânica, embora seus pais "desejassem" um filho
formado em medicina.
(D) Adriana é militante de um partido político da cidade onde mora, pois tem as mesmas ideias de
transformação da sociedade.
(E) Carlos conseguiu a vaga de emprego que esperava depois de aprovado na seleção.
Página 1 de 4 - 6:28 - 30/05/2017
04O Jornal do Commercio publicou, no Caderno Brasil, do dia 30 de julho de 2013, o resultado
da pesquisa sobre o Índice de Desenvolvimento Humano no país. Este considera os fatores
sociais, econômicos, políticos e culturais que influenciam na qualidade de vida da população e
se tornam importantes para refletir sobre as desigualdades sociais no país. As figuras a seguir
mostram o comportamento do IDH do Brasil e do IDH municipal de Pernambuco.
 Com base nelas e no conhecimento sobre desigualdade social no Brasil, assinale a alternativa
INCORRETA.
(A) A qualidade de vida no Brasil melhorou de acordo com IDH de 2010, embora ainda exista
uma concentração de renda em locais considerados historicamente de desenvolvimento
econômico.
(B) A educação é um aspecto importante na avaliação do IDH, e, em Pernambuco, quatro
municípios que tiveram os melhores resultados nesse item são da Região Metropolitana.
(C) Em 1991, mais de 80% dos municípios brasileiros apresentavam o IDH muito baixo. Isso
significa que todas as capitais estaduais ofereciam péssima qualidade de vida para a
população.
(D) Na Figura 1, alguns municípios da Região Norte permanecem com o IDH baixo, quando se
comparam os mapas de 1991 e 2010.
(E) A renda do brasileiro teve um aumento significativo graças às políticas públicas de trabalho
e de distribuição de renda, embora muitos municípios se mantivessem com o IDH médio,
baixo ou muito baixo.
Página 2 de 4 - 6:28 - 30/05/2017
05- Analise os fragmentos a seguir.
A sociologia, a antropologia e outras ciências humanas lançaram mão [dessa] categoria
para demonstrar e sistematizar as desigualdades socioculturais existentes entre mulheres e
homens, que repercutem na esfera da vida pública e privada de ambos os sexos, impondo a eles
papéis sociais diferenciados que foram construídos historicamente e criaram polos de dominação
e submissão. Impõe-se o poder masculino em detrimento dos direitos das mulheres,
subordinando-as às necessidades pessoais e políticas dos homens, tornando-as dependentes.
Portanto, [esse] termo pode ser entendido como um instrumento, como uma lente de
aumento que facilita a percepção das desigualdades sociais e econômicas entre mulheres e
homens, que se deve à discriminação histórica contra as mulheres. Esse instrumento oferece
possibilidades mais amplas de estudo sobre a mulher, percebendo a em sua dimensão relacional
com os homens e o poder. Como uso desse instrumento, pode-se analisar o fenômeno da
discriminação sexual e suas imbricações relativas à classe social, às questões étnico-raciais,
intergeracionais e de orientação sexual.
TELES, Maria Amélia de Almeida & MELLO, Mônica. O que é violência contra a mulher.
São Paulo: Brasiliense, 2003. p. 16-17. (adaptado)
 Fundamental para os estudos históricos na atualidade, o texto se refere ao conceito de:
(A) gênero.
(C) empoderamento.
(E) feminismo.
(B) patriarcado.
(D) matriarcado.
06Texto I
Ela acorda tarde depois de ter ido ao teatro e à dança; ela lê romances, além de desperdiçar
o tempo a olhar para a rua da sua janela ou da sua varanda; passa horas no toucador a arrumar
o seu complicado penteado; um número igual de horas praticando piano e mais outra na sua aula
de francês ou de dança.
Comentário do Padre Lopes da Gama acerca dos costumes femininos [1839] apud SILVA, T. V. Z.Mulheres, cultura e
literatura brasileira. Ipotesi — Revista dos Estudos Literários, Juiz de Fora, v. 2. n. 2, 1998.
Texto II
As janelas e portas gradeadas com treliças não eram cadeias confessas, positivas; mas eram,
pelo aspecto e pelo seu destino, grande gaiolas, onde os pais e maridos zelavam, sonegadas à
sociedade, as filhas e as esposas.
MACEDO, J.M. "Memória da Rua do Ouvidor [1878]". Disponível em: www.dominiopublico.gov.br.
Acesso em: 20 maio 2013 (adaptado).
 A representação social do feminino comum aos dois textos é o(a):
(A)
(B)
(C)
(D)
(E)
submissão de gênero, apoiada pela concepção patriarcal de família.
acesso aos produtos de beleza, decorrência da abertura dos portos.
ampliação do espaço de entretenimento, voltado às distintas classes sociais.
proteção da honra, medida pela disputa masculina em relação às damas da corte.
valorização do casamento cristão, respaldado pelos interesses vinculados à herança.
Página 3 de 4 - 6:28 - 30/05/2017
07"A legislação penal do fim do século XIX determinava: a ociosidade era considerada ‘crime’
e, como tal, punida. Reconhecida e legitimada abertamente, a prática da repressão aos
desempregados e subempregados – os pobres – ficava clara no discurso dos responsáveis pela
segurança pública e pela ordem nas cidades. O controle social dessas camadas deveria ser
realizado de forma rígida. Sidney Chalhoub afirma que os legisladores brasileiros utilizam o
termo ‘classes perigosas’ como sinônimo de ‘classes pobres’, e isso significa dizer que o fato de
ser pobre o torna automaticamente perigoso à sociedade [...]. A existência do crime, da
vagabundagem e da ociosidade justificava o discurso de exclusão e perseguição policial às
camadas pobres e despossuídas".
(PEDROSO, Regina Célia. Violência e cidadania no Brasil: 500 anos de exclusão. São Paulo: Ática, 2002. p. 24.)
O texto acima discute a configuração das classes sociais no Brasil, tomando como referência as
questões da cidadania e da violência.
 Com base no texto e nos conhecimentos sobre o tema, é correto afirmar que, no final do século
XIX, no Brasil:
(A) A ação dos poderes públicos no trato da questão social estava centrada na supressão dos
desníveis entre as classes sociais, condição básica para a emergência do Brasil
industrializado.
(B) A herança colonial da estrutura social brasileira conduzia o poder estatal a reconhecer como
legítimas as lutas das classes populares no questionamento da estrutura política oligárquica
vigente.
(C) O combate às "classes perigosas" obrigava os poderes públicos à implementação de
políticas de geração e distribuição de renda, reduzindo, assim, a influência do Partido
Comunista Brasileiro junto aos pobres.
(D) O desemprego e a criminalidade referidos às classes populares eram vistos pelos poderes
públicos, menos como questão social e mais como questão de polícia, dentro de uma
concepção restritiva de cidadania.
(E) A repressão policial restringia-se aos desempregados e subempregados, pois os
trabalhadores assalariados eram protegidos por uma legislação trabalhista que garantia, por
exemplo, aposentadoria e descanso remunerado.
Gabarito
01- (E)
02- (E)
03- (A)
04- (C)
05- (A)
06- (A)
07- (D)
MCS/1510/BANCO DE QUESTOES/SOCIOLOGIA/SOCIOLOGIA - 1a SERIE - ENSINO MEDIO - 3a ETAPA - 2016 – BRUNO DRUMOND.DOC
Página 4 de 4 - 6:28 - 30/05/2017
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

paulo

2 Cartões paulonetgbi

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

Matemática

2 Cartões Elma gomes

Criar flashcards