CONCURSO PÚBLICO - MUNICÍPIO DE INDEPENDÊNCIA

Propaganda
CONCURSO PÚBLICO - MUNICÍPIO DE INDEPENDÊNCIA
PARECER DA BANCA EXAMINADORA
CARGO: MÉDICO
QUESTÃO 29
GABARITO OFICIAL: B
Quanto à prevenção da transmissão vertical de doenças sexualmente transmissíveis (DST), assinalar a
alternativa CORRETA:
a) O diagnóstico e o tratamento adequado da AIDS materna durante a gestação previne a contaminação
do bebê.
b) O diagnóstico e o tratamento adequado da sífilis materna durante a gestação previne a sífilis
congênita.
c) O HTLV pode ser transmitido durante a gestação e no parto, mas não através da amamentação.
d) O HTLV pode ser transmitido durante a amamentação, mas não durante a gestação e no parto.
Tendo em vista que o recorrente insiste no propósito de encaminhar recurso referente ao gabarito da
questão no prazo de recurso da prova escrita, manifesta-se a Banca pela ratificação do parecer exarado
em 15/05/2012, conforme segue:
Tendo em vista o pedido de recurso impetrado, manifesta-se a Banca expondo o que segue:
Preliminarmente, será importante referenciar que o recorrente alega que as alternativas "a" e "b"
estão corretas.
Faz-se necessário salientar que a presente questão foi elaborada com base na seguinte obra:
BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. HIV/Aids, hepatites e outras DST / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica.
Analisando as duas alternativas questionadas, tem-se que:
Na primeira:
O diagnóstico e o tratamento adequado da AIDS materna durante a gestação previne a
contaminação do bebê.
Observa-se que, de acordo com a obra utilizada, conforme apresentado na página 100, a
transmissão vertical do vírus HIV, transmissor da AIDS está relacionada à:
A patogênese da transmissão vertical do HIV está relacionada a múltiplos fatores.
Dentre eles destacam-se:
a) Fatores virais, tais como a carga viral, genótipo e fenótipo viral.
b) Fatores maternos, incluindo estado clínico e imunológico, presença de DST e outras
coinfecções, e o estado nutricional materno.
c) Fatores comportamentais, como o uso de drogas e prática sexual desprotegida.
d) Fatores obstétricos, tais como a duração da ruptura das membranas amnióticas, a via de parto e
a presença de hemorragia intra-parto.
e) Fatores inerentes ao recém-nascido, tais como prematuridade e baixo peso ao nascer.
f) A prática do aleitamento materno
E ainda que:
A carga viral elevada e o tempo prolongado de ruptura das membranas amnióticas são
reconhecidas como os principais fatores associados à transmissão vertical do HIV. A carga viral
nas secreções cervicovaginais e no leite materno têm se mostrado, respectivamente, importante
determinante de risco de transmissão intra-parto e pela amamentação; bolsa rota por mais de 4
horas aumenta progressivamente a taxa de transmissão (cerca de 2% a cada hora, até 24 horas).
Há evidências de que a maioria dos casos de transmissão vertical do HIV (cerca de 65%) ocorrem
tardiamente na gestação, e principalmente durante o trabalho de parto e no parto propriamente
dito, e os 35% restantes ocorrem intra-útero principalmente nas últimas semanas de gestação. O
aleitamento materno representa risco adicional de transmissão, que se renova a cada exposição da
criança ao peito (mamada), de 7% a 22%.
Em 1994, os resultados do Paediatric Aids Clinical Trial Group (PACTG), protocolo 076,
evidenciaram pela primeira vez a possibilidade de reduzir a transmissão vertical do HIV em 67,5%,
com o uso do AZT durante a gestação, no trabalho de parto e no parto propriamente dito, e pelos
recém-nascidos por 42 dias, sendo essas crianças alimentadas exclusivamente com fórmula
infantil. A partir de então, o resultado desse estudo constituiu-se num dos mais relevantes avanços
do conhecimento sobre o HIV. Demonstrou-se nesse estudo que a taxa de transmissão foi de 8,3%
1
no grupo tratado com o AZT e de 25,5% nas crianças nascidas de mães infectadas pelo HIV que
não receberam esse tratamento (grupo sem intervenção).
Verifica-se, portanto que a alternativa está incompleta, uma vez que a simples detecção de AIDS
materna e seu tratamento adequado, embora sejam medidas importantes e preconizadas pelo
Ministério da Saúde, não são suficientes para prevenir a contaminação vertical pelo vírus da AIDS.
Na segunda:
O diagnóstico e o tratamento adequado da sífilis materna durante a gestação previne a sífilis
congênita.
Observa-se que a alternativa está correta, em conformidade com a obra utilizada, conforme
apresentado na página 76:
A sífilis é uma doença infecciosa de transmissão sexual ou materno-fetal, sistêmica, de evolução
crônica, sujeita a surtos de agudização e períodos de latência clínica de menor ou maior tempo de
duração. A prevenção da sífilis congênita pode ser feita com medidas simples, de baixo
custo e altamente eficazes, traduzidas no diagnóstico da sífilis materna e no tratamento
adequado da mãe e de seu(s) parceiro(s) sexual(is), resultando no tratamento simultâneo do
concepto. [grifo nosso]
Portanto, apenas a alternativa “b” contempla a resposta correta.
CONCLUSÃO: RATIFIQUE-SE o gabarito preliminar.
Saliente-se, ainda que o candidato mostra-se ciente da correção do argumento exposto no primeiro
parecer, em que pese o fato de que a simples detecção de AIDS materna e seu tratamento adequado,
embora sejam medidas importantes e preconizadas pelo Ministério da Saúde, não são suficientes para
prevenir a contaminação vertical pelo vírus da AIDS. Porém, afirma que essas ações são sim suficientes
para prevenir intra útero a contaminação do bebê. Não observa, entretanto, a correta interpretação da
sentença utilizada na alternativa "a":
O diagnóstico e o tratamento adequado da AIDS materna durante a gestação previne a
contaminação do bebê.
Alega, o recorrente, que prevenir é diferente de curar. Porém, não observa o fato de que a questão não
faz referência à cura e sim e à prevenção que, conforme exposto pelo próprio candidato em sua defesa,
deve ser entendida como um conjunto de ações relacionadas à gestante e ao recém-nascido.
Admite o candidato em sua defesa, que vários fatores estão relacionados à transmissão (da AIDS) e
salienta que a medida adequada para a prevenção durante o período em que o feto está intra-útero seria
o diagnóstico e tratamento adequado da mãe. Entretanto, não considera, em sua defesa, o fato de que a
alternativa "a" não faz referência à melhor medida de prevenção relacionada ao período gestacional
e sim sua efetividade em prevenir adequadamente a transmissão vertical da doença.
Observa o candidato que na página 101 da mesma obra que o diagnóstico e tratamento da AIDS se
constitui em medida preventiva muito eficaz para a redução da transmissão vertical da doença, porém,
mais uma vez, não se atém ao fato de que, em se tratando de AIDS, esta medida não deve ser
considerada de forma isolada, conforme exposto próprio candidato.
Por fim, observa-se que a sentença apresentada na alternativa "b" está correta, fato este desconsiderado
pelo candidato em sua interpretação. Portanto, considerando a existência de uma alternativa correta, e
às evidentes limitações da sentença apresentada na alternativa "a", conforme salientadas pelo próprio
candidato, deve-se considerar que apenas a alternativa “b” contempla a resposta correta.
CONCLUSÃO: RATIFIQUE-SE o gabarito preliminar.
É o parecer, S.M.J.
Porto Alegre, 15 de maio de 2012.
OBJETIVA Concursos LTDA.
2
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Criar flashcards