banco de dados

Propaganda
*SispreNatal
Sistema de Acompanhamento do Programa de Humanização no Pré-Natal
e Nascimento
Objetiva o desenvolvimento de Ações de Promoção, Prevenção e Assistência à Saúde de
Gestantes e Recém-Nascidos, empregando esforços no sentido de reduzir as altas taxas de
morbidade ou mortalidade da mãe e de seu filho, melhorando o acesso e qualidade do
acompanhamento pré-natal, da assistência ao parto e puerpério e da assistência neonatal,
repassando informações fundamentais para o planejamento, acompanhamento e avaliação das
ações desenvolvidas, para Municípios, Estados e o Ministério da Saúde.
*SISNOV
Sistema de Notificação de Violência
É um sistema informatizado e integrado de notificação de casos de violência doméstica contra
crianças e adolescentes (VDCCA) e de violência sexual, doméstica ou urbana, em qualquer
idade ou sexo (Programa Iluminar). É importante na tentativa de interromper o ciclo das
violências, através do registro de dados por meio eletrônico, gerando informações e
indicadores.
Qualquer violência contra mulheres, adolescentes e crianças deve ser transmitida ao governo,
seja os Conselhos Tutelares (no caso das crianças e adolescentes) ou outras instituições (no
caso das mulheres). É uma notificação compulsória.
Em casos emergenciais, muito graves ou que acabaram de ocorrer, tais informações devem
ser comunicados de imediato, por telefone, e posteriormente digitados no sistema.
O acesso ao sistema é restrito a profissionais cadastrados e autorizados, treinados ou
integrantes das instituições participantes da Rede de Atendimento.
*CAD-CAMP
Cadastro de usuários do SUS em Campinas
É um sistema destinado ao cadastramento de informações de condições de vida e saúde dos
usuários do SUS residentes em Campinas. É realizado em todas as Unidades de Saúde, sendo
preenchido pelos Agentes de Saúde da Família, através de trabalho com o cadastro familiar.
Tem o objetivo de cadastrar a população de Campinas, em especial a que utiliza os serviços de
saúde da rede pública do SUS. São informações de grande valia para o planejamento das
ações dos gestores do sistema de saúde, sendo usadas para melhor uso e remanejamento de
recursos para as necessidades da população, atingindo com maior exatidão a estas
necessidades.
No entanto, os dados que se encontram no Tabnet só podem ser acessados por gestores, que
possuem uma senha, afinal, tais informações são sigilosas, pois se encontram dados
referentes ao domicílio, renda familiar, escolaridade, ocupação, doenças referidas, hábitos,
número de moradores, sexo, cor, religião, água encanada, esgoto, luz, animais no domicilio,
exposição a riscos, entre outros. Sendo, por isso um banco de dados muito completo.
*SISCAM-SISCOLO- SISMAMA
Sistema de Informação do Câncer da Mulher
Sistema de Informação do Câncer de Mama
Sistema eletrônico de rastreamento que permite a avaliação rápida e regular de dados sobre o
câncer de mama.
Sistema de Informação do Câncer de Colo de Útero
Foi desenvolvido com a finalidade de identificar e acompanhar mulheres com lesão precursora
e câncer do colo do útero.
Pode ser aplicado para a padronização do Laudo de Cito/Histopatologia, identificação e
acompanhamento das mulheres com laudos alterados (Busca ativa e Seguimento), para o
gestor planejar as ações de controle e combate ao câncer do colo do útero, construção de
Indicadores. No entanto, tem alguns problemas como não estar implantado nas Referencias de
tratamento.
O sistema tem uma lógica de fácil entendimento, atende as expectativas do Programa Nacional
de Controle do Câncer do Colo do Útero, existe atualmente maior segurança nos registros
implementados. Os dados podem ser encontrados na Gerência da Atenção a Saúde da Mulher
e no site do DATASUS, em página exclusiva para o sistema;
*SV2- SINAN
Sistema de Informação de Agravos de Notificação
Tem por objetivo o registro e processamento dos dados sobre agravos de notificação em todo
o território nacional, fornecendo informações para análise do perfil da morbidade e contribuindo
para a tomada de decisões. A informação de suspeitas ou de confirmação de alguma doença
ou agravo é instrumento essencial para a tomada de decisões na vigilância epidemiológica.
É composto, principalmente, pela notificação e investigação de casos de doenças e agravos
que constam da lista nacional de doenças de notificação compulsória, mas é permitido a
estados e municípios incluir outros problemas de saúde importantes em sua região. Contribui
para a identificação da realidade epidemiológica de determinada área geográfica. É um
instrumento
importante
para
definir
prioridades
de
intervenção
*SSA2
Sistema de Informação da Atenção Básica (SIAB)
Sistema especial para gerenciamento das informações obtidas nas visitas às comunidades. Foi
desenvolvido como instrumento gerencial dos Sistemas Locais de Saúde e incorporou em sua
formulação conceitos como território, problema e responsabilidade sanitária, completamente
inserido no contexto de reorganização do SUS no país. Por meio do SIAB obtêm-se
informações sobre cadastros de famílias, condições de moradia e saneamento, situação de
saúde, produção e composição das equipes de saúde. As informações vão das UBS para
coordenadoria de informação e informática (SMS) e dela para o Ministério da Saúde
*HIPERDIA
Sistema de Cadastramento e Acompanhamento de Hipertensos e
Diabéticos
As informações são captadas em todas as unidades ambulatoriais do Sistema Único de Saúde.
O propósito do Plano é vincular os portadores desses agravos às unidades de saúde, através
do sistema de cadastramento e acompanhamento de Hipertensos e Diabéticos, garantindo-lhes
acompanhamento e tratamento sistemático, mediante ações de capacitação dos profissionais e
de reorganização dos serviços, bem como gerando informações para aquisição, dispensação e
distribuição dos medicamentos de forma regular e sistemática.
*SINASC
Sistema de Informações de Nascidos Vivos
Foi criado em 1990 com o objetivo de reunir informações epidemiológicas referentes aos
nascimentos
informados
em
todo
território
nacional.
Por meio desses registros é possível subsidiar as intervenções relacionadas à saúde da mulher
e da criança para todos os níveis do Sistema Único de Saúde (SUS), como ações de atenção à
gestante e ao recém-nascido. O acompanhamento da evolução das séries históricas do
SINASC permite a identificação de prioridades de intervenção, o que contribui para efetiva
melhoria do sistema.Os dados do sistema incluem sexo, local onde ocorreu o nascimento, tipo
de parto e peso ao nascer, entre outras.
*SIM
Sistema de Informações sobre Mortalidade
Foi criado em 1975 para a obtenção regular de dados sobre mortalidade no País. Tornou-se
possível a captação de dados sobre mortalidade, de forma abrangente e confiável, a partir das
declarações de óbito. Com base nesses dados é possível realizar análises de situação,
planejamento e avaliação das ações e programas na área. Os dados coletados são de grande
importância para a vigilância sanitária e análise epidemiológica, além de estatísticas de saúde
e demografia. Proporciona a construção dos principais indicadores de saúde.
*DIM
Dispensação Individualizada de Medicamentos
É um sistema que permite gerenciar a dispensação de medicamentos identificando de forma
única cada paciente atendido. Também possui funcionalidades como: geração automática do
livro de medicamentos controlados, rastreabilidade de lotes dispensados aos pacientes
e remanejamento de materiais entre unidades de saúde. Dispõe de facilidades na atualização
do estoque da farmácia possuindo integração com software de gerenciamento de almoxarifado
central da Secretaria de Saúde, no controle de estoque e datas de validade dos itens de
cada unidade e no bloqueio da dispensação de lotes específicos.
*SIG2M
Sistema de gestão de materiais e medicamentos
Sistema destinado a gestão e controle de estoque e distribuição de materiais e medicamentos
no almoxarifado da Secretaria Municipal da Saúde e nas unidades da mesma.
*SISVAN
Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional
É um sistema de informações que tem como objetivo principal promover informação contínua
sobre as condições nutricionais da população e os fatores que as influenciam. Encontra-se
instalado em praticamente todos os municípios brasileiros. Trata-se de uma ferramenta
informatizada, que apresenta a possibilidade de registro de informações para monitoramento
do estado nutricional da população atendida.Um dos principais objetivos corresponde à
avaliação do estado nutricional de diferentes grupos populacionais. A classificação do estado
nutricional pode ser realizada por meio de índices antropométricos.
*PRONTUÁRIO
O prontuário médico é o conjunto de documentos padronizados e ordenados, onde devem ser
registrados todos os cuidados profissionais prestados aos pacientes e que atesta o
atendimento médico a uma pessoa numa instituição de assistência médica ou num consultório
médico. É também o documento repositário do segredo médico do paciente. É constituído por:
Ficha clínica com as seções: identificação, anamnese (queixas, antecedentes, história mórbida
pregresa e história da doença atual), exame físico, hipótese(s) diagnóstica(s) e plano
terapêutico;
Exames complementares: laboratoriais, exames anatomopatológicos, exames
radiológicos, ultra-sonográficos, etc.; Folha de evolução clínica; Folha de pedido de parecer
(que também podem ser feitos na folha de prescrição e respondidos na de evolução clínica);
Folha de prescrição médica, que no prontuário em uso está logo após o quadro TPR
(temperatura, pulso, respiração), podendo conter relatório de enfermagem ou este ser feito em
folha separada,
Quadro TPR ( temperatura - pulso - respiração) é a primeira folha do
prontuário quando em uso, e Resumo de alta / óbito.
Este modelo serve tanto para os serviços de urgência/emergência, como para os ambulatoriais
e para as internações. No primeiro caso pode ser resumido tudo em uma folha (frente e verso),
e mais os anexos (exames complementares, etc.). O preenchimento do prontuário médico é
obrigação e responsabilidade intransferíveis do médico, fazendo-se exceção aos hospitais de
ensino, onde alunos de medicina o fazem sob supervisão, correção e responsabilidade de
médicos, sejam professores de medicina ou do staff do hospital de ensino. É direito de todo
paciente ou seu responsável legal, por si ou por advogado constituído, obter cópia integral de
seu prontuário médico (hospitalar ou de consultório) a qual deve ser cedida.
'O prontuário médico é constituído de um conjunto de documentos padronizados, contendo
informações geradas a partir de fatos, acontecimentos e situações sobre a saúde do paciente e
a assistência prestada a ele, de caráter legal, sigiloso e científico, que possibilita a
comunicação entre membros da equipe multiprofissional e a continuidade da assistência
prestada ao indivíduo. As anotações no prontuário ou ficha clínica devem ser feitas de forma
legível, permitindo, inclusive, identificar os profissionais de saúde envolvidos no cuidado do
paciente. O médico está obrigado a assinar e carimbar ou, então, assinar, escrever seu nome
legível e sua respectiva inscrição no Conselho Regional de Medicina (CRM). É importante
enfatizar que não há lei que obrigue o uso do carimbo. Nesse caso, o nome do médico e seu
respectivo CRM devem estar legíveis.
O que não deve ser feito: 1. Escrever à lápis;2. Usar líquido corretor, conhecido como
"branquinho";3. Deixar folhas em branco; 4. Fazer anotações que não se referem ao paciente
Tempo de arquivamento: Todos os documentos originais que compõem o prontuário devem ser
guardados pelo prazo mínimo de 10 (dez) anos, a fluir da data do último registro de
atendimento da paciente. Ao final desse tempo, o prontuário pode ser substituído por métodos
de registro capazes de assegurar a restauração plena das informações nele contidas
(microfilmagem, por exemplo) e os originais poderão ser destruídos.
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

teste

2 Cartões juh16

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards