Estudo sobre as possíveis causas da Economia Informal e

Propaganda
Estudo sobre as possíveis causas da Economia Informal e subterrânea.
(1)
Cárita Alexandrina de Freitas Apolinário, (2) Flávia Pacheco, (3) Bruna Rodrigues
(4)
Márcia Azanha Ferraz Dias de Moraes.
(1) Graduanda em Gestão Ambiental– Universidade de São Paulo; (2) Graduanda em Gestão Ambiental –
Universidade de São Paulo; (3) Graduanda de Engenharia Agronômica – Universidade de São Paulo; (4)
Professora Titular Drª. do Departamento de Economia, Administração e Sociologia da ESALQ/USP
Objetivos
subterrânea no PIB brasileiro, de 2003 a 2010.
Observa-se que houve uma queda de 2,7% .
A economia informal não tem
uma
conceituação universal. (KREIN e PRONI,
2010). Diante do atual cenário da Economia
Informal e da subterrânea e a importância
deste tema, este trabalho visa identificar as
possíveis causas da informalidade e verificar a
participação na economia nacional.
Metodologia e Revisão de Literatura
Os dados foram obtidos através de um
levantamento bibliográfico a respeito do tema
abordado. As definições variam conforme cada
autor, há os que pensam que é algo negativo,
visto que seria um “retrocesso” da economia de
um país, e os de ponto de vista positivo, em
que a economia informal representa um setor
que gera um crescimento e desenvolvimento
da economia do país, pois absorve o excedente
do mercado de trabalho formal, diminuindo o
desemprego e dando melhores condições de
vida a esta parcela da população. A Economia
Informal tem como ideia principal o não
cumprimento com os deveres tributários. Esse
fenômeno se acentua devido ao alto valor dos
tributos nacionais (KREIN e PRONI, 2010).
Dentre as causas da economia informal,
destacam-se o crescimento da carga tributária;
o aumento da regulação da economia formal;
desemprego
e
inflação.
A
economia
subterrânea engloba a economia informal e
todas as atividades ilícitas que também
movimentam capital. O crescimento do PIB, a
elevação do número de pessoas formalizadas
no mercado de trabalho e a expansão do
crédito reduzem a economia subterrânea.
(IBRE-FGV, 2010). A Figura 1 mostra a
participação
da
economia
informal
e
Considerações finais
O setor informal movimenta parcela relevante
da economia sem recolher tributos. Por isso, o
governo faz incentivos à formalização das
empresas e do emprego, pois, desta maneira,
os empreendedores podem obter seus
benefícios e também contribuem com os
tributos nacionais, além de melhorar a
qualidade do emprego, visto que os
trabalhadores passam a ter os direitos
estabelecidos na legislação. Através desses
incentivos, a participação da economia informal
apresenta uma gradual diminuição nos anos
recentes, e os reflexos da formalização são
observados
no
crescimento
econômico
nacional e nas melhores condições de trabalho.
Referências Bibliográficas
KREIN, J PRONIM. Economia informal: aspectos
conceituais e teóricos. Escritório da Organização
internacional do trabalho, OIT, 2010. RIBEIRO,
Roberto
Name.
Causas,
Efeitos
e
Comportamento da Economia Informal no Brasil UNB – Dezembro. IBRE-FGV, 2010. Economia
Subterrânea representa 18,3% do PIB.
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

paulo

2 Cartões paulonetgbi

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

Criar flashcards