Filosofia Medieval (Querela dos Universais, Santo

Propaganda
LISTA DE EXERCÍCIOS – FILOSOFIA
01-)
De acordo com o texto sobre Tomás de Aquino, assinale a alternativa correta.
“Santo Tomás representa o apogeu da escolástica medieval, na medida em que conseguiu
estabelecer o equilíbrio perfeito entre a fé e a razão, a teologia e a filosofia, distinguindo-as
mas não separando-as necessariamente. Ambas, com efeito, podem tratar do mesmo objeto,
por exemplo, Deus. Contudo, a filosofia utiliza tão somente as luzes da razão natural,
enquanto a Teologia se vale da razão divina, manifestada na Revelação (a Bíblia)”.
COSTA, José Silveira da. A filosofia cristã. Rezende, Antônio (org.)
Curso de Filosofia. Rio de Janeiro: Zahar/SEAF, 1986. p. 81.
A) Para Tomás de Aquino, Deus pode ser objeto de estudo na Filosofia.
B) Segundo o texto, não houve filosofia na Idade Média, apenas Teologia.
C) Não é possível estabelecer um equilíbrio entre fé e razão, este é o pensamento de Tomás de
Aquino sobre o uso da razão na Teologia.
D) A Teologia, na escolástica medieval, era uma disciplina que procurava conhecer
2-)
A Patrística é o primeiro momento da filosofia cristã. Sobre esta tendência filosófica, leia as
seguintes afirmativas:
I. a Patrística é um movimento de pensadores cristãos que procura justificar teórica e
filosoficamente a concepção de vida e de mundo depreendida da Bíblia.
II. Boécio não é considerado um pensador da Patrística.
III. Plotino é um pensador considerado como participante da Patrística.
IV. a Patrística sempre rejeitou a filosofia greco-romana em seu todo.
V. Santo Agostinho é considerado o maior pensador da Patrística latina.
VI. um dos temas fundamentais da Patrística é a discussão do sentido da Santíssima
Trindade.
Assinale a alternativa CORRETA.
A( ) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
B( ) Somente as afirmativas I, II, V e VI são corretas.
C( ) Somente as afirmativas III, V e VI são corretas.
D( ) Somente as afirmativas I, V e VI são corretas.
E( ) Somente as afirmativas II, V e VI são corretas.
3-)
Assinale a alternativa que responde CORRETAMENTE à pergunta abaixo.
Sabemos das lutas de Santo Agostinho contra as heresias, especialmente no que tange às suas
interpretações do sentido histórico da religião cristã. Uma destas heresias foi o Pelagianismo.
Segundo Santo Agostinho, em que consiste o erro a que essa heresia conduz?
A( ) Todos os seres humanos são hereges.
B( ) Se não há pecado original, então tampouco pode haver a missão salvadora de Jesus Cristo.
C( ) O ser humano é mau por natureza, não por escolha.
D( ) Deus, ao criar o ser humano, também criou o mal.
E( ) Não há como superar o mal.
04-)
Essa filosofia introduziu idéias desconhecidas para os filósofos greco-romanos. Com a
criação do mundo, pecado original, Deus como trindade una, encarnação e morte de Deus,
juízo final ou fim dos tempos e a ressurreição dos mortos. Teve também, que explicar
porque o mal existe no mundo já que este foi criado por Deus que é só bondade e amor.
Trata-se da Filosofia:
A) Gregoriana;
B) Patrística;
C) Medieval;
D) Helenística;
E) Renascentista.
05-)
No contexto de dissolução do império romano e ascensão de um novo período histórico,
feudalismo, encontra-se a filosofia patrística, que tem na pessoa de Santo Agostinho (Aurelius
Augustinus) sua expressão máxima.
Acerca da filosofia agostiniana, podemos dizer:
I. Agostinho investigou a noção de tempo, revelando pouca penetração analítica. O tempo é
por ele pensado como cindido em relação à estrutura fundamental do próprio mundo.
II. A teoria da graça e da predestinação se constitui como o cerne da antropologia
agostiniana. A dualidade dos eleitos e dos condenados é a estrutura explicativa da história,
exposta na Cidade de Deus.
III. O cerne da antropologia agostiniana concentra-se no entendimento de que o homem não
é o réprobo miserável, condenado à danação eterna e irrecuperável pela graça divina.
IV. A Cidade de Deus apresenta o dualismo platônico entre corpo e alma, espírito e matéria,
bem e mal, ser e não-ser, sintetizando aspectos poucos essenciais do pensamento de
Agostinho.
Está(ão) correta(s) a(s) assertiva(s):
a. I.
b. II.
c. III.
d. IV.
e. todas.
06-) Assinale a alternativa que responde CORRETAMENTE à pergunta abaixo.
Segundo Santo Agostinho, através de qual procedimento podemos descobrir a verdade?
A( ) Pela experiência empírica.
B( ) Pelo diálogo ecumênico.
C( ) Pela iluminação interior.
D( ) Pela ação do Demiurgo.
E( ) Pela dedução transcendental das categorias.
7-)
A grande contribuição de Tomás de Aquino para a vida intelectual foi a de valorizar a
inteligência humana e sua capacidade de alcançar a verdade por meio da razão natural,
inclusive a respeito de certas questões da religião.
Discorrendo sobre a “possibilidade de descobrir a verdade divina”, ele diz que há duas
modalidades de verdade acerca de Deus. A primeira refere-se a verdades da revelação que a
razão humana não consegue alcançar, por exemplo, entender como é possível Deus ser uno e
trino. A segunda modalidade é composta de verdades que a razão pode atingir, por exemplo,
que Deus existe.
A partir dessa citação, indique a afirmativa que melhor expressa o pensamento de Tomás de
Aquino.
a) A fé é o único meio do ser humano chegar à verdade.
b) O ser humano só alcança o conhecimento graças à revelação da verdade que Deus lhe concede.
c) Mesmo limitada, a razão humana é capaz de alcançar certas verdades por seus meios naturais.
d) A Filosofia é capaz de alcançar todas as verdades acerca de Deus.
e) Deus é um ser absolutamente misterioso e o ser humano nada pode conhecer d’Ele.
08-) Segundo Santo Tomás de Aquino, há cinco vias que mostram a existência de Deus.
Assinale qual das alternativas descreve CORRETAMENTE estas cinco vias.
A( ) Os argumentos: do primeiro motor; sobre a primeira causa eficiente; sobre o existente
necessário; sobre os graus do ser; sobre o fim supremo de todas as coisas.
B( ) Os argumentos: da iluminação interior; sobre a primeira causa eficiente; sobre o primeiro
motor; sobre o fim supremo de todas as coisas; sobre os graus do ser.
C( ) Os argumentos: sobre a iluminação interior; sobre a dialética da Ideia do Bem; sobre a
causalidade necessária; sobre a hierarquia dos seres; sobre a eternidade.
D( ) Os argumentos: sobre a hierarquia dos seres; sobre a iluminação interior; sobre a dialética da
Ideia de Bem; sobre o primeiro motor; sobre a ideia inata de Deus.
E( ) Os argumentos: sobre a Ideia transcendental de Deus; sobre a causalidade necessária; sobre a
eternidade; sobre a iluminação interior; sobre o fim supremo de todas as coisas.
9-)
TEXTO I
Anaxímenes de Mileto disse que o ar é o elemento originário de tudo o que existe, existiu e existirá, e que
outras coisas provêm de sua descendência. Quando o ar se dilata, transforma-se em fogo, ao passo que os
ventos são ar condensado. As nuvens formam-se a partir do ar por feltragem e, ainda mais condensadas,
transformam-se em água. A água, quando mais condensada, transforma-se em terra, e quando
condensada ao máximo possível, transforma-se em pedras.
BURNET, J. A aurora da filosofia grega. Rio de Janeiro: PUC-Rio, 2006 (adaptado).
TEXTO II
Basílio Magno, filósofo medieval, escreveu: “Deus, como criador de todas as coisas, está no
princípio do mundo e dos tempos. Quão parcas de conteúdo se nos apresentam, em face
desta concepção, as especulações contraditórias dos filósofos, para os quais o mundo se
origina, ou de algum dos quatro elementos, como ensinam os Jônios, ou dos átomos, como
julga Demócrito. Na verdade, dão a impressão de quererem ancorar o mundo numa teia de
aranha”.
GILSON, E.; BOEHNER, P. História da Filosofia Cristã. São Paulo: Vozes, 1991
(adaptado).
Filósofos dos diversos tempos históricos desenvolveram teses para explicar a origem do
universo, a partir de uma explicação racional. As teses de Anaxímenes, filósofo grego antigo, e
de Basílio, filósofo medieval, têm em comum na sua fundamentação teorias que
a) eram baseadas nas ciências da natureza.
b) refutavam as teorias de filósofos da religião.
c) tinham origem nos mitos das civilizações antigas.
d) postulavam um princípio originário para o mundo.
e) defendiam que Deus é o princípio de todas as coisas.
10-)
Um texto de um filósofo anônimo da Idade Média apresenta de modo claro um problema
central para a
filosofia e a ciência do seu tempo. Ele afirma: “Boécio divide em três as partes da ciência
especulativa: natural, matemática e teológica. Da mesma forma, o Filósofo [isto é, Aristóteles]
divide-a em natural, matemática e metafísica. Assim, isto que Boécio chama teologia, o
Filósofo chama metafísica. Elas são, portanto, idênticas. Mas a metafísica não é acerca de
Cristo. Logo, a teologia também não o é” (Quaestio de divina scientia. In: FIGUEIREDO, V.
Filósofos na sala de aula. Vol. 3. São Paulo: Berlendis & Vertecchia, 2008, p. 68).
A partir do trecho citado, assinale a(s) alternativa(s) correta(s).
01) A teologia apresenta-se na Idade Média como a
ciência principal.
02) A teologia é objeto da filosofia de Aristóteles, apesar
de ela não ter esse nome para ele.
04) A teologia é uma ciência que não diz respeito à
investigação da natureza de Cristo.
08) A teologia é, para esses filósofos, tão científica
quanto a matemática.
16) A teologia e a metafísica são conhecimentos
adquiridos por meio da ciência especulativa
Soma:
11-)
Sobre a relação entre filosofia, Igreja e Estado na Idade Média, assinale o que for correto.
01) Na Idade Média, os mosteiros representam uma importante fonte do saber. Nesses locais, a
cultura greco-latina manteve-se preservada, graças à atividade dos copistas e à conservação dos
manuscritos dos autores clássicos.
02) Na Alta Idade Média, a Igreja começou a libertar-se da dominação política do Império
Carolíngio e iniciou-se um período de supremacia do poder espiritual sobre o poder político.
04) Boécio (séc. VI) propõe a reabertura aos temas clássicos através de uma corrente espiritual e
gnóstica denominada “nova sofística”, apresentada em sua obra máxima, a Suma Teológica.
08) Por ser um período de obscuridade, a filosofia medieval não se dedicou aos grandes temas da
filosofia, como a questão do conhecimento, o papel
da linguagem e a teleologia da práxis humana, que aparecem depois, com a modernidade.
16) O relacionamento entre a Igreja e o Estado começou no fim do Império Romano, quando o
cristianismo foi transformado em religião oficial do Estado. Enquanto o paganismo perdia sua
posição de religião oficial, o cristianismo era protegido pelo Império, o que permitiu sua difusão
Soma:
12-)
(Uff 2011) Na Idade Média, se considerava que o ser humano podia alcançar a verdade por
meio da fé e também por meio da razão. Ao mesmo tempo, o poder religioso (Igreja) e o poder
secular (Estado) mantinham relacionamento político tenso e difícil. O filósofo Tomás de
Aquino desenvolveu uma concepção destinada a conciliar FÉ e RAZÃO, bem como IGREJA
e ESTADO.
De acordo com as ideias desse filósofo,
a) o Estado deve subordinar-se à Igreja.
b) a Igreja e o Estado são mutuamente incompatíveis.
c) a Igreja e o Estado devem fundir-se numa só entidade.
d) a Igreja e o Estado são, em certa medida, conciliáveis.
e) a Igreja deve subordinar-se ao Estado.
13-)
A filosofia de Agostinho (354 – 430) é estreitamente devedora do platonismo cristão milanês:
foi nas traduções de Mário Vitorino que leu os textos de Plotino e de Porfírio, cujo
espiritualismo devia aproximá-lo do cristianismo. Ouvindo sermões de Ambrósio,
influenciados por Plotino, que Agostinho venceu suas últimas resistências (de tornar-se
cristão). PEPIN, Jean. Santo Agostinho e a patrística ocidental. In: CHÂTELET, François
(org.) A Filosofia medieval. Rio de Janeiro Zahar Editores: 1983, p. 77.
Apesar de ter sido influenciado pela filosofia de Platão, por meio dos escritos de Plotino, o
pensamento de Agostinho apresenta muitas diferenças se comparado ao pensamento de
Platão. Assinale a alternativa que apresenta, corretamente, uma dessas diferenças.
A) Para Agostinho, é possível ao ser humano obter o conhecimento verdadeiro, enquanto, para
Platão, a verdade a
respeito do mundo é inacessível ao ser humano.
B) Para Platão, a verdadeira realidade encontra-se no mundo das Ideias, enquanto para Agostinho
não existe nenhuma
realidade além do mundo natural em que vivemos.
C) Para Agostinho, a alma é imortal, enquanto para Platão a alma não é imortal, já que é apenas a
forma do corpo.
D) Para Platão, o conhecimento é, na verdade, reminiscência, a alma reconhece as Ideias que ela
contemplou antes de nascer; Agostinho diz que o conhecimento é resultado da Iluminação divina, a
centelha de Deus que existe em cada um
14-)
Para responder a questão, leia o seguinte texto.
O universal é o conceito, a ideia, a essência comum a todas as coisas (por exemplo, o conceito
de ser humano). Em outras palavras, pergunta-se se os gêneros e as espécies têm existência
separada dos objetos sensíveis: as espécies (por exemplo, o cão) ou os gêneros (por exemplo,
o animal) teriam existência real? Ou seriam apenas ideias na mente ou apenas palavras?
(ARANHA, M. L. A. & MARTINS, M. H. Filosofando. 3ª edição. São Paulo: Moderna, 2003,
p. 126.)
A resposta correta à pergunta formulada no texto acima, sobre os universais, é:
A) Segundo os nominalistas, as espécies e gêneros universais são meras palavras que expressam um
conteúdo mental,
sem existência real.
B) Segundo os nominalistas, os universais são conceitos, mas têm fundamento na realidade das
coisas.
C) Segundo os nominalistas, os universais (gêneros e espécies) são entidades realmente existentes
no mundo das
Ideias, sendo as coisas deste mundo meras cópias destas Ideias.
D) Segundo os nominalistas, os gêneros e as espécies universais existem realmente, mas apenas na
mente
15-)
Muitos pensadores importantes da filosofia medieval discutiram o problema dos universais e
defenderam concepções específicas sobre o mesmo. Analise as afirmativas abaixo sobre o
problema e as concepções que procuram respondê-lo.
I. O nominalismo afirma que somente os particulares têm existência real e que os predicados
universais só têm existência mental.
II. O realismo afirma que somente os universais têm existência real e que os particulares, ao
contrário, não têm nenhum tipo de existência.
III. O conceitualismo é o nome dado à posição, segundo a qual, os universais não são nem
realidades ao lado dos indivíduos, nem são apenas palavras arbitrárias (flatus vocis), mas que
têm existência mental enquanto conceitos que podem denotar propriedades reais que os
particulares possuem em comum.
IV. Mesmo sendo um problema explicitamente discutido e formulado no contexto da filosofia
medieval, este problema se vincula diretamente ao pensamento de Platão e Aristóteles.
V. Rosselin e Ockham são defensores do realismo.
Assinale a alternativa CORRETA.
A( ) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
B( ) Somente as afirmativas I, III e IV são corretas.
C( ) Somente as afirmativas II, III e V são corretas.
D( ) Somente as afirmativas III, IV e V são corretas.
E( ) Somente as afirmativas I, IV e V são corretas.
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

teste

2 Cartões juh16

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards