Enviado por Do utilizador3054

UNIDADE 3 - Indústria da Construção Civil

Propaganda
Indústria da Construção Civil
Bibliografia



NR 18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da
Construção;
Portaria MTb n.º 261, de 18 de abril de 2018;
NBR 12284/91 Área de Vivência em Canteiros de Obras;
NBR 9061/85 - Segurança de Escavação a Céu (cancelada em 06 de
novembro de 2013 );
Bibliografia complementar

RTP 01 - Medidas de Proteção Contra Quedas de Altura;

RTP 02 - Movimentação e Transporte de Materiais e
Pessoas - Elevadores de Obra;

RTP 03 - Escavações, Fundações e Desmonte de Rochas;
Bibliografia complementar

RTP 04 - Escadas, Rampas e Passarelas;

RTP 05 - Instalações Elétricas Temporárias em Canteiros de
Obras.
Introdução
A Reformulação da NR 18 propiciou:
 Efetivo Gerenciamento do Ambiente de Trabalho;
 Condições adequadas das Áreas de Vivência, alojamento,
refeitório e lazer;
 Garantia à dignidade da pessoa humana através da
Qualidade de Vida;
Plano de trabalho
Informação;
• Planejamento;
• Procedimentos adequados;
• Treinamentos.
•
Dinâmica da Gestão - SST
Referência CBIC 2018
Indústria da Construção
 As atividades da Indústria da Construção são as constantes do
Quadro I - Código da Atividade Específica - NR 4.
 E também:
A demolição, reparo, pintura, limpeza e manutenção de
edifícios em geral e de obras de urbanização e paisagismo;
Quadro I – NR 4
Fonte: autor
Quadro I – NR 4
Fonte: autor
Quadro I – NR 4
Fonte: autor
Objetivos da NR-18
 Estabelecer diretrizes de ordem administrativa, de
planejamento e de organização;
Como isso será feito?
Como alcançar os objetivos NR-18?
 Através da Implementação de Medidas de Controle e
Sistemas Preventivos de segurança:
• Nos Processos;
• Nas Condições de trabalho;
• E no Meio ambiente de trabalho na Indústria da Construção.
PCMAT
Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na
Indústria da Construção
Havendo vinte ou mais trabalhadores;
Contemplar as exigências contidas na NR 9 - Programa de
Prevenção e Riscos Ambientais;
Elaborado por profissional legalmente habilitado (SST);
CIPA
Analisar a quantidade total de empregados nos canteiros ou
frentes de trabalho;
• Menos de 70 constituir CIPA centralizada;
• Mais de 70 por canteiro ou frente de trabalho, constituir CIPA
por estabelecimento;
• Adotar a NR 5 de forma subsidiária;
CIPA
Canteiros de obra cuja construção não exceda a 180 dias, deve
constituir comissão provisória de prevenção de acidentes, com
eleição paritária de 1 membro efetivo e 1 suplente, a cada grupo
de 50 trabalhadores.
Canteiro de Obras
O que é o canteiro de obras?
Áreas destinadas à execução e ao apoio dos
trabalhos da indústria da construção, dividindo-se em:
• Áreas operacionais (ligadas diretamente a produção);
• Áreas de vivência (necessidades básicas);
Alimentação, higiene pessoal, descanso, lazer,
convivência e ambulatoriais, devendo ficar fisicamente
separadas das áreas operacionais.
Referência CBIC 2018
Permanência - Canteiro de obras
NR 18: Item 18.1.3
É vedado o ingresso ou a permanência de trabalhadores no
canteiro de obras, sem que estejam assegurados pelas
medidas previstas nesta NR e compatíveis com a fase da
obra.
Canteiro de obras
Antes do início da obra devem ser planejados os
futuros locais e instalações para:
• Pátios de descarga de materiais;
• Passagens de trabalhadores e veículos;
• Áreas de vivência;
• Almoxarifados e locais administrativos;
• Destinação lixo, esgoto e descartes de construção;
• Abastecimento de água, e energia elétrica.
Canteiro de obras
Devem ser implementadas medidas para o seguro
e eficaz controle de acessos à obra, tanto para
trabalhadores e visitantes quanto de veículos.
SCPO - Sistema de
Comunicação Prévia de Obra
É obrigatória a comunicação prévia:
Comunicar à quem? DRT
a) Endereço obra;
b) Qualificação do contratante;
c) Tipo de obra;
d) Datas previstas do início e conclusão da obra;
e) Número máximo trabalhadores previstos.
NBR 12284 Área de Vivência
Objetivo:
Fixa critérios mínimos para a permanência de trabalhadores
nos canteiros de obras (alojados ou não).
Área de Vivência
a)
b)
c)
d)
e)
f)
Instalações sanitárias;
Vestiário;
Alojamento;
Local de refeições;
Cozinha; quando houver preparo de refeições;
Lavanderia;
Área de Vivência
g) Área de lazer;
h) Ambulatório, quando se tratar de frentes de trabalho com
50 ou mais trabalhadores.
Principais Riscos das Atividades
Acidentes de Trabalho
Os ACIDENTES de Trabalho NÃO SÃO IMPREVISÍVEIS, são
CONSEQUÊNCIA de SITUAÇÕES de RISCOS dos diversos
AMBIENTES de Trabalho na Indústria da Construção.
A indústria da Construção
É um sistema complexo e com muitos riscos associados;
Modificados conforme as fases da obra;
Requer adaptação contínua;
A importância do PCMAT
A Preocupação com a SEGURANÇA e SAÚDE deve começar
antes da obra para tornar a ATIVIDADE SEGURA e
SAUDÁVEL aos trabalhadores.
Com a Elaboração do PCMAT para cada OBRA de forma
específica.
Qual o ponto de partida?
As NORMAS fazem uma ANÁLISE CUIDADOSA de
determinada ATIVIDADE;
 INDICAM DETERMINADOS PROCEDIMENTOS a serem
SEGUIDOS;
 Para ELIMINAR os RISCOS.

Riscos nas atividades
Sem os CUIDADOS NECESSÁRIO o Ambiente de Trabalho na
Indústria da Construção pode se tornar ARRISCADO e
INSALUBRE.
• O Risco é inerente a Atividade;
• Identificar os Riscos;
• Determinação para Eliminar o Risco;
Principais causas acidentes
Os acidentes típicos mais frequentes nas atividades
da Indústria da Construção são:
1. Quedas de diferença de nível;
2. Soterramentos;
3. Contatos com eletricidade.
1 - Quedas de diferença de nível
•
•
Principais causas:
Aspectos comportamentais do trabalhador
Características pessoais e socioculturais;
Falhas de supervisão do comando direto
Falha aspecto prevencionista e/ou condição acompanhar;
Adoção da NR-35 – Trabalho em Altura.
1 - Quedas de diferença de nível
As quedas de diferença de nível abrangem:
• Queda do trabalhador;
• Queda de materiais sobre trabalhadores;
• Queda de grandes equipamentos sobre trabalhadores;
• Queda de equipamentos com trabalhadores.
1 - Quedas de diferença de nível
As quedas de trabalhadores estão
potencialmente presentes em atividades e locais:
• Periferias de lajes, desvãos entre borda do pavimento
• Shafts e vãos das caixas de elevadores;
• Escadas e andaimes de todos os tipos;
• Cestos aéreos e cadeiras suspensas;
• Plataformas elevadas;
Quedas em aberturas no piso e shafts
Referência CBIC 2018
EPC: Proteção de poço de elevadores
Referência CBIC 2018
Quedas em aberturas no piso e shafts
Referência CBIC 2018
Proteção para abertura no piso
Referência CBIC 2018
1 - Quedas de diferença de nível
Apresentam alto índice de fatalidade e têm como causas
principais a ausência total ou parcial da necessária proteção
coletiva:
• Redes de proteção;
• Guarda-corpos;
• Linha de vida;
EPC – Guarda Corpo
Referência CBIC 2018
NR-35 Trabalho em altura
Gestão de Segurança eficaz
Prevendo e analisando os riscos em todos os locais e
atividades,
Propondo e implementando as necessárias medidas;
NR-35 Trabalho em altura
Atenção para o planejamento de atividades em altura,
focando na segurança do trabalhador.
• Análises de risco;
• Procedimentos de administração;
• Treinamentos e diversos níveis de qualificação;
• Procedimentos para situações de resgate e emergência;
EPC – Linha de Vida e Passarela
Referência CBIC 2018
2 - Soterramento

NBR 9061/85 – Segurança de Escavação a Céu Aberto

Ocorrem pela instabilidade dos terrenos alterados, seja por
escavações, por cortes em planos inclinados, no acúmulo de
materiais próximo às bordas.
Devido a movimentos bruscos de reacomodação do terreno,
provocando o desmoronamento instantâneo;
2 - Soterramento
 Maior incidência ocorre em obras de pequeno porte e
duração.
É muito comum não ser realizada nenhuma análise de risco e
projeto de instalação de escoramentos.
2 - Soterramento
 Tarefa sendo executada com escavação, às vezes até com
pequena profundidade, mas ao lado de algum talude, muro
ou edificação com estabilidade comprometida;
 Causa:
falta de Análise Riscos e falhas operacionais de
supervisão e implementação das necessárias medidas de
proteção.
Risco soterramento em escavação rasa
Referência CBIC 2018
Proteção Contra Soterramento
Referência CBIC 2018
Proteção Contra Soterramento
Referência CBIC 2018
Proteção Contra Soterramento
Referência CBIC 2018
Atividade na base de escavações profundas
Referência CBIC 2018
3 - Acidentes com eletricidade
 Eletroplessão:
acidente típico com altíssimo índice de
fatalidade, nas atividades com exposição a riscos de
eletricidade,
Em contatos imprevistos com partes vivas de instalações
elétricas ou componentes metálicos acidentalmente
energizados.
3 - Acidentes com eletricidade
Causas de acidentes por contato direto com eletricidade
em canteiros:
• Falhas nos treinamentos e reciclagem (específicos);
• Não impedir que trabalhador não qualificado inicie
qualquer tarefa com riscos de choque elétrico;
• Não dispor de adequada rede de aterramento elétrico;

3 - Acidentes com eletricidade
Partes energizadas expostas em emendas de cabos;
• Ausência de adequada sinalização ou bloqueio em
comandos elétricos;
• Falta de proteção adequada em quadros de distribuição;
• Contato acidental com rede de alta tensão;
•
3 - Acidentes com eletricidade
•
•
•
•
•
Partes energizadas expostas em emendas de cabos;
Ausência de adequada sinalização ou bloqueio em comandos
elétricos;
Falta de proteção adequada em quadros de distribuição;
Contato acidental com rede de alta tensão;
Falta de ferramentas com isolamento especial contra choque
elétrico.
3 - Acidentes com eletricidade
 Formação de arcos elétricos:
Pela proximidade com equipamentos energizados com
altas tensões.
• Falha humana do profissional ou falha na Análise de
Risco para a operação.
3 - Segurança no Trabalho
com eletricidade
•
•
•
Prioritariamente trabalhar com o circuito elétrico desenergizado;
É expressamente proibida a existência de partes vivas expostas;
Todas estruturas e carcaças metálicas passíveis de energização
acidental devem ser aterradas;
3 – Trabalho seguro com etricidade
•
•
Fazer a ligação de máquinas e equipamentos por conjunto de
plugue e tomadas (blindadas);
Empregar ao máximo todos os tipos de sinalizações ostensivas
contra riscos de choques elétricos.
Proteção por: barreiras, trancamentos
de quadros e chaves e sinalizações
Referência CBIC 2018
4 – Acidentes: atropelamento
5 – Acidentes: esmagamento
Demolições
Desligamento, remoção ou proteção das linhas de
fornecimento:
• Energia elétrica, água, inflamáveis, substâncias tóxicas,
canalizações de esgoto e de escoamento de água;
• Remoção de elementos frágeis como: vidros, ripados,
estuques e outros elementos frágeis.
Demolições
• Manutenção das escadas desimpedidas e livres para a
circulação de emergência;
• Plataformas de retenção de entulhos (2,5 m x 45°) em todo
o perímetro da obra;
Plataforma no perímetro da obra
Referência CBIC 2018
Demolições
• Atenção ao momento correto para a demolição das
paredes (tipo estrutura edificação);
• Estudo prévio e cuidadoso das construções vizinhas;
• Programada e dirigida por profissional legalmente
habilitado.
Demolições
• Plataformas de retenção de entulhos (2,5 m x 45°) em todo
o perímetro da obra;
• Atenção ao momento correto para a demolição das paredes
(tipo estrutura edificação);
• Remoção de elementos frágeis como: vidros, ripados,
estuques e outros;
Demolições
• Estudo prévio e cuidadoso das construções vizinhas;
• Programada e dirigida por profissional legalmente
habilitado.
Escavações, Fundações e Desmonte
de Rochas
• Escoramento de qualquer estruturas que possam ser
afetadas (muros, edificações, árvores e outras);
Devem ser inspecionados diariamente;
• Desligamento de cabo subterrâneo de energia elétrica ou
havendo impossibilidade adotar medidas especiais junto à
concessionária;
Escavações, Fundações e Desmonte
de Rochas
• Dimensionar estruturas para estabilidade de taludes
instáveis (mais de 1,25 m);
• Adotar a NBR 9061/85 - Elaboração do projeto e execução
das escavações a céu aberto;
• Adoção de escadas ou rampas para saída em caso de
emergência (escavações mais 1,25 m);
Escavações, Fundações e Desmonte
de Rochas
• Depositar os materiais retirados em distância superior (da
borda) à metade da profundidade;
• Altura superior a 1,75 m devem ter estabilidade garantida;
• Ventilação e monitoramento se houver possibilidade de
infiltração ou vazamento de gás;
Escavações, Fundações e Desmonte
de Rochas
• Em vias públicas ou canteiros devem ter sinalização de
advertência, inclusive noturna, e barreira de isolamento
(perímetro);
• Dirigida por profissional legalmente habilitado.
Escavações, Fundações e Desmonte
de Rochas
• O acesso deve ser restrito;
• Sob ar comprimido atender ao Anexo no 6 da NR 15 Atividades e Operações Insalubres;
• Operação de desmonte de rocha a fogo, fogacho ou mista,
deve haver um blaster;
Escavações, Fundações e Desmonte
de Rochas
• Obrigatório a existência de alarme sonoro;
• A escavação somente pode ser iniciada com a liberação e
autorização do Engenheiro responsável pela execução da
fundação;
• NBR 6122: Projeto e execução de fundações;
Tubulões a céu aberto
• Na execução de tubulões a céu aberto, aplicam-se as disposições
referente aos Locais confinados;
• Previsão no PCMAT das medidas de proteção (EPC e EPI);
• Plano de resgate e remoção;
• Programa de Treinamento CH:8h (atividades operacionais, resgate
e noções de primeiros socorros)de 8 horas;
• Check list diário;
Trabalhador habilitados
Deve comprovar capacitação mediante:
a) Curso específico do sistema oficial de ensino;
b) Curso especializado ministrado por centros de treinamento
e reconhecido pelo sistema oficial de ensino.
Trabalhador qualificados
Aquele que comprovar capacitação mediante:
a) Treinamento na empresa;
b) Curso ministrado por instituições privadas ou públicas,
desde que conduzido por profissional habilitado;
c) Experiência comprovada em Carteira de Trabalho de pelo
menos 6 meses na função.
Considerações
É facultada às empresas a adoção de soluções alternativas
referentes:
• Às medidas de proteção coletiva;
• A adoção de técnicas de trabalho;
Considerações
Uso de equipamentos, tecnologias e outros dispositivos que:
a) Propiciem avanço tecnológico em segurança, higiene e saúde
dos trabalhadores;
b) Objetivem a Implementação de Medidas de Controle e de
Sistemas Preventivos de segurança nos processos, nas
condições e no meio ambiente de trabalho na Indústria da
Construção;
Considerações
c) Garantam a realização das Tarefas e Atividades de modo
Seguro e Saudável.
Soluções alternativas
Os procedimentos e meios de proteção adotados devem estar
sob responsabilidade de engenheiro legalmente habilitado e de
Engenheiro de Segurança do Trabalho;
Mediante emissão de Anotação de Responsabilidade Técnica ART.
Soluções alternativas
As tarefas a serem executadas mediante a adoção de
soluções alternativas devem estar expressamente previstas
em procedimentos de segurança e devem constar:
a) os riscos aos quais os trabalhadores estarão expostos;
b) a descrição dos equipamentos e das medidas de proteção
coletiva a serem implementadas;
Adoção de soluções alternativas
c) a identificação e a indicação dos equipamentos de proteção
individual - EPI a serem utilizados;
d) a descrição de uso e a indicação de procedimentos quanto
aos Equipamentos de Proteção Coletiva - EPC e EPI, conforme
as etapas das tarefas a serem realizadas;
e) a descrição das ações de prevenção a serem observadas
durante a execução dos serviços, dentre outras medidas a
serem previstas e prescritas pelo Engenheiro de Segurança
responsável.
Adoção de soluções alternativas
c) A Identificação e a Indicação dos EPI a serem utilizados;
d) A descrição de uso e a Indicação de Procedimentos EPC e
EPI, conforme as etapas das tarefas;
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Criar flashcards