Boletim Atrás da Estante - Faculdade de Farmácia

Propaganda
Universidade Federal de Minas Gerais
Faculdade de Farmácia
Boletim Atrás da Estante
Um projeto do CEMED
Centro de Estudos de Medicamentos da UFMG
Volume 7, nº1
Editorial
Talvez Aristóteles
tivesse razão ao dizer que o
homem sábio procura não o
prazer, mas a liberdade em
relação à preocupação e à dor.
E é esta eterna busca de liberdade da dor que impulsiona
práticas de comercialização,
reconhecidas como promotoras
de consumo exagerado e distorcido em relação às potencialidades dos medicamentos.
Existe uma inegável
conexão entre a política industrial, a política científicotecnológica e a política de saúde. A realidade envolvida no
consumo de medicamentos nas
sociedades modernas é que a
indústria farmacêutica tornouse um dos mais poderosos setores da economia. As patentes, a propriedade privada dos
meios de produção/informação
e o lucro como necessidade
maior do sistema produtor são
efetivamente os grandes dilemas que a ciência tem enfrentado no decorrer da história
recente. Dilema porque em um
mundo em que a iniciativa
privada tem sido colocada como realidade mais adequada ao
homem, a ciência muitas vezes
se encontra a serviço dos interesses privados.
Setores produtivos e
comerciais controlam a divulgação de informações científicas, enquanto outras instituições, em geral acadêmicas,
desenvolvem movimento de
resistência, gerando e disponibilizando informações que
traduzam os reais valores dos
medicamentos. O capitalismo
detém todos os aspectos do
desenvolvimento humano; e a
ciência não constitui exceção,
apesar dos movimentos de
resistência.
A necessidade de
adaptação aos arquétipos im-
01/06/2011
Sibutramina na mira da Anvisa
postos pela sociedade nos diz
em que padrões devemos nos
encaixar, e assim, cada vez
mais temos novas drogas para
doenças criadas em laboratórios. Grandes questões levantadas nos últimos meses são a
proibição dos anorexígenos no
Brasil e argumentações antivacina Influenza A. Apesar de
utilizados há cerca de 50 anos,
os anorexígenos enfrentam
uma série de problemas relacionados à regulamentação de
seu uso.
O
consumo
de
medicamentos como estes são
mediados pela associação
popular do sucesso das
intervenções de saúde e a
necessidade de prescrição
médica, ato muitas vezes
influenciado por representantes
de indústrias farmacêuticas em
suas visitas rotineiras aos
consultórios médicos. Já a
vacina contra a Influenza A foi
aprovada com base nas
experiências
de
vacinas
anteriores.
Lançada
rapidamente no mercado, e,
portanto sem estudos clínicos
suficientes que nos ofereçam
dados concretos sobre sua total
segurança. Algumas reações
adversas da vacina, apesar de
raras, são mais maléficas à
saúde que a gripe em sí.
A pergunta que fica é:
Será que a ciência farmacêutica permanecerá atrelada
tão profundamente aos interesses privados, incluindo a
indústria e setores comerciais, ao ponto de serem os
interesses sociais e humanitários pequenos detalhes no seu
direcionamento?
(Vívian Thaise da Silveira Anício - Aluna do 2º. Período do
Curso de Farmácia/ UFMG)
A polêmica gerada
pela proposta de proibir a comercialização da sibutramina e
derivados da anfetamina no
país voltou à tona com um estudo realizado pela ANVISA
sobre inibidores de apetite.
Desenvolvida em meados da década de 80 como um
antidepressivo, a sibutramina,
somente em 2009, teve no Brasil uma venda de aproximadamente 67,5 toneladas. Ela age
inibindo a recaptação de serotonina, norepinefrina e dopamina
na sinapse neural, promovendo
o aumento da saciedade e por
isso é indicada para pacientes
com quadro de obesidade. Contudo, deve ser usada apenas
como auxiliar ao tratamento,
pois para que ocorra perda de
peso a reeducação alimentar e a
prática de atividades físicas
regulares permanecem como
recomendações principais.
Segundo revisão realizada em 2010 pelo Centro Brasileiro de Informação sobre
Medicamentos (CEBRIM), a
perda de peso com o uso da
sibutramina combinado a dieta
e exercícios físicos é pequena
(cerca de 5kg em 3 a 13 meses), sendo que a interrupção
no uso do medicamento leva a
reversão deste pequeno benefício. Além disso, estudo realizado pelo próprio fabricante da
sibutramina (Abbott), a pedido
da EMEA (European Medicines Agency), e divulgado em
setembro de 2010, mostrou
aumento da pressão arterial e
da ocorrência de distúrbios
cardiovasculares, estando associada também à ocorrência de
infarto do miocárdio e de acidente cerebral vascular. Com
base nesse estudo (SCOUT Sibutramine Cardiovascular
Outcomes), a sibutramina foi
proibida nos Estados Unidos,
Canadá, Austrália, Europa e na
maioria dos países da América
Latina no final de 2010.
No Brasil, a publicação dos resultados do SCOUT
e a decisão dos países citados
levaram a ANVISA a solicitar
(outubro de 2010) parecer técnico à CATEME (Câmara Técnica de Medicamentos), já que
este medicamento já havia sido
reclassificado para o grupo B2
com base em recomendações
da mesma. Nesse estudo a CATEME recomenda a proibição
da sibutramina e outros inibidores de apetite prescritos no Brasil. Após realização de reuniões
internas e audiências públicas,
ficou determinado que a decisão da ANVISA sobre a suspensão do registro destes medicamentos será tomada após a
realização de um painel internacional sobre os mesmos marcado para 9 de junho deste ano.
A recomendação da
CATEME, que dividiu opiniões
entre especialistas e reuniu representantes de vários segmentos da sociedade, foi discutida
em uma audiência pública realizada no Senado no início do
mês de maio. As discussões
iniciadas sobre o assunto serão
concluídas em uma próxima
reunião ainda sem data definida.
(Raissa Carolina Fonseca Cândido – Aluna do 3º período do
curso de Farmácia / UFMG)
Boletim Atrás da Estante
Zoom - Risco de Tromboembolismo é associado ao uso de
contraceptivos contendo drospirenona
Uma série de relatos
de casos a partir de 2002 sinalizou uma possível associação
entre o uso de contraceptivos
contendo drospirenona com
ocorrências de tromboembolismo venoso (TEV) idiopático. A
drospirenona é uma nova progesterona utilizada em contraceptivos orais de terceira geração, como Yasmin®, Yaz® e
Elani Ciclo®.
Recentemente, dois
estudos, um realizado no Reino
Unido e um nos Estados Uni-
dos, apontaram um aumento no
risco de TEV entre usuárias de
contraceptivos orais contendo
drospirenona. Em ambos os
estudos foram avaliadas mulheres com idades entre 15 e 44
anos sem outros riscos aparentes para TEV. Elas foram divididas em dois grupos, um recebendo contraceptivo oral contendo drospirenona e outro
levonorgestrel. Os resultados
dos estudos apontaram um risco
2 a 3 vezes maior de TEV não
fatal em mulheres que fizeram
uso da drospirenona em comparação com o levonorgestrel.
Com base nessas evidências, o levonorgestrel é uma
opção mais segura como fármaco
de primeira escolha para mulheres
em uso de pílulas somente para
fins de contracepção.
(Willian Pereira Alves – Aluno do
3º período do curso de Farmácia /
UFMG)
Zoom - Vacina contra Influenza: mitos e verdades (I)
" Eles fracassaram
“
porque não haviam
começado pelo sonho."
(William Shakespeare)
A influenza é uma
doença respiratória aguda, com
febre, dores de cabeça e malestar generalizado, comumente
benigna e com resolução do
quadro em poucos dias. Entretanto, milhares de pessoas necessitam de atenção médica ou
mesmo são internadas, e cerca
de 2 mil morrem ao ano em
consequência do agravamento
do quadro. A forma mais eficaz
para preveni-la é a vacina, e por
essa razão o SUS oferece anualmente a Campanha de Vacinação dos Idosos, por reconhecer
esta como a população mais
vulnerável. A vacina é composta
de vírus inativados (mortos) e por
isso não tem o poder de causar a
doença em quem a recebe.
O vírus da influenza é
um vírus RNA, da família Orthomyxoviridae. São conhecidos três
tipos (A; B e C), classificados
conforme a composição antigênica de sua capa lipoproteica. Esses
diferentes tipos apresentam patogenicidade diferentes. Hoje, após
a ameaça da chamada gripe suína,
popularizou-se a nomenclatura
das diferentes linhagens ou estirpes – H1N5, H1N1, etc. Essa
denominação faz referência aos
Você sabia?
“A lua abre espaço
Entre as nuvens onduladas
E verte sua luz triste
Sobre os campos tristes”
Versos declamados por Iuri Alexeievitch Gagárin para testar equipamentos de comunicação em um ensaio de imponderabilidade. Pouco tempo antes, outubro de 1957, uma pequena esfera de alumínio, o Sputnik I, emitiu um simples „bip, bip, bip,...‟; pouco tempo depois, a cadela Laika saiu das ruas de Moscou para a história - o primeiro ser vivo em órbita. E em 12/04/1961, Gagárin, no primeiro voo orbital tripulado (uma volta) nos brindou
com uma frase que representa a engenhosidade e o sonho humano: “A terra é azul”. A
equipe do Atrás da Estante, 50 anos após, reverencia o feito e compartilha o sonho azul.
Realização:
às diferentes proteínas hemaglutinina (H) e neuraminidase
(N) presentes na superfície do
patógeno, existindo 16 grupos
H e 9 grupos N. Como o vírus
sofre recombinações entre esses
antígenos de forma rápida,
novas linhagens prevalecem
entre a população vulnerável a
cada ano, motivo da necessidade da produção e vacina anual
conforme a composição prevalente.
(Luana Faria da Cruz – Aluna
do 2º período do curso de Farmácia / UFMG)
EQUIPE:
- Luana Faria da Cruz
- Raissa Carolina Fonseca Cândido
- Vivian Thaíse da Silveira Anício
- William Pereira Alves
- Farmacêutica Alba Valéria S. Melo
Moraes
- Professora Cristiane Menezes
- Doutoranda Daniela Rezende Garcia Junqueira
- Professor Edson Perini
Apoio:
Os textos assinados são endossados por toda a equipe.
Maiores informações e o material que serviu de fonte para o boletim estão disponíveis sob solicitação através do email:
[email protected]
“Sibutramina na mira da Anvisa”
Mais sobre o assunto em:
http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/c53fdd0045d07478be65bfe99fa014e7/Avalia%C3%A7%C3%
A3o+de+efic%C3%A1cia+e+seguran%C3%A7a+dos+medicamentos+inibidores+do+apetite+Final.pdf?MOD=AJPERES
http://www.abeso.org.br/lenoticia/717/banir-medicamentos-antiobesidade-e-debatido-no-senado.shtml
http://www.senado.gov.br/noticias/inibidores-de-apetite-anvisa-quer-proibir-determinados-medicamentos.aspx?
parametros=
“Risco de tromboembolismo associado ao uso de contraceptivos contendo drospirenona”
Parikin, L. Shrples, K. Hemandez, RK. Jick, SS. Risk of venous thromboembolism in users of oral contraceptives containing drospirenone or levonorgestrel: nested case-control study based on UK General Practice Research Database. BMJ.
2011, 340:d2139.
Jick, SS. Hermandez, RK. Risk of non-fatal venous thromboembolism in women using oral contraceptives containing
drospirenone compared with women using oral contraceptives containing levonorgestrel: case-control study using
United States claims data. BMJ 2011; 340:d2151
“Vacina contra influenza - mitos e verdades (I)”
Mais sobre o assunto em:
“Fábricas de Gripe”, por Helen Branswell. Scientific American Brasil, ANO 9 edição nº105, Fevereiro 2011.
http://portal.saude.gov.br/portal/saude/profissional/area.cfm?id_area=1534
“Você sabia?”
Fonte: Scientific American - Brasil, ano 10 nº 109, junho de 2011.
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

teste

2 Cartões juh16

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards