ensino para o uso racional de medicamentos

Propaganda
ENSINO PARA O USO RACIONAL
DE MEDICAMENTOS
A Estratégia Brasileira para o Uso Racional de
Medicamentos
ƒ Clarice Alegre Petramale
Anvisa: Agência Nacional de Vigilância Sanitária
Conteúdo desta apresentação
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
Evolução das Exigências para o Registro de Medicamentos
Desafios e propostas na área de Medicamentos
Regulação e Educação: Estratégias complementares
Uso Racional de Medicamentos: Conceitos
Algumas estatísticas mundiais sobre EA a Medicamentos
Fatores que propiciam a Ocorrência de EA a Medicamentos
Ensino para o Uso Racional de Medicamentos
Progressão da estratégia URM no Brasil
Novas atividades em URM
Registro de Medicamentos no Brasil:
evolução e desafios
Exigências Sanitárias para Registro
de Medicamentos
• Anterior a 1976: somente Licença Sanitária (local)
•
1976: Autorização de Funcionamento (federal)
•
1994: Ensaios Clínicos para produtos novos
•
1995: Inspeção de Boas Práticas de Fabricação
•
1999: Inspeção de Boas Práticas de Fabricação anual
•
1999: Notificação de lotes pilotos + Equivalência farmacêutica +
Bioequivalência para Genéricos
• 2003: Bioequivalência e Bio disponibilidade para Similares
• 2004 Novo regulamento para bulas
ANVISA Medicamentos: Desafios
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
Similares X Genéricos
Fitoterápicos
Homeopáticos
Medicamentos inespecíficos
Associações Irracionais
Registro de medicamentos novos
Bulas
Apresentação Hospitalar
Propaganda de Medicamentos
ANVISA: Linhas de Trabalho
• Biodisponibilidade + Bioequivalência para Similares
• Revisão de Associações Medicamentosas
• Registro de “tipo 1” Medicamentos Inespecíficos
• Registro para homeopáticos e fitoterápicos
• Farmácias de Manipulação: controle de produção
• Harmonização de Bulas: nacionais e internacionais
• Bulas para consumidor e profissional de saúde
• Monitoramento de Propaganda
• Ensino para o Uso Racional de Medicamentos
Medidas regulatórias isoladas podem
criar situações difíceis de serem
administradas!
A sensibilização e a participação de todos
os atores envolvidos é fundamental para
garantir sua adequação e o seu
cumprimento efetivo.
O Uso Racional de Medicamentos é
preocupação mundial!
Algumas estatísticas mundiais sobre EA
relacionados a Medicamentos- EAD
ƒ Em 1994, nos EUA, 48.000-98.000 pacientes
hospitalizados morreram por causas atribuíveis a
eventos adversos.
ƒ São a 8a causa de morte nos EUA, depois do IAM,
câncer e AVC (Bonn, 1998).
ƒ Eventos adversos a drogas são o tipo mais freqüente de
evento adverso não cirúrgico (20%)
Algumas estatísticas mundiais sobre EA
relacionados a Medicamentos- EAD
ƒ Em 1993, 7.000 americanos morreram por erro de
medicação, contra 6.000 por acidentes de trabalho
ƒ Em cada 100 admissões, há 6,5 eventos adversos a
drogas comprovados e 5,5 eventos potenciais. 40 a
70% dos EA são evitáveis.
Algumas estatísticas mundiais sobre
EADs
ƒ 18% dos EAD comprovados ocorrem por prescrição
médica ou administração inadequadas
(Leape et al, 1991)
ƒ Erros de prescrição causam 56% dos EAD evitáveis
(Bates et al, 1995)
ƒ A maioria dos erros de prescrição são de dosagem
(Leape et al, 1995)
Distribuição das RAM por Classe Terapêutica
(Medical Care, 38:261-271,2000.)
Antibióticos
24,9%
Agentes Cardiovasculares
17,4%
Analgésicos
8,9%
Anticoagulantes
8,6%
Sedativos e hipnóticos
2,6%
Agentes Antineoplásicos
1,4%
Anti-asmáticos
1,3
Antidepressivos
0,9%
Antipsicóticos
0,6%
Anti-hipertensivos
10,4%
Anticonvulsivos
0,4%
Potássio
0,4%
Outros
18,1%
Desconhecidos
14,1%
Fatores que propiciam a Ocorrência de
EADs
ƒ Interação de fármacos: 3 ou mais fármacos
ƒ Prescrição de medicamentos novos
ƒ A falta de uma disciplina de terapêutica clínica nas escolas
médicas/odontologia/farmácia/enfermagem
ƒ Prescrição manual/ilegível/incompleta
ƒ Falta de esclarecimentos dos pacientes sobre a prescrição
ƒ Ausência de prescrição de medidas não medicamentosas
ƒ Qualidade deficiente do processo produtivo, de distribuição, de
armazenamento e de administração de Medicamentos
ƒ Participação insuficiente de farmacêuticos nas equipes de saúde
Receita Padrão!
Uso Racional de Medicamentos
Compreende um conjunto de procedimentos que
objetiva atingir que um dado indivíduo receba de
forma oportuna, medicamentos eficazes, seguros e
adequados à sua condição clínica, nas doses e
intervalos preconizados e durante o tempo necessário
para o seu tratamento.
Estratégias para a o Uso Racional de
Medicamentos
ƒ Ensino de Terapêutica Clínica nas escolas de
medicina, farmácia, odontologia
ƒ Seleção e aquisição de medicamentos (MEB)
ƒ Qualidade de Fornecedores
ƒ Farmácia Hospitalar
ƒ Farmácia Clínica ( em áreas críticas)
ƒ Auditoria de prescrição
ƒ Prescrição eletrônica
ƒ Farmacovigilância
A Prescrição de Medicamentos na vida
real!
ƒ Onde o profissional de saúde aprende a
prescrever?
No ambulatório; na enfermaria; no PS
ƒ Quem o ensina a prescrever?
O médico de plantão; o preceptor; o residente
ƒ Quando o médico aprende a fazer uma prescrição de
forma sistematizada, levando em conta os preceitos de
segurança, eficiência e custo?
ƒ EM NENHUM MOMENTO DE SEU CURSO
DE GRADUAÇÃO OU RESIDÊNCIA!
Ensino para o Uso Racional de
Medicamentos
ƒ É uma metodologia de ensino com base em
.Evidências Clínicas e problematização
ƒ Parte do pressuposto que diagnóstico e
fisiopatologia já estão sendo ensinados nas escolas
ƒ Introduz o conceito de Plano de tratamento ( o que
tem relevância tratar)
ƒ co-participação: o cliente faz parte do problema e da
solução
Ensino para o Uso racional de
Medicamentos
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
Seleção do Grupo Farmacológico Individualizado
Seleção do Medicamento I
Seleção do tratamento I
Elaboração da prescrição
Orientações não medicamentosas
Pacto de tratamento com o paciente
Acompanhamento de resultados
O que deveria funcionar e o que
efetivamente funciona
ƒ É sabido que as arritmias cardíacas são as causas
mais frequentes de complicação grave em IAM
ƒ A Lidocaína é um antiarrítmico de reconhecida
eficácia
ƒ Logo a utilização de Lidocaína em IAMs deveria
prevenir arritmias e reduzir as mortes
ƒ Estudos clínicos comparativos mostram que a
Lidocaína aumenta o risco em IAMs, porisso
deixou de ser utilizada nessa condição
Ensino para o Uso Racional de
Medicamentos
ƒ “Curso
Internacional
sobre
o
Uso
Racional
de
Medicamentos”, WHO, Departamento de Farmacologia da
Faculdade de Medicina da Universidade de Gröningen,
Holanda
ƒ “Enseñanza de Farmacoterapéutica Racional”, WHO, La
Plata, Argentina, 1999 e 2000.
A ANVISA e o Ensino para o URM
ƒ I Curso Nacional sobre Ensino para o Uso Racional
de Medicamentos, Petrópolis, RJ, Maio 2002
•
•
•
•
•
•
•
ANVISA- GGTPS/Projeto de Hospitais Sentinela
NAF- Escola de Saúde Pública- Fiocruz
OPAS
Escolas de Medicina e Hospitais Sentinela
Formou multiplicadores ( 40) de 20 universidades públicas
Cursos regionais para multiplicadores
Estudo de impacto: Rede básica Marília/SP
URM no Brasil
ƒ 8 Cursos regionais para docentes :440 capacitados
ƒ Cursos locais para multiplicadores e prescritores
ƒ Cursos para Residentes: FAMEMA/Marília, PUC/Campinas,
UNESP /Botucatú e Passo Fundo
ƒ Cursos para Graduação: UNESP/Botucatu, USP/Ribeirão Preto,
PUC/Sorocaba, Federal de Rio Preto e Federal Fluminense
ƒ Curso virtual: UNESP/Botucatu
ƒ PSF: Marília e Botucatu e SC:Projetos de Avaliação de impacto
ƒ Portal Bireme Anvisa (em desenvolvimento)
ƒ I Congresso Brasileiro URM 12 a 15 de outubro POA
URM: Próximos passos
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
ƒ
Acordos de Cooperação com universidades
Cursos MBE para docentes e gestores
Contratos para Estudos, Projetos e Pesquisas
Avaliação de impacto
Planos para URM em hospitais sentinela
Capacitação de profissionais da rede básica e gestores do SUS
Produção e difusão de materiais educativos e instrucionais para
profissionais de saúde e comunidade
ƒ Seminários Nacionais URM
ƒ Portal de Medicamentos
ƒ Termo de Cooperação Anvisa/OPAS
Obrigada!
Contatos
Clarice Alegre Petramale: GVISS/Anvisa
[email protected]
Fone (61) 3448 1466/1282
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

teste

2 Cartões juh16

Criar flashcards