264 - UFV

Propaganda
UFV / VI SIMPÓS / FEVEREIRO-2007 / Tecnologia e Alimentos / 264
_________________________________________________________________________
ATIVIDADE ANTAGONISTA DE Bifidobacterium breve ISOLADAS DE RECÉMNASCIDOS AO CRESCIMENTO DE PATÓGENOS
CUNHA, Luciana Rodrigues (Estudante); RAMOS, Maria da Penha Piccolo (Estudante);
ALVES, Flávia Ferreira (Estudante); CHAVES, Karina da Silva (Estudante); FREITAS,
Elisângela Rodrigues (Estudante); RODRIGUES, Vívian Carolina (Estudante); TEIXEIRA,
Mariana Barros (Estudante); FERREIRA, Célia Lúcia de Luces Fortes (Orientador)
O tratogastrointestinal humano é um habitat natural para uma variada e dinâmica
comunidade bacteriana sendo colonizado por mais de 500 espécies. Bactérias bífidas
correspondem a uma porção significativa dessa microbiota benéfica, sendo a terceira maior
população do intestino humano, precedidas somente pelos gêneros Bacteroides e
Eubacterium. Vários benefícios a saúde do hospedeiro têm sido atribuídos às bactérias
bífidas, que além de estimularem a resposta imunológica promovem a modulação da
microbiota intestinal endógena pela liberação de compostos inibitórios no meio. Alguns
mecanismos como por exemplo, produção de ácidos orgânicos, bacteriocinas, competição
por nutrientes e sítios de adesão, dentre outros, têm sido sugeridos para ação inibitória de
bifidobacterias contra microrganismos patogênicos. O trabalho teve como objetivo verificar
o efeito antagonísta in vitro dos isolados de Bifidobacterium breve sobre o crescimento de
Clostridium difficile, Staphylococcus aureus, Escherichia coli, Salmonella typhimurium e
Listeria monocytogenes. A atividade antagonista foi verificada por meio do teste “spot” e
Difusão em placas. Verificou-se que o sobrenadante livre de células (Difusão em placas)
dos 31 isolados de Bifidobacterium breve não promoveu atividade inibitória sobre o
crescimento dos microrganismos patogênicos testados, apesar dos baixos valores de pH
atingidos. Entretanto, ao se realizar a técnica “spot” as estirpes testadas promoveram um
antagonismo variável ao crescimento dos patógenos. Verificou-se também que essa
inibição foi estirpe dependente e não promovida somente por ácidos orgânicos, uma vez
que não foi totalmente revertida quando se utilizou meio tamponado. Essa experimentação
corrobora a necessidade de utilização de mais de uma técnica na avaliação do efeito
antagonista de bactérias probióticas sobre patógenos, uma vez que os mecanismos
envolvidos no antagonismo são diferentes. (CNPq)
Download
Random flashcards
teste

2 Cartões juh16

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Matemática

2 Cartões Elma gomes

Criar flashcards