Lipoma Facial Removido por Acesso Intrabucal: Caso Clínico Facial

Propaganda
Lipoma Facial Removido por Acesso Intrabucal: Caso Clínico
Facial Lipoma Removed Throught Intraoral Access: Case Report
Resumo
Lipomas são neoplasias mesenquimais benignas, geralmente localizadas no tecido subcutâneo. Apenas
15% a 20% dos casos envolvem a região de cabeça e pescoço, destes somente 4% acometem a cavidade oral. Apresentam-se como lesões palpáveis, firmes e elásticas, que produzem elevação na pele.
Predominam na faixa etária de 40 a 60 anos. Apresentam crescimento lento, em geral, assintomático e
são perceptíveis apenas à palpação. Podem ser únicos ou múltiplos. O tratamento geralmente é “simples”, realizado por meio de remoção cirúrgica da lesão, com raros casos de recidivas ou transformação
maligna. Neste trabalho, relatamos o caso clínico de uma paciente de 35 anos com aumento de volume
na região malar esquerda , há mais ou menos 2 anos, sem sintomatologia dolorosa, em que, após a
realização de exames de imagem, foi confirmada a hipótese diagnóstica. O tratamento de escolha foi
o cirúrgico por acesso intrabucal, evitando cicatriz externa, mesmo estando a neoplasia mais próxima à
pele em relação à cavidade bucal.
Descritores: Lipoma; Tumor Gorduroso; Cirurgia.
Abstract
Lipomas are benign mesenchymal neoplasis, usually located in the subcutaneous tissue. Only 15% to 20%
of cases involving head and neck region, which only 4% affect the oral cavity. They are as palpable lesions,
firms and elastic which produce elevation in the skin. Predominate in the age bracket of 40 to 60 years. It
shows slow growth, in general, asymptomatic and perceptible only through palpation. They may be single
or multiple. The treatment is usually “simple”, performed by removal surgical of the lesion, with rare cases
of recurrence or malignant transformation. We report the case of a patient is 35 years with an increase in
volume in the region malar left, for about 2 years, without painful symptoms, which after image exams it
was confirmed the diagnosis. The chosen treatment was the surgical through intraoral access, preventing
extern scar, even though the neoplasm been closer the skin then the oral cavity.
Keywords: Lipoma; Fatty Tumor; Surgery.
REVISTA BRASILEIRA DE CIRURGIA BUCO-MAXILO-FACIAL
V10 N2 P. 89 - 93
Recebido em 12/11/08 Aprovado em 03/07/10
Gleysson Matias de Assis| Acadêmico de Odontologia na Universidade Federal do Rio Grande do Norte.
Suzete Rovira Pereira da Silva | Acadêmico de Odontologia na Universidade Federal do Rio Grande do Norte.
Paulo Hemerson de Moraes | Graduado em Odontologia e Estagiário da Área de Cirurgia e Traumatologia BucoMaxilo-Facial do Departamento de Odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.
José Ivo Queiroz do Amaral | Professor Doutor Associado II - Área de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial
da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.
Adriano Rocha Germano | Professor Doutor Adjunto - Área de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (orientador).
89
Introdução
Lipoma Facial Removido por Acesso Intrabucal: Caso Clínico
Assis et al.
Os lipomas da cavidade bucal são neoplasias benignas de tecido mesenquimal que correspondem
de 1 a 5% dos tumores bucais e apresentam variáveis clínicas e histopatológicas que não alteram seu
prognóstico¹. Apesar de representar o neoplasma
mesenquimal mais comum, a maioria dos casos
ocorre no tórax e nas extremidades. São alterações
pouco frequentes na boca e região maxilo-facial².
Têm sido relatados casos de lipoma na mucosa bucal, língua, assoalho de boca, fundo de vestíbulo e
lábios³ .
90
A etiologia dos lipomas permanece incerta, apesar
de alguns autores considerarem a hereditariedade e
as alterações endócrinas como possíveis causas4-5.
Trauma e infecção também já foram relatados como
agentes etiológicos do lipoma, muito embora nenhum fator tenha sido estabelecido como responsável por seu aparecimento6. Entretanto, parecem
ser mais comuns em pessoas obesas, apesar de o
seu metabolismo ser completamente independente
do metabolismo lipídico corporal normal2.
A apresentação clínica típica é de uma lesão tumoral assintomática, lisa ou lobulada. Em relação à
implantação, pode ser séssil ou pedunculada, de
coloração amarelada7-8. Vasos sanguíneos superficiais são usualmente evidentes sobre o tumor, característica da distensão da mucosa, e ele mostra
aspecto gelatinoso, mole à palpação9. Variantes
intraósseas ou infiltrativas podem ocorrer, apesar
de serem raras10.
O tamanho da lesão é bastante variável, e alguns
pacientes podem apresentar deformidades buco-faciais devido à presença do tumor11. Algumas lesões
lipomatosas profundas produzem apenas uma ligeira
elevação de superfície, enquanto outras podem causar
alteração de função4.
A localização do tumor pode levar à alteração na adaptação de próteses removíveis e na fala, principalmente
nos casos mais avançados12. Dentro do diagnóstico
diferencial, podemos encontrar outras lesões benignas
como: neurofibroma, fibroma traumático e lesões de
glândulas salivares8. A eliminação cirúrgica da lesão é
o tratamento de eleição, incluindo glossectomia parcial
em casos de lipomas de língua de grandes proporções,
e, raras vezes, se observam recorrências13.
O propósito do artigo é o de relatar um caso clínico
de lipoma de face localizado em uma área atípica,
que foi a região zigomática esquerda, necessitando de
tratamento cirúrgico por acesso intrabucal para evitar
cicatriz externa.
Relato de Caso
Paciente C.G.A, 35 anos, gênero feminino, leucoderma, procurou a Área de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial (UFRN), apresentando aumento de
volume na região malar esquerda, há mais ou menos
dois anos com ausência de sintomatologia dolorosa.
Clinicamente, o diagnóstico sugeria um lipoma, localizada sob a pele. No exame físico, constatou-se
que a lesão apresentava característica nodular, móvel
e bem delimitada. Para maior elucidação do caso,
exames de imagem foram solicitados, tais como: Ressonância Nuclear Magnética (RNM) e Ultrassom (US).
Em ambos os exames, foram verificadas características sugestivas de alteração tipo Lipoma (figuras 1 e
2) com localização mais profunda, tendo a cavidade bucal como referência e apresentando dimensões
moderadas.
Figura 1: Ressonância Nuclear Magnética - lesão nodular circunscrita na região malar inferior esquerda.
Figura 2: Ultrassonografia - nódulo sólido gorduroso na
camada subcutânea da região malar esquerda.
Figura 3: Aspecto cirúrgico da lesão.
Discussão
No caso apresentado, a manifestação acometeu o
sexo feminino com idade de 35 anos, seguindo os
mesmos relatos da literatura2, na qual retrata como
sendo as mulheres mais acometidas do que os homens, e os achados de outros autores14, em que a
idade dos pacientes acometidos pelo Lipoma está
entre 30 e 40 anos.
Lipomas na região maxilo-facial, de acordo com
vários autores15-16, são raros, acometendo com
frequência considerável outras áreas como costas,
abdômen e ombros de adultos. Na cavidade bucal, podem ocorrer em qualquer região, embora a
mucosa jugal seja a localização mais comum, seguida da língua, sulco vestibular, assoalho de boca
e lábios2.
Nos casos em que a localização é incomum, a realização de exames de imagens, como a RNM e
US, são dois importantes complementos para a instituição do diagnóstico17, sendo fundamental para
a correta localização anatômica nos planos teciduais.
Mesmo no exame físico do paciente que sugeria
uma lesão tipo lipoma, a localização atípica determinou a solicitação da RNM e US. Esses exames
elucidaram tanto o posicionamento espacial da lesão como sua dimensão e prováveis características
teciduais que nos deram subsídios suficientes para
o planejamento.
Figura 4: Peça cirúrgica.
Durante a anamnese, a paciente relatou que a lesão
era assintomática e tinha um tempo de evolução de
provavelmente 2 anos, confirmando os achados de
diversos autores2,7-8, no qual relatam que se trata
de uma lesão sem sintomas aparentes e que só são
descobertas após meses ou anos.
O tratamento dos lipomas é a excisão cirúrgica
conservadora2,8, sendo raros os casos de recidivas
e de transformação maligna18, muito embora os lipomas intramusculares mostrem um alto poder de
recidiva devido a seu padrão de crescimento infiltrativo, apesar de ser uma condição bastante rara
na região bucal e maxilo-facial19-20.
Figura 5: Flutuação da peça cirúrgica.
O uso do laser e da eletrocirurgia também são
REVISTA BRASILEIRA DE CIRURGIA BUCO-MAXILO-FACIAL
V10 N2 P. 89 - 93
Recebido em 12/11/08 Aprovado em 03/07/10
Foi proposto o tratamento cirúrgico sob anestesia
geral para exérese da lesão por acesso intrabucal,
a fim de evitar cicatriz externa. Por meio de divulsão romba, a lesão foi dissecada e removida (figuras 3 e 4). A lesão foi colocada em recipiente de
tamanho adequado, contendo formol a 10%. Foi
possível observar que não houve submersão desta,
corroborando ainda mais a hipótese diagnóstica de
uma alteração de tecido gorduroso (Figura 5). A
peça foi enviada para análise no setor de Patologia Oral da Universidade Federal do Rio Grande
do Norte (UFRN). Após o exame histopatológico,
houve a confirmação do diagnóstico clínico e cirúrgico.
91
Lipoma Facial Removido por Acesso Intrabucal: Caso Clínico
Assis et al.
úteis no tratamento dos lipomas1, sobretudo em
áreas com vascularização abundante, como é a
face. No nosso caso, o tratamento escolhido foi o
cirúrgico conservador por meio de acesso intrabucal, considerando que a paciente não aceitava um
acesso cutâneo, sobretudo devido a sua atividade
profissional. O lipoma encontrava-se após o músculo bucinador, tendo como referência anatômica
a cavidade bucal. Após incisão na mucosa bucal
alveolar, iniciou-se uma divulsão romba até atingir
o plano tecidual onde se encontrava a lesão. Ao
atingir o local, a lesão herniou-se para a cavidade
bucal, sendo dissecada para a sua total eliminação.
92
Apesar de a lesão estar localizado na região subcutânea, o acesso intrabucal foi preferido, a fim de
se evitar cicatriz na região correspondente ao corpo
do osso zigomático esquerdo, evitando, portanto,
uma cicatriz aparente. Entretanto havia maior risco
de lesão aos ramos do nervo facial, sendo fundamental uma divulsão romba cautelosa associada
ao uso de afastadores bem como a anestesia geral
que facilitaram a abordagem, tornando o procedimento previsível, evitando, assim, complicações e
sequelas no pós-operatório.
Considerações finais
Exames de imagens devem ser solicitados para se
verificar a localização no caso dos lipomas infiltrativos e/ou em localizações atípicas, pois eles auxiliam no diagnóstico e planejamento da técnica que
será utilizada.
Os acessos intrabucais são preferíveis aos cutâneos, desde que não comprometam a remoção
adequada da lesão, uma vez que não demonstram
uma cicatriz visível.
neiro: Guanabara Koogan, 2004.
3. Avasaka N, Chino TJr, Chino T, Antoh M, Kawakmi T. Infiltrating lipoma of the mental region: report
of case. Br J Oral Maxillofac Surg 1993;31:38890.
4. Rodrigues CB, Souza CS, Moraes JrEF. Caso Incomum de Lipoma Associado ao Nervo Mentoniano – Uma revisão. Rev FOB 1996;4(3/4):1-6.
5. Silva PJ, Nunes JAP, Barbosa AEO. Lipoma de
Região Submandibular. OM 1986;13: 124-126.
6. Gonzaga HFS, Stolf HO, Gabrielli MFR, Gonzaga LHS, Costa CAS, Benatti CN. Lesões Excisáveis
da Cavidade Bucal. OM 1997;24(2):145-147.
7. Shafer W, Hine M, Levy B. Tratado de Patología
Bucal. Tercera Edición. Editorial Interamericana:
México, 1977.
8. Regezi JA, Sciuba JJ. Patología Bucal. McGrawHill Interamericana: México, 2000.
9. Silva PJ, Nunes JAP, Barbosa AEO. Lipoma de
Região Submandibular- OM 1986;13: 124-126.
10. Lerosey Y, Choussy O, Gruyer X, Francois A,
Marte JP, Dehesdin D, Andrieguitrancourt J. Infiltrating lipoma of the head and neck: a report of
one pediatric case. I J Pediatr Otorhinolaryngol
1999;47(1):91-95.
11. Vera JL, Carretero JL, Garcia EG. Chronic lingual ulceration caused by lipoma of the oral cavity.
Case report. Med Oral 2004;9:163-167.
12. Anavi Y, Gross M, Calderon S. Disturbed lower
denture stability due to lipoma in the floor of the
mouth. J Oral Rehabil 1995;22(1):83-85.
Referências Bibliográficas
13. Sapp JP, Eversole LR, Wysocki GP. Patología
Oral y maxilofacial contemporánea. Harcourt:
Madrid, 1998.
1. Farias SB, Gueiros LAM, Júnior AA, Albuquerque
RS, Martorelli FO. Lipoma intra-oral de tamanho
incomum. Clín-Científ Recife 2005;4(1):57-62.
14. Arreaza A, Lugo M, Lazarde J. Lipoma de la
cavidad bucal: Reporte de un caso. Acta Odontol
Venez 2004;42(3):192-194.
2. Neville BW, Damm DD, Allen CM, Bouquot. Patologia Oral & Maxilofacial 2 edição. Rio de Ja-
15. Epivatianos A, Markopoulos AK, Papanayotou
P. Benign Tumors of Adipose Tissue of the Oral Ca-
vity: A Clinicopathologic Study of 13 Cases. J Oral
Maxillofac Surg 2000; 58:1113-7.
16. Fregnani ER, Pires FR, Falzoni R, Lopes MA,
Vargas PA. Lipomas of the oral cavity: clinical findings, histological classification and proliferative
activity of 46 cases. Int J Oral Maxillofac Surg
2003;32:49-53.
17. Tsunoda A. Lipoma in the peri-tonsilar space. J
Laryngol Otol 1994;108(8):693-695.
19. Piattelli A, Fibronim M, Rubini C. Intramuscular
Lipoma of the Cheek: A Case Report. J Oral Maxillofac Surg 2000;58:817-819;
20. Thomas S, Varghese BT, Sebastian P, Koshy CM,
Mathews A, Abraham EK. Intramuscular Lipomatosis of Tongue. Postgrad Med J 2002;78:295-297.
Endereço para Correspondência
Adriano Rocha Germano
Rua Ilíria Tavares Galvão, 46/ 7020
Edifício Therra Luna
Tirol - Natal/RN
REVISTA BRASILEIRA DE CIRURGIA BUCO-MAXILO-FACIAL
V10 N2 P. 89 - 93
Recebido em 12/11/08 Aprovado em 03/07/10
18. Prado R, Ribeiro DPB, Fontoura RA, Sampaio
RKPL, Moreira LC. Lipoma sublingual: relato de
caso. BBO 1998;55:226-8;
CEP: 59022-460
email: [email protected]
93
Download
Random flashcards
Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

teste

2 Cartões juh16

Criar flashcards