Vale por um bifinho

Propaganda
Legenda da foto: Na opinião dos profissionais de saúde, pais
devem estimular os filhos, desde cedo, a uma alimentação saudável
Saúde na lancheira
Especialistas chamam a atenção para o fato de que a alimentação saudável
deve começar na infância. Pais precisam orientar os filhos a optarem por
cardápios balanceados
Volta às aulas. Os pais têm de pensar no lanche dos filhos durante o
horário escolar. Na maioria das vezes, se depender da meninada, na lancheira só
entram doces e guloseimas, alimentos ricos em gordura. O consumo
indiscriminado de salgadinhos, doces, biscoitos, sorvetes e outros alimentos
carregados de gorduras e açúcares é capaz de gerar uma série de transtornos na
saúde da criança e, muitas vezes, na do futuro adulto. “Uma criança acima do
peso pode se tornar um adulto obeso, com todos os problemas que a doença
traz”, alerta a diretora do Departamento de Nutrição da Organização Mundial da
Saúde (OMS), Denise Coitinho.
Para o Ministério da Saúde, uma vida saudável precisa incluir desde a
infância alimentos mais naturais, como frutas, verduras e legumes, e menos
gorduras. Estimular hábitos como um cardápio mais balanceado é uma das
estratégias do programa Brasil Saudável, desenvolvido pelo Ministério da Saúde.
“Na hora de preparar o lanche da criança, é importante pensar na
diversidade, agregada ao prazer de comer, e evitar imposições”, afirma a técnica
da Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição do Ministério da
Saúde Kelva Aquino. “Uma sugestão é substituir o refrigerante por sucos naturais
e frutas, alimentos com grande variedade de sabores. As frutas podem ser
consumidas in natura, desidratadas, em bolos, saladas e sucos”, exemplifica.
Os nutricionistas não descartam na lancheira a presença de alimentos um
pouco mais calóricos. Pães e biscoitos devem ser alternados com frutas ou um
iogurte. “Os pais têm a opção de colocar um pão integral no sanduíche. O pão
integral é uma excelente fonte de fibras, como as frutas, e sacia a criança por mais
tempo”, assinala.
Além dos cuidados na hora de preparar o lanche em casa, o ministério
chama a atenção para os cardápios das cantinas das escolas, muitas vezes ricos
em calorias e pouco nutritivos. Os pais devem dar algumas orientações aos filhos.
Consumir salgados assados, em vez de fritos, é uma delas. “É importante
estimular a responsabilidade na criança para que ela possa escolher desde cedo a
opção de cardápio mais saudável”, afirma Kelva.
Mudanças – Especialistas acreditam que a participação de toda a família é
a melhor estratégia para incentivar mudanças na alimentação e nos hábitos do
dia-a-dia dos filhos. Uma boa oportunidade para isso pode ser durante as compras
no supermercado.
Ainda na opinião de especialistas, a criança aprende a
importância do alimento nos primeiros anos de vida escolar. “A lancheira
representa uma forma de socialização com o mundo. Nessa etapa, a criança
começa a entrar em contato com outros modelos e diferentes experiências”, afirma
a psicóloga clínica Tamara Barros. Segundo a terapeuta, o modelo familiar é um
vetor para a criança. “Esse modelo pode ser negativo ou positivo. Não adianta
proibir o menino de comer biscoitos e salgadinhos no colégio, se em casa os pais
abusam da gordura”, ressalta.
Tamara afirma que o papel dos pais é fundamental para que o filho adote
uma alimentação saudável. Sem o exemplo direto do pai e da mãe, a criança
tende a ser influenciada com mais facilidade pelo que vê na televisão, pelos
amigos ou pelo que aprende na rua. Quem assistiu ao filme Supersize me vai
lembrar de estratégias que a indústria dos fast-foods desenvolve para, desde
cedo, formar consumidores fiéis de sanduíches, batatas fritas, refrigerantes e
outros produtos. Essas estratégias incluem promoções com distribuição de
brinquedos para as crianças.
Segundo Kelva Aquino, do Ministério da Saúde, grande parte das crianças
brasileiras acaba se alimentando mal e o reflexo disso está no crescimento no
número de crianças obesas, além da presença alarmante da anemia por
deficiência de ferro. “Crianças devem ter acesso principalmente em casa e na
escola a um cardápio variado, para que se permita consumir uma quantidade
adequada de energia e nutrientes. Não dá para deixá-las o dia todo comendo
açúcar e gordura”, afirma.
Biscoito assado – Na casa da psicóloga Veruska Lacroix, a lancheira
reflete o que é comprado em casa. Com dois filhos – Gabriela, 5 , e Paulo, 8 –, os
alimentos são pensados em função da saúde deles. “Coloco na lancheira da
Gabriela uma fruta, um biscoito assado e um iogurte”, afirma Veruska. Desde
cedo, a menina não gosta de tomar refrigerantes. “Sei que isso é uma exceção,
mas fico feliz dela ter hábitos saudáveis”, diz.
Na visão dos nutricionistas, a lancheira de Gabriela tem a quantidade
correta de nutrientes. O ideal é que a criança leve para escola uma fruta, um suco
e um sanduíche. “São trocas saudáveis. Em vez do pastel, ela pode comer algum
salgado assado; no lugar do refrigerante, o suco”, afirma Kelva Aquino.
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards