Questão 1 Apresente o conceito de filosofia

Propaganda
COLÉGIO METODISTA IZABELA HENDRIX
PROFESSOR (A): Celso Luís Welter
TIPO DE ATIVIDADE: Trabalho de recuperação
VALOR: 6 pontos
NOME:
DISCIPLINA: Filosofia
SÉRIE: Primeiro EM
NOTA:
DATA:
Questão 1
Apresente o conceito de filosofia atentando para os sentidos originários provenientes de sua gênese no
mundo grego.
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
Questão 2
Caracterize e explicite a passagem do pensamento mitológico para o modo filosófico de pensar.
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
______________________________________________________________________________
Questão 3
“Em algum momento, entre os séculos VI e VII antes da era cristã, ideias filosóficas plenamente
articuladas e sistemas de pensamento começaram a aparecer em vários lugares esparsos do globo. Em
torno do Mediterrâneo e no Oriente Médio, na Índia e na China, surgiram filósofos, grandes filósofos cujas
ideias iriam estabelecer os termos da filosofia em suas várias tradições por milênios no futuro. No Oriente
Médio, os antigos hebreus desenvolveram sua concepção de um Deus uno e de si mesmos como o “povo
escolhido”. Na Grécia, filósofos elaboraram as primeiras teorias científicas da natureza. Na China, os
taoístas desenvolveram uma visão muito diferente da natureza, enquanto Confúcio criava uma poderosa
concepção da sociedade e do indivíduo virtuoso que rege o pensamento chinês até hoje. Na Índia antiga,
os primeiros teóricos hindus (os vedistas) comentavam a origem da natureza e do mundo, tal como
descrita nos Vedas, e especulavam sobre ela, criando um rico panteão de deuses, deusas e ideias
grandiosas.
O primeiro período do pensamento grego toma a denominação substancial de período naturalista, porque
a nascente especulação dos filósofos é instintivamente voltada para o mundo exterior, julgando-se
encontrar aí também o princípio unitário de todas as coisas; e toma, também, a denominação cronológica
de período pré-socrático, porque precede Sócrates e os sofistas, que marcam uma mudança e um
desenvolvimento e, por conseguinte, o começo de um novo período na história do pensamento grego.
Esse primeiro período tem início no alvor do VI século a.C., e termina dois séculos depois, mais ou menos,
nos fins do século V.” (CLW)
A partir da leitura do fragmento e dos conhecimentos adquiridos em sala caracterize o período da
filosofia denominado de pré-socrático ou naturalista.
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
Questão 4
"Os antigos relatos míticos da origem, inicialmente transmitidos oralmente e depois transformados em
poemas por Homero e Hesíodo, são questionados pelos pré-socráticos, cujo objetivo principal é explicar a
origem do mundo a partir da arché ou seja, o elemento originário e constitutivo de todas as coisas."
Relacione o filósofo a sua explicação para a "arché", ou seja, a origem e enumere os parênteses.
1. Tales
2. Anaxímenes
3. Anaximandro
4. Heráclito
5. Parmênides
( ) A origem está no movimento eterno que resulta na separação dos contrários (quente e frio, seco e
úmido).
( ) Tudo muda, tudo flui. A origem reside num constante "devir".
( ) A origem está na essência: o que é, é e não pode ser ao mesmo tempo.
( )A origem é a água.
( )A origem é o ar.
A sequência CORRETA é:
a) ( ) 3, 4, 5, 1, 2.
b) ( ) 4, 3, 5, 2, 1.
c) ( ) 3, 2, 1, 5, 4.
d) ( ) 4, 1, 3, 5, 2.
Questão 5
Mario Quintana, no poema “As coisas”, traduziu o sentimento comum dos primeiros filósofos da seguinte
maneira: “O encanto sobrenatural que há nas coisas da Natureza! [...] se nelas algo te dá encanto ou
medo, não me digas que seja feia ou má, é, acaso, singular”.
Os primeiros filósofos da antiguidade clássica grega se preocupavam com:
a) Cosmologia, estudando a origem do Cosmos, contrapondo a tradição mitológica das narrativas
cosmogônicas e teogônicas,
b) Política, discutindo as formas de organização da polis e estabelecendo as regras da democracia.
c) Ética, desenvolvendo uma filosofia dos valores e da vida virtuosa.
d) Epistemologia, procurando estabelecer as origens e limites do conhecimento verdadeiro.
e) Ontologia, construindo uma teoria do ser e do substrato da realidade.
Questão 6
Sobre o pensamento de Heráclito de Éfeso, marque a alternativa INCORRETA.
a) Segundo Heráclito, a realidade do Ser é a imobilidade, uma vez que a luta entre os opostos neutraliza
qualquer possibilidade de movimento.
b) Heráclito concebe o mundo como um eterno devir, isto é, em estado de perene movimento. Nesse
sentido, a imobilidade apresenta-se como uma ilusão.
c) Para Heráclito, a guerra (pólemos) é o princípio regulador da harmonia do mundo.
d) Segundo Heráclito, o um é múltiplo e o múltiplo é um.
Questão 7
A origem da filosofia pode ser situada entre os séculos VI e V a.C. Considera-se que, nessa época, as
palavras filosofia e filósofo não existiam e só depois passam a significar uma forma de postura e de leitura
do mundo diferentes da que existia: a compreensão mítica. Assim, o ponto de partida da reflexão filosófica
pode ser identificado a partir das pesquisas dos milésios Tales, Anaximandro e Anaxímenes. Eles se
detiveram na compreensão da realidade a partir de um conceito-chave, a saber:
a) Aletheia
b) Physis,
c) Cosmos
d) Uno
e) Sóphos
Questão 8
Historicamente existem duas tendências filosóficas de análise da relação entre os mitos e a filosofia grega.
Uma, representada especialmente por John Burnet, fala do milagre grego, enfatizando a ruptura radical da
filosofia em relação à mitologia, não apenas da cultura grega, mas da mitologia em geral. A outra
tendência, representada especialmente por Francis Cornford, fala de uma transição gradual e
multifacetada do mito à filosofia.
Tendo estas duas tendências em vista, analise as afirmativas abaixo sobre a relação histórica e
filosófica entre mito e filosofia:
I. a filosofia grega, a começar pelos pré-socráticos, representa o surgimento consciente de uma atitude
teórica marcada pela racionalidade.
II. a filosofia nunca teve qualquer relação com o mito que precede e envolve seu nascimento no mundo
grego pré-socrático.
III. a filosofia não se diferencia da mitologia.
IV. os filósofos pré-socráticos discutem questões que elaboraram tanto a partir de uma leitura crítica das
explicações mitológicas quanto de sua observação racional dos fenômenos naturais.
V. existe uma relação de continuidade entre filosofia e mitologia no pensamento pré-socrático.
Assinale a alternativa CORRETA.
a) Somente as afirmativas I e V são corretas.
b) Somente as afirmativas I, IV e V são corretas,
c) Somente as afirmativas II e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas III e V são corretas.
e) Somente as afirmativas I, III e V são corretas.
Questão 9
O que há em comum entre Tales, Anaximandro e Anaxímenes de Mileto, entre Xenófanes de Colofão e
Pitágoras de Samos? “Todos esses pensadores propõem uma explicação racional do mundo, e isso é uma
reviravolta decisiva na história do pensamento” (Pierre Hadot).
Com base no texto e nos conhecimentos sobre as relações entre mito e filosofia, seguem as
seguintes proposições:
I. Os filósofos pré-socráticos são conhecidos como filósofos da physis porque as explicações racionais do
mundo por eles produzidas apresentam não apenas o início, o princípio, mas também o desenvolvimento e
o resultado do processo pelo qual uma coisa se constitui.
II. Os filósofos pré-socráticos não foram os primeiros a tratarem da origem e do desenvolvimento do
universo, antes deles já existiam cosmogonias, mas estas eram de tipo mítico, descreviam a história do
mundo como uma luta entre entidades personificadas.
III. As explicações racionais do mundo elaboradas pelos pré-socráticos seguem o mesmo esquema
ternário que estruturava as cosmogonias míticas na medida em que também propõem uma teoria da
origem do mundo, do homem e da cidade.
IV. O nascimento das explicações racionais do mundo são também o surgimento de uma nova ordem do
pensamento, complementar ao mito; em certos momentos decisivos da história da filosofia as duas ordens
de pensamento chegam a coexistir, exemplo disso pode ser encontrado no diálogo platônico Timeu
quando, na apresentação do “mito mais verossímil”, a figura mítica do Demiurgo é introduzida para
explicar a produção do mundo.
V. Tales de Mileto, um dos Sete Sábios, além de matemático e físico é considerado filósofo – o fundador
da filosofia, segundo Aristóteles – porque em sua proposição “A água é a origem e a matriz de todas as
coisas” está contida a proposição “Tudo é um”, ou seja, a representação de unidade.
Assinale a alternativa correta.
a) As proposições III e IV estão incorretas.
b) Somente as proposições I e II estão corretas.
c) Apenas a proposição IV está incorreta.
d) Todas as proposições estão incorretas.
e) Todas as proposições estão corretas,
Questão 10
...que é e que não é possível que não seja,/ é a vereda da Persuasão (porque acompanha a Verdade); o
outro diz que não é e que é preciso que não seja,/ eu te digo que esta é uma vereda em que nada se pode
aprender. De fato, não poderias conhecer o que não é, porque tal não é fatível./ nem poderia expressálo. (Nicola, Ubaldo. Antologia ilustrada de Filosofia. Editora Globo, 2005.)
O texto anterior expressa o pensamento de qual filósofo?
a) Aristóteles, que estabelecia a distinção entre o mundo sensível e o inteligível.
b) Heráclito de Éfeso, que afirmava a unidade entre pensamento e realidade.
c) Tales de Mileto, que afirmava ser a água o princípio de todas as coisas.
d) Parmênides de Eleia, que afirmava a imutabilidade de todas as coisas e a unidade entre ser e pensar,
ser e conhecimento,
e) Protágoras, que afirmava que o homem é a medida de todas as coisas, que o ser é e o não ser não é.
Questão 11
“Nada do que foi será/ De novo do jeito que já foi um dia/ Tudo passa/ Tudo sempre passará
A vida vem em ondas/ Como um mar/ Num indo e vindo infinito
Tudo que se vê não é/ Igual ao que a gente/ Viu há um segundo/ Tudo muda o tempo todo/ No mundo
Não adianta fugir/ Nem mentir/ Pra si mesmo agora/ Há tanta vida lá fora/ Aqui dentro sempre/ Como uma
onda no mar/ Como uma onda no mar/ Como uma onda no mar.” (Lulu Santos e Nelson Motta)
A letra dessa canção de Lulu Santos lembra ideias do filósofo grego Heráclito, que viveu no século VI a.C.
e que usava uma linguagem poética para exprimir seu pensamento. Ele é o autor de uma frase famosa:
“Não se entra duas vezes no mesmo rio”.
Dentre as sentenças de Heráclito a seguir citadas, marque aquela em que o sentido da canção de Lulu
Santos mais se aproxima
a) Morte é tudo que vemos despertos, e tudo que vemos dormindo é sono.
b) O homem tolo gosta de se empolgar a cada palavra.
c) Ao se entrar num mesmo rio, as águas que fluem são outras,
d) Muita instrução não ensina a ter inteligência.
e) O povo deve lutar pela lei como defende as muralhas da sua cidade.
Questão 12
Enquanto tiver ânimo e puder fazê-lo, jamais deixarei de filosofar, de vos advertir, de ensinar em toda
ocasião àquele de vós que eu encontrar, dizendo-lhe o que costumo: ‘Meu caro, tu, um ateniense, da
cidade mais importante e mais reputada por sua sabedoria, não te envergonhas de cuidares de adquirir o
máximo de riquezas, fama e honrarias, e de não te importares nem pensares na razão, na verdade e em
melhorar tua alma? (PLATÃO. Apologia de Sócrates, pg. 29).
A partir do trecho acima de Platão, é correto afirmar que para Sócrates:
I – o verdadeiro conhecimento é aquele que vem de dentro. Daí o famoso: “Conhece-te a ti mesmo”.
II - o filosofar é uma atividade que impõe a verdade, visto que Sócrates é aquele que detém o
conhecimento.
III – a posse de bens materiais é para ele um valor inquestionável.
IV – racionalidade, verdade e melhora da alma são valores defendidos pelo filósofo.
Assinale a alternativa que contém as afirmativas corretas.
a) II e III.
b) I e IV.
c) III e IV
d) I e III
Questão 13
“Os antigos, ou melhor, os antiqüíssimos, (teólogos), transmitiram por tradição a nós outros seus
descendentes, na forma do mito, que os astros são Deuses e que o divino abrange toda a natureza ...
Costuma-se dizer que os Deuses têm forma humana, ou se transformam em semelhantes a outros seres
viventes ... Porém, pondo-se de lado tudo o mais, e conservando-se o essencial, isto é, se se acreditou
que as substâncias primeiras eram Deuses, poderia pensar-se que isto foi dito por inspiração divina ...”
(Aristóteles, Metafísica, XII, 8, 1074b, apud Mondolfo, O pensamento antigo, I, São Paulo: Mestre Jou,
1964, p.13).
Com base nesse excerto e no seu conhecimento sobre a questão da origem da filosofia, considere
as seguintes alternativas:
I. Antes de fazerem filosofia, os gregos já indagavam sobre a origem e a formação do universo; e as
respostas a esse problema eram oferecidas sob a forma de mito, isto é, por meio de uma narrativa
alegórica que descreve a origem ou a condição de alguma coisa, reportando a um passado imemorial.
II. Na Teogonia, Hesíodo descreve a gênese do mundo coincidindo com o nascimento dos deuses; as
forças e os domínios cósmicos não surgem como pura natureza, mas sim como divindades: Gaia é a
Terra, Urano é o Céu, Cronos é o Tempo.
III. Os primeiros filósofos gregos buscaram descobrir o princípio (arché) originário de todas as coisas, o
elemento ou a substância constitutiva do universo; elaborando uma cosmologia, não se contentavam com
doutrinas divinamente inspiradas, mas tentavam compreender racionalmente o cosmo.
IV. Os gregos foram pouco originais no exercício do pensamento crítico racional; apropriaram-se das
conquistas científicas e do patrimônio cultural de civilizações orientais com mínimas alterações.
V. É tese hoje bastante aceita que o nascimento da filosofia na Grécia não foi um “milagre” realizado por
um povo privilegiado, mas a culminação de um processo lento, tributário de um passado mítico, e
influenciado por transformações políticas, econômicas e sociais.
Assinale a alternativa correta:
a) I, II, III, IV e V.
b) I, II e III.
c) I, II, III e V.
d) I, III.
Questão 14
“Foi na Grécia de Homero que surgiu uma maneira até então desconhecida de fazer política: o rei deixou
de ser onipotente e seu poder foi lentamente partilhado e disputado entre os cidadãos. Era o início de um
fenômeno que se consolidaria a partir do século 6º a.C., na Atenas de Sólon e Clístenes, e que se tornaria
um dos fundamentos da civilização ocidental: a democracia.” (Entrevista com Jean Pierre Vernant. Folha
de S. Paulo, 31 out. 1999. Caderno Mais!, p. 4.)
Com base no trecho da entrevista e nos conhecimentos sobre o tema, assinale a alternativa
correta.
a) A afirmação de que o “poder foi lentamente partilhado e disputado entre os cidadãos” considera que na
democracia grega todos os habitantes podiam eleger e ser eleitos para cargos políticos.
b) A democracia grega foi um fenômeno isolado e, por isso, não teve influência significativa nos rumos da
política na civilização ocidental.
c) A “maneira até então desconhecida de fazer política”, a que o texto se refere, é a democracia grega,
que permitiu aos cidadãos participarem das questões relativas à coletividade.
d) Na democracia grega, que se consolidou a partir do século 6º a.C., o rei detinha o poder absoluto,
decidindo sobre todas as questões públicas.
Questão 15
“Mas quem fosse inteligente (…) lembrar-se-ia de que as perturbações visuais são duplas, e por dupla
causa, da passagem da luz à sombra, e da sombra à luz. Se compreendesse que o mesmo se passa com
a alma, quando visse alguma perturbada e incapaz de ver, não riria sem razão, mas reparava se ela não
estaria antes ofuscada por falta de hábito, por vir de uma vida mais luminosa, ou se, por vir de uma maior
ignorância a uma luz mais brilhante, não estaria deslumbrada por reflexos demasiadamente refulgentes
[brilhantes]; à primeira, deveria felicitar pelas suas condições e pelo seu gênero de vida; da segunda, ter
compaixão e, se quisesse troçar dela, seria menos risível esta zombaria do que aquela que descia do
mundo luminoso.”
(A República, 518 a-b, trad. Maria Helena da Rocha Pereira, Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian,
1987. )
Sobre este trecho do livro VII de A República de Platão, é correto afirmar:
I. A condição de quem vive nas sombras é digna de compaixão.
II. O filósofo, sendo aquele que passa da luz à sombra, não tem problemas em retornar às sombras.
III. O trecho estabelece uma relação entre o mundo visível e o inteligível, fundada em uma comparação
entre o olho e a alma.
IV. No trecho, é afirmado que o conhecimento não necessita de educação, pois quem se encontraria nas
sombras facilmente se acostumaria à luz.
Marque a alternativa que contém todas as afirmações corretas:
a) II e III
b) I e IV
c) I e III
d) III e IV
Questão 16
Para John Dewey (1859-1952), à ciência é dado conhecer tudo o que podemos conhecer, enquanto à
filosofia é dado pensar tudo o que o conhecimento adquirido pela ciência exige de nós. Isto mostra
claramente porque para Dewey havia uma continuidade entre experiência e:
a) Natureza.
b) Fé.
c) Mito.
d) Ciência.
Questão 17
Só resta o mito de uma via, a do ser: e sobre esta existem indícios de que sendo não gerado é também
imperecível, pois é todo inteiro, inabalável e sem fim, nem jamais era nem será, pois é agora todo junto,
uno, contínuo (Parmênides)
A partir deste trecho do poema de Parmênides, é possível afirmar que
a) a continuidade, a geração e o imobilismo estão presentes na via do ser.
b) o ser, por não poder não ser, não é gerado nem deixa de ser, não tendo princípio nem fim.
c) a via do ser é aquela percebida pelos nossos sentidos.
d) o ser, para o autor, de certo modo não é, pois nunca foi no passado nem será no futuro
Download
Random flashcards
Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

Criar flashcards