MECANISMOS DE ESCAPE DO PARASITA localização estratégica

Propaganda
MECANISMOS ESCAPE DO PARASITA localização estratégica, inclusões moleculares na superf
parasita, espessura do tegumento, destruição de AC, prod de enzimas inativadoras, variação antigênica.
FEBRE MACULOSA VETOR carrapato-estrela (Amblyoma cajennense). A larva é micuim ou
carrapato-polvora. PATOGENIA E MANISFEST: agressões traumática, irritativa (inflamação), enzimática
e espoliativa. SINT dor de cabeça, no corpo, febre e manchas avermelhadas na pele. Local da
picada pode ser entrada de infecção secundaria.
SARNA VETOR ácaro (Sarcoptes scabiei). Alimenta de linfa, não de sangue. PATOGENIA E
MANIFEST agressoes traumatica, enzimatica e irritativa. Eritema, dermatite e prurido. DIAGNOST
achados clínicos, raspado de pele. Preferência por locais quentes do corpo.
PIOLHOS 3º par de patas subdesenvolvido (não pulam). LÊNDIA ovo com cimentante. Ciclo todo
no hosped e todas fases são hematófagas. Pode transmitir tifo exantematico e febre das trincheiras.
MIÍASE afecção causada por presença de larvas de moscas em órgãos e tecidos do homem e outros
vertebrados, onde elas se nutrem e desenvolvem como parasitos. MOSCA VAREJEIRA PATOGENIA
E MANIFEST agressões traumática, enzimática e irritativa. Intensa inflamação. Odor fétido.
DIAGNOST é clinico, por observação e identificação das larvas na lesão. PROFILAXIA cobrir
feridas. MOSCA BERNEIRA PATOGENIA E MANIFEST agressões traumática, irritativa e litica.
Inflamação, lesão proeminente, dermatite furunculoide. DIAGNOST clinico, observaçao de larvas.
GIARDIASE Giardia lamblia, protozoario flagelado. HABITAT intestino delgado (duodeno). CISTO
forma de resistência, com membrana de quitina. PATOGEINA E MANIFEST irritação da mucosa,
atrofia de vilosidades e alteração de microvilosidades, redução da absorção de nutrientes. SINT
náusea, digestão difícil, feses explosivas (gases), diarréicas, liquidas ou moles (consistência de mingau)
e muito fétidas. DIAGNOST clinico (esteatorreia, emagrecimento e cólica abdominal), laboratorial
(EPF, técnica de flutuaçao), imunológico (ELISA, imunofluorescencia direta, PCR).
TRICOMONIASE HABITAT vagina, cervix, útero, trompas, uretra, próstata, vesícula seminal,
epidídimo. PATOGENIA E MANIFEST homem é assintomático, podendo ter uretrite e dor durante
sexo. Mulher tem vermelhidão, corrimento (purulento, bolhoso e fétido). DIAGNOST analise do
sêmen. PROFILAXIA tratamento dos doentes e seus parceiros, camisinha, higiene de roupas intimas.
Pode transmitir no parto. Sobrevive ate 3 horas no ambiente úmido.
AMEBIASE HABITAT intestino grosso. CICLO ingestão de cisto maduro, digestão da parede do
cisto, trofozoita levado ao intestino grosso, adesão à mucosa. PATOGENIA E MANIFEST agressões
traumática e enzimática, colite amebiana crônica e disenteria amebiana. SINT diarréia com sangue
nas fezes. DIAGNOST parasitológico.
BALANTIDIASE único parasita ciliado do homem. HABITAT intestino grosso. TRANSM ingestão
de carne mal passada. CICLO ingestão de alimento com cistos, digestão da parede do cisto, liberação
de trofozoitas no intestino grosso. PATOGENIA trofozoitas digerem intest grosso. SINT diarréia,
anorexia, meteorismo, fraqueza, insônia, dor abdominal. DIAGNOST EPF e cultura.
LEISHMANIOSE protozoarios flagelados. COMPLEXOS Leishmania mexicana (sem tropismo
visceral e sem metástase), L. donovani (forte tendência à visceraçao), L. braziliensis (sem tropismo
visceral e com metástase). HABITAT cél do sistema fagócito mononuclear. CICLO fêmea do
flebotomineo pica homem doente ingerindo macrófagos contendo amastigotas, que chegam no tubo
digestivo do inseto e viram promastigotas, que colonizam o intestino do inseto e migram para aparelho
bucal do inseto, que ao picar o homem sadio transmite a doença, promastigota é fagocitado (mas
impede a célula de digeri-lo), vira amastigota, que reproduz na célula ate rompê-la e cair no sangue.
PATOGENIA E MANIFEST agressões traumática e espoliativa, induz proliferação de cél fagocitárias.
CUTANEA ulcera pequena, de bordos elevados, indolor, fundo granuloso. L. amazonensis
(leishmaniose cutânea difusa) e L. braziliensis (cutâneo-mucosa). DIAGNOST parasitológico
(pesquisa de parasitas a partir de biopsia de lesões cutâneas, raspagem de lesões ulceradas ou da
borda inflamada, histopatologia do material da biopsia), imunológico (teste intradermico). HIV+ podem
ter cutanea com tendência à visceraçao. VISCERAL parasitas atingem órgãos por via hematogenica,
onde são fagocitados por macrófagos, multiplicam, proliferam macrófagos das vísceras,
hepatoesplenomegalia e hipertrofia dos linfonodos. 1º órgão a hipertrofiar é o baço. Ocorre destriçao do
tecido hematopoiético na medula óssea (anemia). DIAGNOST parasitológico (pesquisa de parasitas a
partir de aspirado de material do baço, biopsia de fígado ou baço, pesquisa de leishmanias no sangue),
imunológico (pesquisa de anticorpos séricos).
MECANISMOS ESCAPE DO PARASITA localização estratégica, inclusões moleculares na superf
parasita, espessura do tegumento, destruição de AC, prod de enzimas inativadoras, variação antigênica.
FEBRE MACULOSA VETOR carrapato-estrela (Amblyoma cajennense). A larva é micuim ou
carrapato-polvora. PATOGENIA E MANISFEST: agressões traumática, irritativa (inflamação), enzimática
e espoliativa. SINT dor de cabeça, no corpo, febre e manchas avermelhadas na pele. Local da
picada pode ser entrada de infecção secundaria.
SARNA VETOR ácaro (Sarcoptes scabiei). Alimenta de linfa, não de sangue. PATOGENIA E
MANIFEST agressoes traumatica, enzimatica e irritativa. Eritema, dermatite e prurido. DIAGNOST
achados clínicos, raspado de pele. Preferência por locais quentes do corpo.
PIOLHOS 3º par de patas subdesenvolvido (não pulam). LÊNDIA ovo com cimentante. Ciclo todo
no hosped e todas fases são hematófagas. Pode transmitir tifo exantematico e febre das trincheiras.
MIÍASE afecção causada por presença de larvas de moscas em órgãos e tecidos do homem e outros
vertebrados, onde elas se nutrem e desenvolvem como parasitos. MOSCA VAREJEIRA PATOGENIA
E MANIFEST agressões traumática, enzimática e irritativa. Intensa inflamação. Odor fétido.
DIAGNOST é clinico, por observação e identificação das larvas na lesão. PROFILAXIA cobrir
feridas. MOSCA BERNEIRA PATOGENIA E MANIFEST agressões traumática, irritativa e litica.
Inflamação, lesão proeminente, dermatite furunculoide. DIAGNOST clinico, observaçao de larvas.
GIARDIASE Giardia lamblia, protozoario flagelado. HABITAT intestino delgado (duodeno). CISTO
forma de resistência, com membrana de quitina. PATOGEINA E MANIFEST irritação da mucosa,
atrofia de vilosidades e alteração de microvilosidades, redução da absorção de nutrientes. SINT
náusea, digestão difícil, feses explosivas (gases), diarréicas, liquidas ou moles (consistência de mingau)
e muito fétidas. DIAGNOST clinico (esteatorreia, emagrecimento e cólica abdominal), laboratorial
(EPF, técnica de flutuaçao), imunológico (ELISA, imunofluorescencia direta, PCR).
TRICOMONIASE HABITAT vagina, cervix, útero, trompas, uretra, próstata, vesícula seminal,
epidídimo. PATOGENIA E MANIFEST homem é assintomático, podendo ter uretrite e dor durante
sexo. Mulher tem vermelhidão, corrimento (purulento, bolhoso e fétido). DIAGNOST analise do
sêmen. PROFILAXIA tratamento dos doentes e seus parceiros, camisinha, higiene de roupas intimas.
Pode transmitir no parto. Sobrevive ate 3 horas no ambiente úmido.
AMEBIASE HABITAT intestino grosso. CICLO ingestão de cisto maduro, digestão da parede do
cisto, trofozoita levado ao intestino grosso, adesão à mucosa. PATOGENIA E MANIFEST agressões
traumática e enzimática, colite amebiana crônica e disenteria amebiana. SINT diarréia com sangue
nas fezes. DIAGNOST parasitológico.
BALANTIDIASE único parasita ciliado do homem. HABITAT intestino grosso. TRANSM ingestão
de carne mal passada. CICLO ingestão de alimento com cistos, digestão da parede do cisto, liberação
de trofozoitas no intestino grosso. PATOGENIA trofozoitas digerem intest grosso. SINT diarréia,
anorexia, meteorismo, fraqueza, insônia, dor abdominal. DIAGNOST EPF e cultura.
LEISHMANIOSE protozoarios flagelados. COMPLEXOS Leishmania mexicana (sem tropismo
visceral e sem metástase), L. donovani (forte tendência à visceraçao), L. braziliensis (sem tropismo
visceral e com metástase). HABITAT cél do sistema fagócito mononuclear. CICLO fêmea do
flebotomineo pica homem doente ingerindo macrófagos contendo amastigotas, que chegam no tubo
digestivo do inseto e viram promastigotas, que colonizam o intestino do inseto e migram para aparelho
bucal do inseto, que ao picar o homem sadio transmite a doença, promastigota é fagocitado (mas
impede a célula de digeri-lo), vira amastigota, que reproduz na célula ate rompê-la e cair no sangue.
PATOGENIA E MANIFEST agressões traumática e espoliativa, induz proliferação de cél fagocitárias.
CUTANEA ulcera pequena, de bordos elevados, indolor, fundo granuloso. L. amazonensis
(leishmaniose cutânea difusa) e L. braziliensis (cutâneo-mucosa). DIAGNOST parasitológico
(pesquisa de parasitas a partir de biopsia de lesões cutâneas, raspagem de lesões ulceradas ou da
borda inflamada, histopatologia do material da biopsia), imunológico (teste intradermico). HIV+ podem
ter cutanea com tendência à visceraçao. VISCERAL parasitas atingem órgãos por via hematogenica,
onde são fagocitados por macrófagos, multiplicam, proliferam macrófagos das vísceras,
hepatoesplenomegalia e hipertrofia dos linfonodos. 1º órgão a hipertrofiar é o baço. Ocorre destriçao do
tecido hematopoiético na medula óssea (anemia). DIAGNOST parasitológico (pesquisa de parasitas a
partir de aspirado de material do baço, biopsia de fígado ou baço, pesquisa de leishmanias no sangue),
imunológico (pesquisa de anticorpos séricos).
MECANISMOS ESCAPE DO PARASITA localização estratégica, inclusões moleculares na superf
parasita, espessura do tegumento, destruição de AC, prod de enzimas inativadoras, variação antigênica.
FEBRE MACULOSA VETOR carrapato-estrela (Amblyoma cajennense). A larva é micuim ou
carrapato-polvora. PATOGENIA E MANISFEST: agressões traumática, irritativa (inflamação), enzimática
e espoliativa. SINT dor de cabeça, no corpo, febre e manchas avermelhadas na pele. Local da
picada pode ser entrada de infecção secundaria.
SARNA VETOR ácaro (Sarcoptes scabiei). Alimenta de linfa, não de sangue. PATOGENIA E
MANIFEST agressoes traumatica, enzimatica e irritativa. Eritema, dermatite e prurido. DIAGNOST
achados clínicos, raspado de pele. Preferência por locais quentes do corpo.
PIOLHOS 3º par de patas subdesenvolvido (não pulam). LÊNDIA ovo com cimentante. Ciclo todo
no hosped e todas fases são hematófagas. Pode transmitir tifo exantematico e febre das trincheiras.
MIÍASE afecção causada por presença de larvas de moscas em órgãos e tecidos do homem e outros
vertebrados, onde elas se nutrem e desenvolvem como parasitos. MOSCA VAREJEIRA PATOGENIA
E MANIFEST agressões traumática, enzimática e irritativa. Intensa inflamação. Odor fétido.
DIAGNOST é clinico, por observação e identificação das larvas na lesão. PROFILAXIA cobrir
feridas. MOSCA BERNEIRA PATOGENIA E MANIFEST agressões traumática, irritativa e litica.
Inflamação, lesão proeminente, dermatite furunculoide. DIAGNOST clinico, observaçao de larvas.
GIARDIASE Giardia lamblia, protozoario flagelado. HABITAT intestino delgado (duodeno). CISTO
forma de resistência, com membrana de quitina. PATOGEINA E MANIFEST irritação da mucosa,
atrofia de vilosidades e alteração de microvilosidades, redução da absorção de nutrientes. SINT
náusea, digestão difícil, feses explosivas (gases), diarréicas, liquidas ou moles (consistência de mingau)
e muito fétidas. DIAGNOST clinico (esteatorreia, emagrecimento e cólica abdominal), laboratorial
(EPF, técnica de flutuaçao), imunológico (ELISA, imunofluorescencia direta, PCR).
TRICOMONIASE HABITAT vagina, cervix, útero, trompas, uretra, próstata, vesícula seminal,
epidídimo. PATOGENIA E MANIFEST homem é assintomático, podendo ter uretrite e dor durante
sexo. Mulher tem vermelhidão, corrimento (purulento, bolhoso e fétido). DIAGNOST analise do
sêmen. PROFILAXIA tratamento dos doentes e seus parceiros, camisinha, higiene de roupas intimas.
Pode transmitir no parto. Sobrevive ate 3 horas no ambiente úmido.
AMEBIASE HABITAT intestino grosso. CICLO ingestão de cisto maduro, digestão da parede do
cisto, trofozoita levado ao intestino grosso, adesão à mucosa. PATOGENIA E MANIFEST agressões
traumática e enzimática, colite amebiana crônica e disenteria amebiana. SINT diarréia com sangue
nas fezes. DIAGNOST parasitológico.
BALANTIDIASE único parasita ciliado do homem. HABITAT intestino grosso. TRANSM ingestão
de carne mal passada. CICLO ingestão de alimento com cistos, digestão da parede do cisto, liberação
de trofozoitas no intestino grosso. PATOGENIA trofozoitas digerem intest grosso. SINT diarréia,
anorexia, meteorismo, fraqueza, insônia, dor abdominal. DIAGNOST EPF e cultura.
LEISHMANIOSE protozoarios flagelados. COMPLEXOS Leishmania mexicana (sem tropismo
visceral e sem metástase), L. donovani (forte tendência à visceraçao), L. braziliensis (sem tropismo
visceral e com metástase). HABITAT cél do sistema fagócito mononuclear. CICLO fêmea do
flebotomineo pica homem doente ingerindo macrófagos contendo amastigotas, que chegam no tubo
digestivo do inseto e viram promastigotas, que colonizam o intestino do inseto e migram para aparelho
bucal do inseto, que ao picar o homem sadio transmite a doença, promastigota é fagocitado (mas
impede a célula de digeri-lo), vira amastigota, que reproduz na célula ate rompê-la e cair no sangue.
PATOGENIA E MANIFEST agressões traumática e espoliativa, induz proliferação de cél fagocitárias.
CUTANEA ulcera pequena, de bordos elevados, indolor, fundo granuloso. L. amazonensis
(leishmaniose cutânea difusa) e L. braziliensis (cutâneo-mucosa). DIAGNOST parasitológico
(pesquisa de parasitas a partir de biopsia de lesões cutâneas, raspagem de lesões ulceradas ou da
borda inflamada, histopatologia do material da biopsia), imunológico (teste intradermico). HIV+ podem
ter cutanea com tendência à visceraçao. VISCERAL parasitas atingem órgãos por via hematogenica,
onde são fagocitados por macrófagos, multiplicam, proliferam macrófagos das vísceras,
hepatoesplenomegalia e hipertrofia dos linfonodos. 1º órgão a hipertrofiar é o baço. Ocorre destriçao do
tecido hematopoiético na medula óssea (anemia). DIAGNOST parasitológico (pesquisa de parasitas a
partir de aspirado de material do baço, biopsia de fígado ou baço, pesquisa de leishmanias no sangue),
imunológico (pesquisa de anticorpos séricos).
MECANISMOS ESCAPE DO PARASITA localização estratégica, inclusões moleculares na superf
parasita, espessura do tegumento, destruição de AC, prod de enzimas inativadoras, variação antigênica.
FEBRE MACULOSA VETOR carrapato-estrela (Amblyoma cajennense). A larva é micuim ou
carrapato-polvora. PATOGENIA E MANISFEST: agressões traumática, irritativa (inflamação), enzimática
e espoliativa. SINT dor de cabeça, no corpo, febre e manchas avermelhadas na pele. Local da
picada pode ser entrada de infecção secundaria.
SARNA VETOR ácaro (Sarcoptes scabiei). Alimenta de linfa, não de sangue. PATOGENIA E
MANIFEST agressoes traumatica, enzimatica e irritativa. Eritema, dermatite e prurido. DIAGNOST
achados clínicos, raspado de pele. Preferência por locais quentes do corpo.
PIOLHOS 3º par de patas subdesenvolvido (não pulam). LÊNDIA ovo com cimentante. Ciclo todo
no hosped e todas fases são hematófagas. Pode transmitir tifo exantematico e febre das trincheiras.
MIÍASE afecção causada por presença de larvas de moscas em órgãos e tecidos do homem e outros
vertebrados, onde elas se nutrem e desenvolvem como parasitos. MOSCA VAREJEIRA PATOGENIA
E MANIFEST agressões traumática, enzimática e irritativa. Intensa inflamação. Odor fétido.
DIAGNOST é clinico, por observação e identificação das larvas na lesão. PROFILAXIA cobrir
feridas. MOSCA BERNEIRA PATOGENIA E MANIFEST agressões traumática, irritativa e litica.
Inflamação, lesão proeminente, dermatite furunculoide. DIAGNOST clinico, observaçao de larvas.
GIARDIASE Giardia lamblia, protozoario flagelado. HABITAT intestino delgado (duodeno). CISTO
forma de resistência, com membrana de quitina. PATOGEINA E MANIFEST irritação da mucosa,
atrofia de vilosidades e alteração de microvilosidades, redução da absorção de nutrientes. SINT
náusea, digestão difícil, feses explosivas (gases), diarréicas, liquidas ou moles (consistência de mingau)
e muito fétidas. DIAGNOST clinico (esteatorreia, emagrecimento e cólica abdominal), laboratorial
(EPF, técnica de flutuaçao), imunológico (ELISA, imunofluorescencia direta, PCR).
TRICOMONIASE HABITAT vagina, cervix, útero, trompas, uretra, próstata, vesícula seminal,
epidídimo. PATOGENIA E MANIFEST homem é assintomático, podendo ter uretrite e dor durante
sexo. Mulher tem vermelhidão, corrimento (purulento, bolhoso e fétido). DIAGNOST analise do
sêmen. PROFILAXIA tratamento dos doentes e seus parceiros, camisinha, higiene de roupas intimas.
Pode transmitir no parto. Sobrevive ate 3 horas no ambiente úmido.
AMEBIASE HABITAT intestino grosso. CICLO ingestão de cisto maduro, digestão da parede do
cisto, trofozoita levado ao intestino grosso, adesão à mucosa. PATOGENIA E MANIFEST agressões
traumática e enzimática, colite amebiana crônica e disenteria amebiana. SINT diarréia com sangue
nas fezes. DIAGNOST parasitológico.
BALANTIDIASE único parasita ciliado do homem. HABITAT intestino grosso. TRANSM ingestão
de carne mal passada. CICLO ingestão de alimento com cistos, digestão da parede do cisto, liberação
de trofozoitas no intestino grosso. PATOGENIA trofozoitas digerem intest grosso. SINT diarréia,
anorexia, meteorismo, fraqueza, insônia, dor abdominal. DIAGNOST EPF e cultura.
LEISHMANIOSE protozoarios flagelados. COMPLEXOS Leishmania mexicana (sem tropismo
visceral e sem metástase), L. donovani (forte tendência à visceraçao), L. braziliensis (sem tropismo
visceral e com metástase). HABITAT cél do sistema fagócito mononuclear. CICLO fêmea do
flebotomineo pica homem doente ingerindo macrófagos contendo amastigotas, que chegam no tubo
digestivo do inseto e viram promastigotas, que colonizam o intestino do inseto e migram para aparelho
bucal do inseto, que ao picar o homem sadio transmite a doença, promastigota é fagocitado (mas
impede a célula de digeri-lo), vira amastigota, que reproduz na célula ate rompê-la e cair no sangue.
PATOGENIA E MANIFEST agressões traumática e espoliativa, induz proliferação de cél fagocitárias.
CUTANEA ulcera pequena, de bordos elevados, indolor, fundo granuloso. L. amazonensis
(leishmaniose cutânea difusa) e L. braziliensis (cutâneo-mucosa). DIAGNOST parasitológico
(pesquisa de parasitas a partir de biopsia de lesões cutâneas, raspagem de lesões ulceradas ou da
borda inflamada, histopatologia do material da biopsia), imunológico (teste intradermico). HIV+ podem
ter cutanea com tendência à visceraçao. VISCERAL parasitas atingem órgãos por via hematogenica,
onde são fagocitados por macrófagos, multiplicam, proliferam macrófagos das vísceras,
hepatoesplenomegalia e hipertrofia dos linfonodos. 1º órgão a hipertrofiar é o baço. Ocorre destriçao do
tecido hematopoiético na medula óssea (anemia). DIAGNOST parasitológico (pesquisa de parasitas a
partir de aspirado de material do baço, biopsia de fígado ou baço, pesquisa de leishmanias no sangue),
imunológico (pesquisa de anticorpos séricos).
MALARIA hosped intermediario é o homem e o definitivo é o mosquito (Anopheles). No mosquito tem
as formas micro e macrogametocitos, oocineto ou zigoto, oocisto e esporozoitos. No homem tem
esquizontes pré-eritrociticos, merozoitas, trofozoitas, esquizontes e gametocitos. CICLO fêmea do
Anopheles ingere sangue humano com hemácias infectadas por gametocitos, ha queda de temperatura
no inseto, forma macro e microgametocitos, ocorre gametogonia, forma o zigoto (oocineto) que penetra
na parede do tubo digestivo, forma oocisto não-esporulado, ocorre esporulação liberando esporozoitas
que chegam na hemocele e vão para glandula salivar do inseto, ao picar o homem sadio ocorre
inoculação de esporozoitas no sangue, esporozoitas vão para o fígado, penetram no hepatocito
formando trofozoitas, ocorre esquizogonia, forma esquizontes, forma merozoitas que causam morte
celular, os merozoitas podem infectar novos hepatocitos ou hemácias, nas hemácias merozoitas viram
gametocitos. Em casos de P. ovale ou P. vivax, ocorre hipnozoita (esporozoitas queficam em latencia
nos vacúolos dos hepatocitos). PATOGENIA E MANIFEST lise de hemácias liberando hemozoina e
causando febres, anemia, hepatoesplenomegalia, insuficiência renal aguda e cronica. DIAGNOST
fase aguda (pesquisa de parasitas no sangue periférico, esfregaço sanguineo, gota espessa, pesquisa
de anticorpos por ELISA, RIFI e imunocromatografia), fase crônica (pesquisa de parasitas em punção de
medula óssea, pesquisa de AC por ELISA e RIFI, pesquisa de DNA parasitário por PCR). P. vivax
(reticulocitos), P. malariae (eritrócitos velhos), P. falciparum (todos os tipos).
TOXOPLASMOSE homem é hosped intermediário e felinos são definitivo. HABITAT intestino
delgado dos felinos e qualquer célula no homem. No inicio parasita multiplica intensamente (fase
aguda). Conforme organismo reage a ele, ele passa a multiplicar em cél nervosas e musculares (fase
crônica). Endogenia resproduçao assexuada que ocorre no homem. No inicio ocorre de forma rápida,
rompendo cél do hosped, mas depois ocorre lentamente. Ela ocorre no vacúolo parasitoforo. Na fase
crônica endogenia não rompe cél. / os taquizoitas são característicos da fase aguda, mas pessoas com
toxoplasma ficam infectadas pro resto da vida, já que bradizoitas permancem na fase crônica. CICLO
oocisto não-esporulado no intestino do gato, oocisto eliminado nas fezes, oocisto esporulado contamina
água, homem sadio ingere água contaminada, oocisto esporulado passa pelo tubo digestivo do homem
e libera esporozoitos que infectam enterocitos (fase aguda), ocorre endogenia, forma taquizoitas que
migram para cél nervosas e musculares e vira bradizoita (fase cronica). Agentes infectantes
taquizoitas, bradizoitas e oocisto esporulado. PATOGENIA E MANIFEST fase aguda (lise celular,
focos de necrose com infiltrado inflamatório), fase crônica (assintomática), em imunodeficientes (grave
encefalite, miocerdite, pneumonia). DIAGNOST visualização do parasita, pesquisa de AC, pesquisa
de DNA parasitário (PCR), parasitológico (histopatologia), imunológico (teste Sabin-Feldman, sorologia
pareada, PCR). Na fase aguda taquizoita pode passar pela placenta: 1º trimestre (aborto), 2º trim
(danos no SNC), 3º trim (danos + brandos). Pode transmitir por transfusão sanguinea e pelo leite.
CRYPTOSPORIDIUM HABITAT intestino delgado (microvilosidades). CICLO oocisto liberado nas
fezes do hosped contamina água, homem sadio ingere água contaminada, oocisto rompe no intestino
delgado, liberação de esporozoitas que penetram nas microvilosidades, ocorre esquizogonia, forma
merozoitas que diferencia em gametocitos, forma oocisto que é liberado nas fezes. PATOGENIA E
MANIFEST não rompe célula, apenas destrói microvilosidades. Em inumocompetentes a infecçao é
auto limitante e assintomatica. SINT anorexia, diarréia liquida, náuseas, vômitos, dores abdominais,
febre e desidratação. DIAGNOST exame coproparasitologico (método de flutuação), esfregaços
fecais, ELISA, imunofluorescencia, PCR. Oocisto é resistente à maioria dos desinfetantes.
CHAGAS VETOR barbeiro (triatomideo). HABITAT miocárdio, células do esôfago e do cólon.
CICLO barbeiro ingere sangue contendo tripomastigotas que viram epimastigota no tubo digestivo do
inseto, ocorre reprodução assexuada (divisão binária), no reto do inseto volta a ser tripomastigota, que é
eliminado nas fezes do barbeiro, ao picar o homem inseto defeca, homem coça, fezes com
tripomastigotas em contato com ferida ou qualquer mucosa, contaminação do homem, presença de
tripomastigotas no sangue e amastigotas nas células. PATOGENIA E MANIFEST febre, miocardite,
adenomegalia, hepatoesplenomegalia, conjuntive unilateral (sinal de Romaña), meningoencefalite.
SINT fase aguda (assintomática ou sinal de Romanã), fase crônica (assintomática ou cardiopatia
crônica, megacolon e megaesôfago – ninhos de amastigotas). DIAGNOSTICO clinico (procedência do
paciente, transplante e tranfusao, sinal de Romana), laboratorial na fase aguda (pesquisa de parasitas
no sangue, biopsia de ganglio linfatico e imunofluorescencia) na fase cronica (xenodiagnostico, cultura
de parasitas em cobaias), imunologico (ELISA, RFC, imunofluorescencia indireta).
MALARIA hosped intermediario é o homem e o definitivo é o mosquito (Anopheles). No mosquito tem
as formas micro e macrogametocitos, oocineto ou zigoto, oocisto e esporozoitos. No homem tem
esquizontes pré-eritrociticos, merozoitas, trofozoitas, esquizontes e gametocitos. CICLO fêmea do
Anopheles ingere sangue humano com hemácias infectadas por gametocitos, ha queda de temperatura
no inseto, forma macro e microgametocitos, ocorre gametogonia, forma o zigoto (oocineto) que penetra
na parede do tubo digestivo, forma oocisto não-esporulado, ocorre esporulação liberando esporozoitas
que chegam na hemocele e vão para glandula salivar do inseto, ao picar o homem sadio ocorre
inoculação de esporozoitas no sangue, esporozoitas vão para o fígado, penetram no hepatocito
formando trofozoitas, ocorre esquizogonia, forma esquizontes, forma merozoitas que causam morte
celular, os merozoitas podem infectar novos hepatocitos ou hemácias, nas hemácias merozoitas viram
gametocitos. Em casos de P. ovale ou P. vivax, ocorre hipnozoita (esporozoitas queficam em latencia
nos vacúolos dos hepatocitos). PATOGENIA E MANIFEST lise de hemácias liberando hemozoina e
causando febres, anemia, hepatoesplenomegalia, insuficiência renal aguda e cronica. DIAGNOST
fase aguda (pesquisa de parasitas no sangue periférico, esfregaço sanguineo, gota espessa, pesquisa
de anticorpos por ELISA, RIFI e imunocromatografia), fase crônica (pesquisa de parasitas em punção de
medula óssea, pesquisa de AC por ELISA e RIFI, pesquisa de DNA parasitário por PCR). P. vivax
(reticulocitos), P. malariae (eritrócitos velhos), P. falciparum (todos os tipos).
TOXOPLASMOSE homem é hosped intermediário e felinos são definitivo. HABITAT intestino
delgado dos felinos e qualquer célula no homem. No inicio parasita multiplica intensamente (fase
aguda). Conforme organismo reage a ele, ele passa a multiplicar em cél nervosas e musculares (fase
crônica). Endogenia resproduçao assexuada que ocorre no homem. No inicio ocorre de forma rápida,
rompendo cél do hosped, mas depois ocorre lentamente. Ela ocorre no vacúolo parasitoforo. Na fase
crônica endogenia não rompe cél. / os taquizoitas são característicos da fase aguda, mas pessoas com
toxoplasma ficam infectadas pro resto da vida, já que bradizoitas permancem na fase crônica. CICLO
oocisto não-esporulado no intestino do gato, oocisto eliminado nas fezes, oocisto esporulado contamina
água, homem sadio ingere água contaminada, oocisto esporulado passa pelo tubo digestivo do homem
e libera esporozoitos que infectam enterocitos (fase aguda), ocorre endogenia, forma taquizoitas que
migram para cél nervosas e musculares e vira bradizoita (fase cronica). Agentes infectantes
taquizoitas, bradizoitas e oocisto esporulado. PATOGENIA E MANIFEST fase aguda (lise celular,
focos de necrose com infiltrado inflamatório), fase crônica (assintomática), em imunodeficientes (grave
encefalite, miocerdite, pneumonia). DIAGNOST visualização do parasita, pesquisa de AC, pesquisa
de DNA parasitário (PCR), parasitológico (histopatologia), imunológico (teste Sabin-Feldman, sorologia
pareada, PCR). Na fase aguda taquizoita pode passar pela placenta: 1º trimestre (aborto), 2º trim
(danos no SNC), 3º trim (danos + brandos). Pode transmitir por transfusão sanguinea e pelo leite.
CRYPTOSPORIDIUM HABITAT intestino delgado (microvilosidades). CICLO oocisto liberado nas
fezes do hosped contamina água, homem sadio ingere água contaminada, oocisto rompe no intestino
delgado, liberação de esporozoitas que penetram nas microvilosidades, ocorre esquizogonia, forma
merozoitas que diferencia em gametocitos, forma oocisto que é liberado nas fezes. PATOGENIA E
MANIFEST não rompe célula, apenas destrói microvilosidades. Em inumocompetentes a infecçao é
auto limitante e assintomatica. SINT anorexia, diarréia liquida, náuseas, vômitos, dores abdominais,
febre e desidratação. DIAGNOST exame coproparasitologico (método de flutuação), esfregaços
fecais, ELISA, imunofluorescencia, PCR. Oocisto é resistente à maioria dos desinfetantes.
CHAGAS VETOR barbeiro (triatomideo). HABITAT miocárdio, células do esôfago e do cólon.
CICLO barbeiro ingere sangue contendo tripomastigotas que viram epimastigota no tubo digestivo do
inseto, ocorre reprodução assexuada (divisão binária), no reto do inseto volta a ser tripomastigota, que é
eliminado nas fezes do barbeiro, ao picar o homem inseto defeca, homem coça, fezes com
tripomastigotas em contato com ferida ou qualquer mucosa, contaminação do homem, presença de
tripomastigotas no sangue e amastigotas nas células. PATOGENIA E MANIFEST febre, miocardite,
adenomegalia, hepatoesplenomegalia, conjuntive unilateral (sinal de Romaña), meningoencefalite.
SINT fase aguda (assintomática ou sinal de Romanã), fase crônica (assintomática ou cardiopatia
crônica, megacolon e megaesôfago – ninhos de amastigotas). DIAGNOSTICO clinico (procedência do
paciente, transplante e tranfusao, sinal de Romana), laboratorial na fase aguda (pesquisa de parasitas
no sangue, biopsia de ganglio linfatico e imunofluorescencia) na fase cronica (xenodiagnostico, cultura
de parasitas em cobaias), imunologico (ELISA, RFC, imunofluorescencia indireta).
MALARIA hosped intermediario é o homem e o definitivo é o mosquito (Anopheles). No mosquito tem
as formas micro e macrogametocitos, oocineto ou zigoto, oocisto e esporozoitos. No homem tem
esquizontes pré-eritrociticos, merozoitas, trofozoitas, esquizontes e gametocitos. CICLO fêmea do
Anopheles ingere sangue humano com hemácias infectadas por gametocitos, ha queda de temperatura
no inseto, forma macro e microgametocitos, ocorre gametogonia, forma o zigoto (oocineto) que penetra
na parede do tubo digestivo, forma oocisto não-esporulado, ocorre esporulação liberando esporozoitas
que chegam na hemocele e vão para glandula salivar do inseto, ao picar o homem sadio ocorre
inoculação de esporozoitas no sangue, esporozoitas vão para o fígado, penetram no hepatocito
formando trofozoitas, ocorre esquizogonia, forma esquizontes, forma merozoitas que causam morte
celular, os merozoitas podem infectar novos hepatocitos ou hemácias, nas hemácias merozoitas viram
gametocitos. Em casos de P. ovale ou P. vivax, ocorre hipnozoita (esporozoitas queficam em latencia
nos vacúolos dos hepatocitos). PATOGENIA E MANIFEST lise de hemácias liberando hemozoina e
causando febres, anemia, hepatoesplenomegalia, insuficiência renal aguda e cronica. DIAGNOST
fase aguda (pesquisa de parasitas no sangue periférico, esfregaço sanguineo, gota espessa, pesquisa
de anticorpos por ELISA, RIFI e imunocromatografia), fase crônica (pesquisa de parasitas em punção de
medula óssea, pesquisa de AC por ELISA e RIFI, pesquisa de DNA parasitário por PCR). P. vivax
(reticulocitos), P. malariae (eritrócitos velhos), P. falciparum (todos os tipos).
TOXOPLASMOSE homem é hosped intermediário e felinos são definitivo. HABITAT intestino
delgado dos felinos e qualquer célula no homem. No inicio parasita multiplica intensamente (fase
aguda). Conforme organismo reage a ele, ele passa a multiplicar em cél nervosas e musculares (fase
crônica). Endogenia resproduçao assexuada que ocorre no homem. No inicio ocorre de forma rápida,
rompendo cél do hosped, mas depois ocorre lentamente. Ela ocorre no vacúolo parasitoforo. Na fase
crônica endogenia não rompe cél. / os taquizoitas são característicos da fase aguda, mas pessoas com
toxoplasma ficam infectadas pro resto da vida, já que bradizoitas permancem na fase crônica. CICLO
oocisto não-esporulado no intestino do gato, oocisto eliminado nas fezes, oocisto esporulado contamina
água, homem sadio ingere água contaminada, oocisto esporulado passa pelo tubo digestivo do homem
e libera esporozoitos que infectam enterocitos (fase aguda), ocorre endogenia, forma taquizoitas que
migram para cél nervosas e musculares e vira bradizoita (fase cronica). Agentes infectantes
taquizoitas, bradizoitas e oocisto esporulado. PATOGENIA E MANIFEST fase aguda (lise celular,
focos de necrose com infiltrado inflamatório), fase crônica (assintomática), em imunodeficientes (grave
encefalite, miocerdite, pneumonia). DIAGNOST visualização do parasita, pesquisa de AC, pesquisa
de DNA parasitário (PCR), parasitológico (histopatologia), imunológico (teste Sabin-Feldman, sorologia
pareada, PCR). Na fase aguda taquizoita pode passar pela placenta: 1º trimestre (aborto), 2º trim
(danos no SNC), 3º trim (danos + brandos). Pode transmitir por transfusão sanguinea e pelo leite.
CRYPTOSPORIDIUM HABITAT intestino delgado (microvilosidades). CICLO oocisto liberado nas
fezes do hosped contamina água, homem sadio ingere água contaminada, oocisto rompe no intestino
delgado, liberação de esporozoitas que penetram nas microvilosidades, ocorre esquizogonia, forma
merozoitas que diferencia em gametocitos, forma oocisto que é liberado nas fezes. PATOGENIA E
MANIFEST não rompe célula, apenas destrói microvilosidades. Em inumocompetentes a infecçao é
auto limitante e assintomatica. SINT anorexia, diarréia liquida, náuseas, vômitos, dores abdominais,
febre e desidratação. DIAGNOST exame coproparasitologico (método de flutuação), esfregaços
fecais, ELISA, imunofluorescencia, PCR. Oocisto é resistente à maioria dos desinfetantes.
CHAGAS VETOR barbeiro (triatomideo). HABITAT miocárdio, células do esôfago e do cólon.
CICLO barbeiro ingere sangue contendo tripomastigotas que viram epimastigota no tubo digestivo do
inseto, ocorre reprodução assexuada (divisão binária), no reto do inseto volta a ser tripomastigota, que é
eliminado nas fezes do barbeiro, ao picar o homem inseto defeca, homem coça, fezes com
tripomastigotas em contato com ferida ou qualquer mucosa, contaminação do homem, presença de
tripomastigotas no sangue e amastigotas nas células. PATOGENIA E MANIFEST febre, miocardite,
adenomegalia, hepatoesplenomegalia, conjuntive unilateral (sinal de Romaña), meningoencefalite.
SINT fase aguda (assintomática ou sinal de Romanã), fase crônica (assintomática ou cardiopatia
crônica, megacolon e megaesôfago – ninhos de amastigotas). DIAGNOSTICO clinico (procedência do
paciente, transplante e tranfusao, sinal de Romana), laboratorial na fase aguda (pesquisa de parasitas
no sangue, biopsia de ganglio linfatico e imunofluorescencia) na fase cronica (xenodiagnostico, cultura
de parasitas em cobaias), imunologico (ELISA, RFC, imunofluorescencia indireta).
MALARIA hosped intermediario é o homem e o definitivo é o mosquito (Anopheles). No mosquito tem
as formas micro e macrogametocitos, oocineto ou zigoto, oocisto e esporozoitos. No homem tem
esquizontes pré-eritrociticos, merozoitas, trofozoitas, esquizontes e gametocitos. CICLO fêmea do
Anopheles ingere sangue humano com hemácias infectadas por gametocitos, ha queda de temperatura
no inseto, forma macro e microgametocitos, ocorre gametogonia, forma o zigoto (oocineto) que penetra
na parede do tubo digestivo, forma oocisto não-esporulado, ocorre esporulação liberando esporozoitas
que chegam na hemocele e vão para glandula salivar do inseto, ao picar o homem sadio ocorre
inoculação de esporozoitas no sangue, esporozoitas vão para o fígado, penetram no hepatocito
formando trofozoitas, ocorre esquizogonia, forma esquizontes, forma merozoitas que causam morte
celular, os merozoitas podem infectar novos hepatocitos ou hemácias, nas hemácias merozoitas viram
gametocitos. Em casos de P. ovale ou P. vivax, ocorre hipnozoita (esporozoitas queficam em latencia
nos vacúolos dos hepatocitos). PATOGENIA E MANIFEST lise de hemácias liberando hemozoina e
causando febres, anemia, hepatoesplenomegalia, insuficiência renal aguda e cronica. DIAGNOST
fase aguda (pesquisa de parasitas no sangue periférico, esfregaço sanguineo, gota espessa, pesquisa
de anticorpos por ELISA, RIFI e imunocromatografia), fase crônica (pesquisa de parasitas em punção de
medula óssea, pesquisa de AC por ELISA e RIFI, pesquisa de DNA parasitário por PCR). P. vivax
(reticulocitos), P. malariae (eritrócitos velhos), P. falciparum (todos os tipos).
TOXOPLASMOSE homem é hosped intermediário e felinos são definitivo. HABITAT intestino
delgado dos felinos e qualquer célula no homem. No inicio parasita multiplica intensamente (fase
aguda). Conforme organismo reage a ele, ele passa a multiplicar em cél nervosas e musculares (fase
crônica). Endogenia resproduçao assexuada que ocorre no homem. No inicio ocorre de forma rápida,
rompendo cél do hosped, mas depois ocorre lentamente. Ela ocorre no vacúolo parasitoforo. Na fase
crônica endogenia não rompe cél. / os taquizoitas são característicos da fase aguda, mas pessoas com
toxoplasma ficam infectadas pro resto da vida, já que bradizoitas permancem na fase crônica. CICLO
oocisto não-esporulado no intestino do gato, oocisto eliminado nas fezes, oocisto esporulado contamina
água, homem sadio ingere água contaminada, oocisto esporulado passa pelo tubo digestivo do homem
e libera esporozoitos que infectam enterocitos (fase aguda), ocorre endogenia, forma taquizoitas que
migram para cél nervosas e musculares e vira bradizoita (fase cronica). Agentes infectantes
taquizoitas, bradizoitas e oocisto esporulado. PATOGENIA E MANIFEST fase aguda (lise celular,
focos de necrose com infiltrado inflamatório), fase crônica (assintomática), em imunodeficientes (grave
encefalite, miocerdite, pneumonia). DIAGNOST visualização do parasita, pesquisa de AC, pesquisa
de DNA parasitário (PCR), parasitológico (histopatologia), imunológico (teste Sabin-Feldman, sorologia
pareada, PCR). Na fase aguda taquizoita pode passar pela placenta: 1º trimestre (aborto), 2º trim
(danos no SNC), 3º trim (danos + brandos). Pode transmitir por transfusão sanguinea e pelo leite.
CRYPTOSPORIDIUM HABITAT intestino delgado (microvilosidades). CICLO oocisto liberado nas
fezes do hosped contamina água, homem sadio ingere água contaminada, oocisto rompe no intestino
delgado, liberação de esporozoitas que penetram nas microvilosidades, ocorre esquizogonia, forma
merozoitas que diferencia em gametocitos, forma oocisto que é liberado nas fezes. PATOGENIA E
MANIFEST não rompe célula, apenas destrói microvilosidades. Em inumocompetentes a infecçao é
auto limitante e assintomatica. SINT anorexia, diarréia liquida, náuseas, vômitos, dores abdominais,
febre e desidratação. DIAGNOST exame coproparasitologico (método de flutuação), esfregaços
fecais, ELISA, imunofluorescencia, PCR. Oocisto é resistente à maioria dos desinfetantes.
CHAGAS VETOR barbeiro (triatomideo). HABITAT miocárdio, células do esôfago e do cólon.
CICLO barbeiro ingere sangue contendo tripomastigotas que viram epimastigota no tubo digestivo do
inseto, ocorre reprodução assexuada (divisão binária), no reto do inseto volta a ser tripomastigota, que é
eliminado nas fezes do barbeiro, ao picar o homem inseto defeca, homem coça, fezes com
tripomastigotas em contato com ferida ou qualquer mucosa, contaminação do homem, presença de
tripomastigotas no sangue e amastigotas nas células. PATOGENIA E MANIFEST febre, miocardite,
adenomegalia, hepatoesplenomegalia, conjuntive unilateral (sinal de Romaña), meningoencefalite.
SINT fase aguda (assintomática ou sinal de Romanã), fase crônica (assintomática ou cardiopatia
crônica, megacolon e megaesôfago – ninhos de amastigotas). DIAGNOSTICO clinico (procedência do
paciente, transplante e tranfusao, sinal de Romana), laboratorial na fase aguda (pesquisa de parasitas
no sangue, biopsia de ganglio linfatico e imunofluorescencia) na fase cronica (xenodiagnostico, cultura
de parasitas em cobaias), imunologico (ELISA, RFC, imunofluorescencia indireta).
Download
Random flashcards
A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

teste

2 Cartões juh16

Matemática

2 Cartões Elma gomes

Criar flashcards