Encontros da Caritas portuguesa/Caritas diocesanas

Propaganda
Encontros da Cáritas portuguesa/Caritas Diocesanas
Cáritas Diocesana do Algarve
1.Algumas questões facilitadoras da identificação de funções
permanentes:
. Destacar funções e actividades permanentes da Cáritas na diocese;
A Caritas é uma instituição da Igreja Católica, que visa servir o homem, lutar pela defesa
dos seus direitos e contribuir para a sua promoção e desenvolvimento integral, na
perspectiva da caridade, entendida como concretização prática do amor Cristão.
Do que vive a Cáritas?
Da ajuda fraterna da comunidades cristãs e de todas as pessoas de boa vontade.
Dos valores obtidos nos peditórios e campanhas.
Da ajuda de empresas.
De acordos de cooperação com entidades estatais.
A quem se destina a Cáritas?
Atenta às diversas necessidades da comunidade a CÁRITAS procura concretizar a "opção
preferencial da Igreja pelos mais pobres", tendo em conta que há diversas formas de
pobreza e que esta pode não significar apenas falta de bens materiais, mas também
isolamento, falta de afecto, discriminação e outras formas de exclusão...
Onde se situa a Cáritas?
Enquanto organização de âmbito Diocesano, a CÁRITAS, não actua apenas na sua sede, em
Faro, mas está atenta e procura ir ao encontro dos reais necessitados e débeis, através da
acção junto das comunidades paroquiais da sua residência..
SOS vida - Algarve
– O SOS Vida-Algarve é um movimento diocesano pró-vida que pretende, envolvendo
prioritariamente toda a comunidade cristã algarvia e ainda todas as pessoas de boa
vontade, fomentar, aprofundar e divulgar a dignidade e a defesa da vida humana, desde o
momento da sua concepção até à morte natural.
MISSÃO
A missão do SOS Vida-Algarve é a defesa do desenvolvimento da vida humana, da dignidade
da pessoa, da família e da maternidade, mediante a sensibilização da opinião pública em
geral para a vivência e divulgação de uma autêntica CULTURA DA VIDA
ESTRUTURA
O SOS Vida-Algarve depende estrutural e administrativamente da Caritas Diocesana do
Algarve desde Janeiro de 2006, que, entre os seus membros, nomeará o seu órgão
coordenador. Este constituirá um corpo de voluntários que forme uma equipa
multidisciplinar integrando, entre outros, pessoal técnico nas áreas da psicologia, da
sociologia, da assistência social, da saúde e do direito.
ACÇÃO
A acção do SOS Vida-Algarve desenvolve-se, numa relação estreita e preferencial, dentro
de cinco vertentes:
- Sensibilização das comunidades e grupos paroquiais de acção social para a problemática
da defesa e da dignidade da vida humana, considerando essas comunidades e grupos como
elementos privilegiados, porque próximos da realidade social onde surgem, mais
frequentemente, os atentados à vida e à dignidade humanas;
- Apoio às grávidas em dificuldade vítimas de maus tratos e/ou pressionadas a rejeitar o
futuro filho, e que, frequentemente, mesmo não sendo esse o seu desejo, deixam de o
trazer à vida, seja por uma situação de desespero, seja pela solidão e abandono a que são
votadas, ou ainda por mero desconhecimento dos seus direitos e falta de informação
relativamente aos apoios a que podem recorrer e a que, social e politicamente, têm direito;
- Denúncia de todas e quaisquer situações de atentado à integridade física e psíquica do
ser humano, muito particularmente da mulher e da criança;
- Desenvolvimento, a nível paroquial e diocesano, de acções formativas e informativas no
âmbito da temática relacionada com a promoção e a defesa da vida e da dignidade humanas;
- Empenhamento na procura de soluções concretas e adequadas para a diversidade de
problemas daquelas famílias sem condições sociais e humanas para sustentar e educar
convenientemente os seus filhos.
Centro Infantil "O Despertar"
Situado em Faro, o Centro Infantil, com as valências de Creche e Jardim de Infância (PréEscolar) tem capacidade para acolher 120 crianças, (muitas delas oriundas de famílias
pertencentes a classes sociais média, média baixa), e dispõe de condições de apoio e
estruturas que permitem uma organização compatível com as necessidades das famílias.
Instalado num ambiente sadio e seguro, proporciona às crianças, que acolhe, variadas
experiências orientadas por um grupo de técnicos atentos às necessidades específicas de
cada uma das crianças alargando os seus horizontes para uma vivência feliz.
Lar de mãe
O LAR DA MÃE, é um Centro de Acolhimento para mães solteiras. Esta valência surgiu
devido à necessidade de acolher raparigas grávidas que pretendem ter os seus filhos, mas
que abandonadas pelos seus companheiros e rejeitadas pelas famílias, não querem recorrer
ao aborto.
Esta valência tem a capacidade para 4 mães e respectivos bebés e tem tudo o necessário
para a higiene e conforto tanto das mães como dos seus filhos. Pretende-se com este Lar
criar um ambiente familiar entre todas as utentes, para que estas e os seus filhos possam
usufruir de um ambiente saudável para a sua gravidez e início de vida dos bebés.
Tratando-se de uma situação provisória para estas mulheres, o traçar de um projecto de
vida é imperativo, de modo a que, a sua situação de dependência da Cáritas seja o mais
curto possível, procurando-se por outro lado a sua inserção junto da família natural ou do
seu companheiro.
Nesta valência é realizado um trabalho diário com as mães de modo a construir um projecto
de vida para estas, com o intuito de trabalhar para a sua autonomia.
Para se erguer esta valência, a Cáritas Diocesana não contou com qualquer apoio, apenas
utilizou verbas próprias, gastando-se 23.431,28 € na recuperação do edifício.
Com a utilização da casa, pelas mães, já se gastaram 2.279,86 €, sendo parte suportado
pelo contributo de algumas pessoas de boa vontade.
A formação de agentes
Promover nas comunidades paroquiais o fortalecimento do espírito de justiça social e de
fraternidade cristã, apoiar na constituição de grupos locais, constitui também missão
essencial da Cáritas.
. Que funções são atribuídas à Caritas pela Igreja Diocesana,
A igreja local tem na Cáritas um parceiro credível que evoca para dar resposta aos
problemas mais complicados da Diocese, existindo um apoio claro e explicito por parte do
Bispo da Diocese à sua Cáritas
A Caritas é a responsável pelo desenvolvimento e animação do Secretariado Diocesano da
Pastoral Social. A animação é operacionalizada através de uma proposta anual de
actividades elaborada pela Caritas para toda a Diocese. Esta actividade de dinamização do
secretariado não é vocação da Caritas. A Caritas no futuro pretende pertencer apenas ao
secretariado.
. Imagem e expectativas da acção da Cáritas, por parte da sociedade
em que está inserida e, em particular, na pastoral da diocese e nas
paróquias;
Sociedade Civil – A Caritas recorre mais à sociedade civil do que esta recorre a Caritas. Os
apelos da Caritas são bem acolhidos pela população.
Para a população, a Cáritas é uma entidade muito credível, e esta credibilidade advém do
bom trabalho desenvolvido nas valências que possui.
Pastoral da Diocese – Também a nível ecclesial a Caritas detêm algum peso graças ao
trabalho que nesta área tem vindo a desenvolver e às actividades concretas que dinamiza.
Existe uma má imagem da Caritas ao nível das paróquias. Esta imagem tem vindo a ser
alterada graças às acções concretas que a Caritas tem vindo a desenvolver.
. Funções permanentes que a sociedade endossa, espontaneamente, à
Cáritas Diocesana;
Resolução dos problemas dos mais desfavorecidos.
Apoio nas situações de emergência.
. Numa visão prospectiva, que funções específicas da Cáritas se devem
desenvolver para inovar a intervenção social na sociedade actual.
O da intervenção, que envolve a denúncia positiva
A formação para agentes.
2. Principais constrangimentos:
. No desenvolvimento da actividade específica;
Relacionamento com a Segurança Social não é a melhor, esta situação é provocado pela
forma como a Segurança Social se impõe e pretende transferir os seus procedimentos e
“modus operandi” para a acção da Caritas.
. Na actuação em toda a diocese;
Fraca intervenção na diocese devido à falta de tempo da direcção, constituída por
voluntários.
. No relacionamento interinstitucional
Relacionamento muito bom com as organizações territoriais.
. Necessidades de formação específica para dirigentes e colaboradores:
A Cáritas Diocesana tem uma forte aposta na formação e aposta num programa próprio de
formação para toda a diocese.
Tem a necessidade de formação para agentes que lidam com problemas sociais.
3. Relacionamento com a Cáritas Portuguesa:
. Expectativas da Cáritas Diocesana face à Cáritas Portuguesa;
A existência de uma instância a nível superior é sempre importante pelo facto de ser uma
referência para todos.
Era fundamental que a Caritas Portuguesa tivesse uma nova actuação, uma nova imagem,
novas actividades, novas medidas, novas posições, uma nova visão.
A Caritas Portuguesa devia ter posições bem demarcadas, ser um pólo aglutinador,
representativo, dinamizador.
. Potencialidades, constrangimentos e sugestões para o relacionamento
interdiocesano das Caritas e da Caritas diocesana com o serviço nacional da
Caritas;
4. A Cáritas Diocesana, hoje:
. A CD e a coordenação dos vários subsistemas da pastoral social ( centros
sociais, misericórdias, associações e movimentos…) a nível diocesano e local;
Não existe unidade na acção social na Diocese.
A acção social não tem expressão junto aos párocos locais.
. A CD e o Estado, i.e. a tendência para a padronização ( ou não) de acções
tendo por referência prioridades, critérios e procedimentos da Segurança
Social e dependência de fontes de financiamento estatais e da União
Europeia;
Relação algo difícil com as organizações do estado.
Até agora a tendência de padronização ainda não é muito visível, mas este facto acarreta
dificuldades acrescidas de relacionamento da organização.
O programa de apoio alimentar e a creche são os serviços protocolarizados com a
Segurança Social.
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

paulo

2 Cartões paulonetgbi

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

teste

2 Cartões juh16

Criar flashcards