Valores da pressão arterial e da frequência

Propaganda
Texto de apoio ao curso de Especialização
Atividade Física Adaptada e Saúde
Prof. Dr. Luzimar Teixeira
Valores da pressão arterial e da frequência
cardíaca, após 18 meses de atividade física
Alessandro Teruo Takatsuji, Laurenice Bonifácio da Silva
Waldirene de Souza Nunes, Cristiane Christófalo
Aixi Husni Choucair, Thais Cândida de Almeida
Andréa Maria Véra, Evandra Cristina Leite Santana*
Orientador: Prof. Ms. Sérgio Tumelero**
[email protected]
* Faculdades Integradas Toledo de Araçatuba
Educação Física - Araçatuba - SP
** Cetro Universitário Moura Lacerda
Curso de Educação Física - Ribeirão Preto (Brasil)
Introdução
A simples prática da atividade física reduz o risco de doença arterial coronária,
provocada pela melhora da capacidade cardiorrespiratória e também por diminuir os
fatores de risco para a incidência de doença arterial coronária (hipertensão arterial), dos
níveis plasmáticos alterados de glicose e insulina (diabetes), obesidade e anormalidade
no perfil lipoproteico (FALUDI, 1996).
Exercícios regulares são recomendados, atualmente, na prevenção e no tratamento
não medicamentoso da hipertensão arterial. A prática regular de exercícios moderados
ajuda a manter a pressão arterial sob controle, reduz os níveis de açúcar no sangue,
melhora a circulação sangüínea, controla o peso e melhora o bem-estar geral. Os
exercícios realizados deverão ser do tipo aeróbio, que venham utilizar grande
quantidade de oxigênio, que coloquem em ação grandes grupos musculares e que
sejam realizados periodicamente, numa freqüência de pelo menos 3 vezes semanais,
com duração de 15 a 60 minutos por sessão, devem ser realizados de forma cíclica,
com intensidade moderada. São exemplos de exercícios aeróbios: a corrida, a dança, a
caminhada, a natação, o andar de bicicleta. Exercícios de respiração lenta e profunda,
técnicas de relaxamento e de alongamento muscular ajudam a relaxar e são capazes de
baixar a pressão não muito alta (GALLO Jr. 1997).
Melhor condição física, em pessoas que não apresentem riscos cardiovasculares, tem
grande associação com menor risco de mortalidade, já que, na maioria dos estudos
realizados, o exercício físico diminui a pressão arterial de hipertensos, em média de 10
mm Hg, tanto na pressão sistólica quanto na diastólica. Estes valores foram analisados
depois de os indivíduos serem submetidos a treinamento do tipo aeróbio e em repouso.
Durante a realização do exercício, principalmente em níveis submáximos, também foi
observada queda nos valores de pressão arterial (BROWN, 1994), (GALLO Jr. 1997).
Os benefícios da prática de exercício físico podem ser associados com a redução da
ansiedade, da tensão muscular, no controle da pressão alta, no controle de peso e,
principalmente, na redução do risco de complicações cardiovasculares. Ao enfrentar
situação de estresse psicológico, a pessoa que faz exercícios regularmente responde
1
com menor aumento da pressão e da freqüência cardíaca do que quem não faz
(SIMÕES, 1996).
Uma boa sugestão é que se inicie a atividade física gradualmente, principalmente em
indivíduos na faixa etária acima de 40 anos ou se estiver inativo por um período de
tempo prolongado.
O programa de atividade física deve ser associado com uma dieta adequada e, nos
casos onde a hipertensão não é muito intensa, deve-se sempre ser tentado por
aproximadamente 6 meses antes de se entrar com medicação anti-hipertensiva.
Devemos sempre levar em consideração que não há idade apropriada para iniciar um
programa de atividade física. Nunca é tarde para se aproveitar dos benefícios do
exercício. Porém, é necessário lembrar que um programa de atividade física deve ser
indicado por pessoa especializada, sendo que somente este profissional é capaz de
adequar exercícios físicos às necessidades individuais.
Objetivos
Durante um período de 18 meses, estudar as variáveis de pressão arterial e
freqüência cardíaca em homens e mulheres com diferentes faixas etárias.
Verificar a eficácia de programas de treinamento com exercícios aeróbios sobre os
valores de pressão arterial e freqüência cardíaca. Incentivar a prática do exercício físico
para pessoas de todas as faixas etárias.
Desenvolver um programa de rotina e acompanhamento de exercícios físicos que
possa ser aplicado para melhorias nos níveis de pressão arterial e de freqüência
cardíaca.
Metodologia
100 voluntários de ambos os sexos, divididos em grupos por faixa etária (30 a 70
anos), foram submetidos a caminhada de 3 a 5x por semana. Semanalmente eram
aferidos os valores de PA e da FC, no mesmo horário e após uma caminhada de
1500m, realizada na Pista de Atletismo do Estádio Adhemar de Barros.
Estes valores eram anotados em fichas individuais para posteriores avaliações.
Resultados
Aos 6 meses de treinamento, após avaliação, constatamos diferenças
estatisticamente significantes (*=p<0.05) em todos os grupos, quando comparados ao
início do programa.
Em outra ocasião, aos 18 meses de treinamento, verificamos que os valores de PA e
FC eram, ainda menores, comparados aos valores de 6 meses de treinamento, porém,
estas diferenças não foram estatisticamente significantes em todos os casos, conforme
mostram os gráficos.
2
3
4
Conclusões
A realização do exercício físico de longa duração contribuiu para a diminuição dos
valores da FC e da PA nos indivíduos dos diferentes grupos, contribuiu, também, para
uma melhora na auto estima destes voluntários.
Quanto maior o período de exercício, maiores são os benefícios conseguidos com a
prática deste exercício, pois além da diminuição dos valores de PA e FC, os voluntários
relataram que melhorou a disposição e o ânimo, diminuindo a depressão.
A grande maioria dos indivíduos hipertensos tem muitos benefícios quando da prática
regular de atividade física do tipo aeróbio, desde que estas atividades envolvam
grandes grupos musculares. Tais benefícios decorrem da redução direta dos valores
pressóricos, bem como do impacto positivo dessa prática sobre outros fatores de risco
cardiovasculares. Os exercícios do tipo isométrico (força) não devem ser realizados,
devido aos picos pressóricos que acarretam, bem como a possibilidade de causarem
complicações sobre o sistema cardiovascular.
Para obter os benefícios decorrentes da prática de exercícios físicos, a freqüência
mínima de treinamento deverá ser de três sessões semanais, com duração entre quinze
e sessenta minutos e que tenham intensidade moderada (caminhada, corrida, ciclismo,
natação).
A associação da prática regular do exercício físico, dieta balanceada e a melhoria na
qualidade de vida, certamente são a melhor receita na prevenção de doenças
cardiovasculares.
Bibliografia




BROWN. M.A. Measuring blood pressure in pregnant women: a
comparasion of direct and indirect methods. Am. J. Obstet. Gynecol., v.
171, nº3, 1994.
FALUDI, A. A., MASTROCOLLA, L.E., BERTOLAMI, M.C. Atuação do
exercício físico sobre os fatores de risco para doenças cardiovasculares. .
Ver. Soc. Cardiol. Estado de São Paulo. V.6, nº 1, jan/fev 1996.
GALLO JR, L., CASTRO R.B.P., MACIEL, B.C. Exercício físico e
hipertensão. Em "Hipertensão Arterial". Editores: Amodeo, C., Lima, E.G.,
Vazquez, E.C. Publicação oficial do departamento de Hipertensão oficial
do departamento de Hipertensão Arterial da Sociedade Brasileira de
Cardiologia. Editora Saraiva - SP: SARVIER, p. 175-186, 1997.
SIMÕES, M.V. & SCHMIDT, A. Arterial hypertension as a risk factor for
cardiovascular diseases. Medicina, Ribeirão Preto, nº.29, 1996.
5
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

paulo

2 Cartões paulonetgbi

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

Criar flashcards