Internato em Cirurgia de Emergência – 6 º ano

Propaganda
Estágio Hospitalar
em Pronto Socorro
de Cirurgia
6o. Ano – MCG 611
Curso Médico de Graduação da Faculdade de
Medicina da Universidade de São Paulo
Divisão de Clínica Cirúrgica III
Disciplina de Cirurgia do Trauma
Prof. Dr. Samir Rasslan
Preceptor
Dr. Diogo Garcia
2o. Semestre - 2008
Estágio Hospitalar em Pronto Socorro de Cirurgia - 6o. Ano
Divisão de Clínica Cirúrgica III
Serviço de Cirurgia Geral
Disciplina de Cirurgia do Trauma
I)
Introdução
As características gerais do estágio correspondem aos seguintes aspectos:
. estágio hospitalar em Pronto Socorro de Cirurgia, administrado nos XI e XII
semestres do curso médico da FMUSP (alunos de graduação do 6 o. ano);
. duração de aproximadamente 17 dias, sendo 3 créditos – aula (3 x 15 hrs) e 3
créditos prática (3 x 30 hrs) semanais;
. sob a égide da Disciplina de Cirurgia Geral e do trauma do Departamento de
Cirurgia da FMUSP.
II)
Reunião de recepção dos alunos de graduação do 6o. ano
Local: Anfiteatro do 8o andar do ICHC, no primeiro dia do estágio
Apresentação dos alunos
Apresentação do estágio
Entrega do Programa
Objetivos
Rotina Diária
Programa Temático
III)
Apresentação dos Professores
Prof. Dr. Samir Rasslan – Diretor da DCC – III, Disciplina de Cirurgia Geral e
Cirurgia do Trauma
Prof. Dr. Edivaldo Massazo Utiyama – Diretor Técnico do Serviço de Cirurgia
Geral
Prof. Dr.Renato Poggetti
Dr. Adoniran de Mauro Figueiredo
Dr. Celso de Oliveira Bernini
Dra. Eliana Steinman
Dr. Fernando C. Ferreira Novo
Dr. Francisco Salles Collet e Silva
Dr. Marcos Tulio Martino Meniconi
Dr. Newton Djin Mori
Dr. Valdir Zamboni
Dr. Alberto Bitran
Dr. Dario Vianna Birolini
Dr. Masahiko Akamine
Dr. Almerindo L. de Souza Junior
Dr. Cornelius Mitteldorf
Dr. Elias Aissar Salum
Dr. Fernando Lorenzi
Dr. Mario Luiz Quintas
Dr. Milton Steinman
Dr. Octacilio Martins Junior
Dr. Pericles W. Assis Pires
Dr. Antonio Cesar Martini
Dr. Fernando Buischi
IV)
Apresentação do programa didático
1. Objetivo geral
Fornecer elementos cognitivos de cirurgia de emergência e desenvolver aptidões
psicomotoras e afetivas para o cuidado do doente em tratamento cirúrgico de
emergência.
Objetivos cognitivos


















Reconhecer e interpretar as principais alterações semiológicas no paciente
cirúrgico de emergência;
Avaliar adequadamente o paciente para a cirurgia;
Preparar adequadamente o paciente para a cirurgia;
Reconhecer as alterações metabólicas e fisiológicas do paciente cirúrgico
de emergência;
Reconhecer as principais complicações conseqüentes ao ato cirúrgico e
sua repercussão no organismo humano;
Interpretar os exames subsidiários mais importantes em cirurgia;
Reconhecer
as características
e
peculiaridades
do
paciente
politraumatizado;
Conhecer e praticar exaustivamente a seqüência preconizada pelo ATLS na
abordagem inicial ao paciente politraumatizado;
Diagnosticar e avaliar o choque no trauma;
Diagnosticar e avaliar o trauma cervical;
Diagnosticar e avaliar o trauma torácico;
Diagnosticar e avaliar o trauma abdominal e pélvico;
Diagnosticar e avaliar hemorragia digestiva alta;
Diagnosticar e avaliar hemorragia digestiva baixa;
Diagnosticar, avaliar e indicar tratamento cirúrgico adequado ao paciente
portador de abdômen agudo vascular;
Diagnosticar, avaliar e indicar tratamento cirúrgico adequado ao paciente
portador de abdômen agudo obstrutivo;
Diagnosticar, avaliar e indicar tratamento cirúrgico adequado ao paciente
portador de abdômen agudo inflamatório;
Diagnosticar, avaliar e indicar tratamento cirúrgico adequado ao paciente
portador de abdômen agudo perfurativo.
Objetivos psicomotores


Desenvolver habilidades para instrumentação cirúrgica;
Executar cateterização venosa periférica e central;















Executar sondagem vesical e nasogástrica;
Executar entubação orotraqueal;
Executar drenagem de tórax;
Executar punção de derrames pulmonares e líquidos ascítos;
Executar drenagem de abscessos e suturas;
Executar e cuidar de curativos, drenos abdominais, torácicos, catéteres
venosos, sonda vesical e sonda nasogástrica nos pacientes cirúrgicos;
Cuidar de ostomias;
Executar história e exame físico;
Executar a avaliação pré-operatória do paciente de emergência;
Executar a prescrição do paciente;
Executar a evolução diária do paciente;
Executar os cuidados no pós-operatório;
Executar a alta do paciente;
Executar propedêutica geral e específica da região abdominal e do paciente
politraumatizado;
Executar imobilizações de pacientes politraumatizados.
Objetivos afetivos







Reconhecer a importância de preservar a privacidade e integridade do
paciente, poupando-lhe sofrimentos ou constrangimentos desnecessários
ao executar procedimentos diagnósticos e terapêuticos;
Reconhecer a importância de minimizar a ansiedade do paciente e de seus
familiares, informando-os com clareza e respeito sobre o andamento do
diagnóstico, tratamento, complicações e das eventuais seqüelas que
poderão ocorrer;
Reconhecer a importância de preencher adequadamente o prontuário, de
modo a permitir que a evolução do paciente possa ser acompanhada por
toda a equipe assistencial, e que os dados permitam, à revisão, auferir
eventuais informações necessárias do ponto de vista ético, médico-legal,
pesquisa clínica e administrativa;
Reconhecer que a prestação de assistência não se limita à prescrição de
medicamentos ou de procedimentos, mas também inclui a supervisão de
como estão sendo aplicados e quais os efeitos sobre a evolução do
paciente;
Colocar os interesses do paciente acima de conveniências pessoais. Neste
sentido, ter a necessária flexibilidade para tomar iniciativas que contribuam
para o bem estar físico e psicológico do paciente;
Apresentar as visitas médicas de maneira formal, demonstrando respeito
aos seus pares e superiores e preservando a integridade dos pacientes;
Manter um clima de respeito para com seus pares e superiores, assim
como para os demais integrantes da equipe assistencial;

Ter maturidade para reconhecer sua própria participação no processo de
aprendizado, esforçando-se para cumprir as metas educacionais, ainda que
não possa contar sempre com a desejável supervisão do docente.
V - Atividades teóricas do estágio
1. Reunião Clínica do Serviço de Cirurgia Geral e do Trauma: Reunião de
Complicações e Óbitos, toda quarta feira, às 8h;
2. Aulas teóricas referentes à Cirurgia de Emergência, diariamente, às 16h, no
anfiteatro do 5o andar;
3. Discussão de casos clínicos, diariamente, na passagem de plantão, com o Prof.
Dr. Renato Poggetti, às 7h;
4. Visita didática, diariamente, aos pacientes internados no PSC, às 11h, com o
Chefe da Equipe Cirúrgica do dia ou o Preceptor;
5. Aulas práticas no ATLS, com equipamentos e procedimentos referentes ao
paciente politraumatizado;
6. Reunião semanal de discussão de urgências não-traumáticas, junto com os
alunos do quinto ano, toda quarta feira, às 14 h, no 8 o andar.
VI - Atividades práticas
1. Plantões no PSC, nos quais o interno fica responsável pelo atendimento, sob
supervisão, dos pacientes de demanda espontânea e dos politraumatizados
que são trazidos pelo Serviço de Resgate ou Águia;
2. Participação na internação, prescrição e evolução dos pacientes internados no
PSC, sob orientação dos residentes;
3. Participação e/ou realização dos procedimentos cirúrgicos citados acima;
4. Participação, junto à equipe cirúrgica de plantão, em todas as cirurgias
realizadas no PSC.
5. Dissecção no SVO às 5ª. Feiras para os alunos que não estão de plantão
6. Aula prática em animais às 6ª. Feiras para os alunos que não estão de plantão
VII – Avaliação
1. Freqüência
Os alunos deverão assinar a freqüência diariamente, durante a aula teórica
2-Avaliação teórica
Prova Teórica no último dia do estágio
10 Questões Escritas
3- Avaliação prática
Prova Prática na semana final do estágio com casos de Cirurgia de Emergência
traumática e não-traumática
4- Avaliação da participação no estágio
Participação nas atividades praticas e nos plantões no Pronto-Socorro
Atividades didáticas para o Interno no Estágio
Hora
Segunda
Terça
7h
Discussão Discussão Discussão
de Casos de Casos de Casos
no PS
no PS
no PS
8h
Reunião
Geral
8º.andar
10 h
Visita
ao PSC
12-14 h
16h
Quarta
Quinta
Aula
Teórica
Sábado Domingo
Discussão Discussão
de Casos de Casos
no PS
no PS
Plantão Plantão
Dissecção
no SVO
Visita
ao PSC
14h- Reuniåo
Clínica
8o andar
Aula
Teórica
Sexta
Visita
PSC
ao
12h- Aula
Procedimentos
na técnica
Aula
Teórica
Aula
Teórica
Programa das aulas










Atendimento inicial ao politraumatizado
Abdome Agudo
Hemorragia Digestiva Alta
Hemorragia Digestiva Baixa
Aula Prática de Procedimentos em animais
Choque
Trauma de Tórax
Trauma de Abdome
Trauma Cervical
Simulado de atendimento inicial ao politraumatizado
Programa de aulas teóricas do Sexto ano de 3 jul a 20 jul. 2008
Plantões no PSC
 Grupo a : 5 alunos fixos
 Grupo b: 5 alunos fixos
Bibliografia Básica
1. Emergências Traumáticas e não traumáticas: Manual de residente e do
estudante RASSLAN, SAMIR.. Ed Atheneu, 2000.
2. Cirurgia do Trauma : Renato Poggetti ; Belchor Fontes ; Dario Birolini São Paulo
Roca 2006
3. Condutas em Cirurgia de Urgência Steinman, Milton.. Ed Atheneu, 2003
4. Atualização em Cirurgia Geral e Trauma. Cirurgião Ano 1 FMUSP
Rasslan , Dario Birolini - São Paulo Abril 2007
Samir
5. Cirurgia de Emergência com testes de Auto Avaliação BIROLINI, DARIO.. Ed.
Atheneu, 2001.
6. Suporte de Vida no Trauma para Médicos – ATLS. Manual do curso para
alunos.
7. Current Surgical Diagnosis & Treatment, 11t Edition, 2003.
8. SABISTON. Textbook of surgery, 18th Edition.
Preceptor:
Dr. Diogo Garcia
Celular 9613-1077
Email : [email protected]
A sabedoria é uma construção sólida e única, na qual cada parte tem seu lugar e deixa sua marca.
(Michel Eyquem de Montaigne)
Download
Random flashcards
A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

teste

2 Cartões juh16

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Criar flashcards