Plano de Ensino - Mecânica 7 - 2016-2

advertisement
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA
CAMPUS JOINVILLE
DEPARTAMENTO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO
COORDENADORIA PEDAGÓGICA
PLANO DE ENSINO
Dados da Unidade Curricular
Unidade Curricular: Arte I
Curso: Técnico Integrado em Mecânica
Módulo: VII
Semestre: 2016/2
Forma/Nível: ( X ) integrado ( ) subsequente ( ) concomitante ( )
bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo ( ) FIC
Modalidade: (X ) presencial ( ) PROEJA ( ) EaD
Carga Horária Semanal (h/a): 2h/a
Carga Horária Semestral (h/a): 40h/a
Docente Responsável: Luciana Cesconetto Fernandes da Silva
EMENTA
Competências
- Utilizar as linguagens da arte considerando-as como veículos de busca e
produção de sentido;
- Apropriar-se da arte como ferramenta investigação e reflexão sob a influência
dos diversos contextos sócio-culturais;
- Reconhecer e respeitar a arte do mundo em que está circunscrito, bem como
de culturas alheias/distantes;
- Produzir ou apreciar trabalhos artísticos interagindo por intermédio da arte.
Habilidades
- Sentir, expressar e pensar a realidade do mundo da arte ao seu redor,
desenvolvendo maior sensibilidade e consciência estético-crítico;
- Desenvolver percepção sensorial, consciência corporal, concepção e
exploração do tempo e espaço, a concentração e atenção, bem como a
estética do mundo em que vive;
- Expressar por meio das diversas linguagens artísticas, suas inquietações e
subjetividades através das possibilidades que o campo da arte oferece.
Conhecimentos
Conhecimentos teóricos
Introdução
- Definição conceitual: arte/ teatro
- Elementos das linguagens artísticas
O teatro como linguagem
- Significados do vocábulo “teatro”
- Representação realista
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA
CAMPUS JOINVILLE
DEPARTAMENTO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO
COORDENADORIA PEDAGÓGICA
- Os jogos teatrais (Viola Spolin): método de aprendizagem da
linguagem
O fazer artístico:
Convenções teatrais
- A noção de espaço cênico
- A quarta parede e a relação palco/ platéia
Técnicas e aquisição de linguagem
- Técnicas de movimento corporal
- A linguagem gestual
- A voz: projeção/ clareza/ fluência/ entonações
- O jogo teatral
- A improvisação teatral
Estudo teórico-prático de cenas
- Leitura dramática
- Estudos de mesa
- Ação dramática
- Improvisação sobre cenas
Atitudes
- Presença cênica
- Escuta do outro na cena/ no jogo
- Presença na recepção teatral (plateia ativa/ atenta)
- Respeito ao trabalho do grupo
- Assiduidade,
- Pontualidade,
- Vir para a aula com os materiais necessários ao trabalho prático
Bases Tecnológicas
- Conceitos importantes da Arte;
- História da Arte;
- Exploração das diversas linguagens artísticas (música, dança, teatro, artes
visuais e suas ramificações);
- Conteúdos diversos para o entendimento de termos contemporâneos como
visualidade, repertório pessoal, interfaces e conceito, através da imagem,
propondo que a sala de aula seja um campo de possibilidades investigativas e
questionamentos, visando um olhar critico e consciente sobre a arte em seus
diversos contextos.
METODOLOGIA
- Aulas expositivas empregando quadro branco, canetões e/ou data show
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA
CAMPUS JOINVILLE
DEPARTAMENTO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO
COORDENADORIA PEDAGÓGICA
- Estudos e leituras dirigidas
- Orientação de exercícios práticos
- Leitura dramática no grande grupo
- Leitura dramática em pequenos grupos para uma plateia
- Análise estética de leituras dramática, de cenas e, quando possível, de peças
assistidas
- Viagem técnica para fruição de obra de arte cênica (quando possível)
CRONOGRAMA
Data
12/08
Número
de aulas
2
19/08
2
26/08
2
Tema
Apresentação professora/ alunos/ disciplina
Entrega e esclarecimento do Plano de Ensino /
Entrega do Livro didático
1.Introdução teórica:
Arte – definição conceitual
As linguagens artísticas
Os elementos das linguagens
O vocábulo teatro (os significados do vocábulo)
- Orientação de elaboração de resenha crítica de
peça teatral assistida (avaliação suplementar)
- Orientação de leitura de textos teatrais para serem
apresentados para a turma.
02/09
2
09/09
2
16/09
2
2. A aprendizagem da linguagem teatral:
a representação realista/ naturalista
(representação teatral)
O sistema pedagógico dos jogos teatrais de Viola
Spolin
Prática:
Técnica corporal:
- exercícios de aquecimento corporal, alinhamento,
alongamento, fortalecimento e coordenação motora
(base técnica do Mimo Corporal)
- O corpo no espaço na relação com o outro
Jogos teatrais:
- Foco no “objeto”
Prática:
jogos teatrais:
- Foco no “onde”
Prática:
Técnica corporal
Jogos teatrais: foco no onde
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA
CAMPUS JOINVILLE
DEPARTAMENTO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO
COORDENADORIA PEDAGÓGICA
23/09
24/09
30/09
07/10
14/10
21/10
28/10
2
2
2
2
2
2
2
04/11
2
11/11
18/11
25/11
02/12
09/12
16/12
2
2
2
2
2
2
3. Improvisação teatral (inclusão do conflito)
Sábado com atividades no campus
Improvisação teatral (inclusão do conflito)
4. Leitura dramática em grande grupo
Pré Conselho de Classe
Leitura dramática em grande grupo
Apresentação de textos teatrais lidos pelos alunos.
Escolha de texto
Formação de grupos de trabalho
5. Estudos de mesa
elaboração da fábula
Estudos de mesa: divisão do texto em cenas/ dar
títulos às cenas
6. Leitura dramática em pequenos grupos
1ª Mostra de Leitura dramática/ Avaliação
1ª Mostra de Leitura Dramática / Avaliação
2ª Mostra de Leitura dramática/ Avaliação
2ª Mostra de Leitura dramática/ Avaliação
Avaliação do semestre
Obs.: Este planejamento de cronograma pode sofrer alterações ao longo do
semestre.
AVALIAÇÃO
1 - Frequência: em função da especificidade da unidade curricular, para que o
aluno seja avaliado de forma satisfatória deverá ter um mínimo de 75% de
frequência
2 - Qualidade da participação do aluno nas aulas (esta avaliação implica:
assiduidade, pontualidade, envolvimento ativo nos exercícios práticos,
atenção, respeito com os outros, prontidão para o trabalho, vir
para as aulas práticas com roupas maleáveis e neutras, entrega de
trabalhos nos dias solicitados )
3 - Leitura dramática de uma peça teatral (no grande grupo)
6 - Estudos de mesa: podem incluir divisão do texto em cenas/ dar título às
cenas/ elaboração da “fábula da peça”/ resumo de cena/ descrição da ação
anterior e da ação posterior à cena
7 - Improvisação sobre cenas
- Avaliação suplementar (não obrigatória): Resenha crítica de peças teatrais
assistidas
Recuperação:
A professora viabiliza a recuperação do conteúdo ao longo do semestre,
durante as aulas, retomando exercícios, orientando os alunos após verificar
suas dificuldades.
Em meados do semestre o aluno terá conhecimento de seu conceito parcial.
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA
CAMPUS JOINVILLE
DEPARTAMENTO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO
COORDENADORIA PEDAGÓGICA
Sendo este insuficiente, e caso o aluno tenha dúvidas, este deve procurar o
professor para ter esclarecimentos sobre sua recuperação.
É importante salientar que as “Atitudes”, também avaliadas, quando
prejudiciais, serão apontadas pelo professor e só podem ser recuperadas com
mudanças da mesma por parte do aluno.
BIBLIOGRAFIA
Básica
BRITO,T. A,Koellreuter. O Humano como objetivo da educação musical.
São Paulo: Petrópolis, 2001.
Complementar
LUPTON, Ellen. ABC Da Bauhaus. São Paulo: COSAC & NAIFY. 2007.
RUDOLCENGAGE, Arnheim.. Arte e percepção visual. São Paulo: Ática
2005.
AMARAL, Aracy A. Arte para que? - a preocupação social na arte brasileira
1930 – 1970. São Paulo: Studio Nobel
PROENÇA, Graça. Descobrindo a história da arte. São Paulo: Ática 1ª Ed.,
2009.
KIEFER, Bruno. O humano como objetivo da educação musical. São Paulo:
Editora Movimento Edition.
UTUARI, Solange et. Alli. Por toda parte. São Paulo : FTD, 2013.
HELIODORA, Bárbara. O teatro explicado aos meus filhos. Rio de Janeiro :
Agir, 2008.
MAGALDI, Sábato. Iniciação ao teatro. São Paulo : Ática, 1986.
SPOLIN, Viola. Improvisação para o teatro. São Paulo : Perspectiva, 1982.
STANISLAVSKI , Constantin. A criação de um papel. São Paulo: Civilização
Brasileira, 1987.
_____. A construção da personagem. São Paulo: Civilização Brasileira, 1986.
_____. A preparação do ator. São Paulo: Civilização Brasileira, 1988.
Assinatura do Docente: ____________________________________________
Assinatura do Coordenador de Curso: ________________________________
Assinatura Pedagogo: _____________________________________________
Data: ____/____/____.
Download