BB.11 Comunidades e populacoes

Propaganda
BB.11: Comunidades e populações
ATIVIDADES
BIOLOGIA
solo, monta à antigüidade. Já no século III a.C. o
filósofo grego Teofrasto, autor de um tratado sobre
1.
(UFMG) Considere duas espécies de animais A e B que
botânica, conhecido pela versão latina 'De plantis',
se alimentam de C. Quando A aumenta, B e C
recomenda que não se cultive a couve junto da videira,
diminuem. As possíveis relações existentes entre A e B
pois
e B e C são, respectivamente:
desenvolvimento desta. (...)
a)
competição e predação
b)
competição e simbiose
descreve o efeito pernicioso do pinheiro sobre os
c)
simbiose e predação
substâncias químicas que a chuva e o orvalho levariam
d)
predação e competição
e)
predação e simbiose
para o solo ao lavar as folhas."
os
'odores'
da
primeira
prejudicam
o
Um escritor japonês do século XVII, Banza Kumazawa,
cultivos instalados sob a sua copa e o atribui a
(Fernando Souza de Almeida, "Ciência Hoje", vol.11
/ n° 62.1990.)
Essa estratégia desenvolvida por algumas plantas é
comum num tipo de relação ecológica denominada:
2.
a) mutualismo.
d) protocooperação.
b) parasitismo.
e) competição.
c) predatismo
(UFES) “As florestas tropicais da América do Sul são o
hábitat natural das saúvas. Sendo boas jardineiras, elas
cortam pedaços de folhas das plantas e os carregam
para o formigueiro. Essas folhas são mastigadas em
polpa, a qual é usada para cultivar um fungo especial,
que alimenta a colônia inteira e é a única coisa que as
formigas comem.
De acordo com o texto acima e com os conhecimentos
de Ecologia, podemos afirmar que a relação entre saúva
e fungo é um caso típico de:
a)
parasitismo, pelo fato de o fungo infectar as folhas.
b)
predatismo, pelo fato de a formiga capturar e comer
o fungo.
c)
esclavagismo, pelo fato de a formiga escravizar o
fungo.
d)
mutualismo, pelo fato de se tratar de uma união
obrigatória com benefício mútuo.
e)
comensalismo, pelo fato de apenas a formiga ser
beneficiada.
4.
(UFSM) Numere a 2o coluna de acordo com a primeira.
COLUNA 1
3.
(UNIRIO)
"A
noção
de
que
as
plantas
têm
a
1. mutualismo
capacidade de interferir no desenvolvimento de outras,
2. protocooperação
através de substâncias que liberam na atmosfera ou no
SISTEMA LOSANGO DE ENSINO
40
APOSTILA 3
BB.11: Comunidades e populações
BIOLOGIA
3. sociedade
relações entre os três animais envolvidos são:
4. comensalismo
5. parasitismo
COLUNA 2
(
)
(
)
anus alimentando-se
de bernes e carrapatos
a)
parasitismo e predatismo, apenas.
b)
parasitismo e protocooperação, apenas.
c)
predatismo e protocooperação, apenas.
d)
parasitismo, predatismo e competição.
e)
parasitismo, predatismo e protocooperação.
parasitas de bovinos.
cipós-chumbo retirando seiva de suas plantas
2.
hospedeiras
(
)
protozoários vivendo no intestino de cupins e
1.
auxiliando-os na digestão de celulose
(
)
)
rêmoras alimentando-se dos restos de comida
alimentares de outra, que não é prejudicada.
2.
indivíduos da mesma espécie vivendo juntos e
A
relação
em
obrigatoriamente
estabelecendo divisão de trabalho entre si
que
mata
a
uma
das
espécies
outra
para
dela
se
alimentar chama-se parasitismo.
3.
A seqüência correta é
O
mutualismo
é
a
associação
necessária
à
sobrevivência de duas espécies, em que ambas se
a) 1 - 2 - 4 - 5 - 3.
d) 4 - 3 - 2 - 5 - 1.
b) 2 - 4 - 3 - 1 - 5.
e) 2 - 5 - 1 - 4 - 3.
beneficiam.
Assinale a opção que avalia corretamente a veracidade
c) 4 - 5 - 1 - 3 - 2.
5.
Entende-se como comensalismo a associação com
que uma das espécies se beneficia, usando restos
de tubarões
(
(UFF-RJ) Analise as proposições:
dessas proposições.
(UFCE) A erva-de-passarinho e algumas bromélias são
a)
2 e 3 são as verdadeiras.
b)
Apenas a 3 é verdadeira
c)
1 e 2 são verdadeiras.
d)
1 e 3 são verdadeiras.
e)
Todas são verdadeiras
plantas que fazem fotossíntese e vivem sobre outras. No
entanto,
a
erva-de-passarinho
retira
água
e
sais
3.
minerais da planta hospedeira, enquanto as bromélias
passarinho e das bromélias com s plantas hospedeiras
parasitismo e epifitismo.
epifitismo e holoparasitismo.
c)
epifitismo e predatismo.
d)
parasitismo e protocooperação.
e)
inquilinismo e epifitismo.
são
citados
exemplos
de
Exemplo 1: os gafanhotos e o gado alimentam-se do
são, respectivamente, exemplos de:
b)
Abaixo
interações ecológicas que ocorrem na natureza.
apenas se apóiam sobre ela. As relações da erva-de-
a)
(UNIRIO-RJ)
capim de um mesmo pasto.
Exemplo
2:
o
eucalipto
libera,
de
suas
raízes,
substâncias que impedem a germinação de sementes de
outras espécies ao seu redor.
Exemplo 3: as anêmonas-do-mar são beneficiadas por
sua associação com o caranguejo Pagurus, que, ao se
deslocar, possibilita à anêmona uma melhor exploração
do espaço, em busca de alimento; esta última possui
células
urticantes
que
afugentam
os
predadores
beneficiando o Pagurus.
EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES
Exemplo 4: alguns protozoários que produzem células
e vivem no tubo digestivo de cupins, possibilitando a
1.
(UEL-PR) Uma situação que comumente se verifica nas
esses insetos a utilização da madeira que ingerem.
pastagens brasileiras é a de pássaros pousando sobre
bois e vacas para se alimentar de seus carrapatos. As
APOSTILA 3
Analisando os quatro exemplo, podemos afirmar que
41
SISTEMA LOSANGO DE ENSINO
BB.11: Comunidades e populações
BIOLOGIA
dizem respeito, respectivamente, a:
b)
comunidade
/
parasitismo
/
canibalismo
/
comensalismo
a)
competição,
amensalismo,
protocooperação
e
mutualismo
b)
competiçao,
amensalismo,
mutualismo
e
competição,
comensalismo,
protocooperação
e
amensalismo,
protocooperação
e
mutualismo / parasitismo / predatismo / simbiose
d)
população
/
inquilinismo
/
canibalismo
/
mutualismo
protocooperação
c)
c)
e)
comunidade / inquilinismo / canibalismo / simbiose
mutualismo
d)
predatismo,
6.
(FUVEST) Observe as situações descritas abaixo:
mutualismo
e)
amensalismo,
protocooperação,
competição
e
a)
mutualismo
Apesar de o predatismo ser descrito como uma
interação positiva para o predador e negativa para
a presa, pode-se afirmar que os predadores têm
um efeito positivo sobre a população de presas.
4.
(PUC-MG) Em 1929, Alexander Fleming pesquisava o
Explique como uma população de presas pode ser
comportamento de culturas de certas bactérias que
beneficiada por seus predadores.
causavam infecções diversas nas pessoas. Apesar dos
b)
Alguns
ecologistas
os
herbívoros
comedores de sementes como predadores das
bactérias morreram. Orientou também sua pesquisa
populações
para esse mofo e descobriu sua ação inibidora sobre as
alimento. Já os herbívoros que se alimentam
bactérias.
apenas de folhas são considerados parasitas das
plantas
É CORRETO afirmar que, nesse contexto, há:
5.
consideram
cuidados tomados, reparou que uma placa mofou e as
de
que
plantas
que
comem.
lhes
fornecem
Justifique
essas
classificações.
a)
ação de antibióticos. (antibiose)
b)
protocooperação.
c)
comensalismo.
de
d)
mutualismo.
angiospermas flutuantes que habitam lagos e lagoas.
7.
(FUVEST) Considere o seguinte gráfico obtido a partir
experimento
com
duas
espécies
(X
e
Y)
de
(UFF) Os itens enumerados a seguir são exemplos de
diferentes relações entre os seres vivos.
I.
A caravela vive flutuando nas águas do mar. É
formada por um conjunto de indivíduos da mesma
espécie que vivem fisicamente juntos, dividindo o
trabalho. Uns são responsáveis pela flutuação,
outros pela captura de alimentos, outros pela
defesa.
II.
As orquídeas, para conseguirem luz, prendem-se
com suas raízes ao tronco e aos ramos altos das
árvores.
Pela análise do gráfico é possível constatar que entre as
III. O leão mata e devora o gnu rajado, para se
espécies X e Y existem uma relação de:
alimentar.
IV. O fungo fornece água e sais minerais retirados do
meio para a alga; esta, por sua vez, fornece ao
fungo as substâncias orgânicas que produz.
a) simbiose
d) competição
b) mutualismo
e) antibiose
c) parasitismo
As relações descritas nestes itens são classificadas,
8.
respectivamente, como:
a)
epifitismo:
a)
colônia / inquilinismo / predatismo / mutualismo
SISTEMA LOSANGO DE ENSINO
(PUC-RIO) Podemos considerar como um exemplo de
42
a erva de passarinho e outras espécies da família
APOSTILA 3
BB.11: Comunidades e populações
b)
BIOLOGIA
'Loranthaceae' que retiram seiva de seu hospedeiro.
locais diferentes da mesma árvore, indicados pelos
as orquídeas e bromélias que vivem sobre as
círculos.
árvores de maior porte da Mata Atlântica.
c)
um jequitibá que abrigue muitas bromélias em sua
copa.
d)
a comunidade de artrópodes que vive no interior
das bromélias.
e)
a associação entre as formigas do gênero Azteca e
a embaúba ('Cecropia glaziovii').
9.
(UFSCAR) A figura A representa um bernardo-eremita
(também conhecido como paguro-eremita) com uma
anêmona instalada sobre a concha e a figura B, uma
raiz de feijão com inúmeros nódulos, dentro dos quais
estão bactérias do gênero 'Rhizobium'.
a)
Que tipo de relação ecológica existe entre os
b)
Explique por que não existe competição direta
pássaros e os insetos?
entre os pássaros.
12. (UNICAMP)
moluscos
têm
importância
sanitária. Um exemplo comprovado é do planorbídeo da
Responda.
a)
Alguns
espécie Biomphalaria glabrata, relacionado ao ciclo de
Qual o tipo de interação estabelecida entre os
uma doença que atinge os humanos. Por outro lado,
organismos, em A e em B?
ainda não foi comprovado se a espécie Acathina fulica
está relacionada com a incidência de meningoencefalite.
b) Qual a diferença fundamental entre elas.
Sem os necessários estudos prévios, este gastrópode foi
introduzido no Brasil, visando substituir com vantagens
o escargot (molusco utilizado como alimento).
10. (UFPE) Com relação a associações de bactérias e
fungos com raízes de plantas é correto afirmar que:
a)
a)
As bactérias formadoras de nódulos em raízes
relacionados?
leguminosas favorecem a entrada de CO2 ‚ pelas
b)
A qual doença os caramujos Biomphalaria estão
b)
A população de Acathina fulica está aumentando
raízes, acelerando o processo fotossintético.
rapidamente e destruindo a vegetação de algumas
As bactérias associadas a raízes de leguminosas
regiões. Do pronto de vista ecológico, dê uma
realizam processos bioquímicos que resultam na
possível explicação para a proliferação.
produção de açúcares, que são cedidos à planta.
c)
Certos fungos se associam a raízes de plantas,
formando micorrizas; ambos se beneficiam com a
associação (mutualismo).
d)
Os líquens, resultantes da associação do tipo
amensalismo entre fungos e bactérias, são capazes
de transformar nitrogênio (N2) em amônia (NH3) e
enriquecer o solo.
e)
Rhizobium é uma espécie de bactéria que parasita
as raízes das gimnospermas e promove a fixação
de nitrogênio do ar, tão importante nas lavouras.
11. (UERJ)
Os
três
pássaros
da
figura
a
seguir
–
identificados por A, B e C – coexistem em uma floresta.
13. (CESGRANRIO) Observe os gráficos a seguir, que
Cada um deles alimenta-se de insetos que vivem em
representam o tamanho de diferentes populações de um
APOSTILA 3
43
SISTEMA LOSANGO DE ENSINO
BB.11: Comunidades e populações
BIOLOGIA
mesmo ecossistema, antes e depois da introdução de
ser alterado. Sobre esse fato, considere as afirmações
uma nova espécie:
seguintes:
I.
O equilíbrio poderá ser alterado se a espécie
exótica competir por alimento com as espécies
nativas.
II.
O equilíbrio poderá ser alterado se a espécie
exótica for predadora das espécies nativas.
III. O equilíbrio poderá ser alterado se a espécie
exótica apresentar taxas de reprodução superior às
taxas das espécies nativas.
IV. A
espécie
introduzidas
A
desaparecerá,
não
sobrevivem
pois
em
espécies
ambientes
diferentes dos seus.
Assinale:
A análise desses gráficos permite afirmar que esta nova
espécie:
a)
associou-se por comensalismo com membros da
espécie 1.
b)
predou os membros da espécie 2.
c)
foi predada pelos membros da espécie 3.
d)
ocupou o mesmo nicho ecológico da espécie 4.
e)
associou-se por
mutualismo
com membros da
a)
se somente II está correta.
b)
se somente IV está correta.
c)
se somente I e IV estão corretas.
d)
se somente II e III estão corretas.
e)
se somente I, II e III estão corretas.
16. (VUNESP) Uma das curvas da figura representa a
espécie 5.
probabilidade de encontro de uma planta jovem em
diferentes distâncias a partir da árvore-mãe; a outra
representa a probabilidade de sobrevivência dessas
14. (MACK) Certas árvores da cidade de São Paulo estão
plantas.
ameaçadas de cair devido à ação de cupins, que se
alimentam da madeira rica em celulose. A digestão
dessa substância, no intestino do cupim, é realizada por
protozoários produtores da enzima celulase; assim,
ambos se beneficiam. Sobre os galhos dessas árvores
vivem samambaias que aproveitam a luz solar, na
fotossíntese. Portanto, há três tipos de associações
entre os indivíduos citados:
Cupim e árvore.
Samambaia e árvore.
Protozoário e cupim.
As
associações
I,
II
e
III
correspondem,
respectivamente, a:
Considerando esta figura, responda:
a)
parasitismo, parasitismo e mutualismo.
b)
predatismo, parasitismo e mutualismo.
c)
predatismo, mutualismo e comensalismo.
sobrevivência das plantas jovens em relação à
d)
predatismo, epefitismo e mutualismo.
distância
e)
parasitismo, epifitismo e mutualismo.
ecológica que pode explicar a tendência observada
a)
Que curva deve representar a probabilidade de
da
árvore-mãe?
Cite
uma
interação
na curva.
b)
15. (FATEC) Com a introdução de uma espécie de peixe A
Cite um caso de mutualismo entre a árvore-mãe e
animais que pode contribuir para o estabelecimento
em um lago onde normalmente ela não ocorre, o
de plantas jovens em pontos distantes dessa árvore.
equilíbrio das populações de peixes ali existentes poderá
SISTEMA LOSANGO DE ENSINO
44
APOSTILA 3
BB.11: Comunidades e populações
BIOLOGIA
17. (VUNESP) O cipó-chumbo não possui raízes, nem
folhas, nem clorofila. Apresenta estruturas especiais que
20. (PUC-SP) O gráfico 1 a seguir mostra o tamanho de
penetram na planta hospedeira para retirar substâncias
duas populações de diferentes espécies, vivendo em um
de que necessita para viver. Por sua forma de vida, o
mesmo ambiente antes da introdução de uma nova
cipó-chumbo é considerado um holoparasita. A erva-de-
espécie. O gráfico 2 mostra o tamanho dessas duas
passarinho é um hemiparasita e, embora retire das
populações, vivendo nesse mesmo ambiente depois da
plantas hospedeiras água e sais minerais, possui folhas
introdução da nova espécie. Analisando essas situações,
e clorofila. Considerando estas informações, responda:
um estudante aventou as seguintes hipóteses:
a)
I.
A espécie A é predadora da espécie B;
II.
A espécie B é presa da nova espécie;
para a sua sobrevivência? Justifique sua resposta.
III.
A nova espécie é presa da espécie A.
Que
Pode-se considerar:
Pelo fato de o cipó-chumbo ser holoparasita, que
tipo de nutriente ele retira da planta hospedeira
b)
estruturas
invadidas
pelo
das
plantas
cipó-chumbo
hospedeiras
e
pela
são
erva-de-
passarinho, respectivamente?
18. (UFJF) Uma espécie animal (A) produz substâncias
tóxicas e possui cores vivas de advertência, que
facilitam
o
predadores.
reconhecimento
Uma
como
espécie (B)
perigosa
não
é
pelos
tóxica,
mas
apresenta as mesmas cores, sendo favorecida pela
seleção natural, já que os predadores também a evitam.
Assinale a alternativa que define o tipo de adaptação da
espécie B:
a) Inquilinismo
d) Protocooperação
b) Competição
e) Co-dominância
a)
apenas a hipótese I viável.
b)
apenas a hipótese II viável.
c)
apenas a hipótese III viável.
d)
apenas as hipótese II e III viáveis.
e)
as três hipóteses viáveis.
c) Mimetismo
21. (UFSC) Os gráficos mostram os resultados das curvas
de crescimento das espécies Paramecium caudatum e
19. (UFES) A tradição cultural de algumas tribos indígenas
da Amazônia tem influência no tipo de agricultura
Paramecium
bursaria
(gráfico
A)
e
das
espécies
praticado, que consiste na rotação de áreas de plantio,
Paramecium caudatum e Paramecium aurelia (gráfico
com derrubada e queimada de pequenas áreas de
B), quando estas espécies foram cultivadas no mesmo
floresta para o cultivo por um período de quatro anos.
frasco.
Ao final desse período, a baixa fertilidade do solo faz
com que a área seja abandonada, e uma nova área é
derrubada e queimada. Depois de aproximadamente
vinte anos, volta-se à primeira área, que é novamente
desmatada, queimada e cultivada. Do ponto de vista da
ecologia, essa prática se apóia no conceito de:
a)
sucessão
ecológica
primária,
em
que
ocorre
substituição temporal das espécies colonizadoras.
b)
sucessão
ecológica
secundária,
em
que
há
formação de uma floresta com espécies diferentes
das da floresta original.
c)
Analisando os gráficos, responda:
competição intra-específica, devido à escassez de
nutrientes no solo.
d)
a)
competição interespecífica, em que as espécies mais
sensíveis são substituídas pelas mais resistentes.
e)
se
pode
explorados
que
pelas
dizer
dos
espécies
nichos
de
ecológicos
'Paramecium'
constantes dos gráficos A e B?
seleção natural, com o aumento da produtividade
b)
primária líquida.
APOSTILA 3
o
como se explicam os resultados das curvas de
crescimento das espécies 'Paramecium caudatum' e
45
SISTEMA LOSANGO DE ENSINO
BB.11: Comunidades e populações
'Paramecium
BIOLOGIA
bursaria'
(gráfico
A),
quando
a) Excluindo a possibilidade de predatismo, que
cultivadas no mesmo frasco?
relação
22. (UFMG) Duas espécies de protozoários, X e Y, do
ecológica
ocorreu
entre
as
duas
espécies?
mesmo gênero, foram cultivadas em duas situações
b) Após a extinção de Y, a população X atingirá o
diferentes:
equilíbrio?
23. (UFRJ) O biólogo russo G. F. Gause realizou uma série
Situação 1 – Uma cultura com a espécie X e outra com a
de experimentos em laboratório com duas espécies de
espécie Y.
Situação 2 – Uma cultura com as duas espécies.
Os
gráficos
referem-se
ao
crescimento
protozoários,
'P.
protozoários
podem
caudatum'
e
'P.
alimentar-se
bursaria'.
de
Esses
bactérias
e
leveduras, mas um não come o outro. No primeiro
dessas
experimento, as duas espécies de protozoários foram
populações:
postas num meio líquido e apenas bactérias foram
oferecidas
como
alimento.
Os
resultados
desse
experimento estão apresentados no gráfico A
No segundo experimento receberam como alimento
bactérias e leveduras. Os resultados são mostrados no
gráfico B.
a)
Que conceito ecológico pode ser deduzido do
primeiro experimento?
b)
Após analisar os gráficos, responda:
I.
Como podem ser interpretados os resultados do
segundo experimento?
Com relação à situação 1:
a)
Qual a espécie mais bem adaptada ao meio de
cultura?
b)
como se explica o crescimento inicial acelerado
de X e Y?
c)
Com o decorrer do experimento o que você
espera que ocorra com as populações X e Y?
Justifique:
II. Em relação à situação 2:
SISTEMA LOSANGO DE ENSINO
46
APOSTILA 3
BB.11: Comunidades e populações
BIOLOGIA
a
fotossíntese,
orgânicos
de
necessitando
outro
de
vegetal
compostos
para
a
sua
sobrevivência.
b) Floema ou líber e xilema ou lenho.
GABARITO
18. C
Exercícios Complementares
1. E
2. D
6. a) Predadores
equilíbrio
19. B
21. a)
3. A
4. A
contribuem
populacional
para
das
'Paramecium caudatum' e 'Paramecium bursaria'
não ocupam o mesmo nicho ecológico como
5. A
a
mostra o gráfico A.
manutenção
presas
evitando
'Paramecium caudatum' e
'Paramecium aurelia' exploram o mesmo nicho
do
ecológico como mostra o gráfico B.
a
b)
exaustão dos recursos ambientais.
'Paramecium caudatum' e 'Paramecium bursaria'
cultivados
b) Os herbívoros que devoram sementes que contém
juntos
se
localizam
em
diferentes
profundidades no mesmo frasco, deste modo não
embriões podem ser considerados predadores pois
competem pelo espaço ou alimento.
causam a morte precoce do vegetal. Os comedores
de folhas se utilizam de parte do vegetal, não
22. I. a)
causando, necessariamente, sua morte.
7. D
20. D
8. B
A espécie X
b)
As espécies se ajustaram bem ao tipo de cultura.
c)
A população de x se estabilize, enquanto a y é
eliminada (extinta). Em função da falta de
espaço e da competição entre os indivíduos da
9. a) A interação ecológica observada entre o caranguejo-
espécie x (resistência ambiental) a população
eremita e as anêmonas em A é a protocooperação,
tende a se estabilizar na capacidade limite do
enquanto que em B, ocorre mutualismo entre a
ambiente e a espécie y é eliminada em função
leguminosa e bactérias.
de perder a competição por alimento para a
b) Mutualismo é uma interação necessária para a
espécie x.
sobrevivência das espécies associadas, isso não
ocorre com a protocooperação.
II. a) Competição
b) Sim, pois a espécie x atingirá a capacidade limite
10. C
do ambiente (meio de cultura)
11. a) São casos de predatismo.
23. a) O experimento demonstra o conceito de exclusão
b) Como os pássaros A, B e C alimentam-se de
diferentes
tipos
de
insetos,
competitiva. As duas espécies de protozoários
ocupam diferentes
competem por uma única fonte de alimento, as
nichos ecológicos e não competem pelo alimento.
bactérias.
12. a) Caramujos planorbídeos da espécie Biomphalaria
b)
b) A rápida proliferação dos moluscos da espécie
'P.
caudatum'
superior
e
eliminou
é
'P.
No segundo experimento há duas fontes de
alimento; provavelmente, cada espécie explora
Acathina fulica pode ser explicada pela ausência de
com mais eficiência uma das fontes de alimento, e
predadores ou pela vantagem competitiva dessa
as duas espécies podem viver juntas, pois não
espécie sobre outras que ocupam nichos ecológicos
exploram o mesmo nicho.
semelhantes.
14. D
condições
bursaria'.
glabrata estão relacionado com a esquistossomos.
13. D
Nessas
competitivamente
15. E
16. a) Curva 1. Amensalismo.
b) No caso da árvore produzir frutos de servem de
alimento para um tipo de animal. O animal está se
beneficinado com alimento e a árvore com a
dispersão de sementes.
17. a) Seiva elaborada ou seja água mais açucares. Sendo
que ele não possui clorofila, não é capaz de realizar
APOSTILA 3
47
SISTEMA LOSANGO DE ENSINO
BB.11: Comunidades e populações
SISTEMA LOSANGO DE ENSINO
BIOLOGIA
48
APOSTILA 3
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

paulo

2 Cartões paulonetgbi

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Criar flashcards