M067_Folheto infarto

Propaganda
Vida saudável:
Para evitar um infarto deve-se manter as artérias coronárias
livres de placas de gordura.
Este controle é possível quando se mantém hábitos saúdáveis:
- faça exercícios físicos regularmente. Procure uma atividade
prazerosa, que lhe proporcione bem estar. Assim será mais
fácil manter a rotina diária de exercícios.
- cuide da alimentação: o aumento dos níveis de colesterol e
triglicérides é muito perigoso para o coração: uma alimentação
balanceada e com pouca gordura ajuda a manter o bom
funcionamento do corpo.
- adote hábitos de vida saudáveis, evite situações de estresse.
Uma vida tranquila faz bem para o coração.
- o cigarro é o grande vilão do coração. Não fume.
- Visite seu médico para a realizações de exames periódicos.
Eles auxiliam na prevenção de problemas de saúde graves.
- fique atento: se apresentar os sintomas do infarto procure
atendimento médico. O diagnóstico logo após o ataque ajuda
na recuperação do seu coração.
O que é
Infarto
A Mediplan oferece a seus clientes o
programa de saúde preventiva.
Participe. Ligue: (15) 2102-4456.
R. Rodrigues Pacheco, 62 - Sorocaba/SP.
www.mediplan.med.br
Agendamento de consultas: 0800-704-1046
Informações sobre seu convênio: (15) 2102-4504
Departamento Comercial: (15) 2102-4455
ANS N° 36.884-9
M067
ANS N° 36.884-9
Entenda o infarto e como prevenir:
O que é?
O infarto agudo do miocárdio (IAM) acontece quando há a
redução ou interrupção do fluxo de sangue que chega ao
coração pelas artérias coronárias. Isto causa a morte do
músculo cardíaco (miocárdio) por falta de oxigênio.
O que causa essa interrupção?
A principal causa do infarto é a arterosclerose, a formação de
placas de gordura na artéria. O acúmulo desta gordura, ao
longo dos anos, impede ou dificulta a passagem do sangue.
Essas placas podem se romper formando um coágulo. Isto
causa a obstrução da artéria coronária.
A região do coração que é irrigada por esta artéria é prejudicada
e, se o fluxo de sangue não for normalizado rapidamente, esta
parte do coração não irá funcionar mais.
Este mal funcionamento prejudica o bombeamento de sangue
para nosso corpo e, se a área atingida pelo infarto for extensa,
o paciente pode desenvolver insuficiência cardíaca, que é o
enfraquecimento do músculo cardíaco.
Em alguns casos o coágulo é originário do próprio coração,
o chamado êmbolo, que se solta do coração e fica interrompendo a passagem de sangue na artéria coronária.
O espasmo de uma das artérias coronárias (uma rigidez súbita)
também pode interromper a passagem do sangue e causar o
infarto. Este espasmo pode ser causado por drogas como a
cocaína ou o cigarro.
Sintomas:
Normalmente a pessoa que tem um infarto tem dores no peito,
falta de ar e fadiga alguns dias antes do ataque.
Esta dor pode ficar mais frequente. A dor pode irradiar-se para
as costas, a mandíbula, o braço esquerdo e, mais raramente,
para o braço direito.
A dor do infarto costuma ser forte e prolongada, acompanhada
de sensação de peso ou aperto sobre o peito.
Algumas vezes sente-se dor no abdome, confundindo-se com
gastrite ou esofagite de refluxo.
Alguns pacientes também apresentam sudorese (suor em
excesso), sensação de falta de ar e alteração no ritmo dos
batimentos do coração.
Os lábios, as mãos ou pés podem ficar um pouco azulados.
O paciente pode apresentar desorientação.
Nos diabéticos o infarto pode acontecer sem dor, o que leva
o paciente a procurar o médico horas ou dias após o ataque.
Como diagnosticar o infarto?
A dor no peito é uma possibilidade de infarto. No entanto,
outras situações podem indicar o problema:
pneumonia, embolia pulmonar (coágulo sanguíneo no pulmão),
pericardite (inflamação da membrana que envolve o coração),
fratura de costela, espasmo esofágico (contração do esôfago).
O eletrocardiograma (ECG) é um exame muito importante para
diagnosticar o infarto. Ele permite localizar o local afetado e
auxiliar o médico no tratamento.
Um exame de sangue que detecta os marcadores de necrose
miocárdica, substâncias liberadas pelo coração no sangue,
também indicam que ocorreu um infarto.
Quando, após estes exames, ainda há dúvidas, o médico pode
realizar um ecocardiograma ou uma cintilografia (exame com
radioisótopos).
Como é feito o tratamento?
É importante procurar tratamento médico assim que surgirem
os primeiros sintomas, pois 50% das mortes são causadas
nestas primeiras horas.
Se o diagnóstico for feito em até duas horas após o infarto
boa parte do coração pode ser salvo e a obstrução da artéria
poderá ser solucionada. Isto indica que o coração será preservado em grande parte, reduzindo muito as chances de insuficiência cardíaca.
No hospital o ritmo cardíaco, a pressão sanguínea e a quantidade de oxigênio no sangue são monitorados rigorosamente.
Quando diagnosticado o infarto o paciente deve tomar imediatamente uma aspirina, diminuindo o funcionamento das plaquetas de sangue, células que participam da formação do
coágulo das artérias coronárias .
Se possível o paciente recebe também um metabloqueador,
medicamento que diminui o bombeamento do coração, poupando o coração deste trabalho.
O paciente também recebe oxigênio via cateter nasal ou por
inalação, melhorando a oxigenação do sangue.
Outros medicamentos ajudam a desobstrução da artéria: os
fibrinolíticos; a angioplastia, procedimento que insere, normalmente numa artéria da virilha, um cateter que possui um balão
que é inflado no local da artéria onde há a obstrução, devolvendo o contorno normal à artéria; o “stent coronário”, um aparelho
parecido com um bobe de cabelo, colocado na região da obstrução, garantindo o fluxo de sangue pela artéria.
Recomendações importantes:
O esforço físico, a excitação e a angústia causam estresse e
fazem o coração trabalhar mais. Por isso é importante que,
por alguns dias, haja repouso e o paciente mantenha-se num
ambiente tranquilo. As visitas devem ser limitadas. Tranquilizantes também podem ser adequados.
É muito importante abolir o cigarro, pois ele é um dos principais
causadores de arterosclerose e infarto.
A Reabilitação:
Poucos dias após o infarto, conforme orientação médica, o
paciente pode levantar-se para ir ao banheiro, realizar alguns
exercícios sob supervisão profissional e leitura. Normalmente
o paciente fica internado por uma semana.
A retomada das atividades será orientada pelo médico pois
cada pessoa responde ao tratamento de forma diferente.
Como prevenir um novo infarto?
A maioria dos pacientes que procura o médico assim que surgem
os primeiros sintomas sobrevive ao infarto.
Antes da alta o paciente faz um teste ergométrico e esclarecimentos sobre os fatores que podem causar um novo infarto:
alteração na pressão arterial, alta no nível de colesterol e triglicérides.
É importante que o paciente passe a realizar exercícios físicos
regulares durante uma hora por dia, reduza o peso e adote
uma alimentação balanceada.
A arterosclerose ao longo dos anos
Artéria normal
Estria gordurosa
Placa fibrosa
Lesão
complicada/
ruptura
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

teste

2 Cartões juh16

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Matemática

2 Cartões Elma gomes

Criar flashcards