- Colégio 24 Horas

Propaganda
1ª Série do Ensino Médio
01.
Sobre a Guarda Nacional, é correto afirmar que ela foi criada:
(A)
pelo imperador, D. Pedro II, e era por ele diretamente comandada,
razão pela qual tornou-se a principal força durante a Guerra do Paraguai;
para atuar unicamente no Sul, a fim de assegurar a dominação do
Império na Província Cisplatina;
segundo o modelo da Guarda Nacional Francesa, o que fez dela o braço
armado de diversas rebeliões no Período Regencial e início do Segundo
Reinado;
para substituir o exército extinto durante a menoridade, o qual era
composto, em sua maioria, por portugueses e ameaçava restaurar os
laços coloniais;
no Período Regencial como instrumento dos setores conservadores
destinado a manter e restabelecer a ordem e a tranqüilidade públicas.
(B)
(C)
(D)
(E)
(D)
(E)
extinguiu as Assembléias Legislativas Provinciais;
eliminou a vitaliciedade do Senado.
06.
Simon Bolívar escreveu na conhecida Carta da Jamaica de 1815:
"Eu desejo, mais do que qualquer outro, ver formar-se na América
[Latina] a maior nação do mundo, menos por sua extensão e riquezas
do que pela liberdade e glória."
Sobre esta afirmação, podemos dizer:
(A)
(B)
(C)
02. O resultado da discussão política e a aprovação da antecipação da
maioridade de D. Pedro II representou:
(D)
(A)
(B)
(C)
(D)
(E)
o pleno congraçamento de todas as forças políticas da época;
a vitória parlamentar do bloco partidário liberal;
a trama bem-sucedida do grupo conservador que fundara a Sociedade
Promotora da Maioridade;
a anulação da ordem escravista que prevalecia sobre os interesses
particulares;
a debandada do grupo político liderado por um proprietário rural
republicano.
(E)
07. O processo de independência na América Latina deve ser
compreendido no contexto da conjuntura internacional, marcada pelo
ideário liberal iluminista, a expansão industrial inglesa, as guerras
napoleônicas, além das crises inerentes ao sistema colonial. Assinale a
alternativa diretamente relacionada com o processo de independência
na América Espanhola:
03.
Assinale a alternativa incorreta:
(A)
O Clube da Maioridade tinha como objetivo lutar, junto à Assembléia
Nacional, pela antecipação da maioridade de Pedro de Alcântara.
Os principais representantes do Clube da Maioridade eram os irmãos
Martin Francisco e Antônio Carlos de Andrada e Silva.
O Clube da Maioridade teve o apoio das classes dominantes e uniu
políticos progressistas e parte dos regressistas.
Em 1840, a Assembléia Nacional aprovou a tese da Maioridade e Pedro
Alcântara, apesar de seus 15 anos incompletos, foi considerado apto
para assumir a chefia do Estado Brasileiro.
O Clube da Maioridade permitiu que D. Pedro assumisse o poder no dia
20 de dezembro de 1840, marcando o início do Primeiro Reinado.
(D)
04.
Do ponto de vista político, podemos considerar o Período Regencial como:
(E)
(A)
uma época conturbada politicamente, embora sem lutas separatistas
que comprometessem a unidade do país;
um período em que as reivindicações populares, como direito de voto,
abolição da escravidão e descentralização política foram amplamente
atendidas;
uma transição para o regime republicano que se instalou no país a partir
de 1840;
uma fase extremamente agitada com crises e revoltas em várias
províncias, geradas pelas contradições das elites, classe média e camadas
populares;
uma etapa marcada pela estabilidade política, já que a oposição ao
imperador Pedro I aproximou os vários segmentos sociais, facilitando as
alianças na Regência.
(B)
(C)
(D)
(E)
(B)
(C)
(D)
(E)
05. O Período Regencial foi politicamente marcado pela aprovação do Ato
Adicional que:
(A)
(B)
(C)
criou o Conselho de Estado;
implantou a Guarda Nacional;
transformou a Regência Trina em Regência Una;
Tal utopia da unidade, compartilhada por outros líderes da
independência, como San Martin e O'Higgins, não vingou por
ineficiência de Bolívar.
Inspirou a união entre Bolívia, Colômbia e Equador, que formaram,
por mais de uma década, uma única nação, fragmentada, em 1839,
por problemas políticos.
Bolívar foi o primeiro a pensar na possibilidade da unidade, idéia
posteriormente retomada por muitos políticos e intelectuais latinoamericanos.
Essa idéia, de grande repercussão entre as lideranças dos
movimentos pela independência, foi responsável pela estabilidade
da unidade centro-americana.
Bolívar foi uma voz solitária, nestes quase 200 anos de
independência latino-americana, ausentando-se tal idéia dos
debates políticos contemporâneos.
(A)
(B)
(C)
conflito social que não teve relação com a desigualdade entre os
nascidos na terra e na metrópole;
ruptura Colônia/Metrópole mais relacionada com a Guerra dos
Sete Anos e sem relação alguma com as campanhas de Napoleão
na Península Ibérica;
abertura dos portos à livre concorrência dos produtos manufaturados
europeus para garantir a sobrevivência interna da pequena indústria
têxtil latino-americana;
movimento de libertação fundamentado na identidade profunda
entre a independência política e a independência econômica;
movimento emancipador conduzido principalmente pelos crioulos.
08. Na América Espanhola, os movimentos de independência foram
estimulados pela:
(A)
(B)
(C)
(D)
(E)
transferência do poder político dos criollos para os chapetones,
eliminando os vínculos que uniam as colônias espanholas da América
à Metrópole;
desarticulação do poder monárquico na Espanha com as guerras
napoleônicas;
manutenção do Pacto Colonial, elemento principal da prática do
livre-comércio;
ausência de reforma administrativa de caráter mercantilista;
ação da população mestiça, que liderava os movimentos
emancipacionistas.
09. Na independência de países da América Latina, da Bélgica, da
Grécia e da Bulgária, e nas unificações italiana e alemã, esteve
presente o:
(A)
marxismo, que se constituiu em elemento aglutinador dos partidários
das revoluções;
(B)
(C)
(D)
(E)
nacionalismo, que figurou como força revolucionária no século
XIX;
iluminismo, que representou a base ideológica dos movimentos
reacionários de restauração;
liberalismo, que serviu de sustentação para o retorno à velha ordem
econômica do século XVIII;
bonapartismo, que representou o apoio dos setores militares às
lideranças locais.
10. Sobre o processo de independência política da América Espanhola,
é possível afirmar:
(A)
(B)
(C)
(D)
(E)
Diferentemente do Brasil, a longa guerra, que teve importante
participação popular, fez emergir interesses sociais conflitantes.
A Espanha, sob domínio francês, ficou de mãos atadas, sem poder
intervir no combate aos rebeldes.
A participação maciça de escravos ao lado dos rebeldes contrastou
com a apatia das massas indígenas.
A Igreja Católica e os comerciantes abastados assumiram posições
idênticas, a favor da Coroa espanhola.
Os acordos políticos, levados à frente pelas elites, garantiram aos
menos privilegiados as reformas sociais pelas quais tinham lutado.
11. Entre as décadas de 30 e 70 do século XIX, eclodiram diversos
movimentos revolucionários que provocaram diversas transformações
nas nações da Europa Ocidental. Marque a opção que apresenta
corretamente um desses movimentos:
(A)
(B)
(C)
(D)
(E)
A Revolução de 1830, na França, foi motivada por idéias liberais e
nacionalistas que se opunham aos objetivos restauradores do
Congresso de Viena.
A Revolução de 1848, na Itália, foi um movimento que pregava a
descentralização republicana, provocando a queda da monarquia
italiana.
A Revolução de 1848, na Confederação Germânica, foi provocada
pelos ideais da restauração monárquica, propondo a unificação
alemã sob a Casa Real austríaca.
A Revolução de 1848, na França, proclamou o Segundo Império,
instituindo uma política de nacionalidades ligada ao Congresso de
Viena.
A Comuna de Paris, em 1871, caracterizou-se por ser um movimento
liberal e burguês que criou a primeira experiência de autogestão
democrática, apoiada pelo governo da Terceira República francesa
recém-instalada.
12. Analisando-se o Movimento Revolucionário ocorrido na França,
em 1848, verifica-se que apresenta uma significativa diferença em relação
às demais Revoluções Liberais européias do período de 1815 a 1850.
Indique a alternativa que diz respeito a essa diferença.
O Movimento Revolucionário:
(A)
(B)
(C)
(D)
(E)
foi nitidamente liberal, provocando a queda de Carlos X e o início
da chamada "Monarquia de Julho";
teve o duplo caráter: nacional e liberal, representando um momento
decisivo contra o estatuto político-territorial estabelecido pelo
Congresso de Viena;
adquiriu um caráter bonapartista, anti-republicano e antilegitimista;
assumindo uma conotação socialista, dividiu as forças
revolucionárias, atemorizando a burguesia;
colaborou para a vitória de uma experiência socialista através da
organização das "Oficinas Nacionais".
13. A história política da Europa, durante o século XIX, foi marcada por
uma sucessão de "ondas" revolucionárias caracterizadas especificamente
numa das opções a seguir. Assinale-a:
(A)
O Congresso de Viena representou a consolidação da obra
revolucionária na implantação da sociedade burguesa.
(B)
Os movimentos revolucionários de 1830 marcaram o processo de
Restauração, liderados pela aristocracia.
(C)
(D)
(E)
As "ondas" revolucionárias corresponderam ao avanço dos
cercamentos dos campos – os enclousures – que liberaram a
população camponesa para as cidades.
Os movimentos de 1848 contaram com a participação das camadas
populares e com a forte influência das idéias socialistas.
Os movimentos de 1870, na Itália e na Alemanha, deixaram a
questão nacional em segundo plano, priorizando a conquista da
ordem democrática.
14. A unificação política da Itália, ocorrida na segunda metade do
século XIX, foi um processo tardio, considerando o contexto histórico
europeu. Sobre esta unificação, é correto afirmar que ela:
(A)
(B)
(C)
(D)
(E)
possibilitou a sua participação na corrida colonial, envolvendo-a
no domínio do mercado internacional juntamente com a Inglaterra
e a França;
contribuiu em parte para romper o equilíbrio político-militar que, a
partir do Congresso de Viena, foi estabelecido entre as nações
européias;
acarretou o desenvolvimento do capitalismo a partir de um intenso
surto de industrialização que se estendeu por todo o seu território;
permitiu o reatamento das relações político-diplomáticas com o
Vaticano e a garantia do direito de liberdade religiosa aos cidadãos;
impediu o surgimento de fluxos de emigração de camponeses para
o continente americano, através da implantação de uma política
de fechamento das suas fronteiras.
15. Na base do processo das unificações italiana e alemã, que alteraram
o quadro político da Europa no século XIX, estavam os movimentos:
(A)
(B)
(C)
(D)
(E)
sociais, acentuadamente comunistas;
liberais, acentuadamente nacionalistas;
iluministas, acentuadamente burgueses;
reformistas, acentuadamente religiosos;
renascentistas, acentuadamente mercantis.
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

paulo

2 Cartões paulonetgbi

teste

2 Cartões juh16

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards