artrite - uma visão geral

Propaganda
Texto de apoio ao curso de Especialização
Atividade Física Adaptada e Saúde
Prof. Dr. Luzimar Teixeira
ARTRITE - UMA VISÃO GERAL
A artrite é uma doença que compreende a inflamação de uma ou mais articulações (artro se refere
à articulação, e itis à inflamação).
A inflamação da articulação é a reação do corpo a diferentes processos de doenças, entre os quais
estão a lesão mecânica de uma articulação (incluindo fratura), presença de infecção (geralmente
causada por bactérias ou vírus), um ataque do próprio corpo às articulações (uma doença autoimune) ou o desgaste acumulado das articulações.
Normalmente, a inflamação desaparece depois de a lesão ter sido curada, de a doença ter sido
tratada ou depois que de a infecção ter sido eliminada pelo sistema imunológico, em algumas
ocasiões com a ajuda de antibióticos.
Em algumas lesões e doenças, a inflamação não desaparece ou a destruição produz dor e
deformidades prolongados, o que se considera artrite. Há mais de 100 tipos de artrites, com muitas
causas diferentes possíveis.
Nos Estados Unidos, a osteoartrite é a variedade mais comum da doença, que resulta geralmente
de anos de desgaste acumulado das articulações, e tende a ser apresentada por idosos nas
articulações dos quadris, joelhos e dedos.
A gota aparece em pessoas com mais de 40 anos e é causada pela formação de cristais de uréia
nas articulações, o que gera inflamação. A gonorréia é uma infecção bacteriana que causa o que
se denomina de artrite infecciosa. Os transtornos auto-imunológicos, como a artrite reumatóide, o
lupus e o escleroderma, também podem causar artrite. Nestas doenças, algo funciona mal no
sistema imunológico e este ataca partes sadias do corpo (como as articulações).
CAUSAS E FATORES DE RISCO
A artrite pode se apresentar em homens e mulheres de qualquer idade. Cerca de 37 milhões de
pessoas nos Estados Unidos têm algum tipo de artrite – quase 1 em cada 7 pessoas. Em pessoas
acima de 55 anos, as mulheres apresentam maiores possibilidades de sofrer de osteoartrite.
Outros fatores de risco para a osteoartrite são a obesidade, antecedentes de trauma e várias
doenças genéticas e metabólicas.
1
Algumas das doenças que causam artrites são:
• Osteoartrite
• Lupus eritematoso sistêmico
• Artrite reumatóide (em adultos)
• Artrite reumatóide juvenil (em crianças)
• Gota
• Escleroderma
• Psoríase
• Infecções micóticas como a blastomicose
• Espondilite anquilosante
• Síndrome de Reiter / Artrite reativa
• Artrite séptica
• Doença de Still do adulto
• Doença de Lyme-terciária (o estado tardio)
• Tuberculose (artrite tuberculosa)
• Infecções virais (artrite viral)
• Gonorréia (artrite gonocócica)
• Outras infecções bacterianas (artrite bacteriana não-gonocócica)
SINTOMAS
Os pacientes com artrite podem sofrer dos seguintes sintomas:
• Dor articular
• Inflamação articular
• Rigidez cedo da manhã
• Calor ao redor de uma articulação
• Vermelhidão da pele ao redor de uma articulação
• Diminuição da capacidade para mover a articulação
• Perda inexplicável de peso, febre ou fraqueza que se apresentem com dor articular.
SINAIS E EXAMES
O exame físico pode mostrar uma acumulação de líquido ao redor da articulação (chamada
derrame). A articulação pode mostrar sensibilidade ao ser pressionada suavemente e pode
apresentar calor ou vermelhidão, o que é mais comum nas artrites infecciosa e auto-imunológica.
2
Pode ser doloroso ou difícil girar a articulação em algumas direções, o que é conhecido como raio
de movimento limitado.
Em certas formas auto-imunológicas de artrite, as articulações podem se deformar caso a doença
não seja tratada. Tais deformidades são a marca registrada de uma artrite reumatóide severa que
não foi tratada.
Os testes variam de acordo com as suspeitas de causas e podem incluir vários exames de sangue
e urina, bem como radiografias das articulações. Na artrite séptica, se extrai um líquido articular
com uma agulha, que é examinado em busca de infecção.
TRATAMENTO
Existem muitos tipos diferentes de atrite e os tratamentos variam de acordo com a causa particular,
a severidade da doença, as articulações comprometidas, o quanto afetada se encontra a pessoa,
além da idade, ocupação e atividades diárias.
O tratamento pode ser focado na eliminação da causa subjacente da artrite. No entanto,
geralmente a causa não pode ser curada, assim que o tratamento busca reduzir a dor e o mal-estar
e evitar posteriores incapacitações. É crucial seguir a terapia indicada.
Os sintomas são tratados à medida do necessário, e podem ser aliviados com simples mudanças
nas atividades diárias, junto a repouso e formas de exercício adequadas. Por exemplo, o exercício
aeróbico de baixo impacto (como a natação) alivia significantemente a deformação articular. Em
outros casos, se requer terapias mais intensivas. Geralmente, o tratamento consiste em exercícios,
tratamentos com calor ou com frio, métodos para proteger as articulações, diferentes
medicamentos e possível cirurgia.
MEDICAMENTOS
Os medicamentos para reduzir a dor articular e a inflamação da articulação podem incluir
acetaminofem, aspirina, medicamentos anti-inflamatórios não esteróides, corticoesteróides e outros
medicamentos imunodepressores (que retardam o sistema imunológico).
Acetaminofem: recomendado pelo American College of Rheumatology (Colégio Americano de
Reumatologia) como a primeira linha de tratamento contra a osteoartrite. Quando tomado em
doses de até 4 gramas ao dia, pode oferecer um alívio significativo da dor da artrite sem muitos dos
efeitos secundários dos medicamentos descritos a seguir. No entanto, não se deve elevar a dose
recomendada ou tomar o medicamento em combinação com grandes quantidades de álcool, já que
pode haver danos no fígado.
3
Aspirina e Anti-inflamatórios não esteróides (AINES): estão disponíveis sem prescrição e
normalmente são eficientes no combate à dor da artrite. Ainda que estes medicamentos possam
ser formulados em doses mais fortes pelos médicos, podem apresentar muitos efeitos secundários.
Por isso, é indicado não consumi-los sem antes consultar o médico. Os efeitos secundários mais
perigosos dos AINES são a formação de úlceras estomacais, sangramento do trato digestivo e
dano renal. Os pacientes com doença hepática ou renal, ou com antecedentes de sangramento
gastrintestinal não devem tomar estes medicamentos sem consultar seu médico.
Novos medicamentos de prescrição: medicamentos com o Celecoxib e Rofecoxib tratam a dor
da artrite de maneira similar aos AINES, no entanto, parece que produzem menor irritação
estomacal e oferecem um risco menor de úlceras e sangramentos gastrintestinais. Estes
medicamentos devem ser tomados sob cuidadosa supervisão médica, devido que ainda podem
afetar o trato digestivo e serem tóxicos para os rins.
Glucosamina e condroitina orais: estes atuam nos blocos de construção da cartilagem, a
substância que cobre as articulações. São encontrados em lojas de alimentos saudáveis ou
supermercados, sem prescrição. Os estudos iniciais indicam que estes compostos são muito
seguros e podem melhorar os sintomas relacionados com a artrite.
Corticoesteróides ou esteróides: são medicamentos que reprimem o sistema imunológico e os
sintomas da inflamação. Geralmente são empregados em casos severos de osteoartrite e podem
ser administrados de forma oral, por injeções ou, ocasionalmente, injetados diretamente na
articulação afetada. Os esteróides são utilizados para tratar as formas autoimunológicas de artrites,
mas devem ser evitados na artrite infecciosa. Os esteróides apresentam múltiplos efeitos
secundários que vão desde mal-estar estomacal e sangramento gastrintestinal, hipertensão,
afinamento dos ossos, cataratas e aumento das infecções. Estes riscos são mais pronunciados
quanto os esteróides são tomados por períodos prolongados ou em doses maiores. É essencial a
supervisão constante de um médico. Muitos outros medicamentos imunodepressores são utilizados
para tratar as doenças auto-imunes que produzem a artrite, que incluem a artrites reumatóide,
escleroderma e lupus. Tradicionalmente, a artrite reumatóide tem sido tratada com medicamentos
que modifica o sistema imunológico, como sais de ouro, penicilamina e hidrocolorquina.
Recentemente há sido demonstrado que o metotrexato torna mais lento o progresso da artrite
reumatóide e melhora a qualidade de vida do paciente; o metotrexato em si pode ser altamente
tóxico e requer exames de sangue freqüentes para os pacientes sob medicação.
4
O avanço mais recente na artrite reumatóide tem sido o desenvolvimento dos denominados
antibiológicos, que atacam em moléculas individuais para reduzir a inflamação. Tais
medicamentos, que incluem o etanercept (Enbrel) e infliximab (Remicade), são administrados por
meio de injeções intravenosas e podem oferecer grandes melhorias na qualidade de vida do
paciente.
CIRURGIA E OUTROS TRATAMENTOS
Em alguns casos, pode ser recomendada a cirurgia para reconstruir a articulação (atroplastia) ou
substituí-la (como a substituição completa da articulação do joelho), para que o paciente possa
desenvolver um estilo de vida mais normal. A decisão de efetuar a cirurgia de substituição articular
normalmente é tomada quando outras alternativas, como as mudanças no estilo de vida e os
medicamentos, já não surtem efeitos.
As articulações normais contém um lubrificante denominado líquido sinovial. Naquelas que sofrem
de artrite, este líquido não é produzido em quantidades suficientes. Um enfoque relativamente
recente é injetar as articulações artríticas com uma versão artificial deste líquido, conhecida como
hylan G-F 20 (Synvisc). Este líquido sintético pode evitar a necessidade de cirurgia, ao menos
temporariamente, e melhorar o estilo de vida dos pacientes com artrite. Muitos estudos estão
avaliando a eficiência deste tipo de terapia.
MUDANÇAS NO ESTILO DE VIDA
O repouso e o exercício são importantes, pode ser úteis os banhos quentes e exercícios de
alongamento. Geralmente são recomendadas modificações nas atividades diárias ou o uso de
dispositivos para proteger a articulação.
OUTRA TERAPIA
Em casos severos, pode ser recomendada a terapia física para a reabilitação do músculo e da
articulação.
EXPECTATIVAS (PROGNÓSTICO)
Alguns poucos transtornos relacionados com a artrite podem ser curados completamente com o
tratamento. A maioria são crônicos ou de larga duração e o tratamento procura controlar a dor e
minimizar o dano da articulação. A artrite crônica freqüentemente aumenta e diminui seu grau de
intensidade.
5
COMPLICAÇÕES
• dor crônica
• restrições no estilo de vida ou incapacidade
• diminuição da expectativa de vida
QUANDO PROCURAR O MÉDICO
O médico deve ser procurado se a dor articular persiste por mais de 3 dias, se há uma dor articular
severa e inexplicável, se a articulação apresenta uma inflamação significativa e se há muitos
problemas para movê-la ou se a pele ao redor da articulação está avermelhada ou quente ao tato.
Estes sintomas são de particular importância se estão acompanhados por outros sintomas
inexplicáveis, como febre ou perda de peso.
PREVENÇÃO
A maioria dos casos não pode ser prevenida, mas ter conhecimento de antecedentes familiares de
condições relacionadas com a artrite pode permitir o diagnóstico e o tratamento oportuno da
doença.
Alguns cientistas acreditam que a osteoartrite pode se desenvolver em algumas pessoas devido ao
abuso de suas articulações (as lesionam muitas vezes ou as utilizam demais quando estão
lesionadas). Ter cuidados de não sobrecarregar de trabalho uma articulação lesionada ou dolorida
pode evitar ou ajudar a eliminar a possibilidade de desenvolvimento da osteoartrite em algumas
pessoas.
Estar acima do peso também aumenta o risco de desenvolver osteoartrite, especialmente nos
joelhos e possivelmente nos quadris e mãos. As mulheres apresentam risco especial de apresentar
osteoartrite e nos homens, quando há excesso de peso, aumenta o risco de desenvolver gota. É
importante manter um peso recomendado, principalmente quando se está envelhecendo. Estudos
mostram que mulheres de meia idade e idosas, de tamanho médio e com excesso de peso, que
perdem 5 kg ou mais no período de 10 anos, podem reduzir pela metade o risco de apresentar
osteoartrite nos joelhos.
LINKS
. A artrite reumatóide
Informações gerais sobre a doença
6
. Arthtritis Foundation
Um grande banco de informações sobre a artrite e condições relacionadas(em espanhol)
. Exercise and Arthritis
A importância do exercício para quem tem artrite (em inglês)
. A artrite juvenil
Dados gerais sobre a Artrite Juvenil (em inglês)
. ArthritisCare.org.uk
Site britânico sobre artrite (em inglês)
7
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

teste

2 Cartões juh16

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Criar flashcards