Senhor Presidente

Propaganda
Discurso proferido pelo Deputado
Dr. HELENO (PP-RJ),
na sessão de de outubro de 2004.
Senhor Presidente,
Senhoras e Senhores Deputados,
O objeto de minha vinda ao plenário desta
Casa é para abordar um mal que, ao contrário do
que se imagina não é uma doença de idosos. Ela
incapacita jovens, sendo muitas vezes confundida
com doenças menos graves, como a labirintite.
Refiro-me à Esclerose Múltipla, que é uma doença
neuroimunológica (que envolve o sistema nervoso e
de defesa), de causa desconhecida, que apresenta
lesões no Sistema Nervoso Central, caracterizandose por surtos periódicos que tendem a piorar a cada
crise, podendo ser progressiva, com piora constante,
provocado por uma lesão da mielina, camada que
recobre o nervo e liga o cérebro ao corpo.
As estatísticas têm mostrado que, no
Brasil,
30 em cada 100 mil habitantes são
portadores desse mal, sendo mais comum entre
mulheres, manifestando-se, em média entre os 18 e
45 anos de idade. A sua área de ocorrência mais
freqüente são os estados mais frios da Federação
onde esse índice se eleva para 45 casos em cada
100 mil habitantes.
A doença começa com um distúrbio no
sistema imunológico, onde algumas células de
defesa,
que
devem
proteger
o
organismo,
estranham-no e passam a destruí-lo. A camada de
mielina é lesada. A referida camada tem como
função conduzir os estímulos nervosos, impedindo a
transmissão das mensagens entre o cérebro e o
resto
do
corpo.
Os
principais
sintomas
são:
distúrbios visuais, fraqueza muscular ou paralisia de
um
ou
mais
membros
(sintomas
piramidais);
instabilidade ao caminhar ou movimentos trêmulos
dos membros; movimentos involuntários dos olhos
2
(nistagmo), com dificuldades de articulação da fala e
de deglutição (lesão no troco cerebral); funções
sensoriais
relacionadas
a
tato,
dor,
sentido
posicional etc, funções intestinal e urinária; funções
cerebrais relacionadas com humor e capacidade
intelectual.
O exame mais eficaz, capaz de detectar a
doença é a ressonância magnética, onde são
notadas as lesões que surgem no sistema nervoso.
Com relação ainda à doença, ela não tem
cura,
mas
há
medicamentos
adequados
que
conseguem reduzir a intensidade dos surtos, tornar
menos freqüentes as ocorrências e oferecer uma
melhor qualidade de vida ao seu portador. Os
remédios são distribuídos pelo serviço público de
saúde e devem ser exigidos pela comunidade. O
médico precisa sempre acompanhar o paciente em
seu
tratamento
fisioterapia,
que
também
hidroterapia,
exercícios físicos, etc...
3
terapia
poderá
incluir
corporal
e
A Port. SAS n.º 116, de 10 de abril de
2001 instituiu o Grupo Técnico de Assessoramento
e Esclerose Múltipla, entretanto é importante que
Centros de Referência para o desenvolvimento de
atividades de cadastramento de pacientes visando à
detecção, acompanhamento e avaliação de seu
estado sejam criados em todo o Brasil.
É com bastante satisfação que este
parlamentar tomou ciência de que o Hospital
Universitário de Brasília – HUB, passou a dispor,
recentemente, de um desses Centros de Referência.
Esperamos que eles se disseminem por todo o
Brasil.
Era o que eu tinha a dizer. Muito
obrigado.
4
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

teste

2 Cartões juh16

Criar flashcards