Patrícia Bispo

Propaganda
QUAL O MELHOR MÉTODO NO PROCESSO DE SELEÇÃO?
por Patrícia Bispo
Quatro matérias, duas entrevistas, um chat e vários artigos. Esse foi o resultado obtido pelo
RH.COM.BR, num período de seis semanas, ao escolher como tema do mês um assunto bastante
amplo: os Processos de Seleção, e que há algum tempo vinha sendo solicitado pela nossa
comunidade virtual.
Tivemos a preocupação de abordar os variados aspectos que envolvem uma seleção.
Destacamos técnicas inovadoras, além de ferramentas a exemplo do Zulliger, IAT (Inventário de
Atitudes no Trabalho), Wartegg e Grafologia. Demonstramos, ainda, as mudanças que estão
ocorrendo nas seleções, principalmente a preocupação de profissionais em oferecer mais respeito
aos candidatos.
Durante este período, também, recebemos inúmeras mensagens através da nossa pesquisa.
Vários profissionais ligados à área de RH manifestaram opiniões sobre o tema em questão.
Segundo Márcio Alexandre, administrador que trabalha na Texaco do Brasil S/A, muitos
recursos servem de base para uma melhor e mais apurada análise de candidatos. Porém, ele
acredita que uma entrevista bem elaborada e inteligente é capaz de "desmascarar" o candidato em
questão. "Seria algo que poderia atingir níveis quase que informais, mas estrategicamente, a fim de
que se extraiam informações que em processos norrmais não nos seria possível", acrescenta.
"Acredito que uma forte ferramenta de seleção é o teste de simulação, que consiste em
apresentar ao candidato um caso prático que aconteça na empresa e solicitar que ele demonstre
como o resolveria", defende Adriana Araújo, administradora que atua na Companhia Vale do Rio
Doce. No entanto, ela observa que testes como esse não podem ser aplicados como única
ferramenta de seleção, mas é preciso que haja outras etapas para que o processo seja mais
completo.
Uma opinião bem interessante sobre testes psicológicos é dada pelo psicólogo Carlos
Eduardo Baptista, que também trabalha com seleção de pessoal. "Utilizo os mal falados testes
psicológicos e explico: os testes podem mostrar habilidades e atitudes que na entrevista e na
dinâmica de grupo não se vê. No entanto, o uso de testes só pode ser feito por psicólogos com
amplo conhecimento do assunto", afirma.
Carlos Eduardo adverte que muitos testes, como qualquer produto de mercado, não são bons
e a escolha do mais adequado é dificil. É necessário avaliar o estudo científico por trás de cada um,
as habilidades e as atitudes que estes recursos medem e o tipo de pessoa em que podem ser
aplicados, de acordo com idade, cultura e perfil profissional. E complementa: "O teste não é uma
bola de cristal. Apenas pode confirmar impressões e medir características implícitas. Com o conjunto
entrevista-teste-dinâmica de grupo, um processo seletivo pode ser consideraddo completo e válido".
Por fim, encerrando o tema, realizamos no último dia 19, o primeiro chat do RH.COM.BR. Para
abordar o assunto - Seleção por Competências, tivemos como convidada Maria Rita Gramigna
(Diretora da MRG Consultoria) e como debatedores Nádia Darwiche (Infoglobo Comunicações Ltda);
Roberto Giovani Fonseca (Seaquist Valois do Brasil) e João Henrique dos Santos (Petrobras).
Durante pouco mais de uma hora, os nossos convidados e visitantes tiveram a oportunidade
de analisar e questionar conceitos de competência; os efeitos nos casos de ruptura da Organização;
adaptação do profissional ao ambiente de trabalho, entre outros. Todo o conteúdo deste bate-papo,
encontra-se disponível no site. Aproveite!
Patrícia Bispo
Jornalista responsável pelo conteúdo da comunidade virtual RH.COM.BR
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Matemática

2 Cartões Elma gomes

Criar flashcards