Intervenção Coronária Percutânea Termo de Autorização e

advertisement
Intervenção Coronária Percutânea Termo de Autorização e Descrição da Doença
Nome do Paciente
A explicação do conteúdo abaixo foi feita em
/
/
as
horas e
minutos.
Nome do Médico
(assinatura)
Acompanhante
(assinatura)
1.Nome da doença/Sintomas
Quando as artérias e os vasos sanguíneos que fornecem sangue e oxigênio ao coração ficam obstruidas (artérias coronárias) e não há fluxo sanguíneo suficiente
para irrigação da musculatura cardíaca, diz-se que está em estado de cardiopatia isquemica (angina peitoral/infarto do miocardio)
2.Nome da Cirurgia e seu Conteúdo
(Data prevista para execução:
ano
mês
dia
)
Percutaneous Coronary Intervention:PCI – Intervenção Coronária Percutânea
Com aplicação de anestesia local na virilha ou no pulso, faz-se uma incisão para colocação do introdutor do cateter guia, a inserção de um catater na artéria
coronária e em seguida a colocação de contrastantes para o exame de angiografia (verificação de doenças oclusivas ou estenoses). Em seguida, faz-se a
introdução de um fio guia com um balão vasio alinhado, dentro do cateter ultrapassando a parte lesada, infla-se o balão expandindo a artéria. Para diminuir a
possibilidade de reincidancia da estenose faz-se o uso do stent (um tela metálico expandível em forma de tubo) ou ainda quando a parte lesada esta enrigecida
impedindo a passagem do balão, usa-se uma broca para desobstruçao (Rotablator). Quando não pode-se avaliar com precisão a parte lesada somente com
contrastantes faz-se o uso do cateter de ultra-som para uma melhor avaliação. O procedimento demora de 1 a 2 horas entretanto, a depender da condição da
parte lesada, dos vasos sanguíneos do corpo, grau de endurecimento das artérias poderá demorar mais tempo. Os resultados obtidos antes e depois do
exame poderão ser utilizados como referência para os próximos exames, melhoria no tratamento, para o desenvolvimento da medicina.
3.Riscos e complicações do tratamento
Não se pode afirmar que não há riscos durante a intervenção coronária percutânea. O uso de equipamentos médicos ou medicamentos/drogas para a
desobstrução brusca das artérias obstruídas, há a possibilidade de haver algum dano na parte interna da artéria. Há de levar em considerão que algumas
circunstancias imprevistas poderão acontecer.
①
Dores no local da punção do cateter:Poderá sentir dores leves quando da aplicação da anestesia ou colocação da fita anestésica. Em situações de não
suportar a dor, doses adicionais de anestésicos poderão ser ministradas.
②
Presença de lesões e sangramentos vasculares:O cateter e o seu guia são confecionados de material maleável e são raros os casos de lesões ou
sangramentos das artérias. Na pior das hipóteses, caso aconteça este caso, será feita uma cirurgia com anestesia geral para conter o sangramento. No
caso de sangramentos embaixo da pele, até o desaparecimento do hematoma, poderá sentir dores com mudanças na cor da pele temporariamente. Havera
casos em que poderá correr risco de vida, mas muito raramente.
③ Lesões nervosas:Aplicação de anestesia local, colocação da bainha guia, picada da agulha, pressão durante a cirurgia, permanecer por longo período na
mesma posição como no exposto acima, pelo estresse ou irritação, poderão causar lesões nervosas poderão ocorrer dormêcias ou paralisias durante a
punção ou pressionamento. Quando sentir formigações nas extremidades favor informar imediatamente.
④ Alergias a Contrastantes e Anestésicos:As complicações e ou casos fatais quando do uso de contrastantes são de aproximadamente 10.000 por 1 caso.
Se o paciente tiver alergias a contrastantes poderá sentir-se desconfortavel durante a aplicação de contrastantes o uso de ansetésicos ou correlatos.
Sintomas como queda na presão arterial dificuldades de respiração. Apesar de fazermos as averiguações necessárias nos pre-exames não poderemos
prever todas as situações, desta forma em casos de alergias as contrastantes, tomaremos imediatamente todas as providências necessárias ao caso.
Geralmente os casos de complicações fatais de alergia a constrastantes, são de aproximadamente 1 caso em 10.000.
⑤ Trombocitopenia induzida pela heparina(HIT)
:Com a finalidade de evitar a oclusão vascular, geralmente é usada a droga anti-coagulante denominada
Heparina (medicamento que evita a catalização do sangue). Pacientes que fizeram uso previo deste medicamento, raramente apresentam anti-corpos
contra a Heparina nesta situação, a re-utilização deste medicamento poderá haver uma reação excessiva de ani-corpos causando a coagulação do sangue
ocorrendo complicações como infarto do miocárdio, infarto cerebral e embolia pulmonar. Caso haja suspeitas de Trombocitopenia induzida pela heparina,
suspenderemos o uso da Heparina por outros medicamentos especiais, anticoagulantes.(0.5~5%)
⑥
Arritmias Cardíacas:Há a possibiliade de ocorrencias de diversas arritimias cardíacas durante processo de cateterismo ou injeções de contrastantes. No
caso de acontecerem arritimias graves estaremos preparados para tomar o controle da situação imediatamente.
⑦ Infarto do Miocárdio:Devido ao uso cateter e bainha guia, poderão ocorrer a oclusão das artérias com a possibilidade de uma cirurgia de emergência para
colocação de by-pass de emergência. Ocorrência em menos de 0.3% dos casos.
⑧ Infarto Cerebral:Poderão acontecer descolamento das placas de colesterol acumuladas nas artérias com arteriosclerose e estas poderão deslocar-se às
artérias cerebrais causando sintomas de paralisias ou derrame cerebral quando do uso do cateter. (0.06% dos casos)
⑨
Oclusão Arterial Periférica:São raros os casos de entupimento das artérias periféricas das pernas e dos rins quando as placas de colesterol de soltam
durante o tratamento. São raros os casos de deterioração das funções renais com atrazo no tratamento e prognóstico pouco satisfatório.
⑩ Disfunções Renais:Em casos de pacientes com disfunções renais antes do exame, poderão ter estas disfuções agravadas quando do uso de contrastantes.
Nestas condições a quantidade de contrastante poderá ser reduzida para evitar esta situação e poderão ser ministrados soros ou medicamentos orais etc.
Nos casos extremos talvez seja necessário uma hemodiálise.
⑪ Doenças infecciosas:São raros os casos de infecção por bactérias uma vez que a esterelização ocorre do mesmo modo que em uma cirurgia, entretanto
caso venha a ocorrer usaremos o anti-biótico necessário.
⑫ Exposição ao Raio-X:Poderão ocorrer eritemas da pele, ulcerações, queda dos cabelos ou outros danos causados pela radiação quando da exposição ao
Raio-X
⑬ Outros:Quando do acontecimento de situações extras aos exposto acima, serão tomadas as medidas adequadas a cada caso
⑭
Há a possibilidade de ocorrencia de oclusão coronária depois do tratamento em 2 a 3% dos casos e reincidência de estenose entre 20 e 30% dos casos
entre 3 a 6 meses após o tratamento.
A frequência de complicações relacionadas ao tratamento é de aproximadamente 15% entretanto, os casos de complicações graves com taxas de mortalidade
de menos de 0.5% Poderão ocorrer complicações como as explícitas acima, os casos de situações de emergência durante a cirurgia ou a quando for detectado a
possibilidade destes casos o tratamento ocorrerá conforme abaixo.
【Marcapasso Cardíaco】Ocorrências de arritmias ou casos de diminuição dos batimentos cardíacos para que se possa garantir fluxo adequado de sangue ao
cérebro será inserido um cateter eletrodo na artéria do coração para normalizar os batimentos cardíacos.
【Defibrilador】No caso de situações emergência com risco de vida será usado choques elétricos para cessar a arritimia
【Drenagem do pericárdio】Quando há vasamentos sanguineos por perfurações no coração ou vasos sanguíneos este sangue ficará retido na pelicula que envolve
o coração esta hemorragia causará pressão extra sobre o coração que não funcionará corretamente (tamponeamento cardíaco). Será colocado um tubo no
pericárdio para drenagem do sangue acumulado.
【Balão Intra-Aórtico】Será inserido em uma das aortas da perna um cateter com um balão anexado alinhados com os batimentos cardíacos reduzindo assim a
carga cardíaca, e aumentando o fluxo sanguíneo coronário.
【Sistema de Apoio Cardio-Pulmonar Percultâneo 】Será colocado um tudo nas artériase veias da perna substituindo temporariamente as funões do coração e
pulmão
【Respirador Artificial】Quando não é possível manter uma respiração adequada, nos casos de parada respiratória, insuficiencias cardíacas, com anestesia geral,
será inserido um tubo nos pulmões usando um respirador artificial para dar assitencia respiratória.
【Cirurgia de Emergência】Nos casos em que se apresentem riscos elevados causando danos aos vasos sanguíneos, com obstrução na base das artérias
coronárias, há a possibilidade de uma cirurgia de emergência para colocação de um by pass.
4.Da necessidade da cirurgia e dos resultados, no caso de não ser tratados adequadamente
Por estar a musculatura cardíaca em grande parte em estado de isquemia (nao há fluxo suficiente de sangue) havendo assim uma parte importante da artéria
coronária com estenose obstrutiva não sendo possível curar esta doença somente com a terapia famacológica、fazendo-se necessário uma angioplastia
coronária. No caso de tramentos somente com a terapia famacológica, em um futuro próximo a parte afetada poderá necrosar causando assim a possibilidade de
infarto do miocárdio. No caso de infartos do miocárdio, insuficiências cardíacas, além de arritimias severas os riscos de morte aumentam (20 a 30% dos casos)
Ainda nos casos de sobrevivência, o as funções cardíacas se deteriorarão progressivamente e não retornarão ao funcionamento normal.
5.Comparando-se com outros tratamentos
Assim como outros tramentos, alem da Intervenção Coronariana Percutânea, há ainda a terapia farmacológica e a cirurgias para colocação de bypass. Em si é
muito importante, podendo evitar o grau de enfarto do miocárdio (poderá ser evitado em certas situações o enfarto do miocárdio) retardando assim os efeitos da
doença entretanto não é possível remover as lesões coronarianas podendo requerer uma intervenção (terapia) combinada de revascularização com colocação de
bypass. O método de intervenção para colocação do bypass é feito com anestesia geral com incisão peitoral interligando esta artéria a uma nova artéria, fazendo
assim com que o fluxo sanguíneo flua com normalidade. Há ainda os benefícios de tratamento em vários lugares, entretanto em camparação ao tratamento de
cateterismo, os danos causados aos organismo são maiores e geralmente de maior risco.
6.Favor responder o questionário sobre alergia abaixo
・Até a presente data, já teve alguma doença alérgica tal como urticária, alergia a pólem, asmas
( sim
・Algum parente próximo é portador de alergia?
( sim
/
・Até a presente data, já fez exames com contrastantes vasculares?
( sim
/
・Apresentou alguma alergia ao realizar exames com constrastantes cardiovasculares anteriormente?
/
não
)
não
)
não
)
( sim / não )
Nesta ocasião, concordo em fazer a cirurgia, entendendo as explicações feitas relacionadas aos riscos, propósitos e métodos a serem aplicados e també m sobre
as complicações que porventura venham a acontecer durante a Intervenção Coronariana Percutânea. Também concordo com processo para tratamento médico
necessário a cirurgia.
Data
/
/
(Quando o paciente não pode assinar)
Nome do Paciente
Assinatura
Nome do resposável
Assinatura
Pessoa que recebeu a segunda via do documento
Nome do recebedor da cópia
Parentesco
Assinatura
Download