Baixar - ABOR-DF

Propaganda
CONSENTIMENTO INFORMADO PARA REALIZAÇÃO DE TRATAMENTO ORTODÔNTICO
PROCEDIMENTO INFORMADO RONCO E SÍNDROME DA APNÉIA OBSTRUTIVA DO SONO
Nome:
Idade:_________________ Tel.:_________________________________________________
Endereço:_____________________________________________________________________
Responsável:_____________________________________________________________
Identidade nº:______________________________SSP:_____________________
DECLARO que a Dr (a)
- CRO nº :
IE:
Informou-me de:
O consentimento informado baseia-se no direito do paciente de considerar os riscos conhecidos e as
complicações inerentes ao tratamento. Isso torna o paciente capaz de tomar uma decisão consciente e
voluntária quanto à realização do tratamento ou de eleger outra opção.
Paciente realizou polissonografia noturna , a qual registrou roncopatia sem elevação do índice de
apnéia/hipopnéia ( IAH 1,5/h ). Evidência de sonpo fragmentado e de baixa eficiência.
Você é portador(a) de apnéia leve, seu diagnóstico foi dado pelo seu médico e requer tratamento específico.
A SAOS é uma doença crônica progressiva caracterizada pela completa interrupção do fluxo aéreo durante o
sono devido a episódios recorrentes de obstrução parcial ou completa da via aérea superior. Está associada à
hipertensão arterial, doenças pulmonares, cardiovasculares, sonolência diurna excessiva e mortalidade aumentada.
O ronco barulhento é um sintoma característico dessa síndrome e é causado pela vibração dos tecidos moles da
orofaringe principalmente durante a inspiração. A terapia com os aparelhos intrabucais alivia os distúrbios
respiratórios em aproximadamente 80%. O uso do aparelho melhora a respiração por manter a língua e a
mandíbula para frente durante o sono. Essa terapia tem sido eficiente para muitos pacientes; 96% aderem ao
tratamento com aparelho e fazem uso 7h por noite. 64,1% usam o aparelho após 5 a 7 anos; nestes casos o ronco é
controlado em 75% dos pacientes. Entretanto, não existe garantia de que será efetiva para você, pois cada paciente
tem suas particularidades e há muitos fatores que influenciam a passagem aérea superior durante o sono.
Inicialmente, pode ser uma terapia de difícil adaptação para alguns pacientes, mas a maioria estará apta a tolerar
bem o aparelho após 2 a 3 meses de uso.
Os aparelhos intrabucais são indicados como terapia de primeira escolha para SAOS leve e ronco simples e
como segunda escolha nos casos de SAOS moderada a grave, em que outras terapias fracassaram. O CPAP, terapia
de pressão positiva contínua das vias aéreas; é mais eficaz na redução do índice de apnéia-hipopnéia, por esta
razão é a terapia mais indicada nos casos de SAOS grave, porém, apresenta uma menor aceitação, de 66% durante
4h por noite.
Os efeitos colaterais a curto prazo dos aparelhos intrabucais são menores e geralmente estão relacionados
à salivação excessiva por 3 semanas, cansaço muscular pela manhã, sensação de dentes pressionados ou doloridos
e sem oclusão, dificuldade na deglutição com o aparelho na boca, boca seca, desconforto nos dentes ou na
articulação- temporomandibular(ATM). A maioria desses efeitos melhora com pouco tempo de uso e com
pequenos ajustes no aparelho .
RÚBRICAS: ___________________
Ortodontista
____________________________
Paciente
As complicações a longo prazo incluem desconforto na ATM e mudanças oclusais resultantes de
movimento dentário ou reposicionamento mandibular. Caso a terapia seja interrompida, essas complicações
podem ou não ser reversíveis. Em certos casos, tratamentos restaurador , ortodôntico ou ortodôntico/cirúrgico
podem ser indicados; tratamentos pelos quais o paciente será responsável. As consultas de retorno são
obrigatórias para o exame clínico e o paciente deve portar o seu aparelho para que o mesmo possa ser ajustado
adequadamente. Caso ocorram sintomas ou desconfortos não mencionados nesse consentimento, recomenda-se
que o paciente suspenda o uso do aparelho e entre em contato com a clínica.
Outros tratamentos aceitos para os distúrbios do sono incluem o uso do CPAP, intervenções cirúrgicas e
modificações no comportamento (evitar o uso de álcool e medicação sedativa antes do sono, aliviar a congestão
nasal, reduzir o peso e evitar dormir com o abdômen voltado para cima).
Os aparelhos intrabucais para tratamento do ronco ou SAOS são terapias com evidência científica
limitada, principalmente, acerca das complicações a longo prazo deste tipo de intervenção.Durante o período de 2
anos o aparelho poderá ser reembasado, se houver necessidade, após este prazo deverá ser substituído.
Tratamentos odontológicos de reconstituição ou reabilitação protética causam alterações; em seguida a esses
tratamentos o aparelho pode não se adaptar mais e deverá ser refeito.
É sua a decisão optar pela terapia com aparelho reposicionador mandibular ajustável. Você está ciente
de que tal terapia pode não ser totalmente efetiva para o seu caso. É sua responsabilidade relatar as ocorrências
dos efeitos colaterais e comunicar à clínica para que providências sejam tomadas. Falhas no tratamento dos
distúrbios do sono podem aumentar, significantemente, a probabilidade de complicações clínicas. Eu, também,
assumo a responsabilidade financeira desta terapia.
Em caso de não retorno do paciente nos períodos fixados, o ortodontista ficará isento de toda e
qualquer responsabilidade decorrente do controle pós-tratamento.
Assim, declaro que estou satisfeito(a) com as informações recebidas e que compreendo os alcances e os
riscos do tratamento.
Por gentileza, solicitamos que não seja usado o telefone celular, jogos ou objetos eletrônicos na
sala clínica.
Entendi as explicações que me foram prestadas em linguagem clara e simples, esclarecendo-me todas as
dúvidas que ocorreram. Entendi que reserva-me o direito de revogar, a qualquer momento e sem a necessidade de
dar nenhuma explicação, o meu consentimento,antes que o procedimento se realize.
Por tal razão e nestas condições
CONSINTO
Que se realize o tratamento proposto.
Brasília,___/___/___.
Ortodontista
Paciente ou responsável
________________________________
Testemunha
1.DAL FABRO, C, CHAVES JUNIOR, C M, TUFIK S. A Odontologia na Medicina do Sono. 1ª Ed. Maringá,Dental Press
2009.
Download
Random flashcards
Criar flashcards