sangramento gastro-intestinal

Propaganda
SANGRAMENTO GASTRO-INTESTINAL
Sinônimos:
hemorragia gastro-intestinal, hemorragia digestiva, sangramento digestivo, hematêmese, melena.
O que é?
O sangramento gastro-intestinal é a perda de sangue a partir de qualquer órgão do trato
digestivo (esôfago, estômago, intestino delgado e intestino grosso).
Como se desenvolve?
Existem várias causas de hemorragia digestiva e as mais freqüentes ou importantes serão
comentadas, em seguida. Para mais detalhes, consulte o tópico específico de cada doença.
As úlceras pépticas, gástricas (do estômago) ou duodenais (da primeira parte do intestino)
são a maior causa de sangramento, sendo responsáveis por mais da metade das
hemorragias. Essa complicação ocorre quando a úlcera atinge e rompe alguma artéria ou
veia da parede do órgão.
As varizes de esôfago e a gastropatia hipertensiva são complicações da hipertensão do
sistema portal, em nosso meio mais freqüentemente por Cirrose, enquanto que em alguns
outros estados por Esquistossomose. Muito mais raramente, ocorrem por complicações de
hepatites agudas ou crônicas, por obstrução das Veias Supra-hepáticas (Síndrome de BuddChiari) ou por obstrução da Veia Porta.
Alterações na circulação do sangue através do fígado de um paciente com cirrose levam
certas veias do esôfago e do estômago a se dilatarem, tornando-se mais frágeis. Seu
rompimento causa uma hemorragia digestiva das mais abundantes e difíceis de tratar.
Certas pessoas que vomitam muito, como por exemplo, aquelas que bebem demais, podem
ser surpreendidas por eventual vômito com sangue vivo. A causa disto são as chamadas
fissuras de Mallory-Weiss, que são pequenas lacerações (rachaduras) longitudinais da
mucosa da junção do esôfago com o estômago, causadas pela excessiva pressão nesses
órgãos, durante o vômito.
Um certo tipo de gastrite, a Gastrite Erosiva, pode causar sangramento, geralmente em
volumes variáveis. É causada principalmente pelos remédios anti-iinflamatórios, incluindo a
aspirina, e por situações graves como politraumatismos, grandes queimaduras e outras
doenças que levam um paciente a um Centro de Tratamento Intensivo.
As alterações vasculares chamadas angiodisplasias ou ectasias vasculares são modificações
das veias e artérias na mucosa de qualquer parte do trato digestivo e que podem causar
sangramento pela boca ou pelas fezes, sendo esse último bem mais comum.
Divertículos (geralmente do intestino grosso), hemorróidas e fissuras anais são também
causas muito freqüentes de sangramento anal, os dois últimos, geralmente de pequeno
volume.
Outra causa rara de sangramento visível, menos de 1% dos casos, mas que não pode deixar
de ser diagnosticada, é o câncer. Tumores benignos ou malignos (câncer) do esôfago,
estômago ou intestinos podem causar hemorragia, que pode, inclusive, ser a primeira
manifestação da doença. A Retocolite Ulcerativa é também uma causa rara de sangramento
digestivo maciço.
O que se sente?
Pode ser observado diretamente o sangue vivo (vermelho como num corte na pele) nas fezes
ou no vômito (hematêmese). Quando o sangue transita mais tempo pelos intestinos, sai com
um aspeto típico, chamado de melena. Neste caso as fezes são pretas como piche,
amolecidas, brilhantes e muito malcheirosas. Quando um paciente vomita sangue que
permaneceu por mais tempo no estômago, nota-se uma cor marrom escura, como borra de
café.
Como regra geral, os sangramentos do esôfago, estômago e duodeno (primeira porção do
intestino, em seguida do estômago), causam ou hematêmese (vômito com sangue) ou
melena (fezes pretas). O sangramento do intestino mais próximo do ânus tende a causar
saída de fezes misturadas com sangue vivo ou mais escuro, já coagulado. Sangue vermelho
vivo, que pinga no vaso e suja de vermelho o papel higiênico é mais freqüentemente
causado por hemorróidas ou fissuras.
Sangramentos de longa duração, com perda contínua ou intermitente de pequena
quantidade de sangue (menor que 60 ml) podem não ser percebidos a olho nu nas fezes,
sendo descobertos apenas por sintomas de anemia. Outros sintomas podem não depender
da hemorragia e são os que caracterizam a doença básica complicada por
sangramento.Como o médico faz o diagnóstico?
Sangramentos pequenos geralmente são suspeitados pela presença de anemia, sem outra
causa evidente. O médico usualmente consegue concluir através do histórico do paciente e
do exame clínico, se realmente ocorreu o sangramento e suas causas mais prováveis. A
causa do sangramento é determinada, na grande maioria das vezes, por endoscopia, seja a
do trato digestivo alto (da boca ao jejuno) ou baixo (ânus e intestino grosso). Será feita em
primeiro lugar a endoscopia da área para a qual se inclinar a principal suspeita do médico,
em cada caso.
Outros exames, como a angiografia (radiografia com artérias contrastadas) e a cintilografia
(registrando o trajeto de glóbulos vermelhos marcados com substância radioativa), são
utilizados na tentativa de descobrir um local de sangramento visualizável nas
endoscopias.Qual é o tratamento?
Todo sangramento digestivo deve ser investigado por um médico. Sangramentos pequenos,
sem outros sintomas, podem ser vistos ambulatorialmente, com consulta marcada. Já
hemorragias maiores necessitam atendimento médico de urgência, pois, além de causarem
muito mal-estar, podem representar grave risco de vida.
Casos graves necessitam reposição endovenosa de líquidos e de sangue. Muitas vezes, é
necessária a endoscopia de urgência para tentar interromper o sangramento, o que pode ser
alcançado pela esclerose ou ligadura do vaso sangrante.
Como se previne?
A prevenção do sangramento gastro-intestinal é feita principalmente através da prevenção
das doenças causadoras das hemorragias. No caso específico do sangramento por varizes de
esôfago, novos episódios podem ser evitados através de tratamentos endoscópicos
preventivos ou pelo uso de remédios. Além disso, o uso cuidadoso e sob orientação médica
de anti-inflamatórios é outra importante forma de prevenção. Esse tipo de medicação,
aparentemente simples, amplamente usada e vendida sob diversos nomes comerciais é uma
causa importante e grave de hemorragia digestiva que pode ser evitada.
Perguntas que você pode fazer ao seu médico
De onde veio o meu sangramento?
Há risco de novos sangramentos?
O que posso fazer para não voltar a ter hemorragia?
Por quanto tempo devo usar os remédios?
Preciso repetir a endoscopia daqui a algum tempo? Por quê?
Esse meu sangramento tem relação com alguma doença que tenho ou foi um acontecimento
isolado?
Autores: Dr. Cláudio H. Wolff / Dr. Fábio Segal / Dr. Fernando Wolff
Aviso Legal
Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização
das informações acessadas através do site GASTROCENTRO, o qual tem
por objetivo a informação, divulgação e educação acerca de temas
médicos, e cujos artigos expressam tão somente o ponto de vista dos
seus respectivos autores. Tais informações não deverão, de forma
alguma, ser utilizadas como substituto para o diagnóstico médico ou
tratamento de qualquer doença sem antes consultar um médico.
© Copyright 2001,2008 - ABC da Saúde e Prevenção Ltda
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

paulo

2 Cartões paulonetgbi

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

Criar flashcards