Enviado por maria helena

HIGIENE E PROFILAXIA

Propaganda
UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO-UFMA
CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E AMBIENTAIS-CCAA
CURSO DE ZOOTECNIA
DISCIPLINA: HIGIENE E PROFILAXIA ANIMAL
MARIA HELENA DOS SANTOS REIS
HIGIENE DAS INSTALAÇÕES EM BOVINOCULTURA DE CORTE
CHAPADINHA-MA
2018
1
Sumário
INTRODUÇÃO ........................................................................................................... 3
2
REVISÃO DE LITERATURA .................................................................................... 4
2.1
Higiene e planejamento das instalações ................................................................ 4
2.2
Manejo e limpeza das instalações na bovinocultura de corte ............................... 4
2.3
Biossegurança nas instalações .............................................................................. 6
CONSIDERAÇÕES FINAIS .............................................................................................. 7
BIBLIOGRAFIA ................................................................................................................. 8
1
INTRODUÇÃO
O Brasil é o país com maior rebanho comercial de bovinos do mundo, ocupa
posições importantes no ranking do mercado internacional, sendo atualmente um dos
maiores produtores e exportadores de carne bovina (IBGE, 2018).
A relevância das posições que a bovinocultura de corte ocupa está ligada a
produção moderna e tecnificada de animais sadios, baixos níveis de contaminação
microbiológica e a manutenção de um elevado padrão higiênico-sanitário no plantel.
No entanto, os sistemas de criação de bovinos de corte do país ainda é caraterizado
por contrastes em sua produção, no qual pode-se observar que o destaque são as fazendas
caracterizadas por excelência produtiva com uso de tecnologias de produção avançadas,
contrastando com as fazendas que ainda produzem de forma atrasada, nas quais não são
considerados o melhoramento genético, os fatores ambientais, nutrição e a sanidade do
rebanho e manejo sanitário das instalações, apresentando essas propriedades índices
zootécnicos que não correspondem a dinâmica da produção brasileira de proteína animal
(VIERIA, 2005).
Os sistemas de criação, o nível técnico e a capacidade de gestão dos pecuaristas
são responsáveis por caracterizar e definir os tipos de instalações que podem ser
construídas na propriedade, tendo como objetivo básico facilitar o manejo e movimentação
dos animais, de máquinas e equipamentos de forma racional e econômica para proporcionar
condições favoráveis e reduzir as interações negativas e maximizar as interações positivas
com o meio (MEDEIROS et al., 2011).
Atualmente, tem-se uma pressão provocada pelo crescimento da população que
busca por matéria-prima de qualidade, tornando a adoção mais tecnificada nos sistemas
semi-intensivo e intensivo.
Considerando a realidade do sistema de criação de bovinos em confinamento do
Brasil, este trabalho tem como objetivo apresentar e fortalecer alguns componentes do
manejo higiênico-sanitário que devem ser empregados nas instalações para garantir a saúde
do rebanho, matéria prima de qualidade e o equilíbrio biológico.
2
2.1
REVISÃO DE LITERATURA
Higiene e planejamento das instalações
As instalações devem ser projetadas com estruturas dimensionadas, espaços e
funções pré-definidas para atender as necessidades do animal e a interação com o meio
ambiente, alimentos e dejetos produzidos, sabendo que as mesmas, juntamente com os
equipamentos desempenham funções estratégicas no planejamento.
Dessa forma, o planejamento das instalações e a implementação de um plano
sanitário deve ser estudado para atender as necessidades preconizadas para o manejo
adequado no plantel, possibilitando que sejam minimizados os riscos da produção dentro
da propriedade, incluindo ações nos cochos, bebedouros, saleiros, vacinação e
vermifugação, isolamento e quarentena, visando garantir produtos seguros ao consumidor
final. A existência de falhas nesse manejo, pode comprometer o desempenho produtivo dos
animais e inviabilizar o sistema produtivo.
As atividades técnicas que abrangem as instalações são conduzidas para manter a
saúde nos elos produtivos, as quais são influenciadas principalmente pelo meio ambiente e
práticas impróprias de manejo.
2.2
Manejo e limpeza das instalações na bovinocultura de corte
Segundo (CAMPOS, 2009), a higiene nas instalações é o conjunto das medidas
fornecidas para proporcionar o bem-estar de um modo geral e incrementar a eficiência da
produção, qualidade e segurança dos produtos de origem animal.
O manejo inadequado das instalações é caracterizado por limpeza, desinfecção e
higiene precária, acúmulo de dejetos, descarte inadequado de cadáveres, criação conjunta
com animais de espécie diferente e a presença de animais silvestres que podem ser vetores
de patógenos. Para garantir uma produção eficiente e lucrativa é preciso implementar
práticas de limpeza e desinfecção das instalações, no entanto, não é recomendável o
emprego de práticas rigorosas (BRANCO, 2018).
As práticas de higienização das instalações devem estar presentes em todas as
fases de criação, pois são importantes para prevenir a saúde e controlar possíveis doenças
no rebanho.
A recomendação para as instalações destinadas para a contenção e circulação dos
animais, vermifugação, vacinação, separação é a realização quinzenalmente de limpeza
seca para a remoção mecânica por meio de varredura ou raspagem dos dejetos para evitar
acúmulo de matéria orgânica ou que as fezes fiquem aderidas nas instalações, tais medidas
higiênicas devem ser empregadas após a saída dos animais das instalações, atentando-se a
presença e remoção de insetos no teto, pisos e paredes (OLIVEIRA et al.; 2010)
Com relatos de ocorrência de alguma enfermidade, deve-se realizar a higienização
com uso de desinfetante das instalações, descartar adequadamente a carcaça de animais
mortos e restos placentário.
Para os animais recém-chegados ou com algum sinal de enfermidade, é importante
o isolamento em curral para quarentena. O local destinado para abrigar esses indivíduos
moribundos, necessitam passar por uma desinfecção com soluções de cal virgem,
desinfetantes com eficácia comprovada ou vassoura de fogo.
No confinamento de bovinos de corte são produzidas quantidades absurdas de
esterco e restos de alimentos, esses precisam de um destino para não favorecer o surgimento
de problemas secundários, como presença de insetos e produção de amônia.
O esterco e resíduos líquidos coletados nos currais e dependências devem
depositados respectivamente em esterqueiras e sistema de tratamento de resíduos líquidos
com distância de 200 metros das instalações, possibilitando a fermentação das fezes e
decantação, dessa forma, evita-se a proliferação de insetos e odores causadores pelos gases.
A acumulação de dejetos, terra e restos de rações nas proximidades dos cochos e demais
dependências favorece o desenvolvimento de parasitas e agentes causadores de doenças,
como as bactérias, vermes e fungos (MANSO, 2007; ROSSI, 2014)
O manejo adequado dos insumos, solo, água, e pastagens são importantes no
sentido que auxiliam na redução e controle da carga bacteriológica dentro da propriedade.
As medidas básicas como troca de água e uso de uma fonte tratada, criação de um pedilúvio
no embarcadouro, insumos e alimentos armazenados em instalações com condições que
não favoreçam a deterioração possibilitam melhorias em aspectos produtivos e ambientais
2.3
Biossegurança nas instalações
A biossegurança nas instalações traduz tomadas de decisões para impedir a
propagação de patógenos. As estratégias gerais de biossegurança em qualquer tipo de
exploração ajudar a proteger as demais, sendo aplicadas em todas as dependências da
propriedade e completadas por medidas adicionais as categorias produtivas.
Do ponto de vista sanitário, é de suma importância que o sistema de criação esteja
isolado, com barreiras físicas para reduzir a entrada ou disseminação de organismos
patogênicos, distante de outro tipo de criação animal, abatedouro ou estradas onde os
caminhões com animais transitam. A circulação de funcionários entre as dependências,
equipamentos e animais deve ser controlada, utilização adequada dos meios de prevenção
de doenças pelos trabalhadores, implementar procedimentos de limpeza e desinfecção,
incluindo o uso de pedilúvios, vacinação e quarentena, emprego de um plano sanitário e
programa de controle de insetos e roedores em todas as instalações, monitorar saúde dos
animais e ter um plano de contingência para minimizar possíveis prejuízos (PENA, 2015).
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Para manter a higiene nas instalações na criação de bovinos de corte é necessário
a implementação de técnicas de manejo como um programa de biossegurança simples e
efetivo, melhorando consequentemente a saúde do rebanho o que reflete em índices
produtivos positivos e aumenta a qualidade da matéria prima.
BIBLIOGRAFIA
BRANCO, A. F. Manual de instalações para confinamento de bovinos (online).
Instituto de Estudos Pecuários -IEPEC. Disponível em: <http://iepec.com/manual-deinstalacoes-para-confinamento/>. Acesso em: 23 de Nov. 2018.
EQUIPE CPT: Cursos Presenciais. Higiene nas instalações dos bovinos. In: Equipe CPT
Cursos
Presenciais.
Disponível
em:
<http://www.gestaonocampo.com.br/biblioteca/higiene-nas-instalacoes-dos-bovinos/>.
Acesso em: Nov, 24. 2018.
IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística: Estatística da Produção Pecuária
Primeiros resultados jan.-mar. 2018.
LOPES, A.S.; DAHER, E. Agronegócio e Recursos naturais no Cerrado: Desafios para
uma coexistência harmônica. Lavras, MG, UFLA/ANDA, 2009.
OLIVEIRA, J.R. et al. Biossegurança e vazio sanitário das instalações zootécnicas.
PUBVET, Londrina, V. 4, N. 7, Ed. 112, Art. 754, 2010.
Peres, J. R. (2000). Instalações para bezerros em aleitamento. Acesso Nov, 24. 2018.
disponível
em:
http://www.milkpoint.com.br/?noticiaID=16747&actA=7&areaID=61&secaoID=186
VIEIRA, G.A.; QUADROS, D.G. O manejo sanitário e sua importância no novo
contexto do agronegócio da produção de pecuária de corte. Salvador, 2010.
MANSO, K. R. de J. Confinamento de bovinos: Estudo do gerenciamento dos resíduos.
Goiânia: Universidade Católica de Goiás, Departamento de Engenharia, Engenharia
Ambiental,
2007.
Disponível
em:
<http://www.abccriadores.com.br/images/upload/confinamento%20de%20bovinos.pdf>.
Acesso em: Nov, 24. 2018.
MEDEIROS, M.; RAPOSO, P.; MAIATO, R. Escola Profissional da Ribeira Grande:
Higiene em instalações de bovinos. Escola Básica Integrada Francisco Drummond, 2011.
Disponível
em:
<http://pecuariabovinicultura1112.blogspot.com/2011/09/higiene-das-
instalacoes-e-um-fator-de.html>. Acesso em: Nov, 24. 2018.
QUADROS, D. G. de. Confinamento de Bovinos de Corte. Almanaque do Campo.
Disponível
em:
http://www.almanaquedocampo.com.br/imagens/files/confinamento_bovinos_corte.pdf >.
Acesso em: Nov, 24. 2018.
ROSSI, J. M.; MACHADO, W. da S. Limpeza do bebedouro: A importância de água
de qualidade. Ed. 296, ano XXII, Viçosa-MG: Informativo da produção de leite, 2014.
Disponível
em:
<http://www.pdpl.ufv.br/pdpl/files/jornais/11e59466cdafaf694a146238cea3102e.pdf>.
Acesso em: 28 Jun. 2018.
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Matemática

2 Cartões Elma gomes

Criar flashcards