Enviado por Do utilizador2317

3trimestre-absolutismoemercantilismo-161028112531

Propaganda
O ABSOLUTISMO
Sistema político e administrativos onde o rei concentrava
grande parte do poder em suas mãos.
Esse sistema vigorou na Europa entre dos séculos XVI ao
XVIII (Antigo Regime).
Esse período se refere a transição da
Idade Média para Idade Moderna.
Absolutismo é regime político que defende que o
monarca deve obter um poder absoluto, isto é,
independente de outro órgão, seja ele judicial,
legislativo, religioso ou eleitoral.
CONTEXTO HISTÓRICO
Os Estados Nacionais (PAÍSES) surgiram
do fortalecimento da autoridade do rei,
apoiado pela burguesia e parte da nobreza.
Os burgueses
apoiaram material e
politicamente os
monarcas porque
estavam interessados
em ampliar suas
atividades comerciais.
Uma parcela da nobreza apoiou o fortalecimento
dos reis porque tinha empobrecido com a crise
econômica que atingiu a Europa nos séculos XIV e
XV e passou a depender dos favores reais.
Contrários à centralização do poder real
estavam principalmente a Igreja Católica
e a maior parte dos senhores feudais.
No início da Idade Moderna, os reis
trataram de consolidar o seu poder e criar
mecanismos que possibilitassem exercê-lo
sobre vastas extensões. Para isso, criaram
impostos e moedas de circulação
nacional e constituíram uma burocracia de
funcionários administrativos
encarregados de fazer valer as decisões
do soberano em todo reino.
Além disso, os reis formaram exércitos permanentes e
profissionais subordinados à autoridade da Coroa.
O crescente
fortalecimento do
poder real atingiu o
ponto culminante no
século XVI, com o
regime absolutista.
Luís XIV na França foi o mais
importante símbolo do
absolutismo monárquico.
Luís XIV (1643-1715)
Foi o exemplo máximo do
absolutismo francês,
denominado o “Rei Sol".
 No seu governo
reorganizou o exército
dando ao país o maior
poderio militar da Europa.
 Organizou a
administração do reino para
melhor controle de todos os
assuntos.
 Governava através de
decretos e submeteu a
nobreza feudal e a
burguesia mercantil.
 Levou ao extremo a ideia da Teoria do
Poder Divino do Rei.
A partir de seu
reinado a França
iniciou uma crise
financeira, em razão
das sucessivas guerras
empreendidas por
Luís XIV.
 A crise do
absolutismo
prosseguiu no
reinado de Luís
XV e atingiu o a
ápice com Luís
XVI e o processo
da Revolução
Francesa.
Seu reinado, um dos
momentos
culminantes da
história da França,
durou mais de 50
anos.
Elizabeth I foi a maior representante do
absolutismo inglês, juntamente com seu
pais Henrique VIII.
Ver link:
http://www.elizabethi.org/uk/
Henrique VIII.
Henrique VIII (c. 1540).
Henrique VIII e suas mulheres
Elisabeth I
(1558-1603)
 Desenvolveu
o comércio e a
indústria, propiciando um
renascimento das artes e um
relaxamento dos costumes.
 Restaurou oficialmente o
anglicanismo e liberou
definitivamente o
protestantismo na Inglaterra.
 Levou a Inglaterra ao auge econômico e tornou-se o país a maior
potência política, comercial e cultural da Europa.
 No seu reinado surgiram muitos poetas e dramaturgos,
como William Shakespeare.
EM RESUMO
O ABSOLUTISMO
SIGNIFICOU GRANDE
CONCENTRAÇÃO DE
PODER NAS MÃOS DOS
REIS, numa época em que as
atividades comerciais se
expandiam e a burguesia
acumulava riqueza.
Teóricos Absolutistas
O absolutismo tinha que ser
justificado pela fé para que as
pessoas considerassem legítimo,
daí surgiram teorias para
justificar as atitudes reais.
Era necessário uma teoria que justifica que o
poder absoluto dos reis.
A base teórica de apoio ao absolutismo
monárquico foi desenvolvida por importantes
escritores, entre eles citam-se:
Jacques Bossuet
Thomas Hobbes
Nicolau Maquiavel
Thomas Hobbes
Thomas Hobbes (1588 -1679) foi
um filósofo inglês que defendia a
idéia de que a natureza humana
era, desde sempre, má e egoísta.
“HOMEM É O LOBO DO
HOMEM”, dizia ele.
Só um estado forte seria capaz de
limitar a liberdade individual,
impedindo a “GUERRA DE
TODOS CONTRA TODOS”,
como afirmou na sua célebre obra
LEVIATÃ.
Este pensador inglês, autor
do livro "LEVIATÃ ",
defendia a ideia de que o
rei salvou a civilização
da barbárie e, portanto,
através de um
CONTRATO SOCIAL,
a população deveria
ceder ao Estado todos os
poderes.
Capa da edição original do Leviatã (1651).
Hobbes defendia a
ideia segundo a qual
os homens só podem
viver em paz se
concordarem em
submeter-se a um
poder absoluto e
centralizado.
Henrique VIII de Inglaterra
Nicolau Maquiavel
Nicolau Maquiavel, foi um historiador, poeta, diplomata e
músico italiano do Renascimento.
É reconhecido como fundador do pensamento e da
ciência política moderna, pelo fato de haver escrito sobre
o Estado e o governo como realmente são e não como
deveriam ser.
.
O “Príncipe” é provavelmente o livro mais
conhecido de Maquiavel e foi completamente escrito em 1513,
apesar de publicado postumamente, em 1532. O livro está
dividido em 26 capítulos.
No livro Maquiavel defende o poder dos
reis. De acordo com suas ideias o
governante poderia fazer qualquer
coisa em seu território para conseguir
a ordem. De acordo com o pensador, o
rei poderia usar até mesmo a violência
para atingir seus objetivos. É deste
teórico a famosa frase : “Os fins
justificam os meios” .
Folha de rosto da edição de 1550 de O
Príncipe e de Nicolau Maquiavel.
Jacques Bousset
Para este filósofo francês o
rei era o representante de
Deus na Terra. Portanto,
todos deveriam obedecê-lo
sem contestar suas atitudes.
Sua obra principal é “A
Política tirada da Sagrada
Escritura”.
Segundo Jacques Bousset:
 O rei emprega seu poder para o bem público.
 O rei não deve prestar conta a ninguém do que
ordena e tem um poder inquestionável, além de uma
autoridade ilimitada.
 Quando o rei julga não há outro
julgamento possível.
REI
Deus mortal que está abaixo
do Deus imortal.
O Estado
sou eu!
Luís XIV de Bourbon, conhecido como
"Rei-Sol", foi o maior monarca absolutista
da França, e reinou de 1643 a 1715.
MERCANTILISMO
Mercantilismo é o nome dado a um conjunto de
práticas econômicas desenvolvido na Europa entre o
século XV e o final do século XVIII.
Caracterizou-se por uma forte
INTERFERÊNCIA DO ESTADO NA
ECONOMIA.
O mercantilismo originou um
conjunto de medidas econômicas
que tenderam a unificar o
mercado interno e contribuiu para
formação dos Estados Nacionais,
assim o fortalecimento do poder
real juntamente com o
desenvolvimento da burguesia.
Principais Práticas Mercantilistas:
 Acúmulo de metais
preciosos (METALISMO)
Busca de ouro e prata em continentes
conquistados (AMÉRICA, África e Ásia) no
século XV e XVI.
Século XVIII
 BALANÇA COMERCIAL FAVORÁVEL
 MONOPÓLIO COMERCIAL
Significa a exclusividade comercial sobre a
compra e a venda de um produto.
 PROTECIONISMO
Proteção das indústrias nacionais,
através do aumento das taxas para
produtos importados e redução das
taxas para o produtos exportados.
 DESENVOLVIMENTO DA MARINHA
Para busca de novos mercados, assim
inicia-se o movimento da Grandes
Navegações.
Esquema I sobre o Mercantilismo
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Criar flashcards