Enviado por Do utilizador2578

SEGURANÇA NO CAMPO

Propaganda
SEGURANÇA NO CAMPO:
MANEJO DE IMPLEMENTOS E DEFENSIVOS AGRÍCOLAS
Professores: Paulo Henrique
e Francisco Marques
URUÇUÍ – PI, Outubro de 2016
NORMA REGULAMENTADORA Nº31
Segurança e Saúde do Trabalhador na Agricultura, Pecuária,
Silvicultura, Exploração Florestal e Aquicultura.
• CF/1988 - Artigo 7º Inciso XXII - São direitos dos trabalhadores
urbanos e rurais;
• XXII - redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de
normas de saúde, higiene e segurança;
• A Lei nº 5889 – 06/06/73 – Que regula as relações de trabalho
no campo;
• A Portaria nº 86 DE 03 de Março de 2005,que aprovou a NR
31.
NORMA REGULAMENTADORA Nº 31
31.1 OBJETIVO
•Estabelecer os preceitos a serem observados na
organização e no ambiente de trabalho.
31.2 CAMPO DE APLICAÇÃO
•A quaisquer atividades da agricultura, pecuária, silvicultura,
exploração florestal e aquicultura;
•Também se aplica às atividades de exploração industrial
desenvolvidas em estabelecimentos agrários.
31.3 DAS COMPETENCIAS
DO EMPREGADOR RURAL OU EQUIPARADO
•Garantir adequadas condições de trabalho, higiene e conforto;
•Realizar avaliações dos riscos para a segurança e saúde dos
trabalhadores;
•Cumprir e fazer cumprir as disposições legais;
•Analisar, com a participação da - CIPATR, as causas dos acidentes e
das doenças decorrentes do trabalho;
•Assegurar a divulgação de direitos, deveres e obrigações dos
trabalhadores.
DO TRABALHADOR
• Adotar as medidas de proteção determinadas pelo
empregador;
• Submeter-se aos exames médicos previstos nesta Norma
Regulamentadora;
• Colaborar com a empresa na aplicação desta Norma
Regulamentadora;
• cumprir as determinações sobre as formas seguras de
desenvolver suas atividades.
PCMSO
• Deve incluir, entre outros, a realização obrigatória dos exames
médicos;
• a) admissional;
• b) periódico;
• c) de retorno ao trabalho;
• d) de mudança de função;
• e) demissional.
SESTR
• A) Assessorar tecnicamente os empregadores e trabalhadores;
• B) Promover e desenvolver atividades educativas em saúde e
segurança para todos os trabalhadores;
• C) Indicar medidas de eliminação, controle ou redução dos riscos,
priorizando a proteção coletiva;
• D) Estar integrado com a CIPATR.
DIMENCIONAMENTO DO SESTR
CIPATR
DA SIT ATRAVÉS DO DSST
• Identificar os principais problemas de segurança e saúde do setor
avaliar periodicamente os resultados da ação;
• Prescrever medidas de prevenção dos riscos no setor;
• Elaborar recomendações técnicas para os empregadores,
empregados;
• Coordenar, orientar e supervisionar as atividades preventivas
desenvolvidas pelos órgãos regionais do MTE.
Agrotóxicos
Paulo Henrique Dalto
Agrotóxicos
Defensivos Agrícolas
Produtos químicos utilizados no
tratamento fitossanitário das
culturas agrícolas
Fertilizantes, combustíveis,
lubrificantes, solventes e produtos
veterinários
Legislação
Lei Federal nº 7.802, de 11 de julho de 1989
são os produtos e os agentes de processos
físicos, químicos ou biológicos, cuja finalidade
seja alterar a composição da flora ou da fauna,
a fim de preservá-las da ação danosa de seres
vivos considerados nocivos.
(BRASIL, 1989)
O ingrediente ativo é o agente químico,
físico ou biológico que confere eficácia
aos agrotóxicos e afins.
(BRASIL, 1989)
Chrysanthemum
www.organicsnet.com.br
Piretrina
Piretróide
www.plant-share.com
BRAIBANTE & ZAPPE. A química dos agrotóxicos. Química Nova na Escola, 2012.
Agrotóxicos
Defensivos Agrícolas
www.sbpprotege.com.br
nortox.com.br
www.efacil.com.br
www.shoppingdocampo.com.br
Agrotóxicos
Defensivos Agrícolas
Classificação dos produtos agrotóxicos quanto à Dose Letal para mortalidade de 50% da
população (DL50)
Classe
I
II
III
IV
Cor da faixa no
rótulo da embalagem
Classificação
Extremamente tóxico
(DL50 menor que 50 mg/kg de
peso vivo)
Altamente tóxico
(DL50 de 50 mg a 500 mg/kg de
peso vivo)
Medianamente tóxico (DL50 de
500 mg a 5.000 mg/kg de peso
vivo)
Pouco tóxico (DL50 maior que
5.000 mg/kg de peso vivo)
Vermelho vivo
Amarelo intenso
Azul intenso
Verde intenso
http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/
Agrotóxicos
Defensivos Agrícolas
Classificação dos produtos agrotóxicos quanto à periculosidade ambiental
Classe
Grau
I
Altamente perigoso
II
Muito perigoso
III
Perigoso
IV
Pouco perigoso
http://www.ibama.gov.br/
Agrotóxicos
Defensivos Agrícolas
Vias de contaminação
www.segurancaetrabalho.com.br/
www.segurancaetrabalho.com.br/
Manual de Segurança e Saúde. ANDEF, 2006
Agrotóxicos
Defensivos Agrícolas
Vias de contaminação
www.segurancaetrabalho.com.br/
www.segurancaetrabalho.com.br/
Manual de uso correto e seguro de produtos fitossanitários/agrotóxicos. ANDEF, 2008
Agrotóxicos
Defensivos Agrícolas
EPI – Como colocar
pixabay.com
geradormemes.com
Agrotóxicos
Defensivos Agrícolas
EPI – Como colocar
Manual de uso correto e seguro de produtos fitossanitários/agrotóxicos. ANDEF, 2008
Agrotóxicos
Defensivos Agrícolas
EPI – Como colocar
Manual de uso correto e seguro de produtos fitossanitários/agrotóxicos. ANDEF, 2008
Agrotóxicos
Defensivos Agrícolas
EPI – Como tirar
Dalto, P. H. 2013
Manual de Segurança e Saúde. ANDEF, 2006
Agrotóxicos
Defensivos Agrícolas
EPI – Como tirar
Dalto, P. H. 2013
Manual de Segurança e Saúde. ANDEF, 2006
31.12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM
MÁQUINAS E IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS
31.12.1 As máquinas e implementos devem ser
operados por trabalhadores capacitados,
qualificados ou habilitados para tais funções.
31.12.2 As proteções, dispositivos e sistemas de
segurança previstos nesta norma, não podendo
ser considerados itens opcionais para quaisquer
fins.
SISTEMAS DE SEGURANÇA EM MÁQUINAS E
IMPLEMENTOS
31.12.10 AS ZONAS DE PERIGO DAS MÁQUINAS E
IMPLEMENTOS DEVEM POSSUIR SISTEMAS DE SEGURANÇA,
CARACTERIZADOS POR
PROTEÇÕES FIXAS E MÓVEIS.
31.12.12 A retirada ou neutralização total ou
parcial dos sistemas de segurança que coloquem
em risco a integridade física dos trabalhadores é
considerada risco grave e iminente.
31.12.15 As proteções devem ser projetadas e
construídas de modo a cumprir suas funções
apropriadamente durante a vida útil da máquina ou
possibilitar a reposição de partes deterioradas ou
danificadas.
• 31.12.22 O eixo cardã deve possuir proteção adequada, em
perfeito estado de conservação em toda a sua extensão,
fixada na tomada de força da máquina desde a cruzeta até o
acoplamento do implemento ou equipamento.
• 31.12.30
As máquinas autopropelidas
fabricadas a partir de maio de 2008, devem
possuir Estrutura de Proteção na Capotagem
(EPC) faróis, lanternas traseiras de posição,
buzina, espelho retrovisor e sinal sonoro
automático de ré acoplado ao sistema de
transmissão;
PRINCIPAIS CAUSAS DOS ACIDENTES COM MÁQUINAS
PRINCIPAIS CAUSAS DOS ACIDENTES COM MÁQUINAS
• Operações da máquinas em condições extremas;
• Perda do controle em subidas/descidas;
• Ingestão de bebidas alcoólicas;
• Presença de pessoas junto ao posto do operador;
• Falta de proteção das partes móveis da máquina e
implemento;
• Engate inadequado do implemento.
PRINCIPAIS CAUSAS DE ACIDENTES COM MÁQUINAS AGRÍCOLAS
TIPOS DE ACIDENTES
CAUSAS
GRAVES, %
LEVES, %
Falta de atenção
40,8
12,1
Falta de conhecimento
18,5
15,2
Pressa
14,8
6,6
Equipamento inadequado
14,8
54,0
Cansaço
---
9,1
Embriaguez
3,7
---
Outros
7,4
3,0
TOTAL
100,0
100,0
Fonte: MTE
PREVENÇÃO
• Conhecimento da operação agrícola;
• Treinamento dos operadores de máquinas;
• Vestimentas adequadas para o trabalho;
• Uso obrigatório dos EPIs;
• Noções das normas regulamentares.
PREVENÇÃO
• Ler e seguir as recomendações do manual do operador do trator;
• Antes de operar, fazer uma conferência visual da máquina;
• Verificar se existe barra de proteção e cinto de segurança;
• Usar protetor auricular se o trator não dispuser de cabine acústica;
• Antes de partir, verifique a ação dos freios; regule-os com
frequência;
• Recusar todo e qualquer pedido de “carona” no trator e evitar
trafegar e operar próximo a valas, buracos e áreas perigosas;
• Retirar a chave da ignição quando o trator não estiver em uso.
EPIs
EPI
FICHA DE FORNECIMENTO DE EQUIPAMENTOS
DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (E.P.I)
NOME DO TRABALHODOR:
LOCAL DE TRABALHO:
CÓDIGOS:
A=AQUISIÇÃO
EMPRESA:
B=DEVOLUÇÃO
FUNÇÃO:
C=EXTRAVIO
D=DESGATE
Declaro para os devidos fins ter recebido os E.P.I Constantes nesta ficha, bem como instruções corretas
quanto ao uso, (portaria 3214 NR-6 item 6.6), responsabilizando-me por sua guarda e conservação
(item 6.7).
Uruçuí,_______de _________________de 2016.
_______________________________
Assinatura
DATA
QUANT.
CÓDIGO
EQUIPAMENTO
ASSINATURA
PENALIDADES
• Advertência verbal;
• Advertência por escrito – Art. 8 CLT;
• Suspensão – Art. 474 CLT;
• Demissão por justa causa – Art. 482 CLT.
PRIMEIRO SOCORRO
31.5.1.3.6 Todo estabelecimento rural, deverá estar equipado com
material necessário à prestação de primeiros socorros,
considerando-se as características da atividade desenvolvida.
ACIDENTES COM MÁQUINAS
• a) Mantenha a calma e cuide de sua segurança;
• b) Sinalize e isole o local do acidente;
• c) Não tome nenhuma atitude antes de examinar;
• d) Se estiver escuro não use fósforos ou qualquer objeto
inflamável;
• e) Peça ajuda - Evite agir sozinhos, principalmente na
remoção ou movimentação de veículos ou objetos pesados;
• f)Só remova a vítima quando o cenário do acidente oferecer
perigo iminente à vida da vítima e/ou do socorrista.
ACIDENTE COM REDE ELÉTRICA
• Permaneça na cabine ou na maquina até que alguém venha e
verifique o local e a linha de tensão;
•
• Fique calmo e pare sua máquina. Coloque o câmbio em ponto
neutro, acione o freio de estacionamento e desligue o motor;
• Solicite assistência;
• Delimite o perímetro com cones para se certificar de que
todos as outras pessoas permaneçam fora desta área.
MANIFESTAÇÕES CLÍNICA INTOXICAÇÃO POR
AGROTÓXICOS
 Náusea
 Cefaleia
 Dispneia




Vômito
Fraqueza
Tremores
Sudorese excessiva
INTOXICAÇÃO POR AGROTÓXICOS
 Se a vítima estiver desmaiada, mantê-la deitada com a cabeça virada de lado;
 Não dar nenhum tipo de bebida para a vítima, inclusive leite;
 Nunca provoque vômitos;
 Em caso de contato com a pele, lave as partes atingidas com bastante água e
sabão e se aparecer sinais de irritação procure um médico;
 Se há contaminação dos olhos, lavá-los com bastante água e procure um
médico aos primeiros sinais de irritação;
 Leia e siga as instruções dos rótulos e bula;
 Dê banho e vista roupa limpa na vítima, levando-a para um hospital;
 Apresente ao médico, a embalagem, rótulo, bula, folheto explicativo ou receita;
 Antídotos só devem der ministrados por pessoas qualificadas.
HEMORRAGIA
 Deitar a vítima imediatamente com a cabeça mais baixa que o
corpo;
 Cobrir o ferimento com compressa improvisada e comprimi-la com
firmeza;
 Colocar uma bolsa de gelo ou compressas frias;
 Tranquilizar o acidentado se ele estiver consciente;
 Suspender a ingestão de líquidos;
 Elevar o segmento ferido a nível mais alto que o coração.
Simbologia máquinas
agrícolas
Paulo Henrique Dalto
Simbologia
Manual do
operador
Manual Operador Trator Case IH Modelo Farmall 60, 70, 80, 95. 2014
Simbologia
REIS, A. V. Acidentes com máquinas agrícolas. UFPEL. 2010
Simbologia
Perigo
Cautela
riscos mais graves
de acidentes, que
podem ocasionar
morte.
normalmente apresentam
texto explicativo abaixo do
símbolo do perigo em
questão.
necessidade de
seguir instruções
de segurança
podem apresentar texto
explicativo abaixo do
símbolo do perigo em
questão.
www.placasonline.com.br
Advertência
risco de acidente
menos grave
podem apresentar texto
explicativo abaixo do
símbolo do perigo em
questão.
Vestimentas adequadas reduzem o risco
de ferimentos e mortes no trabalho.
REIS, A. V. Acidentes com máquinas agrícolas. UFPEL. 2010
Símbolos utilizados como instruções
www.deere.com
www.deere.com
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

teste

2 Cartões juh16

Criar flashcards