PRIORIDADE: UFMA, PATRIMÔNIO DA SOCIEDADE MARANHENSE

Propaganda
VICE-REITOR: 44
ZARTÚ GIGLIO
UFMA, PATRIMÔNIO DA SOCIEDADE MARANHENSE
Aos estudantes, servidores técnico-administrativos e docentes,
Acima de qualquer interesse pessoal ou de grupos específicos, a UFMA deve ser preservada,
valorizada e respeitada como um patrimônio da sociedade maranhense. Ao longo de mais de quarenta anos,
muitos foram os que protagonizaram a história da Universidade Federal do Maranhão e que, em
contrapartida, respondeu formando profissionais e produzindo conhecimentos que impulsionaram o
desenvolvimento do Estado do Maranhão.
O processo de construção da história da UFMA é contínuo e a responsabilidade é de todos nós.
Vivemos um momento especial em relação aos próximos quatro anos.O pleito, a ser realizado no próximo dia
05 de junho, indicará não apenas o próximo Reitor e Vice-Reitor da UFMA, mas, essencialmente um perfil
de gestão, que, certamente, estará vinculado ao histórico da vida acadêmica, dos compromissos políticos e
sociais anteriormente assumidos pelos candidatos. Neste sentido a relevância da opção pelo voto é
primordial, sobretudo pelo fato de que, pela primeira vez, estaremos optando por um candidato a Reitor e por
um outro para Vice-Reitor ao mesmo tempo, embora em eleições independentes.
Apresento-me à comunidade universitária como candidato a Vice-Reitor da UFMA, a partir de um
movimento coletivo e afinidade programática com a candidatura do Prof. Dr. Francisco Gonçalves a Reitor,
que se qualifica por sua prática política vinculada aos movimentos sociais.
Em respeito ao direito do eleitor ao conhecimento sobre o perfil e à história de vida profissional dos
candidatos, uma vez que sua decisão pelo voto indicará sua preferência pelos futuros gestores da UFMA
sinto-me na obrigação de apresentar um pequeno histórico sobre minha trajetória profissional.
Professor da UFMA há 27 anos, graduado em Licenciatura em Educação Física pela Universidade de
São Paulo-USP, Mestre em Psicologia da Educação e Doutor em Psicologia Social pela Pontifícia
Universidade Católica de São Paulo-PUCSP, ocasião em que integrei um Núcleo de Estudos e Pesquisas em
Movimentos Sociais vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social, período em que exerci
a função de editor executivo da Revista Psicologia Política, editada pela Sociedade Brasileira de Psicologia
Política (2000/01).
Iniciei minha carreira acadêmica em 1977, como primeiro chefe de departamento da área de Educação
Física da Universidade Estadual do Maranhão-UEMA, e um dos autores do projeto de implantação da
Educação Física na mesma universidade.
Paralelo á minha atividade acadêmica iniciei um trabalho como técnico desportivo, na modalidade de
Voleibol. Por muitos anos tive o privilégio de ter sido o técnico da Seleção Maranhense de Voleibol, período
em que obtive (como destaque) o honroso título de Campeão Brasileiro da terceira divisão (1980-Sergipe); a
conquista de 33 (trinta e três) títulos como técnico campeão estadual; a Medalha do Mérito Esportivo do
Governo do Estado do Maranhão e a qualificação como Técnico Internacional NIII, conferida pela Federação
Internacional de Voley-Ball – FIVB e pela Confederação Brasileira de Voleibol-CBV.
Na UFMA, integrei o grupo que liderou o movimento pelo enquadramento dos professores
Colaboradores que haviam prestado concurso público e que se encontravam ameaçados pela administração
da época (resultado: mais de setenta professores foram enquadrados na Carreira do Magistério Superior, em
1988). No mesmo ano fui eleito Vice-Presidente da APRUMA, na gestão do prof. Moacir Feitosa (1988/89);
em 1990 fui eleito Presidente da Comissão Permanente de Pessoal Docente –CPPD, e m 1995 fui eleito (com
94% dos votos) Chefe do Departamento de Educação Física.
Atualmente exerço as seguintes atividades: a) Diretor do Departamento de Extensão da PROEX(2003/07); b) docente de duas disciplinas no Curso de Licenciatura em Educação Física; c) orientador de
trabalhos monográficos de graduação e de Pós-Graduação (Lato Sensu); d) membro do Colegiado do curso
de Licenciatura em Educação Física; e) Membro da Comissão de Reforma Curricular do curso de
Licenciatura em Educação Física que apresentou a proposta do novo Projeto Pedagógico.
Extensão: a) Coordenador Geral do projeto de Extensão “Jovens com a Bola Toda”, em parceria com o
Instituto Ayrton Senna e FSADU. Projeto social que atua nas áreas de Esporte, Pedagogia e Educação
Artística, e que atende cerca de 250 crianças e adolescentes moradores dos bairros do Sá Viana e Vila
Embratel, além de oferecer 14 bolsas a estudantes da UFMA (período: 2003-2007); b) Componente da
coordenação executiva do projeto extensão (de ação afirmativa) “Conexões de Saberes”, em parceria com o
SECAD/MEC. Projeto este, vinculado diretamente ao gabinete da Pró-Reitoria de Extensão, que integra um
Programa nacional voltado para a manutenção, com qualidade, de estudantes de origem popular nas
Universidades Públicas. Atualmente oferece 25 bolsas de extensão á estudantes da UFMA.
Pesquisa: Professor Pesquisador do projeto “Gestores e Agentes Sociais de Esportes e Lazer: um estudo dos
recursos humanos para o sistema nacional de esportes e lazer”. Estudo, em andamento, que abrange nove
municípios da região da Baixada Maranhense, em parceria com o Ministério de Esportes/Rede SEDES.
Publicação mais recente: Artigo em Revista:
Refletindo o fazer: Projeto de Extensão “Jovens com a Bola Toda, Revista Presente!, Centro de
Estudos e Assessoria Pedagógica-CEAP, Salvador –BA, nº 53, ano 14, 2006.
Apresento, a seguir, algumas propostas e posicionamentos políticos sobre questões de interesse da
comunidade universitária.
Sobre o processo eleitoral, defendo explicitamente o respeito ao resultado da consulta à comunidade
universitária, sejam quem forem os candidatos mais votados. Neste sentido, além de declarar que respeitarei
qualquer que seja o resultado, defenderei a posse dos mesmos, em respeito ao princípio da democracia e á
legitimidade do processo.
Proponho aos demais candidatos que se manifestem publicamente sobre a rejeição a qualquer
alteração nos resultados por parte do Colégio Eleitoral. O desejo da maioria deve ser respeitado. É muito
simples evitar os constrangimentos e frustrações de outras épocas, basta que todos os candidatos tenham
coragem de respeitar o resultado das urnas, não aceitando qualquer tipo de casuísmo. Seria um avanço
político histórico para a UFMA, ainda que tenhamos que continuar lutando para rever todo o processo futuro.
Particularmente defendo eleições diretas, paritárias e proporcionais.
A UFMA, enquanto patrimônio da sociedade maranhense, tem como MISSÃO maior seu
compromisso com o desenvolvimento social do Maranhão. Neste sentido inicio minhas formulações sobre
algumas concepções que considero essenciais para o entendimento sobre o modelo de Universidade Pública
que acredito e defendo.
Formação com qualidade (ENSINO), pressupondo a perspectiva futura de intervenção social
transformadora, empreendidas pelos profissionais formados pela UFMA. Os sujeitos que pensam, elaboram e
implementam as políticas públicas, em grande parte, são profissionais formados em faculdades ou
universidades e, neste sentido, a qualidade do processo de formação acadêmica certamente influirá na
qualidade dessas políticas. Os profissionais liberais formados pela universidade interagem cotidianamente
com outros atores sociais, portanto, de uma forma ou de outra, as intervenções sociais ocorrem e as
transformações idem.
Contudo, um dos pressupostos com relação ao processo de formação com qualidade é a relação do
Ensino com a Pesquisa e a Extensão. PESQUISA: orientada para o desenvolvimento social e tecnológico.
Tanto as pesquisas sobre inovação tecnológica quanto as pesquisas sociais, tão fundamentais para o
desenvolvimento social, todavia devem considerar a realidade social como referência para suas
especificidades. Sob essa perspectiva certamente a pesquisa agregará elementos qualitativos ao processo de
intervenção social, a partir de sua relação com o Ensino e a Extensão. O envolvimento de estudantes em
projetos e eventos de pesquisa e a criação de ambientes favoráveis ao desenvolvimento da mesma,
certamente qualificará o processo de formação acadêmica. Ou seja, formação de cidadãos críticos e
tecnicamente preparados, ao mesmo tempo em que o processo de formação se recicla.
No entanto é a EXTENSÃO que estabelece o vinculo social entre a UFMA e a comunidade. A Extensão é
meio pelo qual os saberes (acadêmicos e populares) se encontram. Não apenas se encontram, mas, se
revitalizam. Ambos (os conhecimentos) sofrem intervenções diretas, e se reciclam, como se fosse um
combustível que realimenta um processo; apontam para a necessidade de reformulação de concepções,
quando indicam novas alternativas. Neste sentido a Extensão se constitui em um campo absolutamente
primordial para a Pesquisa, uma vez que os desafios estão sempre presentes, além de mediar e qualificar o
processo de formação acadêmica, ao propiciar ao estudante a oportunidade de vivência e de desenvolvimento
de sua consciência política, quanto ao seu papel social. Por outro lado, a Extensão possibilita ao estudante a
condição de retornar à sociedade, por meio de sua ação direta, o investimento que ela própria garantiu ao
financiar (por meio de pagamento de impostos) a existência da Universidade Pública e Gratuita. A
INDISSOCIABILIDADE entre o Ensino, a Pesquisa e a Extensão deve ser um compromisso institucional e
individual concreto, e não apenas um discurso retórico.
Valorização da Extensão: Historicamente, do ponto de vista das políticas para a Educação Superior, os
recursos para a Pesquisa, mesmo que ainda insuficientes para o atendimento de suas necessidades, têm sido
absolutamente desproporcionais em relação aos recursos disponibilizados para a Extensão. Neste sentido,
além de comprometer o desenvolvimento e a implementação das ações extensionistas nas IFES, a carência de
recursos implica no comprometimento da própria indissociabilidade, na medida em que o processo integral
de formação acadêmica se desequilibra. Proposta imediata para a UFMA: ampliação da quantidade e do
valor das bolsas de Extensão, além do aumento da dotação orçamentária para a Pró-Reitoria de Extensão.
Pós-Graduação: a formação de Mestres e Doutores, docentes e técnicos de nível superior, é um
investimento intelectual absolutamente imprescindível para o futuro estratégico da UFMA. Proposta:
criação de Programas e convênios institucionais (Minter e Dinter).
Tanto esta como tantas outras necessidades deverão constar da pauta de revisão do Plano Estratégico
de Desenvolvimento Insitucional-PEDI. Que deverá expressar o sentimento da comunidade universitária e
da sociedade civil em geral, em relação aos desígnios e à vocação da UFMA sobre sua missão institucional.
Muito além de conteúdos, objetivos e metas deverão constar concepções, eixos, princípios e, enfim, o
registro de uma expectativa para o futuro. Proposta: além da revisão, proponho a inclusão de representantes
da sociedade civil no grupo que irá elaborá-la.
Em relação ao Plano de Desenvolvimento Institucional-PDI, enquanto instrumento de
planejamento, e de referências propositivas de ação de um período de gestão, e que também deverá sofrer
ajustes, necessariamente deverá ser produzido em consonância com o PEDI e o Plano Pedagógico
Institucional-PPI, ao se considerar que a sintonia entre estes instrumentos deve refletir a coerência de um
planejamento Institucional.
Princípios democrático e transparente de gestão. Proposta: a) elaboração do Planejamento
Orçamentário participativo, com representação setorial. b) criação do Conselho Consultivo Permanente.
Independente dos Colegiados Superiores esse conselho seria legitimado por representação paritária dos três
segmentos, e sua função precípua não se limitaria à função de ouvidoria, mas, teria ainda uma ação
propositiva e consultiva de apoio à formulação de políticas de gestão. c) Criação de mecanismos de acesso
público (on-line) às informações.
Política de Expansão: A inserção efetiva da UFMA nos Campi de Chapadinha e Imperatriz, a partir
da atual gestão, e por meio da política de Interiorização do Ensino Público Superior do MEC, causará
impactos sociais profundos nas regiões em questão. Contudo, é imprescindível que se garanta as condições
para a autonomia de gestão quanto às ações necessárias para o desenvolvimento do Ensino, da Pesquisa e da
Extensão. Sob pena de se estabelecer limites de ação ao potencial do corpo docente e discente que não
correspondam ao investimento já realizado com concursos públicos e instalações físicas. Com relação à
manutenção da infra-estrutura propomos a criação de unidades de apoio da PRECAM.
Contudo, é imprescindível que se amplie o processo para outras regiões e, de imediato, proponho a
criação de mais um pólo de desenvolvimento social, que seria a criação do Centro Acadêmico de Pinheiro,
com cursos identificados com a vocação da região e toda a infra-estrutura necessária.
Ainda na perspectiva do fortalecimento dos Campi é necessário a implementação de mecanismos que
estimulem e viabilizem a interiorização da Extensão e das ações culturais do DAC.
Em consonância com a missão social da UFMA e com o sentido voltado para o desenvolvimento do
Estado do Maranhão, as políticas afirmativas representam uma ação de justiça social. A UFMA que já
iniciou o processo de implementação de políticas de valorização de segmentos sociais específicos. A
preservação de projetos e ações, assim como a implementação de outros mecanismos de valorização da
Assistência Estudantil devem ser garantidos pelos gestores como eixo político vinculado à justiça social.
Em sintonia com a questão anterior, a UFMA há um desafio significativo para os próximos anos:
“transformar” estudantes do Colégio Universitário-COLUN em estudantes da UFMA. Propostas: a)
criação de projetos de Extensão (curso preparatório pré-vestibular) que envolvam estudantes da UFMA e do
COLUN, a fim de ampliar as possibilidades dos estudantes do Colun para o ingresso na UFMA; b) criação de
bolsas de iniciação científica PIBIC Júnior; c) fortalecimento das relações acadêmicas entre o COLUN e os
outros setores afins.
Quanto a PRECAM, além do compromisso de dotá-la de melhores condições operacionais para
prestação de apoio, proponho alternativas para a valorização do pessoal técnico-administrativo. Há um
contingente de pessoal do quadro (extintos á vagar) que exercem funções profissionais específicas, e que
poderiam ser incluídos em projetos de Extensão como monitores. Parcela desses servidores já não reúne as
condições físicas adequadas para determinadas ações de risco. Entretanto, poderiam repassar conhecimentos
aos jovens que buscam aprender um ofício. Isso é possível por meio de ações de extensão.
Segurança: Ainda há cerca de noventa servidores no quadro da UFMA (extintos a vagar) na função
de vigilante. Atualmente encontram-se distribuídos por unidades da UFMA, na função de preservação do
patrimônio. É necessário democratizar o debate sobre a valorização dos vigilantes do quadro, assim como da
eficiência e dos métodos para o aprimoramento do sistema de segurança em geral. A preservação do
patrimônio público e a segurança pessoal são necessidades imprescindíveis para a preservação da instituição.
NTI: O sistema de informatização da UFMA requer investimentos permanentes. As novas
tecnologias surgem em um ritmo desproporcional à capacidade de absorção das mesmas pelo coletivo de
usuários da UFMA, fundamentalmente devido à burocracia e a falta de recursos financeiros. Entretanto, a
partir de decisões contextualizadas com as metas institucionais, prioridades deverão ser decididas a partir das
demandas dos setores. Neste sentido podemos vislumbrar a melhoria das condições técnicas, de pessoal e de
equipamentos do NTI. Até porque, uma das metas que apresentei anteriormente refere-se à transparência de
gestão de recursos, e a implementação de programas avançados também depende de equipamentos avançados
para a sua viabilização. Contudo, é imprescindível a formação continuada dos servidores do setor.
Sistema de Saúde para os servidores da UFMA: meta incondicional!
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

teste

2 Cartões juh16

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards