Em 2014, termina o ciclo de gestão na esfera dos governos federal

Propaganda
Em 2014, termina o ciclo de gestão na esfera dos governos federal e estadual. Geralmente, o desempenho de governos em
todo o mundo é avaliado pelo comportamento da economia, mediante a leitura dos avanços e retrocessos do PIB em
determinados períodos de tempo. É fato que o crescimento econômico melhora as oportunidades para todos, via geração de
emprego e renda, contribuindo, assim, para a diminuição da desigualdade socioeconômica.
No plano nacional, considerando o período de 1995 a 2002, o PIB registrou crescimento baixo, com média de 2,3% ao ano.
Já o período de 2003 a 2010 foi mais significativo, visto que a economia cresceu a uma taxa média de 4,1% ao ano. Mais
recentemente, no quadriênio seguinte (2011-2014), avalia-se que o PIB crescerá a uma taxa média anual bem menor, em
torno de 1,6% ao ano. Essa perspectiva é baseada nos dados já divulgados pelo IBGE até o terceiro trimestre de 2014. Ainda
para esse mesmo ano, estimativas do Banco Central do Brasil apontam para um crescimento de 0,2%.
No plano estadual, no período de 1995 a 2002, a economia paraibana cresceu a uma taxa média anual de 2,7%, um pouco
superior à registrada nesse mesmo período no âmbito nacional (2,3%). No período seguinte (2003-2010), o PIB paraibano
registrou crescimento médio anual de 4,8%, ou seja, apresentou desempenho melhor do que o registrado pela economia
brasileira no mesmo período (4,1%).
Já no biênio de 2011 a 2012, a economia paraibana registrou crescimento médio anual de 4,8%, em termos reais, conforme
os resultados registrados e divulgados pelo IDEME/IBGE.
Considerando-se as estimativas para os dois últimos anos (2013-2014), calculadas pela Equipe de Contas Regionais do
IDEME, a economia estadual sinaliza um bom desempenho com taxas de crescimento superiores às do Brasil. Em 2013, a
referida taxa ficará em torno de 4,9% e em 2014 será um pouco menor (3,2%), esta última em função da conjuntura
nacional de baixo crescimento (cresceu 2,3% em 2013, com previsão de 0,5% para 2014). Dessa forma, no período(20112014), a taxa média de evolução da economia do estado poderá alcançar 4,4% ao ano.
Esses resultados mostram que a economia paraibana, de 2011 a 2014, mesmo enfrentando as dificuldades econômicas
vivenciadas no âmbito nacional, poderá crescer mais do que a economia brasileira nos períodos passado e atual. Em relação
à esfera estadual, o estado poderá crescer em nível considerado muito bom, bem próximo à média do período passado
(2003-2010) - anos em que as conjunturas nacional e internacional foram bastante favoráveis ao bom desempenho das
economias regionais.
É importante considerar que, mesmo nessa conjuntura atual de fraco desempenho da economia nacional, a economia
paraibana vem registrando bons resultados, e o cenário para os próximos anos é de crescimento acima da média nacional e
regional, em virtude dos investimentos realizados no estado nos últimos anos. Muitas empresas industriais estão sendo
ampliadas ou em construção e, em breve, irão adicionar valor à economia estadual, a exemplo do polo da “Indústria
Cimenteira” que indica que a Paraíba será o segundo maior produtor nacional de cimento. O estado, também, vem
registrando avanços no desempenho do setor de serviços e do comércio varejista. Pesquisas mensais, realizadas pelo IBGE,
atestam crescimento nesses setores e apontam boa posição do estado no contexto nacional.
Para a economia regional ainda não está disponível a taxa de crescimento real dos demais estados da Federação, em função
da mudança de base das contas nacionais e regionais, do ano de 2002 para o ano de 2010, cujos resultados só serão
divulgados em novembro de 2015, pelo IDEME/IBGE. Dessa forma, divulga-se apenas o crescimento real da economia do
Estado da Paraíba em relação à economia nacional.
A seguir, apresentam-se os dados mais recentes para o PIB dos estados da Federação, divulgados nacionalmente pelo
IDEME/IBGE (novembro de 2014). Na Tabela 1, evidenciam-se os resultados do PIB estadual e taxas de crescimento real,
bem como as estimativas, comparativamente com os valores nacionais. Na Tabela 2, constata-se a evolução das
participações dos três grandes setores econômicos e de suas principais atividades na geração do valor adicionado total da
economia paraibana, nos últimos quatro anos. A Tabela 3, mostra o PIB total e PIB per capita para os estados do nordeste e
os respectivos crescimentos nominais, destacando suas posiçõesno contexto regional. A Tabela 4, elenca os valores do PIB
total, com as participações percentuais, e do PIB per capita, para todas as unidades da Federação, comparando-os no
contexto nacional.
Desempenho da economia paraibana sob a ótica
do PIB no Contexto nacional e regional
Secretaria de Estado da Comunicação Institucional
Av. João da Mata, s/n – Bloco II – 6º andar – Jaguaribe – João Pessoa/PB
Telefone – (83) 3218-4350 / (83) 3218-4340 / (83) 3218-4499
2011 a 2014
Secretaria de Estado da Comunicação Institucional
Av. João da Mata, s/n – Bloco II – 6º andar – Jaguaribe – João Pessoa/PB
Telefone – (83) 3218-4350 / (83) 3218-4340 / (83) 3218-4499
Secretaria de Estado da Comunicação Institucional
Av. João da Mata, s/n – Bloco II – 6º andar – Jaguaribe – João Pessoa/PB
Telefone – (83) 3218-4350 / (83) 3218-4340 / (83) 3218-4499
Secretaria de Estado da Comunicação Institucional
Av. João da Mata, s/n – Bloco II – 6º andar – Jaguaribe – João Pessoa/PB
Telefone – (83) 3218-4350 / (83) 3218-4340 / (83) 3218-4499
Secretaria de Estado da Comunicação Institucional
Av. João da Mata, s/n – Bloco II – 6º andar – Jaguaribe – João Pessoa/PB
Telefone – (83) 3218-4350 / (83) 3218-4340 / (83) 3218-4499
Download
Random flashcards
teste

2 Cartões juh16

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Matemática

2 Cartões Elma gomes

Criar flashcards