Haemagogus leucocelaenus do bioma Caatinga

Propaganda
Haemagogus leucocelaenus do bioma Caatinga: caracterização
ecológica e molecular de importante vetor da febre amarela
silvestre no Brasil
Letícia S. Marteis1, Sona A. Jain2, Pedro H. P. de Carvalho2, Pollyana C. R.
Maia2, Silvio S. Dolabella2, Roseli L. C. dos Santos2
1
Universidade Federal do Vale do São Francisco, Colegiado de Medicina, 56304917,
2
Petrolina, PE, Brasil. Email: [email protected] Universidade Federal
de Sergipe, Laboratório de Entomologia e Parasitologia Tropical, Departamento de
Morfologia, 49100-000, São Cristóvão, SE, Brasil.
Haemagogus leucocelaenus apresenta importância médica por participar do ciclo
de arboviroses, especialmente a febre amarela silvestre. Amplamente distribuída
em áreas florestais do continente americano, a espécie é pouco estudada na
região Nordeste do Brasil, sobretudo na Caatinga, bioma carente de
levantamentos da fauna Culicidae. Assim, o objetivo deste estudo foi caracterizar
ecológica e molecularmente população de Hg. leucocelaenus de área de
conservação do bioma Caatinga. Foram realizadas 19 coletas mensais de formas
imaturas de mosquitos em ocos de árvore e aspiração diurna de mosquitos
adultos. Extraiu-se o DNA de exemplares adultos e foram geradas sequências do
gene citocromo oxidase subunidade I (COI) utilizando os iniciadores UAE7 e
UAE10. Fragmentos de aproximadamente 600pb foram sequenciados e
comparados com sequências presentes no GenBank utilizando o BLAST. Ao todo,
foram coletados 640 espécimes de Hg. leucocelaenus (297 imaturos e 343
adultos) e, mesmo durante período de seca, a espécie foi considerada dominante
e constante, com maior abundância em área de mancha florestal com microclima
diferenciado e matas mais úmidas e preservadas. Este foi o primeiro registro de
Hg. leucocelaenus em área de conservação do bioma Caatinga. O fragmento
amplificado mostrou 91% de identidade com Hg. janthinomys (gb|KF034755.1).
Aproximadamente 27 mosquitos adultos coletados foram examinados e observouse pequena variação entre as sequências. Atualmente há pouca informação
disponível sobre a biologia molecular de Hg. leucocelaenus, de modo que o
BLAST somente mostrou homologia com o genoma de Hg. janthinomys. A
elevada abundância de Hg. leucocelaenus na Caatinga indica a plasticidade
ecológica desta espécie e o potencial de circulação do vírus amarílico na área de
estudo, o que reforça a necessidade de vigilância visto que a expansão dos
casos de febre amarela silvestre no território brasileiro aumenta o risco de
reintrodução do vírus amarílico no ambiente urbano.
Palavras-chave: Haemagogus leucocelaenus; caatinga; biologia molecular.
Apoio: CNPq, FAPITEC, CAPES.
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

teste

2 Cartões juh16

Criar flashcards