C O L É G I O D O A M O R D E D E U S Ficha de Treino de

Propaganda
COLÉGIO DO AMOR DE DEUS
Ficha de Treino de Português
6ºANO
DATA: Fevereiro de 2012
Depois de leres o texto com atenção, responde às seguintes perguntas com frases
completas e palavras tuas:
A Mulher Marinha
Quando o senhor rei D. Afonso Henriques andava conquistando aos moiros as boas terras
portuguesas, houve certo fidalgo, chamado D. João Froiaz, que habitava no Minho um formoso castelo
para as bandas do Mar. Era o fidalgo grande amante de caçadas e correrias pelas selvas.
Um dia, a trinta passos do mar, que não mais, viu-se, de meio corpo na ribeira, que ali se misturava
com as águas salgadas, e a cabeça sobre as plantas da margem, uma mulher deitada. Era uma mulher
marinha, uma filha do Mar, que dormindo se esquecera no sossego doce da manhã.
Dom Froiaz, caladamente erguera o braço e, pé ante pé, com as maiores cautelas, dirigiu-se ao lugar
onde a mulher marinha adormecera.
Eis que, a meio do caminho, um ramo estalou sob os seus pés. A mulher acordou, olhou à volta, e mal
que viu o cavaleiro, levantou-se de salto e abalou de corrida em direcção ao Mar. Mas as mulheres
marinhas correm melhor nas ondas do que sobre o chão. E Dom Froiaz, mais ligeiro do que os gamos da
mata, foi-lhe no encalço e, já quando ela molhava os pés nas ondas, conseguiu deitar-lhe os braços e
arrastá-la consigo para terra.
De cabeleira solta e mal coberta, com o seu vestido de algas, a filha do Mar esbracejava inutilmente
entre as possantes mãos de Dom Froiaz. Mas – coisa estranha! – nem palavra de queixa se lhe ouviu!
Por fim deixara de lutar.
Passado tempo, Dom Froiaz casou com a filha do Mar, depois que esta se baptizou com o nome de
Marinha.
Mas D. Marinha, em seu palácio, ainda que o seu marido a rodeasse de cuidados, tinha dias em que
os olhos se lhe tornavam de um verde muito escuro como as águas do Oceano quando se aproxima a
tempestade. E então dava suspiros fundos. Eram saudades que sentia do Mar.
Em tais ocasiões, só parecia ter algum alívio passando horas inteiras nos pinhais que rodeavam o
castelo. É que os pinhais, quando por cima deles passa o vento, são como os búzios: escuta-se lá dentro
a voz do Mar.
Mas fora dos suspiros que soltava em tais momentos, nem uma palavra se lhe ouvira. E debalde D.
Froiaz tentara todos os meios para que falasse.
No entretanto o casal já tinha filhos. E a um mais que aos outros se afeiçoou D. Marinha, talvez
porque era de génio inquieto e bravo, e assim mais parecido com seu avô - o Oceano.
Tantos extremos não deixaram de ser considerados pelo cavaleiro. E, no desejo de a ouvir falar,
imaginou um novo ardil com que a fizesse destravar a língua. Mandou acender em seus paços uma
grande fogueira. E, quando a mãe vinha de fora trazendo ao colo aquele filho que mais que tudo amava,
o cavaleiro, fingindo grande cólera, correu direito a ela e, arrancando-lho por força, virou-se para o fogo
com o jeito arrebatado de quem o quer arremessar ao lume.
E um espantoso caso se viu naquela hora. D. Marinha ergueu os braços, correu, levou as mãos ao
peito e, no esforço terrível de salvar o filho, sotou um grande e rouco brado, como se fora dalgum
monstro marinho. Depois deu outro brado mais claro e outro ainda, até que se lhe ouviram, cortadas de
aflição, as primeiras palavras: - Ai! O meu filho!
Dom Froiaz, cheio de alegria, pôs-lhe o filho ao colo e, animando-a com palavras carinhosas, logo lhe
disse como tudo fora amor e fingimento para que a fala lhe nascesse. E, desde então até ao fim da sua
vida, falou D. Marinha.
Jaime Cortesão, O Romance das Ilhas Encantadas (Adaptação)
I
1. O texto que acabaste de ler é uma Lenda ou um Conto Tradicional?
Justifica esta afirmação indicando as características do texto que identificaste.
2.1. Delimita, nesta narrativa, as três partes que constituem uma história completa:
A ________________________________ vai desde: “____________ “ até: “_____________________”
O ________________________________ vai desde: “____________ até: “______________________”
A ________________________________ vai desde: “ ____________ até: “______________________”
2.2.Completa os espaços em branco nas frases seguintes, de modo a justificar a tua delimitação do texto:
Na ________________________ o ______________________ situa ________
no _________________ e no _________________, apresenta _____________
e indica a __________________ _____________________.
No ________________________ o _____________________ relata ________
____________________ . Ex. 1. ____________________ 2. _______________
_____________________3. _______________________4. 1_______________
4.2.___________________ 5.____________________6.(clímax)___________
_________________________7. ____________________________
No _________________________ o _____________________ apresenta uma
nova situação de equilíbrio ou a resolução do problema: ______________________
_______________________________________________________________
_
2.3. Inventa um título para cada uma das partes em que dividiste o texto.
3. Situa a acção no espaço e no tempo.
4. Classifica as personagens.
5. Identifica os seguintes recursos de estilo e/ou imagens sensoriais:
Expressões do Texto
Era uma mulher marinha, uma Filha do Mar…
Recursos Estilísticos e Imagens Sensoriais
...de meio corpo na ribeira…e a cabeça sobre as plantas da
margem…
E D. Froiaz, mais ligeiro que os gamos da mata…
..a meio do caminho, um ramo estalou sob os seus pés…
… de um verde muito escuro como as águas do Oceano…
…os pinhais…são como os búzios…
… escuta-se lá dentro a voz do mar …
…D. Marinha…soltou um grande e rouco brado…
6. “ … e já quando ela molhava os pés nas ondas…”
Relata as reacções da filha do Mar à perseguição de D. Froiaz.
7. “Mas Dona Marinha em seu palácio…”
7.1. Que atitudes de D. Marinha revelam que ela não era plenamente feliz?
7.2. Por que motivo D. Marinha escutava o vento nos pinhais?
8. “- Ai! O meu filho!”
8.1. Resume o clímax da acção e o desfecho da narrativa.
II
Vocabulário
1. Substitui as palavras e expressões abaixo indicadas por expressões equivalentes no seu contexto:
Palavras / Expressões
Expressões Sinónimas
D. Froiaz, caladamente erguera o braço …
A mulher … e abalou de corrida em direcção ao Mar.
Dom Froiaz …foi-lhe no encalço …
…a filha do Mar esbracejava inutilmente
…imaginou um novo ardil…
…com que a fizesse destravar a língua…
… virou-se para o fogo com o jeito arrebatado …
de quem o quer arremessar ao lume.
Relações de Forma e Significado
2. Inventa frases onde ocorram palavras que possam formar pares com as palavras destacadas nas
frases seguintes:
2.1. “Houve certo fidalgo, chamado D. Froiaz…”
2.2.” …mais ligeiro do que os gamos da mata…”
2.3. “ E quando a mãe vinha de fora trazendo ao colo…”
2.4. “ E um espantoso caso se viu naquela hora…”
2.6. Preenche o quadro abaixo, justificando, assim, as tuas opções:
Pares de Palavras
Houve/__________________
Mata/ ___________________
Fora/____________________
Caso/____________________
Som
Grafia
Sign.
Classificação
Hora/__________________
Verbos
3.Identifica os Tempos e Modos em que estão os verbos seguintes::
3.1. “ D. Froiaz dirigiu-se ao lugar onde a mulher marinha adormecera.”
3.2. “Se D. Marinha não visse o filho amado em perigo, nunca chegaria a falar.”
3.3. “ Ameaçando o filho, D. Froiaz quis obrigar a mãe a falar.
4. Preenche o quadro abaixo, classificando as seguintes formas verbais:
Formas Verbais
Tempo
Modo
Pessoa
Número
Conju
gação
Conquistando
Deitada
Erguera
Arrastá-la
Esbracejava
Ouviu-se lhe
Fizesse
Quererá
Queiramos
Pronomes Pessoais
5. “O cavaleiro, fingindo grande cólera, correu direito a ela e arrancando-lho por força…”
5.1. Identifica os dois Pronomes Pessoais contraídos na frase acima.
5.2. Indica as funções sintácticas que desempenham na frase: O cavaleiro arrancou-lho à força.”
6. “ O Senhor D. Afonso Henriques conquistava aos Mouros as suas boas terras.”
6.1. Substitui o Sujeito da frase por um Pronome Pessoal.
6.2. Substitui o C. Directo desta frase por um Pronome Pessoal.
6.3. Substitui o C. Indirecto desta frase por um Pronome Pessoal.
Regular /
Irregular
6.4. O que significa dizer que os pronomes pessoais apresentam CASOS?
6.5. Substitui, simultaneamente, os dois complementos da frase por Pronomes Pessoais.
7. “ D. Froiaz fingiu atirar o filho ao fogo, mas os seus olhos ternos traíram a sua intenção.”
7.1. Substitui os Grupos Nominais sublinhados por Pronomes Pessoais com função de Complemento
Directo.
7.2. Indica as Regras que descrevem as transformações que sofreram os Pronomes que escolheste.
Pronomes Relativos
Quanto, qual, que, quem, onde, (cujo)
8. Une as duas frases seguintes, de modo a formar uma só frase complexa sem expressões repetidas:
8.1. “D. Froiaz casou com a filha do Mar. A filha do Mar tinha olhos verdes.”
8.2. “ D. Marinha nunca tinha falado. D. Marinha era feliz. (Oração encaixada)
8.3. “ D. Marinha passeava no Pinhal. No Pinhal o vento imitava o ruído do Mar.”
8.4. “ D. Marinha tinha saudades do Mar. O filho de D. Marinha lembrava-lhe o avô Oceano. (Oração
encaixada).
9. Distingue, no quadro abaixo, indicações de espaço, tempo, situações ou actividades e emprega
onde ou em que, consoante o contexto, para unir as frases :
Frases
com Pronomes Relativos
Espa
ço
Tem
po
Situa
ções
Activida
des
A Afonia ______________D. Marinha se encontrava, afligia o marido.
O pátio do Castelo __________ardia a fogueira, ficou célebre.
As caçadas __________D. Froiaz se envolvia, eram perigosas.
O dia __________D. Marinha falou, foi inesquecível.
Pronomes Possessivos, Demonstrativos, Indefinidos e Interrogativos
10. Preenche o Quadro abaixo, identificando a subclasse e o significado dos Pronomes sublinhados:
…………………………Frases………………………………..
Poss.
Dem.
Ind.
Int.
………..Significado………
- Aquilo foi uma descoberta fantástica: uma Filha do Mar!
- Minha Esposa muda, mas fiel como ninguém…
- Entre os dois tudo decorria no silêncio do amor.
- Quem seria capaz de a fazer falar?
- Só um louco ardil lhe abriria a palavra e a tornaria minha.
Famílias de Palavras Organizadas por Classes
11. Preenche o Quadro abaixo, organizando famílias de palavras segundo as classes indicadas:
Substantivos
Fingimento
Adjectivos
Advérbios de Modo
Verbos
Acarinhar
Terrível
Possantemente
Alívio
Cuidadoso
Destravar
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

teste

2 Cartões juh16

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Criar flashcards