Infecções do aparelho digestivo

Propaganda
Infecções do aparelho digestivo
Enterocolites
Infecções do intestino delgado ou do cólon
Mecanismos fisiopatológicos
Barreira natural
As bactérias comensais em equilíbrio ecológico, protegem o hospedeiro impedindo, por inibição
competitiva, que uma bactéria potencialmente patogénica se fixe aos receptores específicos da
mucosa.
A utilização de antibióticos, desequilibra a flora normal, diminuindo a capacidade de resistência
à infecção pelos agentes patogénicos exteriores.
Mecanismos de ordem imunológica a mucosa intestinal, rica em plasmócitos que secretam IgA,
IgG e IgM, constitui, também, um obstáculo à implantação de bactérias potencialmente
patogénicas.
Aida Duarte
FFUL
1
Infecções do aparelho digestivo I
Modalidades da infecção
a)
Processo invasivo
Neste processo estão implicados os microrganismos com características invasivas, capazes de
destruir a mucosa. Aderem às células epiteliais, penetram e multiplicam-se, dando origem ao
síndroma desintérico que se caracteriza por ulcerações características, originando fezes
múltiplas com sangue e pus.
Bactérias:
Shigella
Salmonella
Campylobacter jejuni
Yersinea enterocolitica
Escherichia coli ECEI
Protozoários:
Entamoeba histolytica
Balantidium coli
b)
Processo tóxico
Neste processo estão implicadas as bactérias produtoras de exotoxinas ou enterotoxinas. Fixam-se
à superfície da mucosa (factores de colonização), mas não penetram no epitélio e secretam uma
exotoxina do tipo A+B que é responsável por uma vaso dilatação capilar e perturbações do
metabolismo celular. Verifica-se um fluxo de liquido através da parede com aumento de secreção
dos sucos digestivos ou seja uma secreção de sódio e de água aumentada por estimulação da
adenilciclase membranária.
Vibrio cholerae
Escherichia coli (ECET, ECEH, ECEP)
Clostridium perfringens
Clostridium difficile
Bacillus cereus enterotoxina termolábil
Campylobacter jejuni
c)
Exotoxinas das intoxicações alimentares
Neste processo a bactéria produz a toxina no alimento, portanto a bactéria não é, por si só, a
principal interveniente na infecção, mas sim a toxina.
Staphylococcus aureus enterotoxina termoestável
Clostridium perfringens
Clostridium botulinum
Bacillus cereus enterotoxina termoestável
Aida Duarte
FFUL
2
Infecções do aparelho digestivo I
d)
Dismicrobismo
Desequilíbrio da flora microbiana saprófita, após uma antibioterapia, pode levar a um estado
infeccioso no qual a estirpe Clostridium difficile é a principal responsável.
Shigella desinteriae
Salmonella spp
Aida Duarte
FFUL
3
Infecções do aparelho digestivo I
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

teste

2 Cartões juh16

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards