MINERAIS

Propaganda
MINERAIS
MAGNÉSIO
Funções:








Síntese de ácidos graxos
Ativação de aminoácidos
Síntese de proteínas
Fosforilação da glicose e seus metabólitos na via glicolítica
Transporte de íons potássio e cálcio
Estabiliza a estrutura do ATP no músculo e tecidos moles
Modulação da secreção do hormônio da paratireóide, que é dependente
do AMPc
Hormônios-chave para a regulação das quantidades de Ca, Mg e P:
PTH, vitamina D e calcitonina
Deficiência:



Na depleção de magnésio o cálcio intracelular aumenta.
Devido a importância do cálcio na contração muscular, um estado de
depleção de magnésio pode resultar em hipertensão, cãibras e alterações
coronarianas e cerebrais.
A depleção de magnésio ocorre em diversas doenças como nas
cardiovasculares e neuromusculares, nas síndromes de má absorção, no
diabetes mellitus, nas síndromes renais e no alcoolismo.
Sintomas:
HUMOR: Nervosismo/ Hiperatividade, Ansiedade/ Irritabilidade, Irritabilidade
muscular
SNC: Insônia, Confusão mental, Diminuição da memória, Convulsão
NEURO-MUSCULAR: Tremores (ao lado dos olhos – clássico), Formigamento,
Fraqueza, parestesia, Cãibra, Mialgia
OUVIDOS: Tontura, Zumbido ininterrupto
CARDIO-PULMONAR: Taquicardia
INTESTINO: Dificuldade evacuação
GASTRINTESTINAL: Falta de apetite, Náuseas/ vômitos
Fontes:
Clorofila
Vegetais de folhas verdes (couve)
Recomendações: vide tabela
1
Toxicidade:
 Consumo através da suplementação pode provocar toxicidade;
 A absorção do Mg dos alimentos é mais eficiente;
 Sintoma de HIPERMAGNESEMIA – DIARRÉIA OSMÓTICA
CÁLCIO
Funções:
 Estimula a produção de insulina;
 Necessita de P para uma boa mineralização óssea;
 Ativa enzimas que hidrolisam os polissacarídeos, proteínas
fosfolipídeos;
 Ativa a proteína quinase;
 Atua na troponina, proteína que regula a contração muscular
 Responsável pela ativação de várias proteínas celulares;
e
Absorção:
 Ocorre no duodeno e jejuno (em vegans até no intestino grosso)
 Ativado pela vitamina D
 Sódio, proteínas em excesso e fitato concentrado diminuem a absorção
de cálcio
 Ácido gástrico melhora absorção do Ca (melhor ingerir junto às
refeições);
 Para suplementação o ideal é usar Ca quelado, citrato ou carbonato de
Ca (o carbonato é laxativo);
Deficiência:
HUMOR: iritabilidade/ Agitação, nervosismo, humor lábil
SNC: insônia, diminuição da memória, convulsões
NEURO-MUSCULAR:
contínuas
cãibra,
adormecimento/formigamento,
contrações
PELE: seca com descamação (no couro cabeludo também), eczema
CABELOS: aumento da queda
UNHAS: frágeis e quebradiças
DENTES: frágeis
GASTRINTESTINAL: vômitos
CARDIOPULMONAR: taquicardia
Causas da HIPOCALCEMIA:
 Deficiência alimentar
2



Hipotiroidismo
Falha renal
Deficiência de Vitamina D ou Mg (crônico)
OBS:
Musculação ajuda na melhora da absorção de Ca;
Aumentar o boro ajuda a evitar a perda urinária de Ca
Fontes:
Leite, feijões, brócolis, repolho, couve, espinafre, tofu, gergelim, semente de
melão
Recomendações: vide tabela
AI 1000 mg (atenção na prova, prestar atenção ao sinergismo com os
outros minerais)
Toxicidade:
 Normalmente relacionados ao consumo excessivo de suplementos.
 Nefrolitíase;
 Síndrome da hiperclacemia e insufieciência renal
 Interação com outros nutrientes (ex: ferro e zinco)
ZINCO
Funções:
 Imunológica;
 Cicatrização
 Percepção de gosto
 Produção de esperma
 Desenvolvimento fetal
 Efeito bactericida
 Antioxidante
 Envolvido em processos bioquímicos: respiração celular, reprodução do
DNA regulação da expressão gênica,
 Atividade de enzimas
 Função reguladora (síntese protéica, divisão celular, ação na insulina,
tireóide)
Absorção:
 Facilitada por proteínas, principalmente albumina
 Interação com outros nutrientespode diminuir a sua absorção (ex:
cádmio (cigarro)
 Excesso de Ferro atrapalha a absorção (4 Fe: 1 Zn)
 Zn compete com Cu (10 Zn: 1 Cu) corre o risco de diminuir a absorção
de Fe, pois o Cu é responsável transformação do Fe I e II
Deficiência:
HUMOR: irritabilidade/ hiperatividade
3
SNC: diminuição da memória e concentração, convulsões
NEURO-MUESCULAR: fadiga
PELE: seca, acne, eczema/ erupções
CABELOS: aumento da queda, seco e quebradiços, calvície precose
UNHAS: frágeis, quebradiças com manchas
NARIZ: diminuição do olfato
GASTROINTESTINAL: diminuição do apetite
Em crianças: diminuição da atividade motora, desenvolvimento motor e massa
óssea
Fontes:
Recomendações: vide tabela
Toxicidade:
 Diminuição do HDL e níveis de Cu (diminui ceruloplasmina e
ferroxidase)
 Dor epigástrica
 Enxaqueca
 Cãibras abdominais
 Diarréia
MANGANÊS
Funções:
 Nutriente essencial para formação óssea, metabolismo de CHO, aa e
colesterol
 Atua na síntese da superoxido dismutase (antioxidante)
 Enzimas dependentes de Mn (glutamina sintase, superoxido dismutase,
acetil Côa, etc)
OBS:


Pacientes hepatopatas crônicos tem déficit na eliminação de
manganês, levando a alterações hepáticas
Para DM é importante oferecer Mn, pois melhora a circulação
sanguínea.
Absorção:
 Eficiência é inversamente proporcional a ingestão (quanto maior a
ingestão, menor a absorção);
Deficiência:
4





Baixa produção de insulina;
Baixa defesa oxidante;
Falha no metabolismo das lipoproteínas;
Alterações no fator de crescimento;
Anormalidades esqueléticas;
Sintomas:
 EM RATOS: déficit de crescimento, diminuição de reprodução,
diminuição de tolerância à glicose e alteração no metabolismo de CHO e
Glicose.
 EM HUMANOS: hipocolesterolemia, dermatite e despigmentação capilar
(precosidade de cabelos brancos – falta de Mn e Cu)
Fontes: oleaginosas
Recomendações: vide tabela
Toxicidade:
Normalmente ocorre em quem aspira o pó de manganês (Parkinson e lesões
no SNC)
FERRO
Funções:
Faz parte de várias proteínas do organismo, desempenhando diversas funções.
 Proteínas com HEME: hemoglobina, mioglobina, citocromo – transporte
de elétrons;
 Enzimas com ferro e enxofre: flavoproteínas e heme flavorpeoteínas;
 Proteínas de transporte e armazenamento: tranferrina, lactoferrina,
ferritina, hemossiderina;
 Diversas enzimas: catalase e aconitase (enzima importante no CK)
Absorção:
 Solubilizado e ionizado no suco gástrico, reduzido a ferro ferroso
 Secreções gástricas estabilizam o ferro e diminui a sua precipitação no
Ph intestinal;
 Absorção é mais eficiente no duodeno;
 Fe2+ é oxidado no plasma a Fe3+ pela ceruloplasmina, facilitando a
ligação do Fe à transferrina;
 Excesso: armazenado na ferritina;
 Ferro HEME: absorvido direto na mucosa celular após a retirada da
globina por enzimas proteolíticas
Deficiência / Sintomas:
Sintoma Clássico: cansaço (ocorre devido a grande presença de RL, que são
responsáveis pela oxidação do O2 para produção de ATP)
Dor de cabeça, tontura, sensibilidade ao frio;
5
HUMOR: irritabilidade
SNC: confusão mental
NEURO-MUSCULAR: fadiga
UNHAS: frágeis
BOCA: boqueira
LÍNGUA: vermelha, lisa e dolorida
GATRINTESTINAL: dificuldade de deglutir, diminuição do apetite, dificuldade
para evacuar, obstipação
CARDIOPULMONAR: taquicardia
Inchaço nos membros inferiores
OBS: muitos sintomas são confundidos com hipoglicemia reativa
Biodeiposnibilidade / Absorção:
Ferro HEME:
 absorção independente da composição da refeição;
 Pouco afetadada por facilitadores e/ou inibidores;
 Pouco influenciada pelo estado emocional.
Ferro NÃO HEME:
 Necessita ser solibilizado pelo HCl;
 Absorção relacionada ao estado nutricional;
OBS:
 Pctes com acloridria podem desenvolver anemia por deficiência de ferro.
 Alimentos cozidos em panelas de ferro contêm sais de ferro; de baixa
abosrção mas com Vit.C pode melhorar muito. Ex: frutas secas, molho
de tomate, ovos mexidos, etc.
 Vegetarianos: utilizam melhor o Fe
Sais de Ferro:
 Sulfato de Ferro e Fumarato de Ferro tem 100% de biodisponibilidade,
entretando o sulfato atrapalha o sistema gastointestinal.
 A melhor forma para suplementar é o Ferro quelado
Fatores que afetam a Biodisponibilidade
DIETA:
 Aumentam: ácido ascórbico, ptn animal, peptídeos com cisteína,
ác.orgânicos, etanol

Diminuem: fitatos, polifenóis, cálcio, fosfato, oxalato
6
HUMORAL:
 Aumentam: anemia por fdeficiência de Fe, baixo estoque corporal,
aumento da secreção de HCl, baixa ingestão de Fe, aumento da
eritropoiese, crescimento, gestação
 Diminuem: estoques altos de Fe, acloridria, alta ingestão de Fe,
infecção, inflamação
FERRO x ZINCO
 Relação Molar: 25:1 – siganificativa baixa na absorção de Zn;
 Influencia maior quando administrado na forma de suplemento;
 Óxido de zinco não diminue absorção de Ferro, ao contrário do Sulfato
de Zinco
 Doses até 30 mg não tem efeito no Zn
 Relação deve ser 4:1
Fontes:
Recomendações: vide tabela
OBS: mulheres na menopausa precisa de menos Ferro, pois a diminuição do
estrôgeno, faz com que se diminua também a eliminação de Fe.
Toxicidade:
 Difícil excreção
 A sobrecarga pode ser causada por: suplementação inadequada ou
problema hereditário
 Causa: dano hepático, , pigmentação na pele (manchas escuras no
corpo), retarda o crescimento de crianças e hematocromatose (aumento
do fígado, DM, infl. Articulações – causada por mto Fe e álcool)
 Obstipação, náuseas, vômitos, baixa absorção de Zn, risco de CA e
DCV – alta suplementação
SELÊNIO
Funções:
 Síntese de glutationa Peroxidase (enzima antioxidante)
 Selenometionina, tem absorção completa;
 Presente na enzima deiodinase (converte T3 em T4)
Deficiência:
NEURO-MUSCULAR: fraqueza muscular, mialgia, fadiga
UNHAS: manchas brancas (tamanho maior que na deficiência de Zn)
Altos níveis de creatinina quinase
CAUSAS:
 solo pobre em Se;
7


Síndrome de má absorção (dieta enterais)
Condições crônicas relacionadas ao estresse oxidativo
OBS: quem tem histórico de câncer na família deveria ingerir de 200 a 300 mg
de Se (2 a 3 castanhas do Pará como forma de prevenção)
Fontes: oleaginosas (selenometionina), peixes e frutos do mar (selenocisteina)
Recomendações: vide tabela
Toxicidade:
É o único mineral que tem toxicidade por ingestão alimentar



Selenose: perda e fragilidade de unhas e cabelo;
Distúrbios gastrointestinais, hálito com odor de alho, fadiga,
anormalidades no SNC;
[ ] maior que 100 mcg/dl (consumo superior a 850mcg/dia – 10
castanhas do Pará)
CROMO
Funções:
 Forma ativa Cr 3+
 Necessário para o metabolismo de CHO e lipídeos
 Essencial para o metabolismo da glicose - potencializa a ação da
insulina
 Ativa a fosfatase fosfotirosina nos adipócitos – tem papel de redução da
gordura corporal
OBS:
 suplementação deve ser feita sempre com algum CHO
(normalmente feita como: picolato de cromo ou nicotinato de
cromo – não tem no BR)
 Interessante adicionar à maltodextrina antes da AF - fundamental
para a formação de massa muscular)
 Para DM, cuidado com a suplementação não coincidir com a
aplicação da insulina
Fontes:
Recomendações: vide tabela
Toxicidade:
 Baixa toxicidade devido à baixa absorção;
 Cr +4 – tóxico e cancerígeno
 Altas doses podem levar ao aparecimento de rabdomiólise
(desintegração de fibras musculares – excreção de mioglobina na urina)
8
COBRE
Funções:
 Inativação de catecolaminas (reage com serotonina, dopamina, etc)
 Inativa a histamina, atuando no Int. Delg. na qual a histamina estimula a
secreção ácida;
 Formação de tecido conjuntivo – lisina, colágeno e elastina; ESTÉTICA
 Formação de tecido conjuntivo – ligação entre colágeno e elastina,
formação óssea;
 Formação de melanina, deficiência pode levar ao albinismo
 Papel na transferência de ferro da ferritina (armazenamento) para os
locais de síntese (Hm) CERULOPLASMINA
 SNC – formação e manutenção de mielina
OBS: ceruloplasmina – verifica reserva de Cu
Deficiência:
Causada por:
 Excesso de Fe
 Excesso de amido
 Suplementação de vit.C maior que 1500 mg
 Excesso de molibidênio na presença de sulfeto
OBS: a deficiência de Cu leva como conseqüência a deficiência de Fe também
Sintomas:
 Anemia hipocrônica na responsiva à suplementação de Fe
 Neutropenia
 Osteoporose
 Despigmentação de pele e pêlos
Fontes:
Recomendações: vide tabela
Toxicidade:
 Toxicidade a longo prazo não está bem estabelecida
 Efeitos gastrointestinais (bebidas ricas em Cu): Dor abdominal, cãibras,
náuseas, diarréia e vômitos
 Dano hepático (exclusivo para pctes com doença de Wilson – dificuldade
na excreção de Cu - e cças com cirrose hepática)
 Não leva ao aborto
 Sem evidências convincentes para CA
9
VANÁDIO
Funções:
 Similar à insulina
 Estimula a proliferação e diferenciação celular
 No plasma, está presente como: vanadato, vanadil, ligado à proteínas;
 Armazenado no osso, fígado e rins;
Suplementação:
 sulfato de vanadil e metavanadato sódico
 125 mcg – diminui a necessidade de insulina
Deficiência:
 Distúrbios da tireóide
 Metabolismo lipídico
 Metabolismo da glicose
Sintomas:
Fontes: cogumelos, mariscos, salsa, semente de dil, pimenta preta, vinho e
cerveja (menor quantidade)
Recomendações:
 Sem recomendação estabelecida (EAR, RDA e AI) – TEM UL
 Consumo adequado e seguro : 10 a 100 mcg/dia
* EXCETO PARA ADULTOS, RECOMENDA-SE NA UL CONSUMO
ALIMENTAR
Toxicidade:
 Neurotóxico;
 Nefrotóxico
 Diminuição do crescimento e consumo alimentar
 Diarréia
MOLIBIDÊNIO
Funções:
 Co-fator de enzimas envolvidas no catabolismo de aa sulfurados e
compostos heterocíclicos – purinas e piridinas)
 Precursor da Xantina oxidase – enzima responsável por catalisar a
reação da hipoxantina a xantina
Fontes: tomate fresco, cenoura crua, carnes, alface, couve-flor, cebola.
Recomendações: vide tabela UL
Toxicidade:
 Baixa em humanos
10
BORO
Funções:
 Metabolismo ósseo
 Atividade antioxidante, inflamação e artitrite reumatóide
 Interage com Ca, vit.D e Mg no metabolismo ósseo;
 Aumenta [ ] de hormônios esteróides em mulheres;
 Se acumula nos ossos;
 Regulação do metabolismo energético
 Atua na liberação de insulina;
 Importante para o sistema imune
SUPLEMENTAÇÃO (ácido bórico):
 Diminui sintomas da deficiência de Mg
 Melhora absorção de Vit.D
 Diminui perda urinária de Ca (principalmente na deficiência de Mg) –
essencial na suplementação para osteoporose (3 mg/dia)
OBS:
 na artrite, melhora a formação de corticoesteóides, que aliviam os
sintomas e inibe a células T
Deficiência:
 Aumenta excreção urinária de Ca
Fontes: pêssego, cogumelo, avelã, pepino, beterraba, gérmen de trigo,
amêndoa, uva, abacate, nozes, lentilha
Recomendações:
Sem EAR, RDA e AI – tem UL (adultos 17 mg)
Toxicidade:
 Dose letal – 15 a 20 g/dia adulto e 3 a 6 g/dia cçs
 Sintomas iniciais: náusea, desconforto gástrico, vômito e diarréia
 Excreção excessiva de Vit. B2 – riboflavinúria e deficiência de riboflavina
IODO
Funções:
 Componente essencial dos hormônios tireodianos
 Regulação de enzimas e processos metabólicos
OBS: sofre redução no intestino para ser absorvido
Deficiência:
 Prejuízo na função imune
 Aumento da incidência de CA
 Aumento da tireóide – bócio
 Cretinismo
11
Sintomas:
 Ação bociogênica (em gde quantidade) – glicosinolatos (crucíferas –
brócolis, couve de bruxelas, repolho), mandioca, milho do México,
batata-doce, couve-flor e soja.
Fontes:
Sal iodado – novos limites (mín. 20mg/kg máx. 60mg/kg)
Recomendações: vide tabela
Toxicidade:
 Dor abdominal, febre, náuseas, vômito, diarréia – dose > 1g
 Hipertireoidismo – devido à suplementação para corrigir a deficiência
 > risco de CA da tireóide
 Aumento da tireoidite de Hashimoto (doença auto-imune)
12
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

paulo

2 Cartões paulonetgbi

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

teste

2 Cartões juh16

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards