Fórum 2 – OS CLÁSSICOS DA SOCIOLOGIA E A EDUCAÇÃO

Propaganda
1
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL – UAB
CURSO DE PEDAGOGIA – modalidade a distância
Adriano dos Santos da Rosa
Débora Marques Júnior da Rosa
Vinícius Leal Miranda Silva
ATIVIDADE 1
Atividade de Aprendizagem 1 – “A SOCIOLOGIA e a SOCIOLOGIA DA
EDUCAÇÃO”
Semestre: 2011.2
Grupo: Adriano dos Santos da Rosa
Débora Marques Júnior da Rosa
Vinícius Leal Miranda Silva
Émile Durkheim, Karl Marx e Max Weber são considerados os pensadores clássicos da
Sociologia. Cada um, dentro de uma linha teórica e metodológica específica, fez análises
sobre a sociedade que emergiu no século XVIII e se consolidou no século XIX.
Estes pensadores também fizeram análises, algumas mais rigorosas como as de Durkheim,
à respeito da educação, tendo cada um desenvolvido concepções diferenciadas sobre este
objeto.
2
Se Durkheim, Marx e Weber foram os ícones da Sociologia do século XIX, no século XX,
Pierre Bourdieu, Antonio Gramsci e Karl Mannheim, por meio de três importantes
contribuições tanto para a Sociologia em geral, quanto para a Sociologia da Educação em
específico, foram os destaques, por terem atualizado as concepções de educação antes
desenvolvidas por aqueles pensadores clássicos.
Vocês seriam capazes de identificar a quais desses pensadores se refere cada uma das
afirmações a seguir? Justifiquem cada escolha em, pelo menos, 15 linhas.
1 – “A educação é uma das mais importantes formas de perpetuação da exploração de
uma classe sobre a outra, utilizada pelo capitalista para disseminar a ideologia dominante,
para inculcar nos trabalhadores o modo burguês de ver o mundo. Por outro lado, vejo a
educação como parte integrante da utopia revolucionária, identifico nela uma arma
valiosa a ser usada em favor da emancipação do ser humano”.
Pensador:
(
) Émile Durkheim
( X ) Karl Marx
(
) Antonio Gramsci
(
) Pierre Bourdieu
(
(
) Max Weber
) Karl Mannheim
Justificativa da Escolha:
Marx analisa a sociedade moderna procurando explicá-la não de forma conceitual, mas com
a intenção de transformá-la, estabelecendo uma nova ordem social. Desenvolve a teoria da
sociedade socialista, uma sociedade sem classes, onde o homem seria um ser autônomo e
autoconsciente, trabalhador manual e intelectual. Propõe o Método Materialista-dialético
que consistia em partir das condições materiais de vida dos homens para explicar a
realidade. A história é fruto do trabalho humano, pois o homem interage para satisfazer
suas necessidades desencadeando o processo histórico. Nos traz a práxis, uma unidade entre
teoria e prática. Marx acredita que para construir a sociedade que almejada a ação educativa
tem papel fundamental no momento de elaborar o projeto de superação das relações sociais
burguesas. Se as relações de dominação existem é porque elas são instaladas socialmente;
foi criada pela luta histórica entre as classes e, portanto, não precisam existir para sempre,
pois o homem pode construir outros tipos de relações. Marx e Engels identificaram a
educação como uma das mais importantes formas de perpetuação da exploração de uma
classe sobre a outra, utilizada pelo capitalismo para disseminar a ideologia dominante, o
modo burguês de ver o mundo. Para o pensador era necessário que a educação fosse
retirada da influência da classe dominante para que as crianças não se transformassem em
objetos de comércio, em instrumentos de trabalho. Afirma que a educação funciona de
acordo com a classe a qual se relaciona: se burguesa, uma educação para a alienação, se
proletária, para a emancipação. Propõe a educação para a emancipação, pautada pela
formação do ser omnilateral, do ser que se desenvolve em todos os sentidos, que busca o
desenvolvimento total, completo, e também da formação do ser no seu aspecto produtivo e
na busca de suas aspirações e satisfações pessoais.
3
2 – “A educação, na medida que a sociedade se racionaliza, passa a ser um fator de
estratificação social, um meio de distinção, de obtenção de honras, de prebendas, de poder
e de dinheiro. Educação é a base do sistema de status, torna-se, cada vez mais, um preparo
especializado com o objetivo de tornar o indivíduo um perito”.
Pensador: (
) Émile Durkheim
( ) Antonio Gramsci
( ) Karl Marx
(
( X ) Max Weber
) Pierre Bourdieu
(
) Karl Mannheim
Justificativa da Escolha:
Weber toma como ponto de partida a idéia de que o indivíduo é o elemento do qual se deve
partir para compreender a sociedade. Inaugura a Sociologia Compreensiva onde questiona
as bases do positivismo e da neutralidade científica para explicar os fenômenos sociais.
Afirma que os fenômenos sociais são diferentes dos naturais e não podem ser explicados
pelo mesmo método. O ponto de partida da explicação sociológica está no indivíduo e na
interpretação da realidade. A sociedade só se realiza por meio da ação e da interação
recíproca entre as pessoas, é a compreensão da ação social dos indivíduos. A ação social
ocorre quando o indivíduo leva os outros em consideração para agir. Elaborou um
instrumento de pesquisa denominado “tipo ideal”, com ele o pesquisador compara suas
teorias com a realidade e assim pode criar modelos ideais a partir de aspectos essenciais.
Observa que a educação era um modo pelo qual os homens eram preparados para exercer as
funções que a racionalização da vida impunha. Pedagogia que tem por objetivo formar o
homem racional. Weber identificou dois modelos de educação: a pedagogia do carisma
(próprias das sociedades antigas) e a pedagogia do cultivo (formação do homem culto,
próprias de sociedades tradicionais).
3 – “É uma ilusão achar que podemos educar nossos filhos como queremos. Existem certos
costumes, certas regras, que devem ser obrigatoriamente transmitidos no processo
educacional, gostemos deles ou não. Se não fizermos isso a sociedade se vingará de nossos
filhos, pois não estarão em condições de viver em meio aos outros quando adultos”.
Pensador:
( X ) Émile Durkheim
(
) Antonio Gramsci
( ) Karl Marx
(
(
) Pierre Bourdieu (
) Max Weber
) Karl Mannheim
Justificativa da Escolha:
Influenciado por Comte, foi o responsável pela introdução da sociologia no meio
acadêmico. Para Durkheim o povo mais civilizado é o que tem mais direitos sobre os
outros. Considerava as questões sociais como problemas passageiros, objetivava a
organização da sociedade que se consolidava. Sofreu influência do positivismo de Comte,
do evolucionismo de Darwin e Spencer e do conservadorismo de Burke.
A sociedade é que molda o homem, ela age sobre ele definindo suas formas de agir, suas
concepções e modos de perceber a realidade, condicionando o comportamento humano.
4
Seu objeto de investigação social são os fatos sociais, sendo este exterior ao indivíduo, é a
maneira padrão que agimos, independente da nossa vontade. Fundou o Método
Funcionalista na qual a sociedade é pensada tal qual um organismo onde cada órgão
cumpre uma função para o funcionamento da mesma. A educação para a socialização. Nas
palavras do pensador “toda educação consiste num esforço contínuo para impor às crianças
maneiras de ver, de sentir e de agir às quais elas não chegariam espontaneamente”. Nesta
visão o indivíduo compete com a consciência coletiva.
A educação enquanto instituição social tem a função de preservação da coesão social, é
através dela que os indivíduos aprendem a ser membros da sociedade. Educação é
socialização. Cada geração transmitiria a seguinte, através da educação os elementos
fundamentais para a manutenção da estabilidade social.
4 – “A escola é uma instituição fundamental na formação do ser social por trabalhar com
a educação formal do indivíduo. Essa instituição reforça um habitus em conformidade com
a reprodução social e torna-se eficiente na medida em que dissimula as relações de
dominação e concede à ação pedagógica, pelo discurso da neutralidade, uma legitimidade
inquestionável. Dessa forma, a escola obscurece a realidade e exclui o reconhecimento da
sua força simbólica, concedendo uma aparência natural aos seus procedimentos, discursos
e práticas na inculcação do arbitrário cultural.”
Pensador: (
(
) Émile Durkheim
) Antonio Gramsci
(
) Karl Marx
(
) Max Weber
( X) Pierre Bourdieu
(
) Karl Mannheim
Justificativa da Escolha:
Estudando os processos educacionais contemporâneos, Bourdieu introduziu uma síntese
teórica entre o modelo durkheiniano e o estruturalismo, pretendendo desvendar o peso das
estruturas sociais por detrás das ações dos sujeitos.
Conclui que diferentemente do discurso dominante que pregava uma escola para todos, o
que se promovia era uma espécie de dissimulação, uma reprodução das relações sociais e
de poder vigentes. Bourdieu considerava a ação pedagógica como uma violência simbólica,
pois impunha uma determinada concepção cultural.
Quando Bourdieu refere-se ao processo de reprodução social admite que tal processo não
acontece apenas sob a forma de coerção, antes, porém, é instaurado, buscado e vivenciado
com o consentimento dos agentes nele envolvidos. Tanto dominados como dominantes
envolvem-se consentindo a dominação; entretanto, trata-se de uma dominação que não
passa pela consciência, antes é permeada por uma não consciência em que se oculta a
violência simbólica teorizada por
Bourdieu. A dominação acontece por meio da violência camuflada, dissimulada e, portanto,
simbólica, e sua eficiência será maior quanto menor for a consciência dos agentes nela
envolvidos. No sentido de validar o processo de dominação constituído pela violência
simbólica, cada formação
5
social utiliza-se dos meios considerados mais eficazes no controle social, na legitimação e
na inculcação da cultura dominante e, conseqüentemente, na naturalização do processo,
entre eles, a da escola. Bourdieu considerava a ação pedagógica como uma violência
simbólica, pois impunha uma determinada concepção cultural. A educação tem duas
funções básicas: a de reprodução cultural e a de reprodução das estruturas de classes ou
reprodução social
5 – “O processo de trabalho como princípio educativo é imprescindível na formação de
novos intelectuais orgânicos para a classe trabalhadora que, organizada, concretize o
ideal de uma sociedade emancipadora, onde tanto o trabalho material quanto o trabalho
imaterial absorva uma visão crítica da realidade, uma visão coerente e unitária, que leve
em conta a racionalidade, a totalidade e a historicidade das relações sociais.”
Pensador: (
) Émile Durkheim
(X ) Antonio Gramsci
( ) Karl Marx
(
) Pierre Bourdieu
(
(
) Max Weber
) Karl Mannheim
Justificativa da Escolha:
Foi um defensor da escola socialista, que denominava como escola unitária em
contraposição a escola tradicional que dividia o ensino em clássico e profissional, um para
classes instrumentais e outro para classes dominantes.
Seu grande debate está na luta contra a apropriação privada, ou elitista, do saber e da
cultura. Gramsci pregava a necessidade de se formar, nos meios escolares, intelectuais que
produzissem novas idéias que servissem aos interesses da classe dominada.
Defendeu a escola única, respeitando três fases: a primeira fase para formar a cultura geral
que harmonizasse o trabalho intelectual e o manual; a segunda fase prevalescência do
adolescente para desenvolvimento criativo, a autodisciplina e a autonomia; a última fase, a
especialização, onde o professor é fundamental como dirigente e intelectual.
Defendia uma escola aberta a todas as classes, igualitária e democrática, uma escola
pública.
Seu projeto era o de elevar a formação das massas do nível de senso comum ao da
consciência crítica e filosófica, lançando uma “contra-ideologia”, que se apoderaria do
aparelho ideológico escolar divulgando uma nova concepção de mundo, a serviço da classe
trabalhadora.
6 – “Através da educação social, base do planejamento democrático (concebido também
como instrumento de transição para a sociedade democraticamente planificada), seria
possível construir um novo tipo de personalidade, de tipo democrático e, assim, um novo
tipo de cidadão. A personalidade democrática é aquela que enfrenta as situações sociais
com a disposição de cooperar, que possui uma conduta integradora que é capaz de tolerar
os outros e as suas opiniões, mas cujo respeito às diferenças não enfraquece sua adesão
militante e participativa aos valores democráticos.”
6
Pensador: (
(
) Émile Durkheim
) Antonio Gramsci
( ) Karl Marx
(
) Pierre Bourdieu
(
) Max Weber
( X) Karl Mannheim
Justificativa da Escolha:
Mannheim acrescentou às formulações de Weber a perspectiva de um programa para a
mudança na educação, fugindo do pessimismo daquele pensador.
Crê que o pensamento social não poderia explicar a vida humana, apenas expressá-la. A
Modernidade representava um projeto de esperanças para a humanidade.
A educação tem caráter regenerativo dos efeitos perversos que a sociedade moderna
ocidental sofreu a partir da racionalização da vida. Propunha a “educação sadia”, uma
junção da pedagogia do cultivo com a pedagogia do treinamento, que desenvolvia nas
pessoas valores democráticos e solidários que seriam valores próprios da Modernidade.
A partir da Sociologia da Educação se formularia projetos educacionais que ampliariam o
horizonte das pessoas em torno de valores mais abertos.
A educação tem caráter regenerativo dos efeitos perversos que a sociedade moderna
ocidental sofreu a partir da racionalização da vida. Propunha a “educação sadia”, uma
junção da pedagogia do cultivo com a pedagogia do treinamento, que desenvolvia nas
pessoas valores democráticos e solidários que seriam valores próprios da Modernidade.
A partir da Sociologia da Educação se formularia projetos educacionais que ampliariam o
horizonte das pessoas em torno de valores mais abertos.
Mannheim afirma que a educação social deveria atingir, sobretudo os mais jovens, já que
estes não estão comprometidos com o “status quo”, tem a visão de mundo ainda aberta
Download
Random flashcards
paulo

2 Cartões paulonetgbi

Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Matemática

2 Cartões Elma gomes

Criar flashcards