RELATO DE EXPERIÊNCIA NO CURSO DE FILOSOFIA COM A

Propaganda
RELATO DE EXPERIÊNCIAS NO CURSO DE FILOSOFIA COM A
DISCIPLINA PRÁTICA DE ENSINO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO
MARANHÃO
Marly Cutrim de Menezes
Universidade Federal do Maranhão
1 INTRODUÇÃO
Por muitos anos o estágio foi considerado a parte prática do curso, ou
seja, o “como fazer”, mas estudos têm se desenvolvido, defendendo uma outra postura,
a qual deverá está pautada em aspectos que permita a aproximação do estagiário com a
realidade no qual atuará como docente.
Sabemos que o estágio é muito importante para o processo formativo dos
estagiários e que é uma atividade de ensino, pesquisa e extensão, que tem como
objetivo aplicar, rever e ampliar conhecimentos acerca do exercício da docência,
com a presença do aluno estagiário no cotidiano escolar.
Como professora de prática de ensino do curso de filosofia, sempre
tivemos a preocupação com o desenvolvimento da prática. Devido a estas inquietações
resolvemos buscar caminhos para realizar a referida prática de forma coletiva e
dinâmica junto a escola campo.
Este trabalho relata duas experiências desenvolvidas nas escolas de
ensino fundamental e médio, objetivando dinamizar a metodologia de trabalho junto ao
professor em processo de formação.
2 PRÁTICA DE ENSINO EM FILOSOFIA: UM OUTRO OLHAR
De acordo com as normas específicas, estágio curricular do curso de
Filosofia Licenciatura desenvolve-se em quatro etapas:
- Introdução ao Estágio;
- Treinamento Intensivo;
- Observação analítico-crítica;
- Direção de sala de aula.
2
Iniciamos a disciplina seguindo
as normas estabelecidas e
considerando que o curso de Filosofia é Licenciatura, e que o aluno é um professor em
processo de formação e, sendo necessário, exerce o estágio na escola, ministrando aulas
e observando o meio escolar, tendo oportunidade de desenvolver as atividades propostas
no estágio, ajudando a conhecer mais suas habilidades e aptidões para a carreira de
professor.
No decorrer do estágio, surgiram alguns questionamentos em relação à
disciplina ser desenvolvida apenas na universidade, nas escolas e na sala de aula. Diante
dessa problemática resolvemos desenvolver a disciplina em duas etapas. Primeiramente
com aulas na Universidade e na escola campo, e a outra etapa com desenvolvimento de
projetos em algumas escolas e, de preferência na escola campo.
Antes de desenvolvemos os projetos sobre os temas a serem
trabalhados nas escolas, resolvemos fazer uma pequena pesquisa nas escolas onde
seriam desenvolvidos os projetos, para ficarmos a par da situação de como estava sendo
efetivado o ensino de Filosofia.
Fizemos reuniões com a direção, professores e alunos; depois,
aplicamos um pequeno questionário para os professores e alunos, com objetivos de:
- Detectar o desenvolvimento da disciplina Filosofia nas escolas e a
sua receptividade pelos alunos;
- Observar o método de ensino-aprendizagem da disciplina.
De acordo com as observações nos espaços escolares e o apoio da
direção e professores, iniciamos o desenvolvimento do projeto sobre os temas
escolhidos os quais foram:
- A importância e a necessidade da Filosofia no ensino médio e
fundamental;
- Filosofia Política, uma discussão necessária;
- Ética e cidadania.
O primeiro passo foi a elaboração de projetos, com grupos de seis
alunos para cada tema, tendo como objetivo dar oportunidade ao estagiário para planejar
e executar suas idéias e o seu trabalho, pois o futuro professor deve ter uma ação
eficiente na escola campo. “É necessário que o estágio seja assumido e cada vez mais
trabalhado como um campo de investigação e produção de conhecimento, que precisa
sempre de novos olhares” (LIMA, 2004, p.252).
3
A prática pedagógica desenvolvida contemplou a produção de texto
pautada num duplo significado social de extrema valia para os universitários, por ter
possibilitado a revisão e o aprofundamento de conteúdos de Filosofia estudados
anteriormente, sendo também muito útil para o estudante de ensino médio e
fundamental.
3 DESENVOLVIMENTO DA EXPERIÊNCIA
Elaboramos e estudamos os três temas escolhidos e fizemos as
apresentações nas seguintes escolas:
- Colégio Aboud (Monte Castelo);
- Manoel Beckman (Bequimão);
- Educandário Fênix (Anjo da Guarda);
- Gonçalves Dias (Bairro de Fátima);
- Colégio Edison Lobão (Centro).
O tema de maior discussão para ser desenvolvido foi a Importância do
Ensino da Filosofia no ensino médio e fundamental. A justificativa foi devido a
disciplina ter passado por vários entraves, desde o Brasil colônia até a LDB nº 9.394/96,
que reintroduziu a Filosofia no Ensino médio, porém não a caracteriza objetivamente
como sendo obrigatória no currículo escolar.
Com tantos argumentos e a partir dos resultados das observações
realizadas nas escolas, o grupo sentiu a necessidade da trabalhar o conhecimento
filosófico na estrutura escolar, possibilitando assim o crescimento de adultos
conscientes, participantes e integradores. Objetivando:
- Desmistificar a Filosofia, mostrando aos alunos que o papel dessa
disciplina é o de ajudar pessoas com pensamento crítico, que saibam distinguir
argumentos, fundamentar posições e tomar decisões;
- Instrumentalizar os educandos para a reflexão e a elaboração crítica
da concepção de mundo e superação, oportunizando uma visão integrada com outros
conhecimentos;
- Mostrar a importância da Filosofia, apresentando situações em que
seu conteúdo se faz necessário, considerando-a de suma importância para a
compreensão da sociedade em que vivemos.
4
O tema desenvolvido Filosofia Política, uma discussão necessária,
propôs despertar a consciência política do estudante a partir da reflexão filosófica sobre
a política, resgatando o seu papel de cidadão, de participante na vida pública e,
principalmente, a sua responsabilidade nas questões públicas, usando a expressão da
cidadania ativa. Objetivando:
- Desmistificar a visão comum que se tem de política, como aquela
onde predominam os interesses particulares sobre os coletivos, relacionando a uma falsa
política;
- Mostrar que somente através da conscientização política o homem
saberá a relevância de seus direitos e deveres e da sua atuação enquanto cidadão.
O terceiro tema trabalhado foi Ética e Cidadania. A escola
contemplada foi de ensino fundamental, em um bairro periférico de São Luís.
No momento em que observamos e investigamos a escola e seus
profissionais, surgiram alguns relatos, tais como: falta de limites dos alunos, problema
de relacionamento familiar, drogas, dificuldade de relacionamento com os colegas de
classe, disputas, agressões verbais e até físicas contra colegas e professores.
Diante desses comentários, desenvolvemos o tema teoricamente com
objetivos de:
- Levar aos alunos da escola o debate sobre Ética e Cidadania,
fornecendo subsídios teóricos para a reflexão do mundo e de si próprio, fazendo com o
que o exercício da cidadania não seja apenas uma questão de aprendizagem, mas
também de lutas por condições dignas de vida e educação;
- Sensibilizar os alunos sobre seu papel no mundo, dos valores do ser
e do ter;
- Formar noções básicas de cidadania e solidariedade para que eles
tenham um mundo melhor, adquirindo uma nova consciência ética sobre os principais
problemas atuais.
- Estimular o estudo, o desenvolvimento do respeito e o
estabelecimento de limites para si mesmo, levando-os a ter consciência de si e do
mundo, das relações, do melhor, do que é bom, do que é belo, significando gostar de si
mesmo, aprender a viver melhor, a compreender e a se posicionar no mundo.
“Compreender o mundo, os outros e a si mesmo, bem como as interações entres estes
vários componentes, sendo capaz de intervir estabelecendo o alicerce para a vivência e a
cidadania” (ALARCÃO, 2003, p. 23).
5
Depois dessa experiência, resolvemos trabalhar com outros estagiários
um outro projeto que se justificou devido a Universidade ter feito a inclusão da
Filosofia no processo seletivo do vestibular com a adoção de dois livros.
Resolvemos
trabalhar
as
obras
adotadas,
como
atividade
complementar do estágio, o que foi feito em forma de palestras para os alunos do 3º
ano. A experiência aconteceu no ano de 2004, envolvendo alunos do estágio e
apresentações nas escolas campo.
Como a experiência anterior foi válida e de extrema importância para
os estagiários e os alunos do 3º ano resolvemos, neste ano de 2005, dar continuidade ao
trabalho com obras, expandindo o projeto para mais escolas.
4 CONSIDERAÇÕES
Podemos perceber a importância do desenvolvimento dos projetos,
dando um enriquecimento à nossa prática, oportunizando um maior conhecimento e
construção de um espaço de troca entre estagiários e a comunidade escolar.
Os futuros professores foram envolvidos no planejamento dos projetos
e, logo depois, nas palestras, a partir dos conteúdos de Filosofia previamente discutidos
e analisados à luz das contribuições teóricas e metodológicas, pois a prática não é só
reprodução e manejo de classe, mas também a possibilidade de colocarmos em prática
conhecimentos acumulados. É a autonomia e criatividade dos estagiários durante o
desenvolvimento do projeto, que foi muito gratificante, com resultados positivos, como
uma atividade complementar.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ALARCÃO, Isabel. Professores reflexivos em uma escola reflexiva. 2.ed. São Paulo:
Cortez, 2003.
NOVA LDB. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei nº 9.394/96). Rio de
Janeiro: Dunya Editora, 1997.
PIMENTA, Selma Garrido. Estágio e docência. São Paulo: Cortez, 2004.
_________. O estágio na formação de professores: unidade teoria e prática. São
Paulo: Cortez, 2001.
6
ROSA DALVA, GONÇALVES e LIMA et al […]. Didática e prática de ensino
interfaces com diferentes saberes e lugares formativos. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.
Download
Random flashcards
Anamnese

2 Cartões oauth2_google_3d715a2d-c2e6-4bfb-b64e-c9a45261b2b4

teste

2 Cartões juh16

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Estudo Duda✨

5 Cartões oauth2_google_f1dd3b00-71ac-4806-b90b-c8cd7d861ecc

Criar flashcards