Pediatria - Instituto da Criança

Propaganda
1
Estágios de Complementação
Especializada
2008
Departamento de Pediatria
FMUSP
2
INSCRIÇÕES
Período: de 5 a 21/11/2007
Horário: das 08h00 às 16h00
Local:
Secretaria do CONDEP, 1º. Andar do ICr
Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 647 – 1º. Andar –
Cerqueira César – CEP. 05403-900 – São Paulo - SP
Condições para efetivação da inscrição:
Ficha de inscrição devidamente impressa, preenchida e assinada, em que conste o nome
do estágio pretendido
 2 fotos 3 x 4
 Curriculum Vitae
 cópia (legível) da carteira do CRM
 cópia (legível) do diploma de graduação em Medicina (frente e verso)
 cópia (legível) do diploma (frente e verso) ou declaração de conclusão ou de que está
concluindo Residência Médica na área ou em área mencionada
Obs.: O candidato que não tiver realizado programa de residência médica deverá ter
exercido atividades profissionais em centros médicos, equivalentes a um mínimo de 3.600
horas, ou ter participação ou vinculação com atividades didáticas em instituições
universitárias que ministrem ensino médico, ou ainda, ter realizado curso de especialização
ou aperfeiçoamento na área de pré-requisito do estágio pretendido.
 Pagamento da taxa de inscrição, no valor de R$ 100,00, a ser recolhida a favor da
Fundação Faculdade de Medicina, no Banco do Brasil (001), Agência: 3064-3, Conta
corrente: 105425-2. Essa conta só recebe crédito com 2 códigos identificadores: 1)
CPF (do depositante, ou seja, do inscrito) e 2) CG 21.220 correspondente ao estágio.
MAIORES INFORMAÇÕES: SITE www.icr.hcnet.usp.br

PROVA: DIA 07/01/2008 - LOCAL E HORÁRIO SERÁ INFORMADO OPORTUNAMENTE.
3
Índice
Lista Estágios Oferecidos
Alergia e Imunologia Pediátrica
Endocrinologia Pediátrica
Gastroenterologia Pediátrica
Gastroenterologia, Hepatologia e Nutrição Pediátrica
Genética Pediátrica
Hebiatria
Hepatologia Pediátrica
Infectologia Pediátrica
Nefrologia Pediátrica
Nutrição e Metabologia Pediátrica
Onco-Hematologia Pediátrica
Pediatria Ambulatorial
Pediatria Ambulatorial Nível Secundário
Pediatria Comunitária
Pediatria Geral
Pediatria Neonatal
Pneumologia Pediátrica
Promoção da Saúde, Prevenção de Doenças e Atenção Curativa em Pediatria
Reumatologia Pediátrica
Terapia Intensiva em Pediatria
Toxicologia Pediátrica
Urgências e Emergências em Pediatria
Nº página
10
15
18
24
32
34
38
41
45
49
52
57
60
62
65
67
75
77
80
84
89
92
4
Estágios de Complementação Especializada Oferecidos
2008
Departamento: PEDIATRIA
Estágio ALERGIA E IMUNOLOGIA PEDIÁTRICA
Duração Ano 1 A 2
Vagas 10
Carga Horária 1920 HORAS/ANO
Coordenadora DRA. CRISTINA MIUKI ABE JACOB
Pré-Requisito Residência Médica em Pediatria
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 - Mensalidade - isento
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
Estágio ENDOCRINOLOGIA PEDIÁTRICA
Duração Ano 1 A 2
Vagas 7
Carga Horária 960 HORAS/ANO
Coordenadora PROFA. DRA. NUVARTE SETIAN
Pré-Requisito Residência Médica em Pediatria
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 - Mensalidade 1 Salário Mínimo
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
Estágio GASTROENTEROLOGIA PEDIATRICA
Duração Ano 1 a 2
Vagas 6
Carga Horária 960 HORAS/ANO
Coordenadora DRA. YU KAR LING KODA
Pré-Requisito Residência Médica em Pediatria
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 - Mensalidade 1 Salário Mínimo
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
Estágio GASTROENTEROLOGIA, HEPATOLOGIA E NUTRIÇÃO PEDIATRICA
Duração Ano 1 a 2
Carga Horária 1.920 HORAS/ANO
Coordenadora PROFA. DRA. GILDA PORTA
Pré-Requisito Residência Médica em Pediatria
Vagas 8
5
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 - Mensalidade - isento
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
Estágio GENETICA PEDIATRICA
Duração Ano 1
Vagas 5
Carga Horária 1920 HORAS
Coordenadora DRA. CHONG AE KIM
Pré-Requisito Residência Médica em Pediatria
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 - Mensalidade - isento
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
Estágio HEBIATRIA
Duração Ano 1 a 2
Vagas 3
Carga Horária 960 HORAS/ANO
Coordenadora PROFA. DRA. MARIA IGNEZ SAITO
Pré-Requisito Residência Médica em Pediatria
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 - Mensalidade 1 Salário Mínimo
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
Estágio HEPATOLOGIA PEDIATRICA
Duração Ano 1 a 2
Vagas 2
Carga Horária 1920 HORAS/ANO
Coordenadora PROFA. DRA. GILDA PORTA
Pré-Requisito Residência Médica em Pediatria
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 - Mensalidade isento
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
Estágio INFECTOLOGIA PEDIÁTRICA
Duração Ano 1 a 2
Carga Horária 960 HORAS/ANO
Coordenadora DRA. HELOISA HELENA SOUZA MARQUES
Vagas 6
6
Pré-Requisito Residência Médica em Pediatria
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 - Mensalidade 1 Salário Mínimo
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
Estágio NEFROLOGIA PEDIATRICA
Duração Ano 1 a 2
Vagas 10
Carga Horária 1920 HORAS/ANO
Coordenadora DRA. VERA HERMINA KALIKA KOCH
Pré-Requisito Residência Médica em Pediatria
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 - Mensalidade - isento
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
Estágio NUTRICAO E METABOLOGIA PEDIATRICA
Duração Ano 1
Vagas 1
Carga Horária 960 HORAS
Coordenador DR. ARY LOPES CARDOSO
Pré-Requisito Residência Médica em Pediatria
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 - Mensalidade 1 Salário Mínimo
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
Estágio ONCO-HEMATOLOGIA PEDIATRICA
Duração Ano 1 a 2
Vagas 2 para
Oncologia e 2 para
Hematologia
Carga Horária 1920 HORAS/ANO
Coordenador PROF. DR. VICENTE ODONE FILHO
Pré-Requisito Residência Médica em Pediatria
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 – Mensalidade - isento
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
Estágio PEDIATRIA AMBULATORIAL
Duração Ano 1
Vagas 2
7
Carga Horária 960 HORAS
Coordenador DRA. SANDRA MARIA CALLIOLI ZUCCOLOTTO
Pré-Requisito Residência Médica em Pediatria
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 - Mensalidade 1 Salário Mínimo
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
Estágio PEDIATRIA AMBULATORIAL NIVEL SECUNDARIO
Duração Ano 1
Vagas 2
Carga Horária 960 HORAS
Coordenador PROFA. SANDRA J. FERRAZ ELLERO GRISI
Pré-Requisito Residência Médica em Pediatria
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 - Mensalidade 1 Salário Mínimo
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
Estágio PEDIATRIA COMUNITARIA
Duração Ano 1
Vagas 2
Carga Horária 960 HORAS
Coordenador DR. RENATO MINORU YAMAMOTO
Pré-Requisito Residência Médica em Pediatria
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 - Mensalidade 1 Salário Mínimo
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
Estágio PEDIATRIA GERAL
Duração Ano 1 a 2
Vagas 4
Carga Horária 960 HORAS/ANO
Coordenador DR. LUIZ BELLIZIA NETO
Pré-Requisito Residência Médica em Pediatria
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 - Mensalidade 1 Salário Mínimo
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
Estágio PEDIATRIA NEONATAL
Duração Ano 1 a 2
Vagas 12
8
Carga Horária 960 HORAS/ANO
Coordenadora DRA. LILIAN DOS SANTOS RODRIGUES SADECK
Pré-Requisito Residência Médica em Pediatria
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 - Mensalidade 1 Salário Mínimo
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
Estágio PNEUMOLOGIA PEDIÁTRICA
Duração Ano 1 a 2
Vagas 7
Carga Horária 960 HORAS/ANO
Coordenador DR. JOAQUIM CARLOS RODRIGUES
Pré-Requisito Residência Médica em Pediatria
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 - Mensalidade 1 Salário Mínimo
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
Estágio PROMOCAO DA SAUDE, PREVENCAO DE DOENCAS E ATENCAO CURATIVA
Duração Ano 1
Vagas 2
Carga Horária 960 HORAS
Coordenadora DRA. VIVIANE MANDARINO TERRA
Pré-Requisito Residência Médica em Pediatria
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 - Mensalidade 1 Salário Mínimo
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
Estágio REUMATOLOGIA PEDIATRICA
Duração Ano 1 a 2
Vagas 10
Carga Horária 1920 HORAS/ANO
Coordenador PROF. DR. CLOVIS ARTUR ALMEIDA DA SILVA
Pré-Requisito Residência Médica em Pediatria
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 – Mensalidade - isento
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
Estágio TERAPIA INTENSIVA EM PEDIATRIA
Duração Ano 2
Vagas 9
9
Carga Horária 1920 HORAS/ANO
Coordenador DR. ARTUR FIGUEIREDO DELGADO
Pré-Requisito Residência Médica em Pediatria
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 - Mensalidade - isento
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
Estágio TOXICOLOGIA PEDIÁTRICA
Duração Ano 1
Vagas 2
Carga Horária 960 HORAS
Coordenador DR. ANTHONY WONG
Pré-Requisito Residência Médica em Pediatria
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 - Mensalidade 1 Salário Mínimo
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
Estágio URGENCIAS E EMERGENCIAS EM PEDIATRIA
Duração Ano 1 a 2
Vagas 5
Carga Horária 960 HORAS/ANO
Coordenador DR. CLAUDIO SCHWARTSMAN
Pré-requisito Residência Médica em Pediatria
Taxa de Inscrição 100,00 - Taxa de Matrícula 300,00 - Mensalidade 1 Salário Mínimo
Início 01/02/2008
Maiores Informações 3069-8803 – [email protected]
10
ALERGIA E IMUNOLOGIA PEDIÁTRICA
Coordenadora *  Dra. Cristina Miuki Abe Jacob
Titulação  Doutora
Departamento  Pediatria
Vice-Coordenador *  Dr. Antonio Carlos Pastorino
Titulação  Doutor
Departamento  Pediatria
_____________________________________________________________________
CURSO 1: 12 meses
Pré-requisito –Residência Médica em Pediatria (2 anos) credenciada pela Comissão Nacional
RM e residência de 1 ano em Alergia e Imunologia Pediátricas em serviços credenciados pela
ASBAI/ SBP
Objetivos do Estágio  Complementar conhecimentos sobre Alergia e Imunologia Pediátricas
adquiridos durante o ano atuando em Alergia e Imunologia Pediátrica, com participação em
ambulatórios específicos da Unidade (Alergia alimentar, Infecções de Repetição, Asma grave,
Rinite Alérgica e Dermatite Atópica) e projetos de pesquisa em desenvolvimento na Unidade.
Carga horária – 40 hs/semanais
Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias 
Atendimento clínico supervisionado a pacientes internados ( Enfermaria, Pronto-Socorro e UTI
) ou em seguimento ambulatorial
Atendimento a pacientes do leito dia, recebendo imunobiológicos
Participação nas visitas semanais das Especialidades Pediátricas, com discussão de casos.
Apresentação e discussão de casos designados, em conjunto com equipe multiprofissional.
Participação do ambulatório de Alergia Alimentar da Unidade de Alergia e Imunologia
Participação do ambulatório didático para residentes de segundo ano de Pediatria
Curso de Imunologia Básica desenvolvido na própria unidade , se não foi residente de 3 0 ano da
instituição.
Elaboração e apresentação de seminário em Imunologia Básica e Clinica
Participação nos Ambulatórios de Autoimunidade, Alergia a Drogas, Sensibilização a
Hymenopteros, Asma Ocupacional , Asma Gestante e Dermatites da Disciplina de Alergia e
Imunopatologia do Departamento Clínica Médica da FMUSP.
Participação no ambulatório de Otorrinolaringologia do Departamento de ORL - HCFMUSP
Participação no Laboratório de Prova de Função Pulmonar na Unidade de Pneumologia do
ICrHCFMUSP.
Treinamento e realização de testes alérgicos e administração de hipossensibilização específica
na Unidade.
.
11
Participação em Projetos de Pesquisa em Desenvolvimento na Unidade.
Seminários (programa e carga horária) 



Preparo e realização dos seminários, sob supervisão de um assistente da unidade, sobre
temas de Imunologia Básica , Imunologia Clínica e Alergia 2 horas semanais no primeiro ano
de complementação especializada
Preparo e realização dos seminários relacionados a temas básicos da especialidade,
realizados sob supervisão, com duração de 2 horas semanais, no segundo ano de
complementação especializada.
Preparo e apresentação de temas de atualização da especialidade, realizados sob
supervisão, com duração de 2 horas semanais, no segundo ano de complementação
especializada.
Leitura de artigos científicos com ênfase à metodologia científica empregada

.
Outras Atividades Programadas (descrição) 
Participação de reuniões conjuntas com outras especialidades Pediátricas.
Atividades Optativas  Na dependência do interesse do estagiário, este poderá desenvolver
atividades optativas em serviços relacionados à especialidade, como estágio em laboratórios de
Imunologia de serviços universitários, que desenvolvam cooperação com a Unidade, inclusive no
exterior.
Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) Já
descritos
Trabalho de Campo (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Já descritos
CURSO 2: 24 meses
Pré-requisito : Residência Médica em Pediatria (2 anos) credenciada pela Comissão Nacional
RM
Carga horária – 40horas / semanais
Objetivos do Estágio  Ampliar conhecimentos sobre Imunologia (básica e clínica) e Alergia,
com noções sobre epidemiologia das doenças alérgicas, diagnóstico, prevenção, qualidade de
vida e tratamento, incluindo estratégias de controle ambiental .
Habilitar o complementando para epidemiologia, diagnóstico precoce e tratamento das
principais imunodeficiências primárias e secundárias da infância.
Fornecer as noções básicas das principais técnicas laboratoriais relacionadas à especialidade.
Possibilitar a participação em projetos de pesquisa na área de Alergia e Imunologia Pediátricas.
Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias 
12
Atendimento clínico supervisionado a pacientes internados ( Enfermaria, Pronto-Socorro e UTI
) ou em seguimento ambulatorial
Atendimento a pacientes do leito dia, recebendo imunobiológicos
Participação nas visitas semanais das Especialidades Pediátricas, com discussão de casos.
Apresentação e discussão de casos designados, em conjunto com equipe multiprofissional.
Participação do ambulatório de Alergia Alimentar da Unidade de Alergia e Imunologia, no
segundo ano de estágio
Participação do ambulatório didático para residentes de segundo ano de Pediatria
Curso de Imunologia Básica desenvolvido na própria unidade
Elaboração e apresentação de seminário em Imunologia Básica e Clinica
Participação nos Ambulatórios de Autoimunidade, Alergia a Drogas, Sensibilização a
Hymenopteros, Asma Ocupacional , Asma Gestante e Dermatites da Disciplina de Alergia e
Imunopatologia do Departamento Clínica Médica da FMUSP.
Participação no ambulatório de Otorrinolaringologia do Departamento de ORL - HCFMUSP
Participação no Laboratório de Prova de Função Pulmonar na Unidade de Pneumologia do
ICrHCFMUSP.
Treinamento e realização de testes alérgicos e administração de hipossensibilização específica
na Unidade.
Participação em Projetos de Pesquisa em Desenvolvimento na Unidade.
Seminários (programa e carga horária) 
 Preparo e realização dos seminários, sob supervisão de um assistente da unidade, sobre
temas de Imunologia Básica , Imunologia Clínica e Alergia 2 horas semanais no primeiro ano
de complementação especializada
 Preparo e realização dos seminários relacionados a temas básicos da especialidade,
realizados sob supervisão, com duração de 2 horas semanais, no segundo ano de
complementação especializada.
 Preparo e apresentação de temas de atualização da especialidade, realizados sob
supervisão, com duração de 2 horas semanais, no segundo ano de complementação
especializada.
Outras Atividades Programadas (descrição) 
Participação em curso anual realizado em conjunto com as unidades de Pneumologia,
Infectologia e Reumatologia, sobre temas comuns e estas especialidades.
Participação nas reuniões conjuntas com a disciplina de Alergia e Imunopatologia da Disciplina
de Clínica Médica da FMUSP, durante estágio nesta disciplina .
As atividades serão distribuídas em forma de complexidade crescente, nos dois anos de
estágio, sob supervisão dos assistentes da Unidade e cada estagiário será avaliado quanto à
possibilidade de participação de projetos de pesquisa.
Participação nos cursos e jornadas elaboradas pela própria unidade, sendo pelo menos dois /ano
13
Participação como ouvinte no curso de pós graduação da unidade
Atividades Optativas  Na dependência do interesse do estagiário, este poderá desenvolver
atividades optativas em serviços relacionados à especialidade, como estágio em laboratórios de
Imunologia de serviços universitários, que desenvolvam cooperação com a Unidade, inclusive no
exterior.
Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão)
Já descritos
Trabalho de Campo (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Carga Horária Total dos Cursos
Curso 1 -
12 meses - 1920 horas incluindo visitas fins de semana e
feriados
Curso 2-
24 meses – 3840 horas incluindo visitas fins de semana
e feriados
Pré-requisitos  Curso 1 -
Curso 2 -
12 meses: Residência Médica em Pediatria (2 anos) credenciada
pela Comissão Nacional RM e/ou Estágio equivalente, com o 3º
ano de Residência na área de atuação de Alergia e Imunologia
em serviço Pediátrico
24 meses: Residência Médica em Pediatria (2 anos) credenciada
pela Comissão Nacional RM
Forma(s) de Seleção de ambos cursos  Prova Escrita + Entrevista + Análise de Currículo
Forma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final de ambos cursos
Avaliação de Freqüência (mínima de 85%), responsabilidade, comportamento ético com
pacientes/familiares e Equipe, Interesse e Participação nas atividades designadas e
preparação
de artigo para publicação, sob supervisão de um assistente da Unidade,
previamente designado. Avaliação formativa durante o estágio
Isento de mensalidade
Número de Vagas (mínimo e máximo) 
vagas
12 meses - 3 (três) vagas /24 meses – 7 (sete)
14
Bibliografia 
Immunologic disorders in infants and children Stiehm, ER. 4 th ed. - WB Saunders Company
Immunogiology - Charles Janeway/Paul Travers/Mark Walport - 4º edition - Churchill
Livingstone
Journal Allergy Clinical Immunology
Immunology and Allergy Clinics of North America
Revista da Sociedade Brasileira de Alergia e Imunopatologia
Lista de Colaboradores (indique: nome, titulação ou qualificação, instituição, atividade a
ser desenvolvida por ele e justificativa) 
Dra. Cristina Miuki Abe Jacob - Doutora e Chefe de Unidade – Coordenação Geral + supervisão
atividades assistenciais, orientação de projetos de pesquisa e publicações.
Dr. Antonio Carlos Pastorino – Doutor e Assistente unidade – Supervisão atividades
assistenciais e seminários, orietação de projetos de pesquisa e publicações
Dra. Ana Paula Beltran Moschione Castro - Mestre e assistente unidade – Supervisão
atividades assistenciais e seminários. Supervisão seminários Imunologia e Alergia
Dra. Angela Ferraz Fomin - Mestre e assistente unidade – Supervisão atividades assistenciais
e seminários e responsável pela organização dos estágios externos
15
ENDOCRINOLOGIA PEDIÁTRICA
Coordenadora * 
Titulação 
Departamento 
Profª. Dra. Nuvarte Setian
Professora Associada Aposentada
Departamento de Pediatria da FMUSP
Vice-Coordenadora * 
Titulação 
Departamento 
Dra. Thais Della Manna
Doutora
Departamento de Pediatria da FMUSP
____________________________________________________________________
Objetivos do Estágio 
Estimular o estudo da especialidade promovendo reuniões
científicas, discussões de casos, visita à Enfermaria, atendimento ambulatorial
Área Cognitiva:
Saber, os fundamentos da Endocrinologia, fisiologia, clínica, atendimento à criança e
adolescente com problemas endocrinológicos. Diagnosticar e saber tratar. Mobilizar recursos
laboratoriais quando necessários.
· Saber fazer anamnese e exame clínico.
· Saber utilizar e analizar curvas de crescimento e de velocidade de crescimento.
· Saber avaliar estádios puberais
· Participar do atendimento psicológicos, acompanhar cirurgias.
· Saber realizar a interpretar os testes hormonais.
Área Psicomotora:
· Realizar testes hormonais. Adquirir o conhecimento sobre os procedimentos técnicos mais
comuns.
· Acompanhar as dosagens laboratoriais para um possível conhecimento das técnicos mais
comuns.
Área Afetiva:
· Entender a criança, o adolescente e seus pais dentro de um contexto biopsicossocial.
· Entender o paciente dentro dos critérios globais de atendimento e jamais apenas o da
visão de uma glândula isolada.
· Solicitar a participação dos pais e procurar dar explicações simples e objetivas,
principalmente em assuntos difíceis como os da anomalia da diferenciação sexual.
1.
a)
b)
c)
d)
e)
Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias 
Atendimento ambulatorial.
Realização de testes hormonais
Participação das Reuniões Clínicas das quartas-feiras.
Participação das Reuniões do Grupo de Endocrinologia Pediátrica.
Estudos de prontuários para uma discussão prévia sempre que necessário.
16
a)
b)
c)
d)
e)
f)
g)
h)
i)
j)
Conteúdo Pragmático:
Anomalias do crescimento
Doenças hipotálamo-hipofisárias
Tireóide
Supra-renais
Anomalias da diferenciação sexual
Criptorquídia
Anomalias puberais
Diabetes melito
Hipoglicemias
Obesidades hormonais
1.1 Seminários (programa e carga horária) 
1.2 Outras Atividades Programadas (descrição)  Atividades Didáticas
*Curriculum Vitae em formulário próprio
2. Atividades Optativas  Visitas e atendimento em regime de Plantões: fins de semana e
feriados. Cobertura de atendimento à Especialidades.
3. Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
4. Trabalho de Campo (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Carga Horária Total 
12 meses - 960 horas incluindo plantões diurnos de 12 horas a
cada 15 dias na Unidade de Endocrinologia.
ou
24 meses - 1920 horas incluindo plantões diurnos de 12 horas
a cada 15 dias na Unidade de Endocrinologia.
Duração do Estágio  12 meses ou 24 meses
Período do Estágio 
01/02/2008
Pré-requisito 
24 meses: Residência Médica em Pediatria (2 anos) credenciada
pela Comissão Nacional e MEC e/ou Estágio equivalente
ou
17
12 meses: Residência Médica em Pediatria (3 anos) credenciada
pela Comissão Nacional e MEC e/ou Estágio equivalente, com o
3º ano de Residência na área de atuação de Endocrinologia.
_____________________________________________________________________
Forma(s) de Seleção 
Prova e Entrevista
Mensalidade 
um salário mínimo
Número de Vagas (mínimo e máximo) 
12 meses – 2 (duas) vagas
24 meses – 5 (cinco) vagas
Forma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final 
· Freqüência mínima de 80%
· Estágio supervisionado
· Avaliação formal das disciplinas
·
·
·
·
·
·
·
Assiduidade
Pontualidade
Relacionamento com pacientes e familiares
Relacionamento com os colegas, com a equipe médica e de saúde
Capacidade de trabalho
Equilíbrio emocional
Desempenho Profissional
Bibliografia 
Lista de Colaboradores (indique: nome, titulação ou qualificação, instituição, atividade a ser
desenvolvida por ele e justificativa) 
Durval Damiani (Professor Livre Docente);
Vaê Dichtchekenian (Doutor em Pediatria);
Thais Della Manna (Mestre em Pediatria);
Hilton Kuperman (Mestre em Pediatria);
18
GASTROENTEROLOGIA PEDIATRICA
Coordenadora * 
Titulação 
Departamento 
DRA. YU KAR LING KODA
Doutora em Pediatria
Departamento de Pediatria da FMUSP
____________________________________________________________________
Objetivos gerais :
1.
Ampliar e atualizar o conhecimento do estagiário na área específica de Gastroenterologia
Pediátrica, capacitando-o a reconhecer as principais doenças gastrointestinais;
2. Prepará-lo para o atendimento dos pacientes portadores de doenças gastrointestinais como
um todo evitando a visão parcial do especialista;
3. Prepará-lo para a correta utilização e interpretação dos testes diagnósticos existentes
assim como a adequada utilização dos recursos terapêuticos disponíveis;
4. Orientá-lo em relação à postura ética frente aos pacientes e seus familiares, ao bom
relacionamento médico-paciente-familiares assim como ao bom relacionamento com outros
profissionais.
Objetivos específicos:
Ao final do estágio, o complementando deverá :
1.
2.
3.
4.
5.
6.
7.
8.
9.
10.
11.
Estar familiarizado com as principais doenças gastrointestinais que atingem os pacientes
pediátricos em nosso meio, conhecendo as peculiaridades clínicas de cada uma delas e os
aspectos mais relevantes para o estabelecimento de seu diagnóstico;
Estar habilitado a inquirir ativamente durante a anamnese por dados de história que
possam sugerir a hipótese diagnóstica de etiologia gastroenterológica para a queixa do
paciente e que sejam relevantes para o estabelecimento dos possíveis diagnósticos
diferenciais;
Estar orientado, durante o exame físico da criança, no sentido de aprimorar sua
capacidade de procurar e identificar alterações sugestivas de distúrbios gastrointestinais;
Saber estabelecer os diagnósticos diferenciais;
Saber indicar os exames complementares necessários para o elucidamento diagnóstico;
Saber interpretar os resultados dos exames laboratoriais pertinentes;
Saber indicar o tratamento adequado das diferentes doenças gastrointestinais;
Saber valorizar a orientação dietética como medida terapêutica importante nas diversas
patologias digestivas;
Saber programar a nutrição via oral, enteral e/ou parenteral para as crianças necessitadas;
Estar habilitado a realizar biópsias retal e jejunal, pHmetria esofágica, manometria
esofágica e manometria ano-retal, provas de absorção de açúcares, coprologia funcional,
prova de absorção de gordura e prova do H2 expirado;
Ter melhorado sua capacidade de conviver com a própria ansiedade em relação às doenças,
em especial em relação àquelas onde as possibilidades terapêuticas são muito limitadas ou
inexistentes, ou ainda em relação às doenças sabidamente sequelantes;
19
12. Saber, através do conhecimento aprofundado dos aspectos evolutivos e prognósticos
destas afecções, transmitir as informações pertinentes para os familiares e assim
desenvolver habilidades para o aprimoramento da relação médico-paciente;
13. Saber manter um bom relacionamento com as equipes médica e não médica que integram a
unidade de gastroenterologia;
14. Valorizar esta conduta como parte integrante de assistência à criança.
1. Atividades teórico-práticas obrigatórias :
1.1 Seminários
Carga horária : 2x/semana
Programa
 S. de má-absorção intestinal
 Constipação intestinal crônica
 Doença péptica
 Doença do refluxo gastroesofágico
 Doença celíaca
 Doença inflamatória crônica intestinal
 Alergia alimentar
 Diarréia crônica
 Incontinência fecal
 Enteropatia perdedora de proteínas
 Distúrbios da deglutição
 Imunologia das doenças gastroenterológicas
 Motilidade digestiva em pediatria
 Investigação em doenças gastroenterológicas
 Endoscopia digestiva alta e baixa
 pHmetria esofágica prolongada
 Manometria esofágica
 Manometrica ano-retal
 Tratamento dietético das doenças gastroenterológicas
 Indicações cirúrgicas em doenças gastroenterológicas
1.2. Reuniões/cursos/eventos
O complementando deverá
1.2.1. Participar das Reuniões Clínicas da Unidade de Gastroenteroliga realizadas em conjunto
com as seguintes disciplinas :
- Disciplina de Cirurgia Infantil do Instituto da Criança;
- Disciplina de Anatomia Patologica da FMUSP;
- Disciplina de Radiologia;
- Disciplina de Higiene Mental;
20
1.2.2.
1.2.3.
Participar e/ou desenvolver seminários, aulas, etc da Unidade de Gastroenterologia
Freqüentar obrigatoriamente os cursos e eventos organizados pela Unidade de
Gastroenterologia.
1.3. Estágios em serviço:
O complementando fará os seguintes estágios, sempre sob supervisão de assistentes da
Unidade
1.3. 1. Ambulatório (6x/semana)
- Preparo prévio (analisar e discutir com assistente) dos casos que serão atendidos durante a
semana;
- Atendimento aos pacientes, onde as atividades serão assistenciais, nos seguintes períodos
Segundas-feiras (manhã) – Epidermólise Bolhosa
Segundas-feiras (tarde) - Doença Inflamatória Intestinal
Terças-feiras (manhã) – Doença Celíaca
Sextas-feiras (manhã) – Alergia Alimentar
Quartas-feiras (tarde) – Doenças Pépticas
Quintas-feiras (tarde) - Motilidade Digestiva
Quintas-feiras (tarde) – Ambulatório Didático
- Reuniões onde se discutem o andamento dos protocolos já existentes e/ou a
elaboração de novos (um período/15 dias);
- Levantamento de casos da Unidade de Gastroenterologia para análise de Casuísticas e
futuras publicações (um período/semana).
1.3. 2. Enfermaria
 Dar assistência aos pacientes internados nos leitos da Unidade de Gastroenterologia e nos
de outras Unidades quando for solicitada a assessoria da Unidade de Gastroenterologia;
 Realizar os procedimento que se fizerem necessários nos pacientes internados;
 Freqüentar as visitas semanais realizadas pela Unidade de Gastroenterologia, participando
ativamente das discussões;
 Freqüentar as visitas semanais realizadas junto com todas as Especialidades e os
residentes de enfermaria;
 Atender as solicitações de consulta de outras Unidades do Instituto da Criança e/ou
Áreas do Complexo HC;
 Visitar, nos finais de semana e nos feriados, em escala de rodízio, os pacientes da Unidade
de Gastroenterologia internados na enfermaria, sendo que nestas ocasiões haverá sempre
um assistente designado para ajudá-lo em suas dúvidas no local ou à distância.
1.3. 3. Laboratório e procedimentos diagnósticos
21
O complementando deverá participar do treinamento dos seguintes procedimentos diagnósticos
realizados pela Unidade de Gastroenterologia:









Biópsia retal (1-2 vezes/semana);
Biópsia jejunal (1-2 vezes/semana);
Provas de absorção da d-xilose, de triglicérides, de dissácarides (lactose, sacarose,
maltose) e de monossácarides ( glicose, galactose e frutose) (1-2 vezes/semana);
pHmetria esofágica de 24 horas (2-3 vezes/semana);
Manometria esofágica (1-2 vez/semana);
Manometria ano-retal (1-2 vez/semana);
Prova do H2 expirado (1-2 vez/semana);
Coprologia funcional (1-2 vezes/semana);
Endoscopia digestiva alta e baixa (estágio no setor de Endoscopia Infantil )
1.3.4. Estágios - Endoscopia digestiva alta e baixa
O complementando fará estágio às 3ª feiras e 5ª feiras (período da tarde) no Serviço de
Endoscopia Digestiva onde deverá acompanhar as endoscopias digestivas altas e baixas
realizadas nos pacientes da Unidade de Gastroenterologia
2. Trabalho de campo
2.1. Plantões:
Plantões de 12 horas, a cada 15 dias, dentro das 20 horas semanais e que deverão ser
realizados na própria área de estágio.
RESUMO
Carga Horária Total  960 horas ou 1920 horas
Duração do Estágio
O estágio poderá ser de
- 12 meses ( 960 horas) incluindo plantões diurnos de 12 horas a cada 15 dias na Unidade ou
- 24 meses ( 1920 horas) incluindo plantões diurnos de 12 horas a cada 15 dias na Unidade.
Pré-requisito

Para estágio de 12 meses, 3 anos de Residência Médica em Pediatria credenciada pela
Comissão Nacional e MEC e/ou Estágio equivalente com o 3º ano de Residência na área de
atuação em Gastroenterologia.
22

Para estagio de 24 meses, 2 anos de Residência Médica em Pediatria credenciada pela
Comissão Nacional e MEC e/ou Estágio equivalente
Forma (s) de Seleção 
Prova escrita; entrevista e análise do Curriculum
Mensalidade  um salário mínimo
Número de vagas

Programa de 12 meses – 02 (três) vagas

Programa de 24 meses – 4 (seis) vagas sendo 2 no período da manhã e 2 no período da
tarde
Forma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final
Os complementandos serão avaliados ao longo e ao final do seu estágio:
· Pela assiduidade (freqüência mínima de 90%)
· Pela pontualidade nas diversas atividades;
· Pelo cumprimento das tarefas atribuídas; pela competência e eficiência demonstradas nos
deveres; pela postura ética frente aos pacientes e seus familiares;
· Pela evolução em relação aos conhecimentos adquiridos, à capacidade de elaboração de
hipóteses diagnósticas e ao estabelecimento de condutas nas diversas doenças
gastroenterológicas
· Pela elaboração de uma monografia e/ou pesquisa que deverá ser entregue até o final do
estágio, em formato para publicação.
A avaliação será semestral sendo que o complementando poderá ser dispensado do estágio, a
qualquer momento, caso a sua atuação deixar muito a desejar ou que tenha cometido conduta
grave que o desabone.
Bibliografia
1.
Altschuler S.M.; Liacouras C.A. Clinical Pediatric Gastroenterology. Churchill Livingstone.
1998.
2. Barbieri D & Koda YKL. Diarréia Crônica. Sarvier. 1986
3. Barbieri D & Koda YKL. Doenças Gastroenterológicas em Pediatria. Atheneu. 1996..
4. Delvin E.E.; Lentze M.J. Gastrointestinal functions. Nestlé Nutrition workshop Series.
Pediatric Program Volume 46. Lippincott Williams & Wilkins. 2001.
5. Hyman P.E; Lorenzo C.D. Pediatric Gastrointestinal
Professional Information Services, Inc. 1994.
Motility
Disorders. Academy
6. Koda YKL, Barbieri D. Diarréia Crônica. In: Marcondes E, Leone C, Oselka GW, Corradini
HB, eds. Roteiros Diagnósticos em Pediatria. São Paulo: Sarvier, 137, 1987.
23
7. Koda YKL. Refluxo Gastroesofágico. In : Grisi S, Escobar AM, eds. Prática Pediátrica. São
Paulo, Atheneu 2001.
8. Koda YKL. Úlcera péptica. In : Grisi S, Escobar AM, eds. Prática Pediátrica. São Paulo,
Atheneu 2001.
9. Koda YKL. pHmetria esofágica prolongada. Utilização em Pediatria. In : Nasi A, Michelsohn
NH. eds. Avaliação Funcional do Esôfago. São Paulo, Roca, 2001. p.295.
10. Koda YKL. Fisiologia Digestiva. In : Feferbaum R, Falcão MC. eds. Nutrição do Recémnascido. São Paulo, Atheneu 2002. p. 33
11. Marcondes E. ed. Pediatria Básica. 8edição. Volume 2. São Paulo, Sarvier, 1991.
12. Polak J.M.; Wright N.A.; Bloom S.R.; Butler A.G. Basic Science in Gastroenterology.
Diseases of the Gut. Page Bros (Norwich) Ltd. 1986.
Lista de Colaboradores (indique: nome, titulação ou qualificação, instituição, atividade a ser
desenvolvida por ele e justificativa)
Yu Kar Ling Koda
Titulação/Qualificação : Chefe da Unidade de Gastroenterologia; Doutora em Pediatria
pela FMUSP;
Prof. Colaboradora da FMUSP; Prof. de Pós-Graduação da FMUSP – área de concentração :
Pediatria.
Atividades : Didáticas, assistenciais e de pesquisa
Eliana Vidolin
Titulação/Qualificação : Médica assistente ; Mestre em Ciências pela FMUSP
Atividades : Didáticas, assistenciais e de pesquisa
Marcos Jiro Ozaki
Titulação/Qualificação : Médico assistente
Atividades : Didáticas, assistenciais e de pesquisa
Renato C. Mattar
Titulação/Qualificação : Médico assistente
Atividades : Didáticas, assistenciais e de pesquisa
24
GASTROENTEROLOGIA, HEPATOLOGIA E NUTRIÇÃO
PEDIÁTRICA
Coordenador - Profª. Dra. Gilda Porta
Titulação -
Livre Docente
Departamento - Pediatria
Vice-Coordenador - Dr. Ary Lopes Cardoso
Titulação - Doutor
Departamento - Pediatria
_____________________________________________________________________
CURSO : 12 meses
Pré-requisito : Residência Médica em Pediatria (2 anos) credenciada pela Comissão Nacional
RM e estágio/residência em gastroenterologia,hepatologia, nutrição credenciado pela SBP
Carga horária – 40horas / semanais
Objetivos do Estágio
1.
Ampliar conhecimentos sobre Gastroenterologia, Hepatologia e Nutrição, com noções
sobre doenças do aparelho digestório quanto ao diagnóstico, prevenção e tratamento.
2. O complementando deverá participar do treinamento dos seguintes procedimentos
diagnósticos, e interpretá-los
Biópsia hepática – 1 a 2 vezes por semana
Biópsia jejunal/ retal (1-2 vezes/semana);
Provas de absorção da d-xilose, de triglicérides, de dissácarides (lactose, sacarose,
maltose) e de monossácarides ( glicose, galactose e frutose) (1-2 vezes/semana);
pHmetria esofágica de 24 horas (2-3 vezes/semana);
Manometria esofágica/ ano-retal (1-2 vez/semana);
Prova do H2 expirado (1-2 vez/semana);
Coprologia funcional (1-2 vezes/semana);
Endoscopia digestiva alta e baixa - 3ª feiras e 5ª feiras (período da tarde) no Serviço
de Endoscopia Digestiva
3. Habilitar o complementando no diagnóstico, seguimento e tratamento de doenças
metabólicas hepáticas
4. Ampliar conhecimentos em nutrologia em hospital terciário – quanto ao diagnóstico,
avaliação clínica, laboratorial, terapia nutricional
25
5. Orientação em relação à postura ética frente aos pacientes e seus familiares, ao bom
relacionamento médico-paciente-familiares assim como ao bom relacionamento com
outros profissionais
6. Possibilitar a participação em projetos de pesquisa na área de Gastroenterologia,
Hepatologia e Nutrição
Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias
1. Atendimento clínico supervisionado a pacientes internados ( Enfermaria, ProntoSocorro e UTI ) ou em seguimento ambulatorial
2. Participação do ambulatório de doença inflamatória intestinal
3. Atendimento a pacientes do leito dia, recebendo enzimas de reposição
4. Participação nas visitas semanais das Especialidades Pediátricas, com discussão de
casos
5. Participação nas visitas semanais da nutrologia nas enfermarias das Especialidades
Pediátricas,neonatologia, cirurgia pediátrica, UTI
6. Participação das Reuniões Clínicas da Unidade de Gastroenterologia, Hepatologia e
Nutrição realizadas em conjunto com as seguintes disciplinas :
Disciplina de Cirurgia Infantil do Instituto da Criança;
Disciplina de Anatomia Patologica da FMUSP;
Disciplina de Radiologia;
Disciplina de Higiene Mental
7. Apresentação e discussão de casos designados, em conjunto com a equipe
multiprofissional.
8. Participação do ambulatório didático para residentes de segundo ano de Pediatria
9. Seminários semanais alternando temas de Gastroenterologia, Hepatologia e Nutrição
10. Participação das reuniões científicas às 6as feiras
11. Participação das reuniões do Grupo de Suporte Nutricional às 5as feiras
12. Participação em Projetos de Pesquisa em Desenvolvimento na Unidade.
13.Preparo dos prontuários que serão atendidos no ambulatório
Seminários (programa e carga horária)
 Preparo e realização dos seminários, sob supervisão de um assistente da unidade,
sobre temas de Gastroenterologia, Hepatologia e Nutrição- 2 horas semanais durante
1 ano de complementação
1 Apresentação de temas de atualização da especialidade, realizados sob supervisão, com
duração de 2 horas semanais.
Outras Atividades Programadas
Participação nas reuniões conjuntas com o Departamento de Anatomia Patológica ,
Gastroenterologia da Disciplina de Clínica Médica da FMUSP, durante estágio nesta disciplina .
26
As atividades serão distribuídas em forma de complexidade crescente, nos dois anos de
estágio, sob supervisão dos assistentes da Unidade e cada estagiário será avaliado quanto à
possibilidade de participação de projetos de pesquisa.
Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão)
 Preparo prévio (analisar e discutir com assistente) dos casos que serão atendidos
durante a semana;
 Atendimento aos pacientes, onde as atividades serão assistenciais, nos seguintes
períodos
Segundas-feiras (manhã) – Gastro. Hepato
Segundas-feiras (tarde) - Gastro
Terças-feiras (manhã) – Gastro, Hepato, Nutrição
Terças-feiras tarde- Endoscopia
Quartas-feiras (tarde) – Gastro
Quintas-feiras ( manhã)- procedimentos
Quintas-feiras (tarde) - Ambulatório didático
Quintas-feiras (tarde)- reunião com a Disciplina da Gastroenterologia do
Departamento de Clínica Médica – 16:00- 18:00 hs
Sextas-feiras (manhã) – procedimentos, Hepato
CURSO : 24 meses
Pré-requisito : Residência Médica em Pediatria (2 anos) credenciada pela Comissão Nacional
RM
Carga horária – 40horas / semanais
Objetivos do Estágio
7. Ampliar conhecimentos sobre Gastroenterologia, Hepatologia e Nutrição, com noções
sobre doenças do aparelho digestório quanto ao diagnóstico, prevenção e tratamento.
8. O complementando deverá participar do treinamento dos seguintes procedimentos
diagnósticos, e interpretá-los
Biópsia hepática – 1 a 2 vezes por semana
Biópsia retal (1-2 vezes/semana);
Biópsia jejunal (1-2 vezes/semana);
Provas de absorção da d-xilose, de triglicérides, de dissácarides (lactose, sacarose,
maltose) e de monossácarides ( glicose, galactose e frutose) (1-2 vezes/semana);
pHmetria esofágica de 24 horas (2-3 vezes/semana);
Manometria esofágica (1-2 vez/semana);
Manometria ano-retal (1-2 vez/semana);
Prova do H2 expirado (1-2 vez/semana);
Coprologia funcional (1-2 vezes/semana);
Endoscopia digestiva alta e baixa - 3ª feiras e 5ª feiras (período da tarde) no Serviço
de Endoscopia Digestiva
27
9. Habilitar o complementando no diagnóstico, seguimento e tratamento de doenças
metabólicas
10. Orientação em relação à postura ética frente aos pacientes e seus familiares, ao bom
relacionamento médico-paciente-familiares assim como ao bom relacionamento com
outros profissionais
11. Possibilitar
a
participação
em
projetos
de
pesquisa
na
área
de
Gastroenterologia,Hepatologia e Nutrição
Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias
1. Atendimento clínico supervisionado a pacientes internados ( Enfermaria, ProntoSocorro e UTI ) ou em seguimento ambulatorial
2. Participação do ambulatório de doença inflamatória intestinal
3. Atendimento a pacientes do leito dia, recebendo enzimas de reposição
4. Participação nas visitas semanais das Especialidades Pediátricas, com discussão de
casos.
5. Participação nas visitas semanais da nutrologia nas enfermarias das Especialidades
Pediátricas,neonatologia, cirurgia pediátrica, UTI
6. Participação das Reuniões Clínicas da Unidade de Gastroenterologia, Hepatologia e
Nutrição realizadas em conjunto com as seguintes disciplinas :
1. Disciplina de Cirurgia Infantil do Instituto da Criança;
2. Disciplina de Anatomia Patologica da FMUSP;
3. Disciplina de Radiologia;
4. Disciplina de Higiene Mental
7. Apresentação e discussão de casos designados, em conjunto com a equipe
multiprofissional.
8. Participação do ambulatório didático para residentes de segundo ano de Pediatria
9. Seminários semanais alterando temas de gastroenterologia, hepatologia e nutrição
10. Participação das reuniões do Grupo de Suporte Nutricional às 5as feiras
11. Participação das reuniões do Grupo de Suporte Nutricional às 5as feiras
12. Participação das reuniões científicas às 6as feiras
13. Participação em Projetos de Pesquisa em Desenvolvimento na Unidade.
14. Preparo dos prontuários que serão atendidos no ambulatório
Seminários (programa e carga horária)
2 Preparo e realização dos seminários, sob supervisão de um assistente da unidade, sobre
temas de Gastroenterologia, Hepatologia e Nutrição- 2 horas semanais durante 2 anos de
complementação
3 Apresentação de temas de atualização da especialidade, realizados sob supervisão, com
duração de 2 horas semanais, no segundo ano de complementação especializada.
Outras Atividades Programadas
28
Participação em curso anual realizado pela associação paulista para estudo do fígado sobre
temas de fígado.
Participação nas reuniões conjuntas com o departamento de anatomia patológica ,
Gastroenterologia da Disciplina de Clínica Médica da FMUSP, durante estágio nesta disciplina .
As atividades serão distribuídas em forma de complexidade crescente, nos dois anos de
estágio, sob supervisão dos assistentes da Unidade e cada estagiário será avaliado quanto à
possibilidade de participação de projetos de pesquisa.
Atividades Optativas - Na dependência do interesse do estagiário, este poderá desenvolver
atividades optativas em serviços relacionados à especialidade, como estágio em laboratórios ,
que desenvolvam cooperação com a Unidade, inclusive no exterior.
Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão)
 Preparo prévio (analisar e discutir com assistente) dos casos que serão atendidos
durante a semana;
 Atendimento aos pacientes, onde as atividades serão assistenciais, nos seguintes
períodos
Segundas-feiras (manhã) – Gastro. Hepato
Segundas-feiras (tarde) - Doença Inflamatória Intestinal
Terças-feiras (manhã) – Gastro, Hepato
Terças-feiras (tarde)- Endoscopia
Quartas-feiras (tarde) – Gastro
Quintas feiras( manhã)- procedimentos
Quintas-feiras (tarde) - Ambulatório didático
Quintas-feiras (tarde)- reunião com a Disciplina da Gastroenterologia do
Departamento de Clínica Médica – 16:00- 18:00 hs
Sextas-feiras (manhã) – Procedimentos,Hepato
Trabalho de Campo
Carga Horária Total dos Cursos
Duração do Estágio


O estágio poderá ser de
12 meses (1920 hs)- carga horária 40 horas/semana
24 meses (3840 hs) carga horária 40 horas/semana incluindo visitas fins de semana e
feriados
Pré-requisito
29

Para estágio de 12 meses- 2 anos de Residência Médica em Pediatria credenciada pela
Comissão Nacional e MEC e/ou Estágio equivalente com o 3º ano de Residência na área de
atuação em Gastroenterologia, Hepatologia e Nutrição

Para estagio de 24 meses- 2 anos de Residência Médica em Pediatria credenciada pela
Comissão Nacional e MEC e/ou Estágio equivalente
Forma(s) de Seleção de ambos cursos - Entrevista + Análise de Currículo
Norma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final de ambos cursos
1.
Avaliação de Freqüência (mínima de 85%), responsabilidade, comportamento ético com
pacientes/familiares e Equipe, Interesse e Participação nas atividades designadas
2. Preparação de artigo para publicação, sob supervisão de um assistente da Unidade,
previamente designado.
Isento de mensalidade
Número de Vagas (mínimo e máximo) –
mínimo 4 ( quatro)
máximo 8 (oito)
Bibliografia
Liver Disease in Children, 2007 Frederick J Suchy , Ronald J Sokol , William F Balistreri
Seminars in liver diseases- 4 fascículos por ano
Clinics in liver disease- 4 fascículos por ano
Pediatric
Gastrointestinal
Disease
(2
Volume
Set)
(Hardcover)
W. Allan Walker, Ronald E., M.D. Kleinman, Philip M. Sherman, Benjamin L., M.D. Shneider , Ian
R., M.D. Sanderson
Journal of Pediatric Gastroenterology and Nutrition
Altschuler S.M.; Liacouras C.A. Clinical Pediatric Gastroenterology. Churchill
1998.
Livingstone.
Barbieri D & Koda YKL. Diarréia Crônica. Sarvier. 1986
Barbieri D & Koda YKL. Doenças Gastroenterológicas em Pediatria. Atheneu. 1996..
Delvin E.E.; Lentze M.J. Gastrointestinal functions. Nestlé Nutrition workshop Series.
Pediatric Program Volume 46. Lippincott Williams & Wilkins. 2001.
30
Hyman P.E; Lorenzo C.D. Pediatric Gastrointestinal Motility Disorders. Academy Professional
Information Services, Inc. 1994.
Koda YKL, Barbieri D. Diarréia Crônica. In: Marcondes E, Leone C, Oselka GW, Corradini HB,
eds. Roteiros Diagnósticos em Pediatria. São Paulo: Sarvier, 137, 1987.
Koda YKL. Refluxo Gastroesofágico. In : Grisi S, Escobar AM, eds. Prática Pediátrica. São
Paulo, Atheneu 2001.
Koda YKL. Úlcera péptica. In : Grisi
Atheneu 2001.
S, Escobar AM, eds. Prática Pediátrica.
São Paulo,
Koda YKL. pHmetria esofágica prolongada. Utilização em Pediatria. In : Nasi A, Michelsohn
NH. eds. Avaliação Funcional do Esôfago. São Paulo, Roca, 2001. p.295.
Koda YKL. Fisiologia Digestiva. In : Feferbaum R, Falcão MC. eds. Nutrição do Recém-nascido.
São Paulo, Atheneu 2002. p. 33
Marcondes E. ed. Pediatria Básica. 8edição. Volume 2. São Paulo, Sarvier, 1991.
Polak J.M.; Wright N.A.; Bloom S.R.; Butler A.G. Basic Science in Gastroenterology. Diseases
of the Gut. Page Bros (Norwich) Ltd. 1986.
Lista de Colaboradores (indique: nome, titulação ou qualificação, instituição, atividade a
ser desenvolvida por ele e justificativa)
Dra. Gilda Porta – Livre Docente e Chefe de Unidade – Coordenação Geral + supervisão
atividades assistenciais, orientação de projetos de pesquisa e publicações.
Dra Yu Kar Ling Koda – Doutor e Assistente da Unidade – Supervisão atividades do setor de
gastroenterologia quanto a trabalhos e seminários, orientação de projetos de pesquisa e
publicações
Dra. Ary Lopes Cardoso - Doutor e assistente de Unidade – Supervisão atividades do setor de
nutrição quanto a assistência no ambulatório, orientação de projetos de pesquisa e publicações
Dra. Irene Kazue Miura – Doutora e assistente de Unidade – Supervisão das atividades
assistenciais e seminários e responsável pela organização dos seminários e orientação de
projetos de pesquisa e publicações
Dra Renata P. Sustovitch Pugliese - Doutora e assistente de Unidade – Supervisão das
atividades do ambulatório quanto a assistência , orientação dos casos, participação de
seminários
Dra Vera Lucia Baggio Danesi- Mestre e assistente de Unidade – Supervisão das atividades do
ambulatório quanto a assistência , orientação dos casos, participação de seminários
31
Dra Izaura Assumpção- Mestre e assistente de Unidade – Supervisão das atividades do
ambulatório quanto a assistência , orientação dos casos, participação de seminários.
Responsável pelo ambulatório didático.
Dra Eliana Vidolin- Mestre e assistente de Unidade – Supervisão das atividades do ambulatório
quanto a assistência , orientação dos casos, participação de seminários. Responsável pelo
ambulatório de doença inflamatória intestinal
Dr Marcos Jiro– médico e assistente de Unidade. Pós graduando em Pediatria. Supervisão das
atividades do ambulatório quanto a assistência , orientação dos casos, participação de
seminários. Orientador de procedimentos .
Dra Ceres Romaldini-. Doutora e assistente de Unidade – Supervisão das atividades do
ambulatório de nutrição quanto a assistência , orientação dos casos, participação de
seminários
Dra Marilisa S. Froes Souza- Mestre e assistente de Unidade – Atividades do ambulatório
quanto a assistência
Dra Rosana Tumas- Mestre e assistente de Unidade – Atividades do ambulatório quanto a
assistência
32
GENÉTICA PEDIÁTRICA
Coordenadora * 
Titulação 
Departamento 
DRA. CHONG AE KIM
Doutora
Departamento de Pediatria da FMUSP
Vice-Coordenadora * 
Titulação 
Departamento 
_____________________________________________________________________
Objetivos do Estágio 
 Saber suspeitar se determinada patologia é ou não da etiologia genética.
 Saber identificar as patologias genéticas mais freqüentes.
 Conhecer bases da semiologia genética
 Reconhecer sempre na família em estudo os membros afetados e/ou portadores da
patologia em questão
 Saber interpretar um estudo cromossômico e outros exames especializados da área.
 Conhecer os princípios gerais e específicos do acompanhamento de pacientes com patologia
genética e do aconselhamento genético para os membros da família em estudo.
3. Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias 
Atividade Prática



Atividade clínica diária com pacientes internados nos diversos setores do I.Cr. do Berçário
Anexo à Maternidade do HC e eventualmente, em outras áreas do Complexo HC.
Atendimento no ambulatório de Genética Clínica nas manhãs de 2ªs e 5ªs feiras.
Visita médica semanal com o corpo clínico
Seminários (programa ) 
Semiologia Genética
Exames subsidiários
*Citogenética
*Genética Bioquímica
*Genética Molecular
Dismorfologia
Aberrações cromossômicas
Patologias gênicas
Patologias de etiologia Multifatorial
Aconselhamento genético
Diagnóstico pré-natal
Efeitos de doenças maternas ou teratógenos sobre o feto
Erros inatos do metabolismo
Displasias ósseas
33
Doenças neurológicas genéticas
Outras Atividades Programadas (descrição) 





Reunião de Clínica Semanal: preparo e discussão dos casos em seguimento
Reuniões para revisão bibliográfica e/ou seminário de assuntos de interesse semanalmente
com supervisão de corpo clínico.
Discussão radiológica semanal
Estágio complementar no Laboratório de Citogenética
Estágio complementar de Biologia Molecular no Laboratório de Investigação Médica –
Pediatria Clínica LIM 36.
Carga Horária Total  12 meses – 40horas semanais
Duração do Estágio 
12 meses
Período do Estágio 
Início em 1º de fevereiro
Pré-requisito 
Residência Médica em Pediatria (2 anos) credenciada pela
Comissão Nacional e MEC e/ou Estágio equivalente
Forma(s) de Seleção 
Entrevista
Mensalidade 
isento
Número de Vagas (mínimo e máximo) 
Mensalidade 
5 (cinco)
isento
Forma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final 
· Freqüência mínima de 80%
· Estágio supervisionado
· Avaliação formal das disciplinas
· Avaliação semestral pelo corpo clínico baseada nos critérios de: assiduidade, pontualidade,
·
·
relacionamento com pacientes e familiares, colegas, chefia, equilíbrio emocional,
desempenho profissional e capacidade de trabalho.
Capacidade e iniciativa de trabalhos científicos para apresentação em congressos, reuniões
e/ou para publicação.
Publicação do artigo no final do estágio de Complementação Especializada
Lista de Colaboradores (indique: nome, titulação ou qualificação, instituição, atividade a ser
desenvolvida por ele e justificativa) 
34
HEBIATRIA
Coordenadora 
Titulação 
Departamento 
Profa. Dra. Maria Ignez Saito
Professora Livre-Docente. Professor colaborador médico do
Departamento de Pediatria
Departamento de Pediatria da FMUSP
Vice-coordendor
Titulação
Departamento
Dra. Marta Miranda Leal
Mestre
Departamento de Pediatria da FMUSP
_____________________________________________________________________
A atenção específica à saúde do adolescente vem se destacando nas últimas décadas,
sendo extremamente necessária a formação de profissionais e a implantação de serviços
capacitados para o exercício desta proposta. Fica assim justificada a organização de
programas, principalmente no campo pediátrico, que incluam a medicina de adolescentes na sua
formação especializada.
Objetivos do Estágio 
Ao final do estágio, o aluno deverá desenvolver a capacidade de assistência do
adolescente em níveis preventivos e curativos com ênfase no paciente ambulatorial.
a) Objetivos cognitivos
Ao final do estágio, o aluno deverá estar apto a:
1. avaliar as características de crescimento e desenvolvimento do adolescente normal
relacionando as transformações biológicas com as mudanças psicossociais e identificando suas
principais variações.
2. identificar as necessidades de saúde do adolescente – físicas, psicológicas e sócioculturais – frente aos diferentes contextos ambientais, justificando-se, assim, a pertinência
das intervenções.
3. caracterizar os principais problemas da saúde do adolescente e seus determinantes
ambientais, enfatizando as repercussões das doenças no processo global de crescimento e
desenvolvimento.
4. introjetar as peculiaridades da consulta do adolescente e o papel educativo da
mesma, identificando os aspectos de promoção, proteção e recuperação da saúde.
5. caracterizar a atuação multiprofissional na assistência ao adolescente, identificando
o papel dos diferentes elementos da equipe de saúde.
b) Objetivos psicomotores
Ao final do estágio, o aluno deverá estar apto a:
1. realizar consulta completa do adolescente, envolvendo anamnese e exame físico e
entrevista com seu responsável.
2. formular os diagnósticos clínicos e psicossociais do adolescente, relacionado-os às
suas condições de vida.
35
3. prescrever condutas e orientações relacionadas aos diagnósticos formulados.
4. relacionar a sua atuação médica com a dos outros profissionais da equipe de saúde,
estabelecendo prioridades no diagnóstico e tratamento dos principais problemas de saúde do
adolescente.
c) Objetivos afetivos
Ao final do curso, o aluno deverá estar apto a:
1. compreender a importância de assistir globalmente o adolescente, considerando a sua
dimensão biopsicossocial e sua relação com o meio ambiente.
2. reconhecer o papel educativo da consulta do adolescente de modo a atuar
efetivamente no campo da promoção e da proteção de saúde.
3. enfatizar a importância do controle periódico da saúde do adolescente em função
das diversas etapas do seu crescimento e desenvolvimento.
4. reconhecer a importância de identificar as repercussões das doenças sobre o
crescimento e desenvolvimento do adolescente.
5. valorizar o papel da equipe multiprofissional no diagnóstico e tratamento dos
problemas de saúde do adolescente, bem como na sua prevenção.
4. Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias 
1. atendimento individual de adolescentes sob orientaçào dos assistentes da Unidade;
participação de atendimento a grupo de adolescentes;
2. participação de atendimento a grupo de adolescentes;
3. preparo e discussão de casos com equipe multiprofissional;
4. aulas e seminários com participação efetiva em apresentação dos seus conteúdos
5. acompanhamento de pacientes da Unidade internados;
6. aulas e supervisão de atendimento para residente de 2º ano;
7. elaboração de trabalhos científicos;
8. discussões realizadas com psiquiatra da vinculado a Unidade de Adolescentes,
abrangendo um conteúdo teórico e discussão de casos;
9. atendimento, com supervisão de ortopedista e nefrologista, de adolescentes com
problemas ortopédicos e nefrológicos;
10. encontro com especialista das áreas de Imunologia e Reumatologia;
11. estágio complementar a ser discutido individualmente.
12. Atendimento a filhos de mães adolescentes;
13. Atendimento ginecológico a ser realizado no Serviço de Ginecologia Infanto-Puberal
(durante segundo-semestre do segundo ano de complementação)
1.1 Seminários (programa e carga horária) 
Conteúdo Teórico:
1. Marcos conceituais
2. Crescimento e desenvolvimento
3. Endocrinologia da puberdade e principais distúrbios endócrinos
4. Nutrição: e distúrbios nutricionais (anorexia , obesidade, desnutrição)
5. Distúrbios de crescimento (baixa estatura e retardo puberal)
6. Necessidade de Saúde
7. Sexualidade
36
8. Principais problemas clínicos
9. Principais distúrbios ginecológicos
10. Doenças sexualmente transmissíveis e AIDS
11. Tuberculose
12. Imunização
13. Gravidez e anticoncepção
14. Avaliação pediátrica dos principais problemas ortopédicos
15. Problemas reumatológicos
16. Problemas imunológicos
17. O adolescente de risco: aspectos preventivos de atuação
18. Violência
19. Relação médico-paciente: pricípios éticos
20. Estruturação do sujeito: constituição da subjetividade
21.Drogadição
22. Atenção específica ao binômio mãe-filho
23. Distúrbios psicológicos emergentes na adolescência: depressão e suicídio
1.2 Outras Atividades Programadas (descrição) 
Realização de monografia com tema pertinente à Adolescência.
5. Atividades Optativas 
Atendimento em Centro de Saúde – Casa do Adolescente – Secretaria de Estado da Saúde de
São Paulo
3. Pantões de 12 horas obrigatório a cada 15 dias que deverão ser realizados na área do
estágio
4. Trabalho de Campo (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Carga Horária Total 
Estágio de 12 meses - 960 horas incluindo plantões diurnos de
12 horas a cada 15 dias na Unidade.
Estágio de 24 meses - 1920 horas incluindo plantões diurnos de
12 horas a cada 15 dias na Unidade.
Duração do Estágio 24 meses – 20 h/semanais (mais um período de estudo dirigido)
ou
12 meses – 20 h/semanais (mais um período de estudo dirigido)
37
Período do Estágio 
01/02/2008
Pré-requisito 
Estágio de 24 meses: Residência Médica em Pediatria (2 anos)
credenciada pela Comissão Nacional e MEC e/ou Estágio
equivalente
ou
Estágio 12 meses: Residência Médica em Pediatria (3 anos)
credenciada pela Comissão Nacional e MEC e/ou Estágio
equivalente, com o 3º ano de Residência na área de atuação de
Adolescência.
Forma(s) de Seleção 
Prova e Entrevista
Mensalidade 
um salário mínimo
Número de Vagas (mínimo e máximo) 
3 (três)
Forma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final 
A avaliação será contínua e baseada em provas escritas periódicas e no desempenho. O
desempenho por sua vez será avaliado através da aquisição de conhecimentos com aplicação
adequada à prática assistencial, atuação em aulas, seminários e apresentação de artigos. Essa
apreciação leva em conta os aspectos de responsabilidade, interesse e comportamento ético.
· Freqüência mínima de 80%
· Estágio supervisionado
· Avaliação formal das disciplinas
Bibliografia 
Atheneu, 2001.
2000. p.
Saito, MI; Silva LEV, Adolescência – Prevenção e risco. São Paulo, Ed.
Sucupira, ACSL, et. al. Pediatria em consultório. 4ª edição. São Paulo, Sarvier,
703-783.
Artigos e outros textos atualizados constantemente.
38
HEPATOLOGIA PEDIÁTRICA
Coordenador * 
Titulação 
Departamento 
Profa. Dra. Gilda Porta
Professor Livre Docente
Pediatria
Vice-Coordenador *  Dra. Irene Kazue Miura
Titulação 
Doutor
Departamento 
Pediatria
__________________________________________________________________
Objetivos do Estágio  Especialização em doenças hepáticas na infância
1. Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias  Aulas teóricas com assuntos básicos para o
conhecimento das principais doenças do fígado da infância , abordando principalmente os
mecanismos fisopatológicos e moleculares – 1 hora por semana
1.1. Seminários (programa e carga horária)  2 horas por semana
Mecanismos fisopatologicos das colestases
Colangiopatias
Colestases intra-hepáticas
Colestase Neonatal
Aspectos nutricionais das colestases
Hepatites agudas
Hepatites crônicas
Colangite esclerosante primária
Hepatite autoimune
Doenças metabólicas com comprometimento hepático
Deficiência de alfa-1 antitripsina
Doenças hepatobiliares da infância
Doenças do metabolismo dos carbohidratos, aminoacidopatias
Doenças do metabolismo dos ácidos biliares
Tirosinemia
Doença de Wilson
Doenças mitocondriais
Doenças lisossomais
Doenças peroxisomal
Doenças do ciclo da uréia
Esteatosheoatite não alcoólica
Hipertensão portal
Interpretação de exames laboratoriais
Insuficiência hepática
Síndrome Hepatorenal
Síndrome hepatopolmonar
Transplante hepático
1.1
Outras Atividades Programadas (descrição)  Discussões de casos do ambulatório – 1
vez por semana
1.2
Monografia no final de dois anos de treinamento
39
1.3
1.4
1.5
Reuniões anátomo-clínicas – com o Departamento de anatomia patológica uma vez por
semana – 1 hora
1.4- Estágio 1 vez por semana na Endoscopia
Estágio de 4 meses na Gastroenterologia do ICr.
*Curriculum Vitae em formulário próprio
2. Atividades Optativas 
Acompanhamento de endoscopia digestiva alta e baixa – 2 vezes porsemana a tarde, no
serviço de Endoscopia do I. da Criança – sob a coordenação do Dr Manuel Ernesto Gonçalves
3. Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Ambulatório de hepatologia – 3 vezes / semana pela manhã – 7:00 – 12:00hs, sob a
supervisão dos assistentes
Treinamento para realização de biópsias hepáticas percutâneas – aproximadamente 6
vezes /mês, sob a supervisão dos assistentes
Visitas semanais na enfermaria das especialidades visando pacientes com
comprometimento hepático
Estágio na enfermaria das especialidades, pronto socorro, UTI, berçário do I. Criança,
I. Central, e InCor- evoliundo pacientes com doenças hepáticas e consultorias- sob a
supervisão do médico assitente da Hepatologia
4. Trabalho de Campo (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Carga Horária Total  20 horas semanais incluindo plantões diurnos de 12 horas a cada 15
dias na Unidade de Hepatologia Pediátrica.
Duração do Estágio  1 ano (12 meses) ou 2 anos (24 meses)
Período do Estágio  Início em 1º de fevereiro
Pré-requisito 
24 meses: Residência Médica em Pediatria (2 anos) credenciada pela
Comissão Nacional e MEC e/ou Estágio equivalente
ou
12 meses: Residência Médica em Pediatria (3 anos) credenciada pela
Comissão Nacional e MEC e/ou Estágio equivalente, com o 3º ano de
Residência na área de atuação de Gastroenterologia Pediátrica
__________________________________________________________________
Forma(s) de Seleção  Análise de curriculum, entrevista e/ou avaliação formal
40
__________________________________________________________________
Mensalidade  um salário mínimo
Número de Vagas (mínimo e máximo)  2 vagas
Forma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final 
Freqüência mínima de 80%
Estágio supervisionado
Avaliação formal das disciplinas
Bibliografia 
Lista de Colaboradores (indique: nome, titulação ou qualificação, instituição, atividade a ser
desenvolvida por ele e justificativa) 
Dra Renata P.S.Pugliese - Doutor em Pediatria – Departamento de Pediatria Universidade de
São Paulo – Assistente da Unidade de Hepatologia Pediátrica. Orientará no ambulatório, casos
internados e participará das aulas e seminários
Dra Vera Lucia Baggio – Mestre em Pediatria - Departamento de Pediatria Universidade de São
Paulo . Assistente da Unidade de Hepatologia Pediátrica. Orientará no ambulatório, casos
internados e participará das aulas e seminários
41
INFECTOLOGIA PEDIATRICA
Coordenador * 
Titulação 
Departamento 
Dra. Heloísa Helena Souza Marques
Doutora
Departamento de Pediatria da FMUSP
Vice-Coordenadora *  Prof. Dr. Evandro Roberto Baldacci
Titulação 
Professor Livre-Docente
Departamento 
Departamento de Pediatria da FMUSP
_____________________________________________________________________
Objetivos do Estágio 
1.1. Doenças Infecciosas
Complementar o conhecimento na área específica de infectologia pediátrica, capacitando-o a
reconhecer as principais doenças de origem infecciosa, com a correta utilização e
interpretação das técnicas diagnósticas existentes e adequada utilização dos recursos
terapêuticos disponíveis.
Infecção Hospitalar
Oferecer conhecimentos na área de controle de infecção hospitalar para que o profissional
torne-se capacitado a reconhecer, analisar e propor medidas de controle para as infecções que
ocorrem em âmbito hospitalar.
2. Específicos
2.1. Das doenças infecciosas:
2.2. Cognitivos:
Ao final do ano, o complementando deverá estar familiariazado com as principais doenças
infecto-contagiosas que atingem os pacientes pediátricos em nosso meio, conhecendo as
peculiaridades clínicas de cada uma delas, os respectivos mecanismos fisiopatológicos
envolvidos em sua geração, e os aspectos mais relevantes para o estabelecimento de seu
diagnóstico. Os aspectos epidemiológicos da doença em nossa população e as possibilidades de
intervenção do ponto de vista preventivo também deverão ser conhecidos.
As chamadas doenças tropicais, e as grandes endemias de nosso país também merecerão
atenção especial durante o estágio. É esperado a aquisição de noções básicas de bacteriologia,
micologia e virologia, com o conhecimento das características de crescimento, patogenicidade e
mecanismo de infecção dos principais agentes de cada um dos grupos citados e a forma mais
adequada de se buscar a sua identificação, com colheita de material adequado. A familiarização
com o uso de antimicrobianos em situações habituais e especiais, em particular seu uso em
pacientes imunodeprimidos e em pacientes com germes multirresistentes de aquisição
hospitalar é esperada.
Psicomotores:
Habilitar o médico a inquirir ativamente durante a anamnese por dados de história que possam
sugerir a hipótese diagnóstica de etiologia infecciosa para a queixa do paciente e que sejam
relevantes para o estabelecimento dos possíveis diagnósticos diferenciais.
Durante o exame físico da criança será orientado no sentido de aprimorar sua capacidade de
procurar e identificar alterações sugestivas de infecção. Será também habilitado a colher os
42
mais diversos tipos de materiais biológicos, como fezes, secreções, sangue, medula óssea e
líquor, e a manipulá-los de maneira adequada para a pesquisa de diferentes agentes etiológicos
pertinentes ao caso em questão.
Afetivos:
O complementando ao final do estágio deverá ter melhorado sua capacidade de conviver com a
própria ansiedade em relação às doenças, em especial aquelas onde as possibilidades
terapêuticas são muito limitadas ou inexistentes e às sabidamente seqüelantes. Além disso, o
conhecimento aprofundado dos aspectos evolutivos e prognósticos destas afecções facilitará a
transmissão das informações pertinentes para os familiares. Este desenvolvimento de
habilidades deverá resultar em aprimoramento da relação médico – paciente, uma vez que a
partir do pleno esclarecimento dos familiares ou responsáveis, estes serão co-participantes na
atenção à criança, favorecendo sua observação e o acompanhamento clínico.
2.3. Das infecções hospitalares:
Área cognitiva:
· Listar e reconhecer os principais instrumentos epidemiológicos nos estudos observacionais
(coorte, caso controle, etc...)
· Descrever e interpretar os índices comumente utilizados no manejo da infecção hospitalar;
· Desenvolver conhecimentos para investigar surtos e utilizar normas de isolamento para
controle das infecções hospitalares;
· Conhecer e discutir dados de infecção hospitalar;
· Desenvolver conhecimentos básicos de técnicas microbiológicas de identificação e
determinação de sensibilidade e de utilização de marcadores dos principais agentes de
infecção hospitalar;
· Reconhecer a importância do uso de antimicrobianos;
· Conhecer a legislação pertinente à criação e organização da Comissão de Controle de
Infecção Hospitalar
Área psicomotora:
· Acompanhar, participar e discutir nas visitas aos leitos da Instituição, as medidas de
controle de infecção e as indicações dos antimicrobianos;
· Participar no preenchimento dos mapas de infecção hospitalar;
· Cooperar na busca ativa de dados de infecção hospitalar;
· Participar na elaboração dos dados e relatórios de infecção hospitalar;
· Participar nos métodos de divulgação dos dados de infecção hospitalar;
· Participar nos trabalhos específicos;
· Desenvolver monografia de assunto pertinente à infecção hospitalar, se possível com dados
obtidos durante o estágio.
Área afetiva:
· Reconhecer a importância do problema de infecção hospitalar;
· Valorizar a importância da infecção hospitalar no que se refere à relação custo/benefício
durante a internação;
43
· Reconhecer a importância das condições imunológicas, de nutrição e outros fatores de
risco relacionados à ocorrência de infecção hospitalar.
6. Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias 
O complementando deverá participar do atendimento no ambulatório, leito-dia e acompanhar os
pacientes internados na enfermaria no período da manhã, onde suas atividades serão
assistenciais, sob supervisão de um médico assistente. Deverá também participar das reuniões
da Unidade de Infectologia onde se discutem o andamento dos protocolos já existentes e a
elaboração de novos protocolos, a fim de estar perfeitamente integrado com o grupo. Além
disso, deverá acompanhar as atividades da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar
(CCIH), Grupo de Imunizações e Laboratórios (ICHC e ICr)
1.1
Seminários (programa e carga horária) O complementando deverá elaborar a
apresentação de seminários, orientado por um médico assistente da Unidade de
Infectologia.
1.2
Outras Atividades Programadas (descrição) 
CCIH
Laboratórios
Imunizações
*Curriculum Vitae em formulário próprio
7. Atividades Optativas 
CCIH-ICHC
IMT
Ambulatório dos Viajantes
Obs. Dependendo da disponibilidade na época dos serviços acima citados
3. Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Ambulatório (A4IS e AIPG)
Leito-dia
Enfermaria
CCIH
Carga Horária Total 
12 meses - 960 horas incluindo plantões diurnos de 12 horas a
cada 15 dias na Unidade.
ou
24 meses - 1920 horas incluindo plantões diurnos de 12 horas
a cada 15 dias na Unidade.
Duração do Estágio 
24 meses – 20 h/semanais ou
12 meses – 20 h/semanais
Período do Estágio 
Início em 1º de fevereiro
44
Pré-requisito 
24 meses: Residência Médica em Pediatria (2 anos) credenciada
pela Comissão Nacional e MEC e/ou Estágio equivalente
ou
12 meses: Residência Médica em Pediatria (3 anos) credenciada
pela Comissão Nacional e MEC e/ou Estágio equivalente, com o
3º ano de Residência na área de atuação de Infectologia.
_________________________________________
Forma(s) de Seleção 
Prova e Entrevista
Mensalidade 
um salário mínimo
Número de Vagas (mínimo e máximo) 
6 (seis)
Forma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final 
· Freqüência mínima de 80%
· Estágio supervisionado
· Avaliação formal das disciplinas
Os complementandos serão avaliados ao longo do seu estágio pelos médicos assistentes da
Unidade de Infectologia, sendo observados sua assiduidade e pontualidade nas diversas
atividades propostas, o aumento de seu conhecimento na elaboração de hipóteses diagnósticas
e conduta nos casos, sua conduta e postura ética frente aos pacientes e seus familiares.
Deverá também ser avaliado na desenvoltura conseguida com o trabalho junto ao grupo de I.H.
nas suas habilidades de controlar e orientar essas atividades. É parte das atividades e será um
componente da avaliação, a produção de uma monografia com conteúdo a ser definido no início
do estágio, sob a supervisão direta de um dos médicos do grupo de assistentes da Unidade de
Infectologia.
Bibliografia 
Lista de Colaboradores (indique: nome, titulação ou qualificação, instituição, atividade a ser
desenvolvida por ele e justificativa) 
45
NEFROLOGIA PEDIATRICA
Coordenador * 
Titulação 
Departamento 
Dra. Vera Hermina Kalika Koch
Doutora
Pediatria
Vice-Coordenador *  Dra. Maria Danisi Fujimura
Titulação 
Doutora
Departamento 
Pediatria
____________________________________________________________________
Objetivos do Estágio  A complementação especializada em Nefrologia Pediátrica é um
programa desenvolvido em 2 anos, considerado pré-requisito para a prova de "Habilitação em
Nefrologia Pediátrica". O estágio visa primariamente o preparo técnico - científico do
complementando para o exercício profissional em Nefrologia Pediátrica.
1. Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias 
1º ANO
Estágio orientado em Enfermaria: exposição a casos nefro-urológicos em enfermaria de
Especialidades, Semi-Intensiva, UTI pediátrica, Unidade de Diálise Peritoneal, avaliação de
pedidos de Consulta internos e externos ao ICr- HCFMUSP, biópsia renal percutânea.
Estágio Orientado em ambulatório de Nefrologia Pediátrica: Nefrologia Clínica, Enurese e
Distúrbios Miccionais, Urologia Pediátrica, Diálise peritoneal / Hemodiálise, Ambulatório
didático.
Estágios na Hemodiálise Aguda e Crônica HCFMUSP (1 mês cada).
Atividade ambulatorial na Unidade de Urologia Pediátrica – Dept. Urologia HCFMUSP,
ambulatório semanal, em rodizio com R3 e C2
Atividades de campo, visando avaliação epidemiológica de hipertensão arterial em creches e
escolas, em rodizio com R3 e C2.
2O ANO
 Estágio orientado em Enfermaria: exposição a casos nefro-urológicos em enfermaria de
Especialidades, Semi-Intensiva, UTI pediátrica, Unidade de Diálise Peritoneal, avalição de
pedidos de consulta internos e externos ao ICR- HCFMUSP, biópsia renal percutânea.

Estágio Orientado em ambulatório de Nefrologia Pediátrica: Nefrologia Clínica, Enurese e
Distúrbios Miccionais, Avaliação pós-natal da hidronefrose detectada no período antenatal,
Diálise peritoneal / Hemodiálise, Ambulatório Didático. Aulas teóricas semanais e
seminários. Estas atividades estão distribuídas segundo grade apresentada acima.
46

Atividade ambulatorial na Unidade de Urologia Pediátrica – Dept. Urologia HCFMUSP,
ambulatório semanal, em rodizio com R3 e C2

Atividades de campo, visando avaliação epidemiológica de hipertensão arterial em creches
e escolas, em rodízio com R3 e C2;

Estágio em Unidades Externas ao ICR-HCFMUSP
1 mês: Unidade de Transplante Renal –H.Rim e Hipertensão
1.1 Seminários (programa e carga horária)  Aulas teóricas semanais e seminários sobre os
seguintes temas gerais (programa conjunto R3, C1 e C2):
 Embriologia, anatomia e fisiologia do trato urinário. Aspectos do desenvolvimento do
aparelho urinário do feto, do recém nascido e do lactente
 Avaliação da função renal: glomerular e tubular
 Distúrbios hidreletrolíticos e sua correção em pacientes com função renal normal e com
insuficiência renal
 Investigação do trato urinário do feto e de crianças através de imagem
 Malformações congênitas do trato urinário
 Refluxo vesico-ureteral primário e secundário
 Infecção urinária
 Uropatias obstrutivas
 Distúrbios miccionais
 Hematúria
 Proteinúria
 Hipertensão arterial
 Síndrome nefrítico agudo: GNDA e outras
 Sindrome nefrótico, com ênfase nos córtico-residentes
 Glomerulopatias secundárias e vasculites
 Doenças císticas renais
 Nefropatias hereditárias
 Alterações renais em doenças sistêmicas
 Nefrites tubulo-intersticiais
 Nefrotoxicidade
 Litíase urinária
 Insuficiência renal aguda
 Insuficiência renal crônica
 Métodos de substituição da função renal
 Nutrição em doenças renais
 Crescimento e desenvolvimento em pacientes pediátricos com doenças renais
 Aspectos emocionais do paciente e da família de portadores de doenças renais crônicas
 Transplante renal
47
1.2. Outras Atividades Programadas (descrição)  Atividade teórico-prática; reuniões a
cada 2 meses para avaliação de lâminas de pacientes biopsiados no período, realizadas no Dept.
Patologia HCFMUSP.
Estas atividades estão assim distribuídas:
MANHÃ
2ª feira
3ª feira
4ª feira
AMB
Nefrologia
Clínica
AMB URO
PED
HCFMUSP
Atividade
de campo
Reunião
Clínica
3ª feira
AMB
DIÁLISE e
CISTINOS
E
4ª feira
Aulas e
seminários
5ª feira
6ª feira
AMB
Nefrologia
Clínica
Biópsia
Renal
Visita geral
a
enfermaria
5ª feira
AMB
Tubulopatia
s DPAR
6ª feira
Período
livre para
estudo e
preparo de
trabalhos
AMB –
Distúrbios
miccionais
Sábado
Visita
(1 em
rodízio)
Domingo
Visita
(1 em
rodízio)
TARDE
2ª feira
AMB
Didático
SAB
DOM
AMB ambulatório DPAR Doença policística autossômico -recessiva
Desenvolvimento de trabalho científico tipo relato de caso ou levantamento de casuística deve
ser realizado ao longo deste primeiro ano de estágio. No segundo ano de estágio, privilegia-se o
desenvolvimento de trabalho científico.
3. Atividades Optativas 
3. Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
4. Trabalho de Campo (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Carga Horária Total 
40 horas semanais incluindo plantões diurnos de 12 horas a
cada 15 dias na Unidade.
- 2ª a 6ª feira: manhã e tarde; e à cobertura de visitas de fim semana em rodízio (um R3, C1 ou
C2 por dia, sempre sob supervisão de assistentes da Unidade).
48
Duração do Estágio  12 meses - 1920 horas incluindo plantões diurnos de 12
horas a cada 15 dias na Unidade.
ou
24 meses - 3840 horas incluindo plantões diurnos de 12 horas
a cada 15 dias na Unidade.
Período do Estágio  início em 1º de fevereiro:
Pré-requisito 
24 meses: Residência Médica em Pediatria (2 anos) credenciada
pela Comissão Nacional e MEC e/ou Estágio equivalente
Ou
12 meses: Residência Médica em Pediatria (3 anos) credenciada
pela Comissão Nacional e MEC e/ou Estágio equivalente, com o
3º ano de Residência na área de atuação de Nefrologia
Pediátrica
_____________________________________________________________________
Forma(s) de Seleção  Análise de Curriculum + Entrevista e/ou Prova Escrita
Mensalidade 
isento
Número de Vagas (mínimo e máximo) 
10 (dez)
Forma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final  análise de desempenho pela equipe e
encaminhamento para publicação de artigo científico.
Bibliografia  Pediatric Nephrology (Texto básico), mais artigos sugeridos ao longo do
programa
Lista de Colaboradores (indique: nome, titulação ou qualificação, instituição, atividade a ser
desenvolvida por ele e justificativa) 
Unidade de Urologia Pediátrica - HCFMUSP
Unidade de Hemodiálise Crônica - HCFMUSP
Unidade de Agudos - HCFMUSP
Serviço de Patologia Renal - HCFMUSP
Dr. Paulo Koch Nogueira, Doutor em Medicina, Hospital do Rim e Hipertensão
49
NUTRIÇÃO E METABOLOGIA EM PEDIATRIA
Coordenador 
Dr. Ary Lopes Cardoso
Titulação 
Doutor
Departamento 
Pediatria
___________________________________________________________________
Objetivos do Estágio 
a) Aprender como se faz uma avaliação nutricional clínica e laboratorial de crianças normais e
pacientes com doenças crônicas;
b) Fisiopatologia dos distúrbios nutricionais agudos e crônicos
c) Desencadeantes da Desnutrição Hospitalar
d) Entender a Obesidade – conceito , fatores de risco
e) Entender o que são transtornos alimentares – conceito e abordagem
f) Como proceder diante das Dislipidemias
g) Os Suplementos Nutricionais para o adolescente atleta são necessários?
h) Novos nutrientes nas fórmulas infantis ; dietas especiais ( cetogênica)
i) Macro e micronutrientes - metabolismo;
j) Necessidades calóricas, protêicas, mineral e vitamínicas das crianças normais e doentes
k) A Terapia Nutricional - parenteral e/ou enteral .
Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias 
a) Atividade clínica diária com pacientes internados nos diversos setores do Instituto da
Criança, e até mesmo em outras áreas do Complexo HC;
b) Visita às enfermarias e prescrição diária;
c) Atendimento ambulatorial aos pacientes com problemas nutricionais e metabólicos (3ªs e
4ªs feiras pela manhã); atendimento aos pacientes pertencentes a outros grupos
d) Visita médica semanal com o corpo clínico;
e) Participação das Reuniões do Grupo semanalmente, com preparo e discussão dos casos em
seguimento;
f) Participação de projetos do Grupo e de pesquisas em andamento;
g) Participação dos Cursos de Nutrição da FMUSP e eventualmente de outras escolas
médicas.
1.1 Seminários (programa e carga horária)  Carga Horária: 12 meses/20 h semanais –
960 horas
Conteúdo
- NUTRIÇÃO BÁSICA:
Metabolismo energético – Água e eletrólitos e EAB
Metabolismo de hidratos de carbono, proteínas e gorduras
Metabolismo das vitaminas – oligoelementos e minerais
- NUTRIÇÃO CLÍNICA – Fisiologia
Avaliação Nutricional – clínica e laboratorial
Aleitamento materno e nutrição
50
A nutrição do RN e do adolescente
A alimentação da criança normal
Suplementos nutricionais do atleta adolescente
- NUTRIÇÃO CLÍNICA – Patologia
Transtornos Alimentares
Fórmulas Infantis – novos nutrientes
Dieta Cetogênica
Terapia Nutricional – vias de acesso
Terapia Nutricional – dietas utilizadas por via enteral
Obesidade
Desnutrição energético-protéica
Nutrição enteral e parenteral
Adoçantes
1.2 Outras Atividades Programadas (descrição) 
Atividades Optativas 
Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Estágio de 20 horas semanais sendo que a cada 15 dias (dentro das 20 horas
semanais) um plantão diurno de 12 horas
Trabalho de Campo (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Carga Horária Total 
960 horas incluindo plantões diurnos de 12 horas a cada 15 dias
na
Unidade de Nutrição e Metabologia
Duração do Estágio 
12 meses
Período do Estágio 
início 1º de fevereiro
Pré-requisito 
Residência Médica em Pediatria (2 anos) credenciada pela
Comissão Nacional MEC ou Estágio equivalente.
Forma(s) de Seleção 
Mensalidade 
Entrevista + Análise de Curriculum
um salário mínimo
Número de Vagas (mínimo e máximo) 
1 (uma)
Forma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final 
· Freqüência mínima de 80%
· Estágio supervisionado
51
· Avaliação formal das disciplinas
Bibliografia  será fornecida pelos professores que coordenarão os diversos temas
propostos.
Lista de Colaboradores (indique: nome, titulação ou qualificação, instituição, atividade a
ser desenvolvida por ele e justificativa)  o Grupo de Nutrição possui mais 3 professores
que arcarão juntamente com o Coordenador – Dr. Ary Lopes Cardoso – com toda a programação
do complementando. São êles :
Dra Ceres Romaldini – doutora em Medicina - Departamento de Pediatria – FMUSP
Dra. Marilisa Stenghel Fróes e Souza – doutora em Medicina – Departamento de Pediatria –
FMUSP
Dra. Rosana Tumas – mestre em Medicina – Departamento de Pediatria - FMUSP
52
ONCO-HEMATOLOGIA PEDIÁTRICA
Coordenador * 
Titulação 
Departamento 
Prof. Dr. Vicente Odone Filho
Professor Associado
Pediatria
Vice-Coordenador * 
Titulação 
Departamento 
_____________________________________________________________________
Objetivos do Estágio  Embora administrativamente separadas, as Unidades de Hematologia
(UH) e Oncologia (UO) do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de
Medicina da Universidade de São Paulo (ICR) sempre trabalharam e modo intimamente
associado. As atividades em Oncologia Pediátrica existem desde 1977. Nestes 25 anos, essa
área sofreu grande hipertrofia, passando a concentrar a maior parte das atividades, em
comparação à Hematologia Pediátrica, esta vivendo uma fase atual de grande efervescência.
Por sua vez, os estágios formativos nas áreas, inicialmente obedeciam a programas
individualizados e não integrados.
A partir de 1995, as Unidades passaram a oferecer atividades comuns objetivando, finalmente,
estabelecer um programa integrado em Pediatria Hemato-Oncológica seguindo, inclusive, uma
tendência mundial pela qual, raríssimas vezes, é constatada uma dicotomia entre as duas áreas.
Suas afinidade são óbvias, e as atividades de maior especificidade dentro de cada uma delas
requerem elementos de formação que são comuns a ambas. No Brasil, essa separação ainda é
aceita pela maioria dos serviços, e tentativas de unificação têm fracassado em elaborar um
currículo de consenso que atenda, de maneira adequada, a essa necessidade de unificação. Um
exemplo que positiva essa dificuldade é o título, agora aceito pela Sociedade Brasileira de
Pediatria e pela Sociedade Brasileira de Cancerologia de Especialista em "Oncologia
Pediátrica".
Com o propósito de oferecer uma formação mais completa, básica, ao Pediatra OncoHematologista, e que permita dedicar-se posteriormente com melhores condições à área
específica de seu maior interesse, a unificação da residência Especializada foi iniciada em
1997.
Formar um profissional especializado em Pediatria Onco-Hematológica, capacitado a
desenvolver atividades clínicas em qualquer setor englobado por esta sub-especialidade, e com
condições de participar de programas acadêmicos de pesquisa e pós-graduação.
1.
Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias 
Quadro 1: UH e UO do ICR - Programa Básico de Atividades (*)
Segundas
Terças
Quartas
Quintas
Sextas
8:00:
Reunião
semanal:
Tumores
Sáb./Dom.
53
Ósseos
(UO)
9:00:
Reunião
Geral com
R2 (UH)
10:00:
Visita
geral (UH)
COBERTURA
11:00:
Reunião
semanal:
Tumores
SNC (UO)
11:30:
Reunião
geral (UO)
13:00:
Atividade
didática
(UH)
11:30:
Reunião
científica
(UH/UO)
(**)
13:00:
Ambulatór
io especial
(UH)
14:00:
Reunião
científicodidática
(UH/UO)
14:00
(últimas
sextas):
Ambulatór
io didático
(UH/UO)
(*) excluídas as visitas formais, diárias, intra-grupo, e as atividades ambulatoriais gerais
(diárias: UO, terças e quartas às manhãs: UH);
(**): incluindo reunião mensal de óbitos com Anatomia Patológica
Programa de 1º ano, regime "B"
6 (seis) meses em área de Hematologia e 6 (seis) meses em área de Oncologia;
áreas de atuação básica:
a) junto às crianças internadas na Enfermaria de Oncologia, 6º andar do ICR, e na área de
Transplantes de Médula Óssea;
b) junto às crianças internadas na Enfermaria de Especialidade, 4º andar do ICR;
c.) junto às crianças internadas em áreas de convênio;
d.) junto às crianças internadas em todas as áreas de Emergência do ICR;
e) atividades ambulatoriais supervisionadas (aos Estagiários cabe, primariamente, o
atendimento de todas as novas crianças admitidas);
f) atendimento a crianças internadas no complexo HC, em pedidos de consulta ou seguimento
individualizado;
54
g) cobertura de finais de semana e feriados conforme especificado em "5".
Programa de 2º ano, regime "B"
9 (nove) meses na área de interesse primário (Hematologia ou Oncologia) e 3(três) na restante;
participação eminentemente ambulatorial;
estágio específico na Patologia Clínica (Hemocentro - 4 semanas);
desenvolvimento de estudo visando publicação e/ou preparo para futuro acesso à PósGraduação senso estrito;
estágio de 6 semanas (coincidentemente a período de férias) no St. Jude Children's Research
Hospital, Memphis, TN, USA coincidentemente à participação, preferivelmente com resumo
próprio, em encontro relevante internacional da área de interesse;
cobertura de finais de semana e feriados conforme especificado em "5".
Programa de 1(um) ano, regime "A"
Igual ao programa do 2º ano do regime "B".
1.1 Seminários (programa e carga horária) 
Os temas teóricos que os programas desenvolverão são os previstos nos capítulos
correspondentes do compêndio "Pediatria Básica"
1.2 Outras Atividades Programadas (descrição) 
*Curriculum Vitae em formulário próprio
Atividades Optativas 
Além de sugestões de compêndios de leitura e consulta essenciais, uma bibliografia básica em
disquete é oferecida aos Complementandos, cobrindo todos os temas, sendo que os textos não
existentes na Biblioteca do ICR ou da Faculdade de Medicina da USP são pessoalmente
disponibilizados.
Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Áreas adicionais de desenvolvimento incluem: a) suporte hemoterápico; b) suporte
antiinfeccioso; suporte nutricional; d) caracterização imunológica das variedades leucêmicas; e)
biologia molecular aplicada à Pediatria Hemato-Oncológica.
Trabalho de Campo (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Carga Horária Total  40 horas semanais e cobertura de finais de semana e feriados (1
Estagiário/dia 12 horas diárias). Não são previstos plantões noturnos.
Duração do Estágio  12 meses (regime A)
55
24 meses (regime B)
Período do Estágio  início em 1º de fevereiro
Pré-requisito  São previstos 1 (hum) e 2 (dois) anos de formação, assim discriminados:
Regime A: programa de 1 (um) ano, com requisito básico: Residência Especializada em Pediatria
(3 anos); com 3o ano n área de atuação de oncohematologia
Regime B: programa de 2 (dois) anos, com requisito básico: Residência Básica em Pediatria (1º
e 2º anos).
Tanto no regime A como no regime B de Complementação Especializada, procurar-se-á
oferecer o suporte de bolsa de iniciação à pesquisa, através de financiamento oficial.
_____________________________________________________________________
Forma(s) de Seleção  Entrevista e/ou Prova Escrita
Mensalidade  isento
Número de Vagas (mínimo e máximo)  2 vagas para Onco e 2 vagas para Hemato
Forma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final 
· Freqüência mínima de 80%
· Estágio supervisionado
· Avaliação formal das disciplinas
Bibliografia 
Últimas edições disponíveis dos textos de Pizzo & Poplack, Nathan e Oski;
Pediatria Básica 2002;
Últimas edições disponíveis dos livros de rotina da UH e UO.
Lista de Colaboradores (indique: nome, titulação ou qualificação, instituição, atividade a ser
desenvolvida por ele e justificativa) 
Corpo de Assistentes: UH: Jorge David A. Carneiro (JDAC), Lucy Matsumoto (LM), Mina
Halsman (MH) {Chefe da UH};
UO: Lilian Maria Cristófani (LMC), Márcia Datz Abadi (MDA) {Assistente junto à COT e PósGraduação}, Maria Tereza Assis Almeida (MTAA), Paulo Taufi Maluf Jr. (PTM), Telma Murias
Santos Machado (TMSM), Vicente Odone Filho (VOF) {Chefe da UO}.
Acompanhamento de crianças hospitalizadas:
Área de Hemotologia, todo ICR: JDAC, LM, MH;
Área de Oncologia:
Áreas de Emergências do ICR: MTAA;
Demais áreas do ICR: LMC;
56
Atividades diárias junto às crianças dessas últimas áreas:
Crianças hospitalizadas no complexo HC, fora do ICR (acompanhamento rotineiro e pedidos de
consulta não ambulatoriais):
Hematologia: LM;
Oncologia: MDA, TMSM;
Ambulatório da UH matutino: LM, MH;
Ambulatório da UH vespertino: JDAC;
Hospital-dia, UO: PTM;
Visitas gerais da UH: LM, MH, JDAC;
Reunião de Especialistas com R2/UH: MH;
Reuniões científicas - Hematologia/Oncologia: LM, TMSM;
Atividade didática, UH: JDAC;
Reunião semanal de Tumores Ósseos: MDA, TMSM;
Reunião semanal de Tumores SNC: VOF;
Atividades específicas com residentes de 2º ano (planejamento didático e orientação): PTM;
Ambulatório Didático, Hematologia/Oncologia: VOF.
57
PEDIATRIA AMBULATORIAL
Coordenador * 
Titulação 
Departamento 
Dra. Sandra Maria Callioli Zuccolotto
Médico Assistente
Pediatria
Vice-Coordenador *  Dra. Denise Ballester
Titulação 
Mestre
Departamento 
Pediatria
_____________________________________________________________________
Objetivos do Estágio 
Possibilitar ao médico estagiário o aprimoramento em Pediatria Geral na área do ambulatório
tendo, como base o atendimento integral às necessidades de saúde da criança.
Objetivos específicos:
Ao final do estágio, o aluno deverá ser capaz de:
1. Lidar com as situações mais comuns da prática pediátrica no ambulatório, entendendo
os limites da atuação do pediatra geral e as relações com a área das especialidades;
2. desenvolver habilidades para elaborar, com a equipe de saúde, as hipóteses
diagnósticas e o plano terapêutico durante o atendimento ambulatorial;
3. desenvolver habilidades na técnica de consulta, utilizando um sistema de anotação
adequado às características do atendimento ambulatorial;
4. interpretar os dados clínicos e laboratoriais para confirmação dos diagnósticos das
patologias mais comuns agudas e crônicas;
5. prescrever as várias medidas terapêuticas mais adequadas nas diferentes situações
de atendimento;
6. orientar os clientes e familiares sobre o diagnóstico, prescrição e prognóstico da
criança;
7. orientar as medidas de prevenção;
8. identificar quando a criança necessita de atendimento conjunto com o especialista e
identificar o momento em que o caso deve ser passado para atendimento na especialidade;
9. desenvolver uma relação médico-paciente efetiva, identificando os aspectos desta
relação capazes de interferir no processo diagnóstico e terapêutico;
10. atuar em equipe multiprofissional.
1. Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias 
1.a. atendimento ambulatorial de uma clientela própria, referida pelo pronto socorro, pela
enfermaria e pelo berçário do Hospital Universitário da USP e ainda pelas Unidades Básicas de
Saúde do Distrito de Saúde-Escola do Butantã, de modo sequencial, ao longo de 1 ano - 3
períodos;
2.a. preparo e discussão semanal de supervisão dos casos atendidos, com médico assistente do
serviço - 1 período
3.a. participação de supervisão docente dos acadêmicos de Medicina da FMUSP, de 3º 4º, 5º e
6º anos, que atendem na Liga de Puericultura - 1/2 período;
58
4.a. reunião semanal de reciclagem teórica com os médicos do serviço - 1/2 período;
5.a. organização e apresentação de reunião de revisão de artigos - 1/2 períodos;
6.a. atividade de pesquisa relacionada à casuística do ambulatório (optativo).
1.1 Seminários (programa e carga horária) 
O médico estagiário deverá partipar dos seminários sobre temas de pediatra geral, realizado
semanalmente, com 1 hora de duração.
Ambulatório Geral de Pediatria
Hospital Universitário/Seminários
Ensino em ambulatório
Vacinas não incluídas no calendário básico
Baixa estatura - Desenvolvimento infantil
Anemia
Seguimento ambulatorial do RN de alto risco
Saúde mental
Infecção urinária
Constipação
Crises recorrentes de sibilância
Inaloterapia
Asma
Ivas de repetição e faringoamigdalites
Rinossinusopatias
Otites
Dificuldade escolar
Enurese
Cefaléia
Dor abdominal recorrente
Dor em membros recorrente
Diarréia
Medicina baseada em evidência
Pneumonias de repetição
A consulta do adolescente
Variabilidade do crescimento e desenvolvimento do adolescente
Sexualidade na adolescência
Obesidade
Afecções cirúrgicas
Ortopedia
Hematúria
Sopro cardíaco inocente
1.2 Outras Atividades Programadas (descrição) 
*Curriculum Vitae em formulário próprio
4. Atividades Optativas 
Participação em trabalhos científicos desenvolvidos pelos médicos-assistentes
3. Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Atendimento ambulatorial - 8 horas semanais
59
Discussão de casos - 4 horas semanais
Seminários - 2 horas semanais
Supervisão na Liga de Puericultura - 2 horas
Reunião semanal de atualização com os assistentes - 4 horas
4. Trabalho de Campo (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Carga Horária Total 
Carga Horária: 12 meses/20h semanais - 960 horas incluindo 12
horas de plantão diurno a cada 15 dias
Duração do Estágio 12 meses - 20 h/semanais
Período do Estágio  Início em 1º de fevereiro
Pré-requisito 
Residência Médica em Pediatria (2 anos) credenciada pela Comissão
Nacional e MEC ou Estágio (2 anos) equivalente
Forma(s) de Seleção  Prova e/ou Entrevista e Análise de Curriculum
Mensalidade  um salário mínimo
Número de Vagas (mínimo e máximo)  2 (dois)
____________________________________________________________________
Forma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final  Serão realizadas 2 avaliações
formais, uma na metade e outra no final do estágio.

Freqüência mínima de 80%

Estágio supervisionada, com conceito final de aproveitamento 70%.
Bibliografia 
Sucupira, ACSL e cols - Pediatria em Consultório, São Paulo, 4ª ed. Sarvier, 2000.
Marcondes, E e cols. - Pediatria Básica, São Paulo, 9ª ed. Sarvier, 2002.
Lista de Colaboradores (indique: nome, titulação ou qualificação, instituição, atividade a ser
desenvolvida por ele e justificativa) 
60
PEDIATRIA AMBULATORIAL NÍVEL SECUNDÁRIO
NO CSE PINHEIROS “DR. VICTOR ARAÚJO HOMEM DE MELLO”
Coordenadora *  profª dra. sandra j. ferraz ellero grisi
Titulação  professora associada
Departamento  pediatria fmusp
Vice-coordenador *  dra. andréa cianciarullo
Titulação  médica pediatra e hebiatra
Departamento  pediatria fmusp
_____________________________________________________________________
Objetivos do estágio capacitar o pediatra a prestar atendimento integral à criança e ao
adolescente portador de doenças crônicas de complexidade intermediária em ambulatório
pediátrico, permitindo que o complementando desenvolva maior autonomia para o atendimento,
estabelecendo um vínculo maior com seus pacientes.
1. atividades teórico-práticas obrigatórias atividade prática: atendimento individualizado da
clientela pediátrica. o complementando formará sua própria clientela a partir dos casos novos
atendidos desde o início do estágio. atividade teórica: reunião de discussão de artigos e
preparo de casos, elaboração de um projeto de pesquisa.
Carga horária: atendimento médico: 12h/sem
preparo caso/discussão artigo: 4 h/sem
elaboração de projeto pesquisa: 4 h/sem
1.1 seminários (programa e carga horária) infecções crônicas e recorrentes do trato
respiratório, alergia respiratória, alergia alimentar, dermatite atópica, s. bebê chiador, dores
recorrentes: dor abdominal, cefaléia, dor em membros, distúrbios nutricionais:anemia e
desnutrição de mais difícil controle, afecções do trato urinário: itu e hematúria, deficuldade
escolar, problemas de saúde do adolescente, dermatopatias, otorrinilaringologia pediátrica,
aspectos relevantes de fonoaudiologia.
carga horária: 4 h/sem
1.2 outras atividades programadas (descrição)  não tem
*curriculum vitae em formulário próprio
Atividades optativas não tem.
61
Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Atividades:
prática:
teórica:
atendimento pediátrico 0-19 an0s – 12 h/sem
preparo de casos/discussão de artigos: 4h/sem
elaboração de projeto pesquisa: 4h/sem
forma de supervisão: em campo.
Trabalho de Campo (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) NÃO
TEM.
Carga Horária Total  20 H/SEM
Duração do Estágio  1 ANO
Período do Estágio  início em 1º de fevereiro
Pré-requisito 
dias na Unidade.
12 meses - 960 horas incluindo plantões diurnos de 12 horas a cada 15
Forma(s) de Seleção análise de currículo e entrevista
Mensalidade  um salário mínimo
Número de Vagas (mínimo e máximo)  1 A 2
Forma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final 70% CONCEITO E 30% PROVA
Bibliografia PEDIATRIA BÁSICA: EDUARDO MARCONDES, FLÁVIO A COSTA VAZ, JOSÉ
L A RAMOS, YASSUHIKO OKAY. ED SARVIER, 2002.
PEDIATRIA EM CONSULTÓRIO.ANA CECÍLIA SUCUPIRA E COL.
Lista de Colaboradores (indique: nome, titulação ou qualificação, instituição, atividade a ser
desenvolvida por ele e justificativa)  NÃO TEM.
62
PEDIATRIA COMUNITÁRIA
Coordenador * 
Titulação 
Departamento 
Dr. Renato Minoru Yamamoto
Mestre
Pediatria
Vice-Coordenador * 
Dra. Vera Freire Gonçalves
Titulação 
Médico Assistente
Departamento 
Pediatria
_____________________________________________________________________
Objetivos do Estágio 
Possibilitar ao médico estagiário o aprimoramento em Pediatria Geral na área de atenção
básica, através da assistência à saúde às crianças residentes nas aldeias guaranis de
Paralheiros, São Paulo (SP).
Objetivos Específicos:
Ao final do estágio, o aluno deverá ser capaz de:
Realizar assistência à saúde das crianças e adolescentes, executando cuidados preventivos e
curativos, no nível individual e coletivo.
Conhecer e atuar dentro do sistema do atendimento de saúde das aldeias indígenas de
Parelheiros.
Realizar assistência domiciliar, sendo responsáveis por ações de promoção de saúde e
prevenção dos principais problemas de saúde da comunidade da Vila Alba - Favela Vila Assunção
Conhecer e utilizar os recursos da comunidade disponíveis na região de Parelheiros e da Vila
Alba.
Treinar membros da comunidade como agentes de saúde, que serão responsáveis pela
multiplicação de conhecimentos de promoção de saúde e prevenção de agravos à saúde de
crianças e adolescentes das comunidades.
Atuar em equipe multiprofissional.
Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias 
1.
atendimento ambulatorial de clientela das aldeias indígenas de Parelheiros, por 8 horas em
período integral, 1 vez por semana.
2. Assistência domiciliar na favela Assunção, 4 horas por semana.
3. Discussão de artigos e seminários, 4 horas por semana.
4. Estudo e pesquisa, 4 horas por semana.
1.1 Seminários (programa e carga horária) 
O médico estagiário deverá participar dos seminários sobre temas:
Os povos indígenas no Brasil: hábitos, costumes e condições de vida.
A influência do ambiente físico sobre a saúde infantil.
63
Avaliação do estado nutricional.
Aleitamento materno
Imunização
Prevenção e tratamento da anemia, raquitismo.
Prevenção e tratamento da Doença Diarréica.
Prevenção e tratamento da Doença respiratória
Assistência domiciliar.
Meio ambiente, habitação e saúde.
Relacionamento médico-paciente.
Recuperação nutricional em pediatria ambulatorial
O binômio desnutrição-infecção.
Desnutrição e retardo de crescimento.
1.2 Outras Atividades Programadas (descrição) 
*Curriculum Vitae em formulário próprio
Atividades Optativas 
Participação em trabalhos científicos desenvolvidos pelos médicos-assistentes
Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Atendimento ambulatorial - 12 horas semanais
Seminários e discussão de artigos - 4 horas semanais
Estudo e pesquisas - 4 horas semanais
Trabalho de Campo (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Carga Horária Total  12 meses/20 h semanais - 960 horas incluindo plantões diurnos de 12
horas a cada 15 dias na Unidade.
Duração do Estágio  12 meses - 20h/semanais
Período do Estágio  01/02/2008
Pré-requisito  Residência Médica em Pediatria (2 anos) credenciada pela Comissão Nacional e
MEC ou Estágio (2 anos) equivalente.
Forma(s) de Seleção  Análise de curriculum + Entrevista e/ou prova
Mensalidade  um salário mínimo
Número de Vagas (mínimo e máximo)  2 (dois)
64
Forma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final 
Serão realizadas 2 avaliações formais, uma na metade e outra no final do estágio.
Freqüência mínima de 80%
Conceito de aproveitamento 70%
Prova Escrita 30%
Bibliografia 
Forattini, OP - Epidemiologia Geral, São Paulo, 2ª ed. Artes Médicas, 1996.
Grisi, S e Escobar, A. M - Prática Pediátrica, São Paulo, Ed. Atheneu, 2000.
Sucupira, ACSL e cols - Pediatria em Consultório, São Paulo, 4ª Ed. Sarvier, 2000.
Marcondes, E e cols. - Pediatria Básica, São Paulo, 9ª ed. Sarvier. 2002.
Lista de Colaboradores (indique: nome, titulação ou qualificação, instituição, atividade a ser
desenvolvida por ele e justificativa) 
65
PEDIATRIA GERAL
Coordenador * 
Titulação 
Departamento 
Dr. Luiz Bellizia Neto
Doutor
Pediatria
Objetivos do Estágio  Aprimoramento dos conhecimentos adquiridos durante a residência
básica em Pediatria, tornando-os aptos a realizarem atividades de ensino e pesquisa,
preparando o profissional médico também a exercerem atividades correlacionadas a
implantação e coordenação de serviços em Pediatria Geral .
1. Ampliar os conhecimentos do médico sobre a pediatria clínica hospitalar com nível de
atenção secundária.
2. Aprimorar a
fundamentação fisiopatológica das patologias mais freqüentemente
encontradas em enfermaria geral de pediatria.
3. Desenvolver capacidade de trabalhar com equipe multiprofissional em enfermaria geral de
Pediatria .
4. Preparar o médico para implantação e coordenação de serviços de Pediatria .
5. Capacitar o complementando a realizar projetos de pesquisa clínica na área de enfermaria
geral.
Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias 
1. Atendimento sob supervisão aos pacientes internados na Enfermaria de Pediatria do
Hospital Universitário da USP e Enfermaria de Pediatria do Hospital Auxiliar de Cotoxó
do HCFMUSP.
2. Visitas diárias com os médicos residentes e alunos de graduação do 5º e 6º anos, sob
médicos assistentes.
3. Visitas diárias com os médicos assistentes .
4. Preparo e discussão de casos em visita geral nas unidades.
5. Participação como docente nas atividades didáticas desenvolvidas com os residentes de
primeiro ano, sob supervisão dos médicos do serviço.
6. Participação semanal em reunião geral de equipe multiprofissional.
7. Participação semanal em reunião geral da Divisão de Clínica Pediátrica.
8. Atendimento ambulatorial semanal dos pacientes egressos da enfermaria durante o
período do estágio no Hospital Universitário da USP.
9. Realização de seminários sob orientação dos médicos assistentes.
10. Participação em projetos de pesquisa em andamento nas unidades envolvidas.
As atividades serão realizadas nas enfermarias gerais dos dois hospitais com objetivo
de proporcionar ao complementado, a oportunidade de vivenciar experiências em dois tipos de
assistência hospitalar em pediatria geral, mas com características diferentes, permitindo
assim, complementar a sua formação.
1.1 Seminários (programa e carga horária) 
Insuficiência cardíaca congestiva
Heptoeplecomegalia
66
Febre sem sinais localizatórios
Artrite
Infecções fúngicas
Nefrite e Nefrose
1.2 Outras Atividades Programadas (descrição) 
*Curriculum Vitae em formulário próprio
Atividades Optativas  já descritas anteriormente.
Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
já descritas anteriormente.
Trabalho de Campo (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão)  já
descritas anteriormente.
Carga Horária Total  12 meses/ 20h semanais – 960 horas ou 24 meses/1920 horas
20 horas semanais, ( 960 horas/ano ) em regime de tempo parcial, sendo 6 meses no hospital
Auxiliar de Cotoxó e 6 meses na Enfermaria de Pediatria do Hospital Universitário (incluindo
plantões de 12 horas a cada 15 dias na área de atuação.
Duração do Estágio  12 ou 24 meses (a critério do candidato)
Período do Estágio  01/02/2008
Pré-requisito  Residência Médica ( 2 anos credenciada pela Comissão Nacional e Mec e/ou
Estágio equivalente de 2 anos em Pediatria ).
Forma(s) de Seleção  Análise de curriculum vitae, entrevista e avaliação formal.
Mensalidade  um salário mínimo
Número de Vagas (mínimo e máximo)  4
Forma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final  A avaliação é feita de modo continuo
a partir do desempenho do complementando, com base em critério pré-estabelecidos e que
correspondam aos objetivos propostos.
Bibliografia 
Marcondes E, ed. Pediatria Básica. 9a edição.
Lista de Colaboradores (indique: nome, titulação ou qualificação, instituição, atividade a ser
desenvolvida por ele e justificativa) 
67
PEDIATRIA NEONATAL
Coordenador  Dra. Lilian dos Santos Rodrigues Sadeck
Titulação  Doutora
Departamento  Departamento de Pediatria da FMUSP
Vice-Coordenador  Profa. Dra. Maria Esther Jurfest Rivero Ceccon
Titulação  Professora Livre Docente
Departamento  Departamento de Pediatria da FMUSP
Programa com 2 anos de duração
Objetivos do Estágio 
Objetivos Geral do Estágio:
Capacitar o médico complementando a prestar assistência ao recém-nascido (RN) nos
vários níveis de complexidade, desde baixa até a alta complexidade, incluindo atendimento em
sala de parto, alojamento conjunto, cuidados intermediários, semi-intensivos e intensivos,
transporte de RN de risco e acompanhamento ambulatorial. A assistência deve abranger o
cuidado ao RN desde o nascimento até o seguimento ambulatorial após a alta hospitalar.
Objetivos Específicos:
Ao final do estágio, o médico complementando deverá ser capaz de:
Área Cognitiva
a) programar e realizar a reanimação de RN de baixo risco e de alto risco ao
nascimento e na UTI neonatal.
b) reconhecer as diferenças relativas à identificação e assistência de RN de baixa
complexidade e de alta complexidade
c) programar a nutrição, enteral e/ou parenteral de RN de baixa e de alta
complexidade, levando em consideração as peculiaridades de cada caso;
d) estimular o aleitamento materno e conhecer as técnicas de amamentação.
e) estabelecer o diagnóstico diferencial e tratar os seguintes distúrbios neonatais:
síndrome ictérica, insuficiência respiratória, distúrbios metabólicos, neurológicos e
hematológicos, infecções congênitas e adquiridas;
f) indicar o tipo de isolamento necessário e as medidas preventivas a serem tomadas
em situações de infecção no RN;
g) programar o seguimento do RN de baixa e alta complexidade após a alta hospitalar.
Área Psicomotora
a) avaliar as condições vitais e executar a reanimação de RN de baixa e de alta
complexidade ao nascimento e na UTI neonatal.
b) excecutar exame físico completo do recém-nascido, reconhecendo os sinais de risco;
e executar os métodos de avaliação da idade gestacional.
c) prescrever os cuidados básicos específicos a cada caso;
68
d) realizar punções venosa e arterial, para coleta de sangue, e coleta de liquor,
necessárias à realização de exames laboratoriais;
e) adestrar-se na execução de procedimentos específicos em RN de alta complexidade:
exsanguíneo-transfusão, intubação endotraqueal, cateterismo de vasos umbilicais, drenagem
pulmonar, administração de surfactante exógeno e outros.
f) executar o seguimento ambulatorial de RN após a alta hospitalar.
Área Afetiva
a) valorizar as medidas preventivas adotadas na área neonatal em relação às infecções
ou a outras patologias, como essenciais à assistência ao RN;
b) valorizar os dados de histórias e exame físico para formulação de hipóteses
diagnósticas;
c) integrar-se à equipe multiprofissional da área em suas atividades com os RN e seus
pais; participando das atividades de humanização;
d) informar adequadamente aos pais quanto à evolução de seus filhos, valorizando esta
conduta como parte integrante da assistência ao RN;
e) valorizar o seguimento ambulatorial do RN após a alta hospitalar como um mecanismo
de prevenção de agravos futuros.
1. Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias 
a) evolução e prescrição diária dos RN internados;
b) colheita de sangue e líquor para realização de exames laboratoriais;
c) treinamento em procedimentos especiais;
d) participação em visitas diárias, pela manhã e à tarde, com discussão dos casos
internados;
e) participação ao atendimento do RN em sala de parto;
f) participação em evoluções de final de semana e feriados de acordo com rodízio
estabelecido no início do estágio;
g) participação em reuniões clínicas e seminários para residentes realizados na área
neonatal;
h) participação nas atividades de atendimento ambulatorial.
1.1 Atividades teóricas (programa e carga horária)  15% da carga horária
a) Reunião semanal de discussão de artigos, que devem ser preparados pelos
complementandos e apresentados para discussão.
b) Seminários com participação dos residentes de 2º ano de pediatria e 3º ano em
neonatologia
c) Participação na reunião semanal do respectivo estágio .
d) Participação na reunião mensal da Disciplina de Pediatria Neonatal
1.2 Atividades Práticas (descrição) 
85% da carga horária
Primeiro Ano
Estágio no Berçário Anexo à Maternidade do Hospital das Clínicas – 3 meses
Estágio na UCINE do Instituto da Criança – 3 meses
Estágio no Berçário Anexo à Maternidade do Hospital Universitário – 3 meses
Estágio na UTI neonatal do Instituto do Coração - 2 meses
69
Férias – 1 mês
Realizar o curso teórico-prático de reanimação neonatal.
Segundo Ano
Estágio no Berçário Anexo à Maternidade do Hospital das Clínicas – 2 meses
Estágio na UCINE do Instituto da Criança – 2 meses
Estágio no Berçário Anexo à Maternidade do Hospital Universitário – 2 meses
Estágio Opcional em um dos três estágios anteriores – 5 meses
Férias – 1 mês
Apresentação de uma monografia ao final do programa
1.3.
Atividades Optativas  No segundo ano do estágio existe a possibilidade de
realização de estágio opcional, incluído no período de 5 meses de estágio opcional.
1.4. Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de
supervisão) 
Berçário Anexo à Maternidade:
Setor de Baixa Complexidade - 23 leitos
Setor de Alta Complexidade: 40 leitos
Terapia Intensiva Neonatal
Isolamento
Semi-Intensiva
Sala de Parto
Ambulatório de Puericultura e Seguimento
Plantão no Berçário Anexo à Maternidade, noturno ou final de semana, um a cada 15
dias.
A supervisão será feita pelos assistentes responsáveis pelas respectivas áreas e
durante os plantões pelos assistentes de plantão.
UCINE (Unidade de Cuidados Intensivos Neonatal)
Assistência:
Evolução e prescrição diária dos Recém-Nascidos Internados nos leitos de cuidados
intensivos e isolamento.
Participação nos ambulatórios de Patologias Específicas e de RN prematuros.
Participação no grupo de pais 1x semana
Participação na reunião de óbitos 1 vez/mês
Preparação e Discussão de Artigos 1 vez/semana
Plantão de 12 horas de fim de semana diurno a cada 15 dias na UCINE
UNIDADE NEONATAL DO HU
Assistência
Atendimento do RN na sala de parto
Atendimento na UTI Neonatal
Atendimento no Berçário de baixa, média e alta complexidade (inclusive no Isolamento).
Assistência do RN no Alojamento conjunto e participação no Banco de Leite Humano
70
Participação no ambulatório de seguimento dos RN patológicos.
4. Trabalho de Campo (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Carga Horária Total  3840 horas
Duração do Estágio  24 meses com 40 horas semanais incluindo plantões de 12 horas a cada
15 dias na área de atuação da Pediatria Neonatal
Período do Estágio  -Início 1º de fevereiro
Pré-requisito  Pré-requisito: 2 anos de Residência em Pediatria Geral em Instituição
Credenciada. Pela CNRM, conforme disposto na Resolução MEC/SES no 4 de 23/12/2003.
Forma(s) de Seleção  Prova de Conhecimentos em Pediatria em nível de Pós-graduação sensulatu (peso de 90%), Análise de Curriculum (peso 5%) e Entrevista (peso 5%)
Mensalidade  isento
Número de Vagas (mínimo e máximo)  09 a 12 vagas
Forma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final  Baseada:
Na participação e frequência diária no estágio
Prova escrita ao final de cada ano.
Apresentação de uma monografia ao final do programa.
Bibliografia  Pediatria Básica – 9º ed Tomo I e II, Ed Marcondes, E; Vaz, FAC; Ramos, JLA;
Okay, Y 2002 e 2003
Manual do Médico Residente de Pedaitria Ed Diniz, EMA; Okay, Y; Tobaldini, R;
Vaz, FAC, 2004
Manual of Neonatal Care, 5ª ed Ed Cloherty, Eichenwald and Stark, 2004
Lista de Colaboradores (indique: nome, titulação ou qualificação, instituição, atividade a ser
desenvolvida por ele e justificativa) 
Participação de todo o corpo clínico das 4 unidades envolvidas no programa.
71
Programa com 1 ano de duração
Objetivos do Estágio 
Objetivos Geral do Estágio:
Capacitar o médico complementando a prestar assistência ao recém-nascido (RN) nos
vários níveis de complexidade, desde baixa até a alta complexidade, incluindo atendimento em
sala de parto, alojamento conjunto, cuidados intermediários, semi-intensivos e intensivos,
transporte de RN de risco e acompanhamento ambulatorial. A assistência deve abranger o
cuidado ao RN desde o nascimento até o seguimento ambulatorial após a alta hospitalar.
Objetivos Específicos:
Ao final do estágio, o médico complementando deverá ser capaz de:
Área Cognitiva
a) programar e realizar a reanimação de RN de risco ao nascimento e na UTI neonatal.
b) programar a nutrição, enteral e/ou parenteral de RN de risco, levando em
consideração as peculiaridades de cada caso;
c) estimular o aleitamento materno e conhecer as técnicas de amamentação.
d) Diagnósticar e tratar os principais distúrbios neonatais: síndrome ictérica,
insuficiência respiratória, distúrbios metabólicos, neurológicos, hematológicos, infecções
congênitas e adquiridas;
f) Assistir o RN em ventilação mecânica indicando, se necessário outras modalidades de
ventilação.
f) indicar o tipo de isolamento necessária e as medidas preventivas a serem tomadas
em situações de infecção no RN;
g) programar o seguimento do RN de alto risco após a alta hospitalar.
Área Psicomotora
a) avaliar as condições vitais e executar a reanimação de RN de risco ao nascimento e
na UTI neonatal.
b) executar exame físico completo do recém-nascido, reconhecendo os sinais de risco;
e executar os métodos de avaliação da idade gestacional.
c) executar escore de avaliação de prognóstico de RN de risco (CRFB).
c) prescrever os cuidados básicos específicos a cada caso;
d) Orientar residentes nas punções venosa e arterial para coleta de sangue e coleta de
liquor, necessárias à realização de exames laboratoriais.
e) adestrar-se na execução de procedimentos específicos em RN de alto risco:
exsanguíneo-transfusão, intubação endotraqueal, cateterismo de vasos umbilicais, drenagem
pulmonar, administração de surfactante exógeno e outros.
f) executar o seguimento ambulatorial especialidade de RN de risco após a alta
hospitalar.
Área Afetiva
a) valorizar as medidas preventivas adotadas na área neonatal em relação às infecções
ou a outras patologias, como essenciais à assistência ao RN;
72
b) valorizar os dados de histórias e exame físico para formulação de hipóteses
diagnósticas;
c) integrar-se à equipe multiprofissional da área em suas atividades com os RN e seus
pais; participando das atividades de humanização;
d) informar adequadamente aos pais quanto à evolução de seus filhos, valorizando esta
conduta como parte integrante da assistência ao RN;
e) valorizar o seguimento ambulatorial do RN após a alta hospitalar como um mecanismo
de prevenção de agravos futuros.
1. Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias 
ATIVIDADES TEÓRICOS PRÁTICAS
a) evolução e prescrição diária dos RN internados em setor de alta complexidade
b) colheita de sangue e líquor para realização de exames laboratoriais;
c) treinamento em procedimentos especiais;
d) participação em visitas diárias, pela manhã e à tarde, com discussão de casos
internados;
e) participação ao atendimento do RN de risco em sala de parto;
f) participação em evoluções de final de semana e feriados de acordo com rodízio
estabelecido no início do estágio;
g) participação em reuniões clínicas e seminários para residentes realizados na área
neonatal;
h) participação nas atividades de atendimento ambulatorial do RN de risco.
1.1 Seminários (programa e carga horária)  15% da carga horária
a) Reunião semanal de discussão de artigos, que devem ser preparados pelos
complementandos e apresentados para discussão.
b) Seminários com participação dos residentes de 2º ano de pediatria e 3º ano em
neonatologia
c) Participação na reunião semanal do respectivo estágio .
d) Participação na reunião mensal da Disciplina de Pediatria Neonatal
e) Realização de uma pesquisa retro ou prospectiva no final do estágio.
1.2 Atividades Práticas (descrição) 
85% da carga horária
Estágio no Berçário Anexo à Maternidade do Hospital das Clínicas – 2 meses
Estágio na UCINE do Instituto da Criança – 2 meses
Estágio no Berçário Anexo à Maternidade do Hospital Universitário – 2 meses
Estágio Opcional em um dos três estágios anteriores – 5 meses
Férias – 1 mês
Realizar curso teórico-prático de reanimação neonatal, se não tiver atualizado
Atividades Opcionais (descrição)  existe a possibilidade de realização de estágio opcional,
incluído no período de 5 meses de estágio opcional..
Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Berçário Anexo à Maternidade:
73
Setor de Alta Complexidade:
Terapia Intensiva Neonatal
Isolamento
Semi-Intensiva
Sala de Parto
Ambulatório de Seguimento de RN de risco: 2x semana
A supervisão será feita pelos assistentes responsáveis pelas respectivas áreas e
durante os plantões pelos assistentes de plantão.
UCINE (Unidade de Cuidados Intensivos Neonatal)
Atendimento na UTI Neonatal e setor de Isolamento
Participação ativa nos ambulatórios de Patologias Específicas e de RN prematuros (2 x
semana).
Participação ativa na reunião de óbitos 1 vez/mês
Preparação e Discussão de Artigos 1 vez/semana
UNIDADE NEONATAL DO HU
Atendimento do RN na sala de parto
Atendimento na UTI Neonatal
Atendimento no Berçário de baixa, média e alta complexidade (inclusive no Isolamento)
Participação no ambulatório de seguimento dos RN patológicos.
1.
Trabalho de Campo (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Carga Horária Total  1920 horas
Duração do Estágio  12 meses - 40 horas semanais incluindo plantões de 12 horas a cada 15
dias, na área de atuação de Pediatria Neonatal
Período do Estágio  Início 1º de fevereiro
Pré-requisito  2 anos de residência em Pediatria, em programa credenciado pela
CNRM, conforma disposto na Resolução MEC/SES No 4 de 23/12/2003 e 1 ano adicional de
Residência em Pediatria com área de atuação em Neonatologia, credenciado pelo MEC
Período de Seleção  Forma(s) de Seleção   Prova de Conhecimentos em Pediatria em nível
de Pós-graduação sensu-latu (peso de 90%), Análise de Curriculum (peso 5%) e Entrevista
(peso 5%)
Mensalidade  isento
Forma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final  Baseada:
Na participação e freqüência diária no estágio
74
Prova escrita ao final do estágio
Apresentação de um trabalho ao final do programa.
Bibliografia 
Pediatria Básica – 9º ed Tomo I e II, Ed Marcondes, E; Vaz, FAC; Ramos, JLA; Okay, Y
2002 e 2003
Manual do Médico Residente de Pedaitria Ed Diniz, EMA; Okay, Y; Tobaldini, R; Vaz,
FAC, 2004
Manual of Neonatal Care, 5ª ed Ed Cloherty, Eichenwald and Stark, 2004
Lista de Colaboradores (indique: nome, titulação ou qualificação, instituição, atividade a ser
desenvolvida por ele e justificativa) 
75
PNEUMOLOGIA PEDIÁTRICA
Coordenador * 
Titulação 
Departamento 
Dr. Joaquim Carlos Rodrigues
Doutor
Pediatria
Vice-Coordenador *  Dr. Luiz Vicente Ribeiro Ferreira da Silva Filho
Titulação 
Doutor
Departamento 
Pediatria
_____________________________________________________________________
Objetivos do Estágio 
Aprofundar os conhecimentos em fisiologia, patologia e clínica das doenças do aparelho
respiratório
8. Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias 
Ambulatório – 3 vezes por semana
Seminários – 1 vez por semana
Atividades de Enfermaria – 1 mês
Prova de função pulmonar – 2 meses
Atividades na Unidade de Terapia Intensiva – 1 mês
Discussão de Casos Clínicos – 1 vez por semana
1.1 Seminários (programa e carga horária)  semanalmente; programa inclui os seguintes
assuntos: Técnicas inalatórias; Asma: Tratamento Ambulatorial; Roteiro diagnóstico das
pneumopatias crônicas; Fibrose Cística I: Fisiopatologia e Quadro Clínico; Fibrose Cística II:
Tratamento; Lactente Chiador e Refluxo Gastro-Esofágico; Nutrição em fibrose cística; Prova
de Função Pulmonar; Asma: Fisiopatologia e marcadores inflamatórios; Asma de difícil controle;
Crise aguda de asma; Relação asma-rinite-sinusite; Antagonistas de leucotrienos;
Corticosteróides inalatórios; Associações de drogas no tratamento da asma; Asma: Higiene
Ambiental e Imunoterapia; Escarro induzido; Corticoterapia e osteoporose; Tuberculose;
Derrames pleurais; Tosse crônica; Bronquiolites agudas; Discinesia ciliar; Mecanismos de
defesa do trato respiratório; Pneumonias agudas adquiridas na comunidade; Pneumonias
atípicas; Pneumonias intersticiais ; Pneumonias eosinofílicas; Imunodeficiências e
pneumopatias; Acometimento pulmonar nas colagenoses; Manifestações respiratórias na
infecção por HIV; Acometimento pulmonar na Anemia Falciforme; Bronquiolite obliterante;
Hemorragias pulmonares; Displasia broncopulmonar; Toracoscopia; Cor Pulmonale;
Malformações pulmonares; Acometimento pulmonar nas cardiopatias; Aspergilose
Broncopulmonar Alérgica
1.2 Outras Atividades Programadas (descrição) 
Todos estagiários deverão fazer uma monografia (revisão bibliográfica). Paralelamente,
deverão realizar trabalho prospectivo de interesse da Unidade ou participar dos projetos de
pesquisa em andamento na Unidade.
*Curriculum Vitae em formulário próprio
9. Atividades Optativas 
3. Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
76
4. Trabalho de Campo (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Carga Horária Total 
12 meses - 960 horas
24 meses - 1.920 horas
Duração do Estágio 
12 meses com 20 horas semanais incluindo plantões
de 12 horas a cada 15 dias na área de atuação de
Pneumologia Pediátrica
24 meses com 20 horas semanais incluindo plantões
de 12 horas a cada 15 dias na área de atuação
Pneumologia Pediátrica
Período do Estágio 
Início em 1º de fevereiro
Pré-requisito 
12 meses: Residência Médica (2 anos) credenciada pela Comissão
Nacional e MEC ou Estágio (2 anos) em Pediatria + 1 ano adicional de Residência em Pediatria
com área de atuação em Pneumologia
24 meses - Residência Médica (2 anos) credenciada pela Comissão
Nacional e MEC ou Estágio (2 anos) em Pediatria.
Forma(s) de Seleção 
Mensalidade 
Análise curricular, Prova e Entrevista
um salário mínimo
Número de Vagas (mínimo e máximo) 
7 (sete)
Forma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final 
· Freqüência mínima de 80%
· Estágio supervisionado
· Avaliação formal das disciplinas
· No contato diário: ética, interesse, conhecimento
· Através de prova anual
· Através de monografia e trabalho prospectivo
Bibliografia 
Lista de Colaboradores (indique: nome, titulação ou qualificação, instituição, atividade a ser
desenvolvida por ele e justificativa) 
77
PROMOÇÃO DA SAÚDE, PREVENÇÃO DE DOENÇAS E
ATENÇÃO CURATIVA EM PEDIATRIA
Coordenadora * 
Titulação 
Departamento 
Dra. Viviane Mandarino Terra
Mestre
Pediatria
Vice-Coordenador *  Dra. Paulette C. Douek
Titulação 
Mestre
Departamento 
Pediatria
_____________________________________________________________________
Objetivos do Estágio  Possibilitar ao médico estagiário o aprimoramento na atenção integral
à criança dos 0 aos 12 anos de idade no nível da atenção básica.
Ao final do estágio, o aluno deverá ser capaz de:
1. realizar atendimento, planejamento do acompanhamento e orientações para situações mais
comuns da prática pediátrica ao nível da atenção básica.
2. identificar as condições de vida das crianças e de suas famílias na área de abrangência do
Centro de Saúde Escola (CSE).
3. Identificar os fatores de risco e os determinantes do processo saúde-doença na clientela da
abrangência do CSE.
4. Propor ações de intervenção para promoção de saúde e prevenção de doenças na área de
abrangência do CSE.
5. Realizar uma investigação científica, sob orientação da equipe de assistentes do CSE e
redigir um texto a respeito do trabalho de investigação, contendo introdução, metologia,
resultados, discussão e conclusões.
1. Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias 
1. atendimento ambulatorial individual de clientela do CSE “Prof. Samuel B. Pessoa”
2. atendimento ambulatorial de escolares do CSE “Prof. Samuel B. Pessoa”.
3. visitas domiciliares com discussão das condições de vida e sua repercussão na saúde da
criança.
4. reuniões de discussão de casos do atendimento pediátrico ambulatorial de primeira linha.
5. seminários e discussão de artigos.
6. realização de pesquisa de interesse na área de atenção básica.
1.1 Seminários (programa e carga horária) 
O médico estagiário deverá participar dos seminários sobre temas de pediatria geral,
realizando semanalmente, com 2 horas de duração sobre os temas:
Sistema Único de Saúde
Evolução do conceito de saúde
Prática Sanitária: Vigilância à Saúde
Processo Saúde – doença: determinantes e risco
78
Programas e ações de saúde coletiva
Particularidades do atendimento ambulatorial da criança e do adolescente: atualização dos
conhecimentos.
Ações básicas de saúde: o papel do pediatra.
O relacionamento médico paciente: os desafios do pediatra no consultório.
Doenças respiratórias de infância: abordagem ambulatorial dos quadros infecciosas e alérgicos.
Dermatopatias
Saúde bucal: aspectos preventivos e as doenças odontológicas mais freqüentes.
Dificuldade escolares.
Noções básicas de metodologia de pesquisa.
A pesquisa na atenção básica.
1.2 Outras Atividades Programadas (descrição) 
*Curriculum Vitae em formulário próprio
Atividades Optativas 
Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Atendimento ambulatorial – 12 horas semanais
Discussão de casos – 4 horas semanais
Seminários – 2 horas semanais
Runião de artigos – 2 horas
Trabalho de Campo (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Carga Horária Total  12 meses/20h semanais – 960 horas incluindo plantões diurnos de 12
horas a cada 15 dias na Unidade.
Duração do Estágio  12 meses – 20/h semanais
Período do Estágio  01/02/2008
Pré-requisito  Residência Médica em Pediatria (2 anos) credenciada pela Comissão Nacional e
MEC ou Estágio (2 anos) equivalente.
Forma(s) de Seleção  Análise de Curriculum + Entrevista e/ou Prova escrita
Mensalidade  um salário mínimo
Número de Vagas (mínimo e máximo)  2 (dois)
79
Forma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final 
Freqüência mínima de 80%
Estágio supervisionado, com conceito final de aproveitamento 70%.
Prova de conhecimento, com nota mínima de 7
Bibliografia 
Forattini, OP – Epidemiologia Geral, São Paulo, 2ª ed.Ed. Artes Modernas, 1996
Grisi, S. e Escobar, A.M. – Prática Pediátrica, São Paulo, Ed. Atheneu, 2000.
Sucupira, ACSL e cols. – Pediatria em Consultório, São Paulo, 4ª Ed. Sarvier, 2000.
Marcondes, E e cols. – Pediatria Básica, São Paulo, 9ª Ed. Sarvier, 2002.
Lista de Colaboradores (indique: nome, titulação ou qualificação, instituição, atividade a ser
desenvolvida por ele e justificativa) 
80
REUMATOLOGIA PEDIÁTRICA
Coordenador *  Prof. Dr. Clóvis Artur Almeida da Silva
Titulação  Professor Livre-Docente em Medicina pela FMUSP; Responsável pela Unidade de
Reumatologia Pediátrica do ICr-HC-FMUSP
Departamento  Pediatria
Vice-Coordenador * 
Titulação 
Departamento 
_____________________________________________________________________
Objetivos do Estágio 
- Identificar os diversos quadros clínicos das patologias reumáticas pediátricas e seus
respectivos critérios diagnósticos.
- Integrar conhecimentos para realização de diagnósticos diferenciais.
- Conhecer os exames complementares utilizados em reumatologia quanto as metodologias,
interpretações e indicações.
- Conhecer as alterações imunológicas e fisiopatologia das patologias reumáticas.
- Conhecer o arsenal terapêutico utilizado na reumatologia pediátrica e suas indicações,
posologias, e efeitos colaterais.
- Conhecer noções de reabilitação articular e muscular.
- Conhecer os fatores prognósticos nas patologias reumáticas.
1. Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias 
- Atividades de Ensino: aulas e seminários sobre as diversas patologias reumáticas, com
ênfase no diagnóstico clínico e laboratorial, fisiopatologia e terapêutica; discussão de artigos
científicos (quinzenal); reunião de preparo com discussão dos casos ambulatoriais (quinzenal) e
ambulatório didático (uma tarde semanalmente).
- Atividades Assistenciais: visita aos pacientes internados, bem como aqueles que estão no
pronto socorro será realizada, diariamente, nas diversas áreas do Instituto da Criança,
conjuntamente com o médico assistente; participação ativa na visita na enfermaria de todas as
especialidades e visita de reumatologia com apresentação e discussão dos casos clínicos
internados no Instituto da Criança (enfermaria de especialidades, SCUT, UTI, semi-intensiva e
berçário), atendimento a pacientes ambulatoriais, assistência aos pacientes no leito dia para
infusão de gamaglobulina e ciclofosfamida endovenosa, pulsoterapia com metilpredinisolona e
agentes biológicos. Atividades de assistência, aos pacientes internados, nos finais de semana
em todo o complexo HC, que são avaliados pelos médicos da Unidade e supervisionados pelos
assistentes.
81
- Atividade de pesquisa: realização mínima de um trabalho científico anual, com apresentação
em congressos nacional e internacional de pediatria e/ou reumatologia e posterior publicação
em revista médica nacional e internacional.
1.1 Seminários (programa e carga horária)  Laboratório em Reumatologia I: VHS, PCR,
mucroproteínas, fator reumatóide (FR) e antiestreptolisina O (ASLO); Laboratório em
Reumatologia II: anticorpos antinúcleo (FAN) e anticorpos antifosfolípides (AAF); Noções de
biópsia muscular; Doses de drogas em Reumatologia Pediatria; Antiinflamatórios não
hormonais; Corticosteróides; Fibromialgia juvenil e dores em membros; Diagnósticos
diferencial de hipermeabilidade; Sd Miofascial e LER; Dermatomiosite Juvenil (DMPM) –
diagnóstico clínico e laboratorial; DMPM – prognóstico; DMPM – tratamento; Quadril doloroso
na faixa etária pediátrica; Lúpus eritematoso sistêmico juvenil (LESJ) – diagnóstico clínico e
laboratorial; fator reumatóide (FR) – diagnóstico clínico e laboratorial; Espondiloartropatias –
diagnóstico clínico e laboratorial; artrite reumatóide juvenil (ARJ) – diagnóstico clinico e
laboratorial; ARJ – tratamento; Vasculites primárias e seundárias na infância; Artrites
piogênicas; Artrites reativas; Artrites neoplásticas; Artrites mecânicas; Síndrome CINCA;
Fibrodisplasia ossificante progressiva; febre de origem indeterminada; osteoporose; noções de
fisioterapia articular e terapia ocupacional.
1.2 Outras Atividades Programadas (descrição) 
- Seminários de Medicina Baseada em Evidências: Critérios de ARJ, AIJ, CHAQ,
escalas de dor, escala de Printo, escala de Helsinki, definições em artrite crônica;
Methotrexate em ARJ, LESJ, DMPM, espondiloartopatias, Granulomatose de Wegener e
poliarterite nodosa sistêmica (PAN) – Pulsoterapia com Ciclofosfamida – estudos recentes em
LESJ, ARJ, DMPM, síndrome de Kawasaki, Granulomatose de Wegener e PAN; Etanercept e
Infliximab em ARJ; Ciclosporina e Azatioprina em ARJ e LESJ; Osteoporose-diagnóstico;
Osteoporose-tratamento; Mortalidade no LESJ; Mortalidade na DMPM e ARJ.
*Curriculum Vitae em formulário próprio
Atividades Optativas 
- Participação nas aulas e discussões das Reuniões do Departamento de Reumatologia da
Sociedade de Pediatria de São Paulo (ultimas quintas-feiras do mês) e do Fórum de Debates da
Sociedade Paulista de Reumatologia (primeiras quartas-feiras do mês).
Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
- Grupo de Colágeno do Departamento de Dermatologia – FMUSP (Responsável Profª. Dra.
Maria Aparecida Constantino): duração dois meses no primeiro ano de estágio; carga horária 40
horas; participação no atendimento de pacientes.
- Grupo de Ortopedia Pediátrica – IOT – FMUSP (Responsável Prof. Dr, Roberto Guarnieiro):
duração dois meses (quartas-feiras à tarde) no primeiro ano de estágio; carga horária 40
horas; participação no atendimento de pacientes.
82
- Laboratório de Investigação Médica da Disciplina de Reumatologia – FMUSP(Responsável
Profª. Dra. Eloísa Bonfa): duração quinze dias (diariamente) no segundo ano do estágio; carga
horária 80 horas; conhecimento das técnicas laboratoriais em auto-imunidade, inflamação,
doença de Lyme, metabolismo ósseo e capilaroscopia.
- Serviço de Medicina Física e Reabilitação em Reumatologia da EPM-UNIFESP
(Responsável Prof. Dr. Jamil Natour): duração um mês no segundo ano do estágio; carga horária
160 horas; conhecimento das técnicas de reabilitação em Reumatologia Pediátrica, com
supervisão de reumatologista, fisioterapeuta e terapeuta profissional.
- Reumatologia Pediátrica no Centro de Saúde Pinheiros (Responsável Dra. Ana Paola
Navarette Lotito): duração um mês no primeiro ano do estágio; carga horária 60 horas;
conhecimento das doenças de atendimento primário e secundário dentro da Reumatologia
Pediátrica.
- Biópsia e histologia muscular (Responsável Dra. Suely Marie e Dra. Adriana Malluf Elias
Sallum): duração um mês no primeiro do estágio; carga horária 60 horas; conhecimento teórico
e prático das técnicas de biópsia e histologia muscular nas diversas miopatias da criança e
adolescente.
Trabalho de Campo (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
- Atividade de Ensino: terças-feiras (manhã) e quintas-feiras (tarde): aulas e seminários sobre
as diversas patologias reumáticas, com ênfase no diagnóstico clínico e laboratorial,
fisiopatologia e terapêutica; terças-feiras (manhã): discussão de artigos científicos (quinzenal)
e reunião de preparo com discussão de casos ambulatoriais (quinzenal). Ambulatório didático
semanal (quartas-feiras).
- Atividades assistenciais: visita aos pacientes internados será realizada, diariamente pela
manhã nas diversas áreas do Instituto da Criança, juntamente com o médico assistente,
segundas-feiras (manhã); participação ativa na visita na enfermaria de especialidades às
terças-feiras (manhã): visita com apresentação e discussão de casos clínicos, a todo Grupo da
Reumatologia Pediátrica, internados o instituto da Criança (enfermaria de especialidades,
SCUT, UTI, Semi-Intensiva e Berçário); quartas, quintas e sextas-feiras (manhã):
atendimentos a pacientes ambulatoriais.
Carga Horária Total 
12 meses - 1920 horas incluindo plantões diurnos de 12 horas a
cada 15 dias na Unidade de Reumatologia Pediátrica.
24 meses - 3840 horas incluindo plantões diurnos de 12 horas a
cada 15 dias na Unidade de Reumatologia Pediátrica.
Duração do Estágio 
24 meses – 40 h/semanais
12 meses – 40 h/semanais
Período do Estágio  01/02/2008
83
Pré-requisito 
24 meses: Residência Médica em Pediatria (2 anos) credenciada
pela Comissão Nacional e MEC e/ou Estágio equivalente
ou
12 meses: Residência Médica em Pediatria (3 anos) credenciada
pela Comissão Nacional e MEC e/ou Estágio equivalente, com o 3º ano de Residência na área de
atuação de Reumatologia.
Forma(s) de Seleção  Prova de conhecimento de Reumatologia Pediátrica; análise de
“curriculun vitae” e entrevista
Mensalidade  isento
Número de Vagas (mínimo e máximo)  05 vagas para primeiro e 05 para segundo ano (Total:
10 vagas)
Forma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final  participação e interesse nas atividades
de ensino, assistenciais e de pesquisa; prova de conhecimento básico em Reumatologia
Pediátrica na admissão e provas semestrais de avaliação durante o estágio; realização e
publicação de um trabalho científico por ano.
Bibliografia 
Cassidy, J. T; Petty, R.E. Texbook of Pediatric Rheumatology. W. B. Saunders Company,
Philadelphia, 4th ed, 2001.
Oliveira, S. K. F; Azevedo, E.C.L. Reumatologia Pediátrica. Revinter, Rio de Janeiro, 2 ed, 2001.
Lista de Colaboradores (indique: nome, titulação ou qualificação, instituição, atividade a ser
desenvolvida por ele e justificativa) 
- Dra. Bernadette de Lourdes Liphaus e Dra. Lúcia Maria Mattei Arruda Campos  Médicas
Assistentes da Unidade de Reumatologia Pediátrica do ICr-HC-FMUSP. Mestres em Medicina
pela FMUSP
- Dra. Ana Paola Navaretto Lolito  Médica Reumatologista Pediátrica do Centro de Saúde
Pinheiros. Mestre em Medicina pela FMUSP.
- Dra. Adriana Maluf Elias Sallum  Médica Reumatologista Pediátrica e Pós-Graduanda do
Departamento de Pediatria da FMUSP. Mestre em Medicina pela FMUSP.
Atividades a serem desenvolvidas pelas Médicas Reumatologistas Pediátricas  participação
ativa nas atividades assistenciais, ensino e pesquisa da Unidade de Reumatologia Pediátrica do
ICr-HC-FMUSP.
84
TERAPIA INTENSIVA EM PEDIATRIA
Coordenador:
Titulação:
Departamento:
Dr. Artur Figueiredo Delgado
Doutor em Pediatria pela FMUSP
Pediatria
Vice-Coordenador:
Titulação:
Departamento:
Dr. Albert Bousso
Doutor em Pediatria pela FMUSP
Pediatria
Programa com 2 anos de duração
I. Cognitivos
 Estabelecer critérios para a internação do paciente criticamente enfermo em UTI
 Reconhecer as principais situações clínicas que levam à internação do paciente
criticamente enfermo
 Aprender os aspectos fisiopatológicos das doenças mais comuns em uma Unidade de
Terapia Intensiva.
 Aprender seqüência de eventos a serem realizados no cuidado do paciente criticamente
enfermo
 Aprender esquemas de monitorização e terapêutica em pacientes graves com:
insuficiência respiratória, cardiovascular, renal e hepática; distúrbios neurológicos,
distúrbios hidroeletrolíticos e ácido básicos, distúrbios endocrinológicos e infecciosos,
politraumatizados, pós operatório de cirurgia cardíaca, neurocirurgia e transplante
hepático
 Aprender métodos de ventilação mecânica não convencionais e monitorização
ventilatória
 Reconhecer as principais patologias da terapia intensiva neonatal e seu tratamento
 Aprender a realizar leitura crítica de artigos científicos
II. Psicomotores








O complementando deve ser capaz de realizar os procedimentos invasivos mais comuns
em uma Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica:
Intubação oro e nasotraqueal
Instalação de catéter venoso central
Instalação de catéter arterial
Reanimação cardio-respiratória
Desfibrilação
Instalação e realização de diálise peritoneal
Instalação de ventilação mecânica
85
III. Afetivos




Transmitir de maneira adequada a situação crítica dos pacientes para familiares,
estabelecer um relacionamento de confiabilidade médico-família
Manter uma preocupação constante com o sofrimento do paciente criticamente
enfermo, respeitando a dignidade da vida e da morte
Estabelecer um vínculo de amizade e cooperação com a equipe multiprofissional de
terapia intensiva
Desempenhar suas atividades respeitando os preceitos éticos e bioéticos em relação
aos pacientes, familiares e membros da equipe multiprofissional
1. Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias
Reconhecimento da fisiopatologia das disfunções orgânicas e seu tratamento, incluindo as
habilidades psicomotoras para a realização dos procedimentos de monitorização e terapêutica.
Fisiopatologia do sistema cardiovascular
Avaliação clínica, eletrocardiográfica e de imagem
Diagnóstico e tratamento das arritmias
Parada cardio respiratória
Insuficiência cardíaca e choque cardiogênico
Crise hipertensiva e edema agudo de pulmão
Fisiopatologia do sistema respiratório
Avaliação clínica, laboratorial e radiológica
Insuficiência respiratória
Funcionamento, indicação e instalação de ventilação mecânica
Fisiopatologia e tratamento da insuficiência renal
Métodos dialíticos
Avaliação clínica, eletroencefalográfica e de imagem
Monitorização da pressão intracraniana
Mal convulsivo
Trauma crânio-encefálico e medular, coma
Morte encefálica e manutenção do doador de órgãos
Sedação, analgesia e bloqueio neuromuscular
Insuficiência adrenal
Cetoacidose diabética e outras complicações do diabetes melitus
Distúrbios hidro-eletrolíticos e do equilíbrio ácido básico
Sistema gastrointestinal
Hemorragia digestiva alta e baixa
Insuficiência hepática, abdômen agudo
Coagulação intravascular disseminada
Uso de hemoderivados
Anticoagulação
86
Prevenção e tratamento das infecções hospitalares
Sepse, sepse grave e choque séptico
Antimicrobianos
Avaliação nutricional e suporte nutricional enteral e parenteral
3.1 Seminários (programa e carga horária):
Carga Horária: 200 horas
Programa:
i - reanimação cardio-respiratória cerebral
ii - procedimentos
iii - sedação e analgesia
iv - insuficiência respiratória aguda
v - cardiocirculatório
vi - nutrição
vii - distúrbios do snc
viii - insuficiência renal
ix - distúrbios hidroeletrolícos e ácido-básicos
x - civd
xi - insuficiência hepática aguda
xii - infecção hospitalar
xiii - intoxicações
xiv – ventilação em neonatologia
xv - bioética
xvi - transporte do paciente grave
xvii - epidemiologia
1.2 Outras Atividades Programadas (descrição)
Visita médica diária a beira do leito
Participação em reuniões científicas e anátomo-clínicas semanais
Colaboração com as atividade de pesquisa em desenvolvimento na unidade
87
Elaboração de protocolo de pesquisa (durante curso de Epidemiologia)
2. Atividades Científicas
O aluno deverá, no primeiro ano:
 participar como colaborador de projetos de pesquisas em andamentos nas UTIs. A lista
de projetos em andamento será apresentada no início do estágio, sendo que cada
residente deverá inserir-se em um ou mais dos projetos em andamento
 preparar um relato de caso para publicação
 realizar monografia no formato de revisão sistemática da literatura para publicação. A
mesma monografia será enviada para AMIB, como pré-requisito para participação do
concurso para obtenção do título de especialista em terapia intensiva pediátrica
 escolher, ao final do ano, tema de projeto de pesquisa que será elaborado no 2º ano
O aluno deverá, no segundo ano:
 continuar sua participação participar como colaborador de projetos de pesquisas em
andamentos nas UTIs
 elaborar o projeto de pesquisa a partir do tema escolhido no final do primeiro ano. O
projeto deverá ser escrito e ter sua metodologia desenvolvida. Durante o mês de
Junho, todos os projetos deverão ser apresentados para o grupo
3. Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão)
Carga horária: 3640 horas
Exame clínico diário dos pacientes da UTI, participação nas visitas, formulando hipóteses
diagnósticas e propondo condutas diagnósticas e terapêuticas; realização de procedimentos
sob supervisão do preceptor ou assistente da unidade
Local: 1o ano - UTI ICR UTI HU INCOR Metodologia e pesquisa clínica Férias -
4 meses e 15 dias
4 meses e 15 dias
1 mês
1 mês
1 mês
Local: 2o ano - UTI ICR 3 meses
UTI HU 3 meses
INCOR 1 mês
B-10 1 mês
Pneumologia / pesquisa 1 mês
Anestesio (InCor) 1 mês
Optativo 1 mês
Férias 1 mês
4. Trabalho de Campo (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão)
dias, obrigatório, na proporção de 5 períodos de 12h durante a semana (noturno) e 4 períodos
de 12h durante fim de semana, realizados na unidade de terapia intensiva pediátrica do
Instituto da Criança ou do Hospital Universitário)
88
Duração do Estágio: 2 anos
Período do Estágio: 01/02/2008
Pré-requisito: Residência médica em pediatria (2 anos) credenciada pelo MEC
Forma de Seleção: Prova, análise curricular e entrevista
Mensalidade: Isento
Número de Vagas (mínimo e máximo): 6
Formas de Avaliação e critérios de aprovação final:
 Frequência mínima de 95 %


Avaliação do desempenho e aproveitamento realizada pelos assistentes da unidade
e preceptor
Provas (ao final do 1º semestre e no final do estágio)
Bibliografia
 Nelson Textbook of Pediatrics (última edição). Behrman, RE
 Pediatria Básica (última edição). Marcondes, E
 Textbook of Pediatric Intensive Care (última edição). Rogers, MC
 Pediatric Intensive Care (última edição). Fuhrman, B
 Manual de Normas Terapia Intensiva Pediátrica (última edição). Stape A, Troster
EJ; Kimura HM, Giglio AE, Bousso A, Carvalho JLB
89
TOXICOLOGIA PEDIATRICA
Coordenadora * 
Titulação 
Departamento 
Dr. Anthony Wong
Doutor
Pediatria
Vice-Coordenadora * Dra. Cristina Andrusaitis SAndron
Titulação 
Farmacêutica
Departamento 
Pediatria
_____________________________________________________________________
Objetivos do Estágio 
Realizar o diagnóstico, tratamento e seguimento de pacientes, em especial crianças,
expostos a quantidade excessivas de fármacos, substâncias químicas, pesticidas, animais
peçonhentos, entre outros;
Identificar os fatores de contaminação e poluição ambientais que possam causar ou
contribuir às doenças humanas, e em especial que possam comprometer o desenvolvimento da
criança e do feto.
Objetivos Específicos
Área Cognitiva
·
·
·
·
Reconhecer as síndromes tóxicas, suas causas e seus tratamentos.
·
·
Identificar as intoxicações crônicas, suas etiologias e os tratamentos apropriados.
·
·
·
·
·
·
·
·
Conhecer os mecanismos fisiopatológicos da ação dos produtos tóxicos.
Fazer o diagnóstico das intoxicações agudas e os agentes etiológicos
Realizar os procedimentos de emergência nas intoxicações agudas, e indicar os antídotos
apropriados.
Reconhecer as principais causas de poluição ambiental, suas origens, seus efeitos sobre a
saúde e o desenvolvimento da criança e as maneiras de neutralizá-lo ou de diminuir seus
efeitos nefastos.
Indicar e analisar os principais parâmetros laboratoriais necessários ao diagnóstico das
intoxicações, avaliação da sua gravidade e acompanhamento da evolução dos pacientes.
Integrar as atividades do CEATOX aos padrões e orientações do Programa INTOX da
Organização Mundial da Saúde.
Realizar o Programa de Farmacovigilância do CEATOX conforme as normas estabelecidas
pelo Centro Colaborador da O.M.S., encaminhando os boletins ao Centro de Uppsala, Suécia.
Supervisionar e orientar as atividades dos plantonistas e estagiários do CEATOX.
Preparar e apresentar os temas selecionados nas reuniões do Departamento.
Preparar trabalhos e apresentações nos diversos Congressos e Simpósios de toxicologia,
nacionais e internacionais.
Avaliar criticamente o importância, o valor e a relevância dos exames toxicológicos nos
pacientes expostos a substâncias toxicantes.
Apresentar e desenvolver um plano de pesquisa de toxicologia clínica.
90
Área Psicomotora
·
·
·
Realizar com eficiência o atendimento e assistência ao paciente intoxicado.
·
Avaliar criticamente os vários procedimentos de emergência à luz dos conhecimentos
atuais de farmacodinâmica e farmacocinética.
·
Indicar e supervisionar o tratamento mais adequado para cada intoxicação.
Executar as manobras e os procedimentos necessários para tratar os pacientes
intoxicados.
Realizar, sob supervisão, os exames especializados de laboratório, como identificação e
quantificação da substância toxicante nos fluidos biológicos.
Área Afetiva
·
·
·
Promover e valorizar as medidas preventivas nas intoxicações, sobretudo no ambiente
doméstico.
Avaliar a incidência de tentativas de suicídio em jovens e crianças e procurar esclarecer
suas causas e os meios de sua prevenção.
Procurar a integração de grupos multiprofissional e multiespecialidade na avaliação,
tratamento e prevenção de intoxicações, sobretudo na população pediátrica.
Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias 
·
Atendimento telefônico de esclarecimento e orientação ao paciente, ao paciente deste
e/ou médico atendente nos casos de intoxicação.
·
Avaliação, atendimento, evolução e acompanhamento dos pacientes intoxicados que estão
internados no I.Cr. ou em outra dependência do Complexo HC.
·
·
·
·
·
·
Supervisionar o atendimento telefônico realizado pelos estagiários do CEATOX,
procurando orientar para um serviço mais eficaz e cortês.
Reavaliar as notificações realizadas para complementar as informações fornecidas.
Promover discussão dos casos atendidos por telefone e dos pacientes internados.
Participar e preparar as reuniões clínicas quinzenais do CEATOX e dos seminários para
residentes.
Participar das reuniões com todos os setores do HC que procuram o CEATOX para
atividades conjuntas.
Plantões diurnos de 12 horas a cada 15 dias na Unidade.
Didáticas
·
·
·
Supervisionar e orientar as atividades dos estagiários do CEATOX.
Preparar e dar aulas, sob supervisão, aos internos do SCUT.
Avaliar e auxiliar na atualização das condutas de tratamento das intoxicações
1.1 Seminários (programa e carga horária) 
91
1.2 Outras Atividades Programadas (descrição) 
· Desenvolver plano de pesquisa, do planejamento à sua execução, para apresentação ao fim
·
do estágio complementar.
Propor e desenvolver pesquisas experimentais e clínicas para publicação em revistas
científicas e apresentação em Congressos e Seminários nacionais e internacionais.
*Curriculum Vitae em formulário próprio
Atividades Optativas 
Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Centros de Controle e de Assistência Toxicológica em outras instituições
Laboratório de Análise Clínicas do I.Cr..
Divisão de Farmácia do Instituto Central do H.C.
Instituto de Psiquiatria do HC
Trabalho de Campo (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Carga Horária Total 
diurno, a cada 15 dias.
960 horas , 20 horas semanais, incluindo plantão de 12 horas
Duração do Estágio 
12 meses
Período do Estágio 
01/02/2008
Pré-requisito 
Residência Médica (2 anos) credenciada pela Comissão
Nacional e MEC ou Estágio equivalente (2 anos) em Pediatria.
Forma(s) de Seleção 
Prova e Entrevista
Mensalidade  um salário mínimo
Número de Vagas (mínimo e máximo) 
2 (duas)
Forma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final 
· Freqüência mínima de 80%
· Estágio supervisionado
· Avaliação formal das disciplinas
Bibliografia 
Lista de Colaboradores (indique: nome, titulação ou qualificação, instituição, atividade a ser
desenvolvida por ele e justificativa) 
92
URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS EM PEDIATRIA
Coordenador * 
Titulação 
Departamento 
Dr. Claudio Schvartsman
Doutor
Pediatria
Vice-Coordenador *  Dra. Tânia M. Shimoda
Titulação 
Médica
Departamento 
Pediatria
_____________________________________________________________________
Objetivos do Estágio 
Ao final do estágio, o complementando deverá ser capaz de:
1. reconhecer a criança gravemente enferma: diagnosticando e tratando as principais
intercorrências pediátricas.
2. Diagnosticar e tratar as principais emergências das especialidades pediátricas.
3. Diagnosticar e conduzir as emergências dos pacientes politraumatizados e com patologias
cardio vasculares.
4. Diagnosticar e conduzir as emergências otorrinolaringológicas, oftalmológicas, ortopédicas,
dermatológicas, ginecológicas e neurológicas principais nos pacientes pediátricos (para 2º
ano de complementação);
5. Solicitar e interpretar corretamente os exames laboratoriais de urgência.
6. Orientar adequadamente tratamento domiciliar e seguimento ambulatorial.
7. Executar prontamente os principais procedimentos de urgência. Orientar adequadamente
os pacientes, a família e no caso de menores, os responsáveis e a própria criança (quando
possível), quanto ao seu estado de saúde.
1. Atividades Teórico-Práticas Obrigatórias 
1º ano de complementação:
a) teóricos: seminários com temas pré-estabelecidos a serem realizados a cada 15 dias, sob a
supervisão direta de um médico assistente do SCUT e de um médico assistente convidado.
- aulas ministradas a internos: serão responsáveis diretos por um tema a ser abordado com
internos, sob supervisão direta da preceptora daqueles.
- participação ativa nos temas abordados nas reuniões científicas das terças-feiras
- Protocolos: cada complementando será responsável por no mínimo 2 protocolos a serem
desenvolvidos no período de 1 ano no SCUT, sob supervisão de um médico assistente.
- Aulas adicionais: serão ministradas aulas adicionais em período extra-campo (sempre que
possível): A) 3 aulas teórico-práticas de interpretação de EEG;B) 5 aulas complementares de
cárdiopediatria
- aulas teóricas ministradas aos internos e/ou residentes: poderão participar destas, fora do
horário de trabalho em campo.
2º ano de complementação:
93
a) teórico: aulas e seminários coordenados com os estágios no complexo HC, sob supervisão ou
responsabilidade direta de um médico assistente do SCUT; aulas ministradas a internos,
residentes sob responsabilidade de um médico assistente.
- participação ativa nos temas abordados nas reuniões científicas das terças-feiras
- protocolo a ser desenvolvido no prazo de 1 ano a ser apresentado no final do estágio;
b) Práticas: discussão de casos em internos e residentes no atendimento inicial dos pacientes
que dão entrada no PS (sob supervisão do médico assistente);
- supervisão dos casos sob a responsabilidade dos residentes e internos que estejam
internados no PS (sob supervisão do médico assistente)
- supervisão do atendimento dado pelo residente ao paciente na sala de emergência, sob
supervisão direta do médico assistente.
- Triagem
- Passagem de plantão para outro complementando ou residente de 3º ano
- Procedimentos após tentativa infrutífera do residente de 2º ano, sob critério e supervisão
direta do médico assistente
1º ano de complementação:
a) Instituto do Coração: estágio de 1 mês para cada complementando, 4 dias na semana, sendo
dividido da seguinte forma:
Período da manhã: das 8h-12h, em regime de atendimento no SPA, sob supervisão de um médico
assistente local.
Período da tarde: das 13h-17h, na UTI-congênitos, acompanhando os casos internados, dando
enfoque especial às cardiopatias mais freqüentes na infância, suas complicações e manejo
farmacológico dos mesmos.
A parte teórica do estágio será ministrada durante o ano no Instituto da Criança,
podendo ser complementada durante o estágio prático no setor.
b) Pronto Socorro Cirúrgico do Instituto Central: estágio de 1 mês, de 2ª a 6ª (exceto
feriados), no período das 7h-13h.
O complementando passará 1 mês (cada 1), no período da manhã, acompanhando o atendimento
de pacientes cirúrgicos, preferencialmente os vítimas de trauma, adultos ou crianças,
participando dos seguintes passos:
1) Avaliação inicial da vítima de trauma;
2) Acesso às vias aéreas (incluindo IOT, drenagem torácica)
3) Avaliação circulatória (com obtenção de acesso venosos e intra-ósseo)
4) Ultrassom no trauma. O complementando/R3 passará também nesse período em estágio com
a radiologia do PSC, acompanhando exames realizados no PSC, pela urgência, tais como US
torácico, abdominal, etc.
5) Procedimentos acessórios: suturas, passagem de SNG, SOG, S vesical
c) Enfermaria de Queimados: Estágio de 1 mês por complementando, a ser realizado das 13h às
18h, visando o acompanhamento do paciente queimado, adulto ou criança.
2º ano de complementação:
94
a)
Pronto-Socorro
de
Ortopedia,
Ginecologia,
Dermatologia,
Oftalmologia
e
Otorrinolaringologia: estágio de 3 semanas cada, de 2º a 6º (exceto feriados), no período das
7h às 13h.
b) UTI-ICr _ estágio de 3 semanas de 2º a 6º (exceto feriados), no período das 7 às 13h,
opcional até às 19h
a)
b)
c)
d)
e)
f)
g)
h)
i)
j)
k)
l)
m)
n)
o)
p)
q)
r)
s)
t)
1.1 Seminários (programa e carga horária) 1ºano
controvérsias no manejo da parada-respiratória
insuficiência cardíaca e choque cardiogênico
insuficiência respiratória/funcionamento, indicação e instalação de ventilação mecânica
fisiopatologia e tratamento da insuficiência renal aguda e crise hipertensiva
mal convulsivo
coma e morte encefálica
sedação. analgesia e bloqueio neuromuscular
atualizações no manejo da cetoacidose diabética e complicações
insuficiência hepática-diagnóstico, manejo e complicações
uso de hemoderivados
choque séptico e abordagem nos diferentes tipos de choque
atendimento ao politrauma
atendimento do tce e trauma raquimedular
atendimento do grande queimado
atendimento do afogado e vítima de choque elétrico
intoxicações
emergências oncológicas
aspectos éticos e legais do atendimento em ps
transporte do paciente grave intra e extra-hospitalar
procedimentos em emergência
1.2
Outras Atividades Programadas (descrição) 
Aulas a serem ministradas nos diversos setores dos estágios dos complementandos de 2º ano
*Curriculum Vitae em formulário próprio
Atividades Optativas 
Estágio de 1 mês na Enfermaria de Queimados do HC –1º ano de complementação
Período complementar das 13h às 19h na UTI- ICr para complementandos de 2º ano
Estagio de 3 semanas em anestesia pediátrica - 2° ano de complementacao
95
Estágios em serviço (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Atendimento nos diversos setores já descritos, sob a supervisão de médicos assistentes dos
setores, 20 horas por semana.
Seminários e aulas realizados sob a orientação dos diferentes médicos assistentes dos
setores.
Trabalho de Campo (descrição das atividades, carga horária e formas de supervisão) 
Carga Horária Total  960 horas no primeiro ano e 960 horas no segundo ano
Duração do Estágio  um ano para aqueles que tiverem terceiro ano de residência em
emergência pediátrica, e de dois anos para aqueles que tiverem dois anos de residência em
pediatria.
Período do Estágio  12 ou 24 meses de acordo com o citado acima, iniciando em 1º de
fevereiro
Pré-requisito  24 meses: Residência Médica em Pediatria (2 anos) credenciada pela Comissão
Nacional e MEC e/ou Estágio equivalente
ou
12 meses: Residência Médica em Pediatria (3 anos) credenciada pela
Comissão Nacional e MEC e/ou Estágio equivalente, com o 3º ano de
Residência na área de atuação de Pediatria
Forma(s) de Seleção  Entrevista, apresentação de curriculum vitae e documentação.
Mensalidade  um salário mínimo
Número de Vagas (mínimo e máximo)  5 vagas
Forma(s) de Avaliação e critérios de aprovação final  avaliação do desempenho durante as
atividades práticas e teóricas e da análise de monografia, cujo tema será determinado de
acordo com o interesse do complementando em conformidade com a chefia do estágio.
Bibliografia 
Lista de Colaboradores (indique: nome, titulação ou qualificação, instituição, atividade a ser
desenvolvida por ele e justificativa)  Médicos assistentes das áreas de estágio.
96
COMPLEMENTAÇÃO DE 1º ANO
1 mês PSC
1 mês INCOR
1 mês férias
9 meses SCUT
1mês Enfermaria de Queimados
COMPLEMENTAÇÃO DE 2º ANO
3 semanas PS dermatologia
3 semanas PS ortopedia
3 semanas PS oftalmologia
3 semanas PS otorrinolaringologia
3 semanas PS ginecologia
3 semanas UTI-ICr
3 semanas PS Neurologia
15 semanas SCUT
4 semanas férias
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

paulo

2 Cartões paulonetgbi

A Jornada do Herói

6 Cartões filipe.donner

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Matemática

2 Cartões Elma gomes

Criar flashcards