Tanto o parênquima, o Colênquima e o Esclerênquima são tecidos

Propaganda
UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO
CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS
CURSO DE BIOLOGIA (EAD)
TRABALHO DE ANATOMIA
DE PLANTAS VASCULARES
Gabrielle Freitas Portela (matr2008000166)
Turma: REEADCB112081
Rio de Janeiro, abril de 2008.
TRABALHO DE ANATOMIA
DE PLANTAS VASCULARES
Gabrielle Freitas Portela (matr 2008000166(
Trabalho apresentado como tutoria de
A1, requisito parcial para aprovação na
disciplina ‘Anatomia de plantas
vasculares’ do curso de Biologia,
orientado pela profª Fabiana.
Rio de Janeiro, abril de 2008.
Tanto o parênquima, o Colênquima e o Esclerênquima são tecidos fundamentas em
plantas.
O Parênquima está envolvido com a fotossíntese, armazenamento e secreção, onde
há a necessidade da presença de protoplastos vivos, também desempenham um papel no
movimento da água e no transporte de substâncias nas plantas. As células parenquimáticas
ocorrem normalmente como massas contínuas no córtex e medula dos caules e raízes, no
mesofilo da folha e na porção carnosa dos frutos. As células parenquimáticas vivas na
maturação são capazes de divisão mesmo que suas paredes sejam comumente primárias,
outras podem ter parede secundária. Essas células têm um papel importante na regeneração
e na cicatrização de lesões, também dão origem às estruturas adventícias, como as raízes
adventícias nas estacas caulinares.
O Colênquima sustenta os órgãos jovens em crescimento. Essas células são vivas
na maturidade, podendo continuar a desenvolver paredes espessas e flexíveis enquanto o
órgão está alongando, tornando essas células adaptadas para a sustentação de órgãos jovens
em crescimento. O colênquima ocorre em feixes isolados ou como cilindros contínuos sob a
epiderme, nos caules e pecíolos. Também pode ser encontrado margeando as nervuras das
folhas das eudicotiledôneas. Normalmente essas células são alongadas, possuem parede
primária não lignificada e irregularmente espessadas, sendo elas macias, flexíveis e
apresentam uma aparência brilhante no tecido fresco.
O Esclerênquima reforça e sustenta as partes da planta que não estão se alongando.
Podem formar massas contínuas ou podem ocorrer em pequenos grupos ou, ainda,
disporem-se individualmente entre outras células. Essas células podem se desenvolver em
qualquer parte do corpo primário ou secundário da planta e não apresentam protoplastos na
maturidade. Sua principal característica é a presença de parede secundária espessada e
freqüentemente lignificada.
Diferenças
Parênquima
Colênquima
Esclerênquima
Bibliografia:
Funções
Difere-se das outras em sua Envolvido
com
a
função.
fotossíntese, armazenamento
e
secreção
também
desempenham um papel no
movimento da água e no
transporte de substâncias nas
plantas.
Difere-se do parênquima em Sustenta os órgãos jovens em
sua função, mas em relação crescimento
ao colênquima se difere
apenas no momento em que
atua, nos órgãos jovens.
Difere-se do parênquima em Reforça e sustenta as partes
sua função, mas em relação da planta que não estão se
ao colênquima se difere alongando
apenas no momento em que
atua, na parte da planta que
está se alongando.
HAVEN, Peter H, EVERT, Ray F, EICHHORN, Susan E. Biologia Vegetal –
Células e tecidos vegetais. 6ªed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 2001.
Download
Random flashcards
modelos atômicos

4 Cartões gabyagdasilva

teste

2 Cartões juh16

paulo

2 Cartões oauth2_google_ddd7feab-6dd5-47da-9583-cdda567b48b3

Criar flashcards